“Manifestado especialmente pela arte, mas manchando também com violência os
costumes sociais e políticos, o movimento mode...

Revezamento do poder
nacional executada na
República Velha pelos
estados de São Paulo-
produção de café - e
Minas Gerais...
SURGIMENTO DA BURGUESIA INDUSTRIAL, PRINCIPALMENTE EM
SÃO PAULO
A Primeira Guerra Mundial gerou um surto de industrializa...
Que se dirigiam para regiões economicamente prósperas , tanto na zona
rural, onde havia o café, como na zona urbana, onde ...
Uma burguesia de caráter
reivindicatório, formada
entre outros, por
funcionários
públicos, comerciantes, m
ilitares, e pro...
A massa urbana em São Paulo era constituída de tipos muito
diversos. Poderíamos encontrar pela cidade andando na mesma
cal...
ANTECEDENTES DA SEMANA DE ARTE MODERNA
•1911 - Oswald de Andrade funda o semanário
humorístico O Pirralho.
•1912 - Oswald de Andrade traz da Europa ideias futuristas de Marinetti
- Último passeio de um tuberculoso, pela cidade, d...
•1915 - Marco inicial do Modernismo em Portugal => Revista Orpheu
(Almada Negreros, Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro...
1917 - Exposição de Anita Malfatti.
•1918 - Publicação de Messidor, de G. de Almeida.
- Publicação de Carnaval, de M. Bandeira.
•1920 - O grupo de jovens mode...
•1921 - Manifesto do Trianon, em homenagem a Menotti del
Picchia, por ocasião do lançamento de seu livro As Máscaras / Crí...
:
Mário de Andrade
Oswald de Andrade
Ronald de Carvalho
Anita Malfatti
Tarsila do Amaral
Di Cavalcante
Heitor Villa-Lobos
Foi, como se esperava: um
notável fracasso, a recita de
ontem da pomposa Semana de
arte moderna, que melhor e
mais acertad...
Não é só um problema de
estética, mas deve ser estudado como
fenômeno de patologia mental. Todas
as extravagâncias do futu...
O desejo incontido de “chamar a atenção” e
ingenuidade de certos espíritos desprovidos
de qualquer preparo, o desequilíbri...
Nós, que pensamos que a grande arte
deve ser compreendida, por
todos, esperamos, cheios de
curiosidade, a realização desse...
De um lado artistas de fama faziam
versos, recitavam trechos de
prosa, enchiam o ambiente de harmonia.
De outro alguns ind...
13 de fevereiro – 1º festival
 Exposição de telas: Anita
Mafalti, Di Cavalcante, John
Graz, Zina Aita, Almeida Prado e
Vi...
15 de fevereiro – 2º festival
 Conferências: Arte e
estética, de Menotti Del Picchia;
Perennis poesia, de Renato de
Almei...
“Mas como tive coragem pra dizer versos diante duma vaia tão
barulhenta que eu não escutava no palco o que Paulo Prado me
...
17 de fevereiro: 3º festival
 Conferência: Reafirmação dos
objetivos fundamentais do
modernistas brasileiro.
 Apresentaç...
Oswald de AndradeMário de AndradeManuel BandeiraGraça Aranha
 Klaxon – primitivista e futurista
divulgar as propostas do
modernismo;
 Manifesto da poesia pau-brasil
– incentivar a i...
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura

3.078 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura

  1. 1. “Manifestado especialmente pela arte, mas manchando também com violência os costumes sociais e políticos, o movimento modernista foi o prenunciador, o preparador e por muitas partes o criador de um estado de espírito nacional. A transformação do mundo, com o enfraquecimento gradativo dos grandes impérios, com a prática europeia de novos ideais políticos, a rapidez dos transportes e mil e uma outras causas internacionais, bem como o desenvolvimento da consciência americana e brasileira, os progressos internos da técnica e da educação, impunham a criação de um espírito novo e exigiam a reverificação e mesmo a remodelagem da Inteligência nacional. Isto foi o movimento modernista, de que a semana de arte moderna ficou sendo o brado coletivo
  2. 2.  Revezamento do poder nacional executada na República Velha pelos estados de São Paulo- produção de café - e Minas Gerais - maior pólo eleitoral do país da época e produtor de leite.)
  3. 3. SURGIMENTO DA BURGUESIA INDUSTRIAL, PRINCIPALMENTE EM SÃO PAULO A Primeira Guerra Mundial gerou um surto de industrialização e consequentemente urbanização, isso significou o surgimento de uma burguesia industrial cada dia mais forte, mas marginalizada pela política econômica do governo, voltada para a produção e exportação do café.
  4. 4. Que se dirigiam para regiões economicamente prósperas , tanto na zona rural, onde havia o café, como na zona urbana, onde estavam as indústrias. Nesse período, o Brasil recebeu cerca de 1,5 milhão de imigrantes.
  5. 5. Uma burguesia de caráter reivindicatório, formada entre outros, por funcionários públicos, comerciantes, m ilitares, e profissionais liberais, descontentes com as pressões dos “barões de café”, da alta burguesia e também pelo operariado.
  6. 6. A massa urbana em São Paulo era constituída de tipos muito diversos. Poderíamos encontrar pela cidade andando na mesma calçada, um barão do café, um operário anarquista, um padre, um burguês, um nordestino, um professor, um negro, um comerciante, um advogado, um militar..., realmente uma “paulicéia desvairada”
  7. 7. ANTECEDENTES DA SEMANA DE ARTE MODERNA •1911 - Oswald de Andrade funda o semanário humorístico O Pirralho.
  8. 8. •1912 - Oswald de Andrade traz da Europa ideias futuristas de Marinetti - Último passeio de um tuberculoso, pela cidade, de bonde.
  9. 9. •1915 - Marco inicial do Modernismo em Portugal => Revista Orpheu (Almada Negreros, Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro). •1916 - Primeira redação de Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade. •1917: - Oswald de Andrade conhece Mário de Andrade. - Mário de Andrade (=Mário Sobral) publica o livro Há uma gota de sangue em cada poema. - Menotti del Picchia publica o poema regionalista Juca Mulato. - Guilherme de Almeida publica Nós, poesias de cores passadistas. - Manuel Bandeira estréia com o livro Cinza das Horas. - Cassiano Ricardo publica A frauta de Pã (moldes parnasianos). - O Pirralho publica a primeira versão de Memórias Sentimentais de João Miramar, com ilustrações de Di Cavalcanti. - Di Cavalcanti realiza exposição de caricaturas em São Paulo. - Rumorosa exposição de Anita Malfatti / Crítica de M. Lobato => Paranóia ou Mistificação ? / Apoio de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti del Picchia, Guilherme de Almeida e Di Cavalcanti.
  10. 10. 1917 - Exposição de Anita Malfatti.
  11. 11. •1918 - Publicação de Messidor, de G. de Almeida. - Publicação de Carnaval, de M. Bandeira. •1920 - O grupo de jovens modernistas descobre um jovem escultor, Victor Brecheret, criador do “estado de espírito”, segundo os modernistas. Segundo Mário de Andrade , Brecheret foi o criador do “estado de espírito” dos modernistas, e afirma: “Porque Victor Brecheret, para nós, era no mínimo gênio”
  12. 12. •1921 - Manifesto do Trianon, em homenagem a Menotti del Picchia, por ocasião do lançamento de seu livro As Máscaras / Crítica de Oswald de Andrade aos passadistas em defesa da arte moderna. -Mário de Andrade escreve as poesias de Paulicéia Desvaiarada. - Mestres do Passado => série de artigos críticos, escritos por Mário de Andrade, sobre os poetas parnasianos, que ainda dominavam o ambiente literário oficial => escândalo. - Exposição de Di Cavalcanti - Fantoches da Meia-Noite. / Encontro com Graça Aranha =>idealização da Semana de Arte Moderna.
  13. 13. : Mário de Andrade Oswald de Andrade Ronald de Carvalho Anita Malfatti Tarsila do Amaral Di Cavalcante Heitor Villa-Lobos
  14. 14. Foi, como se esperava: um notável fracasso, a recita de ontem da pomposa Semana de arte moderna, que melhor e mais acertadamente deveria chamar-se: Semana de Mal- às artes. (Correio Paulistano. São Paulo, 18 fev. 1922)
  15. 15. Não é só um problema de estética, mas deve ser estudado como fenômeno de patologia mental. Todas as extravagâncias do futurismo originam-se de um verdadeiro estado de espírito mórbido. (Folha da Noite. São Paulo, 15. Fev. 1922)
  16. 16. O desejo incontido de “chamar a atenção” e ingenuidade de certos espíritos desprovidos de qualquer preparo, o desequilíbrio de alguns cérebros e o verdor da mocidade são os principais motivos e o que caracteriza os adeptos dessa escola. Criar é um privilégio de gênio e , evidentemente, futurista não pode ser gênio. ( Folha da Noite. São Paulo, 16 fev. 1922) Da Noite
  17. 17. Nós, que pensamos que a grande arte deve ser compreendida, por todos, esperamos, cheios de curiosidade, a realização desse certame e prometemos desde já, a nossa crítica severa contra a iniciativa. (A gazeta. São Paulo, 30 jan. 1922) A Semana de Arte Moderna está para acabar. É pena porque , com franqueza, se do ponto de vista artístico aquilo representa o definitivo fracasso da escola futurista, como divertimento, foi insuperável. (A gazeta. São Paulo, 22 fev. 1922)
  18. 18. De um lado artistas de fama faziam versos, recitavam trechos de prosa, enchiam o ambiente de harmonia. De outro alguns indivíduos , que chegaram a envergonhar o gênero humano, por dele conservarem apenas o “aspecto”, ladravam e cacarejavam. (Jornal do comércio. São Paulo, 18 fev. 1922)
  19. 19. 13 de fevereiro – 1º festival  Exposição de telas: Anita Mafalti, Di Cavalcante, John Graz, Zina Aita, Almeida Prado e Vicente do Rego.  Esculturas: Victor Brechetet.  Projetos de arquitetura: Antonio Moya e George Przirembel.  Conferências: A emoção estética na arte moderna, de Graça Aranha; A pintura e a escultura moderna no Brasil, de Ronald de Carvalho;Palestra sobre estética, de Mário de Andrade.  Apresentações musicais: D. Edriophtalma (Eric Satie), de Ernani Braga; Octeto – três danças africanas: farrapos, Kaukulus e Kankikis de Villa-Lobos.  Declamação de poemas: Oswald de Andrade, Ronald de Carvalho e Guilherme de Almeida.
  20. 20. 15 de fevereiro – 2º festival  Conferências: Arte e estética, de Menotti Del Picchia; Perennis poesia, de Renato de Almeida.  Apresentações musicais: Guiomar Novaes  Declarações de Poemas: Os sapos, de Ronald de Carvalho; A escrava que não é Isaura, de Mário de Andrade; e outros textos.  Apresentações de danças: Yvonne Daumerie. Os Sapos – Manuel Bandeira Enfunando os papos, Saem da penumbra Aos pulos, os sapos. A luz os deslumbra. Em ronco que aterra, Berra o sapo-boi: - "Meu pai foi à guerra!" - "Não foi!" -- "Foi!" -- "Não foi!". O sapo-tanoeiro, Parnasiano aguado, Diz: - "Meu cancioneiro É bem martelado. Vede como primo Em comer os hiatos! Que arte! E nunca rimo Os termos cognatos. O meu verso é bom Frumento sem joio Faço rimas com Consoantes de apoio. Que soluças tu, Transido de frio, Sapo cururu Da beira do rio...
  21. 21. “Mas como tive coragem pra dizer versos diante duma vaia tão barulhenta que eu não escutava no palco o que Paulo Prado me gritava da primeira fila das poltronas?... Como pude fazer uma conferência sobre as artes plásticas, na escadaria do teatro, cercado de anônimos que me caçoavam e ofendiam a valer?...”
  22. 22. 17 de fevereiro: 3º festival  Conferência: Reafirmação dos objetivos fundamentais do modernistas brasileiro.  Apresentações musicais: Villa-Lobos, Alfredo Gomes, Ernani Braga, Paulinha d’Ambrósio, Lima Viana, Maria Emma, Lucília Villa- Lobos, Pedro Vieira e Antão Soares. “Não se trata de futurismo e sim de um calo arruinado...”
  23. 23. Oswald de AndradeMário de AndradeManuel BandeiraGraça Aranha
  24. 24.  Klaxon – primitivista e futurista divulgar as propostas do modernismo;  Manifesto da poesia pau-brasil – incentivar a integração entre as tendências nativa, colonizada, tradicional e moderna.  Movimento Verde-amarelo e Escola da Anta- adoram o tupi e a anta como símbolos nacionais.  Manifesto regionalista- valorização das tradições nordestinas;  A revista – difundir o Modernismo em MG;  Festa – grupo espiritualista;  Revista Antropofagia- contre Verde –Amarelo. Inspiração: Abaporu. Duas dentições:;

×