Depressão na pessoa idosa rui grilo

3.337 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Depressão na pessoa idosa rui grilo

  1. 1. Fundação Cardeal CerejeiraDepressão na Pessoa Idosa Rui Grilo
  2. 2. Tristeza VS Depressão A tristeza é a reacção que temos perante as perdas afectivas na nossa vida; A perda de alguém por morte é tristeza e não depressão, porque todos vamos morrer algum dia e é preciso aceitar isto; O Funcionamento comportamental do organismo mantém-se e não existem riscos de suicídio.
  3. 3. Tristeza VS Depressão A depressão é um sentimento semelhante, mas poderá não ter uma sem especifica inicialmente; A auto estima está comprometida, existindo um enorme risco de suicídio; Distúrbio da área afectiva ou do humor, com forte impacto funcional em qualquer faixa etária e com repercussões para a vida: redução da capacidade para pensar, sentir, interagir com o meio, trabalhar e etc… Natureza multifatorial com aspectos de ordem biopsicossocial.
  4. 4. Sintomas da Depressão A perda de interesse por actividades prazerosas, Alterações do apetite (aumento ou perda de peso), Alterações do sono (insónia ou excesso de sono), Agitação ou apatia, Cansaço, fadiga e perda de energia, Sentimento de culpa e baixo auto estima,
  5. 5. Sintomas da Depressão Interesse ou prazer diminuídos, Sensação de inutilidade ou culpa excessiva, Tristeza, angústia, ansiedade, Irritabilidade, Anedonia, diminuição da capacidade de sentir alegria, Diminuição da libido,
  6. 6. Sintomas da Depressão Dificuldade de concentração e de decisão, memória e raciocínio, Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio; Humor deprimido na maior parte do dia, Dores pelo corpo e outras somatizações, Pensamentos de culpa, morte, fracasso, medo e outros pensamentos negativos.
  7. 7. Alterações do Envelhecimento – Factores Físicos Existência de outras doenças; Incapacidade de cumprimento das tarefas diárias; Aumento da idade, especialmente no género feminino. necessidade de aprender a conviver com as limitações
  8. 8. Alterações do Envelhecimento – Factores Sociais Falta de suporte social, intensificado pela habitual perda de entes queridos; Falta de ocupação dos tempos livres, ou o espaço vazio do tempo livre; Restrições financeiras; Reforma; Viuvez; Mudanças de papéis – família, trabalho e sociedade; Falta de papel social - crise de identidade; Perdas diversas - $, decisão, independência, autonomia, parentes e amigos; Diminuição de contactos sociais – distancia, $, dependência, tempo, violência.
  9. 9. Alterações do Envelhecimento – Factores Psicológicos Baixa auto-estima, interligada com os factores anteriormente apresentados; Construção de esquemas cognitivos ao longo da vida – o papel dos estereótipos ligados à terceira idade; Dificuldade a se adaptar a novos papéis Dificuldade de se adaptar às mudanças rápidas, que tem efeito dramático nos idosos Necessidade de trabalhar perdas orgânicas, afectivas e sociais Baixa auto-imagem e baixa auto-estima Falta de motivação e dificuldade de planejar o futuro Confrontação com a sua própria finitude Reforma Alterações psíquicas que exigem tratamento
  10. 10. Viuvez Momento trágico Ruptura a nível pessoal familiar e social Na velhice há dificuldade em adaptar-se Esfera emocional negativa:  Desilusão com a vida  Insónias  Depressão Alteração do grupo de amigos Luto
  11. 11. Reforma Faz parte da trajectória de vida Pode ser vivida positivamente ou negativamente Corte com as relações sociais Relacionada com a qualidade de vida e bem-estar Fonte de risco para a solidão
  12. 12. Depressão: Tratamento “ Remédios para os sintomas. Diálogo para os problemas.” Psicoterapia Farmacoterapia Associação das duas (ideal) (religião, suporte familiar, actividade física)
  13. 13. BOM Prognóstico Doença potencialmente tratável Estudos mostram taxas de boa resposta ao tratamento de 60 a 70 % Idoso tem mais sintomas residuais
  14. 14. MAU Prognóstico Um pior prognóstico parece associar-se a presença de:  doenças clínicas  alterações cognitivas  sintomas depressivos severos  cronicidade do episódio  severidade de eventos intervenientes (ideação delirante, etc)
  15. 15. Reflexão“…o olhar triste e cansado procurando alguém,e a gente passa ao seu lado a olhá-lo comdesdém… sabes, eu acho que todos fogem deti para não ver a imagem da solidão que irãoviver quando forem como tu, um resto de tudoo que existiu quando forem como tu, um velhosentado num jardim…”

×