SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 96
Baixar para ler offline
O que O que éé ClamClamíídia?dia?
A clamídia é uma doença sexualmente 
transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia. 
Afeta os órgãos genitais masculinos ou femininos.
É transmitida por uma bactéria chamada 
Chlamydia trachomati. Esta infecção se espalha 
facilmente porque quase sempre não traz sintomas e 
as pessoas infectadas continuam a fazer sexo sem 
camisinha.
Chlamydia trachomatis é
uma  bactéria,  ela  é a 
causadora da Clamídia.
Agente CausadorAgente Causador
Como se pega a clamComo se pega a clamíídia?dia?
A  clamídia  pode  ser 
transmitida durante o sexo 
vaginal,  anal  ou  oral. 
Clamídia também pode ser 
passada  da  mãe  infectada 
ao  bebê  durante  o  parto 
natural.
Homens:
‐Podem  ter  secreções  no  pênis  ou  sensação  de 
queimação ao urinar.
‐ Também podem ter queimação e coceira ao redor 
da  abertura  do  pênis.  Dor  e  inchaço  nos  testículos 
são incomuns.
Homens  ou  mulheres  que  tiveram  intercurso  anal 
receptivo  podem  adquirir  infecção  de  clamídia  no 
reto, o que pode causar dor na região, secreções ou 
sangramento.
Clamídia  também  pode  acontecer  na  garganta  de 
homens  e  mulheres  que  tiveram  sexo  oral  com 
parceiros infectados.
Mulheres:
A bactéria inicialmente infecta o colo do útero e a uretra. 
Sintomas:
‐ secreções vaginais anormais
‐ sensação de queimação ao urinar
‐ Quando a infecção atinge as tubas uterinas algumas mulheres ainda podem não apresentar nenhum 
sintoma, outras têm dores no abdômen inferior, na parte de baixo das costas e etc.
‐ Infecção de clamídia no colo do útero pode se espalhar para o reto.
SintomasSintomas
Antibióticos:
Os  que  oferecem  bons  resultados  para  esse 
tipo de infecção são os:
‐ Tetraciclinas
‐ Acrolídeos
‐ Fluoroquinolones de última geração
CuraCura
A pneumonia é
uma infecção dos 
pulmões.
O que O que éé Pneumonia?Pneumonia?
• Pneumonia é provocada pela 
penetração de um agente 
infeccioso ou irritante no espaço 
alveolar.
• Esse local deve estar sempre 
muito limpo, livre de substâncias 
que possam impedir o contato do 
ar com o sangue.
Agente CausadorAgente Causador
‐ Febre Alta;
‐ Tosse;
‐ Dor no Tórax;
‐ Alterações da Pressão Arterial;
‐ Confusão Mental;
‐ Mal‐estar generalizado;
‐ Falta de Ar;
‐ Toxemia; e
A pneumonia é contagiosa.
SintomasSintomas
Métodos  caseiros  e  os 
cientificamente 
comprovados.
CuraCura
PrevenPrevenççãoão
A  bactéria  é passada  pelo  ar 
então  a  melhor  forma  é se 
prevenir  é tendo  hábitos 
higiênicos  e  não  tendo  contato 
próximo  á pessoas  com  os 
sintomas.
Bruno Caruso
Igor marques
João Paulo
Lesões multiplas e dolorosas.
Aparece em forma de feridas, e é
preciso de tratamento para elas 
sumirem. 
Procure um medico o mais 
rapidamente possível.
O uso de camisinha é muito 
importante.
Doença transmitida pela falta de água 
tratada alem de comida mal lavada. 
A cólera é transmitida 
através da ingestão de 
água ou alimentos 
contaminados com cistos.
Para prevenir a doença pode
se tomar uma vacina
preventiva, mas o principal é
ingeriri agua limpa, alimentos
esterilizados ou fervidos.
O tratamento imediato é o soro fisiológico 
ou soro caseiro para repor a água e os sais 
minerais.
No Haiti os principais motivos de tantos surtos 
de cólera, são a falta de higiene, falta de 
recursos
O que O que éé ClamClamíídia?dia?
A clamídia é uma doença sexualmente 
transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia. 
Afeta os órgãos genitais masculinos ou femininos.
É transmitida por uma bactéria chamada 
Chlamydia trachomati. Esta infecção se espalha 
facilmente porque quase sempre não traz sintomas e 
as pessoas infectadas continuam a fazer sexo sem 
camisinha.
Chlamydia trachomatis é
uma  bactéria,  ela  é a 
causadora da Clamídia.
Agente CausadorAgente Causador
Como se pega a clamComo se pega a clamíídia?dia?
A  clamídia  pode  ser 
transmitida durante o sexo 
vaginal,  anal  ou  oral. 
Clamídia também pode ser 
passada  da  mãe  infectada 
ao  bebê  durante  o  parto 
natural.
Homens:
‐Podem  ter  secreções  no  pênis  ou  sensação  de 
queimação ao urinar.
‐ Também podem ter queimação e coceira ao redor 
da  abertura  do  pênis.  Dor  e  inchaço  nos  testículos 
são incomuns.
Homens  ou  mulheres  que  tiveram  intercurso  anal 
receptivo  podem  adquirir  infecção  de  clamídia  no 
reto, o que pode causar dor na região, secreções ou 
sangramento.
Clamídia  também  pode  acontecer  na  garganta  de 
homens  e  mulheres  que  tiveram  sexo  oral  com 
parceiros infectados.
Mulheres:
A bactéria inicialmente infecta o colo do útero e a uretra. 
Sintomas:
‐ secreções vaginais anormais
‐ sensação de queimação ao urinar
‐ Quando a infecção atinge as tubas uterinas algumas mulheres ainda podem não apresentar nenhum 
sintoma, outras têm dores no abdômen inferior, na parte de baixo das costas e etc.
‐ Infecção de clamídia no colo do útero pode se espalhar para o reto.
SintomasSintomas
Antibióticos:
Os  que  oferecem  bons  resultados  para  esse 
tipo de infecção são os:
‐ Tetraciclinas
‐ Acrolídeos
‐ Fluoroquinolones de última geração
CuraCura
A pneumonia é
uma infecção dos 
pulmões.
O que O que éé Pneumonia?Pneumonia?
• Pneumonia é provocada pela 
penetração de um agente 
infeccioso ou irritante no espaço 
alveolar.
• Esse local deve estar sempre 
muito limpo, livre de substâncias 
que possam impedir o contato do 
ar com o sangue.
Agente CausadorAgente Causador
‐ Febre Alta;
‐ Tosse;
‐ Dor no Tórax;
‐ Alterações da Pressão Arterial;
‐ Confusão Mental;
‐ Mal‐estar generalizado;
‐ Falta de Ar;
‐ Toxemia; e
A pneumonia é contagiosa.
SintomasSintomas
Métodos  caseiros  e  os 
cientificamente 
comprovados.
CuraCura
PrevenPrevenççãoão
A  bactéria  é passada  pelo  ar 
então  a  melhor  forma  é se 
prevenir  é tendo  hábitos 
higiênicos  e  não  tendo  contato 
próximo  á pessoas  com  os 
sintomas.
Dengue e Condiloma
Nomes : Beatriz Hiroi, Giovana Leite e Lucas Dias
série /ano : 7º
nos : 2,10 e 19
Componente Curricular : Ciências
Professora : Daniela
Data : 10/11/10
O que é dengue ?
• É uma doença febril aguda causada pelo vírus da família
Flaviridae.
Como é transmitida ?
• A dengue é transmitida pela fêmea do mosquito Aedes
Aegypti que parece pernilongo,tem corpo escuro com
manchas brancas,põe ovos em águas limpas e
paradas,de dia alimenta-se de sangue humano e
transmite além da dengue a febre amarela.
Quais são os sintomas ?
• Os sintomas são febre alta, dores nas articulações, dor
de cabeça, dores musculares, náuseas,vômitos,
cansaço, fraqueza, pequenas manchas espalhadas pelo
corpo e falta de apetite.
• Como se previne?
Quantos tipos ? E quais são ?
• Em todo o mundo existem quatro tipos,porém no Brasil
foram encontrados apenas três,tipo 1,2 e 3.
• A dengue do tipo 4 foi encontrada apenas na Costa
Rica.
• A dengue pode apresentar-se clinicamente de quatro
formas diferentes : Infecção inaparente,dengue
clássica,dengue hemorrágica e síndrome de choque da
dengue
Infecção inaparente
• A pessoa está infectada pelo vírus,mas não apresenta
nenhum sintoma.
• A grande maioria das infecções da dengue não
apresenta sintomas.
• Acredita-se que cada dez pessoas infectadas apenas
uma ou duas ficam doentes.
Dengue clássica
• A dengue clássica é uma forma mais
leve da doença é semelhante à gripe.
• Geralmente,inicia de uma hora para a
outra e dura entre 5 a 7 dias.
• Após esse período a pessoa pode
continuar sentido cansaço e
indisposição.
Dengue Hemorrágica
• A dengue hemorrágica é uma doença grave e se
caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da
pessoa infectada.
• Inicialmente se assemelha a Dengue Clássica,mas,após
o terceiro ou quarto dia de evolução da doença, surgem
hemorragias em virtude do sangramento de pequenos
vasos nos órgãos internos.
• A dengue hemorrágica pode provocar hemorragias
nasais,gengivais,urinárias,gastrointestinais ou uterinas.
Síndrome de choque da
Dengue
• Está é a mais séria apresentação da dengue e se caracteriza por
uma grande queda ou ausência de pressão arterial.A pessoa
infectada pela doença apresenta um pulso quase
imperceptível,inquietação,palidez e perda de consciência.Neste tipo
de apresentação da doença,há registros de várias
complicações,como alterações neurológicas,problemas
cardiorrespiratórios,insuficiência hepática,hemorragia digestiva e
derrame pleural.
• Entre as principais manifestações neurológicas,destacam-se :
delírio, sonolência, depressão, irritabilidade extrema, demência,
amnésia, paralisias e sinais de meningite.
• Se a doença não for tratada com rapidez,pode levar à morte.
O que é Condiloma ?
• Condiloma é uma doença sexualmente
transmissível,que provoca a maior parte dos casos de
câncer de colo do útero.
• As pessoas que se contaminam pela doença,têm que ter
um acompanhamento ginecológico semestral,pois o
vírus causador HPV não sai do sangue e , de tempo em
tempo,pode provocar verrugas que devem ser
cauterizadas.
Como é transmitida ?
• A condiloma é transmitida através da relação sexual
(contato com órgãos sexuais ou a secreção vaginal ou
sêmen na relação vaginal,oral ou anal )
• Há casos raros de contaminação por objetos de uso
íntimo.
Quais são os sintomas ?
• A mulher apresenta verrugas na região genital,essas
verrugas podem se desenvolver causando câncer do
útero.
• O homem apresenta verrugas no pênis.
Como se prevenir ?
• Usando camisinha masculina ou feminina nas relações
sexuais vaginais e orais,usando camisinha masculina ou
feminina e lubrificantes a base de água (KY,Preserv Gel)
nas relações sexuais anais.
• É bom realizar sempre o auto-exame,observando os
próprios órgãos genitais,vendo se a cor,aparência,cheiro
e pele estão saudáveis.
Integrantes do grupo:
Gabriel Guedes, Gabriela
Derico , Thiago e Wiliam
Colégio Emlie de Villeneuve
Matéria: Ciências Naturais Professora: Daniela Data: 10/11/2010
A gonorréia ou blenorragia é uma DST (doença sexualmente
transmissível).
A cada ano são reportados cerca de 400.000 casos dessa doença aos
Centros de Controle e Prevenção de Doenças.
A gonorréia ou blenorragia é uma DST (doença
sexualmente transmissível).
A cada ano são reportados cerca de 400.000 casos dessa
doença aos Centros de Controle e Prevenção de
Doenças.
A doença é transmitida pelo gonococo Neisseria
gonorrhoeae uma bactéria Gram-negativa.
• Os principais sintomas da gonorréia são ardência na hora de urinar
seguido de febre baixa e também o aparecimento de um corrimento
amarelo e purulento saindo da uretra.
• A principal forma de contagio é pelo ato sexual, no parto normal e
por contaminação indireta (raro). Há casos raros de contágio em
vasos sanitários
• A forma mais segura de prevenir doenças sexualmente
transmissíveis é usar camisinha (preservativos), ter higiene, e ter
uma relação com um(a) parceiro(a) que você sabe não estar
infectado.
Doença de Chagas, mal de
Chagas ou chaguismo, também
chamada tripanossomíase americana.
Doença de Chagas, mal
de
Chagas ou chaguismo,
também
chamada tripanossomías
e americana.
Transmitida por insetos, conhecidos
no Brasil como barbeiros, ou ainda, chupança,
fincão, bicudo, chupão, procotó, (da família dos
Reduvídeos (Reduviidae), pertencentes aos
gênerosTriatoma, Rhodnius e Panstrongylus. Tr
ypanosoma cruzi
Alguns sintomas são, inchaço, feridas, conjutivite....
• O homem é afectado pelas fezes ou urina contaminadas do
barbeiro, pois enquanto suga o sangue defeca nesse mesmo local.
Ainda não há vacina
para a prevenção da
doença. A prevenção
está centrada no
combate ao vetor, o
barbeiro,
principalmente
através da melhoria
das moradias rurais a
fim de impedir que
lhe sirvam de abrigo.
A melhoria das
condições de higiene,
o afastamento dos
animais das casas e
a limpeza frequente
das palhas e roupas
são eficazes.
Curiosidades!
Pessoas pegam chagas após ingerir caldo de cana!
Mapa da doença Mal de Chagas na América.
HERPES GENITALVIRUS H1N1
JÚLIA, LUIS VILELLA E RAFAELA
7 ANO C
H1N1
H1N1 nao pode ser tratada com 
antibioticos
COMO  SURGIU  O  VIRUS H1N1
SINTOMAS DA GRIPE H1N1
PREVENÇAO
HERPES GENITAL
DIAGNOSTICO
TRANSMICAO DA HERPES GENITAL
Vagina com herpes genital
Daniel nº 5
Letícia nº 18
Luma nº 23
Mª Vitória nº 25
‐Unicelular
‐ Cerca de 15 micrometros
‐ Flagelos para mobilidade e para respirar
Para tratar a tricomona precisa de um 
antibiotico oral e no local.
MALÁRIA
MALÁRIA
De acordo com a Organização Mundial de Saúde,
hoje em dia, a malária é de longe a doença tropical
e parasitária que mais causa problemas sociais e
econômicos no mundo e só é superada em número
de mortes pela Aids. Também conhecida como pa
ludismo, a malária é considerada problema de saú
de pública em mais de 90 países, onde cerca de 2,
4 bilhões de pessoas (40% da população mundial)
convivem com os risco de contágio.
Anualmente, sobretudo no continente africano, entre
500 e 300 milhões são infectados, dos quais cerca
de um milhão morrem em conseqüência da doença.
No Brasil, principalmente na região amazônica a mal
ária registra por volta de 500 mil casos por ano -
no entanto, aqui a letalidade da moléstia é baixa e
não chega a 0,1% do número total de enfermos
.
A malária é causada por protozoários do gênero
Plasmodium e cada uma de suas espécies
determina aspectos clínicos diferentes para a
enfermidade. No caso brasileiro, destacam-se três
espécies do parasita: o P. falciparum, o P. vivax
e o P. malarie. .
Você Sabia...
Apesar da malária poder infectar animais como
aves e répteis, o tipo humano não ocorre em ou
tras espécies (mesmo ainda sem comprovação, há a
suspeita de que certos tipos de malária possam ser
transmitidos, sempre via mosquito, de macacos para
humanos).
De início, os sintomas incluem:
mal-estar,
dores de cabeça e febre ligeira que com o tempo
podem evoluir para febre entre 39 e 40oC, que se
repete de dois em dois dias com presença de suor
intenso e dores musculares.
‐ Febre
‐ Sente muito frio 
‐ Seguindo com fases 
de extremo calor 
‐ Dores de cabeça
‐ Náuseas
‐ Hemorragias
‐ Fadigas  
NOMES:
Caroline Leite nº 4
Gabriela Gloder nº8
M. Julia Diniz nº 24
MATERIA: Ciências
PROFESSOR:Daniela
7º C
Tuberculose é uma
infecção causada por um
por um microorganismo
chamado Mycobacterium
tuberculosis, também
conhecido por bacilo de
Koch
Tosse persistente que pode estar
associada a produção de escarro.
Pode ter sangue no escarro ou
tosse com sangue puro.
Febre.
Suor excessivo a noite.
Perda de Peso.
Perda do apetite.
Fraqueza.
Para uma boa prevenção, o mais
importante é detectar e tratar todos
os pacientes bacilíferos, ou seja,
todos aqueles com o bacilo de Koch
nos pulmões.
deve proteger a boca com a mão ao
tossir ou espirrar. Também deverá
procurar não ficar próximo,
principalmente em lugares fechados,
às pessoas sadias
Outra conduta importante é o
controle dos comunicantes
Bacilos da liberação de secreções
respiratórias no ambiente através
do ato de tossir,falar,cantar, ou
espirrar.
Bacilos das condições do ambiente,
locais com pouca luz e mal ventilados
favorecem o contagio.
Bacilos do tempo de exposição do
individuo sadio com o doente.
É uma doença infecciosa
crônica causada por uma
bactéria chamada
Treponema pallidum,
adquirida, na maior parte
das vezes, por contato
sexual com outra pessoa
contaminada.
A doença apresenta,
três fases distintas, com
manifestações
características em cada
uma e um período de
latência (sem sintomas)
entre a segunda e a
terceira fase.
A prevenção recai
sobre a educação em
saúde para suspeita e
diagnóstico precoce e
tratamento, além da
promoção da prática de
sexo seguro com o uso
de preservativos .
Pode-se adquirir sífilis por
contato sexual, via placentária,
por beijo, ou outro contato íntimo
com uma lesão ativa, por
transfusão de sangue ou
derivado, ou, ainda, por
inoculação acidental direta, por
exemplo, em profissionais da área
da saúde (raro). A grande maioria
dos casos de transmissão ocorre
por relações sexuais
desprotegidas (sem
preservativos).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DstDoenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
 
Herpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificadoHerpes simples travbalho slide modificado
Herpes simples travbalho slide modificado
 
HPV
HPVHPV
HPV
 
Hpv
HpvHpv
Hpv
 
DST- Hpv
DST- HpvDST- Hpv
DST- Hpv
 
TRICOMONÍASE E HERPES GENITAL
TRICOMONÍASE E HERPES GENITALTRICOMONÍASE E HERPES GENITAL
TRICOMONÍASE E HERPES GENITAL
 
Dst - Clamídia
 Dst - Clamídia Dst - Clamídia
Dst - Clamídia
 
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagemHPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
IST5
IST5IST5
IST5
 
Infectologia tetano neo e acidental
Infectologia tetano neo e acidentalInfectologia tetano neo e acidental
Infectologia tetano neo e acidental
 
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsxDoenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
 
Herpes Genital
Herpes GenitalHerpes Genital
Herpes Genital
 
Gonorréia e Clamídia
Gonorréia e ClamídiaGonorréia e Clamídia
Gonorréia e Clamídia
 
Simão 9ºb nº21 herpes genital
Simão 9ºb nº21   herpes genitalSimão 9ºb nº21   herpes genital
Simão 9ºb nº21 herpes genital
 
Candidíase
CandidíaseCandidíase
Candidíase
 
Trabalho gonorreia
Trabalho gonorreiaTrabalho gonorreia
Trabalho gonorreia
 
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power PoitDoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
 

Destaque

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisAlexandre Mold
 
5 Cures for Chlamydia You Should Know!
5 Cures for Chlamydia You Should Know!5 Cures for Chlamydia You Should Know!
5 Cures for Chlamydia You Should Know!RNAdvisor
 
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis How to recognize and treat Chlamydia trachomatis
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis Vijaya Sawant,PMP, OCP
 
As DST como problema de saúde pública
As DST como problema de saúde públicaAs DST como problema de saúde pública
As DST como problema de saúde públicaMaria da Silva
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisLoune93
 
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)Carlos Priante
 
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorial
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorialA clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorial
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorialPublicações Weinmann
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Carlos Priante
 
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02Andrcludiorui 120207111311-phpapp02
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02Pelo Siro
 
Dst 8o Ano
Dst   8o AnoDst   8o Ano
Dst 8o Anopit
 

Destaque (20)

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DST
DSTDST
DST
 
Clamidia
ClamidiaClamidia
Clamidia
 
5 Cures for Chlamydia You Should Know!
5 Cures for Chlamydia You Should Know!5 Cures for Chlamydia You Should Know!
5 Cures for Chlamydia You Should Know!
 
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis How to recognize and treat Chlamydia trachomatis
How to recognize and treat Chlamydia trachomatis
 
30anos | Os desafios da Politica Pública de Aids | Fabio Mesquita
30anos | Os desafios da Politica Pública de Aids | Fabio Mesquita30anos | Os desafios da Politica Pública de Aids | Fabio Mesquita
30anos | Os desafios da Politica Pública de Aids | Fabio Mesquita
 
As DST como problema de saúde pública
As DST como problema de saúde públicaAs DST como problema de saúde pública
As DST como problema de saúde pública
 
Hiv treinamento no jubim
Hiv treinamento no jubimHiv treinamento no jubim
Hiv treinamento no jubim
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis)
 
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorial
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorialA clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorial
A clamídia e o desafio do diagnóstico laboratorial
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
 
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02Andrcludiorui 120207111311-phpapp02
Andrcludiorui 120207111311-phpapp02
 
Dst 8o Ano
Dst   8o AnoDst   8o Ano
Dst 8o Ano
 
Dst
DstDst
Dst
 
Trab de biologia
Trab de biologiaTrab de biologia
Trab de biologia
 
Dst's
Dst'sDst's
Dst's
 
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e EspiritismoDoença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
 
DST
DSTDST
DST
 
DST
DSTDST
DST
 

Semelhante a 7C - DST e outras doenças

Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Marcelo Henrique
 
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfTiagoSantos74563
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)xandaobyte
 
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsDoenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsIvete Campos
 
Candidíase e clamídia
Candidíase e clamídia Candidíase e clamídia
Candidíase e clamídia silvadebs
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Pelo Siro
 
DST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosDST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosWalquer Sobrinho
 
Hiv mario martins pereira
Hiv  mario martins pereiraHiv  mario martins pereira
Hiv mario martins pereiraSANTOS Odirley
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Luis Augusto
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..tiafer96
 
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptx
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptxDoenças Sexualmente Transmíssiveis.pptx
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptxIgorGermanotta2
 

Semelhante a 7C - DST e outras doenças (20)

Aids
AidsAids
Aids
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)
Doenças Sexualmente Transmissíveis ( Aula Professora Zilmara)
 
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds tsDoenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
Doenças microbianas-do-sistema-reprodutivo-ds ts
 
DST
DSTDST
DST
 
Candidíase e clamídia
Candidíase e clamídia Candidíase e clamídia
Candidíase e clamídia
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
 
DST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentosDST'S Relacionadas com corrimentos
DST'S Relacionadas com corrimentos
 
Aula dst
Aula dstAula dst
Aula dst
 
Hiv mario martins pereira
Hiv  mario martins pereiraHiv  mario martins pereira
Hiv mario martins pereira
 
sexualidade_e_DST.ppt
sexualidade_e_DST.pptsexualidade_e_DST.ppt
sexualidade_e_DST.ppt
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
 
Dst’s
Dst’sDst’s
Dst’s
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
DST - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.ppt
DST - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pptDST - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.ppt
DST - DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.ppt
 
DST/AIDS NAS MULHERES
DST/AIDS NAS MULHERESDST/AIDS NAS MULHERES
DST/AIDS NAS MULHERES
 
Dst/aids
Dst/aidsDst/aids
Dst/aids
 
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptx
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptxDoenças Sexualmente Transmíssiveis.pptx
Doenças Sexualmente Transmíssiveis.pptx
 

Último

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 

Último (20)

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 

7C - DST e outras doenças

  • 1.
  • 2. O que O que éé ClamClamíídia?dia? A clamídia é uma doença sexualmente  transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia.  Afeta os órgãos genitais masculinos ou femininos. É transmitida por uma bactéria chamada  Chlamydia trachomati. Esta infecção se espalha  facilmente porque quase sempre não traz sintomas e  as pessoas infectadas continuam a fazer sexo sem  camisinha.
  • 3. Chlamydia trachomatis é uma  bactéria,  ela  é a  causadora da Clamídia. Agente CausadorAgente Causador
  • 4. Como se pega a clamComo se pega a clamíídia?dia? A  clamídia  pode  ser  transmitida durante o sexo  vaginal,  anal  ou  oral.  Clamídia também pode ser  passada  da  mãe  infectada  ao  bebê  durante  o  parto  natural.
  • 5. Homens: ‐Podem  ter  secreções  no  pênis  ou  sensação  de  queimação ao urinar. ‐ Também podem ter queimação e coceira ao redor  da  abertura  do  pênis.  Dor  e  inchaço  nos  testículos  são incomuns. Homens  ou  mulheres  que  tiveram  intercurso  anal  receptivo  podem  adquirir  infecção  de  clamídia  no  reto, o que pode causar dor na região, secreções ou  sangramento. Clamídia  também  pode  acontecer  na  garganta  de  homens  e  mulheres  que  tiveram  sexo  oral  com  parceiros infectados. Mulheres: A bactéria inicialmente infecta o colo do útero e a uretra.  Sintomas: ‐ secreções vaginais anormais ‐ sensação de queimação ao urinar ‐ Quando a infecção atinge as tubas uterinas algumas mulheres ainda podem não apresentar nenhum  sintoma, outras têm dores no abdômen inferior, na parte de baixo das costas e etc. ‐ Infecção de clamídia no colo do útero pode se espalhar para o reto. SintomasSintomas
  • 6.
  • 7. Antibióticos: Os  que  oferecem  bons  resultados  para  esse  tipo de infecção são os: ‐ Tetraciclinas ‐ Acrolídeos ‐ Fluoroquinolones de última geração CuraCura
  • 8.
  • 9. A pneumonia é uma infecção dos  pulmões. O que O que éé Pneumonia?Pneumonia?
  • 10. • Pneumonia é provocada pela  penetração de um agente  infeccioso ou irritante no espaço  alveolar. • Esse local deve estar sempre  muito limpo, livre de substâncias  que possam impedir o contato do  ar com o sangue. Agente CausadorAgente Causador
  • 11. ‐ Febre Alta; ‐ Tosse; ‐ Dor no Tórax; ‐ Alterações da Pressão Arterial; ‐ Confusão Mental; ‐ Mal‐estar generalizado; ‐ Falta de Ar; ‐ Toxemia; e A pneumonia é contagiosa. SintomasSintomas
  • 12. Métodos  caseiros  e  os  cientificamente  comprovados. CuraCura
  • 13. PrevenPrevenççãoão A  bactéria  é passada  pelo  ar  então  a  melhor  forma  é se  prevenir  é tendo  hábitos  higiênicos  e  não  tendo  contato  próximo  á pessoas  com  os  sintomas.
  • 21. Para prevenir a doença pode se tomar uma vacina preventiva, mas o principal é ingeriri agua limpa, alimentos esterilizados ou fervidos.
  • 22.
  • 25.
  • 26. O que O que éé ClamClamíídia?dia? A clamídia é uma doença sexualmente  transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia.  Afeta os órgãos genitais masculinos ou femininos. É transmitida por uma bactéria chamada  Chlamydia trachomati. Esta infecção se espalha  facilmente porque quase sempre não traz sintomas e  as pessoas infectadas continuam a fazer sexo sem  camisinha.
  • 27. Chlamydia trachomatis é uma  bactéria,  ela  é a  causadora da Clamídia. Agente CausadorAgente Causador
  • 28. Como se pega a clamComo se pega a clamíídia?dia? A  clamídia  pode  ser  transmitida durante o sexo  vaginal,  anal  ou  oral.  Clamídia também pode ser  passada  da  mãe  infectada  ao  bebê  durante  o  parto  natural.
  • 29. Homens: ‐Podem  ter  secreções  no  pênis  ou  sensação  de  queimação ao urinar. ‐ Também podem ter queimação e coceira ao redor  da  abertura  do  pênis.  Dor  e  inchaço  nos  testículos  são incomuns. Homens  ou  mulheres  que  tiveram  intercurso  anal  receptivo  podem  adquirir  infecção  de  clamídia  no  reto, o que pode causar dor na região, secreções ou  sangramento. Clamídia  também  pode  acontecer  na  garganta  de  homens  e  mulheres  que  tiveram  sexo  oral  com  parceiros infectados. Mulheres: A bactéria inicialmente infecta o colo do útero e a uretra.  Sintomas: ‐ secreções vaginais anormais ‐ sensação de queimação ao urinar ‐ Quando a infecção atinge as tubas uterinas algumas mulheres ainda podem não apresentar nenhum  sintoma, outras têm dores no abdômen inferior, na parte de baixo das costas e etc. ‐ Infecção de clamídia no colo do útero pode se espalhar para o reto. SintomasSintomas
  • 30.
  • 31. Antibióticos: Os  que  oferecem  bons  resultados  para  esse  tipo de infecção são os: ‐ Tetraciclinas ‐ Acrolídeos ‐ Fluoroquinolones de última geração CuraCura
  • 32.
  • 33. A pneumonia é uma infecção dos  pulmões. O que O que éé Pneumonia?Pneumonia?
  • 34. • Pneumonia é provocada pela  penetração de um agente  infeccioso ou irritante no espaço  alveolar. • Esse local deve estar sempre  muito limpo, livre de substâncias  que possam impedir o contato do  ar com o sangue. Agente CausadorAgente Causador
  • 35. ‐ Febre Alta; ‐ Tosse; ‐ Dor no Tórax; ‐ Alterações da Pressão Arterial; ‐ Confusão Mental; ‐ Mal‐estar generalizado; ‐ Falta de Ar; ‐ Toxemia; e A pneumonia é contagiosa. SintomasSintomas
  • 36. Métodos  caseiros  e  os  cientificamente  comprovados. CuraCura
  • 37. PrevenPrevenççãoão A  bactéria  é passada  pelo  ar  então  a  melhor  forma  é se  prevenir  é tendo  hábitos  higiênicos  e  não  tendo  contato  próximo  á pessoas  com  os  sintomas.
  • 38. Dengue e Condiloma Nomes : Beatriz Hiroi, Giovana Leite e Lucas Dias série /ano : 7º nos : 2,10 e 19 Componente Curricular : Ciências Professora : Daniela Data : 10/11/10
  • 39. O que é dengue ? • É uma doença febril aguda causada pelo vírus da família Flaviridae.
  • 40. Como é transmitida ? • A dengue é transmitida pela fêmea do mosquito Aedes Aegypti que parece pernilongo,tem corpo escuro com manchas brancas,põe ovos em águas limpas e paradas,de dia alimenta-se de sangue humano e transmite além da dengue a febre amarela.
  • 41. Quais são os sintomas ? • Os sintomas são febre alta, dores nas articulações, dor de cabeça, dores musculares, náuseas,vômitos, cansaço, fraqueza, pequenas manchas espalhadas pelo corpo e falta de apetite.
  • 42. • Como se previne?
  • 43.
  • 44. Quantos tipos ? E quais são ? • Em todo o mundo existem quatro tipos,porém no Brasil foram encontrados apenas três,tipo 1,2 e 3. • A dengue do tipo 4 foi encontrada apenas na Costa Rica. • A dengue pode apresentar-se clinicamente de quatro formas diferentes : Infecção inaparente,dengue clássica,dengue hemorrágica e síndrome de choque da dengue
  • 45. Infecção inaparente • A pessoa está infectada pelo vírus,mas não apresenta nenhum sintoma. • A grande maioria das infecções da dengue não apresenta sintomas. • Acredita-se que cada dez pessoas infectadas apenas uma ou duas ficam doentes.
  • 46. Dengue clássica • A dengue clássica é uma forma mais leve da doença é semelhante à gripe. • Geralmente,inicia de uma hora para a outra e dura entre 5 a 7 dias. • Após esse período a pessoa pode continuar sentido cansaço e indisposição.
  • 47. Dengue Hemorrágica • A dengue hemorrágica é uma doença grave e se caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da pessoa infectada. • Inicialmente se assemelha a Dengue Clássica,mas,após o terceiro ou quarto dia de evolução da doença, surgem hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos nos órgãos internos. • A dengue hemorrágica pode provocar hemorragias nasais,gengivais,urinárias,gastrointestinais ou uterinas.
  • 48. Síndrome de choque da Dengue • Está é a mais séria apresentação da dengue e se caracteriza por uma grande queda ou ausência de pressão arterial.A pessoa infectada pela doença apresenta um pulso quase imperceptível,inquietação,palidez e perda de consciência.Neste tipo de apresentação da doença,há registros de várias complicações,como alterações neurológicas,problemas cardiorrespiratórios,insuficiência hepática,hemorragia digestiva e derrame pleural. • Entre as principais manifestações neurológicas,destacam-se : delírio, sonolência, depressão, irritabilidade extrema, demência, amnésia, paralisias e sinais de meningite. • Se a doença não for tratada com rapidez,pode levar à morte.
  • 49. O que é Condiloma ? • Condiloma é uma doença sexualmente transmissível,que provoca a maior parte dos casos de câncer de colo do útero. • As pessoas que se contaminam pela doença,têm que ter um acompanhamento ginecológico semestral,pois o vírus causador HPV não sai do sangue e , de tempo em tempo,pode provocar verrugas que devem ser cauterizadas.
  • 50. Como é transmitida ? • A condiloma é transmitida através da relação sexual (contato com órgãos sexuais ou a secreção vaginal ou sêmen na relação vaginal,oral ou anal ) • Há casos raros de contaminação por objetos de uso íntimo.
  • 51. Quais são os sintomas ? • A mulher apresenta verrugas na região genital,essas verrugas podem se desenvolver causando câncer do útero. • O homem apresenta verrugas no pênis.
  • 52. Como se prevenir ? • Usando camisinha masculina ou feminina nas relações sexuais vaginais e orais,usando camisinha masculina ou feminina e lubrificantes a base de água (KY,Preserv Gel) nas relações sexuais anais. • É bom realizar sempre o auto-exame,observando os próprios órgãos genitais,vendo se a cor,aparência,cheiro e pele estão saudáveis.
  • 53. Integrantes do grupo: Gabriel Guedes, Gabriela Derico , Thiago e Wiliam Colégio Emlie de Villeneuve Matéria: Ciências Naturais Professora: Daniela Data: 10/11/2010
  • 54. A gonorréia ou blenorragia é uma DST (doença sexualmente transmissível). A cada ano são reportados cerca de 400.000 casos dessa doença aos Centros de Controle e Prevenção de Doenças. A gonorréia ou blenorragia é uma DST (doença sexualmente transmissível). A cada ano são reportados cerca de 400.000 casos dessa doença aos Centros de Controle e Prevenção de Doenças.
  • 55. A doença é transmitida pelo gonococo Neisseria gonorrhoeae uma bactéria Gram-negativa.
  • 56. • Os principais sintomas da gonorréia são ardência na hora de urinar seguido de febre baixa e também o aparecimento de um corrimento amarelo e purulento saindo da uretra.
  • 57. • A principal forma de contagio é pelo ato sexual, no parto normal e por contaminação indireta (raro). Há casos raros de contágio em vasos sanitários
  • 58. • A forma mais segura de prevenir doenças sexualmente transmissíveis é usar camisinha (preservativos), ter higiene, e ter uma relação com um(a) parceiro(a) que você sabe não estar infectado.
  • 59. Doença de Chagas, mal de Chagas ou chaguismo, também chamada tripanossomíase americana. Doença de Chagas, mal de Chagas ou chaguismo, também chamada tripanossomías e americana.
  • 60. Transmitida por insetos, conhecidos no Brasil como barbeiros, ou ainda, chupança, fincão, bicudo, chupão, procotó, (da família dos Reduvídeos (Reduviidae), pertencentes aos gênerosTriatoma, Rhodnius e Panstrongylus. Tr ypanosoma cruzi
  • 61. Alguns sintomas são, inchaço, feridas, conjutivite....
  • 62. • O homem é afectado pelas fezes ou urina contaminadas do barbeiro, pois enquanto suga o sangue defeca nesse mesmo local.
  • 63. Ainda não há vacina para a prevenção da doença. A prevenção está centrada no combate ao vetor, o barbeiro, principalmente através da melhoria das moradias rurais a fim de impedir que lhe sirvam de abrigo. A melhoria das condições de higiene, o afastamento dos animais das casas e a limpeza frequente das palhas e roupas são eficazes.
  • 64. Curiosidades! Pessoas pegam chagas após ingerir caldo de cana! Mapa da doença Mal de Chagas na América.
  • 66. H1N1
  • 75. Daniel nº 5 Letícia nº 18 Luma nº 23 Mª Vitória nº 25
  • 77.
  • 80. MALÁRIA De acordo com a Organização Mundial de Saúde, hoje em dia, a malária é de longe a doença tropical e parasitária que mais causa problemas sociais e econômicos no mundo e só é superada em número de mortes pela Aids. Também conhecida como pa ludismo, a malária é considerada problema de saú de pública em mais de 90 países, onde cerca de 2, 4 bilhões de pessoas (40% da população mundial) convivem com os risco de contágio.
  • 81. Anualmente, sobretudo no continente africano, entre 500 e 300 milhões são infectados, dos quais cerca de um milhão morrem em conseqüência da doença. No Brasil, principalmente na região amazônica a mal ária registra por volta de 500 mil casos por ano - no entanto, aqui a letalidade da moléstia é baixa e não chega a 0,1% do número total de enfermos .
  • 82. A malária é causada por protozoários do gênero Plasmodium e cada uma de suas espécies determina aspectos clínicos diferentes para a enfermidade. No caso brasileiro, destacam-se três espécies do parasita: o P. falciparum, o P. vivax e o P. malarie. .
  • 83. Você Sabia... Apesar da malária poder infectar animais como aves e répteis, o tipo humano não ocorre em ou tras espécies (mesmo ainda sem comprovação, há a suspeita de que certos tipos de malária possam ser transmitidos, sempre via mosquito, de macacos para humanos).
  • 84. De início, os sintomas incluem: mal-estar, dores de cabeça e febre ligeira que com o tempo podem evoluir para febre entre 39 e 40oC, que se repete de dois em dois dias com presença de suor intenso e dores musculares.
  • 85. ‐ Febre ‐ Sente muito frio  ‐ Seguindo com fases  de extremo calor  ‐ Dores de cabeça ‐ Náuseas ‐ Hemorragias ‐ Fadigas  
  • 86.
  • 87.
  • 88. NOMES: Caroline Leite nº 4 Gabriela Gloder nº8 M. Julia Diniz nº 24 MATERIA: Ciências PROFESSOR:Daniela 7º C
  • 89. Tuberculose é uma infecção causada por um por um microorganismo chamado Mycobacterium tuberculosis, também conhecido por bacilo de Koch
  • 90. Tosse persistente que pode estar associada a produção de escarro. Pode ter sangue no escarro ou tosse com sangue puro. Febre. Suor excessivo a noite. Perda de Peso. Perda do apetite. Fraqueza.
  • 91. Para uma boa prevenção, o mais importante é detectar e tratar todos os pacientes bacilíferos, ou seja, todos aqueles com o bacilo de Koch nos pulmões. deve proteger a boca com a mão ao tossir ou espirrar. Também deverá procurar não ficar próximo, principalmente em lugares fechados, às pessoas sadias Outra conduta importante é o controle dos comunicantes
  • 92. Bacilos da liberação de secreções respiratórias no ambiente através do ato de tossir,falar,cantar, ou espirrar. Bacilos das condições do ambiente, locais com pouca luz e mal ventilados favorecem o contagio. Bacilos do tempo de exposição do individuo sadio com o doente.
  • 93. É uma doença infecciosa crônica causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum, adquirida, na maior parte das vezes, por contato sexual com outra pessoa contaminada.
  • 94. A doença apresenta, três fases distintas, com manifestações características em cada uma e um período de latência (sem sintomas) entre a segunda e a terceira fase.
  • 95. A prevenção recai sobre a educação em saúde para suspeita e diagnóstico precoce e tratamento, além da promoção da prática de sexo seguro com o uso de preservativos .
  • 96. Pode-se adquirir sífilis por contato sexual, via placentária, por beijo, ou outro contato íntimo com uma lesão ativa, por transfusão de sangue ou derivado, ou, ainda, por inoculação acidental direta, por exemplo, em profissionais da área da saúde (raro). A grande maioria dos casos de transmissão ocorre por relações sexuais desprotegidas (sem preservativos).