SlideShare uma empresa Scribd logo
Série: Saberes para vida
Por Antônio Soares
QUAL É O SENTIDO DA VIDA?
De forma direta ou indiretamente todos nós buscamos o sentido da vida. O filósofo e Matemático Blaise Pascal (1623 –
1662) dizia que essa era uma tendência natural do ser humano. Ver um sentido nas coisas significa achar que a vida tem uma
causa, uma finalidade, uma razão – Ser feliz, construir um mundo melhor, amar as pessoas e promover a justiça entre elas.
Mesmo assim, a pergunta é difícil e as respostas são muitas, às vezes contraditórias. Para uns, quem dá sentido à vida
humana é Deus; para outros, é o próprio ser humano; alguns, ainda, acreditam que a vida simplesmente não tem sentido.
Observe algumas opiniões:
Uma professora afirmou: “O propósito da vida é descobrir a relação entre a matéria e o espírito no ser humano”
Um empresário disse: “Comprar um grande barco para cruzar os mares”
O Filósofo Sartre disse: “Tudo é absurdo: nascer e morrer, e no meio o desespero”.
Heine afirmou: “A vida é uma enfermidade, o mundo um hospital e a morte é o nosso médico”.
Mas a maioria das pessoas não consegue viver sem algum tipo de ideal ou sem buscar um sentido para a vida. As religiões
procuram justamente explicar o sentido é esse. Com isso, elas trazem conforto, esperança, bem-estar, felicidade, otimismo e
ações positivas.
Hoje, muitos pensadores dizem que não adianta qualquer busca de sentido. E um grande vazio tem penetrado na mente das
pessoas. O ser humano deixou de acreditar em si mesmo. Depois de acontecimentos terríveis no século XX, como a Segunda
Guerra Mundial, a bomba atômica, a miséria de tantos povos, as grandes ideais e as utopias humanas foram colocadas em
xeque. A ideia de construção de um mundo melhor esvaziou-se para muita gente. Cresceu também o número de pessoas que
não acreditam em Deus e aumentou o índice de depressão e angustia. A confiança no futuro ficou abalada.
Será a vida apenas dor, infelicidade, pobreza, guerra, pela sobrevivência, tédio? Nada se pode fazer para mudar? Não há
nenhuma esperança?
Vários filósofos foram responsáveis por essas ideais sobre o nada e a desesperança.
O principal deles foi Arthur Schopenhauer (1788 – 1860),que afirmou que os seres humanos têm dois inimigos difíceis a
serem vencidos: a dor e o sofrimento. Segundo o filósofo, o verdadeiro sentido da vida são a dor e o sofrimento, os seres
humanos vivem abandonados a si mesmos,na incerteza profunda do que acontecerá ansiosos e medrosos das coisas, cercado s
de ameaças terríveis. As desgraças humanas estão sempre por toda parte. É impossível ser otimista diante da vida, pois o que
espera o ser humano são sempre doenças, perseguições, pobreza e morte. O mundo pode ser comparado ao inferno, em que os
seres humanos ora são as almas perdidas,ora são os demônios destruidores.Para Schopenhauer,podemos amenizar as dores da
vida de três formas:
1) Por meio da experiência artística, que nos permitiria escapar do mundo, sair do tempo e entrar em outra dimensão,
libertando-nos dos males da existência;
2) Pelas dores dos outros, assim, esqueceríamos as nossas dores, olhando e procurando ajudar fraternalmente as dores
dos nossos semelhantes;
3) Vivendo uma vida de poucas necessidades, sem desejos de poder ou riquezas, assumindo voluntariamente a pobreza e
vencendo a vontade de viver.
Mas o que nos responde as sagradas letras?
Em Proverbios 8.35 diz: “ O que me acha acha a vida e alcança favor do Senhor” Outros afirmam que o sentido da vida
está em “ Ser algo de louvor de Deus,iluminando o caminho para os outros com a luz recebida das fontes eternas”.
Para o escritor russo Leon Tolstoi o sentido da vida é: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas
estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33).
Fontes:
 Chamada da meia noite
 Marilene Chauí
 Bíblia Pentecostal –CPAD.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia trabalhoformkt2007modif
Filosofia trabalhoformkt2007modifFilosofia trabalhoformkt2007modif
Filosofia trabalhoformkt2007modif
Jean Bartoli
 
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOSMINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
ESCRIBAVALDEMIR
 
A vida retribui_e_transf_
A vida retribui_e_transf_A vida retribui_e_transf_
A vida retribui_e_transf_
guest1edc15c
 

Mais procurados (14)

Herculano pires o sentido da vida
Herculano pires   o sentido da vidaHerculano pires   o sentido da vida
Herculano pires o sentido da vida
 
100 frases de Albert Schweitzer
100 frases de Albert Schweitzer   100 frases de Albert Schweitzer
100 frases de Albert Schweitzer
 
Filosofia contemporânea 3 ano
Filosofia contemporânea 3 anoFilosofia contemporânea 3 ano
Filosofia contemporânea 3 ano
 
Gestão de Conflitos
Gestão de ConflitosGestão de Conflitos
Gestão de Conflitos
 
A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)
 
O sentido da vida
O sentido da vidaO sentido da vida
O sentido da vida
 
Filosofia trabalhoformkt2007modif
Filosofia trabalhoformkt2007modifFilosofia trabalhoformkt2007modif
Filosofia trabalhoformkt2007modif
 
Suicídio falsa solução
Suicídio falsa soluçãoSuicídio falsa solução
Suicídio falsa solução
 
Rebeldia, matriz de distúrbios
Rebeldia, matriz de distúrbiosRebeldia, matriz de distúrbios
Rebeldia, matriz de distúrbios
 
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOSMINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
MINHA LUTA DE ADOLF HITLER COM COMENTÁRIOS
 
Lei de destruição – parte 2
Lei de destruição – parte 2Lei de destruição – parte 2
Lei de destruição – parte 2
 
A vida retribui_e_transf_
A vida retribui_e_transf_A vida retribui_e_transf_
A vida retribui_e_transf_
 
A vida e como
A vida e comoA vida e como
A vida e como
 
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
 

Destaque (9)

Ceu poesia
Ceu poesiaCeu poesia
Ceu poesia
 
O sentido da família
O sentido da famíliaO sentido da família
O sentido da família
 
A vida
A vidaA vida
A vida
 
Alegoría de la caverna
Alegoría de la cavernaAlegoría de la caverna
Alegoría de la caverna
 
Sentido de vida
Sentido de vidaSentido de vida
Sentido de vida
 
A Literatura Infantil e o Sentido da vida
A Literatura Infantil e o Sentido da vidaA Literatura Infantil e o Sentido da vida
A Literatura Infantil e o Sentido da vida
 
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
 
Prática do ensino
Prática do ensinoPrática do ensino
Prática do ensino
 
O valor de cada um
O valor de cada umO valor de cada um
O valor de cada um
 

Semelhante a Saberes para a vida( o sentido da vida)

Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolicaEutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
claudiaribeiro17
 
Morte e luto
Morte e lutoMorte e luto
Morte e luto
nu9000
 
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrerCapítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
Athirson Downloadz
 
Entendendo a vida evo consolador
Entendendo a vida evo consoladorEntendendo a vida evo consolador
Entendendo a vida evo consolador
marciot
 
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimirO homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
Antonio SSantos
 

Semelhante a Saberes para a vida( o sentido da vida) (20)

Revista Boa Vontade, edição 189
Revista Boa Vontade, edição 189Revista Boa Vontade, edição 189
Revista Boa Vontade, edição 189
 
Confessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptxConfessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptx
 
Programa - Depois da morte
Programa - Depois da mortePrograma - Depois da morte
Programa - Depois da morte
 
A alma é imortal
A alma é imortalA alma é imortal
A alma é imortal
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
 
Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolicaEutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
Eutanasia perspectivas da_doutrina_catolica
 
Sentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.pptSentido_da_vida.ppt
Sentido_da_vida.ppt
 
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.pptNascer_de_Novo_fesman.ppt
Nascer_de_Novo_fesman.ppt
 
Morte Filos ApresentaçãO
Morte Filos ApresentaçãOMorte Filos ApresentaçãO
Morte Filos ApresentaçãO
 
A contradição humana
A contradição humanaA contradição humana
A contradição humana
 
Morte e luto
Morte e lutoMorte e luto
Morte e luto
 
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrerCapítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
Capítulo 8 Filosofando - Aprender a morrer
 
Entendendo a vida evo consolador
Entendendo a vida evo consoladorEntendendo a vida evo consolador
Entendendo a vida evo consolador
 
PALESTRA VIVER VALE A PENA.pdf
PALESTRA VIVER VALE A PENA.pdfPALESTRA VIVER VALE A PENA.pdf
PALESTRA VIVER VALE A PENA.pdf
 
Morte e Luto
Morte e Luto Morte e Luto
Morte e Luto
 
Gestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conageGestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conage
 
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásiaTerminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
Terminalidade, a eutanásia, a distanásia e ortotanásia
 
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimirO homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
 
Revista Boa Vontade, edição 195
Revista Boa Vontade, edição 195Revista Boa Vontade, edição 195
Revista Boa Vontade, edição 195
 
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia ContemporâneaAula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
 

Mais de Antonio Filho

O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
Antonio Filho
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Antonio Filho
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
Antonio Filho
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpios
Antonio Filho
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Antonio Filho
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
Antonio Filho
 

Mais de Antonio Filho (20)

Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)
 
A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
 
Exposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasExposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticas
 
A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.
 
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017
 
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
 
Princípios para vida
Princípios para vidaPrincípios para vida
Princípios para vida
 
Cultivar virtudes
Cultivar virtudesCultivar virtudes
Cultivar virtudes
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpios
 
A igreja de cristo
A igreja de cristoA igreja de cristo
A igreja de cristo
 
Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017
 
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º ano
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
 

Último

GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 

Último (20)

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

Saberes para a vida( o sentido da vida)

  • 1. Série: Saberes para vida Por Antônio Soares QUAL É O SENTIDO DA VIDA? De forma direta ou indiretamente todos nós buscamos o sentido da vida. O filósofo e Matemático Blaise Pascal (1623 – 1662) dizia que essa era uma tendência natural do ser humano. Ver um sentido nas coisas significa achar que a vida tem uma causa, uma finalidade, uma razão – Ser feliz, construir um mundo melhor, amar as pessoas e promover a justiça entre elas. Mesmo assim, a pergunta é difícil e as respostas são muitas, às vezes contraditórias. Para uns, quem dá sentido à vida humana é Deus; para outros, é o próprio ser humano; alguns, ainda, acreditam que a vida simplesmente não tem sentido. Observe algumas opiniões: Uma professora afirmou: “O propósito da vida é descobrir a relação entre a matéria e o espírito no ser humano” Um empresário disse: “Comprar um grande barco para cruzar os mares” O Filósofo Sartre disse: “Tudo é absurdo: nascer e morrer, e no meio o desespero”. Heine afirmou: “A vida é uma enfermidade, o mundo um hospital e a morte é o nosso médico”. Mas a maioria das pessoas não consegue viver sem algum tipo de ideal ou sem buscar um sentido para a vida. As religiões procuram justamente explicar o sentido é esse. Com isso, elas trazem conforto, esperança, bem-estar, felicidade, otimismo e ações positivas. Hoje, muitos pensadores dizem que não adianta qualquer busca de sentido. E um grande vazio tem penetrado na mente das pessoas. O ser humano deixou de acreditar em si mesmo. Depois de acontecimentos terríveis no século XX, como a Segunda Guerra Mundial, a bomba atômica, a miséria de tantos povos, as grandes ideais e as utopias humanas foram colocadas em xeque. A ideia de construção de um mundo melhor esvaziou-se para muita gente. Cresceu também o número de pessoas que não acreditam em Deus e aumentou o índice de depressão e angustia. A confiança no futuro ficou abalada. Será a vida apenas dor, infelicidade, pobreza, guerra, pela sobrevivência, tédio? Nada se pode fazer para mudar? Não há nenhuma esperança? Vários filósofos foram responsáveis por essas ideais sobre o nada e a desesperança. O principal deles foi Arthur Schopenhauer (1788 – 1860),que afirmou que os seres humanos têm dois inimigos difíceis a serem vencidos: a dor e o sofrimento. Segundo o filósofo, o verdadeiro sentido da vida são a dor e o sofrimento, os seres humanos vivem abandonados a si mesmos,na incerteza profunda do que acontecerá ansiosos e medrosos das coisas, cercado s de ameaças terríveis. As desgraças humanas estão sempre por toda parte. É impossível ser otimista diante da vida, pois o que espera o ser humano são sempre doenças, perseguições, pobreza e morte. O mundo pode ser comparado ao inferno, em que os seres humanos ora são as almas perdidas,ora são os demônios destruidores.Para Schopenhauer,podemos amenizar as dores da vida de três formas: 1) Por meio da experiência artística, que nos permitiria escapar do mundo, sair do tempo e entrar em outra dimensão, libertando-nos dos males da existência; 2) Pelas dores dos outros, assim, esqueceríamos as nossas dores, olhando e procurando ajudar fraternalmente as dores dos nossos semelhantes; 3) Vivendo uma vida de poucas necessidades, sem desejos de poder ou riquezas, assumindo voluntariamente a pobreza e vencendo a vontade de viver. Mas o que nos responde as sagradas letras? Em Proverbios 8.35 diz: “ O que me acha acha a vida e alcança favor do Senhor” Outros afirmam que o sentido da vida está em “ Ser algo de louvor de Deus,iluminando o caminho para os outros com a luz recebida das fontes eternas”. Para o escritor russo Leon Tolstoi o sentido da vida é: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). Fontes:  Chamada da meia noite  Marilene Chauí  Bíblia Pentecostal –CPAD.