O cabelo de lele

230.552 visualizações

Publicada em

O cabelo de lele

  1. 1. SOU JORNALISTA, ESCRITORA E APAIXONADA PELO QUEFAÇO. EDITO SUPLEMENTOS ALMANAQUE E CAMPO DOJORNAL O POPULAR (GO). PELO TRABALHODESENVOLVIDO NO ALMANAQUE, RECEBI UM PRÊMIO DASOCIETY FOR NEWS DESIGN (SND), DE NOVA YORK. TENHODUAS FILHAS, SABRINA E KAREN, QUE ME FAZEMACREDITAR QUE A VIDA PODE SER MÁGICA TODO OS DIAS.SOU BRASILEIRA DE CARTEIRINHA: MINHA MÃE ÉCEARENSE; MEU PAI, TOCANTINENSE; NASCI NO RIO DEJANEIRO E MOREI ALGUNS ANOS EM SÃO PAULO EBRASÍLIA. FINALMENTE, VIM PARA GOIÂNIA, ONDE CASEI ETIVE MINHAS FILHAS. QUER MAIS BRASILEIRO QUE ISSO?MEU SONHO É TOCAR O CORAÇÃO DAQUELES QUE LÊEMMEUS LIVROS; ASSIM COMO JÁ FUI TOCADA POR VÁRIOSAUTORES. ESPERO QUE O LEITOR CURTA ESTA VIAGEMTANTO QUANTO EU!VALÉRIA BELÉM
  2. 2. SOU ARTISTA PLÁSTICA, ILUSTRADORA E PROFESSORAUNIVERSITÁRIA.TRABALHO EM UM JORNAL DE GOIÂNIA CHAMADO O POPULAR,EM QUE DESENVOLVO OS DESENHOS DO SUPLEMENTOINFANTIL ALMANAQUE.PARA ILUSTRAR, FAÇO PESQUISAS EM DIVERSAS ÁREAS DOCONHECIMENTO, HISTÓRIA, ARTES, ANTROPOLOGIA,...MISTURANDO VÁRIAS TÉCNICAS, COMO GRAVURAS, PINTURAS,DESENHOS E COLAGENS, CONSTRUO AS IMAGENS DOS LIVROSEU ILUSTRO.É ASSIM QUE VOU COLORINDO NÃO SÓ OS LIVROS, MASTAMBÉM OS MEUS DIAS.ADRIANA MENDONÇA
  3. 3. Lelê não gosta do que Vê.__ De onde vêm tantoscachinhos?, pergunta, sem saber oque fazer.
  4. 4. Joga pra lá,Puxa pra cá.Jeito não dá,Jeito não tem.
  5. 5. -De onde vêm tantos cachinhos?, apergunta se mantém.
  6. 6. Como é o cabelo de Lelê?Por que Lelê não gosta do que vê?O que ela quer saber?O que vocês acham que ela vai fazer?
  7. 7. “Toda pergunta exige resposta.Em um livro vou procurar!”,Pensa Lelê, no canto, a cismar.
  8. 8. Será que ela encontrará a resposta para suapergunta?Por que será que os cabelos de Lelê são assim?O que vocês acham do cabelo dela? Vamoscontinuar a leitura para saber o que Lelê vaidescobrir?
  9. 9. Fuça aqui,fuça lá.Mexe e remexe até encontraro tal livro, muito sabido!, quetudo aquilo pode explicar.
  10. 10. Depois do Atlântico, a África chamaE conta uma trama de sonhos e medosDe guerras e vidas e mortes no enredoTambém de amor no enrolado cabelo
  11. 11. Puxado, armado, crescido,enfeitadoTorcido, virado, batido, rodadoSão tantos cabelos, tão lindos,tão belos!
  12. 12. Lelê gosta do que vê!Vai à vida, vai ao ventoBrinca e solta o sentimento
  13. 13. Descobre a beleza de ser como éHerança trocada no ventre da raçaDo pai, do avô, de além-mar até
  14. 14. O negro cabelo é pura magiaEncanta o menino e a quem se avizinha
  15. 15. Lelê já sabe que em cada cachinhoExiste um pedaço de sua história
  16. 16. Que gira e roda no fuso da TerraDe tantos cabelos que são a memória
  17. 17. Lelê ama o que vê!E você?

×