SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
NACIONALISMOS AFRICANO E
ASIÁTICO
Instituição: Colégio Estadual de Ensino Médio Professor Ulisses Cabral
Professor (a) orientador (a): Cristine Fortes Lia
Professor (a) regente: Sônia Maria Defaveri Ciotta
Professor (a) estagiário (a): Jackson Frigotto
Disciplina: História
Turma: 91
O NEOCOLONIALISMO
EUROPEU
 Desde o século XIX os europeus se apossaram de vastas porções de territórios na Ásia e na África;
 Com a derrota dos impérios centrais na Primeira Guerra Mundial (Alemanha, Áustria-Hungria e
Império Otomano) as posses de seus territórios passaram para países como Reino Unido, França
e seus aliados na Europa e na Ásia.
Charge francesa de 1885 sobre a patilha da África
 Durante a Conferência de Berlin em (1844-1885),
países como Itália, França, Grã-Bretanha,
Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Alemanha,
Império Otomano, Portugal, Bélgica, Holanda,
Suécia, Rússia e Império Austro- Húngaro
participaram de negociações e mediações para a
partilha do continente africano;
 Os objetivos desses países eram assegurar o
fornecimento de recursos e matérias-primas para
suas indústrias, além de garantir mercados
consumidores fixos para seus produtos;
Ilustração da Conferência de Berlin pela revista alemã
“Illustrierte Zeitung”, 1884.
Mapas da configuração territorial do continente africano em agosto de 1945
RAZÕES DA INDEPENDÊNCIA
NA ÁSIA E ÁFRICA
 1- A luta dos próprios africanos e dos asiáticos pela independência dos povos
africanos;
 2- O enfraquecimento das potências colonialistas europeias divido às perdas
sofridas na Segunda Guerra Mundial;
 3- A força de movimentos como o pan-africanismo e a negritude;
PAN-AFRICANISMO
 Movimento político ideológico surgido na América Central no início do século XX;
 Tinha a intenção de libertar os negros da pobreza e da opressão;
 Marcus Garvey, por exemplo – propôs o retorno dos negros à África por conta da opressão e
discriminação que sofriam na América e na Europa.
Intelectual jamaicano Marcus
Garvey, 1940.
NEGRITUDE
 Movimento político – literário nascido no final dos anos 1930 e contribuiu para as ideias em prol das
independências africanas;
 Léopold Senghor (primeiro presidente do Senegal) e Aime Césaire, ambos escritores e poetas foram
grandes nomes desse movimento;
 Os membros do movimento defendiam a valorização das culturas
Aime Césaire, intelectual
francês nascido na Ilha
de Martinica
Léopold Senghor
PRÉSENCE AFRICAINE
 Foi uma revista fundada em paris pelo filósofo senegalês Alioune Diop;
 Teve o papel de difundir a história africana da Negritude de do Pan-aficanismo na Europa
Alioune Diop
Capa da edição
edição de 1947 da
revista
ÍNDIA E PAQUISTÃO
Mahatma Gandhi, líder do
movimento da resistência pacífica
pela independência da índia. O país
acabou dividido em dois (índia e
Paquistão em 1947.
A INDEPENDÊNCIA DO
CONGO
À esquerda, o Rei Belga
Leopoldo II. Durante seu
reinado, estima-se que
cerca de 10 milhões de
congoleses morreram
devido à violência dos
colonizadores belgas.
Patrice Lumumba - o principal líder do
movimento de independência do Congo,
(Movimento Nacional Congolês) governou
seu pais já independente de 1960 a 1961.
ANGOLA, MOÇAMBIQUE E
GUINÉ-BISSAU
Desde os anos 1930, seu governo já
reprimia por meio policial e militar
manifestações por independência na
África portuguesa. Quando os
movimentos de africanos de
libertação pegaram em armas contra
Portugal, Salazar respondeu com a
força militar, período hoje conhecido
por Guerra do Ultramar (1961 –
1974).
Antônio de Oliveira Salazar,
foi o governante autoritário de
Portugal de 1932 a 1968.
Agostinho Neto (à esquerda)
e Mario Pinto de Andrade (à
direita), foram estudantes
fundadores do Centro de
Estudos Africanos em
Lisboa, em 1952.
Posteriormente seriam
lideranças durante o
processo de independência
de Angola.
Agostinho Neto lideraria o
MPLA (Movimento Popular
para a Libertação de
Angola)
À esquerda, Samora Machel, líder da
FRELIMO (Frente para a Libertação
de Moçambique), principal liderança
responsável pela independência
daquele país e futuro governante.
À direita, Amílcar Cabral, líder e
fundador do PAIGC (Partido Africano
para a Independência da Guiné e de
Cabo Verde).
A REVOLUÇÃO DOS CRAVOS
Em 1974, os gastos com a Guerra do
Ultramar já somavam 40% dos
gastos do governo, além de ocasionar
a morte de milhares de jovens
portugueses que lutaram na guerra.
Em 1974, liderada por jovens oficiais
do Exército Português e com grande
apoio popular, eclodiu a Revolução
dos Cravos, um movimento pacífico
de greves e protestos regrados a
discursos canções e cravos que
culminou na queda do regime de
Salazar após 42 anos de duração.
Marcelo Caetano, então
presidente de Portugal e
continuador do regime
salazarista.
A ÁFRICA DO SUL
A LUTA CONTRA O
APARTHEID
 A partir de 1948, a minoria branca na África do Sul
oficializou o apartheid: regime segregacionista que
obrigava os negros (maioria) a morar e a frequentar
locais separados dos brancos. A população negra também
era proibida de possuírem terras em 87% do território
sul-africano.
Como reação, formou-se o CNA (Congresso Nacional
Africano) que tinha Nelson Mandela como um de seus
líderes. O CNA, promoveu manifestações contra o apartheid,
que causaram a prisão de seus líderes (Mandela incluso).
O Massacre de Soweto
Em junho de 1976, estudante negros que
protestavam contra o regime, foram
duramente reprimidos pela polícia sul-
africana. Os dados dão conta de que 170
crianças negras presentes na manifestação
foram mortas, o que gerou comoção
internacional.
Mitos países começaram a impor sanções
econômicas à África do Sul. O governo sul-
africano não resistiu à presão e anulou as
leis racistas em 1990. O CNA foi legalizado
e Nelson Mandela foi libertado da prisão
junto de seus companheiros de militância.
Nelson Mandela descendia de uma
tribo sul-africana denominada
Thembu e foi militante do CNA. Foi
preso, condenado e depois libertado
após o fim do apartheid, chegando à
presidência do país em 1994
durante a primeira eleição com a
participação de negros na história
da África do Sul.
Durante seu governo (1994 – 1999),
aprovou, com o apoio do parlamento,
a Lei de Direitos sobre a Terra.
Assim, as famílias negras que
tiveram suas terras confiscadas
pelos brancos, foram finalmente
restituídas de suas posses.
REFERÊNCIAS/FONTES
 http://www.tancredoprofessor.com.br/conteudo/24/imperialismo,-a-expansao-colonial-sobre-a-asia-e-a-africa.;
 https://kappamapgroup.com/product/160-asian-imperialism-to-1910/
 https://ensinarhistoria.com.br/a-conferencia-de-berlim-e-o-destino-da-africa/
 https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Flag_map_of_Colonial_Africa_%281945%29.png
 https://www.coladaweb.com/historia/descolonizacao-india
 https://claudio-zeiger.blogspot.com/2014/03/as-colonias-africanas-o-estado-livre-do.html
 https://www.thetimes.co.uk/article/review-the-british-in-india-three-centuries-of-ambition-and-experience-by-david-
gilmour-why-the-raj-and-empire-confound-simplistic-moral-judgement-g9z0dn3w7
 https://www.nytimes.com/2013/06/28/world/africa/mandela-obama-africa.html
 https://malomil.blogspot.com/2015/02/portugal-nao-e-um-pais-pequeno.html
 https://www.palmares.gov.br/?p=53647
 https://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/06/40-anos-do-levante-de-soweto-um-dia-para-nao-esquecer.html
 https://www.newyorker.com/news/news-desk/nelson-mandela-a-life-in-photographs

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
 
Governos Populistas no Brasil (1945 - 1964).ppt
Governos Populistas no Brasil (1945 - 1964).pptGovernos Populistas no Brasil (1945 - 1964).ppt
Governos Populistas no Brasil (1945 - 1964).ppt
 
A revolução russa slides
A revolução russa slidesA revolução russa slides
A revolução russa slides
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29PPT - Crise de 29
PPT - Crise de 29
 
Getuliio vargas 1950-1954
Getuliio vargas 1950-1954Getuliio vargas 1950-1954
Getuliio vargas 1950-1954
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
Dutra e Vargas - de 1946 a 1954
Dutra e Vargas - de 1946 a 1954Dutra e Vargas - de 1946 a 1954
Dutra e Vargas - de 1946 a 1954
 
Torturas ditadura militar_no_brasil
Torturas ditadura militar_no_brasilTorturas ditadura militar_no_brasil
Torturas ditadura militar_no_brasil
 
Dutra e vargas
Dutra e vargasDutra e vargas
Dutra e vargas
 
Transferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasilTransferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasil
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
 
Brasil Contemporâneo - Prof. Medeiros
Brasil Contemporâneo - Prof. MedeirosBrasil Contemporâneo - Prof. Medeiros
Brasil Contemporâneo - Prof. Medeiros
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
A Ditadura Militar
A Ditadura MilitarA Ditadura Militar
A Ditadura Militar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 

Semelhante a Nacionalismos Africano e Asiático

A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdf
A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdfA DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdf
A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdfWanderleiMenezes7
 
A guerra fria na áfrica e no oriente médio
A guerra fria na áfrica e no oriente médioA guerra fria na áfrica e no oriente médio
A guerra fria na áfrica e no oriente médioNelia Salles Nantes
 
Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma
 Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma
Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelmaJOSYNEL
 
Negro e vermelho
Negro e vermelhoNegro e vermelho
Negro e vermelhomoratonoise
 
Africa e Mandela
Africa e Mandela Africa e Mandela
Africa e Mandela JuliaAisaka
 
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africana
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africanaHistória e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africana
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africanaMario Filho
 
2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonizaçãoCarlos Vieira
 
Historicidade continente africano
Historicidade continente africanoHistoricidade continente africano
Historicidade continente africanoRaquel Avila
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaIsaquel Silva
 
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulA figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulRoberto Rabat Chame
 
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulA figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulFernando Alcoforado
 
Nelson mandela um legado de luta e conciliação
Nelson mandela um legado de luta e conciliaçãoNelson mandela um legado de luta e conciliação
Nelson mandela um legado de luta e conciliaçãoMauricio da Silva
 

Semelhante a Nacionalismos Africano e Asiático (20)

A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdf
A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdfA DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdf
A DESCOLONIZAÇÃO DA ÁFRICA - Aula Didática.pdf
 
A guerra fria na áfrica e no oriente médio
A guerra fria na áfrica e no oriente médioA guerra fria na áfrica e no oriente médio
A guerra fria na áfrica e no oriente médio
 
Descolonizacao da Africa e Asia
Descolonizacao da Africa e AsiaDescolonizacao da Africa e Asia
Descolonizacao da Africa e Asia
 
APARTHEID
APARTHEID APARTHEID
APARTHEID
 
Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma
 Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma
Fim dos_imperios_coloniais_na_africa_e_na_asia- nelma
 
Descolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiáticaDescolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiática
 
Negro e vermelho
Negro e vermelhoNegro e vermelho
Negro e vermelho
 
Africa e Mandela
Africa e Mandela Africa e Mandela
Africa e Mandela
 
Apartheid
ApartheidApartheid
Apartheid
 
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africana
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africanaHistória e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africana
História e Cultura Africana - Aula 3 - A descolonização africana
 
2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização
 
Historicidade continente africano
Historicidade continente africanoHistoricidade continente africano
Historicidade continente africano
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 
Descolonização afro asiática
Descolonização afro asiáticaDescolonização afro asiática
Descolonização afro asiática
 
Descolonização
DescolonizaçãoDescolonização
Descolonização
 
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulA figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
 
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sulA figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
A figura providencial de nelson mandela na áfrica do sul
 
Panafricabismo e libertacao
Panafricabismo e libertacaoPanafricabismo e libertacao
Panafricabismo e libertacao
 
Panafricabismo e libertacao
Panafricabismo e libertacaoPanafricabismo e libertacao
Panafricabismo e libertacao
 
Nelson mandela um legado de luta e conciliação
Nelson mandela um legado de luta e conciliaçãoNelson mandela um legado de luta e conciliação
Nelson mandela um legado de luta e conciliação
 

Mais de JacksonFrigotto

Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxAula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxJacksonFrigotto
 
Revoltas na Primeira República.pptx
Revoltas na Primeira República.pptxRevoltas na Primeira República.pptx
Revoltas na Primeira República.pptxJacksonFrigotto
 
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptx
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptxTrabalho Avaliativo-revoltas.pptx
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptxJacksonFrigotto
 
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxAula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxJacksonFrigotto
 
Primeira Guerra Mundial (3).pptx
Primeira Guerra Mundial (3).pptxPrimeira Guerra Mundial (3).pptx
Primeira Guerra Mundial (3).pptxJacksonFrigotto
 
Trabalho avaliativo.pptx
Trabalho avaliativo.pptxTrabalho avaliativo.pptx
Trabalho avaliativo.pptxJacksonFrigotto
 
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptxAulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptxJacksonFrigotto
 
Aula 1- Guerra Fria.pptx
Aula 1- Guerra Fria.pptxAula 1- Guerra Fria.pptx
Aula 1- Guerra Fria.pptxJacksonFrigotto
 

Mais de JacksonFrigotto (11)

A ERA VARGAS.pptx
A ERA VARGAS.pptxA ERA VARGAS.pptx
A ERA VARGAS.pptx
 
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxAula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
 
REP OLIGÁRQUICA.pptx
REP OLIGÁRQUICA.pptxREP OLIGÁRQUICA.pptx
REP OLIGÁRQUICA.pptx
 
Revoltas na Primeira República.pptx
Revoltas na Primeira República.pptxRevoltas na Primeira República.pptx
Revoltas na Primeira República.pptx
 
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptx
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptxTrabalho Avaliativo-revoltas.pptx
Trabalho Avaliativo-revoltas.pptx
 
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptxAula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
Aula 4 - Instauração da República no Brasil.pptx
 
Revolução Russa.pptx
Revolução Russa.pptxRevolução Russa.pptx
Revolução Russa.pptx
 
Primeira Guerra Mundial (3).pptx
Primeira Guerra Mundial (3).pptxPrimeira Guerra Mundial (3).pptx
Primeira Guerra Mundial (3).pptx
 
Trabalho avaliativo.pptx
Trabalho avaliativo.pptxTrabalho avaliativo.pptx
Trabalho avaliativo.pptx
 
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptxAulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
 
Aula 1- Guerra Fria.pptx
Aula 1- Guerra Fria.pptxAula 1- Guerra Fria.pptx
Aula 1- Guerra Fria.pptx
 

Último

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 

Último (20)

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 

Nacionalismos Africano e Asiático

  • 1. NACIONALISMOS AFRICANO E ASIÁTICO Instituição: Colégio Estadual de Ensino Médio Professor Ulisses Cabral Professor (a) orientador (a): Cristine Fortes Lia Professor (a) regente: Sônia Maria Defaveri Ciotta Professor (a) estagiário (a): Jackson Frigotto Disciplina: História Turma: 91
  • 2. O NEOCOLONIALISMO EUROPEU  Desde o século XIX os europeus se apossaram de vastas porções de territórios na Ásia e na África;  Com a derrota dos impérios centrais na Primeira Guerra Mundial (Alemanha, Áustria-Hungria e Império Otomano) as posses de seus territórios passaram para países como Reino Unido, França e seus aliados na Europa e na Ásia.
  • 3. Charge francesa de 1885 sobre a patilha da África
  • 4.
  • 5.
  • 6.  Durante a Conferência de Berlin em (1844-1885), países como Itália, França, Grã-Bretanha, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Alemanha, Império Otomano, Portugal, Bélgica, Holanda, Suécia, Rússia e Império Austro- Húngaro participaram de negociações e mediações para a partilha do continente africano;  Os objetivos desses países eram assegurar o fornecimento de recursos e matérias-primas para suas indústrias, além de garantir mercados consumidores fixos para seus produtos; Ilustração da Conferência de Berlin pela revista alemã “Illustrierte Zeitung”, 1884.
  • 7. Mapas da configuração territorial do continente africano em agosto de 1945
  • 8.
  • 9. RAZÕES DA INDEPENDÊNCIA NA ÁSIA E ÁFRICA  1- A luta dos próprios africanos e dos asiáticos pela independência dos povos africanos;  2- O enfraquecimento das potências colonialistas europeias divido às perdas sofridas na Segunda Guerra Mundial;  3- A força de movimentos como o pan-africanismo e a negritude;
  • 10. PAN-AFRICANISMO  Movimento político ideológico surgido na América Central no início do século XX;  Tinha a intenção de libertar os negros da pobreza e da opressão;  Marcus Garvey, por exemplo – propôs o retorno dos negros à África por conta da opressão e discriminação que sofriam na América e na Europa. Intelectual jamaicano Marcus Garvey, 1940.
  • 11. NEGRITUDE  Movimento político – literário nascido no final dos anos 1930 e contribuiu para as ideias em prol das independências africanas;  Léopold Senghor (primeiro presidente do Senegal) e Aime Césaire, ambos escritores e poetas foram grandes nomes desse movimento;  Os membros do movimento defendiam a valorização das culturas Aime Césaire, intelectual francês nascido na Ilha de Martinica Léopold Senghor
  • 12. PRÉSENCE AFRICAINE  Foi uma revista fundada em paris pelo filósofo senegalês Alioune Diop;  Teve o papel de difundir a história africana da Negritude de do Pan-aficanismo na Europa Alioune Diop Capa da edição edição de 1947 da revista
  • 13. ÍNDIA E PAQUISTÃO Mahatma Gandhi, líder do movimento da resistência pacífica pela independência da índia. O país acabou dividido em dois (índia e Paquistão em 1947.
  • 14.
  • 15.
  • 16. A INDEPENDÊNCIA DO CONGO À esquerda, o Rei Belga Leopoldo II. Durante seu reinado, estima-se que cerca de 10 milhões de congoleses morreram devido à violência dos colonizadores belgas.
  • 17.
  • 18. Patrice Lumumba - o principal líder do movimento de independência do Congo, (Movimento Nacional Congolês) governou seu pais já independente de 1960 a 1961.
  • 20.
  • 21. Desde os anos 1930, seu governo já reprimia por meio policial e militar manifestações por independência na África portuguesa. Quando os movimentos de africanos de libertação pegaram em armas contra Portugal, Salazar respondeu com a força militar, período hoje conhecido por Guerra do Ultramar (1961 – 1974). Antônio de Oliveira Salazar, foi o governante autoritário de Portugal de 1932 a 1968.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Agostinho Neto (à esquerda) e Mario Pinto de Andrade (à direita), foram estudantes fundadores do Centro de Estudos Africanos em Lisboa, em 1952. Posteriormente seriam lideranças durante o processo de independência de Angola. Agostinho Neto lideraria o MPLA (Movimento Popular para a Libertação de Angola)
  • 25. À esquerda, Samora Machel, líder da FRELIMO (Frente para a Libertação de Moçambique), principal liderança responsável pela independência daquele país e futuro governante. À direita, Amílcar Cabral, líder e fundador do PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e de Cabo Verde).
  • 26. A REVOLUÇÃO DOS CRAVOS Em 1974, os gastos com a Guerra do Ultramar já somavam 40% dos gastos do governo, além de ocasionar a morte de milhares de jovens portugueses que lutaram na guerra. Em 1974, liderada por jovens oficiais do Exército Português e com grande apoio popular, eclodiu a Revolução dos Cravos, um movimento pacífico de greves e protestos regrados a discursos canções e cravos que culminou na queda do regime de Salazar após 42 anos de duração. Marcelo Caetano, então presidente de Portugal e continuador do regime salazarista.
  • 28.
  • 29. A LUTA CONTRA O APARTHEID  A partir de 1948, a minoria branca na África do Sul oficializou o apartheid: regime segregacionista que obrigava os negros (maioria) a morar e a frequentar locais separados dos brancos. A população negra também era proibida de possuírem terras em 87% do território sul-africano. Como reação, formou-se o CNA (Congresso Nacional Africano) que tinha Nelson Mandela como um de seus líderes. O CNA, promoveu manifestações contra o apartheid, que causaram a prisão de seus líderes (Mandela incluso).
  • 30.
  • 31. O Massacre de Soweto Em junho de 1976, estudante negros que protestavam contra o regime, foram duramente reprimidos pela polícia sul- africana. Os dados dão conta de que 170 crianças negras presentes na manifestação foram mortas, o que gerou comoção internacional. Mitos países começaram a impor sanções econômicas à África do Sul. O governo sul- africano não resistiu à presão e anulou as leis racistas em 1990. O CNA foi legalizado e Nelson Mandela foi libertado da prisão junto de seus companheiros de militância.
  • 32. Nelson Mandela descendia de uma tribo sul-africana denominada Thembu e foi militante do CNA. Foi preso, condenado e depois libertado após o fim do apartheid, chegando à presidência do país em 1994 durante a primeira eleição com a participação de negros na história da África do Sul. Durante seu governo (1994 – 1999), aprovou, com o apoio do parlamento, a Lei de Direitos sobre a Terra. Assim, as famílias negras que tiveram suas terras confiscadas pelos brancos, foram finalmente restituídas de suas posses.
  • 33.
  • 34. REFERÊNCIAS/FONTES  http://www.tancredoprofessor.com.br/conteudo/24/imperialismo,-a-expansao-colonial-sobre-a-asia-e-a-africa.;  https://kappamapgroup.com/product/160-asian-imperialism-to-1910/  https://ensinarhistoria.com.br/a-conferencia-de-berlim-e-o-destino-da-africa/  https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Flag_map_of_Colonial_Africa_%281945%29.png  https://www.coladaweb.com/historia/descolonizacao-india  https://claudio-zeiger.blogspot.com/2014/03/as-colonias-africanas-o-estado-livre-do.html  https://www.thetimes.co.uk/article/review-the-british-in-india-three-centuries-of-ambition-and-experience-by-david- gilmour-why-the-raj-and-empire-confound-simplistic-moral-judgement-g9z0dn3w7  https://www.nytimes.com/2013/06/28/world/africa/mandela-obama-africa.html  https://malomil.blogspot.com/2015/02/portugal-nao-e-um-pais-pequeno.html  https://www.palmares.gov.br/?p=53647  https://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/06/40-anos-do-levante-de-soweto-um-dia-para-nao-esquecer.html  https://www.newyorker.com/news/news-desk/nelson-mandela-a-life-in-photographs