Palestra Dr. irineu Barreto Jr

2.073 visualizações

Publicada em

Conteúdo da palestra ministrada pelo Dr. Irineu Barreto Júnior, na UVV/ES, no dia 3 de maio de 2011, sobre "Os desafios

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra Dr. irineu Barreto Jr

  1. 1. Avaliação da Educação Superior e o Enade – Desafios para as Instituições de EnsinoProfessor Dr. Irineu Francisco Barreto Jr. Docente do Mestrado em Ciências Sociais UVV 2011
  2. 2. Estrutura da Palestra Introdução Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Formação Geral Componente Específico Resultados do Conceito Preliminar de Curso Qual estratégia adequada das IES para o ENADE?
  3. 3. Introdução O Brasil enfrentou a partir da década de 1990 uma expansão dos cursos de ensino superior, particularmente aqueles oferecidos pela rede privada de ensino. Reflexo de uma política governamental, essa disseminação por um lado permitiu a inclusão de setores sociais até então excluídos do ensino superior, porém provocou a proliferação de universidades, centros universitários e faculdades sem a contrapartida da qualidade dos cursos oferecidos.
  4. 4. Evolução do Número de Matrículas, Inscritos, Vagas e Concluintes no Ensino Superior Brasil 1991-2009Fonte: MEC/INEP. Censo da Educação Superior.
  5. 5. Introdução Independentemente da classe social da qual são oriundos esses novos estudantes, a disseminação do ensino superior: diminuiu a faixa etária de ingresso dos jovens nesse estágio de formação, fez do vestibular uma mera formalidade burocrática e
  6. 6. Introdução Ainda: os alunos ingressos na universidade muitas vezes apresentam uma séria de deficiências de formação que acabam comprometendo o processo cognitivo e a aprendizagem; provocou a ocorrência de uma oferta de vagas superior do que quantidade de interessados nos cursos universitários. estabeleceu nova sistemática de avaliação governamental: o SINAES.
  7. 7. Sistema Nacional deAvaliação do EnsinoSuperior – SINAES
  8. 8. Sinaes Nesse contexto coloca-se o desafio dos gestores da política educacional: formular uma avaliação quantitativa que aborde a complexidade da formação superior no Brasil. O INEP (MEC) desenvolveu o sistema responsável por essa avaliação: Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior – Sinaes.
  9. 9. SINAES Criado pela Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004, o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) é formado por três componentes principais: a avaliação das instituições; dos cursos e; do desempenho dos estudantes (Enade).Fonte: http://www.inep.gov.br/superior/sinaes/
  10. 10. SINAES O Sinaes avalia todos os aspectos que giram em torno desses três eixos: Ensino; Pesquisa; Extensão; a responsabilidade social; desempenho dos alunos; gestão da instituição; corpo docente; instalações e vários outros aspectos.Fonte: http://www.inep.gov.br/superior/sinaes/
  11. 11. Exame Nacional deDesempenho deEstudantes – Enade
  12. 12. ENADE O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) tem o objetivo de aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências. O Enade é realizado por amostragem (Em 2010, o ENADE Em será censitário e a participação no Exame constará no censitário) histórico escolar do estudante ou, quando for o caso, sua dispensa pelo MEC. O Inep/MEC constitui a amostra dos participantes a partir da inscrição, na própria instituição de ensino superior, dos alunos habilitados a fazer a prova.Fonte: http://www.inep.gov.br/superior/sinaes/
  13. 13. ENADE Constitui-se componente curricular obrigatório dos cursos de graduação. Será inscrito no histórico escolar do estudante somente sua situação regular em relação ao ENADE, atestada pela sua efetiva participação ou dispensa oficial pelo MEC, na forma estabelecida em regulamento. - É vedada a identificação nominal do resultado do estudante avaliado. - O resultado individual é fornecido exclusivamente ao estudante.
  14. 14. ENADE ESTUDANTES Estão habilitados a participar do Enade todos os estudantes em final de primeiro ano (ingressantes) e de último ano (concluintes) das áreas e cursos a serem avaliados. Ingressantes (final do primeiro ano do curso) aqueles que, até o dia 2 de agosto de 2010 (ou ano vigente), tiverem concluído entre 7% (sete por cento) e 22% (vinte e dois por cento), inclusive, da carga horária mínima do currículo do curso da Instituição de Educação Superior (IES). Concluintes (último ano do curso) aqueles que, até o dia 2 de agosto de 2010 (ou ano vigente), tiverem concluído pelo menos 80% (oitenta por cento) da carga horária mínima do currículo do curso da IES ou aqueles estudantes que tenham condições acadêmicas de conclusão do curso no ano letivo de 2010.
  15. 15. ENADE De acordo com a legislação, ficaram dispensados do Enade 2010 os estudantes que: colaram grau até o dia 31 de agosto de 2010; e estiverem, na data da prova, oficialmente matriculados e cursando atividades curriculares fora do Brasil, em instituição conveniada com a IES de origem do estudante.
  16. 16. ENADE: Previsão de Áreas para AvaliaçãoEm 2011: Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais,Computação, Engenharia, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras,Matemática, Pedagogia e Química, e os Cursos Superiores deTecnologia em Construção de Edifícios, Alimentos, AutomaçãoIndustrial, Gestão da Produção Industrial, Manutenção Industrial,Processos Químicos, Fabricação Mecânica, Análise e Desenvolvimentode Sistemas, Redes de Computadores e Saneamento Ambiental.Em 2012: Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, CiênciasContábeis, Ciências Econômicas, Comunicação Social, Design,Direito, Estatística, Música, Psicologia, Relações Internacionais,Secretariado Executivo, Teatro e Turismo; e os Cursos Superiores deTecnologia em: Design de Moda, Gastronomia, Gestão de RecursosHumanos, Gestão de Turismo, Gestão Financeira, Marketing eProcessos Gerenciais.
  17. 17. ENADEO Enade, diferentemente da antiga avaliaçãonacional de cursos, conhecida como “provão doMEC”, avalia os ingressantes e osconcluintes o que permite a análise de algunscomponentes: os efeitos da faculdade na formação do aluno; qual o perfil do aluno que ingressa e o egresso; de que maneira o curso devolve esse estudante para a sociedade?
  18. 18. ENADE Essa avaliação considera os aspectos da formação técnica (conteúdos específicos dos diferentes campos do conhecimento humano) e a formação geral dos estudantes.
  19. 19. ENADE – Formação Geral (2009) Na formação geral: uma série de referências sobre o mundo no qual ele está inserido; sobre a sociedade da qual ele participa; a atuação do Estado; noções sobre política mundial e nacional; percepção para questões ambientais; além de referências culturais e étnicas; familiaridade com a leitura e um domínio mínimo da língua portuguesa
  20. 20. Formação Geral (2009)A formação geral écomposta, segundo o MEC, educação, habitação,pelos temas: saúde e segurança; sociodiversidade: redes sociais e multiculturalismo e responsabilidade: setor inclusão; público, privado, terceiro exclusão e minorias; setor; biodiversidade; relações interpessoais; ecologia; vida urbana e rural; novos mapas sócio- inclusão/exclusão digital; geopolíticos; cidadania; globalização; violência; terrorismo, arte e filosofia; avanços tecnológicos, políticas públicas: relações de trabalho.
  21. 21. ENADE: Formação Geral Essa sistemática de avaliação reitera a importância de uma formação abrangente e humanista nos diferentes graus de escolarização: oferecer os elementos que podem permitir ao estudante um contato crítico com a realidade que o cerca, e a superação de uma visão meramente tecnicista.
  22. 22. Exemplos de Perguntas ENADE 2009
  23. 23. Exemplos de Perguntas ENADE 2009
  24. 24. Exemplos de Perguntas ENADE 2009
  25. 25. Exemplos de Perguntas ENADE 2009
  26. 26. ENADE: ComponenteEspecífico O Enade aferirá o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares do respectivo curso de graduação: suas habilidades para ajustamento às exigências decorrentes da evolução do conhecimento e, suas competências para compreender temas exteriores ao âmbito específico de sua profissão, ligados à realidade brasileira e mundial e a outras áreas do conhecimento. O componente da formação específica também é avaliado vis-a-vis a realidade adjacente e perspectiva multidisciplinar. Fonte: INEP. Manual do Enade 2010.
  27. 27. ENADE Aos estudantes de melhor desempenho no Enade o Ministério da Educação concederá estímulo: na forma de bolsa de estudos, ou auxílio específico, ou ainda alguma outra forma de distinção com objetivo similar, destinado a favorecer a excelência e a continuidade dos estudos, em nível de graduação ou de pós- graduação, conforme estabelecido em regulamento.Fonte: INEP. Manual do Enade 2010.
  28. 28. ENADE Qual o peso das partes da prova? 1. Formação Geral = 25% 2. Componente específico = 75% A prova é composta de 40 questões no total, sendo 10 questões da parte de formação geral e 30 da parte de formação específica da área, contendo as duas partes questões discursivas e de múltipla escolha.
  29. 29. Outros Instrumentos• Questionário do Estudante (Questionário Socioeconômico) • Busca levantar, junto aos estudantes, informações socioeconômicas e acadêmicas. - Preenchimento On-line - Dados importantíssimos para o Conceito Preliminar de Curso e o Índice Geral de Cursos (IGC)• Questionário destinado ao Coordenador • Procura reunir informações que contribuam para a definição do perfil do curso (coletado nos quinze dias subseqüentes à prova via Internet).
  30. 30. Questionário do Estudante Socioeconômicas; Bolsa de Estudo; Políticas Afirmativas; Salas de aula, laboratórios, equipamentos, biblioteca e Internet; Planos de Ensino (CPC 2009), Conteúdo e Prática Docente; Atividades de Pesquisa e Complementares; Iniciação Científica, Monitoria e Extensão; Preparo geral e para o exercício da profissão.
  31. 31. Alguns Resultados no CPC (Conceito Preliminar de Curso)
  32. 32. Alguns Resultados no CPC O CPC é uma média de diferentes medidas da qualidade de um curso. As medidas utilizadas são: o Conceito Enade (que mede o desempenho dos concluintes), o desempenho dos ingressantes no Enade, o Conceito IDD e as variáveis de insumo. O dado variáveis de insumo – que considera corpo docente, infra estrutura e programa pedagógico – é formado com informações do Censo da Educação Superior e de respostas ao questionário socioeconômico do Enade.
  33. 33. Conceito Preliminar de Curso sintetiza os resultados dos conceitos Enade e IDD (Indicador de Diferença de Desempenho): Enade (40%) IDD (30%) Instalações e Infraestrutura (3%) Recursos Didáticos (8%) Percentual de Doutores (12%) Percentual de Professores em tempo integral (7%)BITTENCOURT, H. R. et al. Sobre o Índice Geral de Cursos. Avaliação, V.14. n.3.
  34. 34. CPC Ano Enade 2009 2009 Sigla XXX XXX Área RELAÇÕES DIREITO INTERNACIONAIS Número de Participantes Ingressantes 717 132Número de Participantes Concluintes 406 50
  35. 35. CPC Média FG_Conc (Formação Geral Concluintes) 38,3510 41,4420 Média CE_Conc (Componente Específico Concluintes) 42,3749 46,7660Nota Enade Concluintes = Conceito Enade contínuo 1,01 0,95 Conceito Enade faixa 2 2 Média FG_Ing (Formação Geral Ingressantes) 39,6898 34,8833 Média CE_Ing (Componente Específico Ingressantes) 38,5141 32,7318 Nota Enade Ingressantes 1,8379 0,6749
  36. 36. CPC Nota IDD (Indicador de Diferençaentre os Desempenhos Observado e Esperado) Comparação do desempenho dos concluintes emrelação aos resultados obtidos pelos concluintes das demais instituições que possuem ingressantes de perfil semelhante. 0,6174 1,8328
  37. 37. CPCNúmero de alunos que responderam a pergunta sobre infraestrutura 669 97 Proporção que avalia que os equipamentos disponíveis são suficientes (resp. A/B) 0,7220 0,8041 Nota_infra 3,0306 3,3677
  38. 38. CPCNúmero de alunos que responderam a pergunta sobre plano de ensino 653 97Proporção que avalia bem o plano de ensino (resp. A) 0,5727 0,6495 Nota_pedag (nota de organização didático-pedagógica) Os Planos de Ensino contêm todos os seguintesaspectos? Objetivos, procedimentos de ensino e avaliação, conteúdos e bibliografia da disciplina. 2,7688 2,9162
  39. 39. CPC Número de docentes 120 44Proporção de Docentes no Mínimo Mestres 0,7500 0,9545 Nota_mestre 3,7500 4,6970Proporção de Docentes no mínimo Doutores 0,1917 0,3636 Nota_doutor 1,9471 2,0000 Proporção de Docentes Regime Parcial/Integral 0,5417 0,5455 Nota_regime 2,7083 2,7273 CPC contínuo 1,62 1,88 CPC faixa 2 2
  40. 40. Qual estratégia adequada das IES para o ENADE?
  41. 41. Qual estratégia adequada das IESpara o ENADE? Não há uma estratégia única. Qualquer estratégia deve envolver toda a comunidade acadêmica Gestores, dirigentes, coordenadores, professores, funcionários e principalmente os estudantes. A estratégia deve ser permanente. Envolve revisão de conteúdos programáticos e abordagens didáticas.
  42. 42. Qual estratégia adequada das IESpara o ENADE? Importância estratégica da Comissão Permanente de Avaliação (CPA) na IES Normatização Acompanhamento Interlocução Logística Sensibilização
  43. 43. Discussão de caso: EstratégiaFMU Direito Enade 2009 Formação de uma comissão de docentes para: Estudar a documentação do INEP (portarias 2006 e 2009); Analisar a prova 2006; Professores da área de formação geral e componentes específicos.
  44. 44. Discussão de caso: EstratégiaFMU Direito Enade 2009 Sensibilização do alunado: Coordenação; Professores do Mestrado. Simulado com os concluintes (aplicação da prova 2006) Palestras para os alunos quintoanistas (concluintes) com os conteúdos da formação geral.
  45. 45. Considerações Finais
  46. 46. Considerações finais Nota-se visível componente ideológico do Enade: Defesa de ideais notadamente progressistas ; Protagonismo Público e Estatal; Alteridade, Diversidade e Multiculturalismo; Direitos Humanos; Inclusão Social.
  47. 47. Considerações finaisMesmo sem abandonar a postura crítica e oslimites da avaliação, é preciso reconhecer que: O Enade procura aferir o aprimoramento do aluno ao ingressar e sair da IES. Tem mobilizado as comunidades acadêmicas na procura de obter uma avaliação favorável para as IES; Permitiu ao MEC fechar vagas em instituições com índices 1 e 2 que não se adequaram às suas recomendações; Adquire visibilidade pela imprensa e blogosfera; Conquista reconhecimento pelo mercado de trabalho. Permite oferecer visibilidade aos esforços dos alunos, professores e gestores no aprimoramento dos cursos.
  48. 48. Considerações finais Qual estratégia as Universidades devem adotar perante o Enade? Aquela que consiga dar visibilidade aos extraordinários esforços da comunidade acadêmica (alunos, professores, funcionários e gestores) na construção de um curso de qualidade.
  49. 49. Muito Obrigado!Professor Dr. Irineu Francisco Barreto Junior Mestrado em Ciências Sociais UVV Mestrado em Direito da Sociedade da Informação FMU-SP Fundação Seade-SP ifbjunio@seade.gov.br neubarreto@hotmail.com

×