SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
SERV-FOR-0006, rev. 0




              DST

Doenças Sexualmente Transmissíveis
                                          dezembro de 2012
SUMÁRIO




Cancro mole

Clamídia e gonorreia

Condiloma acuminado (HPV)

Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

Donovanose

Hepatites virais

Herpes

Infecção pelo vírus T (HTLV)

Linfogranuloma venéreo

Sífilis

Triconomíase
Cancro mole
Cancro mole                             4




O que é
O cancro mole pode ser chamado de cancro venéreo, mas seu nome mais popular é
“cavalo”. Provocado pela bactéria Haemophilus ducreyi, é mais frequente nas regiões
tropicais, como o Brasil.

Formas de contágio
A transmissão ocorre pela relação sexual com uma pessoa infectada, sendo o uso da
camisinha a melhor forma de prevenção.
Cancro mole                            5




Sinais e sintomas
•Dor de cabeça, febre e fraqueza (5 a 15 dias após contagio).
•Surgimento de pequenas feridas, dolorosas, com presença de pus nos órgãos genitais
que gradativamente aumentam de tamanho e profundidade.
•Aparecimento de novas lesões em volta da primeira.
•Aparecimento de íngua na virilha (caroço doloroso e avermelhado).
•Sensação de dor na relação sexual e ao evacuar.
Nos homens, as feridas aparecem na cabeça do pênis (glande)
Nas mulheres as feridas aparecem na vagina e/ou no ânus.

Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento com
antibiótico adequado.
Clamídia e
gonorreia
Clamídia e gonorreia                          7




O que são?
Clamídia e gonorreia são infecções causadas por bactérias que podem atingir os
órgãos genitais masculinos e femininos. A clamídia é muito comum entre os
adolescentes e adultos jovens, podendo causar graves problemas à saúde. A gonorreia
pode infectar o pênis, o colo do útero, o reto (canal anal), a garganta e os olhos.
Quando não tratadas, essas doenças podem causar infertilidade (dificuldade para ter
filhos), dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à
saúde.
Clamídia e gonorreia                          8




Sinais e sintomas
•Dor ao urinar ou no baixo ventre (pé da barriga).
•Aumento de corrimento.
•Sangramento fora da época da menstruação, dor ou sangramento durante a relação
sexual.
•Sensação de ardor e esquentamento ao urinar, podendo causar corrimento ou pus.
Dor nos testículos.

 É possível que não haja sintomas e se transmita a doença sem saber. Para evitar, é
necessário o uso da camisinha em todas as relações sexuais.

Diagnóstico
Por meio da consulta com um profissional de saúde, exame clínico específico e coleta
de secreções genitais
Clamídia e gonorreia                           9




Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessas DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado,
com o uso de antibióticos específicos.

Oftalmia Neonatal
É uma conjuntivite do recém-nascido após contaminação durante o nascimento, com
secreções genitais da mãe infectada por clamídia e gonorreia, que não foram tratadas.
Surge no primeiro mês de vida e pode levar à cegueira, se não prevenida ou tratada
adequadamente.

Sinais e sintomas - Vermelhidão e inchaço das pálpebras e/ou presença de secreção
(pus) nos olhos.
Condiloma
acuminado (HPV)
Condiloma acuminado (HPV)                       11




O que é
O condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo,
figueira ou cavalo de crista, é uma DST causada pelo Papilomavírus humano (HPV).

Pode causar câncer, principalmente no colo do útero e do ânus.

 O exame de prevenção do câncer ginecológico, o Papanicolau, pode detectar
alterações precoces no colo do útero e deve ser feita de rotina por todas as
mulheres.
Não se conhece o tempo em que o HPV pode permanecer sem sintomas e quais são
os fatores responsáveis pelo desenvolvimento de lesões. Por esse motivo, é
recomendável procurar serviços de saúde para consultas periodicamente.
Condiloma acuminado (HPV)                         12




Sinais e Sintomas
•Aparecimento de verrugas de tamanhos variáveis.
•No homem, é mais comum na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus.
•Na mulher, os sintomas mais comuns surgem na vagina, vulva, região do ânus e
colo do útero.

As lesões também podem aparecer na boca e na garganta. Tanto o homem quanto a
mulher podem estar infectados pelo vírus sem apresentar sintomas.

Formas de contágio
A principal forma de transmissão desse vírus é pela via sexual. Para ocorrer o
contágio, a pessoa infectada não precisa apresentar sintomas. Mas, quando a
verruga é visível, o risco de transmissão é muito maior. O uso da camisinha durante
a relação sexual geralmente impede a transmissão do vírus, que também pode ser
transmitido para o bebê durante o parto.
Condiloma acuminado (HPV)                        13




Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento
adequado.


Vacina
Em 2006 foi aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a
utilização da Vacina Quadrivalente produzida pelo Laboratório Merck Sharp &
Dohme contra os tipos 6,11,16 e 18 do HPV, para meninas e mulheres de 9 a 26
anos que não tenham a infecção. Esta vacina confere proteção contra os vírus
citados acima, os quais são responsáveis por 70% dos casos de câncer do colo do
útero (tipos 16 e 18) e 90% dos casos de verrugas (condilomas) genitais (tipos 6 e
11).
Doença Inflamatória
   Pélvica (DIP)
Doença Inflamatória Pélvica (DIP)                   15




O que é
A doença inflamatória pélvica (DIP) pode ser causada por várias bactérias que
atingem os órgãos sexuais internos da mulher, como útero, trompas e ovários,
causando inflamações.

Formas de contágio
Essa infecção pode ocorrer por meio de contato com as bactérias após a relação
sexual desprotegida. A maioria dos casos ocorre em mulheres que tem outra DST,
principalmente gonorreia e clamídia não tratadas. Entretanto também pode ocorrer
após algum procedimento médico local (inserção de DIU - Dispositivo Intra-Uterino,
biópsia na parte interna do útero, curetagem).
16
                                 Doença Inflamatória Pélvica (DIP)




Sinais e sintomas
•Dor na parte baixa do abdômen (no “pé da barriga” ou baixo ventre).
•Pode haver secreção vaginal (do colo do útero).
•Dor durante a relação sexual.
•Febre
•Desconforto abdominal, fadiga, dor nas costas e vômitos.

Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar
imediatamente um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do
tratamento adequado.
Donovanose
Donovanose                            18




O que é
É uma infecção causada pela bactéria Klebsiella granulomatis, que afeta a pele e
mucosas das regiões da genitália, da virilha e do ânus. Causa úlceras e destrói a
pele infectada. É mais frequente no Norte do Brasil e em pessoas com baixo nível
socioeconômico e higiênico.
Donovanose                                 19




Sinais e sintomas
•Caroços e feridas vermelhas e sangramento fácil.
•Lesão nos órgãos genitais que lentamente se transforma em úlcera ou caroço
vermelho.

A ferida pode atingir grandes áreas, danificar a pele em volta e facilitar a infecção por
outras bactérias. Como as feridas não causam dor, a procura pelo tratamento pode
ocorrer tardiamente, aumentando o risco de complicações.

Tratamento
O tratamento, com uso de antibióticos, deve ser prescrito pelo profissional de saúde
após avaliação cuidadosa. Deve haver retorno após término do tratamento para
avaliação de cura da infecção. É necessário evitar contato sexual até que os
sintomas tenham desaparecidos e o tratamento finalizado.
Hepatite
Hepatite                           21




O que é
Infecção das células hepáticas pelo HBV (Hepatitis B Virus), comumente chamada,
inflamação do fígado. Podem apresentar tanto formas agudas, quanto crônicas de
infecção, quando a doença persiste no organismo por mais de seis meses.
Hepatite                          22




Sinais e sintomas
•Falta de apetite.
•Febre.
•Náuseas.
•Vômitos.
•Astenia, diarréia, dores articulares, icterícia (amarelamento da pele e mucosas).

Pode evoluir para: Hepatite crônica, Cirrose hepática, Câncer do fígado
(Hepatocarcinoma), além de formas agudas severas com coma hepático e óbito.

Diagnóstico
É feito através de exames realizados no sangue do paciente.
Hepatite                     23




Tratamento
Não há medicamento para combater diretamente o agente da doença,
tratam-se apenas os sintomas e as complicações.


Prevenção
Vacina, obtida por engenharia genética, com grande eficácia no
desenvolvimento de níveis protetores de anticorpos (3 doses). Recomenda-
se os mesmo cuidados descritos na prevenção da AIDS, ou seja, sexo
seguro e cuidados com a manipulação do sangue.
Herpes
Herpes                       25




O que é
É uma doença causada por um vírus que, apesar de não ter cura, tem
tratamento. Seus sintomas são geralmente pequenas bolhas agrupadas
que se rompem e se transformam em feridas. Depois que a pessoa teve
contato com o vírus, os sintomas podem reaparecer dependendo de fatores
como estresse, cansaço, esforço exagerado, febre, exposição ao sol,
traumatismo, uso prolongado de antibióticos e menstruação. Em homens e
mulheres, os sintomas geralmente aparecem na região genital (pênis, ânus,
vagina, colo do útero).
Herpes                              26




Formas de contágio
O herpes genital é transmitido por meio de relação sexual (oral, anal ou vaginal) sem
camisinha com uma pessoa infectada. Em mulheres, durante o parto, o vírus pode ser
transmitido para o bebê se a gestante apresentar lesões por herpes. Por ser muito
contagiosa, a primeira orientação dada a quem tem herpes é uma maior atenção aos
cuidados de higiene: lavar bem as mãos, evitar contato direto das bolhas e feridas
com outras pessoas e não furar as bolhas.

Sinais e sintomas
•Surgimento de pequenas bolhas na região genital (parte externa da vagina e na
ponta do pênis), que se rompem formando feridas e desaparecem espontaneamente.
•Formigamento, ardor e coceira no local, além de febre e mal-estar.

Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado.
Não furar as bolhas e não aplicar pomadas no local sem recomendação profissional.
HTLV
HTLV                                  28




O que é
A doença é causada pelo vírus T-linfotrópico humano (HTLV), que infecta as células de
defesa do organismo, os linfócitos T. O HTLV foi o primeiro retrovírus humano isolado (no
início da década de 1980) e é classificado em dois grupos: HTLV-I e HTLV-II.

Formas de contágio
A transmissão desse vírus se dá pelo sexo sem camisinha com uma pessoa infectada,
compartilhamento de seringas e agulhas durante o uso de drogas e da mãe infectada para o
recém-nascido (também chamado de transmissão vertical), principalmente pelo aleitamento
materno. Evitar a doença não é difícil. Basta usar camisinha em todas as relações sexuais e
não compartilhar seringa, agulha e outro objeto cortante com ninguém. O preservativo está
disponível gratuitamente na rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a
camisinha, ligue para o Disque Saúde (136).
HTLV                                29




Sinais e sintomas
A maioria dos indivíduos infectados pelo HTLV não apresentam sintomas durante toda
a vida. Mas um pequeno grupo dos infectados pode desenvolver manifestações
clínicas graves, como alguns tipos de câncer, além de problemas musculares
(polimiosite), nas articulações (artropatias), nos pulmões (pneumonite linfocítica), na
pele (dermatites diversas), na região ocular (uveíte), além da síndrome de Sjögren,
doença autoimune que destrói as glandulas que produzem lágrima e saliva.

Tratamento
Como o risco do desenvolvimento da doença associado ao HTLV é muito baixo, não
há tratamento específico para a infecção. O paciente deve ser acompanhado em
serviço de saúde especializado, para diagnosticar e tratar precocemente doenças que
podem estar associadas.
Linfogranuloma
    venéreo
Linfogranuloma venéreo                          31




O que é
É uma infecção crônica causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que atinge os
genitais e os gânglios da virilha.

Formas de contágio
A transmissão do linfogranuloma venéreo ocorre pelo sexo desprotegido com uma
pessoa infectada. Por isso, é preciso usar camisinha sempre e cuidar da higiene
íntima após a relação sexual.
Linfogranuloma venéreo                             32




Sinais e sintomas
•Surgimento de ferida ou caroço muito pequeno que pode ser no pênis, vagina, boca,
colo do útero e ânus (07 a 30 dias após o contágio) que dura, em média, de três a
cinco dias.
•Lesão passageira e de difícil identificação.
•Dor nas articulações.
•Febre e mal estar

Entre duas a seis semanas após a ferida, surge um inchaço doloroso dos gânglios da
virilha. Se esse inchaço não for tratado rápido, pode piorar e formar feridas com saída
de secreção purulenta, além de deformidade local

Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado,
que consiste em uso de antibióticos por tempo determinado.
Sífilis
Sífilis                               34




O que é
É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Podem se
manifestar em três estágios. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases,
período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar
sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura da doença.
Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a
sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má
formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito na 1ª consulta do pré-
natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de
exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar
sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental.
Sífilis                              35




Formas de contágio
A sífilis pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante o sexo sem camisinha com
alguém infectado, por transfusão de sangue contaminado ou da mãe infectada para o bebê
durante a gestação ou o parto. O uso da camisinha em todas as relações sexuais e o
correto acompanhamento durante a gravidez são meios simples, confiáveis e baratos de
prevenir-se contra a sífilis.




Diagnóstico
Quando não há evidencia de sinais e ou sintomas, é necessário fazer um teste
laboratorial. Mas, como o exame busca por anticorpos contra a bactéria, só pode ser
feito a partir da primeira à terceira semana após o contágio.
Sífilis                              36




Sinais e sintomas
Surgimento de pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas (ínguas),
que surgem entre a 7 e 20 dias após o Contágio (primeiros sintomas).
A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Mesmo
sem tratamento, essas feridas podem desaparecer sem deixar cicatriz. Mas a pessoa
continua doente e a doença se desenvolve. Ao alcançar um certo estágio, podem
surgir manchas em várias partes do corpo (inclusive mãos e pés) e queda dos
cabelos.
Após algum tempo, que varia de pessoa para pessoa, as manchas também
desaparecem, dando a ideia de melhora. A doença pode ficar estacionada por meses
ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira,
paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo, inclusive, levar à morte.

Tratamento
Recomenda-se procurar um profissional de saúde, pois só ele pode fazer o
diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado, dependendo de cada
estágio. É importante seguir as orientações médicas para curar a doença.
Tricomoníase
Tricomoníase                          38




O que é
É uma infecção causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis. Nas mulheres,
ataca o colo do útero, a vagina e a uretra, e nos homens, o pênis.

Formas de contágio
A doença pode ser transmitida pelo sexo sem camisinha com uma pessoa
infectada. Para evitá-la, é necessário usar camisinha em todas as relações
sexuais (vaginais, orais ou anais). É a forma mais simples e eficaz de evitar uma
doença sexualmente transmissível.
Tricomoníase                        39




Sinais e Sintomas
•Corrimento abundante, amarelo ou amarelo-esverdeado, bolhoso e com forte
odor fétido.
•Dor durante a relação sexual.
•Ardência e dificuldade para urinar.
•Coceira nos órgãos sexuais.

As pessoas infectadas podem não sentir alterações no organismo.

Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar
um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento
adequado. Os parceiros também precisam de tratamento, para que não haja
nova contaminação da doença.
40

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieTrabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieLucas Marques
 
Trabalho de Herpes
Trabalho de HerpesTrabalho de Herpes
Trabalho de HerpesHevelins
 
Sexually transmitted infections
Sexually transmitted infectionsSexually transmitted infections
Sexually transmitted infectionshanylotfy40
 
Duck necrospy vet24h by Minh.NV
Duck necrospy vet24h by Minh.NVDuck necrospy vet24h by Minh.NV
Duck necrospy vet24h by Minh.NVMinh Nguyen
 

Mais procurados (7)

Trabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serieTrabalho gonorreia 8 serie
Trabalho gonorreia 8 serie
 
Trabalho de Herpes
Trabalho de HerpesTrabalho de Herpes
Trabalho de Herpes
 
HPV
HPVHPV
HPV
 
Sexually transmitted infections
Sexually transmitted infectionsSexually transmitted infections
Sexually transmitted infections
 
Gonorrea
GonorreaGonorrea
Gonorrea
 
Duck necrospy vet24h by Minh.NV
Duck necrospy vet24h by Minh.NVDuck necrospy vet24h by Minh.NV
Duck necrospy vet24h by Minh.NV
 
Presentation (2).pptx
Presentation (2).pptxPresentation (2).pptx
Presentation (2).pptx
 

Destaque

Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)Bio Sem Limites
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreiaola334
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveislipe98
 
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...Doyle Buehler
 
What Makes Great Infographics
What Makes Great InfographicsWhat Makes Great Infographics
What Makes Great InfographicsSlideShare
 
Masters of SlideShare
Masters of SlideShareMasters of SlideShare
Masters of SlideShareKapost
 
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to Slideshare
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to SlideshareSTOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to Slideshare
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to SlideshareEmpowered Presentations
 
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation OptimizationOneupweb
 
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content Marketing
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content MarketingHow To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content Marketing
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content MarketingContent Marketing Institute
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...SlideShare
 
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShareSlideShare
 
What to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareWhat to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareSlideShare
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksSlideShare
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareSlideShare
 

Destaque (18)

Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Slide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientificoSlide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientifico
 
DST
DSTDST
DST
 
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...
The Digital Prescription for Pharmacy Event - Digital Leadership for Pharmaci...
 
What Makes Great Infographics
What Makes Great InfographicsWhat Makes Great Infographics
What Makes Great Infographics
 
Masters of SlideShare
Masters of SlideShareMasters of SlideShare
Masters of SlideShare
 
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to Slideshare
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to SlideshareSTOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to Slideshare
STOP! VIEW THIS! 10-Step Checklist When Uploading to Slideshare
 
You Suck At PowerPoint!
You Suck At PowerPoint!You Suck At PowerPoint!
You Suck At PowerPoint!
 
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization
10 Ways to Win at SlideShare SEO & Presentation Optimization
 
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content Marketing
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content MarketingHow To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content Marketing
How To Get More From SlideShare - Super-Simple Tips For Content Marketing
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
 
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
2015 Upload Campaigns Calendar - SlideShare
 
What to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShareWhat to Upload to SlideShare
What to Upload to SlideShare
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShare
 

Semelhante a DST

Semelhante a DST (20)

Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
 
DST
DSTDST
DST
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
 
Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
DST
DSTDST
DST
 
DST
DSTDST
DST
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdfModulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
 
Dst
DstDst
Dst
 

Mais de Barbaraqsms

Tabagismo total 1
Tabagismo total 1Tabagismo total 1
Tabagismo total 1Barbaraqsms
 
Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Barbaraqsms
 
Cancer de mama completo
Cancer de mama completoCancer de mama completo
Cancer de mama completoBarbaraqsms
 
Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Barbaraqsms
 
Cuidados com os dentes
Cuidados com os dentesCuidados com os dentes
Cuidados com os dentesBarbaraqsms
 
Dia mundial de combate a AIDS
Dia mundial de combate a AIDSDia mundial de combate a AIDS
Dia mundial de combate a AIDSBarbaraqsms
 

Mais de Barbaraqsms (12)

Vacinação
Vacinação Vacinação
Vacinação
 
Vacinação
Vacinação Vacinação
Vacinação
 
Vacinação
Vacinação Vacinação
Vacinação
 
Tabagismo total 1
Tabagismo total 1Tabagismo total 1
Tabagismo total 1
 
Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1
 
Cancer de mama completo
Cancer de mama completoCancer de mama completo
Cancer de mama completo
 
Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1Cuidados com os dentes 1
Cuidados com os dentes 1
 
Cuidados com os dentes
Cuidados com os dentesCuidados com os dentes
Cuidados com os dentes
 
Publicação3
Publicação3Publicação3
Publicação3
 
DST
DSTDST
DST
 
Aids e vida.
Aids e vida.Aids e vida.
Aids e vida.
 
Dia mundial de combate a AIDS
Dia mundial de combate a AIDSDia mundial de combate a AIDS
Dia mundial de combate a AIDS
 

DST

  • 1. SERV-FOR-0006, rev. 0 DST Doenças Sexualmente Transmissíveis dezembro de 2012
  • 2. SUMÁRIO Cancro mole Clamídia e gonorreia Condiloma acuminado (HPV) Doença Inflamatória Pélvica (DIP) Donovanose Hepatites virais Herpes Infecção pelo vírus T (HTLV) Linfogranuloma venéreo Sífilis Triconomíase
  • 4. Cancro mole 4 O que é O cancro mole pode ser chamado de cancro venéreo, mas seu nome mais popular é “cavalo”. Provocado pela bactéria Haemophilus ducreyi, é mais frequente nas regiões tropicais, como o Brasil. Formas de contágio A transmissão ocorre pela relação sexual com uma pessoa infectada, sendo o uso da camisinha a melhor forma de prevenção.
  • 5. Cancro mole 5 Sinais e sintomas •Dor de cabeça, febre e fraqueza (5 a 15 dias após contagio). •Surgimento de pequenas feridas, dolorosas, com presença de pus nos órgãos genitais que gradativamente aumentam de tamanho e profundidade. •Aparecimento de novas lesões em volta da primeira. •Aparecimento de íngua na virilha (caroço doloroso e avermelhado). •Sensação de dor na relação sexual e ao evacuar. Nos homens, as feridas aparecem na cabeça do pênis (glande) Nas mulheres as feridas aparecem na vagina e/ou no ânus. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento com antibiótico adequado.
  • 7. Clamídia e gonorreia 7 O que são? Clamídia e gonorreia são infecções causadas por bactérias que podem atingir os órgãos genitais masculinos e femininos. A clamídia é muito comum entre os adolescentes e adultos jovens, podendo causar graves problemas à saúde. A gonorreia pode infectar o pênis, o colo do útero, o reto (canal anal), a garganta e os olhos. Quando não tratadas, essas doenças podem causar infertilidade (dificuldade para ter filhos), dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à saúde.
  • 8. Clamídia e gonorreia 8 Sinais e sintomas •Dor ao urinar ou no baixo ventre (pé da barriga). •Aumento de corrimento. •Sangramento fora da época da menstruação, dor ou sangramento durante a relação sexual. •Sensação de ardor e esquentamento ao urinar, podendo causar corrimento ou pus. Dor nos testículos. É possível que não haja sintomas e se transmita a doença sem saber. Para evitar, é necessário o uso da camisinha em todas as relações sexuais. Diagnóstico Por meio da consulta com um profissional de saúde, exame clínico específico e coleta de secreções genitais
  • 9. Clamídia e gonorreia 9 Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessas DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado, com o uso de antibióticos específicos. Oftalmia Neonatal É uma conjuntivite do recém-nascido após contaminação durante o nascimento, com secreções genitais da mãe infectada por clamídia e gonorreia, que não foram tratadas. Surge no primeiro mês de vida e pode levar à cegueira, se não prevenida ou tratada adequadamente. Sinais e sintomas - Vermelhidão e inchaço das pálpebras e/ou presença de secreção (pus) nos olhos.
  • 11. Condiloma acuminado (HPV) 11 O que é O condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma DST causada pelo Papilomavírus humano (HPV). Pode causar câncer, principalmente no colo do útero e do ânus. O exame de prevenção do câncer ginecológico, o Papanicolau, pode detectar alterações precoces no colo do útero e deve ser feita de rotina por todas as mulheres. Não se conhece o tempo em que o HPV pode permanecer sem sintomas e quais são os fatores responsáveis pelo desenvolvimento de lesões. Por esse motivo, é recomendável procurar serviços de saúde para consultas periodicamente.
  • 12. Condiloma acuminado (HPV) 12 Sinais e Sintomas •Aparecimento de verrugas de tamanhos variáveis. •No homem, é mais comum na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus. •Na mulher, os sintomas mais comuns surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. As lesões também podem aparecer na boca e na garganta. Tanto o homem quanto a mulher podem estar infectados pelo vírus sem apresentar sintomas. Formas de contágio A principal forma de transmissão desse vírus é pela via sexual. Para ocorrer o contágio, a pessoa infectada não precisa apresentar sintomas. Mas, quando a verruga é visível, o risco de transmissão é muito maior. O uso da camisinha durante a relação sexual geralmente impede a transmissão do vírus, que também pode ser transmitido para o bebê durante o parto.
  • 13. Condiloma acuminado (HPV) 13 Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado. Vacina Em 2006 foi aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a utilização da Vacina Quadrivalente produzida pelo Laboratório Merck Sharp & Dohme contra os tipos 6,11,16 e 18 do HPV, para meninas e mulheres de 9 a 26 anos que não tenham a infecção. Esta vacina confere proteção contra os vírus citados acima, os quais são responsáveis por 70% dos casos de câncer do colo do útero (tipos 16 e 18) e 90% dos casos de verrugas (condilomas) genitais (tipos 6 e 11).
  • 14. Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
  • 15. Doença Inflamatória Pélvica (DIP) 15 O que é A doença inflamatória pélvica (DIP) pode ser causada por várias bactérias que atingem os órgãos sexuais internos da mulher, como útero, trompas e ovários, causando inflamações. Formas de contágio Essa infecção pode ocorrer por meio de contato com as bactérias após a relação sexual desprotegida. A maioria dos casos ocorre em mulheres que tem outra DST, principalmente gonorreia e clamídia não tratadas. Entretanto também pode ocorrer após algum procedimento médico local (inserção de DIU - Dispositivo Intra-Uterino, biópsia na parte interna do útero, curetagem).
  • 16. 16 Doença Inflamatória Pélvica (DIP) Sinais e sintomas •Dor na parte baixa do abdômen (no “pé da barriga” ou baixo ventre). •Pode haver secreção vaginal (do colo do útero). •Dor durante a relação sexual. •Febre •Desconforto abdominal, fadiga, dor nas costas e vômitos. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar imediatamente um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado.
  • 18. Donovanose 18 O que é É uma infecção causada pela bactéria Klebsiella granulomatis, que afeta a pele e mucosas das regiões da genitália, da virilha e do ânus. Causa úlceras e destrói a pele infectada. É mais frequente no Norte do Brasil e em pessoas com baixo nível socioeconômico e higiênico.
  • 19. Donovanose 19 Sinais e sintomas •Caroços e feridas vermelhas e sangramento fácil. •Lesão nos órgãos genitais que lentamente se transforma em úlcera ou caroço vermelho. A ferida pode atingir grandes áreas, danificar a pele em volta e facilitar a infecção por outras bactérias. Como as feridas não causam dor, a procura pelo tratamento pode ocorrer tardiamente, aumentando o risco de complicações. Tratamento O tratamento, com uso de antibióticos, deve ser prescrito pelo profissional de saúde após avaliação cuidadosa. Deve haver retorno após término do tratamento para avaliação de cura da infecção. É necessário evitar contato sexual até que os sintomas tenham desaparecidos e o tratamento finalizado.
  • 21. Hepatite 21 O que é Infecção das células hepáticas pelo HBV (Hepatitis B Virus), comumente chamada, inflamação do fígado. Podem apresentar tanto formas agudas, quanto crônicas de infecção, quando a doença persiste no organismo por mais de seis meses.
  • 22. Hepatite 22 Sinais e sintomas •Falta de apetite. •Febre. •Náuseas. •Vômitos. •Astenia, diarréia, dores articulares, icterícia (amarelamento da pele e mucosas). Pode evoluir para: Hepatite crônica, Cirrose hepática, Câncer do fígado (Hepatocarcinoma), além de formas agudas severas com coma hepático e óbito. Diagnóstico É feito através de exames realizados no sangue do paciente.
  • 23. Hepatite 23 Tratamento Não há medicamento para combater diretamente o agente da doença, tratam-se apenas os sintomas e as complicações. Prevenção Vacina, obtida por engenharia genética, com grande eficácia no desenvolvimento de níveis protetores de anticorpos (3 doses). Recomenda- se os mesmo cuidados descritos na prevenção da AIDS, ou seja, sexo seguro e cuidados com a manipulação do sangue.
  • 25. Herpes 25 O que é É uma doença causada por um vírus que, apesar de não ter cura, tem tratamento. Seus sintomas são geralmente pequenas bolhas agrupadas que se rompem e se transformam em feridas. Depois que a pessoa teve contato com o vírus, os sintomas podem reaparecer dependendo de fatores como estresse, cansaço, esforço exagerado, febre, exposição ao sol, traumatismo, uso prolongado de antibióticos e menstruação. Em homens e mulheres, os sintomas geralmente aparecem na região genital (pênis, ânus, vagina, colo do útero).
  • 26. Herpes 26 Formas de contágio O herpes genital é transmitido por meio de relação sexual (oral, anal ou vaginal) sem camisinha com uma pessoa infectada. Em mulheres, durante o parto, o vírus pode ser transmitido para o bebê se a gestante apresentar lesões por herpes. Por ser muito contagiosa, a primeira orientação dada a quem tem herpes é uma maior atenção aos cuidados de higiene: lavar bem as mãos, evitar contato direto das bolhas e feridas com outras pessoas e não furar as bolhas. Sinais e sintomas •Surgimento de pequenas bolhas na região genital (parte externa da vagina e na ponta do pênis), que se rompem formando feridas e desaparecem espontaneamente. •Formigamento, ardor e coceira no local, além de febre e mal-estar. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado. Não furar as bolhas e não aplicar pomadas no local sem recomendação profissional.
  • 27. HTLV
  • 28. HTLV 28 O que é A doença é causada pelo vírus T-linfotrópico humano (HTLV), que infecta as células de defesa do organismo, os linfócitos T. O HTLV foi o primeiro retrovírus humano isolado (no início da década de 1980) e é classificado em dois grupos: HTLV-I e HTLV-II. Formas de contágio A transmissão desse vírus se dá pelo sexo sem camisinha com uma pessoa infectada, compartilhamento de seringas e agulhas durante o uso de drogas e da mãe infectada para o recém-nascido (também chamado de transmissão vertical), principalmente pelo aleitamento materno. Evitar a doença não é difícil. Basta usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar seringa, agulha e outro objeto cortante com ninguém. O preservativo está disponível gratuitamente na rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a camisinha, ligue para o Disque Saúde (136).
  • 29. HTLV 29 Sinais e sintomas A maioria dos indivíduos infectados pelo HTLV não apresentam sintomas durante toda a vida. Mas um pequeno grupo dos infectados pode desenvolver manifestações clínicas graves, como alguns tipos de câncer, além de problemas musculares (polimiosite), nas articulações (artropatias), nos pulmões (pneumonite linfocítica), na pele (dermatites diversas), na região ocular (uveíte), além da síndrome de Sjögren, doença autoimune que destrói as glandulas que produzem lágrima e saliva. Tratamento Como o risco do desenvolvimento da doença associado ao HTLV é muito baixo, não há tratamento específico para a infecção. O paciente deve ser acompanhado em serviço de saúde especializado, para diagnosticar e tratar precocemente doenças que podem estar associadas.
  • 30. Linfogranuloma venéreo
  • 31. Linfogranuloma venéreo 31 O que é É uma infecção crônica causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que atinge os genitais e os gânglios da virilha. Formas de contágio A transmissão do linfogranuloma venéreo ocorre pelo sexo desprotegido com uma pessoa infectada. Por isso, é preciso usar camisinha sempre e cuidar da higiene íntima após a relação sexual.
  • 32. Linfogranuloma venéreo 32 Sinais e sintomas •Surgimento de ferida ou caroço muito pequeno que pode ser no pênis, vagina, boca, colo do útero e ânus (07 a 30 dias após o contágio) que dura, em média, de três a cinco dias. •Lesão passageira e de difícil identificação. •Dor nas articulações. •Febre e mal estar Entre duas a seis semanas após a ferida, surge um inchaço doloroso dos gânglios da virilha. Se esse inchaço não for tratado rápido, pode piorar e formar feridas com saída de secreção purulenta, além de deformidade local Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado, que consiste em uso de antibióticos por tempo determinado.
  • 34. Sífilis 34 O que é É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Podem se manifestar em três estágios. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura da doença. Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito na 1ª consulta do pré- natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental.
  • 35. Sífilis 35 Formas de contágio A sífilis pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante o sexo sem camisinha com alguém infectado, por transfusão de sangue contaminado ou da mãe infectada para o bebê durante a gestação ou o parto. O uso da camisinha em todas as relações sexuais e o correto acompanhamento durante a gravidez são meios simples, confiáveis e baratos de prevenir-se contra a sífilis. Diagnóstico Quando não há evidencia de sinais e ou sintomas, é necessário fazer um teste laboratorial. Mas, como o exame busca por anticorpos contra a bactéria, só pode ser feito a partir da primeira à terceira semana após o contágio.
  • 36. Sífilis 36 Sinais e sintomas Surgimento de pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas (ínguas), que surgem entre a 7 e 20 dias após o Contágio (primeiros sintomas). A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Mesmo sem tratamento, essas feridas podem desaparecer sem deixar cicatriz. Mas a pessoa continua doente e a doença se desenvolve. Ao alcançar um certo estágio, podem surgir manchas em várias partes do corpo (inclusive mãos e pés) e queda dos cabelos. Após algum tempo, que varia de pessoa para pessoa, as manchas também desaparecem, dando a ideia de melhora. A doença pode ficar estacionada por meses ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo, inclusive, levar à morte. Tratamento Recomenda-se procurar um profissional de saúde, pois só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado, dependendo de cada estágio. É importante seguir as orientações médicas para curar a doença.
  • 38. Tricomoníase 38 O que é É uma infecção causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis. Nas mulheres, ataca o colo do útero, a vagina e a uretra, e nos homens, o pênis. Formas de contágio A doença pode ser transmitida pelo sexo sem camisinha com uma pessoa infectada. Para evitá-la, é necessário usar camisinha em todas as relações sexuais (vaginais, orais ou anais). É a forma mais simples e eficaz de evitar uma doença sexualmente transmissível.
  • 39. Tricomoníase 39 Sinais e Sintomas •Corrimento abundante, amarelo ou amarelo-esverdeado, bolhoso e com forte odor fétido. •Dor durante a relação sexual. •Ardência e dificuldade para urinar. •Coceira nos órgãos sexuais. As pessoas infectadas podem não sentir alterações no organismo. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado. Os parceiros também precisam de tratamento, para que não haja nova contaminação da doença.
  • 40. 40