P.i. alfabetização ação educativa

1.091 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

P.i. alfabetização ação educativa

  1. 1. AVM PEDAGOGIADisciplina: AlfabetizaçãoProfessora: Monica Machado<br />Grupo Ação Educativa<br />Adriana Teixeira<br />Bruno Gawryszewski<br /> Daniele Rosa<br />Elane Neves<br /> Maria Margarida Avelar<br /> Monica Rocha<br />
  2. 2. ENTREVISTAS<br />Profissionais da Educação Infantil e da Alfabetização <br />da Escola Municipal Edna Poncioni Ferreira<br />EDUCAÇÃO INFANTIL<br />Professora Silvia Vieira Machado<br />ALFABETIZAÇÃO<br />Professora Maria Isabel Baliu<br />
  3. 3. ALFABETIZAÇÃO<br />Pergunta: Como você trabalha a linguagem oral com seus alunos?<br />Resposta: Desenvolvo atividades que possibilitam momentos de interação social entre as crianças .Estimulo a habilidade de narrativas, desenvolvendo a criatividade e despertando nas crianças o gosto pela leitura.<br /> Em rodas de conversa e de contação de histórias, registro o processo realizado no trabalho com a linguagem oral, para que possa proporcionar a participação ativa deles com perguntas e interpretações orais.<br />
  4. 4. Qual a importância do grafismo na construção da linguagem escrita, nesta fase da educação?<br />R) Ele é muito importante, pois é a primeira forma de expressão; aluno manifesta sua emoção, revela como interpreta sua comunidade e as personagens que a compõe e desenvolvendo noções de espaço, tempo, quantidade, sequência, etc. necessárias para a construção da escrita.<br />
  5. 5. P) Como você insere as expressões plástica, sonora e corporal no seu planejamento?<br />R) Recorro ao repertório sociocultural, à tradição oral, para que possam construir novos saberes a partir dos que já possuem. Utilizo quadrinhos, músicas, poesias, narrativas, imagens, cantigas de roda, artesanato, pintura, modelagens, jogos e brincadeiras no cotidiano.<br /> A multiplicidade de linguagens enriquece a minha prática. Percebo que a aprendizagem tem significado para as crianças.<br />
  6. 6. P) Qual a sua opinião quanto à antecipação da escolarização obrigatória no Ensino Fundamental?<br />R) Achei ótima. Vivemos num mundo letrado onde a criança que cresce na região urbana principalmente, tem contato com propagandas, rótulos, etc. Na educação infantil ela terá contato com diferentes linguagens num ambiente propício ao desenvolvimento da sua autonomia e da sua criatividade, que facilitará o seu processo de alfabetização .<br />
  7. 7. ANO 1 ALFABETIZAÇÃO<br />Como você vem construindo os conhecimentos linguísticosna sua turma?<br />R) Articulando a linguagem oral com a linguagem escrita. <br />A criança, vivendo em um ambiente letrado, é capaz de antecipar algo sobre o que se escreve e estabelecer uma distinção clara entre o que pertence ao domínio oral e o escrito.<br />
  8. 8. P) Qual a sua opinião quanto ao ensino da norma culta?<br />R) Vejo a escola de ensino fundamental como o espaço próprio para introduzir o aluno nesse conhecimento. Não oferecer a norma culta da língua é manter o aluno pobre no estado de subordinação social no qual se encontra, e que a escolarização pode modificar.<br />
  9. 9. P) Você concorda com as queixas dos alunos, em relação à descontinuidade do trabalho com as expressões plásticas, sonoras e corporais quando chegam ao primeiro ano?<br />R) Acredito que ainda aconteça, embora possamos perceber com um simples olhar que este pensamento e prática já se transformaram, pois é sabido que a ludicidade ajuda a desenvolver o aprendizado integral da criança.<br />
  10. 10. P) Como você articula essa multiplicidade de linguagens na sua prática pedagógica?<br />R) Entendo que a leitura e a escrita se constroem no entrelaçamento da leitura de mundo e da palavra, logo, exploro o conhecimento que as crianças têm da língua a partir do repertório cultural delas e suas famílias, realizando pesquisa, leitura e escrita de cantigas de roda e ninar e estabelecendo uma relação profunda com os meus alunos.<br />
  11. 11. Conclusão do grupo em relação às entrevistas<br />O processo de alfabetização /letramento está no mundo e a criança vive nesse espaço. Então, esse processo tem seu início antes mesmo da criança ingressar na escola e se prolonga por toda vida.<br />
  12. 12. Percebemos que a prática pedagógica mudou e ainda precisa avançar mais, principalmente na capacitação do profissional que estará à frente desse grupo e na busca por ações que incentivem os alunos a quererem descobrir o novo . <br />Nas entrevistas realizadas ,notamos que o trabalho na escola é integrado, ou seja, o grupo planeja de forma continuada, sem haver ruptura no processo de aprendizagem, buscando a contextualização.<br />
  13. 13. “Violência na escola em tempo de web 2.0” <br />Entrevista/Depoimento da Coordenadora Pedagógica da escola, Profª Heloisa Guimarães.<br />Grupo: A escola possui algum projeto que trabalhe esse tema?<br />ProfªHeloisa: Sim. O tema violência está presente no projeto anual – “Cultura pela Paz” que é trabalhado em projetos menores ao longo do ano , com o atual – “Festas X Violência”<br />
  14. 14. A sala de leitura dá suporte ao projeto através da seleção e oferta de vários títulos relativos ao tema, para empréstimo aos alunos e para o trabalho docente.<br />Para o subtemaatual programou diversas modalidades de contação de histórias regionais, mostrando a riqueza de várias culturas e o respeito que devemos ter aos costumes diferentes dos nossos.<br />
  15. 15. A prática pedagógica com esse tema consiste em respeitar o outro, não discriminar. Entender as especificidades de cada um e aprender que o mundo necessita das diferenças para crescer, através de pequenos eventos que culminam com uma festa, para que eles aprendam a conviver com a diversidade.<br /> As crianças participam ativamente ,pois nosso objetivo é envolve-los em dinâmicas que propiciem a interação dos alunos de forma harmoniosa, criando um ambiente de tolerância na resolução de conflitos.<br />
  16. 16. CONCLUSÃO<br /> O grupo pode perceber que o planejamento da escola é muito bem elaborado e que há participação de todos na sua construção e que a prática de avaliar e (re)planejar acontece, corrigindo possíveis desvios e orientar o grupo.<br /> Vimos que as professoras entrevistadas trabalham contextualizando situações reais do meio social do aluno, trazendo discussões e problematizando-as, proporcionando, assim, uma aprendizagem significativa ao aluno.<br />
  17. 17. O tema “Violência e Escola” estava sendo trabalhado junto ao projeto Festa Junina, que tinha como objetivo trabalhar a festividade como um momento de alegria, confraternização, paz, distanciando-se de uma ocasião para brigas e discussões e lembrando que o Brasil é um pais continental, com uma riqueza de costumes que devem ser respeitados .<br />

×