CI1205      Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto no      Desempenho das       Empresas BrasileirasSUSTENTABILIDADE...
É possível utilizar o isomorfismo como uma interpretação     inclusão social. As organizações inseridas nas cadeiaspara qu...
como a utilização de materiais de baixo impacto, e essa    Com esses três processos, o isomorfismo institucionalempresa se...
A partir de seu decreto, o Comitê passou a incentivar         A partir da demarcação dos processos sustentáveisdiversas in...
redução menor do que 25% e maior ou igual a 20%.            que beneficiem tanto o meio ambiente quanto os seus(COUTINHO; ...
As organizações que a adotarem possuirão algumas           trazendo ganhos constantes para o hotel no longo prazo.vantagen...
dessas organizações visam à utilização equilibrada dos            CONSIDERAÇÕES FINAISrecursos naturais e diminuição dos i...
REFERÊNCIAS                                                Planejamento e Monitoramento Ambiental, 2011. 40               ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sustentabilidade e o isomorfismo institucional: o caso do programa de certificação em sustentabilidade ambiental de Belo Horizonte

1.522 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sustentabilidade e o isomorfismo institucional: o caso do programa de certificação em sustentabilidade ambiental de Belo Horizonte

  1. 1. CI1205 Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto no Desempenho das Empresas BrasileirasSUSTENTABILIDADE E O ISOMORFISMO INSTITUCIONAL: O Caso do Programade Certificação em Sustentabilidade Ambiental de Belo HorizonteLucas Amaral Lauriano, Eduarda Carvalhaes INTRODUÇÃO Além de entender as motivações para a criação desse Programa, uma das possibilidades de análise desse caso é buscar formular hipóteses relacionadas ao papel queD iversas tentativas com o objetivo de direcionar ocomportamento das organizações, indivíduos e nações a certificação pode assumir no estímulo a determinado padrão de comportamento das organizações. Objetiva-se analisar neste estudo como o Programa de Certificação empara a sustentabilidade vêm ocorrendo. A definiçãomais ampla de desenvolvimento sustentável nos diz Sustentabilidade Ambiental de Belo Horizonte pode incitarque é preciso satisfazer as necessidades atuais sem a homogeneização do comportamento das organizaçõescomprometer as necessidades das gerações futuras. em nível local em prol da sustentabilidade.(WCED, 1987). Como não é possível compreender Para tal, o arcabouço utilizado será o isomorfismoexatamente quais são as necessidades atuais e as institucional, com ênfase nas pressões informaisfuturas, o conceito é considerado apenas um ponto de pressupostas pelo isomorfismo coercitivo. Essaspartida para se pensar a sustentabilidade. considerações teóricas serão feitas na próxima seção,A crescente preocupação com o tema e o aumento para que na seção três o Programa de Certificaçãoda conscientização por parte das organizações, em Sustentabilidade Ambiental de Belo Horizonte sejainteressadas em dar continuidade à exploração apresentado. Na seção quatro algumas consideraçõesequilibrada dos recursos naturais, vêm gerando pressões acerca do papel da Certificação na promoção dano desenvolvimento de fiscalizações no mercado como homogeneização comportamental das organizaçõesum todo. Nesse sentido, é interessante entender o papel serão apontadas. Por fim, a seção cinco traz algumasque as certificações e legislações exercem em iniciativas considerações finais.que são vinculadas à diminuição de impactos negativosdas organizações no meio ambiente natural.O Programa de Certificação em SustentabilidadeAmbiental é um caso referente ao município de BeloHorizonte que se encaixa no contexto. Desenvolvido O ISOMORFISMOpela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, em conjuntocom o Comitê de Mudanças Climáticas e Ecoeficiência, INSTITUCIONAL E Ao Programa “[...] possui por finalidade estimular a prática de SUSTENTABILIDADE processos mais sustentáveis no que diz respeito O isomorfismo é a tendência de homogeneização que aos efluentes gerados, sejam sólidos, líquidos as organizações possuem na atualidade, e “[...] constitui ou gasosos, ao tratamento e/ou reuso desses um processo de restrição que força uma unidade em afluentes, à eficientização do consumo de água e uma população a se assemelhar a outras unidades que energia e aos materiais de construção utilizados no enfrentam o mesmo conjunto de condições ambientais.” setor da construção civil”. (COUTINHO, 2011). (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.76).
  2. 2. É possível utilizar o isomorfismo como uma interpretação inclusão social. As organizações inseridas nas cadeiaspara que a sustentabilidade surja nas organizações. produtivas adotam então comportamentos que buscamNesse sentido, deveria haver a homogeneização do o alcance dos anseios da sociedade urbana.comportamento em prol da sustentabilidade em um Já o processo mimético surge quando as organizaçõesprocesso de isomorfismo institucional identificado em utilizam outras como modelo, seja pela falta detrês mecanismos: (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.77). compreensão das tecnologias organizacionais, “[...] •• Isomorfismo coercitivo quando as metas são ambíguas ou o ambiente cria uma incerteza simbólica.” (DIMAGGIO; POWELL, •• Processos miméticos 2005, p.78). •• Pressões normativas Práticas que levam à sustentabilidade, adotadas pelas organizações inseridas nas cadeias produtivas, são, O isomorfismo coercitivo resulta tanto de pressões muitas vezes, parte de um processo de isomorfismo formais quanto de pressões informais exercidas mimético, já que o problema da sustentabilidade sobre as organizações por outras organizações perpassa por todas as características supracitadas. das quais elas dependem, e pelas expectativas O problema do excesso de gás carbônico na atmosfera, culturais da sociedade em que as organizações por exemplo. Sabe-se que mudanças climáticas são atuam. (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.77). causadas por isso, mas existe uma incerteza com relação ao que fazer e o que pode acontecer se nada for feito para mitigar o problema. Além disso, muitasNo setor da construção, por exemplo, é cada vez maior organizações não compreendem as tecnologiaso número de consumidores que exigem a eficiência no organizacionais que permitem a diminuição de emissãoconsumo de água e energia das instalações prediais. de CO2 em suas atividades e, por isso, utilizam outrasEsse comportamento faz com que as organizações organizações que já possuem esse processo emadotem medidas para que o desperdício dos recursos andamento como exemplo.seja minimizado. Apesar de ser uma pressão informal, as Esse processo pode não ser eficiente, afinal, como saberconstrutoras adotam determinado padrão de construção que a empresa que serve de modelo está no caminhoque está de acordo com essa pressão. certo? Essas organizações servem “[...] como fontePor outro lado, o setor governamental também pode conveniente de práticas que a organização que a copiaincitar o processo de isomorfismo coercitivo, com a pode imitar.” (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.78). Nessescriação de leis mais rigorosas e alinhadas com os casos, não é possível definir se aqueles que “copiam” sãoprincípios de sustentabilidade. É importante lembrar que indivíduos conscientes ou não, já que a consciência doas leis partem de iniciativas de profissionais conscientes indivíduo pode estar direcionada somente com o cálculodentro do governo que enxergam a necessidade de racional que visa ao lucro.homogeneizar o comportamento das organizações para Por outro lado, é importante incentivar o processoque estas ajam de maneira mais sustentável. mimético de práticas que já são tidas como positivas para aA lei de proibição de uso de sacolas plásticas pelos sustentabilidade, como aquelas relacionadas com a gestãoestabelecimentos comerciais em diversas cidades responsável para a sustentabilidade (GRS). Quanto maisbrasileiras é um exemplo. Em resposta direta à ordem comportamentos relacionados à GRS forem incorporadosgovernamental, um comportamento que outrora fazia parte na rotina dos indivíduos, maior é a consciência dessesde uma realidade diferente do cotidiano é incorporado atores sociais para a sustentabilidade.na rotina dos indivíduos, seja enquanto cidadãos, De maneira geral, quanto mais ampla a populaçãoconsumidores ou profissionais. O ambiente legal comum de pessoas empregadas ou a quantidade de clientesafeta as organizações de diferentes maneiras, mas é servidos por uma organização, maior a pressãouma importante maneira de rotinizar o comportamento sentida pela organização para oferecer os programas eorganizacional em prol da sustentabilidade. oferecidos por outras organizações. Assim, tanto umaHá ainda um isomorfismo coercitivo mais sutil como nas força de trabalho experiente quanto uma ampla basecomunidades urbanas comprometidas com a democracia de clientes pode impulsionar o isomorfismo mimético.participativa. (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.78). Nesses (DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.79).casos levam-se em consideração questões sociais, como Supondo que uma grande empresa de empreendimentosmaior participação da sociedade no processo de tomada imobiliários adote práticas e posturas sustentáveis,de decisão, tentativas de diminuição da desigualdade e Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 2
  3. 3. como a utilização de materiais de baixo impacto, e essa Com esses três processos, o isomorfismo institucionalempresa seja reconhecida não somente dentro da cadeia tende a ocorrer nas organizações, e a sustentabilidadeprodutiva do setor, mas também pela sociedade, como pode ser alcançada se pensarmos por esses processos.uma empresa com posturas adequadas, há a tendência Com isso não queremos dizer que todas as organizaçõesde que essas práticas incentivem outras empresas a traçarão os mesmos planos e estratégias para atambém adotar essa postura. O determinante para que sustentabilidade, e sim que elas tendem a incorporar auma empresa catalise o processo mimético é o impacto sustentabilidade em seus sistemas de gestão.dessa organização e a percepção de outras de que a Falar de sustentabilidade é incluir uma gama deorganização a ser copiada é legítima e bem-sucedida. temas que variam imensamente de um elo a outro na(DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.79), cadeia produtiva; assim, mesmo atuando em prol daPor fim, as pressões normativas derivam principalmente sustentabilidade, as empresas atuarão de maneirasda profissionalização, entendendo esta distintas. A sustentabilidade nas organizações deve estar em coerência com as peculiaridades da organização, o[...] como a luta coletiva de membros de uma profissão que, intuitivamente, nos leva à conclusão de que diversaspara definir as condições e os métodos de seu trabalho, ações diferentes em prol da sustentabilidade surgirão.para controlar a “produção dos produtores” (LARSON,1977, p.49-52) e para estabelecer uma base cognitivae legitimação para a autonomia de sua profissão.(DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.79).Os profissionais dentro das organizações também estãosujeitos aos processos miméticos e coercitivos, mas é PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃOinteressante observar os aspectos da profissionalização EM SUSTENTABILIDADEque incentivam o isomorfismo: a educação formale a seleção de pessoal. (DIMAGGIO; POWELL, AMBIENTAL2005, p.80). Com relação ao primeiro, é a essênciado processo de conscientização, já que pressupõeque determinados conhecimentos e práticas serão O Programa de Certificação de Sustentabilidadereplicadas para os profissionais, que por sua vez fazem Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente departe da organização. Belo Horizonte (SMM) foi marcado em 2006 pela criaçãoA educação para a sustentabilidade deve existir para do Comitê de Mudanças Climáticas e Ecoeficiência. Esteque os profissionais, ou futuros profissionais, saiam tinha como objetivo o desenvolvimento de ações quedas instituições de ensino preparados para aplicar os visavam à redução das emissões de gases poluentes,conhecimentos apreendidos de maneira que todos contemplando a utilização de fontes renováveis deapresentem um comportamento homogêneo em relação energia, a melhoria da eficiência energética, o usoà sustentabilidade. Quando esses indivíduos atuam em racional de energia e a promoção da redução, reutilizaçãosuas organizações dessa maneira, há a rotinização e reciclagem de resíduos. (COUTINHO, 2011).desse comportamento. Nestes termos a Prefeitura de Belo Horizonte atuaO segundo aspecto se apresenta quando percebemos então, dentro de sua competência e de acordo com oque existe a reprodução da gestão. Os candidatos a Art. 9 do projeto de lei n˚1518/2011, com o intuito deuma vaga são escolhidos, geralmente, a partir de um incentivar e facilitar práticas ambientais sustentáveismesmo grupo de atributos e universidades, tendendo dentro do âmbito da construção civil. Assim sendo,assim “[...] a enxergar os problemas da mesma maneira, ela possui como dever promover ações e campanhasa considerar como normativamente sancionados e de educação ambiental, orientar e fiscalizar oslegitimados os mesmos procedimentos, estruturas agentes envolvidos no processo. Além de ser de suae políticas e tomarão decisões de maneira similar.” competência definir as áreas destinadas à disposição(DIMAGGIO; POWELL, 2005, p.80). Além disso, quando final de resíduos e efetuar o cadastramento das áreasconsideramos a existência de profissionais conscientes públicas e privadas que possam ser utilizadas paranas organizações, a contratação de aspirantes a recebimento, armazenamento ou triagem de materiaisemprego também conscientes é facilitada. destinados à reutilização ou a reciclagem. Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 3
  4. 4. A partir de seu decreto, o Comitê passou a incentivar A partir da demarcação dos processos sustentáveisdiversas iniciativas e trabalhos que visavam a ações em ligados a cada tema, foram criados três tipos deprol da sustentabilidade. Em seu histórico podem ser Categorias de Certificações, ou três tipos de Seloslistadas a participação no projeto REDE ELO do ICLEI1, Verdes, que classificam os empreendimentos. O Selodesde 2006; a participação no projeto PoliCS do ICLEI, Bronze é destinado a empreendimentos que atenderamdesde 2008; a elaboração e a publicação do documento apenas um tema sustentável, o Selo Prata é designado“Diretrizes sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência a empreendimentos que atenderam dois temas e o Seloem Belo Horizonte”, em dezembro de 2008; a aprovação Ouro a empreendimentos que atenderam, no mínimo,da Deliberação Normativa n˚ 66, em 2009; a elaboração três temas.do Inventário dos Gases de Efeito Estuda do Municípiode Belo Horizonte, concluído em 2009, e a concepção doPrograma de Certificação de Sustentabilidade Ambiental,de 2009 a 2011. (MORAVIA, 2011).Apesar das várias contribuições do Comitê para asiniciativas sustentáveis do município, este artigopretende abordar o viés do Programa de Certificação emSustentabilidade Ambiental em empreendimentos.O Programa pretende, além de lançar diretrizes queincentivem a mitigação dos impactos ambientaisnegativos causados pelas construções existentese em licenciamento no município, valorizar osempreendimentos que buscam a diminuição dessesimpactos e, ao mesmo tempo, mostrar aos consumidoresque empreendimentos de baixo impacto são opções Figura 1: Selos de Certificação de Sustentabilidade.atrativas economicamente. Essa política pública é Fonte: MORAVIA, 2011.resultante de discussões do Comitê Municipal deMudanças Climáticas e Ecoeficiência (CMMCE) etambém fará parte de um Programa de sustentabilidade A Certificação será facultada a todos as edificaçõespara a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. (MORAVIA, regularmente licenciadas no município, sendo estas2011, slide 4). “públicas e privadas, residenciais, comerciais e/ou industriais, que adotarem medidas que contribuam para aTendo como base legal a Deliberação Normativa n˚ redução do consumo de água, de energia, das emissões66/2009 do Conselho Municipal de Meio Ambiente e da geração de resíduos sólidos”. (MORAVIA, 2011).(COMAM), o Programa visa à implementação deprocessos ambientais tendo como base quatro temas A análise feita para indicar os resultados de cadada sustentabilidade ligados ao meio ambiente: a água, dimensão será baseada na entrega de dois resultados,a energia, os resíduos e as emissões atmosféricas. dependendo do valor alcançado em cada tópico avaliado. Os empreendimentos que conseguirem atingirSeguindo as dimensões trabalhadas, foram estabelecidos o índice esperado ganharão o Selo de Certificação deentão os objetivos específicos, que são, respectivamente, Sustentabilidade. Aqueles que não obtiverem o índice,a redução do consumo de água incentivando a mas que alcançarem uma redução significativa, ou seja,eficientização, a prática de utilização de água de chuva e uma redução menor que a prevista pelo Programa,a reciclagem; a redução do consumo de energia elétrica ganharão o certificado de Boas Práticas.buscando a eficientização, a utilização de aquecedoressolares e a geração de energia; a redução e reciclagem Com isso, no que diz respeito à dimensão da Água,de resíduos sólidos; e, por fim, redução, neutralização, só será destinado à certificação de resultado oe/ou a compensação das emissões de gases de efeito empreendimento que conseguir redução maior ou igualestufa. (COUTINHO, 2011). de 30%. Aqueles que obtiverem redução menor do que 30% e maior ou igual 20% receberão a certificação de1 O ICLEI é Associação democrática internacional de governos Boas Práticas. (COUTINHO; LOTT, 2011).locais e organizações governamentais de diferentes esferas, Na categoria de Energia, o empreendimento sóque assumiram um compromisso com o desenvolvimentosustentável. O Primeiro Congresso Mundial do ICLEI na receberá o resultado de certificação se fizer reduçãoAmérica Latina ocorrerá dos dias 14 a 17 de junho de 2012, do consumo energético maior ou igual a 25%. Eem Belo Horizonte. receberá o certificado de Boas Práticas se conseguir Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 4
  5. 5. redução menor do que 25% e maior ou igual a 20%. que beneficiem tanto o meio ambiente quanto os seus(COUTINHO; LOTT, 2011). consumidores. Ao final, o Projeto contará com um guia de segmentos econômicos sustentáveis – bares,Já na dimensão das Emissões Atmosféricas, o restaurantes, shopping centers, estádios, hotéis etc. -certificado de resultado dependerá da categoria do que, além de ajudarem na conscientização da sociedade,empreendimento. Após reconhecida a sua categoria, também trarão reconhecimento e valorização para essesse o mesmo obtiver compensação e neutralização das empreendimentos envolvidos.emissões atmosféricas de no mínimo 80%, ganharáo Selo de Certificação. Nessa categoria não existe Os trabalhos do Programa de Certificação deo certificado de Boas Práticas por possuir um índice Sustentabilidade Ambiental já tiveram início com aalmejado bastante elevado, devido à alta apreensão no realização de um primeiro workshop sobre a iniciativa,que se refere às emissões de gases de efeito estufa. em setembro de 2011. Sediado no Centro Mineiro de(COUTINHO; LOTT, 2011). Referência em Resíduos, em Belo Horizonte, o evento contou com um público de construtores, consultores ePor fim, na dimensão de Resíduos, a certificação será profissionais de diversos órgãos e empresas interessadosentregue àqueles que reduzirem no mínimo 30% dos no Programa. Nele foram apresentadas iniciativasresíduos, reciclarem no mínimo 70% e executarem ligadas a empreendimentos sustentáveis que estãoum índice de reaproveitamento e/ou compostagem em processo de execução. Também foi apresentadode resíduos de no mínimo 50%. O certificado de Boas o que há de alta tecnologia no mercado que envolve aPráticas ambientais será entregue aos empreendimentos mitigação de impactos ambientais. Essa etapa é umaque conseguirem uma redução de no mínimo 15% importante forma de mostrar as boas práticas existentesdos resíduos, apresentarem um índice de reciclagem no mercado, o que pode incentivar a homogeneizaçãomínimo de 40% e tiverem reaproveitado e/ou levado comportamental das organizações, como veremos naà compostagem no mínimo 20% dos resíduos. próxima seção.(COUTINHO; LOTT, 2011). Apesar de todas essas ações apresentadas noComo o Programa não possui a obrigatoriedade em Workshop serem iniciativas próprias de empreendedoresseus termos, os empreendedores interessados na sensibilizados e conscientizados com a importânciacertificação que já possuem edificações licenciadas, de se pensar nos impactos ambientais negativosou até mesmo que estão sujeitos a licenciamento das organizações, o Programa de Certificação emambiental, devem “apresentar à SMM a Declaração Sustentabilidade Ambiental provoca novos e mais diretosde Intenções, acompanhada do projeto preliminar que incentivos ligados à sustentabilidade, além de tambémcontemple as diretrizes estabelecidas” (COUTINHO, incentivar a consciência em prol da sustentabilidade na2011) pela deliberação da Certificação. Ao se inscrever, sociedade e no setor da construção civil no município.o empreendedor pode ainda optar por todas as Para a compreensão dos efeitos que a certificação podecategorias ou somente pelas que lhe interessa passar incitar na cadeia produtiva do setor da construção depelo critério de análise. Belo Horizonte, o isomorfismo institucional oferece umaA finalização prevista para a implementação do projeto análise interessante, realizada a seguircoincide, propositalmente, com a Copa do Mundo FIFABrasil 2014, pois procura atender os requisitos propostospela FIFA para realização do Programa Green Goal, comojá mencionado. Esse projeto estabelece procedimentospara o licenciamento ambiental dos empreendimentoshoteleiros, que possuírem uma área superior a 6.000 O PAPEL DA CERTIFICAÇÃOm², a se instalarem no município de Belo Horizonte. NA PROMOÇÃO DA(COUTINHO, 2011).O licenciamento contará com duas etapas: a primeira SUSTENTABILIDADEterá uma fase conjunta de Licença Prévia e Licençade Implantação, em que deverão ser apresentados osEstudos de Impacto Ambiental (EIA), juntamente com A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Beloo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) e o Plano de Horizonte pode exercer o isomorfismo coercitivo naControle Ambiental (PCA); e a segunda será a Licença medida em que compreendemos que a Certificaçãode Operação. (COUTINHO, 2011). Ainda como requisito em Sustentabilidade Ambiental, apesar de não ser umado Programa, os empreendimentos deverão preocupar- pressão formal, gera uma mobilização informal parase em utilizar tecnologias de baixo impacto ambiental sua adoção. Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 5
  6. 6. As organizações que a adotarem possuirão algumas trazendo ganhos constantes para o hotel no longo prazo.vantagens, como destaque mercadológico durante (PEIXOTO; TELLO, 2011). Ainda é importante ressaltara Copa do Mundo de 2014, advindo do alinhamento que, nessa mesma rede de hotéis, existe outra edificaçãocom o Programa Green Goal, da FIFA, que reconhece que possui um porte três vezes menor, mas consomeas atitudes voltadas para a diminuição de impactos mais gás por não ter um sistema alternativo de consumonegativos das ações humanas no planeta; com a de energia.adoção da certificação há ainda ganhos econômicos, Outros projetos apresentados como o recém-construídoao diminuir gastos com energia, água, materiais e edifício sede da FIEMG, que possui nível de eficiênciaresíduos. Além disso, vantagens mais subjetivas A certificado pelo PROCEL Edifica2 e o projeto depodem ser mencionadas, como atrelar a imagem da um shopping local, que, além de possuir um sistemaorganização à da sustentabilidade e responsabilidade alternativo de água, implementou um sistema desocial empresarial. captação de água de chuva, servem também de modeloAs vantagens supracitadas não beneficiam somente as para empreendedores que desejam agregar valor tantoorganizações, mas também os consumidores, já que os econômico quando ambiental para seus segmentos.gastos de água e energia serão menores, diminuindo o As iniciativas escolhidas como referência podem gerarcusto da utilização das instalações. Esses fatores podem um efeito de isomorfismo institucional incitado por umgerar uma pressão informal dos consumidores, que processo mimético. Vimos que essa situação decorrepreferirão esse tipo de estabelecimento aos outros. ou da boa imagem que a organização possui dentroA Certificação em Sustentabilidade Ambiental pode do campo organizacional em que atua ou da expertiseafetar campos organizacionais diversos, apesar de todos envolvida nesse processo, a qual não é compartilhadaestarem relacionados de maneira direta ou indireta com o por outras organizações. (DIMAGGIO; POWELL, 2005).setor da construção. Compreende-se aqui como campos Nas duas situações, o empreendimento em questão podeorganizacionais unidades de análise que associam a se enquadrar. Por um lado, o hotel e o shopping possuemsociedade e as organizações, permitindo compreender uma imagem tradicional, que lhe conferem uma boacomo as mudanças nos comportamentos dos atores imagem em seus setores; por outro, os gestores dessessociais se relacionam com as organizações e suas empreendimentos possuem expertise nas tecnologiasatividades e processos. (DIMAGGIO, 1986). utilizadas para diminuição do uso de energia e de água, por já trabalharem com esse tipo de processo.As organizações inseridas nesses campos, como vimos,respondem a atitudes de outras organizações também Outras organizações que também queiram aplicar ainseridas nesses campos. (DIMAGGIO; POWELL, 2005). eficiência energética e de uso de água naturalmenteAs respostas das organizações àquelas que já estão recorrerão aos exemplos, configurando o processoem vias de certificação podem gerar um movimento de mimético descrito por Dimaggio e Powell (2005). Nohomogeneização comportamental. Nesse sentido, além exemplo do hotel, o campo organizacional compostode observar as pressões advindas dos consumidores e pelos hotéis é consolidado, mas isso não impede quedo governo, é possível analisar também um processo as inovações dentro desse campo surjam. O que asmimético que a certificação pode causar. considerações teóricas relacionadas ao isomorfismo nos mostram é que, uma vez que a inovação de uma dessasAlguns exemplos mostrados durante os eventos organizações é comprovadamente bem-sucedida, aorganizados pela Prefeitura de Belo Horizonte são tendência é que outras organizações também passem abastante ilustrativos. O projeto de um hotel de Belo adotá-la, fazendo com que esse seja o comportamentoHorizonte, um empreendimento tradicional e de grande esperado por elas. (DIMAGGIO; POWELL, 2005).porte da cidade, já se destaca há dez anos pela suaeficiência no consumo energético, e é um bom exemplo Se o comportamento esperado dos hotéis for o dede iniciativa que serve para inspirar e influenciar a implantar sistemas de eficiência energética e de usoconscientização do setor. O hotel possui desde o seu da água no longo prazo, é possível correlacionar oprojeto inicial a necessidade de diminuir o consumo isomorfismo institucional com a sustentabilidade, naenergético, adequando o sistema de ar-condicionado medida em que os novos comportamentos esperadosjuntamente com o sistema de aquecimento de água. 2 “O Programa Nacional de Eficiência Energética em(PEIXOTO; TELLO, 2011). Edificações – PROCEL EDIFICA foi instituído em 2003 pelaÉ interessante observar que o investimento para a ELETROBRÁS/PROCEL e atua de forma conjunta com o Ministérios de Minas e Energia, o Ministério das Cidades, asadaptação de dois sistemas para o melhor atendimento universidades, os centros de pesquisa e entidades das áreasdo empreendedor gerou economia de energia tanto para governamental, tecnológica, econômica e de desenvolvimento,a climatização quanto para o aquecimento de água, além do setor da construção civil.” (ELETROBRAS, 2011). Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 6
  7. 7. dessas organizações visam à utilização equilibrada dos CONSIDERAÇÕES FINAISrecursos naturais e diminuição dos impactos negativosdos hotéis no meio ambiente.Da mesma forma, uma das explicações possíveis para O Programa de Certificação em Sustentabilidadea homogeneização comportamental das organizações Ambiental de empreendimentos realizado pela prefeituraé a eliminação de organizações que não satisfaçam de Belo Horizonte é um passo importante para oas condições esperadas pelo mercado. (DIMAGGIO; desenvolvimento sustentável da região, em um primeiroPOWELL, 2005). Ao considerar que a certificação momento, e em escala mais ampla, se considerarmosexerce uma pressão informal para a sua adoção, por uma situação em longo prazo.um lado, e as organizações que a adotam são bem- É importante contextualizar o que queremos dizer e quemsucedidas na diminuição de gastos e alinhamento com deve agir para que o desenvolvimento sustentável ocorraos pressupostos da sustentabilidade, organizações e a teoria do Isomorfismo Institucional nos oferece umaque não satisfazem a essas condições podem perder tipologia bastante simples e ao mesmo tempo robusta. Ovantagens competitivas no longo prazo, desaparecendo caso analisado poderia ser replicado em diversos outrosdo mercado. (DIMAGGIO; POWELL, 2005). âmbitos, local, regional, estadual ou mesmo nacional. OApesar de ser arriscado afirmar que a competição por si objetivo desse artigo foi o de introduzir o pensamentosó elimina organizações que não seguem determinado da homogeneização comportamental das organizaçõescomportamento, é possível observar que, mesmo dentro e como ele se relaciona com a sustentabilidade,dessa hipótese, há uma mudança no comportamento das levando em consideração o caso da Certificação emorganizações em prol da sustentabilidade. Sustentabilidade Ambiental.Nesse caso, é interessante observar que o isomorfismo Uma questão que não foi abordada no artigo é o próprioé muitas vezes difuso, pois o que ocorre é um processo fato de que a certificação criada pela Prefeitura de Belomimético, coercitivo e uma pressão normativa ao Horizonte é um processo de isomorfismo mimético,mesmo tempo. A tipologia utilizada é interessante já que a ideia é mesclar diversas outras certificaçõespara identificarmos como ocorre a mudança rumo nacionais e internacionais em um selo alinhado a estasao isomorfismo, mas na prática é extremamente já consagradas certificações.complicado separar os três processos. (DIMAGGIO; O assunto tratado neste artigo não está de nenhumaPOWELL, 2005), maneira esgotado. Reflexões sobre o papel doCom o programa de certificação, o que ocorre é o incentivo consumidor consciente e as mudanças em seu estiloe o reconhecimento de organizações que possuam práticas de vidas e maneira de pensar são desdobramentosvoltadas ao desenvolvimento sustentável e à diminuição da nossa discussão inicial. Ainda, uma possibilidadede impactos ambientais de suas atividades. Mais do que para futuras pesquisas é acompanhar esse processo eisso, a certificação se torna uma vantagem comparativa observar se o que realmente ocorre é a homogeneizaçãodaquelas organizações que a adotam, ao legitimar as comportamental das organizações em prol dasuas boas práticas. É esperado que a certificação incite sustentabilidade, incitado por políticas públicas comoum movimento de isomorfismo institucional no longo prazo a tratada no artigo.em prol da sustentabilidade, isto é, as organizações agem Compreender o papel do Estado enquanto promotorde maneira semelhante para buscar a certificação, e, ao da sustentabilidade e do isomorfismo é bastantemesmo tempo, o que ocorre é o uso racional de recursos interessante. No caso focamos apenas uma iniciativa,e conscientização, tanto desses profissionais quanto dos mas temos a noção de que esse movimento não é linear,consumidores e cidadãos. como foi mostrado. Existe uma pluralidade de açõesEm uma escala mais ampla, o processo de isomorfismo sendo tomadas pelo Estado na regulação e delimitaçãopode surgir também em outras cidades e regiões da atuação das organizações que podem ser indutorasmetropolitanas. Com a percepção das boas práticas de um processo mais amplo do desenvolvimentoadotadas pela prefeitura de Belo Horizonte com a sustentável, e o Programa de Certificação emcertificação, outros municípios tendem a se conscientizar Sustentabilidade Ambiental de empreendimentos ée realizar um movimento de mimetismo. As possibilidades apenas uma dessas ações.são muitas, mas o escopo utilizado nesse trabalho nãonos permite avançar para além da questão local. Énecessário, contudo, realizarmos algumas consideraçõesfinais relacionadas a esse processo, o que é feito napróxima seção. Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 7
  8. 8. REFERÊNCIAS Planejamento e Monitoramento Ambiental, 2011. 40 slides: color. PEIXOTO, M. Clara; TELLO, Rafael. Hotel MercureABDI. Estudo Panorama Setorial de Construção Lourdes. Características Técnicas para Sustentabilidade.Civil. 2009. Disponível em: <http://www.abdi. Belo Horizonte: Palestra de Certificação decom.br/Estudo/Panorama%20Setorial%20de%20 Sustentabilidade Ambiental, 2011. 10 slides: color.Constru%C3%A7%C3%A3o%20Civil.pdf> Acesso em: SECOVI-SP. Indicadores de sustentabilidade no18 set. 2011. desenvolvimento imobiliário urbano. 2011. Disponível em:BROWN, Darrel; DILLIARD, Jesse; MARSHALL, R. <http://www.secovi.com.br/sustentabilidade/indicadores-Scott. Triple Bottom Line: A Business Metaphor for a de-sustentabilidade/> Acesso em: 16 set. 2011.Social Construct, 2006. Disponível em: <http://webs2002. UN-Habitat. Business for Sustainable Urbanisationuab.es/dep-economia-empresa/documents/06-2.pdf> - Challenges and Opportunities.2007. DisponívelAcesso em: 19 jul. 2011. em: <http://www.unhabitat.org/pmss/listItemDetails.BELO HORIZONTE. Projeto de Lei n˚1518, de 2011. aspx?publicationID=2344> Acesso em: 19 jul. 2011Disposições sobre a Política Municipal de Gerenciamento WCED. Our Common Future. New York: Oxfordde Resíduos da Construção Civil em Belo Horizonte University Press, 1987.– POMGER. Disponível em: <http://cmbhapweb.cmbh.mg.gov.br:8080/silinternet/consultaProposicoes/detalheProposicao.do?idDocumentoVinculadoPrincipal=2c907f762eb63c5b012ed8ac38e2121b&metodo=downloadDocAnexado> Acesso em: 16 de set. 2011.COUTINHO, Weber. Política de SustentabilidadeAmbiental. Belo Horizonte: Secretaria Municipal de MeioAmbiente. 2011. 19 slides: color.COUTINHO, Weber; LOTT, Vinícius. Agenda deSustentabilidade na Copa do Mundo 2014. 2011.Disponível em: <http://www.confea.org.br/publique/media/copa_painel0.pdf> Acesso em: 16 de set. 2011.DIMAGGIO. Structural analysis of organizational fields:a blockmodel approach. In: Research in OrganizationalBehavior. vol. 8, p. 335-370. 1986.DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. A gaiola de ferrorevisitada: isomorfismo institucional e racionalidadecoletiva nos campos organizacionais.  Revista deAdministração de Empresas, v. 45, n. 2, p. 72-89,2005, p.76.ELETROBRAS-SP. Procel Info. 2011. Disponívele m : < h t t p : / / w w w. e l e t r o b r a s . c o m / p c i / m a i n .a s p ? Te a m I D = { 1 C 0 5 6 5 8 A - 8 C 9 3 - 4 6 E A - A C 5 3 -7ED9022085E2}> Acesso em: 17 de set. 2011.FIEMG. Guia de Sustentabilidade na Construção.2008. Disponível em: <http://www.ambiente.sp.gov.br/municipioverdeazul/DiretivaHabitacaoSustentavel/GuiaSustentabilidadeSindusConMG.pdf> Acesso em:18 set. 2011.MORAVIA, Wagner Guadagnin. Programa de Certificaçãoem Sustentabilidade Ambiental da Prefeitura de BeloHorizonte. Dimensão: Resíduos Sólidos. Belo Horizonte:Secretaria Municipal de Meio Ambiente; Gerência de Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1205 8

×