Trabalho Psicopedagogia Hospitalar

3.805 visualizações

Publicada em

Falando um pouquinho sobre Psicopedagogia Hospitalar.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.805
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
133
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
131
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho Psicopedagogia Hospitalar

  1. 1. Psicopedagogia Hospitalar Enfoque e Prevenção Quelen Pereira
  2. 2. O que é e qual o objetivo da psicopedagogia Segundo prescrito no Código de Ética, a Psicopedagogia diz respeito às reflexões e práticas que levam em consideração os padrões normais e patológicos, tendo em vista a influência do meio a família, escola, sociedade e o desenvolvimento psico-sócio-educacional e físico dos aprendizes. E a psicopedagogia tem como objeto de estudo, o ser que aprende da realidade e constrói o seu conhecimento, as teorias vinculadas a ela são relacionadas a prática pedagógica, envolvendo atendimento as necessidades individuais da aprendizagem.
  3. 3. Enfoque O psicopedagogo na instituição hospitalar tem como enfoque, ser o interlocutor, de todos aqueles que passam por internações, sejam elas de curta, média ou longa duração, doenças crônicas e de pacientes terminais. Os psicopedagogos hospitalares utilizam o seu conhecimento para criar um espaço onde as pessoas se preocupam umas com as outras.
  4. 4. E pode-se dizer que o psicopedagogo tem como tarefa: • Colaborar com outros profissionais interagindo em equipe interdisciplinar e orientar no seu procedimento pacientes e a família. • Elaborar diagnósticos das condições de aprendizagem das pessoas internadas. • Utilizar recursos psicopedagógicos adaptados para o contexto da saúde e elaborar programas terapêuticos de ensino/aprendizagem em situações em que as pessoas estejam com as suas capacidades adaptativas diminuídas por razões de saúde.
  5. 5. • Criar e desenvolver métodos e programas psicopedagógicos em contexto de reabilitação psicossocial, para pessoas em recuperação de doenças. • Orientar o paciente hospitalizado, para que se sinta um agente ativo do seu próprio tratamento e recuperação da sua saúde. E orientando com importância de se cuidar do não afastamento do mundo acadêmico. • Dar suporte á família, profissionais e acompanhantes do paciente envolvido.
  6. 6. E relembrando que o ambiente hospitalar é um local que emana diversos sentimentos e sensações: ora doença ou saúde, de imensa tensão ou angústia, cura ou consolo. Principalmente quando a criança ou o adulto é vitima de separação da família, obtém mudanças de quadro, rostos e procedimentos desconhecidos pelo paciente, onde as mudanças se tornam irreversíveis.
  7. 7.   Prevenção E como forma de prevenção o psicopedagogo prepara o  paciente  para  aprender  inclusive  questões  ligadas  à  si  mesmo,  ou  seja,  limites  e  potencialidades.  E  como  na  maioria das situações, a enfermidade tende a afetar as  interações  do  paciente  com  o  ambiente  físico  e  social  em  que  vive,  a  capacidade  de  conhecer  sua  nova  situação  e  tratá-la  de  modo  otimista  e  saudável  pode  fazer  toda  diferença  na  recuperação  desse  paciente,  principalmente  aquele  que  é  hospitalizada  por  longo  período.  A  Psicopedagogia  é  fundamental  para  o  paciente hospitalizado ajudando-o na sua recuperação,  principalmente  no  resgate  da  auto-estima  que  muitas  vezes quando há uma internação, altera seu sentimento  a  respeito  de  si  próprio,  destacando  a  auto-imagem  e  auto-estima. 
  8. 8. O papel do psicopedagogo é ajudar. Além  que, a doença, quando não compreendida  pelo  paciente  causa  duplo  sofrimento,  pela doença em si e pelo afastamento de  seu  meio  de  convívio  e  desenvolvimento  educacionais,  sociais  e  profissionais,  visando uma melhor qualidade de vida ao  grupo.
  9. 9. E na prevenção o psicopedagogo tem funções básicas como: • Elaborar diagnósticos das condições de aprendizagem; • Adaptar os recursos psicopedagógicos para cada  contexto de saúde; • Utilizar os recursos psicopedagógicos para elaborar  programas de ensino/aprendizagem; • Elaborar e aplicar programas comunitários de prevenção  de comportamento de risco e sim para promover  comportamentos saudáveis.
  10. 10. E para que haja realmente uma prevenção e ajuda deste profissional é necessário ter consciência de que são crianças, jovens, adultos e pessoas da terceira idade, que estão com a vida em risco. Exigindo assim, um olhar mais criterioso para o atendimento. Em especial tratando, de preparar psicopedagogos capazes de participar de uma equipe formada por diversos profissionais. Objetivando não apenas a recuperação dos pacientes, mas sim, que se tenha em vista uma adequada reinserção na vida pessoal, familiar, escolar e profissional pós- hospitalização.
  11. 11. REFERÊNCIAS • http://clinicapsicopedagogica.blogspot.com/2009 /01/psicopedagogia-hospitalar.html • http://www.psicopedagogia.com.br/entrevistas/e ntrevista.asp?entrID=41 • http://www.webartigos.com/artigos/psicopedago go-hospitalar-qual-sua-funcao/30912/

×