CONHECER, DIALOGAR E DECIDIR    PROJETO CÍRCULOS DE AVALIAÇÃO  DIANA SAMPAIO MELO PIPOLO ABRIL, 2010
 
 
QUAL O SENTIDO DA AVALIAÇÃO PARA A ESCOLA? O que fazemos com os resultados das avaliações? O que os alunos aprenderam e o ...
 
 
CULTURA DE AVALIAÇÃO <ul><li>“ Combinação de ações avaliativas formais que se difundem com a utilização dos resultados das...
Projeto Círculos de Avaliação
OBJETIVO <ul><li>Contribuir para a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagem nas escolas públicas estaduais e mun...
Busca por informações contextualizadas a partir do estabelecimento de relações, na apreciação dos diferentes pontos de vis...
Avaliar a serviço do conhecimento, volta-se para: <ul><li>O professor – desenvolvimento do saber e do saber-fazer docente;...
Escuta às necessidades, aos saberes dos atores do sistema reconhecendo as características e a dinâmica desse sistema. Cami...
Avaliar a partir do diálogo implica em: <ul><li>Encontro das vozes e saberes de professores, estudantes, gestores, escolas...
Tomada de posição coletiva pela assunção de compromissos partilhados. Transformação do discurso acadêmico em prática pedag...
Avaliar para tomar decisões necessita de: <ul><li>Validade técnica, legitimidade política e compromisso coletivo com: </li...
Círculos de Avaliação   Abrangência 2008/2010 DIREC Munic í pios Unidades Escolares 11 117 6053
Fundamentos  <ul><ul><li>Avaliação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avaliação externa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Av...
Metodologia <ul><ul><li>Encontros presenciais de formação, com representações das escolas e redes municipais. </li></ul></...
CULTURA AVALIATIVA <ul><li>“ Processo penoso e lento, que não se inscreve no vazio, mas em uma história existente, em uma ...
Diana Sampaio Melo Pipolo e-mail:  [email_address] OBRIGADA!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário Aprova Brasil Santillana 2010

829 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
829
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
82
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário Aprova Brasil Santillana 2010

  1. 1. CONHECER, DIALOGAR E DECIDIR PROJETO CÍRCULOS DE AVALIAÇÃO DIANA SAMPAIO MELO PIPOLO ABRIL, 2010
  2. 4. QUAL O SENTIDO DA AVALIAÇÃO PARA A ESCOLA? O que fazemos com os resultados das avaliações? O que os alunos aprenderam e o que não aprenderam? Por que os alunos não aprenderam? Que novas ações precisam ser desenvolvidas pelos professores de cada turma e pelo coletivo da escola? O que está funcionando e que precisa ser mantido?
  3. 7. CULTURA DE AVALIAÇÃO <ul><li>“ Combinação de ações avaliativas formais que se difundem com a utilização dos resultados das avaliações para a tomada de decisão e para o reconhecimento social da relevância da informação obtida.” </li></ul><ul><li>(Konig, 2007) </li></ul>
  4. 8. Projeto Círculos de Avaliação
  5. 9. OBJETIVO <ul><li>Contribuir para a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagem nas escolas públicas estaduais e municipais, a partir do desenvolvimento de uma cultura de avaliação, fundamental para: </li></ul><ul><li>o planejamento; </li></ul><ul><li>a intervenção pedagógica; </li></ul><ul><li>o acompanhamento e a avaliação dos processos. </li></ul>
  6. 10. Busca por informações contextualizadas a partir do estabelecimento de relações, na apreciação dos diferentes pontos de vista que compõem a realidade. Reclama a reflexão crítica de cada um, a implicação dos sujeitos face ao mundo.
  7. 11. Avaliar a serviço do conhecimento, volta-se para: <ul><li>O professor – desenvolvimento do saber e do saber-fazer docente; </li></ul><ul><li>O estudante – inserção e participação na cultura, na ciência e na produção de novos conhecimentos; </li></ul><ul><li>A escola – produção do fazer educativo localmente contextualizado e socialmente efetivo; </li></ul><ul><li>O sistema – tomada de decisão, planejamento de ações que objetivem a uma educação de qualidade. </li></ul>
  8. 12. Escuta às necessidades, aos saberes dos atores do sistema reconhecendo as características e a dinâmica desse sistema. Caminho pelo qual os homens ganham significação enquanto homens.
  9. 13. Avaliar a partir do diálogo implica em: <ul><li>Encontro das vozes e saberes de professores, estudantes, gestores, escolas e sistemas; </li></ul><ul><li>Compreensão e validação dos resultados a partir da tessitura dos fios que constroem essa rede; </li></ul><ul><li>Planejamento e implementação de ações pedagógicas enriquecidas pelos saberes construídos pelas escolas. </li></ul>
  10. 14. Tomada de posição coletiva pela assunção de compromissos partilhados. Transformação do discurso acadêmico em prática pedagógica, com unidade coletiva.
  11. 15. Avaliar para tomar decisões necessita de: <ul><li>Validade técnica, legitimidade política e compromisso coletivo com: </li></ul><ul><li>planejamento; </li></ul><ul><li>desenvolvimento da ação educacional; </li></ul><ul><li>acompanhamento dos processos; </li></ul><ul><li>intervenção pedagógica. </li></ul>
  12. 16. Círculos de Avaliação Abrangência 2008/2010 DIREC Munic í pios Unidades Escolares 11 117 6053
  13. 17. Fundamentos <ul><ul><li>Avaliação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avaliação externa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avaliação Institucional </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Indicadores Educacionais </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Organização do Trabalho Pedagógico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Planejamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Currículo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Intervenção Pedagógica </li></ul></ul></ul>
  14. 18. Metodologia <ul><ul><li>Encontros presenciais de formação, com representações das escolas e redes municipais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Acompanhamento presencial e à distância dos planos de trabalho elaborados pelas escolas e redes municipais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Disseminação das experiências desenvolvidas: portfólios e seminários </li></ul></ul>
  15. 19. CULTURA AVALIATIVA <ul><li>“ Processo penoso e lento, que não se inscreve no vazio, mas em uma história existente, em uma realidade, em um texto cultural que o antecede e o qual pretendemos reescrever.” </li></ul><ul><li>(Ristoff, 2005) </li></ul>
  16. 20. Diana Sampaio Melo Pipolo e-mail: [email_address] OBRIGADA!

×