SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
E
PROJETO DIDÁTICO
Refletiremos, ainda, sobre a
questão da diversificação das
atividades e das formas de
agrupamento dos alunos,
assim como acerca do
atendimento específico a
alunos que
estejam com dificuldades em
seu processo de
alfabetização.
- Entender a concepção de
alfabetização na
perspectiva do letramento,
considerando o fenômeno
da heterogeneidade como
intrínseco aos processos
educativos;
Os objetivos são:
- Criar um ambiente
alfabetizador, que
favoreça a aprendizagem,
considerando a
heterogeneidade de
conhecimentos dos
aprendizes no processo
de alfabetização;
- Compreender a
importância de
organizar diferentes
agrupamentos em sala
de aula, considerando a
heterogeneidade de
aprendizagens, e
adequando os modos de
organização da turma
aos objetivos
pretendidos;;
- Planejar o ensino na
alfabetização, analisando
e criando propostas de
organização de rotinas da
alfabetização na
perspectiva do
letramento, adequando-as
às diferentes
necessidades de
aprendizagem dos alunos;
- Analisar e planejar
projetos didáticos e
sequências didáticas para
turmas de alfabetização,
contemplando crianças
que tenham diferentes
conhecimentos sobre a
escrita;
- Compreender a
importância da avaliação
no ciclo de alfabetização,
refletindo sobre a função
do diagnóstico no
acompanhamento das
aprendizagens realizadas
pelos alunos e na
(re)organização do ensino
a eles proposto;
- Conhecer os recursos
didáticos distribuídos pelo
Ministério da Educação e
planejar situações
didáticas em que tais
materiais sejam usados.
DINAMICA – VAMOS
BRINCAR UM
POUQUINHO...
HISTÓRIA DO BONECO DE BORRACHA
Era uma vez um boneco de borracha que
ficava de todos os jeitos com o corpo, mas não
falava, não fazia barulho e mexia-se bem
devagar.
Ele gostava de passear no jardim olhando
as flores coloridas, os pássaros, as borboletas e
as abelhas que voavam no alto.
De repente, veio um vento forte...Nossa! O
boneco de borracha ficou torto e agora ele
anda todo torto, virado só para um lado.
E assim ele continuou o passeio. Ufa! O
vento parou, e ele então voltou ao normal.
Agora ele conseguia andar tanto para frente
como para trás.
O vento voltou de novo. Ai, ele entortou-
se para frente e anda olhando para baixo.
Parece até que procura alguma coisa no chão.
Mas de repente, o vento mudou de
direção e fez o boneco entortar-se para trás.
Agora ele só vê o que está lá no alto: O céu, os
pássaros e as borboletas.
Finalmente o vento parou de vez. O
boneco de borracha endireitou-se e continuou
o passeio observando tudo que estava ao seu
redor.
Engraçado é que quando o boneco de
borracha chegava perto de uma árvore ficava
bem magrinho e bem comprido, do tamanho da
árvore. Então o boneco andava elegante,
esticado e comprido, quase alcançando o céu.
Quando chegava perto de uma roseira e
sentia o cheiro das rosas, o boneco ficava todo
gordo e pesado, como um elefantinho. Para
andar, até fazia um barulhão.
Ah! O boneco de borracha estava cansado
de tanto passear. Então ele deitou-se no chão
para descansar e... surpresa! Ele ficou
pequenininho, encolhidinho. Podia até caber
numa caixa de sapato. Bem pequeno mesmo.
De repente crescia, crescia, espalhava-se
para todos os lados, crescia, crescia e crescia.
Crescia tanto que ocupava um grande espaço
no chão.
Ficava pequeno de novo, pequeno,
pequeno, bem pequeno e adormecia todo
pequenininho.
Até que amanheceu o sol. O boneco de
borracha, que estava quietinho, foi se mexendo
devagar, esticando-se para todos os lados,
esticando os pés, as pernas, o tronco, os dedos,
as mãos e os braços.
Ele levantou-se e virou gente, agora sim,
ele consegue conversar, falar bem baixinho,
com quem está perto dele.
Essa é a história do boneco de borracha
que virou gente.
Dividir os grupos e fazer a leitura dos textos:
 Heterogeneidade e direitos de
aprendizagem na alfabetização: os diferentes
percursos dos estudantes;
 Planejando o ensino para todos:
Diversificação no trabalho docente
Escrita também é coisa
de criança
Observarmos algumas
obras de Artes de:
• Tarsila do Amaral
Biografia
• Claude Monet
ATIVIDADES:
Retomem os quadros de
Direito de Arte e após
identifiquem atividades nos
livros didáticos em que
estejam contemplados tais
Direitos, bem como, analise se
as propostas de tais
livros levam em conta
a heterogeneidade.
( dois grupos por fase;
tendo 30 minutos para análise )
APRESENTAÇÃO DA
ANÁLISE DO LIVRO
DIDÁTICO
10 minutos para apresentação.
Leiam individualmente
unidade sete (15 minutos) os
textos do Aprofundando o
tema para que respondam
alguns questionamentos.
Agora vamos formar dois
grupos (grupo de
verbalização e grupo de
observação); sortear as
questões que serão discutidas.
(10 minutos para cada questão)

 1 - Os alunos aprendem
as mesmas coisas, da
mesma forma e no
mesmo momento? Por
quê?
 Como você acompanha
os conhecimentos
sobre o SEA que os
alunos constroem ao
longo do ano letivo?
 Que estratégias você
utilizaria para atender
aos alunos com
defasagem de
aprendizagem na
alfabetização?
 2- Como nós, professores,
podemos organizar nossa
prática pedagógica, de
modo que os
alfabetizandos de
diferentes níveis possam
aprender a ler e escrever,
considerando suas reais
necessidades?
 Como envolver outros
educadores da escola e
os pais, de modo a
atender as crianças que
estão com mais
dificuldade em se
alfabetizar?
..
..
TANGRAM
- Elaborar e Montar
uma história com
Tangram , abordando
os Direitos de Arte.
TAREFA
- O Professor
alfabetizador deverá
elaborar um
PROJETO DIDÁTICO,
levando em conta a
participação dos
alunos na
elaboração.
Após a execução do
projeto, o
alfabetizador deverá
apresentar o relato
da sua experiência
em PowerPoint ao
Orientador de
Estudos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Animação da leitura atividade 2 o beijo da palavrinha
Animação da leitura atividade 2  o beijo da palavrinhaAnimação da leitura atividade 2  o beijo da palavrinha
Animação da leitura atividade 2 o beijo da palavrinhaLucília Lopes
 
A maior flor do mundo planificação
A maior flor do mundo   planificaçãoA maior flor do mundo   planificação
A maior flor do mundo planificaçãoLucília Lopes
 
Dinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoDinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoJairtes Lima
 
Pauta 6º encontro
Pauta 6º encontroPauta 6º encontro
Pauta 6º encontroLuciana
 
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioPlano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioMaria Almeida
 
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arte
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arteAcompanhamento da metodologia e conteúdos de arte
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arteAndreia Carla Lobo
 
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioPlano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioMaria Almeida
 
Dinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoDinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoJairtes Lima
 

Mais procurados (9)

Animação da leitura atividade 2 o beijo da palavrinha
Animação da leitura atividade 2  o beijo da palavrinhaAnimação da leitura atividade 2  o beijo da palavrinha
Animação da leitura atividade 2 o beijo da palavrinha
 
A maior flor do mundo planificação
A maior flor do mundo   planificaçãoA maior flor do mundo   planificação
A maior flor do mundo planificação
 
Dinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoDinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptação
 
Pauta 6º encontro
Pauta 6º encontroPauta 6º encontro
Pauta 6º encontro
 
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioPlano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
 
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arte
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arteAcompanhamento da metodologia e conteúdos de arte
Acompanhamento da metodologia e conteúdos de arte
 
1º encontro resumo
1º encontro   resumo1º encontro   resumo
1º encontro resumo
 
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maioPlano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
Plano de tarefas semanais 25 a 29 de maio
 
Dinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptaçãoDinâmicas de adaptação
Dinâmicas de adaptação
 

Semelhante a Unidade sete - pacto pela alfabetização

Sequência didática ermantina
Sequência didática  ermantinaSequência didática  ermantina
Sequência didática ermantinarbonater
 
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...ProfCibellePires
 
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...Andreá Perez Leinat
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAÉrica Camargo
 
Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1cfvila
 
Resumo Tp4 Unid 15 (1)
Resumo   Tp4 Unid 15 (1)Resumo   Tp4 Unid 15 (1)
Resumo Tp4 Unid 15 (1)christall2009
 
As estratégias didácticas pedagógicas da leitura
As estratégias didácticas pedagógicas da leituraAs estratégias didácticas pedagógicas da leitura
As estratégias didácticas pedagógicas da leituraUniversidade Pedagogica
 
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história ElieneDias
 
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagemO ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagemRogério Almeida
 

Semelhante a Unidade sete - pacto pela alfabetização (20)

Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
Sequência didática ermantina
Sequência didática  ermantinaSequência didática  ermantina
Sequência didática ermantina
 
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...
Apresentação 3º Encontro Presencial_Ciclo Formativo Municipal_Pauta Docência ...
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...Pacto Nacional  pela Alfabetização na Idade Certa,  ano 1, unidade 2  - Plane...
Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, ano 1, unidade 2 - Plane...
 
Revisão textual
Revisão textualRevisão textual
Revisão textual
 
Análise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJAAnálise de livro didático-CEREJA
Análise de livro didático-CEREJA
 
Formação de professores 2013
Formação de professores 2013Formação de professores 2013
Formação de professores 2013
 
Leit e interpret_vol1
Leit e interpret_vol1Leit e interpret_vol1
Leit e interpret_vol1
 
Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1Slide jornada 1 - Fundamental 1
Slide jornada 1 - Fundamental 1
 
Resumo Tp4 Unid 15 (1)
Resumo   Tp4 Unid 15 (1)Resumo   Tp4 Unid 15 (1)
Resumo Tp4 Unid 15 (1)
 
Resumo Tp4 Unid 15
Resumo   Tp4 Unid 15Resumo   Tp4 Unid 15
Resumo Tp4 Unid 15
 
5º encontro
5º encontro5º encontro
5º encontro
 
Ot 23 08-2010[1]
Ot 23 08-2010[1]Ot 23 08-2010[1]
Ot 23 08-2010[1]
 
As estratégias didácticas pedagógicas da leitura
As estratégias didácticas pedagógicas da leituraAs estratégias didácticas pedagógicas da leitura
As estratégias didácticas pedagógicas da leitura
 
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
PNAIC - Direitos de aprendizagem em história
 
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagemO ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
 
Didatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendênciasDidatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendências
 
Projeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_loboProjeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_lobo
 
Sequência didática
Sequência didáticaSequência didática
Sequência didática
 

Mais de Andreá Perez Leinat (20)

Caderno 03
Caderno 03Caderno 03
Caderno 03
 
A bota do bode
A bota do bodeA bota do bode
A bota do bode
 
Historia com sequencia
Historia com sequenciaHistoria com sequencia
Historia com sequencia
 
Unidade seis
Unidade seisUnidade seis
Unidade seis
 
Funcionários e educadores certo/ profuncionários
Funcionários e educadores certo/ profuncionáriosFuncionários e educadores certo/ profuncionários
Funcionários e educadores certo/ profuncionários
 
Creche oficina/ Vila Bela
Creche oficina/ Vila BelaCreche oficina/ Vila Bela
Creche oficina/ Vila Bela
 
Fotos da unidade cinco
Fotos da unidade cincoFotos da unidade cinco
Fotos da unidade cinco
 
História um amor de confusão, de dulce rangel
História um amor de confusão, de dulce rangelHistória um amor de confusão, de dulce rangel
História um amor de confusão, de dulce rangel
 
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlbergO carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
 
Apresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cincoApresentação da unidade cinco
Apresentação da unidade cinco
 
Fotos
FotosFotos
Fotos
 
História do dez sacizinhos
História do dez sacizinhosHistória do dez sacizinhos
História do dez sacizinhos
 
O chá das dez
O chá das dezO chá das dez
O chá das dez
 
Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1
 
Marianece
MarianeceMarianece
Marianece
 
Janece
JaneceJanece
Janece
 
Pacto nacional para alfabetização na idade certa padre nazareno
Pacto nacional para alfabetização na idade certa padre nazarenoPacto nacional para alfabetização na idade certa padre nazareno
Pacto nacional para alfabetização na idade certa padre nazareno
 
Sequência didática luciana
Sequência didática lucianaSequência didática luciana
Sequência didática luciana
 
Kelvia
KelviaKelvia
Kelvia
 
Imprimir 2
Imprimir 2Imprimir 2
Imprimir 2
 

Unidade sete - pacto pela alfabetização

  • 2. Refletiremos, ainda, sobre a questão da diversificação das atividades e das formas de agrupamento dos alunos, assim como acerca do atendimento específico a alunos que estejam com dificuldades em seu processo de alfabetização.
  • 3. - Entender a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento, considerando o fenômeno da heterogeneidade como intrínseco aos processos educativos; Os objetivos são:
  • 4. - Criar um ambiente alfabetizador, que favoreça a aprendizagem, considerando a heterogeneidade de conhecimentos dos aprendizes no processo de alfabetização;
  • 5. - Compreender a importância de organizar diferentes agrupamentos em sala de aula, considerando a heterogeneidade de aprendizagens, e adequando os modos de organização da turma aos objetivos pretendidos;;
  • 6. - Planejar o ensino na alfabetização, analisando e criando propostas de organização de rotinas da alfabetização na perspectiva do letramento, adequando-as às diferentes necessidades de aprendizagem dos alunos;
  • 7. - Analisar e planejar projetos didáticos e sequências didáticas para turmas de alfabetização, contemplando crianças que tenham diferentes conhecimentos sobre a escrita;
  • 8. - Compreender a importância da avaliação no ciclo de alfabetização, refletindo sobre a função do diagnóstico no acompanhamento das aprendizagens realizadas pelos alunos e na (re)organização do ensino a eles proposto;
  • 9. - Conhecer os recursos didáticos distribuídos pelo Ministério da Educação e planejar situações didáticas em que tais materiais sejam usados.
  • 10. DINAMICA – VAMOS BRINCAR UM POUQUINHO...
  • 11. HISTÓRIA DO BONECO DE BORRACHA Era uma vez um boneco de borracha que ficava de todos os jeitos com o corpo, mas não falava, não fazia barulho e mexia-se bem devagar. Ele gostava de passear no jardim olhando as flores coloridas, os pássaros, as borboletas e as abelhas que voavam no alto.
  • 12. De repente, veio um vento forte...Nossa! O boneco de borracha ficou torto e agora ele anda todo torto, virado só para um lado. E assim ele continuou o passeio. Ufa! O vento parou, e ele então voltou ao normal. Agora ele conseguia andar tanto para frente como para trás.
  • 13. O vento voltou de novo. Ai, ele entortou- se para frente e anda olhando para baixo. Parece até que procura alguma coisa no chão. Mas de repente, o vento mudou de direção e fez o boneco entortar-se para trás. Agora ele só vê o que está lá no alto: O céu, os pássaros e as borboletas.
  • 14. Finalmente o vento parou de vez. O boneco de borracha endireitou-se e continuou o passeio observando tudo que estava ao seu redor. Engraçado é que quando o boneco de borracha chegava perto de uma árvore ficava bem magrinho e bem comprido, do tamanho da árvore. Então o boneco andava elegante, esticado e comprido, quase alcançando o céu.
  • 15. Quando chegava perto de uma roseira e sentia o cheiro das rosas, o boneco ficava todo gordo e pesado, como um elefantinho. Para andar, até fazia um barulhão. Ah! O boneco de borracha estava cansado de tanto passear. Então ele deitou-se no chão para descansar e... surpresa! Ele ficou pequenininho, encolhidinho. Podia até caber numa caixa de sapato. Bem pequeno mesmo.
  • 16. De repente crescia, crescia, espalhava-se para todos os lados, crescia, crescia e crescia. Crescia tanto que ocupava um grande espaço no chão. Ficava pequeno de novo, pequeno, pequeno, bem pequeno e adormecia todo pequenininho.
  • 17. Até que amanheceu o sol. O boneco de borracha, que estava quietinho, foi se mexendo devagar, esticando-se para todos os lados, esticando os pés, as pernas, o tronco, os dedos, as mãos e os braços.
  • 18. Ele levantou-se e virou gente, agora sim, ele consegue conversar, falar bem baixinho, com quem está perto dele. Essa é a história do boneco de borracha que virou gente.
  • 19.
  • 20. Dividir os grupos e fazer a leitura dos textos:  Heterogeneidade e direitos de aprendizagem na alfabetização: os diferentes percursos dos estudantes;  Planejando o ensino para todos: Diversificação no trabalho docente
  • 21.
  • 22.
  • 23. Escrita também é coisa de criança
  • 24.
  • 25.
  • 26. Observarmos algumas obras de Artes de: • Tarsila do Amaral Biografia • Claude Monet
  • 27.
  • 28.
  • 29. ATIVIDADES: Retomem os quadros de Direito de Arte e após identifiquem atividades nos livros didáticos em que estejam contemplados tais Direitos, bem como, analise se as propostas de tais livros levam em conta a heterogeneidade. ( dois grupos por fase; tendo 30 minutos para análise )
  • 30. APRESENTAÇÃO DA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO 10 minutos para apresentação.
  • 31.
  • 32. Leiam individualmente unidade sete (15 minutos) os textos do Aprofundando o tema para que respondam alguns questionamentos. Agora vamos formar dois grupos (grupo de verbalização e grupo de observação); sortear as questões que serão discutidas. (10 minutos para cada questão)
  • 33.   1 - Os alunos aprendem as mesmas coisas, da mesma forma e no mesmo momento? Por quê?  Como você acompanha os conhecimentos sobre o SEA que os alunos constroem ao longo do ano letivo?
  • 34.  Que estratégias você utilizaria para atender aos alunos com defasagem de aprendizagem na alfabetização?
  • 35.  2- Como nós, professores, podemos organizar nossa prática pedagógica, de modo que os alfabetizandos de diferentes níveis possam aprender a ler e escrever, considerando suas reais necessidades?
  • 36.  Como envolver outros educadores da escola e os pais, de modo a atender as crianças que estão com mais dificuldade em se alfabetizar?
  • 37. ..
  • 38.
  • 39.
  • 40. ..
  • 41. TANGRAM - Elaborar e Montar uma história com Tangram , abordando os Direitos de Arte.
  • 42.
  • 43. TAREFA - O Professor alfabetizador deverá elaborar um PROJETO DIDÁTICO, levando em conta a participação dos alunos na elaboração.
  • 44. Após a execução do projeto, o alfabetizador deverá apresentar o relato da sua experiência em PowerPoint ao Orientador de Estudos.