Apesar de todas as tensões do momento, dentro e fora
do país, somos forçados a dar um crédito de confiança ao
ano que come...
Para explicar em apenas uma figu-
rao significadodoAno SantodaMise-
ricórdia, a Igreja criou uma marca que
alguns chamam d...
FESTA DE SANTA MARIA, MÃE DE DEUS – DIA
MUNDIAL DA PAZ: 1.º de janeiro, missa às 8h, 10h e
12h, naIgrejadeSãoPedro.
UNÇÃO ...
RETIRO DO ADVENTO
Em 28 de novembro passado, aconteceu, na
Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, o
Retiro em preparaç...
Foram realizadas três missas. O nosso pároco,
Padre Aderbal Galvão, presidiu a primeira missa,
celebrada às 8h, ocasião em...
01-ALANDESSON SENA DO NASCIMENTO
01-AURÍCIA SANTA ROSA
01-JOSÉ RAFAEL DANTAS
01-M.ª CECÍLIA DOS SANTOS ANDRADE
01-M.ª EMIL...
yvettealemosmaral@gmail.com
Abulimia nervosa é um transtorno alimentar caracteriza-
do pela ocorrência de episódios freque...
No último dia 15 de dezembro, o
Papa Francisco divulgou a mensagem
para o Dia Mundial da Paz, celebrado
anualmente em 1.º ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeiro de 2016

74 visualizações

Publicada em

Edição de Janeiro de 2016 do Jornal Folha de São Pedro, o Jornal da Paróquia de São Pedro.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
74
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Janeiro de 2016

  1. 1. Apesar de todas as tensões do momento, dentro e fora do país, somos forçados a dar um crédito de confiança ao ano que começa, marcando um novo tempo em nossas vidas e na história da humanidade. O corte que anualmen- te é dado na sequência dos meses contribui psicologica- mente para saudarmos com esperança o ano que nasce. Partir e chegar, chegar para partir novamente é a dinâmica daexistênciadequemdesejamarcarasua caminhadatem- poral com o serviço, a bondade e a gratuidade. A divisão do tempo em anos é sinal de sabedoria. A continuidade geraria monotonia na suces- sãodos fatos. No fim de dezembro devemos sempre prestar conta a nós mesmos do que fizemos nos 365 dias vivi- dos ou 366, quando for ano bissexto. E, por mais que o coração esteja dolorido, deposita-sesempreummíni- mo de confiança no ano que desponta. Nesse dia o sol se levanta mais claro e brilha com maior esplendor. Eis a razão de ser um período de confraternização, de con- gratulação, de comunicar ao irmão que lhe desejamos boa sorte nos meses que virão. Chovem, portanto, as mensa- gens de “feliz ano novo”. Isso traz alento aos que experi- mentaram uma fase de infortúnio, assim como redobra a alegria dos que foram gratificados por bons momentos no anoqueseescoounaampulhetadahistória. Entretanto, no momento que desejamos a alguém um “feliz ano novo”, naturalmente nos comprometemos com a sua felicidade, se nossa mensagem for sincera. E, como afelicidadeéconstruçãonossa, implicitamentesomos res- ponsáveis pelo voto que formulamos. Declaramos que estamos dispostos a ajudar a ser feliz aquele com quem nos comunicamos. Certa vez li uma dedicatória num livro de um adoles- cente para um amigo que estava distante. Encontrei estas lindas palavras: “Você sabe distribuir felicidade”. Que pessoa maravilhosa deve ser tal adolescente que aprendeu a partilhar o que todos desejam para si: ser feliz. Aliás, nem sempre é uma tarefa fácil, porque a felicidade não depende somente de nós, mas também das circunstâncias em que nos encontramos. Todavia fazer o outro feliz é menos custoso, contanto que haja sensibilidade e amor no coração. Não é necessário surgir um momento especial. Distri- buímos felicidade na sim- plicidade do cotidiano, pela receptividade que ofe- recemosaooutro,pelacom- preensão das suas atitudes, pelo gesto carinhoso com que o tratamos, pelo perdão que lhe concedemos ao incorrer em alguma falta. Como é bom para o nosso coração perceber que fize- mos o outro mais feliz! Faz parte da nossa natureza huma- na,édeverdanossa fécristã. A você que lê o Folha de São Pedro e a quem serviu à Paróquia de São Pedro no ano passado, dirijo não apenas os votos que compõem o ritual natalino, mas aqueles que saem do meu coração de pároco: quero para todos vocês um ano de graça e esperança, de alegria, fraternidade e paz. Que, durante todos os meses doAno Santo da Miseri- córdia, vocês se sintam filhos amados do Deus misericor- dioso, que só cobra de nós a confiança plena no seu amor e nos pedemisericórdiaparaoirmão. Padre Aderbal Galvão de Sousa Na página 2, Zélia Vianna detalha o significado do ícone do Ano Santo da Misericórdia É preciso ter coragem e esperança para construir os dias de 2016, recomenda Yvette Amaral O Papa Francisco nos pede para vencer a indiferença e conquistar a paz. Leia na página 8
  2. 2. Para explicar em apenas uma figu- rao significadodoAno SantodaMise- ricórdia, a Igreja criou uma marca que alguns chamam de logotipo e outros deícone.Prefiroesteúltimonomepor- que o uso de ícones faz parte da Tradi- ção da Igreja. Não há dúvida que um bomartistapodecriarexcelenteslogo- tipos ou logomarcas, mas, para criar um ícone para oAno Santo da Miseri- córdia, não seria suficiente uma gran- de inspiração artística. Só alguém que conhecesse e vivesse a fé cristã seria capaz de concebê-lo. Claro que não se exclui desse trabalho a inspiração artística,a diferençaé que o criador do ícone não tem liberdade de inovação e adaptação, vez que seu trabalho deve refletir não a sua ideia pessoal, mas o espírito da Igreja. Por isso antes de ser pintado, o símbolo visual do Jubileu da Misericórdia foi meditado e rezado àluzdafécristãcatólica. O ícone criado pelo padre jesuíta Marko Rupnik apresenta o lema “Mi- sericordiosos como o Pai” e foi inspi- rado no Evangelho de Lucas (Lc 6,36). Visto com olhos humanos ilu- minados pela fé, ele nos remete para a ilimitada misericórdia de Deus e con- vida-nos a sermos misericordiosos comoEle. A cena é colocada dentro de uma espécie de amêndoa, muito usada na iconografia antiga para sugerir a pre- sença das naturezas divina e humana em Cristo e, consequentemente, recorda-nos o mistério da encarnação de Jesus. A amêndoa é, por sua vez, formada por três ovais concêntricas, sendo a do fundo de cor mais escura e tornando-se progressivamente mais clara na medida em que avança para a parte externa. Enquanto a cor mais escura sugere o mistério do amor infi- nito do Pai que tudo perdoa, a passa- gem progressiva para a cor mais clara sugere o movimento de Cristo que, com sua encarnação, veio tirar o ser humano da noite do pecado e conduzi- loparaavidadagraça. Sobre a amêndoa está desenhada a figura do Filho que carrega sobre si um homem – Adão –, símbolo da humanidade. Essa imagem quer relembrar a antiga e conhecida figura do Bom Pastor que leva sobre os ombros a ovelha desgarrada e ferida. Olhando com atenção, percebe-se que Jesus toca profundamente a carne do homem e os seus olhos confundem-se com os do ser humano que ele amoro- samente carrega nos ombros. Segun- do o criador do ícone, esta é a mensa- gem: Cristo olha com os olhos de Adão e Adão com os olhos de Cristo. Sim, no rosto e no olhar desse Deus que, em Jesus Cristo, como escreve Paulo em Carta aos Filipenses (Fl 2, 6-11), “abre mão de todo e qualquer privilégio, esvazia-se a si mesmo, tor- na-se semelhante aos homens”, cada homem é chamado a tomar consciên- cia do amor infinito de Pai e, no Filho, que é a expressão visível de Sua mise- ricórdia, descobrir sua própria huma- nidade e o destino para o qual foi cria- do. Para os que talvez discordem da decisão do Papa de proclamar o Jubi- leu da Misericórdia, alegando que há coisas mais concretas e imediatas que precisam ser abordadas à luz do Evan- gelho, tais como a fome, a violência , repito o que o próprio Francisco disse: “na raiz do esquecimento da miseri- córdia,sempreestáo egoísmo”. O egoísmoéummaldemuitosten- táculos. É ele o responsável, entre outros males, pela ausência de genti- leza e indiferença no mundo, pela buscado poder,dos prazeresedas hon- rarias, pelos dados alarmantes da vio- lência, pela lepra da corrupção, pelos sistemas opressores. Esses tentáculos insinuaram-se tão fortemente na sociedade,enelaestãodetalmododis- seminados, que, às vezes, nós os acei- tamos como naturais desse tempo e sequer os reconhecemos como peca- do. Que esse Ano Santo Jubilar seja realmente para a humanidade um ano da graça do Senhor. Que reconheça- mos nosso pecado e, arrependidos, imploremos que o Senhor se debruce sobre a nossa miséria e nos perdoe. E deixemos que Ele nos toque, porque ninguém permanece o mesmo depois que é tocado por Ele. Saiamos, então, de nós mesmos e saiamos ao encontro do outro para acolhê-lo e perdoá-lo e assim tornar visível no mundo o amor de Deus que nos oferece aquilo que só o ser humano tem o privilégio de rece- ber:amisericórdiadeDeus! zelia.vianna@yahoo.com.br Zélia Vianna Porta Santa na Basílica do Senhor do Bonfim, aberta em 13 de dezembro passado, pelo nosso Arcebispo, Dom Murilo Krieger Foto: Catiane Leandro
  3. 3. FESTA DE SANTA MARIA, MÃE DE DEUS – DIA MUNDIAL DA PAZ: 1.º de janeiro, missa às 8h, 10h e 12h, naIgrejadeSãoPedro. UNÇÃO DOS ENFERMOS: 2 de janeiro, na missa das 15h, na Igreja de São Pedro. As inscrições devem ser feitascomantecedêncianasecretariaparoquial. EPIFANIADO SENHOR: 3 de janeiro, missa às 8h, 10h e 12h, naIgrejadeSãoPedro. GRUPO DE ORAÇÃO NOSSA SENHORA DO CENÁCULO: 6, 13, 20 e 27 de janeiro, às 8h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. DIA DA BEM-AVENTURADA LINDALVA JUSTO: 7 dejaneiro. HORA SANTA E MISSA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS: 8 de janeiro, hora santa às 9h e missa às 10h, naIgrejadeSãoPedro. PEREGRINAÇÃO DAPARÓQUIADE SÃO PEDRO À COLINA SAGRADA, NA FESTA DO SENHOR DO BONFIM, NOANO SANTO DAMISERICÓRDIA: 9 de janeiro, participação de paroquianos na novena do Senhor do Bonfim,às19h30,naBasílicado SenhordoBonfim. REUNIÃO DA EQUIPE DE RECEPÇÃO E ATENDIMENTO: 9 de janeiro, às 9h, na Igreja Nossa Senhorado Rosário. FESTA DO BATISMO DE JESUS: 10 de janeiro, missa às 8h,10h e12h, naIgrejadeSãoPedro. REUNIÃO DA PASTORAL DA VISITAÇÃO AOS DOENTES E IDOSOS: 12 de janeiro, às 16h, na Igreja Nossa SenhoradaConceiçãodaLapa. PREPARAÇÃO DE PAIS E PADRINHOS PARA O BATISMO DE CRIANÇAS: 16 de janeiro, das 15h às 17h,naIgrejadeSãoPedro. BATISMO DE CRIANÇAS: 17 de janeiro, às 9h, na IgrejadeSãoPedro. FESTA DO SENHOR DO BONFIM – COLINA SAGRADA: 17 dejaneiro. MISSAEMAÇÃO DE GRAÇAS PELOS DOADORES DOS BAZARES DAPARÓQUIA: 17 de janeiro, às 12h, naIgrejadeSãoPedro. R E U N I Ã O D O S M O N I T O R E S D A S COMUNIDADES BÍBLICAS: 19 de janeiro, às 17h30, naIgrejadeSãoPedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE PADRE THIERRY:22dejaneiro. DIANACIONALDOSAPOSENTADOS: 24dejaneiro. FESTA DA CONVERSÃO DE SÃO PAULO E DIA DOS CARTEIROS:25dejaneiro. REUNIÃO DOS ANUNCIADORES DA PALAVRA: 26dejaneiro,às15h30,naIgrejadeSãoPedro. ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE DOM MARCO EUGÊNIO: 29dejaneiro. REUNIÃO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO: 29 de janeiro, às 14h30, na Igreja Nossa Senhora da Conceição daLapa. 02: Festa de Nossa Senhora das Candeias e da Apresentação de Jesus; 03: Dia de São Brás; 04 a 09: Semana do Carnaval; 10: Quarta-feira de Cinzas; 11: Festa de Nossa Senhora de Lourdes – Unção dos Enfermos; 12: Hora Santa e missa do Sagrado Coração de Jesus; 12, 19 e 26: Via Sacra; 13: Retiro da Quaresma; 14: Missa em ação de graças pelos doadores dos bazares da Paróquia; 16: Reunião da Pastoral da Visitação a Doentes e Idosos; 17 e 24: Grupo de Oração Nossa Senhora do Cenáculo; 19: Aniversário de Ordenação de Padre Gilmar; 19: Memória de Madre Joana Angélica – Igreja N. S. C. da Lapa; 20: Preparação de pais e padrinhos para o batismo de crianças; 20: Reunião do Conselho Pastoral; 21: Batismo de crianças; 22: Cátedra de São Pedro; 23: Reunião dos Anunciadores da Palavra; 23: Reunião dos monitores das comunidades bíblicas; 26: Reunião do Apostolado da Oração; 28: Caminhada Penitencial. ARTIGOS RELIGIOSOS Visite as nossas lojinhas de artigos religiosos nas igrejas de São Pedro (Praça da Piedade, 11) e Nossa Senhora do Rosário (Av. Sete de Setembro, 819 - Rosário)
  4. 4. RETIRO DO ADVENTO Em 28 de novembro passado, aconteceu, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, o Retiro em preparação para o Advento, tendo como subsídio a bula do Papa Francisco para oAno Santo da Misericórdia. O nosso pároco, Padre Aderbal, conduziu o Retiro que contou com a participação de muitosparoquianos. ANIVERSÁRIO DA PARÓQUIA E CRISMA No último 2 de dezembro, foi celebrado o 336.º aniversário de criação da nossa Paróquia. Na Igreja Matriz houve missas festivas durante todo o dia. O bispo auxiliar da nossa Arquidiocese, Dom Gilson Andrade, presidiu a Celebração Eucarística, às 18h15, na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, administrando o sacramento da Crisma a 24 jevens e adultos preparados pela catequese paroquial e do Instituto Nossa Senhora da Assunção. FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO E PRIMEIRA EUCARISTIA A Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa esteve repleta de fiéis para celebrar a Festa da ImaculadaConceição,no último8 dedezembro.
  5. 5. Foram realizadas três missas. O nosso pároco, Padre Aderbal Galvão, presidiu a primeira missa, celebrada às 8h, ocasião em que duas crianças preparadas pela catequese paroquial receberam o sacramento da Primeira Eucaristia. Nesse dia, o casal de paroquianos Ailton e Izabel Ferreira celebrou 15 anos de casamento, participando da missa juntamente com seu filho Pedro. FESTA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE Em 12 de dezembro último, os paroquianos de São Pedro renderam homenagem à Padroeira da América Latina, Nossa Senhora de Guadalupe, nas cinco missas celebradas na Igreja de São Pedro. O quadro que retrata a aparição de Nossa Senhora ao índio Juan Diego foi colocado em destaque ao lado do altar. CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL DA PARÓQUIA A alegria natalina invadiu o coração dos paroquianos de São Pedro que participaram da confraternização de Natal no último dia 12 de dezembro, no Espaço Cultural da Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa. A decoração, organização e animação da festa ficaram a cargo da Pastoral de Eventos da Paróquia. O grupo de jovens da Paróquia apresentou uma cantata de Natal com voz e violão. No final, o nosso pároco, PadreAderbal convidou todos os presentes para um momento de oração ao redor da imagem do Menino Jesus – colocado em frente à imagem de Nossa Senhora que fica no centro do jardim do antigo claustro da Lapa –, encerradocomocanto“NoiteFeliz”.
  6. 6. 01-ALANDESSON SENA DO NASCIMENTO 01-AURÍCIA SANTA ROSA 01-JOSÉ RAFAEL DANTAS 01-M.ª CECÍLIA DOS SANTOS ANDRADE 01-M.ª EMILIA MACHADO RODRIGUES 02-ILMA DARCI RODRIGUES SANTANA 02-IVANETE LIMA MENDES 02-M.ª CIRA DA SILVA CARVALHO 02-SYLVIA MARIA DE OLIVEIRA COSTA 03-ANA PAULA BITTENCOURT COHEN 03-GENOVEVA BACELAR DA SILVA 03-LUCIANA DANTAS DOS SANTOS 03-NORMACY BATISTA FIGUEIREDO 04-JUDETE DE SOUZA SANTOS 04-LARISSA LINHARES M. DE OLIVEIRA 04-Mª DO CARMO FRANCO 04-RUI DE ASSIS SOUZA 05-ALLAN CHE DE MEDEIROS 05-VICTOR HUGO NUNES CANTALINO 06-CARLOS EDUARDO OLIVEIRA RIBEIRO 06-EDÍRIA DE OLIVEIRA FERREIRA 06-JANETE LEITE DE OLIVEIRA ROCHA 06-M.ª DE LOURDES ASSEMANY 06-REINALDO PEIXOTO ANDRADE 07-JOANA BRUNI DE CARVALHO 07-JUCILENE ELIZEU SILVA 07-M.ª LÚCIA GUEDES ANDRADE 07-SHEYLA LUZIA SILVA MOURA SANTOS 08-ELZA BARRETO MAIA 08-M.ª LUIZAARAÚJO DE SOUZA 09-EVERALDO VAJÃO DO BONFIM 09-JOSÉ EDMUNDO SILVA SANTOS 10-JORGE LUIZ MATOS DA CUNHA 10-Mª ERENITA C. DO NASCIMENTO SOUZA 11-CLAUDEMIRO DE JESUS GONÇALVES 11-DANIELA SANTANA FERNANDES 11-JOSÉ MARIA FAGUNDES 11-Mª JOSÉ FERREIRA DOS SANTOS 11-RAONI CESAR SIMÃO FERREIRA 11-SIMAR MUTTI DE LIMA 11-VERA LÚCIA BARROS SANTOS 12-ADÉLIA CARDOSO DIAS 12-ARTEMIZA SILVA QUEIROZ 12-LAÍS ALVES SILVA 13-JASMIN DA SILVA SANTOS 13-Mª VERÔNICA LEAL CUNHA 13-MARIAANA LIMA 13-MAURA SOUZAALCÂNTARA SANTOS 14-IURI TINÔCO CORREIA 14-NEIDE PEREIRA DOS SANTOS 15-ERENITA DE JESUS SANTOS 15-JOANE FELIX DOS SANTOS 15-NIVANIS BISPO DE SANTANA 16-ADRIANA RODRIGUES MACIEL 16-CATARINAANDRADE 16-M.ª CORREIA DE SALES 16-MARINALVA DA SILVA LOPES 16-WILMA DE FREITAS SANTOS 17-JANETE SANTOS CARVALHO DE ASSIS 17-MARIDALVA ELI DE SANTANA 17-VIVIANE MENDONÇA VITTI 18-CLESINAIDE OLIVEIRA HAINE 18-DIONÍZIO PINTO DA SILVA FILHO 18-EDI ROSA DE SOUZA 18-JOÃO VICTOR CERQUEIRAA. RIBEIRO 18-M.ª CARMEN SANTOS GONZAGA 18-M.ª NECI DE JESUS FERREIRA 19-PAULO MARCUS BONFIM DOS SANTOS 19-RAFAEL MOTA DOS SANTOS 19-ROSÁLIO F. DOS SANTOS 20-CAMILAANGÉLICA C. DE SÁ TEIXEIRA 20-ELIENE OLIVEIRA LIMA 20-JOANA LEITE CAMPOS 20-Mª DE LOURDES VILLA DOMINGUES 22-ALBERICO VELOSO DE JESUS 22-DALVA DA SILVA TEIXEIRA 22-SIMONE LIMA SANTOS 22-ZILDA DOS SANTOS 23-JOSÉ CARLOS DE ASSIS 23-Mª APARECIDA DOS SANTOS DA SILVA 23-MARIZETE DOS SANTOS BRITO 23-YOLANDA MEDRADO SANTOS COSTA 24-DINORÁ LUNA DE ASSIS QUARESMA 24-EDMUNDO MAGALHÃES FONSECA 24-WANDA M.ª R. DE TEIVE E ARGOLLO 25-ANTÔNIO SAMPAIO CERQUEIRA 25-EVANICE DE CARVALHO AMORIM 25-GILSON CUNHA SAMPAIO A. SILVA 25-LINDAURA JOANA RODRIGUES 25-LUCILA FERREIRA DE SOUZA 25-RITA DE CÁSSIA DE JESUS 26-ADALGISA PEREIRA DA SILVA 26-JORGE ANTÔNIO DOS SANTOS ZUZA 26-REISEN JOSÉ FERREIRA SANTOS 27-Mª RITA SANTANA OLIVEIRA 27-MARCELO DA SILVA SANTOS 27-SIDICLEI SANTOS NASCIMENTO 28-BÁRBARA SÍLVIA DAMASCENO SANTANA 28-ROMILDA MARIAABREU MEIRELES 28-RONALDO ALVES DOS SANTOS 28-RUBEM LUIZ MENEZES SANTOS 28-VALTÉRCIO CERQUEIRA DEIRÓ 28-VIRGÍLIO FERREIRAARAÚJO 29-ANA CARDOSO DE OLIVEIRA 29-AUGUSTO BATISTA DOS SANTOS 29-CLÁUDIA MARIA OLIVEIRA DE BRITO 29-CLAUDINÊ ALBERTINI A. DE OLVEIRA 29-Mª CRISTINA ROCHA BORGES 29-MARLENE ALICE DOS SANTOS ROCHA 30-ANABELA COSTA MACHADO 30-WALDETE ROSA TAVARES 31-DINEA BAPTISTA DA SILVA 31-KAROLINE DE SANTANA NASCIMENTO 31-LUIZ CLÁUDIO SANTIAGO SANTOS A você, meu irmão, minha irmã, que assume esta Paróquia como dizimista e se compromete com o trabalho pastoral, parabéns! Como presente do seu aniversário, a comunidade paroquial estará unida a você, seus amigos e familiares, nesse dia tão especial, para celebrar esta data. Venha participar, nesse dia, da Santa Missa, às 8h, na Igreja de São Pedro. PARÓQUIA DE SÃO PEDRO MOVIMENTO FINANCEIRO NOVEMBRO/2015 RECEITAS Dízimo 40.431,80 Espórtulas de Missas (líquido) 3.722,00 Taxas: Casamento 1.100,00 Taxas: Batizados 835,00 Taxas: Certidões 210,00 Coletas Ordinárias 7.536,80 Aluguel de Apto. Paroquial 1.200,00 Donativos 1.200,00 Bazar / Aluguéis de Salas (líquido) 7.325,00 Renda do Café de São Pedro 9.396,74 TOTAL ............................................... 72.957,34 DESPESAS Côngrua 2.800,00 Manutenção do Culto /Templo 5.640,53 Taxa da Cúria 4.608,88 Salários 27.089,49 Encargos Sociais 10.714,18 Vale Transporte 2.232,00 Vale Refeição 8.837,50 Água/Luz/Telefone 2.474,36 Correios 921,85 Materiais de Escritório 139,70 Manutenção de programa SGCP 97,50 Pastorais / Evangelização 7.232,21 Ajuda Pastoral: Mulheres marginalizadas 788,00 Ajuda Pastoral: Moradores de rua 1.000,00 Ajuda Social: 1.400,00 Despesas bancárias 52,70 TOTAL ............................................. 76.028,90 SALDO DO MÊS negativo 3.071,56 Através da devolução do dízimo, tornamo-nos participantes em todas as ações pastorais da comunidade cristã. SEJA DIZIMISTA! INSCREVA-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL!
  7. 7. yvettealemosmaral@gmail.com Abulimia nervosa é um transtorno alimentar caracteriza- do pela ocorrência de episódios frequentes de compulsão alimentar, durante os quais o paciente ingere grande quanti- dade de alimentos em um curto período de tempo, com a sensação de perda de controle, associado a vômitos autoin- duzidos, dietas compensatórias, uso indevido de medica- mentos e atividade física exagerada, com o objetivo de pre- venir o ganho de peso. As pessoas com quadro de bulimia nervosa têm uma grande preocupação com o peso e a forma corporal, o que, invariavelmente, afeta seus sentimentos e atitudes. Bulimia quer dizer uma fome tão intensa que o indivíduo seria capaz de “devorar um boi”. Porém, imediatamente, a pessoa sente a necessidade de vomitar tudo o que comeu. Esse transtorno é mais frequente em mulheres e pode ter início no final da adolescência e começo da idade adulta, atingindo diversas classes sociais. É uma doença de causa multifatorial, assim como a maioria das doenças psiquiátri- cas. Fatores biológicos, psicológicos, socioculturais, genéti- cos e familiares estão envolvidos na origem da bulimia ner- vosa. O quadro clínico da bulimia nervosa se manifesta com a insatisfação com o peso e formas corporais, mas sem o dese- jo de emagrecer cada vez mais ou buscar ideais de beleza, como observado na anorexia nervosa. A pessoa inicia uma dieta restritiva, evitando alimentos que julga engordativos, mas não com restrição sem limites como na anorexia nervo- sa, o que diferencia o quadro clínico. Em determinado momento, o paciente sente muita fome e uma grande vonta- de de comer. Diante disso acaba apresentando um descontro- le, ingerindo uma quantidade maior de comida do que o nor- mal em um curto intervalo de tempo, o que caracteriza uma compulsão alimentar.Apessoa passa a apresentar comporta- mentos compensatórios, como práticas purgativas e vômitos autoinduzidos. O tratamento deve ser conduzido por uma equipe multi- disciplinar, com atendimento psiquiátrico, nutricional e psicológico, no mínimo. O objetivo do tratamento é regulari- zar o padrão alimentar, reduzir a impulsividade alimentar, e, consequentemente, atingir os comportamentos compensató- rios. BULIMIA NERVOSA CONVERSANDO SOBRE SAÚDE Yvette Amaral Dois mil e quinze já é o ano passa- do. Terminou numa atmosfera som- bria e de muitas interrogações. Politi- camente foram 12 meses de decepções edesacertosquecomprometeramarea- lidade do país e a situação do povo.Até a natureza se mostrou inclemente, com chuvas desordenadas que causaram tantas tragédias. O exterior foi palco de tristes ocorrências, de debates san- grentos no mundo islâmico, onde o fanatismo religioso foi responsável por cruéisatentados. Entre inquietações e dúvidas, chega 2016 e nos motiva a partir nova- mente. Mas como aguardar boas sur- presas num contexto tão desanima- dor? Da esperança só restam alguns grãos para serem plantados no solo do ano que começa. Vamos preservá-los com zelo porque o desespero é o maior drama do ser humano. Infeliz daquele que não encontra mais no coração nenhuma razão de esperar. Não vamos chamá-lo de fraco porque resistiu muito até se ver privado das maiores alegrias. É o pobre que sente os dias se passarem e continua com fome, sofrendo por si e pelos seus filhos. É o doente ao perceber a incapacidade da medicina para curar seu mal irreme- diável. É a mãe que acompanha os des- mandos do filho insensato, brincando com a vida irresponsavelmente. É o cidadão que vê sua pátria debatendo- se num mar furioso, qual barco sem bússola nem timoneiro. Para esses e outros é muito complicado o resgate da esperança, sobretudo quando se tem uma falsa concepção dessa virtu- de. Aesperançanãoépassivaneminer- te e não se refugia na acomodação. Esperar o quê, se a sorte me é adversa? Nasci marcado por um destino ingrato que não me permite vislumbrar nenhu- ma luz no túnel da minha desolação, afirma outro. Muitos se refugiam na fé, aguardando saídas miraculosas. Deus intervém na caminhada do homem quando são esgotados os recursos da inteligência e criatividade humanas. Nessa hora Ele é a solução para quem O procura e nele confia. Mas o seu desejo é que cada um se empenhe por aquilo que aspira. Sem dúvida, Ele se aproxima do sofredor com sua misericórdia e gratuidade de Pai, mostrando-se solidário com as lágrimas do filho, contanto que ele se lancenos seus braços. Da mesma forma precisamos ter esperança na história. A humanidade já deu muitos passos errados, mas con- seguiu erguer-se da queda. Teilhard de Chardin, o missionário da esperança, ajuda-nos, com a sua cosmovisão, a crermos nessa virtude teologal. Para ele, o fim da história não é um fracas- so, porémumagrandiosaapoteose.Ali- mentemo-nos com esse sonho e acre- ditemosnumnovo tempo,naquelepre- dito pelo profeta Isaias em que o lobo conviverá com o cordeiro. A humani- dade um dia conhecerá a reconciliação universal, pois Jesus nos garantiu que “no fim haverá um só rebanho e um só pastor”. Coragem e esperança porque a paz e a felicidade não caem do céu, sãoconstruçõeshumanas. Dr. Getúlio Tanajura Machado gemachado@bol.com.br - tel. 71-3328-5633
  8. 8. No último dia 15 de dezembro, o Papa Francisco divulgou a mensagem para o Dia Mundial da Paz, celebrado anualmente em 1.º de janeiro. No texto que tem como tema “Vence a indiferença e conquista a paz”, o Papa conclama o povo a promover uma cul- tura de solidariedade e misericórdia para vencer a indiferença que ameaça apaz. A mensagem é dividida em sete partes: “proteger as razões da espe- rança”, “algumas formas de indife- rença”, “a paz ameaçada pela indife- rença globalizada”, “da indiferença à misericórdia: a conversão do cora- ção”, “promover uma cultura de soli- dariedade e misericórdia para vencer a indiferença”, “a paz: fruto de uma cultura de solidariedade, misericórdia e compaixão”, e, por fim, “a paz no sinaldo JubileudaMisericórdia”. Um tema que perpassa toda a men- sagem é a indiferença, que ameaça a paz. Mas não só isso. O Papa Francis- co também fala do desejo e do empe- nho da humanidade para conquistar a paz. Para 2016, o Sumo Pontífice pede que seja mantida essa esperança, mesmo que 2015 tenha sido um ano marcado por guerras e conflitos terro- ristas, com graves consequências para apopulação. Segundo o Papa, a primeira forma de indiferença é aquela para com Deus, e dela deriva a indiferença para com o próximo e com a criação. Aos poucos essa atitude vai gerando inér- cia e apatia, alimentando situações de injustiça e desequilíbrio social, que podem levar a outros conflitos. Na mensagem, Francisco fala sobre as várias formas de indiferença e como vencê-la, destacando, nesse desafio, o importante papel das famílias e dos meiosdecomunicação. No contexto do Ano da Misericór- dia, iniciado no último dia 8 de dezembro, o Papa conclui a mensa- gem com o apelo para que cada um adote um empenho concreto a fim de contribuir para melhorar a realidade em que vive a partir da própria famí- lia,davizinhançaedo ambientedetra- balho. A mensagem para o Dia Mundial da Paz 2016 está em harmonia com outras mensagens do pontificado do Papa Francisco, como, por exemplo, a mensagem de 2015, em que o Papa falou do fenômeno da escravidão; com a encíclica “Laudato si“, em que o Pontífice pontuou que a ruptura entre o homem e a criação é devida à indiferença; e com a mensagem para a Quaresma de 2015, quando questio- nou o modo egoísta de viver alimenta- do pela vida cômoda que se esquece do outro. Fonte: site:www.cancaonova.com.br Visite os espaços dos nossos bazares e brechó, com venda de diversos objetos: roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos, objetos de decoração, bijuterias, etc. Bazar: Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa, na Avenida Joana Angélica, 41- Lapa. De segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 18h. Sábado, das 8h às 12h. Fone: 3326-4676. Bazar: Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos, no Largo dos Aflitos, s/n - Dois de Julho. De segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 17h. Fone: 2137-9677. Brechó: Igreja Nossa Senhora do Rosário, na Avenida Sete de Setembro, 819 - Rosário. De segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábado, das 9h às 12h. Fone: 2137-8666. Aceitamos doações de roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos usados e em bom estado. BAZARES E BRECHÓ Informativo da Paróquia de São Pedro Praça da Piedade, 11 - São Pedro - CEP: 40.060-300 - Salvador - Bahia - Brasil - Fone: (55)(0*71) 3329-3280 Site: www.paroquiadesaopedro.org - E-mail: padreaderbal@ig.com.br Direção e Coordenação: Padre Aderbal Galvão de Sousa Diagramação e Revisão: Equipe da Pastoral da Comunicação Colaboração: Getúlio Machado, Yvette Amaral e Zélia Vianna Ilustrações: Internet, Getúlio Machado, Jandira Campos e Rivelino Silva Impressão: Gráfica e Editora Polikron - E-mail: florisvaldo.vitale@yahoo.com.br Expediente: Jornalista responsável: Maria Alcina Pipolo - MTb/DRT/BA 915 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita Arquidiocese de São Salvador da Bahia - Brasil

×