SlideShare uma empresa Scribd logo

Brasil pré colonial e colonial pdf

Resumo sobre o Brasil pré colonial e o Brasil Colonial - estruturas políticas, econômicas e sociais.

1 de 47
Baixar para ler offline
BRASIL
PERÍODO PRÉ – COLONIAL
PERÍODO COLONIAL
Brasil pré colonial e colonial pdf
Brasil pré colonial e colonial pdf
Brasil pré colonial e colonial pdf
1. ESPANHA X PORTUGAL
A – Bula Inter Coetera (1493):
o Linha imaginária traçada a 100
léguas de Cabo Verde.
o Terras a Leste – Portugal.
o Terras a Oeste – Espanha.
Tal tratado foi assinado sob as bênçãos da Igreja
Católica ( Papa Alexandre VI ) e pretendia pôr fim às
hostilidades políticas entre Portugal e Espanha.
B – Tratado de Tordesilhas (1494):
o Rei João II de Portugal discordou
da Bula “Inter Coetera” e exigiu a
revisão dos seus limites.
o Na cidade Tordesilhas a linha foi
deslocada a 370 léguas – Oeste.
o Terras a Leste – Portugal.
o Terras a Oeste – Espanha.
Brasil pré colonial e colonial pdf
2 – Período pré – colonial:
1500 1530
Descobrimento Exp. colonizadora
Cabral Martim Afonso
Brasil pré colonial e colonial pdf
A – Desinteresse português:
o Comércio com as Índias era mais
lucrativo (especiarias, artigos de
luxo).
o Dificuldade geográfica (Serra do
Mar) desestimulava o acesso.
o Não foram encontrados metais
preciosos de imediato.
B – Atividade Econômica:
Extrativismo Vegetal
o Extração de pau – brasil e de
outros produtos naturais.
Escambo:
o Mão – de – obra indígena em
troca de bugigangas.
o Exploração dos índios.
Brasil pré colonial e colonial pdf
Estanco (monopólio):
o O rei de Portugal monopolizava o
comércio de produtos de interesse
do Estado (madeira, ouro, prata).
o A extração de tais produtos só
ocorria com a sua autorização.
o Para isso expedia – se uma Carta
Régia (autorização).
Consequências:
o Extração predatória.
o Devastação da Mata Atlântica.
o Criação de feitorias ( entrepostos
comerciais – armazém – sede ).
Com a extração de pau – brasil não ocorreu a
ocupação do território. As feitorias pretendiam
ocupar e proteger o território das invasões
estrangeiras, principalmente francesas.
O saldo foi a devastação ambiental e a
exploração indígena.
3 – Período Colonial:
1530 1822
Exp.Colonizadora Independência
Martim A. Souza Política
A – Novos interesses:
Razões da Colonização
o Fracasso no comércio asiático.
o Descoberta de metais preciosos
na América Espanhola.
o O medo de perder o Brasil para
estrangeiros ( franceses ) que
rondavam o litoral.
B – Estrutura Colonial:
Colonizar
o No pensamento mercantilista
significava: ocupar,produzir,lucrar.
ANTIGO SISTEMA COLONIAL
Elementos constitutivos:
Absolutismo Monárquico e Mercantilismo.
Para acumular metais preciosos o Estado
absolutista utilizava o “superávit” comercial e
as colônias (matérias – primas e consumidores).
Mercantilismo:
o Política econômica do Estado
Absolutista (regras – intervenção).
Características básicas
o Intervencionismo Estatal.
o Protecionismo alfandegário.
o “Superávits” comerciais.
o Colonialismo.
M
E
T
A
L
I
S
M
O
ESTRUTURA DO MERCANTILISMO
REI
ESTADO COLÔNIA
BRG
Exploração:
Brasil e América Espanhola
o Latifúndios.
o Monocultura.
o Escravidão.
o Agroexportação.
o Dependência.
P
L
A
N
T
A
T
I
O
N
ESTRUTURA ECONÔMICA
PACTO COLONIAL:
MATER. PRIMAS E RIQUEZAS
COLÔNIA METRÓPOLE
MANUFATURAS E ESCRAVOS
Brasil pré colonial e colonial pdf
C – Expedição Colonizadora:
Martim Afonso de Souza
o Ocupar, colonizar, produzir.
o Expulsar os franceses do litoral.
o Fundar Vilas ( São Vicente ).
o Procurar metais preciosos.
o Conceder sesmarias (lotes).
o Iniciar empresa açucareira.
D – Capitanias Hereditárias:
Metas:
o Ocupação territorial.
o Terceirizar a colonização.
o Custos para a iniciativa privada.
o Utilizar sistema já conhecido.
o Garantir altos lucros.
Brasil pré colonial e colonial pdf
Características:
Capitão Donatário
o Nobre recebedor de terra.
o Direito de hereditariedade.
Divisão
o 15 lotes.
o 14 capitanias.
o 12 donatários.
Documentos formalizadores
Carta de Doação:
o Estabelecia tamanho, limites.
o Garantia concessão e direito à
hereditariedade.
Foral:
o Direitos e deveres das partes.
Razões do fracasso do sistema:
o Falta de capitais.
o Falta de comunicação externa.
o Falta de comunicação interna.
o Resistência indígena à invasão de
seu território.
o Desinteresse de vários nobres.
Brasil pré colonial e colonial pdf
São Vicente
o Primeira Vila fundada no Brasil.
o Açúcar, capitais e apoio do rei.
Pernambuco
o Clima e solo favoráveis ao açúcar.
o Capitais holandeses.
o Proximidade de Portugal.
E – Governo Geral:
Razões de sua implantação
o Resolver o fracasso do sistema
de Capitanias Hereditárias.
o Centralizar a administração.
o Retomar a posse e o controle da
administração colonial.
o Viabilizar lucros para Portugal.
REI PROVEDOR-MOR
(FINANÇAS)
GOV. GERAL
OUVIDOR-MOR
(JUSTIÇA)
CAPITANIAS
CÂMARAS CAPITÃO-MOR
MUNICIPAIS (DEFESA)
Tomé de Souza (1549 – 1553)
o Fundou Salvador – 1549.
o Trouxe primeiros jesuítas.
o Fundou 1º Bispado.
o Fundou 1º Colégio.
o Incentivou produção de açúcar.
o Incentivou a pecuária.
Duarte da Costa (1553 – 1558)
o Atritos com os índios.
o Morte de D. Pero F. Sardinha.
o Atritos com a Igreja Católica.
o Organizou Entradas (ouro/prata).
o Invasão Francesa (Rio de Janeiro).
o Fundação do Colégio de S. Paulo.
Mem de Sá (1558 – 1572)
o Incentivou a exportação.
o Estabeleceu paz com a Igreja.
o Expulsou os franceses.
Divisão – 1572 a 1578:
Norte – capital: Salvador.
Sul – capital: Rio de Janeiro.
F – Câmaras Municipais:
o Representavam localismo político.
o Domínio dos homens bons:
proprietários rurais e católicos.
Atribuições e poderes:
o Nomeações – cargos.
o Autorizar casas de comércio.
o Gerenciar impostos e finanças.
G – Economia Açucareira:
Base econômica da Colônia
o Altamente lucrativa.
o Clima e solo favoráveis.
o Conhecimento técnico.
o Experiência em outras colônias.
IMPORTANTE
Capitais holandeses garantiram a produção açucareira.
Empresários holandeses financiavam os engenhos em
troca do refino e da distribuição do açúcar na Europa.
Açúcar – Bases da “Plantation”
o Monocultura.
o Latifúndios.
o Escravidão.
o Agroexportação.
Por mais de dois séculos o açúcar
representou o “produto – rei” que
sustentou o Estado Metropolitano,
propiciando altos lucros a Portugal.
Brasil pré colonial e colonial pdf
Engenho:
Conjunto das instalações de uma
empresa açucareira: canavial,casa
grande,senzala,escravos,moenda,
casa de purgar,forno,oficinas, etc.
O engenho tornou – se a base da
vida econômica, política e social.
Brasil pré colonial e colonial pdf
Declínio do açúcar:
o Concorrência com os holandeses
que, expulsos do Brasil, foram
produzir açúcar nas Antilhas.
o Europa: descoberta do açúcar de
beterraba como concorrente.
o O Nordeste entrou em crise e
decadência econômica e social.
H – Atividades Acessórias:
Pecuária
o Tração, subsistência, transporte.
Subsistência
o Arroz, feijão, milho, mandioca.
Tabaco
o Moeda de troca por escravos.
Brasil pré colonial e colonial pdf
I – Sociedade:
Rural
o O engenho tornou – se o eixo das
relações sociais.
Estratificada e Imobilista
o Não havia movimentação social.
Patriarcal (machista)
o Homem: o elemento dominante.
Brasil pré colonial e colonial pdf

Recomendados

Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaMarcos Oliveira
 
Ciclo do açúcar
Ciclo do açúcarCiclo do açúcar
Ciclo do açúcarLucas Reis
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesMarcia Fernandes
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européiaedna2
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações Adail Silva
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaAulas de História
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaEdenilson Morais
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilDouglas Barraqui
 
Capitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCapitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCreusa Lima
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)Nefer19
 
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
1  colonizações espanhóis e ingleses na américa1  colonizações espanhóis e ingleses na américa
1 colonizações espanhóis e ingleses na américaMarilia Pimentel
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Isaquel Silva
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america edna2
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)Nefer19
 
Povoamento da américa
Povoamento da américaPovoamento da américa
Povoamento da américaZé Knust
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaJerry Guimarães
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOScarlosbidu
 

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Expansão territorial
Expansão territorialExpansão territorial
Expansão territorial
 
Brasil expansão territorial
Brasil expansão territorialBrasil expansão territorial
Brasil expansão territorial
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Capitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCapitanias hereditárias
Capitanias hereditárias
 
Brasil pré-colonial e colonial: 2020
Brasil pré-colonial e colonial: 2020Brasil pré-colonial e colonial: 2020
Brasil pré-colonial e colonial: 2020
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
 
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
1  colonizações espanhóis e ingleses na américa1  colonizações espanhóis e ingleses na américa
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america
 
Slide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 anoSlide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 ano
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Povoamento da américa
Povoamento da américaPovoamento da américa
Povoamento da américa
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
Esparta
EspartaEsparta
Esparta
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 

Destaque

Período Pré Colonial
Período Pré ColonialPeríodo Pré Colonial
Período Pré ColonialAlê Maldonado
 
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)dmflores21
 
Período pre colonial e colonial
Período pre colonial e colonialPeríodo pre colonial e colonial
Período pre colonial e colonialmundica broda
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completoKerol Brombal
 

Destaque (20)

Período Pré Colonial
Período Pré ColonialPeríodo Pré Colonial
Período Pré Colonial
 
Brasil Colônia I
Brasil Colônia IBrasil Colônia I
Brasil Colônia I
 
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
 
Período pre colonial e colonial
Período pre colonial e colonialPeríodo pre colonial e colonial
Período pre colonial e colonial
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Revolução industrial 2016
Revolução industrial 2016Revolução industrial 2016
Revolução industrial 2016
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 
Brasil ColôNia
Brasil ColôNiaBrasil ColôNia
Brasil ColôNia
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 
Brasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIIIBrasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIII
 
Brasil revoltas nativistas
Brasil revoltas nativistasBrasil revoltas nativistas
Brasil revoltas nativistas
 
Brasil índios
Brasil índiosBrasil índios
Brasil índios
 
História introdução e fundamentos
História introdução e fundamentosHistória introdução e fundamentos
História introdução e fundamentos
 
Revolução francesa 2016
Revolução francesa 2016Revolução francesa 2016
Revolução francesa 2016
 
Brasil negros no sistema colonial
Brasil negros no sistema colonialBrasil negros no sistema colonial
Brasil negros no sistema colonial
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
Questão palestina shr
Questão palestina shrQuestão palestina shr
Questão palestina shr
 
Eua potência imperialista
Eua potência imperialistaEua potência imperialista
Eua potência imperialista
 

Semelhante a Brasil pré colonial e colonial pdf

Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia datacursinhoembu
 
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Colonização portuguesa e inglesa na américa cap. 1
Colonização portuguesa e inglesa na américa   cap. 1Colonização portuguesa e inglesa na américa   cap. 1
Colonização portuguesa e inglesa na américa cap. 1Colégio Sagrada Família
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02eebcjn
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil ColôniaDaniel Alves Bronstrup
 
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 012° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil século xvi
Brasil   século xviBrasil   século xvi
Brasil século xviprojrp
 
A américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesaA américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesaPatrícia Sanches
 
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 cDaniel Alves Bronstrup
 
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaCap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaGustavo Cuin
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaÓcio do Ofício
 
3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano  - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 cDaniel Alves Bronstrup
 
História do Brasil : Brasil Colônia
História do Brasil : Brasil ColôniaHistória do Brasil : Brasil Colônia
História do Brasil : Brasil ColôniaMarilia Pimentel
 

Semelhante a Brasil pré colonial e colonial pdf (20)

Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
 
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
 
Colonização portuguesa e inglesa na américa cap. 1
Colonização portuguesa e inglesa na américa   cap. 1Colonização portuguesa e inglesa na américa   cap. 1
Colonização portuguesa e inglesa na américa cap. 1
 
Hist br am_colonial
Hist br am_colonialHist br am_colonial
Hist br am_colonial
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
Brasil Colonial XVI - XVII
Brasil Colonial   XVI - XVIIBrasil Colonial   XVI - XVII
Brasil Colonial XVI - XVII
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
 
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 012° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01
2° ano E.M. - Brasil Colônia - parte 01
 
Brasil século xvi
Brasil   século xviBrasil   século xvi
Brasil século xvi
 
Brasil: Século XVI
Brasil: Século XVIBrasil: Século XVI
Brasil: Século XVI
 
2º ano - Brasil Colônia - parte 1
2º ano - Brasil Colônia - parte 12º ano - Brasil Colônia - parte 1
2º ano - Brasil Colônia - parte 1
 
Historia do brasil
Historia do brasilHistoria do brasil
Historia do brasil
 
A américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesaA américa portuguesa e a presença holandesa
A américa portuguesa e a presença holandesa
 
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
 
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaCap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesa
 
3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano  - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano - Brasil Colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
 
História do Brasil : Brasil Colônia
História do Brasil : Brasil ColôniaHistória do Brasil : Brasil Colônia
História do Brasil : Brasil Colônia
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.
 

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia (20)

Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
Iluminismo 2021
 
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
 
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
 
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
 
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
 
Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
 
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
 
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistasBrasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
 
Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917
 
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
 
Islamismo 2021
Islamismo 2021Islamismo 2021
Islamismo 2021
 
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
 
Brasil Mineração (século XVIII)
Brasil  Mineração (século XVIII)Brasil  Mineração (século XVIII)
Brasil Mineração (século XVIII)
 
Neocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou ImperialismoNeocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou Imperialismo
 
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
 
Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021
 
Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Ideologias do século XIX
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...Prime Assessoria
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...Prime Assessoria
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...excellenceeducaciona
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Prime Assessoria
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
 

Brasil pré colonial e colonial pdf

  • 1. BRASIL PERÍODO PRÉ – COLONIAL PERÍODO COLONIAL
  • 5. 1. ESPANHA X PORTUGAL A – Bula Inter Coetera (1493): o Linha imaginária traçada a 100 léguas de Cabo Verde. o Terras a Leste – Portugal. o Terras a Oeste – Espanha. Tal tratado foi assinado sob as bênçãos da Igreja Católica ( Papa Alexandre VI ) e pretendia pôr fim às hostilidades políticas entre Portugal e Espanha.
  • 6. B – Tratado de Tordesilhas (1494): o Rei João II de Portugal discordou da Bula “Inter Coetera” e exigiu a revisão dos seus limites. o Na cidade Tordesilhas a linha foi deslocada a 370 léguas – Oeste. o Terras a Leste – Portugal. o Terras a Oeste – Espanha.
  • 8. 2 – Período pré – colonial: 1500 1530 Descobrimento Exp. colonizadora Cabral Martim Afonso
  • 10. A – Desinteresse português: o Comércio com as Índias era mais lucrativo (especiarias, artigos de luxo). o Dificuldade geográfica (Serra do Mar) desestimulava o acesso. o Não foram encontrados metais preciosos de imediato.
  • 11. B – Atividade Econômica: Extrativismo Vegetal o Extração de pau – brasil e de outros produtos naturais. Escambo: o Mão – de – obra indígena em troca de bugigangas. o Exploração dos índios.
  • 13. Estanco (monopólio): o O rei de Portugal monopolizava o comércio de produtos de interesse do Estado (madeira, ouro, prata). o A extração de tais produtos só ocorria com a sua autorização. o Para isso expedia – se uma Carta Régia (autorização).
  • 14. Consequências: o Extração predatória. o Devastação da Mata Atlântica. o Criação de feitorias ( entrepostos comerciais – armazém – sede ). Com a extração de pau – brasil não ocorreu a ocupação do território. As feitorias pretendiam ocupar e proteger o território das invasões estrangeiras, principalmente francesas. O saldo foi a devastação ambiental e a exploração indígena.
  • 15. 3 – Período Colonial: 1530 1822 Exp.Colonizadora Independência Martim A. Souza Política
  • 16. A – Novos interesses: Razões da Colonização o Fracasso no comércio asiático. o Descoberta de metais preciosos na América Espanhola. o O medo de perder o Brasil para estrangeiros ( franceses ) que rondavam o litoral.
  • 17. B – Estrutura Colonial: Colonizar o No pensamento mercantilista significava: ocupar,produzir,lucrar. ANTIGO SISTEMA COLONIAL Elementos constitutivos: Absolutismo Monárquico e Mercantilismo. Para acumular metais preciosos o Estado absolutista utilizava o “superávit” comercial e as colônias (matérias – primas e consumidores).
  • 18. Mercantilismo: o Política econômica do Estado Absolutista (regras – intervenção). Características básicas o Intervencionismo Estatal. o Protecionismo alfandegário. o “Superávits” comerciais. o Colonialismo. M E T A L I S M O
  • 20. Exploração: Brasil e América Espanhola o Latifúndios. o Monocultura. o Escravidão. o Agroexportação. o Dependência. P L A N T A T I O N
  • 21. ESTRUTURA ECONÔMICA PACTO COLONIAL: MATER. PRIMAS E RIQUEZAS COLÔNIA METRÓPOLE MANUFATURAS E ESCRAVOS
  • 23. C – Expedição Colonizadora: Martim Afonso de Souza o Ocupar, colonizar, produzir. o Expulsar os franceses do litoral. o Fundar Vilas ( São Vicente ). o Procurar metais preciosos. o Conceder sesmarias (lotes). o Iniciar empresa açucareira.
  • 24. D – Capitanias Hereditárias: Metas: o Ocupação territorial. o Terceirizar a colonização. o Custos para a iniciativa privada. o Utilizar sistema já conhecido. o Garantir altos lucros.
  • 26. Características: Capitão Donatário o Nobre recebedor de terra. o Direito de hereditariedade. Divisão o 15 lotes. o 14 capitanias. o 12 donatários.
  • 27. Documentos formalizadores Carta de Doação: o Estabelecia tamanho, limites. o Garantia concessão e direito à hereditariedade. Foral: o Direitos e deveres das partes.
  • 28. Razões do fracasso do sistema: o Falta de capitais. o Falta de comunicação externa. o Falta de comunicação interna. o Resistência indígena à invasão de seu território. o Desinteresse de vários nobres.
  • 30. São Vicente o Primeira Vila fundada no Brasil. o Açúcar, capitais e apoio do rei. Pernambuco o Clima e solo favoráveis ao açúcar. o Capitais holandeses. o Proximidade de Portugal.
  • 31. E – Governo Geral: Razões de sua implantação o Resolver o fracasso do sistema de Capitanias Hereditárias. o Centralizar a administração. o Retomar a posse e o controle da administração colonial. o Viabilizar lucros para Portugal.
  • 33. Tomé de Souza (1549 – 1553) o Fundou Salvador – 1549. o Trouxe primeiros jesuítas. o Fundou 1º Bispado. o Fundou 1º Colégio. o Incentivou produção de açúcar. o Incentivou a pecuária.
  • 34. Duarte da Costa (1553 – 1558) o Atritos com os índios. o Morte de D. Pero F. Sardinha. o Atritos com a Igreja Católica. o Organizou Entradas (ouro/prata). o Invasão Francesa (Rio de Janeiro). o Fundação do Colégio de S. Paulo.
  • 35. Mem de Sá (1558 – 1572) o Incentivou a exportação. o Estabeleceu paz com a Igreja. o Expulsou os franceses. Divisão – 1572 a 1578: Norte – capital: Salvador. Sul – capital: Rio de Janeiro.
  • 36. F – Câmaras Municipais: o Representavam localismo político. o Domínio dos homens bons: proprietários rurais e católicos. Atribuições e poderes: o Nomeações – cargos. o Autorizar casas de comércio. o Gerenciar impostos e finanças.
  • 37. G – Economia Açucareira: Base econômica da Colônia o Altamente lucrativa. o Clima e solo favoráveis. o Conhecimento técnico. o Experiência em outras colônias. IMPORTANTE Capitais holandeses garantiram a produção açucareira. Empresários holandeses financiavam os engenhos em troca do refino e da distribuição do açúcar na Europa.
  • 38. Açúcar – Bases da “Plantation” o Monocultura. o Latifúndios. o Escravidão. o Agroexportação. Por mais de dois séculos o açúcar representou o “produto – rei” que sustentou o Estado Metropolitano, propiciando altos lucros a Portugal.
  • 40. Engenho: Conjunto das instalações de uma empresa açucareira: canavial,casa grande,senzala,escravos,moenda, casa de purgar,forno,oficinas, etc. O engenho tornou – se a base da vida econômica, política e social.
  • 42. Declínio do açúcar: o Concorrência com os holandeses que, expulsos do Brasil, foram produzir açúcar nas Antilhas. o Europa: descoberta do açúcar de beterraba como concorrente. o O Nordeste entrou em crise e decadência econômica e social.
  • 43. H – Atividades Acessórias: Pecuária o Tração, subsistência, transporte. Subsistência o Arroz, feijão, milho, mandioca. Tabaco o Moeda de troca por escravos.
  • 46. Rural o O engenho tornou – se o eixo das relações sociais. Estratificada e Imobilista o Não havia movimentação social. Patriarcal (machista) o Homem: o elemento dominante.