SlideShare uma empresa Scribd logo
Texto: Cristiane Sousa
Ilustrações: Nathália Forte
Fortaleza ● Ceará ● 2018
Texto: Cristiane Sousa
Ilustrações: Nathália Forte
Copyright © 2018 Cristiane Sousa
Copyright © 2018 Nathália Forte
SEDUC - Secretaria da Educação do Estado do Ceará
Av. Gen. Afonso Albuquerque Lima, s/n - Cambeba - Fortaleza - Ceará | CEP: 60.822-325
(Todos os Direitos Reservados)
Coordenação Editorial,
Preparação de Originais e Revisão
Raymundo Netto
Projeto e Coordenação Gráfica
Daniel Dias
Revisão Final
Marta Maria Braide Lima
Conselho Editorial
Maria Fabiana Skeff de Paula Miranda
Sammya Santos Araújo
Antônio Élder Monteiro de Sales
Sandra Maria Silva Leite
Antônia Varele da Silva Gama
Catalogação e Normalização
Gabriela Alves Gomes
Governador
Camilo Sobreira de Santana
Vice-Governadora
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho
Secretário da Educação
Rogers Vasconcelos Mendes
Secretária-Executiva da Educação
Rita de Cássia Tavares Colares
Coordenador de Cooperação
com os Municípios (COPEM)
Márcio Pereira de Brito
Orientadora da Célula de Apoio à Gestão Municipal
Gilgleane Silva do Carmo
Orientador da Célula
de Fortalecimento da Aprendizagem
Idelson de Almeida Paiva Júnior
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
S725p Souza, Cristiane Bezerra de.
Uma princesa diferente? / Cristiane Bezerra de Souza; ilustrações de Nathá-
lia Forte. - Fortaleza: SEDUC, 2018.
28p.; il.
ISBN 978-85-8171-175-1
1. Literatura infantojuvenil. I. Forte, Nathália. II. Título.
CDU 028.5
Às princesas diferentes a quem tanto amo,
minha mãe Conceição e minhas irmãs,
Ana Cristina, Ana Maria e Silvana.
444444444444
Desde que era um bebezinho, Ana foi
chamada de princesa: a priincesa Aninha.
5
Ela nasceu numa noite escura e estrelada, por
isso sua pele tinha a cor da noite, seus olhos eram
grandes e brilhantes, como duas estrelas, e seus
cabelos eram encaracolados. “A brisa os tinha
deixado assim”, era o que dizia sua mãe nas histórias
que lhe contava antes de dormir.
6
7
Quando foi à escola, pela primeira vez, a
menina ficou encantada com aquele lugar. Eram
tantas as cores, as formas, os livros, as crianças,
enfim, tudo lindo.
8
9
101010101010101010101010010110101100111111
PPara melhorar, a amável professora contava
hhhistórias mmágicas de terras distantes, de seres
encaaaantadddddos, de reis, de rainhas e das princesas
qqqque a Aninhha gooosssttavvva ttanto.
11
Porém, com o tempo, a menina começou a
perceber ser diferente das princesas que apareciam
nas histórias contadas ppela professora. Elas eram
loiras ou de pele bbbbbbbbbbbbeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmmmm ccccccccccllllllllaaaaaarrrrinha, de olhoss também
claros e de cabbbeeeeeeelllllllllooooooossssssssssss lllllllllllllliiiiiiiiissssssssssooooooooooooossssssssssssss......... EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm nnnnnnnnnaaaaada parecciiaamm com eela.
12
13
14
A menina passou a duvidar se seria mesmo
uma princesa. Não demorou muito para que se
tornasse uma criança triste. Ao invés de brincar
com as outras crianças, Aninha ficava quieta,
pelos cantos. Pior ainda quando no recreio ouvia
as colegas zombarem dela assim:
15
— Aninha não é princesa! Aninha não é princesa!
A criança entristeceu tanto que nem achava
mais graça em ir à escola e muito menos em ouvir
aquelas histórias de princesas.
Numa manhã, ao chegar à sala de aula, ouviu a
professora anunciar para seus colegas:
— Crianças, hoje eu preparei uma surpresa!
16
1717171717171717717117711711
SSiimmmmmmmmmmmm, aa saallaa eesssttaavvaa ddiifffeerreennnnnnntteee nnaaaqquuueellee ddiiaa.. BBeemm
diffeerreente. HHavia uummm graannndddee tapeeeette nooo cchhãããão,
colorido por mmmuitos livvvrosss. NNeles, vváriiasssss hhhhhhiisttórias
de pprincesaass, de tttttooooddoss os tipooossss, algummmas aatté bbbbemm
paarreecidas ccommm AAAAAninnnhha.
18
Todas as crianças se sentaram no chão, juntas,
llaaddoo aa llaaddoo, ee a pprrooffesssssora lia todos os livros que
elass eescollhiamm.
19
20
Apaixonaram-se pelas histórias das princesas
africanas com seus turbantes coloridos e suas
pulseiras de miçangas. Assim como pela beleza
das princesas japonesas, de olhos miúdos, e das
indianas, encantadorraass em suas roupas delicaddas.
21
22222
De todas as histórias contadas, a que Aninha
mais gostou foi a de Zacimba Gaba, uma princesa
nnegra, guerreira que liderou seu povo na luta
contra a escravidão.
23232323232
Daí, todos entenderam que existem pessoas,
assim como princesas, de todas as cores, de todos
os tipos, que elas são diferentes e essa diferença
é uma grande riqueza que ajuda a colorir e dar
graça ao mundo.
24
225252525252525252525252252525252555525252525252252525255252525252525252525552522555552525255555555552552525255525255252525252552552525555522525252525552525225552525555552525252555225525225252222255
26
Nunca mais as coleguinhas de Aninhha
caçoaram dela. Ao contrário, passaram a comentar
os cabelos, agora encantados por miçangas
coloridas, como a de uma princesa que aprendeu a
ser feliz de verdade.
27
Cristiane Sousa
Meu nome é Cristiane Sousa. Moro em
Apuiarés, Ceará. Sou historiadora e pedagoga
de formação e desde muito pequena adoro me
aventurar no mundo das palavras que moram
no papel. Uma princesa diferente?
É meu terceiro livro publicado pela coleção
Paic Prosa e Poesia, precedido de As aventuras
de Bernardo e Muriçoca e Arraial da
Bicharada. Este livro nasceu do meu coração
cheio de desejo que as pessoas percebam que
são as diferenças que dão graça ao mundo.
Nathália Forte
Formada em Artes Visuais pelo IFCE, é
ilustradora de livros infantis, além de
produzir séries de desenho animado para
a TV. Natural de Fortaleza – CE, é filha de
pescador e de uma professora. Participa do
desde 2006 ilustrando livros e fazendo
ações sobre leitura de imagens com os
ssores. Acredita em livros e desenho
ado, no potencial das crianças, e que
falar com gatos. Também está dirigindo
urta metragem de animação..
PAIC
forma
profes
anima
pode
um cu
Realização
Apoio
O Governo do Estado do Ceará desenvolve, com os seus 184 municípios, o
Programa de Aprendizagem na Idade Certa - MAIS PAIC, com o compro-
misso de garantir e elevar a qualidade e os resultados da educação de suas
crianças e seus jovens.
Publicada pela Secretaria da Educação do Estado, através do MAIS PAIC, a
Coleção Paic, Prosa e Poesia, rica em identidade cultural, reúne narrativas
de autores do Ceará que tiveram seus textos selecionados por meio de se-
leção pública. Esse acervo constitui um estímulo a mais para se ler e contar
histórias em sala de aula, garantindo, assim, um letramento competente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentes
Teresa Ramos
 
O carnaval-na-floresta
O carnaval-na-florestaO carnaval-na-floresta
O carnaval-na-floresta
Guiomar Silva
 
Clact clact clact 130911131414-phpapp01
Clact clact clact 130911131414-phpapp01Clact clact clact 130911131414-phpapp01
Clact clact clact 130911131414-phpapp01
Raquel Caparroz
 
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlbergO carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
Carla Ferreira
 
História de uma Gotinha de Água
História de uma Gotinha de ÁguaHistória de uma Gotinha de Água
História de uma Gotinha de Água
elisabetemfc
 

Mais procurados (20)

Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentes
 
O carnaval-na-floresta
O carnaval-na-florestaO carnaval-na-floresta
O carnaval-na-floresta
 
Clact clact clact 130911131414-phpapp01
Clact clact clact 130911131414-phpapp01Clact clact clact 130911131414-phpapp01
Clact clact clact 130911131414-phpapp01
 
A lagarta comilona
A lagarta comilonaA lagarta comilona
A lagarta comilona
 
Diario de uma minhoca
Diario de uma minhocaDiario de uma minhoca
Diario de uma minhoca
 
O livro-do-planeta-terra-pdf
O livro-do-planeta-terra-pdfO livro-do-planeta-terra-pdf
O livro-do-planeta-terra-pdf
 
Historia das vogais
Historia das vogaisHistoria das vogais
Historia das vogais
 
O Problema da Centopéia Zilá
O Problema da Centopéia ZiláO Problema da Centopéia Zilá
O Problema da Centopéia Zilá
 
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlbergO carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
O carteiro-chegou-janet-e-allan-ahlberg
 
O girassol solitario
O girassol solitarioO girassol solitario
O girassol solitario
 
História de uma Gotinha de Água
História de uma Gotinha de ÁguaHistória de uma Gotinha de Água
História de uma Gotinha de Água
 
O TUPI QUE VOCÊ FALA
O TUPI QUE VOCÊ FALAO TUPI QUE VOCÊ FALA
O TUPI QUE VOCÊ FALA
 
Sequência didática monstro das cores emoções
Sequência didática monstro das cores emoçõesSequência didática monstro das cores emoções
Sequência didática monstro das cores emoções
 
Livro - Carona na vassoura
Livro - Carona na vassouraLivro - Carona na vassoura
Livro - Carona na vassoura
 
A familia do marcelo
A familia do marceloA familia do marcelo
A familia do marcelo
 
Pe de pai
Pe de paiPe de pai
Pe de pai
 
Camila e a volta às aulas
Camila e a volta às aulasCamila e a volta às aulas
Camila e a volta às aulas
 
Maria vai-com-as-outras
Maria vai-com-as-outrasMaria vai-com-as-outras
Maria vai-com-as-outras
 
Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente
 
A nuvenzinha-triste
A nuvenzinha-tristeA nuvenzinha-triste
A nuvenzinha-triste
 

Semelhante a Uma princesa diferente mini min

Jornal de agosto
Jornal de agostoJornal de agosto
Jornal de agosto
MClara
 

Semelhante a Uma princesa diferente mini min (20)

O passeio de mariana
O passeio de marianaO passeio de mariana
O passeio de mariana
 
A borboleta rosa
A borboleta rosaA borboleta rosa
A borboleta rosa
 
A borboleta rosa l
A borboleta rosa   lA borboleta rosa   l
A borboleta rosa l
 
Historia de lobisomen
Historia de lobisomenHistoria de lobisomen
Historia de lobisomen
 
Histria de lobisomem
Histria de lobisomemHistria de lobisomem
Histria de lobisomem
 
Jornal de agosto
Jornal de agostoJornal de agosto
Jornal de agosto
 
Nascente do saber - jornal escolar, 2.º periodo
Nascente do saber - jornal escolar, 2.º periodoNascente do saber - jornal escolar, 2.º periodo
Nascente do saber - jornal escolar, 2.º periodo
 
A casa dos animais
A casa dos animais   A casa dos animais
A casa dos animais
 
A casa dos animais
A casa dos animais A casa dos animais
A casa dos animais
 
A casa dos animais
A casa dos animaisA casa dos animais
A casa dos animais
 
Projeto prioritário em construção EM Dom Jaime
Projeto prioritário em construção EM Dom JaimeProjeto prioritário em construção EM Dom Jaime
Projeto prioritário em construção EM Dom Jaime
 
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdfOUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
 
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdfOUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
OUTRA HISTÓRIA DE IRACEMA.pdf
 
Projeto Prioritário EM Dom Jaime
Projeto Prioritário EM Dom JaimeProjeto Prioritário EM Dom Jaime
Projeto Prioritário EM Dom Jaime
 
Livro o tempo que o inf.
Livro o tempo que o inf.Livro o tempo que o inf.
Livro o tempo que o inf.
 
O tempo que o tempo tem
O tempo que o tempo temO tempo que o tempo tem
O tempo que o tempo tem
 
projeto de leitura - mentes mirins - ppt apresentação
projeto de leitura - mentes mirins - ppt apresentaçãoprojeto de leitura - mentes mirins - ppt apresentação
projeto de leitura - mentes mirins - ppt apresentação
 
Atps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficialAtps literatura infantil oficial
Atps literatura infantil oficial
 
Contos de Natal em Rede
Contos de Natal em RedeContos de Natal em Rede
Contos de Natal em Rede
 
O Lápis Afiado
O Lápis Afiado O Lápis Afiado
O Lápis Afiado
 

Mais de PamellaSilveira3

Mais de PamellaSilveira3 (20)

A joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhasA joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhas
 
Carlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosaCarlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosa
 
O sapato que miava
O sapato que miavaO sapato que miava
O sapato que miava
 
A escola de Marcelo - Ruth Rocha
A escola de Marcelo - Ruth RochaA escola de Marcelo - Ruth Rocha
A escola de Marcelo - Ruth Rocha
 
Alegria
AlegriaAlegria
Alegria
 
A menina das estrelas
A menina das estrelasA menina das estrelas
A menina das estrelas
 
Cheirar - Ruth rocha
Cheirar - Ruth rocha   Cheirar - Ruth rocha
Cheirar - Ruth rocha
 
O reizinho mandao ruth rocha
O reizinho mandao  ruth rochaO reizinho mandao  ruth rocha
O reizinho mandao ruth rocha
 
O tamanho da gente - Murilo Cisalpino
O tamanho da gente - Murilo Cisalpino O tamanho da gente - Murilo Cisalpino
O tamanho da gente - Murilo Cisalpino
 
Anna llenas o monstro das cores
Anna llenas   o monstro das coresAnna llenas   o monstro das cores
Anna llenas o monstro das cores
 
Stephen michael king - O homem que amava caixas
Stephen michael king - O homem que amava caixasStephen michael king - O homem que amava caixas
Stephen michael king - O homem que amava caixas
 
Que bicho este
Que bicho  este Que bicho  este
Que bicho este
 
A gargalhada de alegria da Dona Ecologia
A gargalhada de alegria da Dona EcologiaA gargalhada de alegria da Dona Ecologia
A gargalhada de alegria da Dona Ecologia
 
O menino que escrevia com os pes interativo
O menino que escrevia com os pes interativoO menino que escrevia com os pes interativo
O menino que escrevia com os pes interativo
 
O melgor amigo da bengala interativo
O melgor amigo da bengala interativoO melgor amigo da bengala interativo
O melgor amigo da bengala interativo
 
Mauro e o dinossauro
Mauro e o dinossauro  Mauro e o dinossauro
Mauro e o dinossauro
 
O ratinho roi roi
O ratinho roi roiO ratinho roi roi
O ratinho roi roi
 
Lobo mau arrependido
Lobo mau arrependido Lobo mau arrependido
Lobo mau arrependido
 
O menino e o cata vento
O menino e o cata vento O menino e o cata vento
O menino e o cata vento
 
Cada um mora onde pode
Cada um mora onde podeCada um mora onde pode
Cada um mora onde pode
 

Último

O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
LisaneWerlang
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 

Uma princesa diferente mini min

  • 2.
  • 3. Fortaleza ● Ceará ● 2018 Texto: Cristiane Sousa Ilustrações: Nathália Forte
  • 4. Copyright © 2018 Cristiane Sousa Copyright © 2018 Nathália Forte SEDUC - Secretaria da Educação do Estado do Ceará Av. Gen. Afonso Albuquerque Lima, s/n - Cambeba - Fortaleza - Ceará | CEP: 60.822-325 (Todos os Direitos Reservados) Coordenação Editorial, Preparação de Originais e Revisão Raymundo Netto Projeto e Coordenação Gráfica Daniel Dias Revisão Final Marta Maria Braide Lima Conselho Editorial Maria Fabiana Skeff de Paula Miranda Sammya Santos Araújo Antônio Élder Monteiro de Sales Sandra Maria Silva Leite Antônia Varele da Silva Gama Catalogação e Normalização Gabriela Alves Gomes Governador Camilo Sobreira de Santana Vice-Governadora Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário da Educação Rogers Vasconcelos Mendes Secretária-Executiva da Educação Rita de Cássia Tavares Colares Coordenador de Cooperação com os Municípios (COPEM) Márcio Pereira de Brito Orientadora da Célula de Apoio à Gestão Municipal Gilgleane Silva do Carmo Orientador da Célula de Fortalecimento da Aprendizagem Idelson de Almeida Paiva Júnior Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) S725p Souza, Cristiane Bezerra de. Uma princesa diferente? / Cristiane Bezerra de Souza; ilustrações de Nathá- lia Forte. - Fortaleza: SEDUC, 2018. 28p.; il. ISBN 978-85-8171-175-1 1. Literatura infantojuvenil. I. Forte, Nathália. II. Título. CDU 028.5
  • 5. Às princesas diferentes a quem tanto amo, minha mãe Conceição e minhas irmãs, Ana Cristina, Ana Maria e Silvana.
  • 7. Desde que era um bebezinho, Ana foi chamada de princesa: a priincesa Aninha. 5
  • 8. Ela nasceu numa noite escura e estrelada, por isso sua pele tinha a cor da noite, seus olhos eram grandes e brilhantes, como duas estrelas, e seus cabelos eram encaracolados. “A brisa os tinha deixado assim”, era o que dizia sua mãe nas histórias que lhe contava antes de dormir. 6
  • 9. 7
  • 10. Quando foi à escola, pela primeira vez, a menina ficou encantada com aquele lugar. Eram tantas as cores, as formas, os livros, as crianças, enfim, tudo lindo. 8
  • 11. 9
  • 13. PPara melhorar, a amável professora contava hhhistórias mmágicas de terras distantes, de seres encaaaantadddddos, de reis, de rainhas e das princesas qqqque a Aninhha gooosssttavvva ttanto. 11
  • 14. Porém, com o tempo, a menina começou a perceber ser diferente das princesas que apareciam nas histórias contadas ppela professora. Elas eram loiras ou de pele bbbbbbbbbbbbeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmmmm ccccccccccllllllllaaaaaarrrrinha, de olhoss também claros e de cabbbeeeeeeelllllllllooooooossssssssssss lllllllllllllliiiiiiiiissssssssssooooooooooooossssssssssssss......... EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm nnnnnnnnnaaaaada parecciiaamm com eela. 12
  • 15. 13
  • 16. 14
  • 17. A menina passou a duvidar se seria mesmo uma princesa. Não demorou muito para que se tornasse uma criança triste. Ao invés de brincar com as outras crianças, Aninha ficava quieta, pelos cantos. Pior ainda quando no recreio ouvia as colegas zombarem dela assim: 15
  • 18. — Aninha não é princesa! Aninha não é princesa! A criança entristeceu tanto que nem achava mais graça em ir à escola e muito menos em ouvir aquelas histórias de princesas. Numa manhã, ao chegar à sala de aula, ouviu a professora anunciar para seus colegas: — Crianças, hoje eu preparei uma surpresa! 16
  • 20. SSiimmmmmmmmmmmm, aa saallaa eesssttaavvaa ddiifffeerreennnnnnntteee nnaaaqquuueellee ddiiaa.. BBeemm diffeerreente. HHavia uummm graannndddee tapeeeette nooo cchhãããão, colorido por mmmuitos livvvrosss. NNeles, vváriiasssss hhhhhhiisttórias de pprincesaass, de tttttooooddoss os tipooossss, algummmas aatté bbbbemm paarreecidas ccommm AAAAAninnnhha. 18
  • 21. Todas as crianças se sentaram no chão, juntas, llaaddoo aa llaaddoo, ee a pprrooffesssssora lia todos os livros que elass eescollhiamm. 19
  • 22. 20
  • 23. Apaixonaram-se pelas histórias das princesas africanas com seus turbantes coloridos e suas pulseiras de miçangas. Assim como pela beleza das princesas japonesas, de olhos miúdos, e das indianas, encantadorraass em suas roupas delicaddas. 21
  • 24. 22222
  • 25. De todas as histórias contadas, a que Aninha mais gostou foi a de Zacimba Gaba, uma princesa nnegra, guerreira que liderou seu povo na luta contra a escravidão. 23232323232
  • 26. Daí, todos entenderam que existem pessoas, assim como princesas, de todas as cores, de todos os tipos, que elas são diferentes e essa diferença é uma grande riqueza que ajuda a colorir e dar graça ao mundo. 24
  • 28. 26
  • 29. Nunca mais as coleguinhas de Aninhha caçoaram dela. Ao contrário, passaram a comentar os cabelos, agora encantados por miçangas coloridas, como a de uma princesa que aprendeu a ser feliz de verdade. 27
  • 30. Cristiane Sousa Meu nome é Cristiane Sousa. Moro em Apuiarés, Ceará. Sou historiadora e pedagoga de formação e desde muito pequena adoro me aventurar no mundo das palavras que moram no papel. Uma princesa diferente? É meu terceiro livro publicado pela coleção Paic Prosa e Poesia, precedido de As aventuras de Bernardo e Muriçoca e Arraial da Bicharada. Este livro nasceu do meu coração cheio de desejo que as pessoas percebam que são as diferenças que dão graça ao mundo. Nathália Forte Formada em Artes Visuais pelo IFCE, é ilustradora de livros infantis, além de produzir séries de desenho animado para a TV. Natural de Fortaleza – CE, é filha de pescador e de uma professora. Participa do desde 2006 ilustrando livros e fazendo ações sobre leitura de imagens com os ssores. Acredita em livros e desenho ado, no potencial das crianças, e que falar com gatos. Também está dirigindo urta metragem de animação.. PAIC forma profes anima pode um cu
  • 31.
  • 32. Realização Apoio O Governo do Estado do Ceará desenvolve, com os seus 184 municípios, o Programa de Aprendizagem na Idade Certa - MAIS PAIC, com o compro- misso de garantir e elevar a qualidade e os resultados da educação de suas crianças e seus jovens. Publicada pela Secretaria da Educação do Estado, através do MAIS PAIC, a Coleção Paic, Prosa e Poesia, rica em identidade cultural, reúne narrativas de autores do Ceará que tiveram seus textos selecionados por meio de se- leção pública. Esse acervo constitui um estímulo a mais para se ler e contar histórias em sala de aula, garantindo, assim, um letramento competente.