SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Mesopotâmia: terra entre riosMesopotâmia: terra entre rios
  
Os primeiros povoadoresOs primeiros povoadores
►►  A história da Mesopotâmia é marcada por migrações de povos A história da Mesopotâmia é marcada por migrações de povos 
nômades atraídos pelas condições favoráveis à agricultura. Entre nômades atraídos pelas condições favoráveis à agricultura. Entre 
eles podemos destacar:eles podemos destacar:
Sumérios;  Sumérios;  
Acádios; Acádios; 
Amoritas; Amoritas; 
Assírios; Assírios; 
e Caldeus.e Caldeus.
Esses povos dominaram a Mesopotâmia em momentos diferentes e as  Esses povos dominaram a Mesopotâmia em momentos diferentes e as  
invasões dificultaram a formação de um império duradouro como o Egitoinvasões dificultaram a formação de um império duradouro como o Egito..
Mesopotâmia: uma dádiva do Tigre e do EufratesMesopotâmia: uma dádiva do Tigre e do Eufrates
As cheias As cheias 
da da 
MesopotâmiaMesopotâmia
Os SumériosOs Sumérios
▪ ▪  Origem Origem  →→   osos  primeiros  a  desenvolver  uma  civilização  na  Mesopotâmia   primeiros  a  desenvolver  uma  civilização  na  Mesopotâmia 
foram os sumérios há 3100 a.C.  Vieram da Ásia central, pelo Irã, e fixou-se foram os sumérios há 3100 a.C.  Vieram da Ásia central, pelo Irã, e fixou-se 
na Caldeia, na região conhecida como Súmer. na Caldeia, na região conhecida como Súmer. 
Organização político-administrativaOrganização político-administrativa
Características: Características: 
▪ ▪ Cidade-estado Cidade-estado 
(Ur, Uruk e Nippur)(Ur, Uruk e Nippur)
▪ ▪ Rei-sacerdote Rei-sacerdote → →  Patesi Patesi
A escrita cuneiformeA escrita cuneiforme
A escrita cuneiformeA escrita cuneiforme
A evolução da escrita: A evolução da escrita: 
▪ ▪ Caracteres Caracteres 
pictográficos; pictográficos; 
▪ ▪ Caracteres Caracteres 
ideográficos; ideográficos; 
▪▪ Os sinais fonéticosOs sinais fonéticos
Os amoritas ou babilôniosOs amoritas ou babilônios
Origem Origem → → os os 
aamoritas moritas são  são  
originários da Arábiaoriginários da Arábia
▪▪ O Império O Império 
Babilônico Babilônico 
(1900 a.C)(1900 a.C)
Hamurabi (1728-1686 a.C)Hamurabi (1728-1686 a.C)
►►Hamurabi ficou conhecido por liderar a expansão do império eHamurabi ficou conhecido por liderar a expansão do império e
administrá-lo com eficiência. Suas principais realizações foram:administrá-lo com eficiência. Suas principais realizações foram:
▪▪ Incentivo à agricultura por meio da construção de açudes e canaisIncentivo à agricultura por meio da construção de açudes e canais
de irrigação;de irrigação;
▪▪ Unificação da língua e da religião;Unificação da língua e da religião;
▪▪ A organização de um código de leis, o código de HamurabiA organização de um código de leis, o código de Hamurabi..
A Lei de Talião:A Lei de Talião: olho por olho, dente por denteolho por olho, dente por dente
““Se a esposa de um homem é apanhada na cama com outroSe a esposa de um homem é apanhada na cama com outro
homem, os dois serão amarrados e lançados na água.homem, os dois serão amarrados e lançados na água.
Se um médico fizer uma operação com faca de metal em um homemSe um médico fizer uma operação com faca de metal em um homem
livre e lhe causar a morte ou destruir seu olho, a sua mão serálivre e lhe causar a morte ou destruir seu olho, a sua mão será
amputada.amputada.
Se um médico tratar com faca de metal a um escravo e este morrer,Se um médico tratar com faca de metal a um escravo e este morrer,
o médico dará outro escravo para substituir o morto.o médico dará outro escravo para substituir o morto.
Se um arquiteto construir uma casa e ela ruir matando o dono daSe um arquiteto construir uma casa e ela ruir matando o dono da
casa, este arquiteto é passível de morte.casa, este arquiteto é passível de morte.
O império assírioO império assírio (1300-612 a.C)(1300-612 a.C)
▪▪ OrigemOrigem →→ emem1300 a.C.1300 a.C.
ocorreu a ascensão dosocorreu a ascensão dos
assírios, povo originário doassírios, povo originário do
Planalto de Assur, no nortePlanalto de Assur, no norte..
▪▪ CapitalCapital →→ NíniveNínive
O militarismo assírioO militarismo assírio
▪▪ Organização do exércitoOrganização do exército
▪▪ Armas de ferroArmas de ferro
▪▪ Carros de combateCarros de combate
A violência dos assíriosA violência dos assírios
““Avancei sobre Kinabou, fortaleza de Hulaí (o chefe rebelde).Avancei sobre Kinabou, fortaleza de Hulaí (o chefe rebelde).
Conquistei a cidade; 600 de seus guerreiros passei a fio de espada,Conquistei a cidade; 600 de seus guerreiros passei a fio de espada,
3000 prisioneiros entreguei às chamas. Hulaí, esfolei-o e estendi sua3000 prisioneiros entreguei às chamas. Hulaí, esfolei-o e estendi sua
pele sobre a muralha. Parti para Tela e conquistei-a. Matei 3000pele sobre a muralha. Parti para Tela e conquistei-a. Matei 3000
guerreiros. Entreguei muitos às chamas e fiz prisioneiros vivos: a unsguerreiros. Entreguei muitos às chamas e fiz prisioneiros vivos: a uns
cortei as mãos e dedos, a outros o nariz e as orelhas; a muitos tirei acortei as mãos e dedos, a outros o nariz e as orelhas; a muitos tirei a
vista. Fiz um feixe de vivos e outro de cabeças; amarrei as suasvista. Fiz um feixe de vivos e outro de cabeças; amarrei as suas
cabeças aos cepos de vinha em torno da cidade”.cabeças aos cepos de vinha em torno da cidade”.
  
A construção do impérioA construção do império
Os caldeus: Segundo Império BabilônicoOs caldeus: Segundo Império Babilônico
(612 a.C. - 539 a.C.)(612 a.C. - 539 a.C.)
►► Em 612 a.C., osEm 612 a.C., os
caldeus, derrotaram oscaldeus, derrotaram os
assírios e fundaram oassírios e fundaram o
Segundo ImpérioSegundo Império
Babilônico ouBabilônico ou
Neobabilônico.Neobabilônico.
▪▪ CapitalCapital →→ BabilôniaBabilônia
O apogeu: o reinado de NabucodonosorO apogeu: o reinado de Nabucodonosor(604-562(604-562 a.C)a.C)
►► O desenvolvimento daO desenvolvimento da
arquitetura:arquitetura:
▪▪ As muralhas da cidade,As muralhas da cidade,
▪▪ A Torre de Babel;A Torre de Babel;
▪▪ Os Jardins Suspensos daOs Jardins Suspensos da
Babilônia.Babilônia.
▪▪ O cativeiro dos HebreusO cativeiro dos Hebreus
A Torre de BabelA Torre de Babel
A Torre de BabelA Torre de Babel
(templo a Marduk)(templo a Marduk)
As muralhas da BabilôniaAs muralhas da Babilônia
Os jardins suspensos da BabilôniaOs jardins suspensos da Babilônia
O Portal de IshtarO Portal de Ishtar
O Portal de Ishtar em BerlimO Portal de Ishtar em Berlim
Estrutura social na MesopotâmiaEstrutura social na Mesopotâmia
Os reis da MesopotâmiaOs reis da Mesopotâmia
►►Na Mesopotâmia os reis eramNa Mesopotâmia os reis eram
considerados representantes dosconsiderados representantes dos
deuses e não deuses, como osdeuses e não deuses, como os
faraós.faraós.
Escultura em bronze e ouroEscultura em bronze e ouro
representando Hamurabirepresentando Hamurabi
Economia na MesopotâmiaEconomia na Mesopotâmia
▪▪ AtividadesAtividades
agropastorisagropastoris
▪▪ O comércioO comércio
A religiãoA religião
•• PoliteísmoPoliteísmo →→ a religião era politeísta. Os elementos da naturezaa religião era politeísta. Os elementos da natureza
eram considerados divinos, como a terra, os rios e o Sol.eram considerados divinos, como a terra, os rios e o Sol.
Os castigos dos deusesOs castigos dos deuses →→ os deuses mesopotâmios eram entidadesos deuses mesopotâmios eram entidades
do bem e do mal. Adotavam represálias contra aqueles que nãodo bem e do mal. Adotavam represálias contra aqueles que não
cumpriam suas obrigações. Exemplo disso é o mito do dilúvio: umcumpriam suas obrigações. Exemplo disso é o mito do dilúvio: um
castigo dos deuses.castigo dos deuses.
•• A vida após a morteA vida após a morte →→ os mesopotâmios não se preocupavam comos mesopotâmios não se preocupavam com
a vida além túmulo. Acreditavam vagamente que os mortos iam paraa vida além túmulo. Acreditavam vagamente que os mortos iam para
junto de Nergal “deus do reino de onde não se volta”.junto de Nergal “deus do reino de onde não se volta”.
Deusa IshtarDeusa Ishtar
▪▪ Deusa do amor eDeusa do amor e
da fertilidadeda fertilidade
MardukMarduk
▪▪ Deus daDeus da
tempestadetempestade
Os ZiguratesOs Zigurates
►► As funções:As funções:
▪▪ TemplosTemplos
▪▪ Repartições públicasRepartições públicas
(hospitais, bibliotecas, etc)(hospitais, bibliotecas, etc)
▪▪ Observatório astronômicoObservatório astronômico
O Zigurate Dur-UntashO Zigurate Dur-Untash
CConstruído no século XIIIonstruído no século XIII
a.C. e localizado pertoa.C. e localizado perto
de Susa, Irã é um dosde Susa, Irã é um dos
mais preservadosmais preservados
do mundodo mundo
CiênciaCiência
•• AstrologiaAstrologia →→ os mesopotâmicos estudavam os corpos celestes,os mesopotâmicos estudavam os corpos celestes,
pois acreditavam que os astros influenciavam a vida dos homens.pois acreditavam que os astros influenciavam a vida dos homens.
•• AstronomiaAstronomia →→ os mesopotâmios criaram um calendário com anoos mesopotâmios criaram um calendário com ano
em 12 meses, o que permitia prever as enchentes. Também criaramem 12 meses, o que permitia prever as enchentes. Também criaram
a semana de sete dias e o dia em dois períodos de doze horas.a semana de sete dias e o dia em dois períodos de doze horas.
•• MatemáticaMatemática →→ resolviam problemas de geometria, aritmética eresolviam problemas de geometria, aritmética e
álgebra com equações do 1º e 2º graus. A matemática era umaálgebra com equações do 1º e 2º graus. A matemática era uma
necessidade prática, como a demarcação de terras e construções.necessidade prática, como a demarcação de terras e construções.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizaçõesDaniel Alves Bronstrup
 
Mesopotâmia fenícios persas_hebreus
Mesopotâmia fenícios persas_hebreusMesopotâmia fenícios persas_hebreus
Mesopotâmia fenícios persas_hebreusPéricles Penuel
 
Pré-História, História Antiga
Pré-História, História AntigaPré-História, História Antiga
Pré-História, História AntigaMarinete Santos
 
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e PersasCivilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e PersasEdvaldo Lopes
 
Hebreus - Prof.Medeiros
Hebreus - Prof.MedeirosHebreus - Prof.Medeiros
Hebreus - Prof.MedeirosJoão Medeiros
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasJoão Medeiros
 
As primeiras civilizações e o caso egipcío.
As primeiras civilizações e o caso egipcío.As primeiras civilizações e o caso egipcío.
As primeiras civilizações e o caso egipcío.João Pereira
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesMarcia Fernandes
 
As primeiras civilizações egipto
As primeiras civilizações   egiptoAs primeiras civilizações   egipto
As primeiras civilizações egiptoNuno Faustino
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicahistoriando
 
Antiguidade oriental mesopotâmia net
Antiguidade oriental  mesopotâmia netAntiguidade oriental  mesopotâmia net
Antiguidade oriental mesopotâmia netKaroline Oliveira
 
Cap. 03 hebreus, fenicios e persas
Cap. 03   hebreus, fenicios e persasCap. 03   hebreus, fenicios e persas
Cap. 03 hebreus, fenicios e persasEvanildo Pitombeira
 
Antiguidade oriental revisão
Antiguidade oriental    revisãoAntiguidade oriental    revisão
Antiguidade oriental revisãoPrivada
 

Mais procurados (20)

1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Mesopotâmia fenícios persas_hebreus
Mesopotâmia fenícios persas_hebreusMesopotâmia fenícios persas_hebreus
Mesopotâmia fenícios persas_hebreus
 
Pré-História, História Antiga
Pré-História, História AntigaPré-História, História Antiga
Pré-História, História Antiga
 
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e PersasCivilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
 
Mesopotâmia
Mesopotâmia Mesopotâmia
Mesopotâmia
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Hebreus - Prof.Medeiros
Hebreus - Prof.MedeirosHebreus - Prof.Medeiros
Hebreus - Prof.Medeiros
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
Antigo Oriente
Antigo Oriente Antigo Oriente
Antigo Oriente
 
As primeiras civilizações e o caso egipcío.
As primeiras civilizações e o caso egipcío.As primeiras civilizações e o caso egipcío.
As primeiras civilizações e o caso egipcío.
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
As primeiras civilizações egipto
As primeiras civilizações   egiptoAs primeiras civilizações   egipto
As primeiras civilizações egipto
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
A civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmicaA civilização mesopotâmica
A civilização mesopotâmica
 
Antiguidade oriental mesopotâmia net
Antiguidade oriental  mesopotâmia netAntiguidade oriental  mesopotâmia net
Antiguidade oriental mesopotâmia net
 
Hebreus e fenícios
Hebreus e feníciosHebreus e fenícios
Hebreus e fenícios
 
Cap. 03 hebreus, fenicios e persas
Cap. 03   hebreus, fenicios e persasCap. 03   hebreus, fenicios e persas
Cap. 03 hebreus, fenicios e persas
 
Antiguidade oriental revisão
Antiguidade oriental    revisãoAntiguidade oriental    revisão
Antiguidade oriental revisão
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 

Destaque (20)

Imperialismo do século xix
Imperialismo do século xixImperialismo do século xix
Imperialismo do século xix
 
Atividades de revisão: a Era Vargas
Atividades de revisão: a Era VargasAtividades de revisão: a Era Vargas
Atividades de revisão: a Era Vargas
 
Resolução de questões
Resolução de questõesResolução de questões
Resolução de questões
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
 
A contracultura
A contraculturaA contracultura
A contracultura
 
Mesopotamia slide
Mesopotamia slideMesopotamia slide
Mesopotamia slide
 
Hebreus
HebreusHebreus
Hebreus
 
Tema 6. Medios y Técnicas
Tema 6. Medios y TécnicasTema 6. Medios y Técnicas
Tema 6. Medios y Técnicas
 
Unidad didáctica 2 acadios
Unidad didáctica 2  acadiosUnidad didáctica 2  acadios
Unidad didáctica 2 acadios
 
Unidad didáctica 3 renacimiento sumerio
Unidad didáctica 3  renacimiento sumerioUnidad didáctica 3  renacimiento sumerio
Unidad didáctica 3 renacimiento sumerio
 
Unidad didáctica 1 sumerios
Unidad didáctica 1  sumeriosUnidad didáctica 1  sumerios
Unidad didáctica 1 sumerios
 
Tema 1. Medios y Técnicas.
Tema 1. Medios y Técnicas.Tema 1. Medios y Técnicas.
Tema 1. Medios y Técnicas.
 
Civilizacion sumeria
Civilizacion sumeriaCivilizacion sumeria
Civilizacion sumeria
 
Tema 7. HAII. Segovia
Tema 7. HAII. SegoviaTema 7. HAII. Segovia
Tema 7. HAII. Segovia
 
2015 brasil colônia
2015  brasil colônia2015  brasil colônia
2015 brasil colônia
 
Tema 2. Medios y Técnicas
Tema 2. Medios y TécnicasTema 2. Medios y Técnicas
Tema 2. Medios y Técnicas
 
Desarrollo urbano y territorial de cauca romana (
Desarrollo urbano y territorial de cauca romana (Desarrollo urbano y territorial de cauca romana (
Desarrollo urbano y territorial de cauca romana (
 
Unidad didáctica 4 la época paleobabilónica
Unidad didáctica 4 la época paleobabilónicaUnidad didáctica 4 la época paleobabilónica
Unidad didáctica 4 la época paleobabilónica
 

Semelhante a Terra entre rios: a civilização da Mesopotâmia

Semelhante a Terra entre rios: a civilização da Mesopotâmia (20)

Egito e mesopotmia
Egito e mesopotmia Egito e mesopotmia
Egito e mesopotmia
 
Povos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdfPovos da Mesopotâmia.pdf
Povos da Mesopotâmia.pdf
 
Sumerianos
SumerianosSumerianos
Sumerianos
 
Primeiras Civilizações - Mesopotâmia
Primeiras Civilizações - MesopotâmiaPrimeiras Civilizações - Mesopotâmia
Primeiras Civilizações - Mesopotâmia
 
historia da mesopotamia
historia da mesopotamiahistoria da mesopotamia
historia da mesopotamia
 
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
 
A américa pré colombiana
A américa pré colombianaA américa pré colombiana
A américa pré colombiana
 
Povos da mesopotâmia
Povos da mesopotâmiaPovos da mesopotâmia
Povos da mesopotâmia
 
História - Mesopotâmia
História - MesopotâmiaHistória - Mesopotâmia
História - Mesopotâmia
 
Mesopotmia
MesopotmiaMesopotmia
Mesopotmia
 
Povos mesopotamico
Povos mesopotamicoPovos mesopotamico
Povos mesopotamico
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia 140430115853-phpapp01
Mesopotamia 140430115853-phpapp01Mesopotamia 140430115853-phpapp01
Mesopotamia 140430115853-phpapp01
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamia
 
A civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamiaA civilazação da mesopotamia
A civilazação da mesopotamia
 

Mais de Rodrigo Luiz

Cultura, religião e arte na grécia
Cultura, religião e arte na gréciaCultura, religião e arte na grécia
Cultura, religião e arte na gréciaRodrigo Luiz
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegaçõesRodrigo Luiz
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoRodrigo Luiz
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da ÁsiaRodrigo Luiz
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialRodrigo Luiz
 
Independência da américa portuguesa
Independência da américa portuguesaIndependência da américa portuguesa
Independência da américa portuguesaRodrigo Luiz
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXRodrigo Luiz
 
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2Rodrigo Luiz
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilRodrigo Luiz
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militaresRodrigo Luiz
 
Crise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da repúblicaCrise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da repúblicaRodrigo Luiz
 
A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2Rodrigo Luiz
 
Da origem do homem aos primeiros estados
Da origem do homem aos primeiros estadosDa origem do homem aos primeiros estados
Da origem do homem aos primeiros estadosRodrigo Luiz
 

Mais de Rodrigo Luiz (20)

Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Cultura, religião e arte na grécia
Cultura, religião e arte na gréciaCultura, religião e arte na grécia
Cultura, religião e arte na grécia
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Independência da américa portuguesa
Independência da américa portuguesaIndependência da américa portuguesa
Independência da américa portuguesa
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Primeira Guerra
Primeira GuerraPrimeira Guerra
Primeira Guerra
 
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2
As lutas de libertação nacional na áfrica e da ásia 2
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasil
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
 
Segunda guerra
Segunda guerraSegunda guerra
Segunda guerra
 
Crise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da repúblicaCrise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da república
 
A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2
 
Da origem do homem aos primeiros estados
Da origem do homem aos primeiros estadosDa origem do homem aos primeiros estados
Da origem do homem aos primeiros estados
 
O mundo árabe 2
O mundo árabe 2O mundo árabe 2
O mundo árabe 2
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 

Terra entre rios: a civilização da Mesopotâmia

  • 1. Mesopotâmia: terra entre riosMesopotâmia: terra entre rios   
  • 2. Os primeiros povoadoresOs primeiros povoadores ►►  A história da Mesopotâmia é marcada por migrações de povos A história da Mesopotâmia é marcada por migrações de povos  nômades atraídos pelas condições favoráveis à agricultura. Entre nômades atraídos pelas condições favoráveis à agricultura. Entre  eles podemos destacar:eles podemos destacar: Sumérios;  Sumérios;   Acádios; Acádios;  Amoritas; Amoritas;  Assírios; Assírios;  e Caldeus.e Caldeus. Esses povos dominaram a Mesopotâmia em momentos diferentes e as  Esses povos dominaram a Mesopotâmia em momentos diferentes e as   invasões dificultaram a formação de um império duradouro como o Egitoinvasões dificultaram a formação de um império duradouro como o Egito..
  • 3. Mesopotâmia: uma dádiva do Tigre e do EufratesMesopotâmia: uma dádiva do Tigre e do Eufrates As cheias As cheias  da da  MesopotâmiaMesopotâmia
  • 4. Os SumériosOs Sumérios ▪ ▪  Origem Origem  →→   osos  primeiros  a  desenvolver  uma  civilização  na  Mesopotâmia   primeiros  a  desenvolver  uma  civilização  na  Mesopotâmia  foram os sumérios há 3100 a.C.  Vieram da Ásia central, pelo Irã, e fixou-se foram os sumérios há 3100 a.C.  Vieram da Ásia central, pelo Irã, e fixou-se  na Caldeia, na região conhecida como Súmer. na Caldeia, na região conhecida como Súmer. 
  • 6. A escrita cuneiformeA escrita cuneiforme
  • 7. A escrita cuneiformeA escrita cuneiforme A evolução da escrita: A evolução da escrita:  ▪ ▪ Caracteres Caracteres  pictográficos; pictográficos;  ▪ ▪ Caracteres Caracteres  ideográficos; ideográficos;  ▪▪ Os sinais fonéticosOs sinais fonéticos
  • 8. Os amoritas ou babilôniosOs amoritas ou babilônios Origem Origem → → os os  aamoritas moritas são  são   originários da Arábiaoriginários da Arábia ▪▪ O Império O Império  Babilônico Babilônico  (1900 a.C)(1900 a.C)
  • 9. Hamurabi (1728-1686 a.C)Hamurabi (1728-1686 a.C) ►►Hamurabi ficou conhecido por liderar a expansão do império eHamurabi ficou conhecido por liderar a expansão do império e administrá-lo com eficiência. Suas principais realizações foram:administrá-lo com eficiência. Suas principais realizações foram: ▪▪ Incentivo à agricultura por meio da construção de açudes e canaisIncentivo à agricultura por meio da construção de açudes e canais de irrigação;de irrigação; ▪▪ Unificação da língua e da religião;Unificação da língua e da religião; ▪▪ A organização de um código de leis, o código de HamurabiA organização de um código de leis, o código de Hamurabi..
  • 10. A Lei de Talião:A Lei de Talião: olho por olho, dente por denteolho por olho, dente por dente ““Se a esposa de um homem é apanhada na cama com outroSe a esposa de um homem é apanhada na cama com outro homem, os dois serão amarrados e lançados na água.homem, os dois serão amarrados e lançados na água. Se um médico fizer uma operação com faca de metal em um homemSe um médico fizer uma operação com faca de metal em um homem livre e lhe causar a morte ou destruir seu olho, a sua mão serálivre e lhe causar a morte ou destruir seu olho, a sua mão será amputada.amputada. Se um médico tratar com faca de metal a um escravo e este morrer,Se um médico tratar com faca de metal a um escravo e este morrer, o médico dará outro escravo para substituir o morto.o médico dará outro escravo para substituir o morto. Se um arquiteto construir uma casa e ela ruir matando o dono daSe um arquiteto construir uma casa e ela ruir matando o dono da casa, este arquiteto é passível de morte.casa, este arquiteto é passível de morte.
  • 11. O império assírioO império assírio (1300-612 a.C)(1300-612 a.C) ▪▪ OrigemOrigem →→ emem1300 a.C.1300 a.C. ocorreu a ascensão dosocorreu a ascensão dos assírios, povo originário doassírios, povo originário do Planalto de Assur, no nortePlanalto de Assur, no norte.. ▪▪ CapitalCapital →→ NíniveNínive
  • 12. O militarismo assírioO militarismo assírio ▪▪ Organização do exércitoOrganização do exército ▪▪ Armas de ferroArmas de ferro ▪▪ Carros de combateCarros de combate
  • 13. A violência dos assíriosA violência dos assírios ““Avancei sobre Kinabou, fortaleza de Hulaí (o chefe rebelde).Avancei sobre Kinabou, fortaleza de Hulaí (o chefe rebelde). Conquistei a cidade; 600 de seus guerreiros passei a fio de espada,Conquistei a cidade; 600 de seus guerreiros passei a fio de espada, 3000 prisioneiros entreguei às chamas. Hulaí, esfolei-o e estendi sua3000 prisioneiros entreguei às chamas. Hulaí, esfolei-o e estendi sua pele sobre a muralha. Parti para Tela e conquistei-a. Matei 3000pele sobre a muralha. Parti para Tela e conquistei-a. Matei 3000 guerreiros. Entreguei muitos às chamas e fiz prisioneiros vivos: a unsguerreiros. Entreguei muitos às chamas e fiz prisioneiros vivos: a uns cortei as mãos e dedos, a outros o nariz e as orelhas; a muitos tirei acortei as mãos e dedos, a outros o nariz e as orelhas; a muitos tirei a vista. Fiz um feixe de vivos e outro de cabeças; amarrei as suasvista. Fiz um feixe de vivos e outro de cabeças; amarrei as suas cabeças aos cepos de vinha em torno da cidade”.cabeças aos cepos de vinha em torno da cidade”.   
  • 14. A construção do impérioA construção do império
  • 15. Os caldeus: Segundo Império BabilônicoOs caldeus: Segundo Império Babilônico (612 a.C. - 539 a.C.)(612 a.C. - 539 a.C.) ►► Em 612 a.C., osEm 612 a.C., os caldeus, derrotaram oscaldeus, derrotaram os assírios e fundaram oassírios e fundaram o Segundo ImpérioSegundo Império Babilônico ouBabilônico ou Neobabilônico.Neobabilônico. ▪▪ CapitalCapital →→ BabilôniaBabilônia
  • 16. O apogeu: o reinado de NabucodonosorO apogeu: o reinado de Nabucodonosor(604-562(604-562 a.C)a.C) ►► O desenvolvimento daO desenvolvimento da arquitetura:arquitetura: ▪▪ As muralhas da cidade,As muralhas da cidade, ▪▪ A Torre de Babel;A Torre de Babel; ▪▪ Os Jardins Suspensos daOs Jardins Suspensos da Babilônia.Babilônia. ▪▪ O cativeiro dos HebreusO cativeiro dos Hebreus
  • 17. A Torre de BabelA Torre de Babel A Torre de BabelA Torre de Babel (templo a Marduk)(templo a Marduk)
  • 18. As muralhas da BabilôniaAs muralhas da Babilônia
  • 19. Os jardins suspensos da BabilôniaOs jardins suspensos da Babilônia
  • 20. O Portal de IshtarO Portal de Ishtar
  • 21. O Portal de Ishtar em BerlimO Portal de Ishtar em Berlim
  • 22. Estrutura social na MesopotâmiaEstrutura social na Mesopotâmia
  • 23. Os reis da MesopotâmiaOs reis da Mesopotâmia ►►Na Mesopotâmia os reis eramNa Mesopotâmia os reis eram considerados representantes dosconsiderados representantes dos deuses e não deuses, como osdeuses e não deuses, como os faraós.faraós. Escultura em bronze e ouroEscultura em bronze e ouro representando Hamurabirepresentando Hamurabi
  • 24. Economia na MesopotâmiaEconomia na Mesopotâmia ▪▪ AtividadesAtividades agropastorisagropastoris ▪▪ O comércioO comércio
  • 25. A religiãoA religião •• PoliteísmoPoliteísmo →→ a religião era politeísta. Os elementos da naturezaa religião era politeísta. Os elementos da natureza eram considerados divinos, como a terra, os rios e o Sol.eram considerados divinos, como a terra, os rios e o Sol. Os castigos dos deusesOs castigos dos deuses →→ os deuses mesopotâmios eram entidadesos deuses mesopotâmios eram entidades do bem e do mal. Adotavam represálias contra aqueles que nãodo bem e do mal. Adotavam represálias contra aqueles que não cumpriam suas obrigações. Exemplo disso é o mito do dilúvio: umcumpriam suas obrigações. Exemplo disso é o mito do dilúvio: um castigo dos deuses.castigo dos deuses. •• A vida após a morteA vida após a morte →→ os mesopotâmios não se preocupavam comos mesopotâmios não se preocupavam com a vida além túmulo. Acreditavam vagamente que os mortos iam paraa vida além túmulo. Acreditavam vagamente que os mortos iam para junto de Nergal “deus do reino de onde não se volta”.junto de Nergal “deus do reino de onde não se volta”.
  • 26. Deusa IshtarDeusa Ishtar ▪▪ Deusa do amor eDeusa do amor e da fertilidadeda fertilidade
  • 27. MardukMarduk ▪▪ Deus daDeus da tempestadetempestade
  • 28. Os ZiguratesOs Zigurates ►► As funções:As funções: ▪▪ TemplosTemplos ▪▪ Repartições públicasRepartições públicas (hospitais, bibliotecas, etc)(hospitais, bibliotecas, etc) ▪▪ Observatório astronômicoObservatório astronômico
  • 29. O Zigurate Dur-UntashO Zigurate Dur-Untash CConstruído no século XIIIonstruído no século XIII a.C. e localizado pertoa.C. e localizado perto de Susa, Irã é um dosde Susa, Irã é um dos mais preservadosmais preservados do mundodo mundo
  • 30. CiênciaCiência •• AstrologiaAstrologia →→ os mesopotâmicos estudavam os corpos celestes,os mesopotâmicos estudavam os corpos celestes, pois acreditavam que os astros influenciavam a vida dos homens.pois acreditavam que os astros influenciavam a vida dos homens. •• AstronomiaAstronomia →→ os mesopotâmios criaram um calendário com anoos mesopotâmios criaram um calendário com ano em 12 meses, o que permitia prever as enchentes. Também criaramem 12 meses, o que permitia prever as enchentes. Também criaram a semana de sete dias e o dia em dois períodos de doze horas.a semana de sete dias e o dia em dois períodos de doze horas. •• MatemáticaMatemática →→ resolviam problemas de geometria, aritmética eresolviam problemas de geometria, aritmética e álgebra com equações do 1º e 2º graus. A matemática era umaálgebra com equações do 1º e 2º graus. A matemática era uma necessidade prática, como a demarcação de terras e construções.necessidade prática, como a demarcação de terras e construções.