Fátima Andréia Tamanini-Adames
2010
 A metafunção textual caracteriza a oração como MENSAGEM e se
realiza através do sistema de TEMA.
 O ponto de partida da...
 Oração = Tema + Rema
 TEMA SIMPLES
 # O Tema da oração consiste no elemento estrutural e o elemento é
representado por...
 # what the duke gave to may aunt was that teapot.
 O que o duque deu para minha tia foi um pote de chá.
 TEMA REMA
 #...
PROCESSO GRUPO VERBAL
PARTICIPANT
E
GRUPO NOMINAL
CIRCUNSTÂNC
IA
GRUPO ADVERBIAL
OU
FRASE/SINTAGMA
PREPOSIONAL
5

 A equação temática, na verdade, realiza duas características
semânticas diferentes: identificar e especificar -> Tema/...
 # Qual é o elemento que é tipicamente escolhido como Tema na oração
‘em inglês’?
 A resposta para essa questão depende ...
 # Tema nas orações INTERROGATIVAS - fazer questão - “o
que eu quero saber” - Yes e no - sim e não
 # O Tema é o element...
 Tema nas orações IMPERATIVAS
 # let’s go home now - vamos para casa agora - aqui let’s é claramente uma
escolha não mar...
 O Tema pode envolver elementos das três metafunções – ideacional,
textual e interpessoal (mas sempre envolve a metafunçã...
 Mas, outros elementos (não ideacionais) podem preceder o Tema
ideacional: Tema múltiplo.
 2. Tema textual: Sem elemento...
 Esse Tema textual conjuntivo pode ser TM (não característico), se a
oração principal vier depois da subordinada.
 També...
 2.3. Tema textual sequencializador - com “adjunto conjuntivo”:
Ocupam mesmo espaço semântico das conjunções. Estabelecem...
 3.1. Tema interpessoal vocativo: Identifica o interlocutor na troca.
 3.2. Tema interpessoal adjunto: Modalizador, gera...
 Segundo Schlee (2006, p. 1011), “o finito corresponde à indicação do
momento da realização do processo expresso pelo ver...
 3.4. Tema interpessoal com operador verbal finito (#): Expressa
opiniao do locutor ou busca a do interlocutor: metáforas...
17
Onde você está indo?
TIN (pergunta a alguém) / TID
(centro, bairro, supermercado.. -
lugar)
R
Como você vai vestido?
TI...
 Bem (1), colegas (2), além do mais (3), felizmente (4), penso que (5)
o Tema (6) pode ser Tema múltiplo com TTX e TIN + ...
 No fluxo do discurso, há recursos estruturais e recursos coesivos.
 Sob o complexo oracional, a gramática gerencia o fl...
 Forma NM: D + N <-> Forma M: N+ D
 D (natureza fórica): refere-se a algo já apresentado no contexto verbal
ou não verba...
 N (estrutura indeterminada): tipicamente, é o último elemento
funcional da estrutura oracional, marcado pela proeminênci...
 Elementos anafóricos (referentes a algo mencionado antes) e
catafóricos (interpretados com base na referência do “aqui-a...
 ESTRURA DE INFORMAÇÃO
 Dado (O que é compartilhado) + Novo (desconhecido)
 é ouvir ou ler????
 ESTRUTURA TEMÁTICA
 T...
 FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. Metafunção textual: oração como
mensagem. In: FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. (Orgs.). Introduça...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Metafunção Textual (oração como mensagem): SISTEMA DE TEMA E REMA.

2.933 visualizações

Publicada em

A metafunção textual caracteriza a oração como MENSAGEM e se realiza através do sistema de TEMA.

O ponto de partida da mensagem é denominado por Halliday e Mathiessen (2004) de Tema.

Tema corresponde ao primeiro elemento experiencial da oração.

O restante da oração é denominado Rema, que é a parte da mensagem que desenvolve o ponto de partida.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.933
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metafunção Textual (oração como mensagem): SISTEMA DE TEMA E REMA.

  1. 1. Fátima Andréia Tamanini-Adames 2010
  2. 2.  A metafunção textual caracteriza a oração como MENSAGEM e se realiza através do sistema de TEMA.  O ponto de partida da mensagem é denominado por Halliday e Mathiessen (2004) de Tema.  Tema corresponde ao primeiro elemento experiencial da oração.  O restante da oração é denominado Rema, que é a parte da mensagem que desenvolve o ponto de partida. 2
  3. 3.  Oração = Tema + Rema  TEMA SIMPLES  # O Tema da oração consiste no elemento estrutural e o elemento é representado por: grupo adverbial, grupo nominal ou sintagma preposicional (p. 68).  # what the duke gave to may aunt was that teapot.  TEMA + REMA  # “Este tipo de oração é conhecida como thematic equative – equação temática - porque se instala a estrutura Tema + Rema na forma de equação onde Tema = Rema (p. 69). 3
  4. 4.  # what the duke gave to may aunt was that teapot.  O que o duque deu para minha tia foi um pote de chá.  TEMA REMA  # what happened was that the duke my aunt that teapot. (p. 70)  o que aconteceu foi que o duque deu à minha tia um chá.  Neste caso, a nominalização (não deverbal) funciona como Tema.  # You’re the one I blame for this, with . YOU como Tema. (p. 70)  Você, eu culpo por isso.  Aqui a nominalização começa no Rema - o participante está deslocado????? 4
  5. 5. PROCESSO GRUPO VERBAL PARTICIPANT E GRUPO NOMINAL CIRCUNSTÂNC IA GRUPO ADVERBIAL OU FRASE/SINTAGMA PREPOSIONAL 5
  6. 6.   A equação temática, na verdade, realiza duas características semânticas diferentes: identificar e especificar -> Tema/Rema (p. 71)  TEMA IDEACIONAL – TOPICAL - NÃO MARCADO E TEMA IDEACIONAL MARCADO  # O Tema de uma oração pode se apresentar marcado ou não marcado.  # O Tema é não marcado quando o Sujeito do verbo é o ponto de partida da mensagem.  # O Tema marcado quando o Tema não é o ponto de partida da oração. 6
  7. 7.  # Qual é o elemento que é tipicamente escolhido como Tema na oração ‘em inglês’?  A resposta para essa questão depende da escolha do modo? (p.71)   Tema nas orações DECLARATIVAS  # Tema não marcado - na oração declarativa- pronome 1ª pessoa- Sujeito  # E mais o Tema marcado nos grupos adverbiais ou sintagmas preposionais.   funciona como Adjunto  # Ainda pode ser marcado quando funcionar como como complemento.  Ex. - You I blame for this. Você eu culpo por isso. (p. 73) - “poderia ser sujeito, mas não é.” 7
  8. 8.  # Tema nas orações INTERROGATIVAS - fazer questão - “o que eu quero saber” - Yes e no - sim e não  # O Tema é o elemento que incorpora a expressão de polaridade, namely - saber??? Finite verbal operator ???- expressão negativa e positiva- is/isn’t - é/não é (p. 75)  - INTERROGATIVAS - WH- QU (p. 75)  Eu quero que seja dito algo e a resposta é uma informação.  Ex.: - Quem quer um copo de vinho branco?  - De onde você tirou isso? 8
  9. 9.  Tema nas orações IMPERATIVAS  # let’s go home now - vamos para casa agora - aqui let’s é claramente uma escolha não marcada do Tema (p. 76).  # mas, quando o sujeito estiver antes do verbo no imperativo, o Tema será marcado.  Ex: You keep quiet!  A forma mais típica é simplesmente keep quiet - permaneça quieto. 9
  10. 10.  O Tema pode envolver elementos das três metafunções – ideacional, textual e interpessoal (mas sempre envolve a metafunção ideacional).  1. Tema ideacional:  A oração, em sua função representacional (ideacional - topical), constrói um quantum de experiência humana, realizando (apenas) uma função do Sistema de Transitividade (processo, participante ou circunstância – tempo, maneira , causa, lugar).  O Tema vai terminar no primeiro constituinte do Sistema de Transitividade .  Assim, se envolver só a metafunção ideacional (tendo só 1 elem. do Sistema de Transitividade), será um Tema simples. 10 O presidente do Brasil (partic.) viajou para a Dinamarca. Passaram (processo) vários anos após nosso último encontro. Em situações de perigo (circunst.), todo cuidado é pouco. TID R
  11. 11.  Mas, outros elementos (não ideacionais) podem preceder o Tema ideacional: Tema múltiplo.  2. Tema textual: Sem elementos do Sistema de Transitividade.  2.1. Tema textual continuativo: continuam o discurso anterior.  2.2. Tema textual conjuntivo: ligam orações paratáticas (coordenadas) ou hipotáticas (subordinadas). 11 Bem, – Sim ,– Não, – Agora, - È, eu preciso ir. TTX TID R ... e eu precisei ir. ... quando eu precisei ir. TTX TID R
  12. 12.  Esse Tema textual conjuntivo pode ser TM (não característico), se a oração principal vier depois da subordinada.  Também, um Tema ideacional pode ser TM. 12 Quando eu fui lá, ... TTX (TM – or. depend está normalmente após or. principal) TID R Alimentos, você pode estocar. TID (TM - complemento verbal: obj. direto – normalmente estaria no R) R
  13. 13.  2.3. Tema textual sequencializador - com “adjunto conjuntivo”: Ocupam mesmo espaço semântico das conjunções. Estabelecem vínculo coesivo com discurso anterior.  2.4. (WH-itens) - Tema textual relativo: Nas or. adjetivas (subordinadas ou encaixadas (cf. Olione, 2010, p. 106-109)) – pronome relativo definido ou indefinido ou advérbio - é TNM (característico) e exerce função dupla, sendo também TID, porque retoma um elemento antecedente (os WH- são caracteristicamente temáticos).  3. Tema interpessoal:Sem elementos do Sistema de Transitividade. 13 Além disso ,– Desse modo, - Ou seja, água não congela. TTX TID R ...que (that) – onde (where) adivinhou os resultados na Copa. TTX (pron. rel. – WH nominal – WH adverbial) /TID (o polvo Paul - o aquário) R
  14. 14.  3.1. Tema interpessoal vocativo: Identifica o interlocutor na troca.  3.2. Tema interpessoal adjunto: Modalizador, geralmente realizado por um advérbio de comentário, avaliação ou atitude em relação à msg.  3.3. Tema interpessoal com operador verbal finito (*): Há um pequeno conj. de verbos auxiliares “finitos” (ingl.) que constroem um tempo verbal primário ou uma modalidade. Mãe, [você] traga - a toalha! TIN TID R Infelizmente – Talvez – Geralmente, a seleção perde o jogo... TIN TID R Poderia - Deveria eu fazer isso? TIN TID R 14
  15. 15.  Segundo Schlee (2006, p. 1011), “o finito corresponde à indicação do momento da realização do processo expresso pelo verbo” que pode ser feita através de desinências verbais ou de verbos auxiliares de locuções verbais (conjugações perifrásicas em que a forma nominal fornece significação e o auxiliar assinala modo, tempo e pessoa).  Então, o finito é parte do tempo verbal no momento do discurso e em um determinado modo. 15
  16. 16.  3.4. Tema interpessoal com operador verbal finito (#): Expressa opiniao do locutor ou busca a do interlocutor: metáforas gramaticais.  3.5. (WH-itens) - Tema interpessoal relativo (*): Nas or. Interrogativas é TNM (característico, mesmo que o participante esteja no R) e exerce função dupla, sendo também TID (a circunstância está no tema). 16 Eu acredito que Mano Menezes será um bom técnico. Você acha mesmo que eu vou à festa? TIN TID R
  17. 17. 17 Onde você está indo? TIN (pergunta a alguém) / TID (centro, bairro, supermercado.. - lugar) R Como você vai vestido? TIN (pergunta a alguém) / TID (com traje passeio, com traje de gala.. – maneira) R Que horas você volta? TIN (pergunta a alguém) / TID (1 h, 2 h.. – tempo) R Por que você vai de ônibus? TIN (pergunta a alguém) / TID (porque é mais barato, porque é mais cômodo... – causa) R
  18. 18.  Bem (1), colegas (2), além do mais (3), felizmente (4), penso que (5) o Tema (6) pode ser Tema múltiplo com TTX e TIN + TID.  (1) Tema textual continuativo  (2) Tema interpessoal vocativo  (3) Tema textual sequencializador  (4) Tema interpessoal adjunto  (5) Tema interpessoal com or. mental em 1ª pes.  (6)Tema ideacional terminando no participante do Sistema de Transitividade (TNM)  + exercícios em: Fuzer & Cabral (2010, p. 139). 18
  19. 19.  No fluxo do discurso, há recursos estruturais e recursos coesivos.  Sob o complexo oracional, a gramática gerencia o fluxo do discurso através de significados estruturais, trabalhando, então, com 2 sistemas interrelacionados mas independentes:  - o sistema de orações (estrutura temática);  - o sistema de informação (unidade/estrutura informacional – paralela à oração) - 2 funções: D (opcional) e N.(obrigatório)  Olioni (2010, p. 121): Na oralidade, é a entonação que ressalta o N, e, na escrita, o último constituinte caracteriza o N (proeminente por negrito, itálico, sublinhado...) , que é colocado em 1º plano, com o D como pano de fundo para o que vem a seguir.  A oração pode ter 2 ou + un. informacionais; a un. informacional pode coincidir com a oração ou estar em 2 ou + orações.  Há uma tensão entre o que é conhecido ou previsível e o que é novo ou imprevisível. 19
  20. 20.  Forma NM: D + N <-> Forma M: N+ D  D (natureza fórica): refere-se a algo já apresentado no contexto verbal ou não verbal – não obrigatório na or. - RECUPERÁVEL. Ex.: elipses. 20 O coco fincou raízes no Brasil e [o coco] virou símbolo da cultura nacional D (elíptico) N (forma não marcada)
  21. 21.  N (estrutura indeterminada): tipicamente, é o último elemento funcional da estrutura oracional, marcado pela proeminência tônica, mas nada marca seu começo na linguagem oral (na escrita, olha-se para o contexto) – obrigatório - NÃO RECUPERÁVEL. 21 Nós estamos trabalhando com prata. Agora, a prata necessita ser amada. D N (forma não marcada) - Isso não é bonito? - Se você está sugerindo, é bonito, sim, eles vêem isso como bonito. N (forma marcada) -CONTRASTIV O D N (forma marcada) – CONTRASTI VO D
  22. 22.  Elementos anafóricos (referentes a algo mencionado antes) e catafóricos (interpretados com base na referência do “aqui-agora” são tipicamente D.  Elementos anafóricos também podem ser D se forem contrastivos.  No caso do modo imperativo, toda oração é N (o D nunca é obrigatório)!  22 Que tal você ir àquela entrevista hoje – lá? N (forma marcada) D (dêitico) O Mediterrâneo possui duas saídas. Uma, é o estreito de Gibraltar. Outra, é o canal de Suez. D CONTRASTIV O N (forma não marcada) D CONTRASTIV O N (forma não marcada) Conecte o adaptador no local indicado. Use o botão reset para restaurar as configurações. N (forma marcada) N (forma marcada)
  23. 23.  ESTRURA DE INFORMAÇÃO  Dado (O que é compartilhado) + Novo (desconhecido)  é ouvir ou ler????  ESTRUTURA TEMÁTICA  Tema (ponto de partida) + Rema  é falar  Tema = Dado e Rema = Novo 23
  24. 24.  FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. Metafunção textual: oração como mensagem. In: FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. (Orgs.). Introduçao à Gramática Sistêmico-Funcional em Língua Portuguesa. Santa Maria, RS: NELP-UFSM, 2010, p. 126-171.  HALLIDAY, M. A. K. Clause as message. In: HALLIDAY, M. A. K. An introduction to functional grammar. 3rd Edition. Revised by Christian M. I. M. Matthiessen. London, UK: Edward Arnold, 2004, p. 64-105.  OLIONI, R. C. Tema e N-Rema: a construção do fluxo de informação em textos narrativos sob uma perspectiva sistêmico-funcional. 2010. 196f. Tese (Doutorado em Letras – Linguística Aplicada) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.  SCHLEE, M. B. O finito e a modalidade em editorais de jornal. In: International Systemic Functional Congress, XXXIII, jul. 2006, São Paulo, SP. Proceedings. São Paulo, SP: LAEL-PUC-SP, 2006, p. 1007-1020. 24

×