Experimentação em Animais

2.866 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre experimentação em animais , histórico e exemplos de pesquisa em odontologia, discutido no grupo NEPRO UFU.

  • Seja o primeiro a comentar

Experimentação em Animais

  1. 1. Pesquisa em Animais Aluno: Adalberto Caldeira Nós e os outros animais somos ao mesmo tempo iguais e diferentes, e a igualdade constitui o único quadro de referência sensato a partir do qual se pode fundamentar a diferença. Frans de Waal
  2. 2. Objetivos • Introdução – Pesquisa em Animais • Onde tudo começou. • Necessidade de pesquisar por que ? • Metodologia da Pesquisa com animais • Quais animais usar? • Comitês de ética! Bioética em pesquisa com animais • Resultados da Pesquisa em animais. • Trabalhos Professor Dr. Darceny Zanetta
  3. 3. Definição • Animal experimentation refers to the scientific study of animals, usually in a laboratory, for the purpose of gaining new biological knowledge or solving specific medical, veterinary medical, dental, or biological problems.
  4. 4. Introdução – Onde tudo Começou .- Breve Histórico da Experimentação Animal • Aristóteles (384–322 ac)- 1° dissecção- diferenças internas entre os animais – Pai da Biologia. • Eraristratus (304–250 ac) – experimentos semelhantes aos de hoje.Traquéia em porcos – “tubo de ar”- pulmões são orgãos pneumáticos. • Galeno (dc 130–200)- Anatomia comparativa – Porcos, Macacos e outras espécies. • Andreas Vesalius (1514–1564) – Demonstrações públicas de anatomia com cães , porcos – Vivissecção. Fotos = www.wikipedia.com
  5. 5. • 1628- Sir William Harvey – Publica o seu trabalho sobre o coração e a circulação em animais. • 1700- Stephen Hales –Clérico Inglês – Consegue medir a pressão em Cavalos ( Meio de transporte mais utilizado na época). • François Magendie (1783–1855) e Claude Bernard (1813–1878)- Fisiologia Experimental. « it is proper to choose certain animals which offer favorable anatomical arrangements or special susceptibility to certain influences. For each kind of investigation we shall be careful to point out the proper choice of animals. This is so important that the solution of a physiological or pathological problem often depends solely on the appropriate choice of the animal for the experiment so as to make the result clear and searching” • Louis Pasteur (1822–1895)- Experimentos em Microbiologia. Antrax em Ovelhas. Coelhos – anti rábica.
  6. 6. Claude Bernard – Foto por Garrison em 1929. Fonte =Laboratory Animal Medicine
  7. 7. John Call Dalton – Médico – 1825-1889- Estágio no laboratório de Bernard na França e levou o método de vivissecção e estudo com animais segundo a metodologia de Bernard para os EUA em suas aulas no Colégio de Cirurgiões em Nova York – Animais de Laboratório . Ivan Pavlov, USSR – Laica - 1974 – Rudolf Jaenisch – Primeiro animal transgênico – DNA do Virus SV40 em Ratos – 1991 – Ovelha Dolly – Clonagem . Necessidade de Pesquisar por que Direito Qualidade de Vida – Animais x Homens Evolução dos conhecimentos sobre determinada patologia - Animais x Homens Proteção – Animais x Homens Novos medicamentos , procedimentos, materiais e técnicas “ O Homem é o lobo do Homem ” / "Só existe o que meus sentidos percebem". Thomas Hobbes (1588/1679)
  8. 8. Diferenças entre Animais e Homens – Aspectos Biológicos • Tempo de vida celular • Metabolismo • Genética
  9. 9. Genômica Comparativa • Chimpanzé – 96 – 98% de similaridade • Gatos – genes homólog0ss em 90% ao de humanos • Bos Taurus (vaca) – 80% similar ao homem • Ratos – 75 % dos genes são equivalentes aos humanos – 99% dos genes tem homólogos em humanos, 90% dos genes estão localizados na mesma região que os dos humanos. • Drosophila – 60% do DNA compartilhado com humanos • Galinha – 60%
  10. 10. • This review discusses some of the more commonly available and frequently used animal models such as the dog, sheep, goat, pig and rabbit models for the evaluation of bone-implant interactions.
  11. 11. • Os autores concluem que apesar das diferenças e similaridades entre as várias espécies mais estudadas , o fator “sentimental” e ético deve ser levado em conta, pois existem algumas espécies que atraem esse viés mais do que outras. • Também concluem que não existe uma espécie ideal e que esses dados devem ser levados em conta na produção dos resultados.
  12. 12. Existe a NECESSIDADE URGENTE DE SE PRODUZIR MAIS LITERATURA SOBRE ESSE ASSUNTO
  13. 13. Tipos de Animais para experimentação Animais Silvestres Domésticos Laboratório Vantagens Observação em Loco do Ciclo da Doença (natural) Ambiente = homem Estudo de doenças de ocorrência espontânea e vias de transmissão Animais dóceis Informações sobre espécie abundante Fácil manutenção Permite trabalho em grande número Padronização do ambiente e genética Permitem transplantes ou transmissão de tumores Abundância de informação Desvantagens Comportamento agressivo Dificuldades laboratoriais Informações da espécie não são totalmente conhecidas Custo elevado Apego sentimental do grande público Ambiente artificial Dietas padronizadas As doenças são artificialmente implantadas
  14. 14. Metodologia da Pesquisa em Animais • Para se escolher o melhor animal, deve-se ter em mente o que será necessário pesquisar. Em implantodontia , temos os seguintes questionamentos: • Desenho do Implante e superfície. • Custos e cuidados com o animal • Aceitação por parte da sociedade • Tolerância aos procedimentos cirúrgico
  15. 15. Metodologia da Pesquisa Animal • Espaço para hospitalização e cuidados pré e pós cirúrgicos • Tamanho do animal • Similaridades com humanos (remodelação óssea deve ser semelhante inclusive no tempo) – A questão dos Coelhos – Turnover ósseo maior. • Resistência a doenças e infecções • CEP´s , Lei Arouca 11979
  16. 16. Ética em Pesquisa Animal • Religião – Cristã , Judaica e Mulçumana • Século IV – Santo Agostinho – Preconização do livre desejo , de acordo com a consciência de cada homem, São Crisóstomo – animais devem ser tratados com gentileza. • Kant – Século XVIII princípio da autonomia – Ética apenas para os que tem humanidade. • Schweitzer – XX – “ eu sou a vida que deseja viver, no meio de vidas que desejam viver” • Bentham – XX- “ os animais não podem raciocinar nem falar, mas podem sofrer”
  17. 17. Ética em Pesquisa Animal • 1876- Cruelty to Animals ACT - Primeira regulamentação para o trato com Animais por cientistas. • 1 - Os experimentos devem visar a novas descobertas ou conhecimentos de fisiologia e ser úteis para salvar ou prolongar a vida e aliviar sofrimentos. • 2 -Experimentos devem ser feitos por pessoas licenciadas e registradas. • 3 - Anestésicos devemser usados para prevenir a dor . • 4 - Se o animal vier a sofrer após o experimento, deve ser morto antes do fim da anestesia. • 5 -O experimento não deve servir como ilustração de aula. • 6 -Experimentos com dor não devem ser exibidos ao público em geral • 7 -Os experimentos não devem servir para se adquirir adestramento manual. • 8 -Experiências em cães, gatos e cavalos devem ser proibidas.
  18. 18. Ética em Pesquisa Animal • Protection of Animals Acts (Escócia, 1911-1912e Londres 1954, 1964). A comunidade científica rejeitou as tentativas de institucionalização e controle externo e a comunidade de maneira geral não se importou com o problema.
  19. 19. Ética em Pesquisa Animal • 1959 -Russel e Burch – The Principles of humane experimental technique . • Os três R´s • Replace, reduce, refine Incorporação imediata nos EUA e RU.
  20. 20. Ética em Pesquisa Animal • 1985- Príncipios Básicos do Código Internacional • Parte da ética para Animais de Laboratório. • I - Experimento com animais é necessário ao desenvolvimento científico. • II - Substituir os animais, quando possível, por modelos alternativos. • III - T odos os experimentos devem ser relevantes. • IV- Utilizar o mínimo de animais necessário para se obterem resultados válidos • V- Preferir as espécies filogeneticamente menos desenvolvidas.
  21. 21. Ética em Pesquisa Animal • VI - Oferecer aos animais conforto adequado e aliviar a sua dor . • IX - Realizar sob anestesia os procedimentos que causam dor . • X-Matar o animal que vier a sofrer em decorrência do experimento. • XI - Não ensinar em aula procedimentos que provoquem dor . • XIV - Os experimentos devem ser realizados ou supervisionados por pessoas preparadas cientificamente. • XV- Ainstituição em que se realiza o experimento é responsável por ele
  22. 22. Ética em Pesquisa Animal • Lei Arouca – 11.794 – 8 de outubro de 2008 . • Utilizar métodos alternativos como processos simulação por computador de modelos biológicos. • Obdecer aos 3 R´s ( Replace, Refine ,Reduce) • Estabelecer a CONCEA , CEUA. • Filiação aos comitês de ética. Sérgio Arouca – Falecido aos 61 anos , vítima de câncer do Intestino em 2 de agosto de 2003.
  23. 23. Ética em Pesquisa Animal • Portaria 1.250 – 2009 • Dispõe sobre os procedimentos para o uso científico de animais em atividade de ensino e pesquisa e também sobre a competência e atribuições do comite de ética no Uso de Animais. CEUA da Universidade Federal de Uberlândia , e dá outras providências.
  24. 24. Alternativa a Experimentação AnimalFísica Quântica. “Desenvolvemos um método de olhar para uma proteína e ver como, exatamente, ela faz o que faz. Isso pode ser usado, por exemplo, para desenhar drogas” Warshel 2013.
  25. 25. Materiais e Métodos • Implantes 3,75 de diâmetro por 10mm de comprimento (Touareg com Superfícies Osseofix- Marca Adin Dental Implantes – Afula – Israel ) – Nonwashed Resorbable blasting media surface. • 40 implantes – 20 instalados de acordo com o fabricante e 20 instalados após o tratamento com plasma depois de 30 dias. • O grupo controle foi fabricado através do processo de grit-blasting contendo na sua superfície material biocerâmico resultando numa quantidade de Ca e P de 10% na superfície do implante
  26. 26. Materiais e Métodos • 6 implantes de cada grupo foram avaliados através de testes de energia de superfície. • 5 cães beagle adultos foram utilizados - Aprovados pelo CEUA –UFUA • Foram tomados cuidados cirúrgicos pré anestésicos • Anestesia geral com Ketamina.
  27. 27. Materiais e Métodos • Os implantes foram instalados observando as seguintes regras: • Instalação na tíbia • Espaço de 1cm entre cada • Alternancia do tipo a ser instalado em cada sítio e cão • Medição pós cirúrgica foi penicilina e analgésicos por 48 horas . • Eutánasia após 2 semanas. • Dissecação da tíbia e análise.
  28. 28. Materiais e Métodos • Análise histomorfométrica para medir o BIC e BAFO • BIC – Contato Implante –Osso • BAFO – Área óssea de ocupação
  29. 29. Resultados
  30. 30. Resultados
  31. 31. Resultados Figuras – a) BIC , b) BAFO * - indica grupos estatisticamente homogeneos
  32. 32. Resultados
  33. 33. “But tell us, O Men! We pray you tell us what injuries have we committed to forfeit? What Law have we broken, or what Cause given you, whereby you can pretend a Right to invade and violate our part, and natural Rights, and to assault and destroy us, as if we were the Agressors, and no better than Thieves, Robbers and Murtherers, fit to be extirpated out of the Creation ?” (Thomas Tryon - The Complaints of the Birds and Fowls of Heaven: 1684)
  34. 34. •Obrigado e Feliz Natal

×