SlideShare uma empresa Scribd logo
Clara de Assis : biografia e cartas / Monica de Azevedo
A vida de alguém se torna
referência e ideário na nossa
    vida quando de alguma
 forma nós nos identificamos
       com esta pessoa.
Clara, como sol,
iluminou o meu caminho...
Atas do
Processo de
Canonização
 Bula de
Canonização
 Legenda
1194 – Nascimento de Clara na casa paterna,
                em Assis.
Filha mais velha
  de Hortolana
 e de Favarone,
teve duas irmãs,
Catarina (Inês) e
     Beatriz.
“Quando sua mãe a estava esperando,
 foi à igreja e estando diante da cruz a orar
     atentamente, pedindo a Deus que a
 socorresse e ajudasse no perigo do parto,
ouviu uma voz que lhe disse: No parto, terás
uma luz que vai iluminar o mundo.” PC 3 e 6
•Vivência Religiosa
•Formação na cultura da nobreza

                        •Aprendeu a ler e
                        escrever, o que
                        sabia fazer muito
                        bem.
                        •Sensibilidade
                        com os pobres –
                        doações.
Os nobres são exilados de Assis
       pelos burgueses.
A família de Clara refugia-se em Perusa,
       onde permanece até 1204.
Clara estava prometida em casamento
a um jovem nobre da cidade de Assis.
Clara se encontrou frequentemente
          com Francisco
“Francisco era a coluna e a única
      consolação depois de Deus”;
foi o fundador, o plantador e o auxílio...
              (Test 38, 48)
Quais são
as pessoas concretas
que em nossa história
 de vida tornaram-se
     referências –
plantadores de nossos
   sonhos e ideais
       de vida?
Francisco e Clara
se encantaram
mutuamente pelo modo
de seguir Cristo e viver
o Evangelho.
     Conseguimos
  nos deixar encantar
   pela vida de um(a)
 irmão(ã) que convive
  conosco e em nosso
         tempo?
Domingo de Ramos.
Clara sai de casa e se consagra a Deus
            na Porciúncula.
“O domingo de ramos, com a bênção
  e procissão de ramos de palmeira,
    desde muito possui um caráter
 nupcial. Liturgicamente é celebrada a
    entrada festiva de Jesus em
Jerusalém, e misticamente a união de
  amor de Jesus com sua esposa, a
  Igreja, e para o povo esta era uma
  ocasião favorável para se procurar
uma noiva ou se acertar um noivado.”
              Anton Rotzetter
“Francisco tinha visto bem a razão
 para sugerir a Clara a fuga de casa,
     no início da Semana Santa.


Toda a vida cristã, e portanto também
   a vida de consagração especial,
constituem um fruto do Mistério pascal
  e uma participação na morte e na
        ressurreição de Cristo.
Na liturgia do Domingo de Ramos, dor
e glória entrelaçam-se, como um tema
que depois se desenvolve nos dias
seguintes, através da obscuridade da
Paixão, até à luz da Páscoa.



Com a sua escolha, Clara revive este
mistério. No dia dos Ramos recebe,
por assim dizer, o seu programa.
Depois, entra no drama da Paixão,
cortando os seus cabelos e com eles
renunciando inteiramente a si mesma
para ser esposa de Cristo na humildade
e na pobreza.

Francisco e os seus companheiros já são a
sua família. Depressa chegarão irmãs...

No seu significado profundo, a
«conversão» de Clara é uma conversão
ao amor.
Ela já não terá as vestes requintadas da nobreza
de Assis, mas a elegância de uma alma que se
despende no louvor a Deus e no dom de si mesma.
No pequeno espaço do mosteiro de São Damião,
na escola de Jesus-Eucaristia contemplado com
afeto esponsal, desenvolver-se-ão no dia-a-dia as
características de uma fraternidade regulada pelo
amor a Deus e pela oração, pela solicitude e pelo
serviço. É neste contexto de fé profunda e de
grande humanidade que Clara se faz intérprete
segura do franciscano ideal, implorando aquele
«privilégio» da pobreza(...).” Papa Bento XVI
Seguir Jesus Cristo na condição
   dos pobres de seu tempo.
Francisco dá às Irmãs a sua
  primeira forma de vida.
1216 – Por pressão de Francisco,
Clara aceita a regra de São Bento
     e o título de abadessa.

                      Mas também
                        consegue
                       o “Privilégio
                      da Pobreza”
                     de Inocêncio III.
Clara, como Francisco, descobriu que
 é impossível seguir Jesus Cristo e
     viver sozinha o Evangelho.
O critério básico
para as decisões
na vida da comunidade
de irmãs
é o bem comum.
Uma das marcas da
organização
da convivência
comunitária
realizada por Clara
é a participação
co-responsável.
As decisões importantes
    devem contar com a participação
        e o consenso de todas:
admissão de candidatas;
eleição da abadessa e sua deposição;
contração de alguma dívida;
eleição das discretas e das responsáveis
pelos diversos ofícios;
capítulo semanal – que tem como finalidade a
revisão de vida, a distribuição das tarefas de
cada uma, a decisão sobre o destino das
esmolas e outros aspectos que forem
necessários ao bem comum.
“Todas as irmãs
devem ser ouvidas,
porque muitas vezes
     é à menor
que Deus manifesta
   sua vontade.”

Regra de Santa Clara
Em São Damião,
                             todas as irmãs
                            eram obrigadas
                                ao trabalho,
                       e não havia distinção
                  entre trabalho mais nobre
                   e trabalho menos nobre.
         Clara dava o exemplo.
Em outros mosteiros femininos da época
  havia se criado uma dupla categoria
               de monjas:
as coristas e as conversas ou serventes.
Em 1234, entra na Ordem das Damas
Pobres, Inês de Praga. No mesmo ano,
Clara lhe escreve sua primeira carta.




      Clara escreveu seu Testamento
     provavelmente pelo ano de 1247.
Em 1250, agrava-se o estado de saúde de
Clara e, provavelmente, por este tempo
começa a escrever a sua Forma de Vida.
1253
•Clara escreve sua última carta a Inês de
Praga.
•Dia 09 de agosto, após visita a Clara,
Inocêncio IV manda apressar a aprovação
de sua Regra.
•Dia 10 de agosto, a bula com a aprovação
da Forma de Vida é levada para Clara em
seu leito de morte.
•Dia 11 de agosto, Clara passa para a vida
eterna. Os solenes funerais contaram com a
presença do Papa e dos cardeais.
Regra
Testamento
  Bênção
Cinco cartas
A base da espiritualidade
que perpassa os seus escritos
é a experiência de Jesus Cristo
       amado e pobre.
Inês de Praga nasceu em 1205 e era filha
       do rei da Boêmia, Otocar I.

        Quatro cartas conhecidas.
Pelas cartas, Clara anima, inspira força e
estimula Inês com o que a ela mesma dá
 vigor espiritual e suavidade ao coração.
Clara escreve a primeira carta após
       receber a notícia de que Inês
       desejava seguir seus passos.
Podemos deduzir que a carta foi escrita por
 Clara antes do dia 11 de junho de 1234 –
 dia de Pentecostes, quando ocorreu uma
  festa de despedida oferecida pela corte
            real de Praga a Inês.
“... indigna fâmula de Jesus Cristo e serva
    inútil das senhoras enclausuradas do
     mosteiro de São Damião, sua serva
       sempre submissa, recomenda-se
     inteiramente e deseja, com especial
      reverência, que obtenha a glória da
 felicidade eterna. Sabedora da boa fama
de vosso santo comportamento e vida, que
        não só chegou até mim, mas foi
esplendidamente divulgada em quase toda
     a terra, muito me alegro e exulto no
                   Senhor.”
O motivo que perpassa toda a carta de
 Clara é a “sagrada troca” que Inês fez:

•Ser esposa de Jesus Cristo em lugar de
ser esposa de Frederico II;
•a troca das pompas e honras do mundo
pela santíssima pobreza e as privações
corporais, com toda a alma e com todo o
afeto do coração;
•deixar as coisas temporais pelas eternas;
• deixar os bens terrestres pelos bens
celestes....
Pobreza - Contemplação
                            Relação intensa
                            com Jesus Cristo
Privações - Esponsalidade
“Ó bem-aventurada pobreza,
   que àqueles que a amam e abraçam
       concede as riquezas eternas.
Ó santa pobreza, aos que a têm e desejam
Deus prometeu o reino dos céus (Mat 5,3),
  e são concedidas sem dúvida alguma a
         glória eterna e a vida feliz!
 Ó piedosa pobreza, que o Senhor Jesus
 Cristo dignou-se abraçar acima de tudo,
    ele que regia e rege o céu e a terra,
 ele que disse e tudo foi feito!(Sl 32,9;148,5).”
O contexto da segunda carta está situado
no fato de papa Gregório IX exigir que os
bens do mosteiro e do hospital de Praga
fossem administrados por Inês.

Clara se coloca do lado de Inês na luta
pela pobreza.
“O fio condutor
da segunda carta
  é o Caminho.”
“Não confie em ninguém, não consinta com
nada que queira afastá-la desse propósito,
que seja tropeço no caminho (cfr. Rm
14,13), para não cumprir seus votos ao
Altíssimo (Sl 49,14) na perfeição em que o
Espírito do Senhor a chamou. ... Se alguém
lhe disser outra coisa, ou sugerir algo
diferente, que impeça a sua perfeição ou
parecer contrário ao chamado de Deus,
mesmo que mereça sua veneração, não
siga o seu conselho.”
A terceira carta é uma carta de consolação
a Inês e o consolo se traduz na imagem da
morada: Inês é morada de Deus.
  “Você vai conter quem pode conter você
   e todas as coisas (cfr. Sb 1,7; Cl 1,17),
 vai possuir algo que, mesmo comparado
 com as outras posses passageiras deste
     mundo, será mais fortemente seu.”
“Tenho a maior alegria e transbordo com a
maior exultação no Senhor ao saber que
está cheia de vigor, em boa situação e
obtendo êxitos no caminho iniciado para
obter o galardão celeste.
Ouvi dizer e estou convencida de que você
completa maravilhosamente o que falta em
mim e nas outras Irmãs para seguir os
passos de Jesus Cristo pobre e humilde.
Eu me alegro de verdade, e ninguém vai
poder roubar-me esta alegria, porque já
alcancei o que desejava abaixo do céu:
vejo que você, sustentada por maravilhosa
prerrogativa de sabedoria da própria boca
de Deus, já suplantou impressionante e
inesperadamente as astúcias do esperto
inimigo: o orgulho que perde a natureza
humana, a vaidade que torna estultos os
corações dos homens.
Vejo que são a humildade, a força da fé e
os braços da pobreza que a levaram a
abraçar o tesouro incomparável escondido
no campo do mundo e dos corações
humanos, com o qual compra-se (cfr. Mt
13,44) aquele por quem tudo foi feito (cfr.
Jo 1,3) do nada. Eu a considero, num bom
uso das palavras do Apóstolo, auxiliar do
próprio Deus, sustentáculo dos membros
vacilantes de seu corpo inefável.
Quem vai me dizer, então, para não exultar
com tão admiráveis alegrias? Por isso,
exulte sempre no Senhor (cfr. Fp 4,4)
também você, querida.
Não se deixe envolver pela amargura e o
desânimo, senhora amada em Cristo, gozo
dos anjos e coroa (Fp 4,1) das Irmãs.”
Maria se fez
morada de Deus e
 trouxe Jesus ao
       mundo
  materialmente.
Inês (e todos nós)
   pode trazê-lo
espiritualmente em
   seu corpo ao
       mundo.
“Ponha a mente no espelho da eternidade, coloque
a alma no esplendor da glória (cfr. Heb 1,3). Ponha o
coração na figura da substância (cfr. Heb 1,3) divina
e transforme-se inteira, pela contemplação, na
imagem (cfr. 2Cor 3,18) da divindade. Desse modo
também você vai experimentar o que sentem os
amigos quando saboreiam a doçura escondida (cfr.
Sl 30,20), que o próprio Deus reservou desde o
início para os que o amam. Deixe de lado tudo que
neste mundo falaz e perturbador prende seus cegos
amantes e ame totalmente o que se entregou inteiro
por seu amor, aquele cuja beleza o sol e a lua
admiram, cujos prêmios são de preciosidade e
grandeza sem fim (Sl 144,3).”
“Rogo e suplico no Senhor, querida, que deixe,
  com sabedoria e discrição, essa austeridade
   exagerada e impossível que eu soube que
você empreendeu, para que, vivendo, sua vida
 seja louvor (cfr. Is 38,19; Sir 17,27)do Senhor,
        e para que preste a seu Senhor
        um culto racional (cfr. Rom 12,1)
  e seu sacrifício seja sempre temperado com
             sal (Lev 2,13; Col 4,6).”
A quarta carta é uma carta de despedida e
  Clara partilha com Inês o louvor de Deus.
   O tema central desta carta é o Espelho,
no qual resplandecem a pobreza, a humildade
   e a caridade que pode ser contemplada
            com a graça de Deus.
“Olhe dentro desse espelho todos os dias, ó
rainha, esposa de Jesus Cristo, e espelhe nele,
sem cessar, o seu rosto, para enfeitar-se toda,
interior e exteriormente, vestida e cingida de
variedade (Sl 44,10), ornada também com as
flores e roupas das virtudes todas, ó filha e
esposa caríssima do sumo Rei. Pois nesse
espelho resplandecem a bem-aventurada
pobreza, a santa humildade e a inefável
caridade, como, nele inteiro, você vai poder
contemplar com a graça de Deus.
Preste    atenção    no
princípio do espelho: a
pobreza daquele que,
envolto em panos, foi
posto no presépio (cfr.
Lc 2,12)! Admirável
humildade, estupenda
pobreza! O Rei dos
anjos, o Senhor do céu
e da terra (cfr. Mt
11,25) repousa numa
manjedoura.
No meio do espelho, considere a humildade,
ou pelo menos a bem-aventurada pobreza, as
 fadigas sem conta e as penas que suportou
      pela redenção do gênero humano.
E, no fim desse mesmo espelho, contemple a
caridade inefável com que quis padecer no
lenho da cruz e nela morrer a morte mais
vergonhosa. Assim, posto no lenho na cruz, o
próprio espelho advertia quem passava para o
que deviam considerar: ó vós todos que
passais pelo caminho, olhai e vede se há outra
dor igual à minha (Lm 1,12). Respondamos a
uma voz, num só espírito, ao que clama e grita:
Vou me lembrar para sempre e minha alma vai
desfalecer em mim (Lam 3,20). ”
“Filha bendita, como a língua do corpo não
pode expressar melhor o afeto que tenho por
você, peço que aceite com bondade e devoção
isto que eu escrevi pela metade, olhando ao
menos o carinho materno que me faz arder de
caridade todos os dias por você e suas filhas.”
“Que o Senhor
 esteja sempre
  com vocês e
   que vocês
estejam sempre
   com Ele.”

Bênção de Santa Clara

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Somos Servos - Junho de 2014
Somos Servos - Junho de 2014Somos Servos - Junho de 2014
Somos Servos - Junho de 2014
Charlie Maria
 
Irmão sol junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
Irmão  sol   junho, julho e agosto de 2014 - pub. onlineIrmão  sol   junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
Irmão sol junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
Mauro Moraes
 
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - BrasilRevista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
ORDEN SEGLAR CARMELITAS DESCALZOS
 
Irmão sol especial
Irmão sol especialIrmão sol especial
Irmão sol especial
Mauro Moraes
 
Ir sol setembro e outubro - 2014
Ir sol   setembro e outubro - 2014Ir sol   setembro e outubro - 2014
Ir sol setembro e outubro - 2014
Mauro Moraes
 
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia espírito Miramez)
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia   espírito Miramez)Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia   espírito Miramez)
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia espírito Miramez)
Levi Antonio Amancio
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
ParoquiaDeSaoPedro
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
ParoquiaDeSaoPedro
 
Terço Mensagem de Fátima
Terço Mensagem de FátimaTerço Mensagem de Fátima
Terço Mensagem de Fátima
JMVSobreiro
 
Chama do carmo_209
Chama do carmo_209Chama do carmo_209
Chama do carmo_209
Frei João
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
JUERP
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
ParoquiaDeSaoPedro
 
Novena aos Pastorinhos de Fátima
Novena aos Pastorinhos de FátimaNovena aos Pastorinhos de Fátima
Novena aos Pastorinhos de Fátima
JMVSobreiro
 
Chama do Carmo_208
Chama do Carmo_208Chama do Carmo_208
Chama do Carmo_208
Frei João
 
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
Thiago Guerino
 
Novena aos pastorinhos guiao dos misterios
Novena aos pastorinhos guiao dos misteriosNovena aos pastorinhos guiao dos misterios
Novena aos pastorinhos guiao dos misterios
JMVSobreiro
 
Rezar com os Pastorinhos
Rezar com os PastorinhosRezar com os Pastorinhos
Rezar com os Pastorinhos
JMVSobreiro
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesusEade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
JoyAlbanez
 
1pedro traduzido
1pedro traduzido1pedro traduzido
1pedro traduzido
CETEPOL CENTRO TEOLOGICO
 
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
Thiago Guerino
 

Mais procurados (20)

Somos Servos - Junho de 2014
Somos Servos - Junho de 2014Somos Servos - Junho de 2014
Somos Servos - Junho de 2014
 
Irmão sol junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
Irmão  sol   junho, julho e agosto de 2014 - pub. onlineIrmão  sol   junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
Irmão sol junho, julho e agosto de 2014 - pub. online
 
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - BrasilRevista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
Revista Monte Carmelo - OCDS - San José - Brasil
 
Irmão sol especial
Irmão sol especialIrmão sol especial
Irmão sol especial
 
Ir sol setembro e outubro - 2014
Ir sol   setembro e outubro - 2014Ir sol   setembro e outubro - 2014
Ir sol setembro e outubro - 2014
 
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia espírito Miramez)
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia   espírito Miramez)Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia   espírito Miramez)
Francisco de Assis (psicografia João Nunes maia espírito Miramez)
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeir...
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Fevere...
 
Terço Mensagem de Fátima
Terço Mensagem de FátimaTerço Mensagem de Fátima
Terço Mensagem de Fátima
 
Chama do carmo_209
Chama do carmo_209Chama do carmo_209
Chama do carmo_209
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
 
Novena aos Pastorinhos de Fátima
Novena aos Pastorinhos de FátimaNovena aos Pastorinhos de Fátima
Novena aos Pastorinhos de Fátima
 
Chama do Carmo_208
Chama do Carmo_208Chama do Carmo_208
Chama do Carmo_208
 
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
Jornal A Família Católica, 19 edição. dezembro 2014
 
Novena aos pastorinhos guiao dos misterios
Novena aos pastorinhos guiao dos misteriosNovena aos pastorinhos guiao dos misterios
Novena aos pastorinhos guiao dos misterios
 
Rezar com os Pastorinhos
Rezar com os PastorinhosRezar com os Pastorinhos
Rezar com os Pastorinhos
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesusEade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
 
1pedro traduzido
1pedro traduzido1pedro traduzido
1pedro traduzido
 
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
Jornal A Família Católica, 7 edição. dezembro 2013
 

Destaque

Silencie
SilencieSilencie
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José BernardiClara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
Eugenio Hansen, OFS
 
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcapO projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
Eugenio Hansen, OFS
 
7 Alongamentos alongamentos para a coluna
7 Alongamentos alongamentos para a coluna7 Alongamentos alongamentos para a coluna
7 Alongamentos alongamentos para a coluna
Eugenio Hansen, OFS
 
She Did Not Consider Her Destiny
She Did Not Consider Her DestinyShe Did Not Consider Her Destiny
She Did Not Consider Her Destiny
Dave Stewart
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
SlideShare
 

Destaque (6)

Silencie
SilencieSilencie
Silencie
 
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José BernardiClara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
Clara e seu contexto historico / Irineu Trentin, José Bernardi
 
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcapO projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
O projeto franciscano de vida / Frei Aldir Crocoli, OFMcap
 
7 Alongamentos alongamentos para a coluna
7 Alongamentos alongamentos para a coluna7 Alongamentos alongamentos para a coluna
7 Alongamentos alongamentos para a coluna
 
She Did Not Consider Her Destiny
She Did Not Consider Her DestinyShe Did Not Consider Her Destiny
She Did Not Consider Her Destiny
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
 

Semelhante a Clara de Assis : biografia e cartas / Monica de Azevedo

Estudo-sobre-Santa-Clara.pdf
Estudo-sobre-Santa-Clara.pdfEstudo-sobre-Santa-Clara.pdf
Estudo-sobre-Santa-Clara.pdf
AntoniaRegi
 
Agostoo
AgostooAgostoo
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdfSANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
ssuserbb4ac2
 
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptx
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptxSanta Catarina de Siena (Portuguese).pptx
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptx
Martin M Flynn
 
Abrace o-cristo-pobre
Abrace o-cristo-pobreAbrace o-cristo-pobre
Abrace o-cristo-pobre
Eugenio Hansen, OFS
 
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdfedoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
ssuserc1f56a
 
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdfa_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
Maiza51
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assis
PAFB
 
Sinoikia mês de outubro
Sinoikia mês de outubroSinoikia mês de outubro
Sinoikia mês de outubro
Suelen Najara de Mello
 
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Ano 1 edição nº4 - agosto- 2012
Ano 1   edição nº4 - agosto- 2012 Ano 1   edição nº4 - agosto- 2012
Ano 1 edição nº4 - agosto- 2012
pascomsantoantonio
 
Chama 0173
Chama 0173Chama 0173
Chama 0173
Frei João
 
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora AparecidaEspiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Marcelo Monti Bica
 
Amare0871a80
Amare0871a80Amare0871a80
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Santa Teresa - Padre Gracián
Santa Teresa - Padre GraciánSanta Teresa - Padre Gracián
Santa Teresa - Padre Gracián
carmelocuritiba
 
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCELBEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
Unidad de Espiritualidad Eudista
 
São teresa de avila
São teresa de avilaSão teresa de avila
São teresa de avila
Martin M Flynn
 
Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
 Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1) Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
Ifense Santarém
 

Semelhante a Clara de Assis : biografia e cartas / Monica de Azevedo (20)

Estudo-sobre-Santa-Clara.pdf
Estudo-sobre-Santa-Clara.pdfEstudo-sobre-Santa-Clara.pdf
Estudo-sobre-Santa-Clara.pdf
 
Agostoo
AgostooAgostoo
Agostoo
 
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdfSANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
SANTA CATARINA - vida e obra da Santa.pdf
 
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptx
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptxSanta Catarina de Siena (Portuguese).pptx
Santa Catarina de Siena (Portuguese).pptx
 
Abrace o-cristo-pobre
Abrace o-cristo-pobreAbrace o-cristo-pobre
Abrace o-cristo-pobre
 
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdfedoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
 
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdfa_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
a_verdadeira_esposa_de_jesus_cristo_i.pdf
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assis
 
Sinoikia mês de outubro
Sinoikia mês de outubroSinoikia mês de outubro
Sinoikia mês de outubro
 
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019 v2
 
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
Edição n. 49 do CH Noticias - Julho/2019
 
Ano 1 edição nº4 - agosto- 2012
Ano 1   edição nº4 - agosto- 2012 Ano 1   edição nº4 - agosto- 2012
Ano 1 edição nº4 - agosto- 2012
 
Chama 0173
Chama 0173Chama 0173
Chama 0173
 
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora AparecidaEspiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
Espiritualidade das irmãs franciscanas de Nossa Senhora Aparecida
 
Amare0871a80
Amare0871a80Amare0871a80
Amare0871a80
 
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
Edição n. 13 do CH Noticias - Julho/2016
 
Santa Teresa - Padre Gracián
Santa Teresa - Padre GraciánSanta Teresa - Padre Gracián
Santa Teresa - Padre Gracián
 
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCELBEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
BEATO EUDISTA CARLOS NICOLÁS ANCEL
 
São teresa de avila
São teresa de avilaSão teresa de avila
São teresa de avila
 
Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
 Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1) Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
Caderno 40_4ec2a8833eb7d (1)
 

Mais de Eugenio Hansen, OFS

0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
Eugenio Hansen, OFS
 
1917-2017 Brazilo
1917-2017 Brazilo1917-2017 Brazilo
1917-2017 Brazilo
Eugenio Hansen, OFS
 
1917 2017 mondo
1917 2017 mondo1917 2017 mondo
1917 2017 mondo
Eugenio Hansen, OFS
 
1917
19171917
Gea 2016
Gea 2016Gea 2016
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorumLivros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
Eugenio Hansen, OFS
 
Perdao de Assis
Perdao de AssisPerdao de Assis
Perdao de Assis
Eugenio Hansen, OFS
 
Proposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
Proposta de Logo Associação Gaúcha de EsperantoProposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
Proposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
Eugenio Hansen, OFS
 
Bbliasdacoleoeichenberg
BbliasdacoleoeichenbergBbliasdacoleoeichenberg
Bbliasdacoleoeichenberg
Eugenio Hansen, OFS
 
Aprendendo a amar
Aprendendo a amarAprendendo a amar
Aprendendo a amar
Eugenio Hansen, OFS
 
Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013
Eugenio Hansen, OFS
 
Este livro é meu!
Este livro é meu!Este livro é meu!
Este livro é meu!
Eugenio Hansen, OFS
 
Apresentação franciscanismo com videos
Apresentação franciscanismo com videosApresentação franciscanismo com videos
Apresentação franciscanismo com videos
Eugenio Hansen, OFS
 
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil 2000
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil   2000Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil   2000
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil 2000
Eugenio Hansen, OFS
 
Rara educação
Rara educaçãoRara educação
Rara educação
Eugenio Hansen, OFS
 
Lectio divina JMJ2013 001
Lectio divina JMJ2013 001Lectio divina JMJ2013 001
Lectio divina JMJ2013 001
Eugenio Hansen, OFS
 
Lectio divina JMJ2013 0rientacoes
Lectio divina JMJ2013 0rientacoesLectio divina JMJ2013 0rientacoes
Lectio divina JMJ2013 0rientacoes
Eugenio Hansen, OFS
 
Conversão e Capítulo Eletivo
Conversão e Capítulo EletivoConversão e Capítulo Eletivo
Conversão e Capítulo Eletivo
Eugenio Hansen, OFS
 
Poesia mistica sufi
Poesia mistica sufiPoesia mistica sufi
Poesia mistica sufi
Eugenio Hansen, OFS
 
Cantos do congresso poa ok
Cantos do congresso poa okCantos do congresso poa ok
Cantos do congresso poa ok
Eugenio Hansen, OFS
 

Mais de Eugenio Hansen, OFS (20)

0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
0 0 0 identidade visual gea 2020Manual de Identidade Visual / Gaŭĉa Esperanto...
 
1917-2017 Brazilo
1917-2017 Brazilo1917-2017 Brazilo
1917-2017 Brazilo
 
1917 2017 mondo
1917 2017 mondo1917 2017 mondo
1917 2017 mondo
 
1917
19171917
1917
 
Gea 2016
Gea 2016Gea 2016
Gea 2016
 
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorumLivros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
Livros proibidos 50 anos do fim do index librorum prohibitorum
 
Perdao de Assis
Perdao de AssisPerdao de Assis
Perdao de Assis
 
Proposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
Proposta de Logo Associação Gaúcha de EsperantoProposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
Proposta de Logo Associação Gaúcha de Esperanto
 
Bbliasdacoleoeichenberg
BbliasdacoleoeichenbergBbliasdacoleoeichenberg
Bbliasdacoleoeichenberg
 
Aprendendo a amar
Aprendendo a amarAprendendo a amar
Aprendendo a amar
 
Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013Oclc cbbd-2013
Oclc cbbd-2013
 
Este livro é meu!
Este livro é meu!Este livro é meu!
Este livro é meu!
 
Apresentação franciscanismo com videos
Apresentação franciscanismo com videosApresentação franciscanismo com videos
Apresentação franciscanismo com videos
 
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil 2000
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil   2000Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil   2000
Antonio Cândido indica 10 livros para conhecer o brasil 2000
 
Rara educação
Rara educaçãoRara educação
Rara educação
 
Lectio divina JMJ2013 001
Lectio divina JMJ2013 001Lectio divina JMJ2013 001
Lectio divina JMJ2013 001
 
Lectio divina JMJ2013 0rientacoes
Lectio divina JMJ2013 0rientacoesLectio divina JMJ2013 0rientacoes
Lectio divina JMJ2013 0rientacoes
 
Conversão e Capítulo Eletivo
Conversão e Capítulo EletivoConversão e Capítulo Eletivo
Conversão e Capítulo Eletivo
 
Poesia mistica sufi
Poesia mistica sufiPoesia mistica sufi
Poesia mistica sufi
 
Cantos do congresso poa ok
Cantos do congresso poa okCantos do congresso poa ok
Cantos do congresso poa ok
 

Último

edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 

Último (12)

edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 

Clara de Assis : biografia e cartas / Monica de Azevedo

  • 2. A vida de alguém se torna referência e ideário na nossa vida quando de alguma forma nós nos identificamos com esta pessoa.
  • 3. Clara, como sol, iluminou o meu caminho...
  • 4. Atas do Processo de Canonização Bula de Canonização Legenda
  • 5. 1194 – Nascimento de Clara na casa paterna, em Assis.
  • 6. Filha mais velha de Hortolana e de Favarone, teve duas irmãs, Catarina (Inês) e Beatriz.
  • 7. “Quando sua mãe a estava esperando, foi à igreja e estando diante da cruz a orar atentamente, pedindo a Deus que a socorresse e ajudasse no perigo do parto, ouviu uma voz que lhe disse: No parto, terás uma luz que vai iluminar o mundo.” PC 3 e 6
  • 8. •Vivência Religiosa •Formação na cultura da nobreza •Aprendeu a ler e escrever, o que sabia fazer muito bem. •Sensibilidade com os pobres – doações.
  • 9. Os nobres são exilados de Assis pelos burgueses.
  • 10. A família de Clara refugia-se em Perusa, onde permanece até 1204.
  • 11. Clara estava prometida em casamento a um jovem nobre da cidade de Assis.
  • 12. Clara se encontrou frequentemente com Francisco
  • 13. “Francisco era a coluna e a única consolação depois de Deus”; foi o fundador, o plantador e o auxílio... (Test 38, 48)
  • 14. Quais são as pessoas concretas que em nossa história de vida tornaram-se referências – plantadores de nossos sonhos e ideais de vida?
  • 15. Francisco e Clara se encantaram mutuamente pelo modo de seguir Cristo e viver o Evangelho. Conseguimos nos deixar encantar pela vida de um(a) irmão(ã) que convive conosco e em nosso tempo?
  • 16. Domingo de Ramos. Clara sai de casa e se consagra a Deus na Porciúncula.
  • 17. “O domingo de ramos, com a bênção e procissão de ramos de palmeira, desde muito possui um caráter nupcial. Liturgicamente é celebrada a entrada festiva de Jesus em Jerusalém, e misticamente a união de amor de Jesus com sua esposa, a Igreja, e para o povo esta era uma ocasião favorável para se procurar uma noiva ou se acertar um noivado.” Anton Rotzetter
  • 18. “Francisco tinha visto bem a razão para sugerir a Clara a fuga de casa, no início da Semana Santa. Toda a vida cristã, e portanto também a vida de consagração especial, constituem um fruto do Mistério pascal e uma participação na morte e na ressurreição de Cristo.
  • 19. Na liturgia do Domingo de Ramos, dor e glória entrelaçam-se, como um tema que depois se desenvolve nos dias seguintes, através da obscuridade da Paixão, até à luz da Páscoa. Com a sua escolha, Clara revive este mistério. No dia dos Ramos recebe, por assim dizer, o seu programa.
  • 20. Depois, entra no drama da Paixão, cortando os seus cabelos e com eles renunciando inteiramente a si mesma para ser esposa de Cristo na humildade e na pobreza. Francisco e os seus companheiros já são a sua família. Depressa chegarão irmãs... No seu significado profundo, a «conversão» de Clara é uma conversão ao amor.
  • 21. Ela já não terá as vestes requintadas da nobreza de Assis, mas a elegância de uma alma que se despende no louvor a Deus e no dom de si mesma. No pequeno espaço do mosteiro de São Damião, na escola de Jesus-Eucaristia contemplado com afeto esponsal, desenvolver-se-ão no dia-a-dia as características de uma fraternidade regulada pelo amor a Deus e pela oração, pela solicitude e pelo serviço. É neste contexto de fé profunda e de grande humanidade que Clara se faz intérprete segura do franciscano ideal, implorando aquele «privilégio» da pobreza(...).” Papa Bento XVI
  • 22. Seguir Jesus Cristo na condição dos pobres de seu tempo.
  • 23. Francisco dá às Irmãs a sua primeira forma de vida.
  • 24. 1216 – Por pressão de Francisco, Clara aceita a regra de São Bento e o título de abadessa. Mas também consegue o “Privilégio da Pobreza” de Inocêncio III.
  • 25. Clara, como Francisco, descobriu que é impossível seguir Jesus Cristo e viver sozinha o Evangelho.
  • 26. O critério básico para as decisões na vida da comunidade de irmãs é o bem comum. Uma das marcas da organização da convivência comunitária realizada por Clara é a participação co-responsável.
  • 27. As decisões importantes devem contar com a participação e o consenso de todas: admissão de candidatas; eleição da abadessa e sua deposição; contração de alguma dívida; eleição das discretas e das responsáveis pelos diversos ofícios; capítulo semanal – que tem como finalidade a revisão de vida, a distribuição das tarefas de cada uma, a decisão sobre o destino das esmolas e outros aspectos que forem necessários ao bem comum.
  • 28. “Todas as irmãs devem ser ouvidas, porque muitas vezes é à menor que Deus manifesta sua vontade.” Regra de Santa Clara
  • 29. Em São Damião, todas as irmãs eram obrigadas ao trabalho, e não havia distinção entre trabalho mais nobre e trabalho menos nobre. Clara dava o exemplo. Em outros mosteiros femininos da época havia se criado uma dupla categoria de monjas: as coristas e as conversas ou serventes.
  • 30. Em 1234, entra na Ordem das Damas Pobres, Inês de Praga. No mesmo ano, Clara lhe escreve sua primeira carta. Clara escreveu seu Testamento provavelmente pelo ano de 1247. Em 1250, agrava-se o estado de saúde de Clara e, provavelmente, por este tempo começa a escrever a sua Forma de Vida.
  • 31. 1253 •Clara escreve sua última carta a Inês de Praga. •Dia 09 de agosto, após visita a Clara, Inocêncio IV manda apressar a aprovação de sua Regra. •Dia 10 de agosto, a bula com a aprovação da Forma de Vida é levada para Clara em seu leito de morte. •Dia 11 de agosto, Clara passa para a vida eterna. Os solenes funerais contaram com a presença do Papa e dos cardeais.
  • 33. A base da espiritualidade que perpassa os seus escritos é a experiência de Jesus Cristo amado e pobre.
  • 34. Inês de Praga nasceu em 1205 e era filha do rei da Boêmia, Otocar I. Quatro cartas conhecidas. Pelas cartas, Clara anima, inspira força e estimula Inês com o que a ela mesma dá vigor espiritual e suavidade ao coração.
  • 35. Clara escreve a primeira carta após receber a notícia de que Inês desejava seguir seus passos. Podemos deduzir que a carta foi escrita por Clara antes do dia 11 de junho de 1234 – dia de Pentecostes, quando ocorreu uma festa de despedida oferecida pela corte real de Praga a Inês.
  • 36. “... indigna fâmula de Jesus Cristo e serva inútil das senhoras enclausuradas do mosteiro de São Damião, sua serva sempre submissa, recomenda-se inteiramente e deseja, com especial reverência, que obtenha a glória da felicidade eterna. Sabedora da boa fama de vosso santo comportamento e vida, que não só chegou até mim, mas foi esplendidamente divulgada em quase toda a terra, muito me alegro e exulto no Senhor.”
  • 37. O motivo que perpassa toda a carta de Clara é a “sagrada troca” que Inês fez: •Ser esposa de Jesus Cristo em lugar de ser esposa de Frederico II; •a troca das pompas e honras do mundo pela santíssima pobreza e as privações corporais, com toda a alma e com todo o afeto do coração; •deixar as coisas temporais pelas eternas; • deixar os bens terrestres pelos bens celestes....
  • 38. Pobreza - Contemplação Relação intensa com Jesus Cristo Privações - Esponsalidade
  • 39. “Ó bem-aventurada pobreza, que àqueles que a amam e abraçam concede as riquezas eternas. Ó santa pobreza, aos que a têm e desejam Deus prometeu o reino dos céus (Mat 5,3), e são concedidas sem dúvida alguma a glória eterna e a vida feliz! Ó piedosa pobreza, que o Senhor Jesus Cristo dignou-se abraçar acima de tudo, ele que regia e rege o céu e a terra, ele que disse e tudo foi feito!(Sl 32,9;148,5).”
  • 40. O contexto da segunda carta está situado no fato de papa Gregório IX exigir que os bens do mosteiro e do hospital de Praga fossem administrados por Inês. Clara se coloca do lado de Inês na luta pela pobreza.
  • 41. “O fio condutor da segunda carta é o Caminho.”
  • 42. “Não confie em ninguém, não consinta com nada que queira afastá-la desse propósito, que seja tropeço no caminho (cfr. Rm 14,13), para não cumprir seus votos ao Altíssimo (Sl 49,14) na perfeição em que o Espírito do Senhor a chamou. ... Se alguém lhe disser outra coisa, ou sugerir algo diferente, que impeça a sua perfeição ou parecer contrário ao chamado de Deus, mesmo que mereça sua veneração, não siga o seu conselho.”
  • 43. A terceira carta é uma carta de consolação a Inês e o consolo se traduz na imagem da morada: Inês é morada de Deus. “Você vai conter quem pode conter você e todas as coisas (cfr. Sb 1,7; Cl 1,17), vai possuir algo que, mesmo comparado com as outras posses passageiras deste mundo, será mais fortemente seu.”
  • 44. “Tenho a maior alegria e transbordo com a maior exultação no Senhor ao saber que está cheia de vigor, em boa situação e obtendo êxitos no caminho iniciado para obter o galardão celeste. Ouvi dizer e estou convencida de que você completa maravilhosamente o que falta em mim e nas outras Irmãs para seguir os passos de Jesus Cristo pobre e humilde.
  • 45. Eu me alegro de verdade, e ninguém vai poder roubar-me esta alegria, porque já alcancei o que desejava abaixo do céu: vejo que você, sustentada por maravilhosa prerrogativa de sabedoria da própria boca de Deus, já suplantou impressionante e inesperadamente as astúcias do esperto inimigo: o orgulho que perde a natureza humana, a vaidade que torna estultos os corações dos homens.
  • 46. Vejo que são a humildade, a força da fé e os braços da pobreza que a levaram a abraçar o tesouro incomparável escondido no campo do mundo e dos corações humanos, com o qual compra-se (cfr. Mt 13,44) aquele por quem tudo foi feito (cfr. Jo 1,3) do nada. Eu a considero, num bom uso das palavras do Apóstolo, auxiliar do próprio Deus, sustentáculo dos membros vacilantes de seu corpo inefável.
  • 47. Quem vai me dizer, então, para não exultar com tão admiráveis alegrias? Por isso, exulte sempre no Senhor (cfr. Fp 4,4) também você, querida. Não se deixe envolver pela amargura e o desânimo, senhora amada em Cristo, gozo dos anjos e coroa (Fp 4,1) das Irmãs.”
  • 48. Maria se fez morada de Deus e trouxe Jesus ao mundo materialmente. Inês (e todos nós) pode trazê-lo espiritualmente em seu corpo ao mundo.
  • 49. “Ponha a mente no espelho da eternidade, coloque a alma no esplendor da glória (cfr. Heb 1,3). Ponha o coração na figura da substância (cfr. Heb 1,3) divina e transforme-se inteira, pela contemplação, na imagem (cfr. 2Cor 3,18) da divindade. Desse modo também você vai experimentar o que sentem os amigos quando saboreiam a doçura escondida (cfr. Sl 30,20), que o próprio Deus reservou desde o início para os que o amam. Deixe de lado tudo que neste mundo falaz e perturbador prende seus cegos amantes e ame totalmente o que se entregou inteiro por seu amor, aquele cuja beleza o sol e a lua admiram, cujos prêmios são de preciosidade e grandeza sem fim (Sl 144,3).”
  • 50. “Rogo e suplico no Senhor, querida, que deixe, com sabedoria e discrição, essa austeridade exagerada e impossível que eu soube que você empreendeu, para que, vivendo, sua vida seja louvor (cfr. Is 38,19; Sir 17,27)do Senhor, e para que preste a seu Senhor um culto racional (cfr. Rom 12,1) e seu sacrifício seja sempre temperado com sal (Lev 2,13; Col 4,6).”
  • 51. A quarta carta é uma carta de despedida e Clara partilha com Inês o louvor de Deus. O tema central desta carta é o Espelho, no qual resplandecem a pobreza, a humildade e a caridade que pode ser contemplada com a graça de Deus.
  • 52. “Olhe dentro desse espelho todos os dias, ó rainha, esposa de Jesus Cristo, e espelhe nele, sem cessar, o seu rosto, para enfeitar-se toda, interior e exteriormente, vestida e cingida de variedade (Sl 44,10), ornada também com as flores e roupas das virtudes todas, ó filha e esposa caríssima do sumo Rei. Pois nesse espelho resplandecem a bem-aventurada pobreza, a santa humildade e a inefável caridade, como, nele inteiro, você vai poder contemplar com a graça de Deus.
  • 53. Preste atenção no princípio do espelho: a pobreza daquele que, envolto em panos, foi posto no presépio (cfr. Lc 2,12)! Admirável humildade, estupenda pobreza! O Rei dos anjos, o Senhor do céu e da terra (cfr. Mt 11,25) repousa numa manjedoura.
  • 54. No meio do espelho, considere a humildade, ou pelo menos a bem-aventurada pobreza, as fadigas sem conta e as penas que suportou pela redenção do gênero humano.
  • 55. E, no fim desse mesmo espelho, contemple a caridade inefável com que quis padecer no lenho da cruz e nela morrer a morte mais vergonhosa. Assim, posto no lenho na cruz, o próprio espelho advertia quem passava para o que deviam considerar: ó vós todos que passais pelo caminho, olhai e vede se há outra dor igual à minha (Lm 1,12). Respondamos a uma voz, num só espírito, ao que clama e grita: Vou me lembrar para sempre e minha alma vai desfalecer em mim (Lam 3,20). ”
  • 56. “Filha bendita, como a língua do corpo não pode expressar melhor o afeto que tenho por você, peço que aceite com bondade e devoção isto que eu escrevi pela metade, olhando ao menos o carinho materno que me faz arder de caridade todos os dias por você e suas filhas.”
  • 57. “Que o Senhor esteja sempre com vocês e que vocês estejam sempre com Ele.” Bênção de Santa Clara