SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
POLO: AGUDO
   DISCIPLINA: ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO (EDM 1003/2010102)
PROFESSOR ORIENTADOR: PROF. DR. CARLOS GUSTAVO MARTINS HOELZEL
                            26/11/2010

A INFLUÊNCIA DA AVALIAÇÃO DOS COMPONENTES CURRICULARES DE UM CURSO DE
 PÓS – GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA SOBRE A QUALIDADE DO MATERIAL DIDÁTICO E
                          INTERAÇÕES EM AVEA

   LA INFLUENCIA DE LA EVALUACIÓN DE LOS COMPONENTES DEL CURRÍCULO DEL
  CURSO DE POST – GRADO EN LA CALIDAD DE LOS MATERIAS DE ENSEÑANZA Y LAS
                           INTERACCIONES EN AVEA

                          BARBIERO, DANILO RIBAS.

RESUMO



Este artigo tem por objetivo geral investigar a influência da avaliação dos
componentes curriculares de um Curso de Pós – Graduação sobre a qualidade
do material didático e sobre as interações no Ambiente Virtual de Ensino –
Aprendigem (AVEA) Moodle. Os temas ‘material didático’ e ‘interação em
AVEA’ foram escolhidos considerando – os como elementos fundamentais para
o ensino – aprendizagem em Educação a Distância (EAD) bem como decisivos
para a qualidade dos cursos nesta modalidade educacional. Na fundamentação
teórica, abordam-se temas como avaliação de cursos, modalidades de
avaliação, material didático e interações em AVEA. Para alcançar os objetivos
do estudo utilizou – se da revisão bibliográfica e da técnica entrevista. Dentre
os resultados, estão a descrição do processo de avaliação dos componentes
curriculares e aspectos relacionados a influência deste processo avaliativo
sobre a qualidade dos materiais didáticos e da interação no curso de pós –
graduação.


Palavras - chave: EAD, Interação, AVEA, Material Didático.
RESUMEN

Este artículo tiene como objetivo investigar la influencia de la evaluación de los
componentes del currículo del Curso de Post – Grado en la calidad de los
materiales de enseñanza y en las interacciones en el Ambiente Virtual de
Ensino - Aprendizagem (AVEA) Moodle. Los temas ‘materiales de instrucción’ y
la ‘interacción AVEA’ fueron elegidos teniendo en cuenta - como los elementos
clave para la enseñanza - aprendizaje en la educación a distancia, así como
decisivo para la calidad de los cursos en esta modalidad de la educación. En la
parte teórica se ocupa de temas tales como evaluación de los cursos, los
métodos de evaluación, materiales educativos y las interacciones en AVEA.
Para lograr los objetivos del estudio se utilizó la técnica de revisión de la
literatura y la entrevista. Entre los resultados son la descripción del proceso de
evaluación de los componentes del currículo y los aspectos de la influencia de
este proceso de evaluación en la calidad de los materiales de instrucción y la
interacción en el post - grado.

Palabras - clave: Educación a Distancia, Interacción, AVEA,
materiales de enseñanza




                                                                                2
INTRODUÇÃO

      Desde a legalização da Educação a Distância (EAD) pela Lei de
Diretrizes e Bases da Educação (LDB) é crescente no país a oferta de cursos
de graduação e pós – graduação nesta modalidade educacional. Este
panorama da educação em território nacional pode ser justificado pela atuação
da Universidade Aberta do Brasil (UAB), um programa do Ministério da
Educação (MEC) e ainda, pelos esforços das instituições credenciadas no
referido programa para dar qualidade aos cursos em EAD.
      Dentre os cursos credenciados na UAB e oferecidos à comunidade pela
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) está o Curso de Pós –
Graduação – Especialização a Distância – Gestão em Arquivos (identificado
neste trabalho através do acrônimo PGGA), espaço educacional onde o autor
do presente trabalho desenvolve suas atividades enquanto tutor. Atuando na
PGGA desde o ano de 2008, percebe-se que o curso tem como prática a
avaliação dos seus componentes curriculares, ou seja, as disciplinas do curso.
      Nesta avaliação, realizada após a aplicação das provas presenciais, os
alunos são convidados a registrarem em um documento padronizado suas
impressões sobre as disciplinas cursadas. Assim, o alunado pode avaliar itens
como Professor, Tutor, Conteúdo, Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem
(AVEA) e relação com os colegas, que se efetiva no AVEA por meio de
interações.
      No item AVEA, o aluno tem a possibilidade de registrar impressões
como a instabilidade do ambiente virtual, a facilidade quanto ao uso de
ferramentas síncronas e assíncronas bem como questões referentes à
interface da mediação.
      No que diz respeito ao item Conteúdo, o aluno pode registrar suas
considerações sobre a qualidade do material didático utilizado na disciplina
bem como suas percepções sobre outros materiais utilizados pelo professor
(vídeos, imagens, etc).
      Neste sentido, está prática de avaliação adotada pelo curso instigou a
elaboração da questão – problema para este estudo: Como a avaliação dos
componentes curriculares de um Curso de Pós – Graduação Influencia sobre a
qualidade do material didático e interações em AVEA?


                                                                                 3
A escolha pelo tema, que compreende os itens qualidade do material
didático e interações em AVEA, está relacionada diretamente com alguns itens
presentes no instrumento utilizado pela PGGA na avaliação dos componentes
curriculares. Ainda, os referidos itens estão relacionados com assuntos
abordados nas disciplinas Interação Mediada por Computador e Gestão de
Equipe Multidisciplinar, do Curso de Especialização em TICs Aplicadas à
Educação, da Universidade Federal de Santa Maria.
      Ressalta-se ainda que no processo de ensino – aprendizagem em EAD,
tanto o material didático quanto as interações em AVEA são elementos
fundamentais e decisivos na qualidade dos cursos nesta modalidade
educacional.
      Assim, este artigo tem por objetivo geral investigar a influência da
avaliação dos componentes curriculares de um curso de pós – graduação a
distância sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA.
      Os objetivos específicos deste artigo são: a) Destacar a relevância do
processo avaliativo, dos materiais didáticos e da interação nos cursos na
modalidade educacional a distância; b) Apresentar o processo de avaliação da
qualidade dos componentes curriculares da PGGA e c) Descrever a influência
da avaliação dos componentes curriculares sobre a qualidade do material
didático e interações em AVEA.
      Para melhor situar o leitor, optou-se por dividir este artigo nas seguintes
seções: Introdução, 1) Breve Histórico da EAD na Universidade Federal de
Santa Maria, 2) Conhecendo o Curso de Pós – Graduação – Especialização a
Distância – Gestão em Arquivos, 3) Metodologia, 4) Referencial Teórico,
5)Resultados, 6) Considerações Finais e, Referências.


   1. BREVE HISTÓRICO DA EAD NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE
      SANTA MARIA (UFSM)


      Antes de iniciarmos esta seção, que apresenta alguns fatos que
contribuíram para demarcar o espaço da EAD na Universidade Federal de
Santa Maria, na qual esta pesquisa foi desenvolvida, entende-se como
necessário conceituar EAD. Na literatura específica há diversas acepções para



                                                                               4
Educação a Distância. Neste artigo, orienta-se pelo conceito do Decreto N.
5.622/2005, que caracteriza a EAD como:


                      [...] modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica
                      nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de
                      meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e
                      professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou
                      tempos diversos. (BRASIL, 2005).


      A partir deste conceito, apresentam-se alguns fatos que direcionaram a
UFSM rumo a estruturação e credenciamento da EAD. Com o intuito de facilitar
esta apresentação, busca-se arrolar os fatos em ordem cronológica:
      Em 22 de outubro de 2003, por meio da Portaria nº. 45. 491, o Vice –
Reitor da UFSM, vincula à Coordenadoria de Planejamento Acadêmico da Pró
– Reitoria de Graduação à Coordenação Pedagógica do Serviço de Educação
à Distância na UFSM.
      No ano de 2004, a Resolução Nº. 002/2004, do Ministério da Educação
credencia a “Universidade Federal de Santa Maria mantida pelo Ministério da
Educação, situada na cidade de Santa Maria, no Estado do Rio Grande do Sul,
pelo prazo de cinco anos para ofertar cursos superiores a distância”. É
relevante informar que foi o Curso de Graduação a Distância em Educação
Especial, da UFSM possibilitou o credenciamento da UFSM para oferta de
cursos em EAD.
      Em 2008, um importante passo foi dado em nível institucional: A UFSM,
por meio da Resolução 020/2008 cria a Coordenadoria de Educação a
Distância (CEAD) na estrutura organizacional da Pró-Reitoria de Graduação da
UFSM. O referido documento ainda aprova o regimento interno e dá outras
providências.
      É relevante ainda citar que, anterior a este documento e no mesmo ano,
a UFSM emite a Resolução N. 012/2008, que dispõe sobre o estabelecimento
de normas aplicáveis à Educação a Distância na UFSM e dá outras
providências. Esta resolução aborda os seguintes itens relacionados à EAD:
         •      Conceituação de EAD;
         •      Orientações quanto ao Programa de Educação a Distância na
                UFSM;


                                                                                       5
•   Orientações aos Projetos Pedagógicos de Cursos e Programas a
              Distância;
          •   Orientações sobre a Gestão Pedagógica, Acadêmica e Financeira
              dos Cursos e Programas a Distância;
          •   Orientações quanto à oferta de disciplina semipresenciais.


      O Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem (AVEA) utilizado pela
UFSM é o Moodle.org. É neste AVEA que ocorrem as aulas na modalidade a
distância de 8 cursos de graduação e 8 cursos de pós – graduação. Além
disso, alguns professores da UFSM já estão utilizando este AVEA para apoiar
as disciplinas de cursos de graduação e pós - graduação presenciais, pois
“poderão ser ofertadas as disciplinas na modalidade semipresencial, integral ou
parcialmente a distância, desde que essa oferta não ultrapasse 20% da carga
horária total do curso”. (UFSM, 2008).


   2. CONHECENDO           O   CURSO      DE    PÓS     –   GRADUAÇÃO        –
      ESPECIALIZAÇÃO A DISTÂNCIA – GESTÃO EM ARQUIVOS


      O Projeto Pedagógico do Curso de Pós-graduação – Especialização a
Distância - Gestão em Arquivos foi concluído em 2007, por 8 docentes do
Departamento de Documentação do Centro de Ciências Sociais e Humanas
(CCSH/UFSM) e com a assessoria de 3 professores do Centro de Educação
(CE/UFSM).
      A PGGA iniciou suas atividades acadêmicas em maio de 2008, com oferta
inicial de 50 vagas e pólo presencial na cidade de São João do Polêsine. Em
2010, o Curso está em sua 3ª edição, ofertando 80 vagas distribuídas nos Pólos
de São João do Polêsine e Cruz Alta.
      Conforme o Regulamento Interno do Curso, a PGGA tem carga horária de
360 horas, que correspondem a 24 créditos (12 disciplinas) somando-se a esta, a
elaboração de monografia, com 30 horas. A tabela 1 apresenta a relação de
componentes curriculares da matriz curricular da PGGA:




                                                                             6
1° MÓDULO                                       2° MÓDULO
DCT 1038 – Capacitação Tecnológica              DCT 1043 – Arquivologia e suas
em EAD                                          relações interdisciplinares

DCT 1039 – Políticas Públicas e a Gestão        DCT 1044 – Pesquisa II
da Informação Arquivística

DCT 1040 – Pesquisa I                           DCT 1045 – Gestão Informatizada
                                                de Processos
DCT 1041 – Pesquisa e Tratamento                DCT 1046 – Descrição Arquivística
dos Arquivos

DCT 1042 – Marketing Aplicado aos               DCT 1047 – Gestão e Preservação
Arquivos                                        da Informação


3° MÓDULO
DCT 1048 – Gestão da Qualidade
DCT 1049 – Educação, Identidade e
Diferença

EDM001 – Elaboração de Monografia



Tabela 1: Componentes curriculares do Curso de Pós – Graduação – Especialização a Distância –
Gestão em Arquivos.



   3. METODOLOGIA


       Esta seção tem por finalidade mapear os procedimentos utilizados para
o desenvolvimento e alcance dos resultados deste estudo. A pesquisa científica
é o meio mais seguro de se produzir conhecimentos nas mais diversificadas
áreas do saber humano. Em linhas gerais, “a pesquisa tem por finalidade a
solução de um problema e o método visa orientar a busca da solução deste
problema”. (GRESSLER, 2004, p. 44).
       Em relação ao Método/Metodologia, considera - se neste estudo o
posicionamento de Kaplan apud Gressler (2004, p. 25), o qual entende
metodologia como:




                                                                                        7
[...] o interesse por princípios e técnicas de interesse médio,
                        chamados conseqüentemente métodos. Métodos são técnicas
                        suficientemente gerais para se tornarem comuns a todas as ciências
                        ou a uma significativa parte delas.


      Com estas considerações dos autores, observa-se que a pesquisa
científica é indissociável do método científico e este por sua vez, das diferentes
técnicas.
      Com relação ao alcance dos resultados desta pesquisa, a partir dos
objetivos específicos deste estudo de abordagem exploratória, apresentam-se
os passos utilizados.
      Para o objetivo específico “Destacar a relevância do processo avaliativo,
dos materiais didáticos e da interação nos cursos na modalidade educacional a
distância”, buscou-se por uma revisão teórica sobre o tema avaliação da
educação com ênfase nos cursos de graduação e pós – graduação. Esta etapa
do trabalho ainda contempla aspectos relacionados à qualidade dos materiais
didáticos e da interação nos cursos na modalidade a distância. Para revisar a
teoria, foram analisados livros, artigos, documentos e sítios vinculados ao
MEC. Esta revisão bibliográfica deu origem à seção “Referencial Teórico” deste
trabalho.
      Em relação aos objetivos específicos “Apresentar o processo de
avaliação da qualidade dos componentes curriculares da PGGA” e “Descrever
a influência da avaliação dos componentes curriculares sobre a qualidade do
material didático e interações em AVEA”, utiliza-se da técnica de entrevista,
“encontro entre duas pessoas, afim de que uma delas obtenha informações a
respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza
profissional”. (MARCONI, LAKATOS, 2005, p.197).
      Quanto ao tipo de entrevista, utilizou-se a semi – estruturada,
“constituída em torno de um corpo de questões do qual o entrevistador parte
para uma exploração em profundidade”. (GRESSLER, 2004, p. 165). A
entrevista semi - estruturada foi aplicada à Coordenação da PGGA, onde o (a)
entrevistado (a) respondeu a dois blocos de perguntas relacionadas aos
objetivos específicos do trabalho (ANEXO A).




                                                                                        8
4. REFERENCIAL TEÓRICO


        Considerando objetivo geral deste artigo, investigar a influência da
avaliação dos componentes curriculares de um curso de pós – graduação a
distância sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA,
pretende-se nesta etapa do trabalho revisar a bibliografia sobre avaliação da
educação, com ênfase nos cursos de graduação e pós – graduação,
modalidades de avaliação, qualidade dos materiais didáticos de cursos em
EAD e Interação em AVEA.


4.1 A avaliação da qualidade dos Cursos de Graduação no país: o papel
do Sistema Nacional da Educação Superior (Sinaes)


        O Sinaes, criado pela Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004, é formado
por três componentes: a) a avaliação das instituições, a avaliação dos cursos e
a avaliação do desempenho dos estudantes. Em relação aos aspectos
avaliados pelo sistema, estão o ensino, a pesquisa, a extensão, a
responsabilidade social, o desempenho dos alunos, a gestão da instituição, o
corpo docente, as instalações e outros aspectos. Conforme informações do
sítio   deste   sistema,   o   Sinaes   possui   os   seguintes   instrumentos
complementares: auto – avaliação, avaliação externa, Enade, Avaliação dos
Cursos de Graduação e Instrumentos de Informação (censo e cadastro). Outro
ponto a destacar, conforme registrado no sítio do Sinaes é que os resultados
das avaliações possibilitam traçar um panorama da qualidade dos cursos e
instituições de educação superior no país.


4.2 A avaliação da qualidade dos Cursos de Pós - Graduação no país: o
papel da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
(CAPES).


        Em relação à avaliação dos Cursos de Pós – Graduação – Strictu Sensu
(Mestrado e Doutorado), a avaliação da qualidade está sobre responsabilidade
da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Um dos objetivos do Sistema de Avaliação desta fundação pública é


                                                                             9
“estabelecer o padrão de qualidade exigido dos cursos de mestrado e
doutorado e identificar os cursos que atendem a tal padrão”. Em relação aos
Cursos de Pós – Graduação em nível de especialização cabe às instituições
onde funcionam estes cursos o papel da avaliação.


4.3 A Avaliação: conceitos e modalidades


       A avaliação de um curso, seja qual for a modalidade de ensino, é um
processo complexo e contínuo. Mesmo não sendo objetivo deste artigo, se
entende como pertinente estendermos um olhar sobre a sua conceituação,
tendo em vista que este assunto se relaciona com temáticas centrais deste
artigo: qualidade do material didático e interações em AVEA. Para Ramos e
Carlini, a avaliação é compreendida na:


                     [...] perspectiva diagnóstica, formativa e somativa, como a prática
                     que busca compreender, aperfeiçoar, qualificar e quantificar os
                     processos de ensino e de aprendizagem, atribuindo-lhes significados
                     peculiares e orientando a tomada de novas decisões, seja na
                     educação presencial ou virtual. (2009, p. 161).


      Dentre as modalidades de avaliação conhecidas, destacam-se três: A

Avaliação Somativa, a Avaliação Diagnóstica e a Avaliação Formativa. A

Avaliação Formativa é que mais parece se adequar com o contexto do estudo,

pois identifica “os interesses e as necessidades dos alunos e da equipe do

curso e realiza as alterações possíveis e necessárias já no próximo módulo ou

unidade de ensino”. Além disso, as autoras nos dizem que esta modalidade de

avaliação:


                     Busca conhecer a opinião dos alunos sobre o curso, pelos

                     comentários, sugestões e críticas que estejam dispostos a fazer.

                     Deve ser utilizada em momentos intermediários – por exemplo, ao

                     final de módulos ou unidades de ensino – e visa adequar o grau de




                                                                                     10
adequação do Curso oferecido às expectativas dos alunos

                     participantes, buscando aperfeiçoá-lo. (RAMOS, CARLINI, 2009, p.

                     162)


      Entende-se que avaliar um curso é conjunto de atividades complexas,
mas que não devem estar de fora do Projeto Pedagógico do Curso. Seja qual
for a modalidade de avaliação adotada pelo Curso, é fundamental que os
componentes do curso sejam avaliados, tais como “professores, alunos,
equipes de apoio, material didático, projeto pedagógico, ambiente virtual etc”.
(IBID, 2009).


4.4 A Qualidade dos materiais didáticos em EAD

      Na modalidade educacional a distância, os formadores, professor e tutor,
utilizam de diferentes tecnologias educacionais para facilitar o processo de
ensino – aprendizagem, as quais podemos citar o vídeo, a webquest, o Objeto
de Ensino – Aprendizagem etc. Pode – se afirmar que esta multiplicação de
recursos educacionais utilizados na EAD se deu “de maneira gradativa no
início, passou a acontecer rapidamente, acompanhando a velocidade do
desenvolvimento das TICs”. (FERNANDEZ, 2009, p. 395).
      Dentre as tecnologias educacionais citadas, destaca-se o material
didático impresso, o mais empregado atualmente na EAD, “pois tanto alunos
como professores estão familiarizados com o material impresso, não
necessitando de treinamento para a sua utilização”. (DIAS, LEITE, 2010, p. 84).
Ao conceituar material didático impresso, Fernandez que nos diz que se trata
de:
                     [...] um recurso que (1) utiliza o papel como suporte de comunicação,
                     (2) foi desenvolvido com a finalidade específica de desenvolver a
                     aprendizagem e (3) assume uma configuração – em termos de forma
                     e conteúdo – que se ajusta a concepção pedagógica que lhe deu
                     origem. (2009, p. 395).


      Em relação às formas dos materiais didáticos impressos, a autora
apresenta as seguintes categorias: Manual, Livro – Texto, Guia de Estudo,
Texto Auto – Instrucional e Publicação Técnica. Dentre estas, analisa – se o


                                                                                       11
conceito de Livro – Texto, forma de material didático que mais se aproxima ao
utilizado na PGGA. Para a autora, o Livro – Texto é:


                     [...] um recurso básico e fonte primária de grande parte de cursos
                     EAD. Muitas vezes é denominado texto – base, o que significa ser
                     complementado por outros textos. Esse material apresenta o
                     conteúdo a ser estudado, em determinada seqüência, e é usado
                     como referência teórica para a realização das atividades de um
                     curso. (2009, p. 396).


      É relevante salientar que, na Educação a Distância, os materiais
didáticos são produzidos a partir do trabalho de especialistas de diferentes
áreas, que atuam em grupos, em comissões específicas, vinculadas a uma
Equipe Multidisciplinar de Apoio.      Assim, para a elaboração dos materiais
didáticos:


                     São necessárias muitas atividades que ficam a cargo de pessoas
                     que dominam, cada uma delas, várias áreas do conhecimento
                     humano. São competências bastante díspares, mas que se
                     complementam em busca de um objetivo em comum: os materiais
                     que transmitirão as informações da Coordenação do Curso ou dos
                     professores para os alunos, compreendendo-se aqui tanto os
                     materiais impressos como digitais. (NETO, 2007, p. 6).


Dentre as comissões/coordenações que uma Equipe Multidisciplinar de Apoio
pode apresentar, é fundamental citar o papel da Coordenação de Gestão, que:


                     [...] assume a responsabilidade de gerenciar os conteúdos de
                     materiais didáticos e de apoio necessários ao atendimento da matriz
                     curricular específica de cada curso como, da mesma forma, os
                     necessários para a sua divulgação. É formada pelo conjunto dos
                     professores conteudistas responsáveis pela elaboração do material
                     didático de cada uma das disciplinas que compõem a matriz
                     curricular do curso a ser ofertado. (NETO, 2007, p. 14).


      Sabe-se que os materiais didáticos impressos estão sujeitos a
atualização constante. Com isso, para a utilização de materiais didáticos



                                                                                     12
impressos de qualidade é preciso que a coordenação bem como os
professores do curso entendam que:


                        O material didático desenvolvido para cursos a distância é
                        experimental e perecível. Portanto, podem e devem ser encarados
                        como passíveis de serem revisados, ampliados, modificados,
                        reformulados e adaptados conforme as necessidades encontradas
                        ao longo da implementação do curso. (MEC, 2007, p. 5).


      Neste sentido, a partir de um estudo elaborado pelo Ministério da
Educação, no qual o produto foi um documento com referenciais para a
elaboração de material didático para EAD, destacam - se algumas
características específicas que os materiais didáticos impressos de qualidade
devem apresentar, as quais seis são sintetizadas na tabela 2:


 1    Considerar a capacidade leitora dos alunos;
 2    Favorecer a utilização de elementos imagéticos bem como o uso de
      exemplos e analogias;
 3    Contemplar aspectos motivacionais e de facilitação da compreensão,
      usando recursos lingüísticos e imagéticos variados;
 4    Atentar para a interligação entre cada bloco temático, disciplinas, aulas,
      etc.; de forma a evidenciar o seqüenciamento e a coesão existente
      entre os conteúdos;
 5    Utilizar uma linguagem amigável, clara e concisa, em tom de
      conversação;
 6    Respeitar as questões ergonômicas no projeto gráfico, organizando
      elementos imagéticos e textuais de forma a conferir aos blocos
      temáticos uma programação visual arejada, trazendo leveza ao material
      e facilitando o estudo;


      Tabela 2: Características específicas de materiais didáticos impressos de qualidade.



      Ainda, em relação à qualidade dos materiais didáticos impressos,
ressaltam-se os seguintes aspectos relevantes que precisam ser considerados



                                                                                             13
e respeitados na elaboração destes recursos educacionais. (FERNANDEZ,
2009, p. 399 – 401):


   •   As características do educando que utilizará o material;
   •   A qualidade da linguagem adotada no material;
   •   A relevância do conteúdo tratado;
   •   O caráter de parceria entre os especialistas;
   •   A   cuidadosa      e    refletida   inclusão     de    perguntas      e   atividades
       diversificadas;
   •   A adequação na inserção de elementos formais (Ex.: Ilustrações);
   •   O respeito à autoria.

4.5 A Interação em AVEA

       A Interação, bem como o Material Didático, são elementos fundamentais
para que ocorra o processo de ensino – aprendizagem na Educação a
Distância. Na maioria dos cursos em educação a distância que ocorrem por
meio de um Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem, a interação é a
principal forma de comunicação entre professores, tutores e alunos. Em linhas
gerais, a interação envolve:


                         [...] o comportamento e as trocas entre os indivíduos e grupos que se
                         influenciam, nos casos em que eventos recíprocos que requerem
                         pelo menos dois objetos e duas ações. (WAGNER, 1994, 1997 apud
                         MATTAR, 2009, 112).


       Na Educação a distância on - line, para que haja a interação entre
professores, tutores e alunos, é fundamental o uso de um AVEA. Neste
sentido, “na prática educacional a distância, a interação mediada por
computador entre professor e estudantes acontece quando ambos estão
conectados à Internet no endereço eletrônico do AVEA”. (DE BASTOS, 2007,
p. 3 – 4). Para compreender os processos interativos é preciso antes
compreender que os AVEA permitem:




                                                                                           14
[...] integrar múltiplas mídias e recursos, apresentar informações de
                     maneira organizada, desenvolver interações entre pessoas e objetos
                     de conhecimento, elaborar e socilializar produções tendo em vista
                     atingir determinados objetivos. (ALMEIDA, 2003, p. 5).


É por meio de um AVEA que os interagentes (participantes da interação) se
comunicam por diferentes ferramentas tecnológicas, onde:


                     A comunicação mediada por computador materializa-se através das
                     trocas de mensagens eletrônicas. Assim, a natureza da ferramenta
                     define a mensagem. Através das ferramentas assíncronas – e – mail,
                     lista de discussão, fórum etc. – é possível valorizar a reflexão e o
                     refinamento   das   idéias   dos   participantes   de    um   processo
                     comunicacional. As ferramentas síncronas, por sua vez – como chats
                     – permitem a valorização da velocidade de comunicação, visto que a
                     interação ocorre em tempo real. (DIAS, LEITE, 2010, p. 94).



      Outro ponto a ser sublinhado, é que olhando por um viés tecnológico, é
possível observar que a interação pode ser facilitada em um AVEA quando os
interagentes não apresentam dificuldades para localizar e utilizar a ferramenta
escolhida para interagir. Esta facilidade ou não do aluno em utilizar a
ferramenta adequada está associada à usabilidade, conceito conexo à
ergonomia respeitado pelos responsáveis pela elaboração das interfaces dos
AVEAs. Conceitua-se usabilidade como a “propriedade que os produtos têm de
serem fáceis de usar e aprender. Ela é aplicada aos produtos, por isso é uma
característica”. (HOELZEL, 2007, p. 19).
      Com estas considerações sobre interação em AVEA, observa-se que a
qualidade da interação dependerá ainda das estratégias pedagógicas utilizadas
pelos formadores bem como a relação destes com o uso das ferramentas
síncronas e assíncronas de uma mediação.

5. RESULTADOS


      Nesta seção, apresentam – se os achados da pesquisa obtidos a partir
da aplicação da entrevista com a Coordenação do Curso de Pós – Graduação
a Distância – Gestão em Arquivos. O processo de avaliação dos componentes


                                                                                        15
curriculares deste curso funciona da seguinte forma: a cada final de bimestre
são aplicadas as avaliações das disciplinas do curso junto aos pólos
presenciais. Após a aplicação das provas, os alunos são orientados por meio
do professor designado para aplicar a prova a responderem ao instrumento
identificado por Avaliação do Componente Curricular (ACC).
        Neste documento, a identidade do aluno é facultada. Cada disciplina,
portanto, cada componente curricular recebe uma atenção de cada um dos
alunos do curso. O documento não apresenta questões, e sim itens onde os
alunos podem registrar as suas considerações. O ACC contempla os seguintes
itens, comentados pelo autor:
                           Componente Curricular
Professor               Neste item, o aluno pode registrar suas
                        considerações sobre o desempenho do professor.
                        Relaciona-se com a qualidade da interação,
                        considerando que o docente interage com o aluno por
                        meio de um AVEA.

Tutor                   Neste item, o aluno pode registrar suas
                        considerações sobre o desempenho do tutor.
                        Relaciona-se com a qualidade da interação,
                        considerando que o tutor interage com o aluno por
                        meio de um AVEA.

Conteúdo                Neste item, o aluno pode registrar suas
                        considerações sobre a qualidade do conteúdo
                        utilizado pelo professor. Relaciona-se diretamente
                        com qualidade do material didático.

Ambiente Virtual de Neste item, o aluno pode registrar a sua percepção
                    quanto ao uso do AVEA utilizado, se considera o
Aprendizagem
                    ambiente estável/instável, se encontra facilidade ou
                    dificuldade para usar as ferramentas de interação etc.


Metodologia             Neste item, o aluno pode registrar suas
                        considerações sobre as estratégias pedagógicas
                        utilizadas pelo professor para ensinar os conteúdos.

Relação      com    os Neste item, o aluno pode registrar suas
                       considerações sobre a relação com os colegas no
colegas
                       AVEA. Relaciona-se com a interação e com o
                       desempenho do professor e do tutor em favorecer um
                       ambiente de socialização.




                                                                          16
Observações            e Item livre para que o aluno registre suas
                          considerações sobre outros itens não contemplados
 Sugestões
                          no instrumento.


Tabela 3: Itens do ACC comentados pelo autor.



       Com a avaliação dos componentes curriculares, a PGGA tem por
finalidade melhorar a comunicação entre professores, tutores e alunos e ainda,
contribuir com o processo de ensino – aprendizagem. A Coordenação deste
curso percebe que a UFSM tem o compromisso e uma responsabilidade social
que atende o processo de avaliação institucional como um pressuposto a
melhoria do ensino da pesquisa e da extensão. Ressalta ainda que, a
finalidade do curso é analisar, por meio do ACC as diferentes percepções que
efetivamente contribuam e mobilizem mecanismos de transformação da
realidade.
       Em relação a leitura dos ACCs, o fluxo de atividades funciona da
seguinte forma: após a aplicação das provas presenciais e dos ACCs nos
pólos, os professores designados para esta etapa do trabalho entregam estes
intrumentos preenchidos à Coordenação do Curso.
       O primeiro movimento constitui-se numa análise dos ACCs por parte da
Coordenação do Curso e da Coordenação de Tutoria. Após categoriza-se
aquilo que mais aparece na percepção dos alunos. Verifica-se e retoma-se
muitas vezes os registros que ficam armazenados no AVEA. Por meio de
discussões, novos procedimentos são definidos. São promovidos encontros
(individuais ou coletivos) no intuito de estudar e ou viabilizar mudanças e
procedimentos relacionados aos diferentes itens que compõe o instrumento.
       Quanto as necessidades de revisar o material didático do curso, a
Coordenação da PGGA informa não ter registros existentes nos ACCs. As
contribuições     dos   alunos      tem   enfatizado   aspectos    como    a    relação
tutores/alunos,    excesso     de    tarefas    e   melhor   organização   da    prova,
considerando por exemplo, o fato de realizarem três avaliações presenciais em
um dia. Com isso entende - se que o material didático do curso atende as
necessidades dos alunos. Em relação a qualidade das interações entre




                                                                                    17
professores, tutores e alunos, a coordenação da PPGA reconhece a
necessidade constante de melhorar esta interação.
      Quanto aos benefícios obtidos pelo Curso a partir do processo
avaliativo, em relação aos materiais didáticos e interações em AVEA, a
Coordenação faz a seguinte leitura: os benefícios obtidos a partir da ACCs
favorecem uma melhor organização e harmonização de todas as ações que
envolvem as relações entre tutores, professores e alunos. O processo também
orienta e sugere novos procedimentos favorecedores ao processo de ensino –
aprendizagem.
      Em suma, pode – se concluir que a avaliação dos componentes
curriculares da PPGA é um processo que tem potencial para influenciar na
qualidade dos materiais didáticos e que influencia de forma significativa na
qualidade das interações entre tutores e alunos.



6. CONSIDERAÇÕES FINAIS


      A elaboração deste artigo possibilitou ao pós – graduando novas
reflexões sobre as práticas educativas na modalidade educacional a distância,
assim como o reconhecimento da relevância do material didático e das
interações no processo de ensino aprendizagem a distância.
      Sabe-se que desde os primórdios da EAD, quando os cursos eram
oferecidos por correspondência que havia uma preocupação com a qualidade
do material didático, pois este era o principal recurso educacional no qual o
aluno poderia aprender. Com o passar do tempo, e o desenvolvimento das
TICs, observa-se uma crescente preocupação em manter a qualidade destes
recursos educacionais, bem como a qualidade da interação entre os
formadores e alunos.
      A Interação é outro item de relevo no contexto da EAD, pois é por meio
desta que os alunos efetivam as “trocas” com os professores e tutores, que
trazem a possibilidade de transformação da realidade do aluno, ou seja, a
aprendizagem. Assim, a elaboração desta pesquisa trouxe ao autor a
possibilidade de reflexão sobre a qualidade da interação enquanto tutor de um
curso de pós – graduação em educação a distância.



                                                                          18
Quanto a realização deste estudo, pode-se dizer que os objetivos
propostos foram alcançados e que a realização das atividades de pesquisa
foram desafiantes e motivadoras. No entanto, observa-se a partir deste estudo,
a necessidade de explorar o tema qualidade na EAD nos aspectos materiais
didáticos e na interação.

REFERÊNCIAS


ALMEIDA, Maria Elizabete Biancocini. Tecnologia e Educação a Distância:
abordagens      e    contribuições   dos   ambientes     digitais   e    interativos   de
aprendizagem. Rio de Janeiro: ANPED, 2003.


BRASIL. Decreto N° 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art.
80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e
bases           da         educação          nacional.          Disponível             em
<http://www.planalto.gov.br/ccivil/>. Acesso em: 14 set. 2010.


CASTANHO, D. M. et al. Projeto Pedagógico: Curso de Pós – Graduação –
Especialização a Distância – Gestão em Arquivos. UFSM, 2007.


COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL
SUPERIOR.           Avaliação   da    Pós     -   Graduação.            Disponível     em
<http://www.capes.gov.br/avaliacao/avaliacao-da-pos-graduacao>. Acesso em:
14 set. 2010.


DE BASTOS, Fábio da Purificação. Interação Mediada por Computador.
Santa Maria: UFSM, 2007.


DIAS, R. A.; LEITE, L. S. Educação a Distância: da legislação ao Pedagógico.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.


FERNANDEZ, Consuelo Teresa. Os métodos de preparação de material
impresso para EAD. In: Educação a Distância: O Estado da Arte. LITTO,




                                                                                       19
Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Orgs). São Paulo: Pearson Education do
Brasil, 2009.


GRESSLER, Lori Alice. Introdução a Pesquisa: Projetos e Relatórios. São
Paulo: Loyola, 2004.


HOELZEL, C. G. Design de Interfaces. Santa Maria: UFSM, 2007.


MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de
metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, 2005.


MATTAR, João. Interatividade e Aprendizagem. In: Educação a Distância: O
Estado da Arte. LITTO, Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Orgs). São Paulo:
Pearson Education do Brasil, 2009.


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referenciais para Elaboração de Material
Didático para EAD no Ensino Profissional e Tecnológico. Brasília: 2007.
Disponível                                                                em:
<ww.etecbrasil.mec.gov.br/gCon/recursos/upload/.../ref_materialdidatico.pdf>.
Acesso em 15 set. 2010.


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Resolução N.° 02/2004.                  Credencia a
Universidade Federal de Santa Maria mantida pelo Ministério da Educação,
pelo prazo de cinco anos para ofertar cursos superiores a distância. Brasília,
2004.


MINISTÉRIO        DA       EDUCAÇÃO.         Sinaes.      Disponível      em:
<http://www.inep.gov.br/superior/sinaes/>. Acesso em: 14 set. 2010.


NETO, Luiz Antonio do Santos. Gestão de Equipe Multidisciplinar. Santa
Maria: UFSM, 2007.




                                                                           20
RAMOS, Monica Parente; CARLINI, Alda Luiza. A avaliação do Curso. In:
Educação a Distância: O Estado da Arte. LITTO, Frederic M.; FORMIGA,
Marcos (Orgs). São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Curso de Pós – Graduação a
Distância – Especialização a Distância Latu Sensu – Gestão em Arquivos:
Regulamento Interno. Santa Maria, 2009.


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Portaria n° 45. 491, de 22 de
outubro de 2003. Estabelece vínculo entre a Coordenadoria de Planejamento
Acadêmico da Pró – Reitoria de Graduação com a Coordenação Pedagógica
do Serviço de Educação à Distância na UFSM. Santa Maria, 2003.


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Resolução N.° 12/08, de 3 de
setembro de 2008. Dispõe sobre o estabelecimento de normas aplicáveis à
Educação a Distância na Universidade Federal de Santa Maria e dá outras
providências. Santa Maria, 2008. (A)


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Resolução N.° 20/08, de 3 de
setembro de 2008. Cria a Coordenadoria de Educação a Distância na
estrutura organizacional da Pró-Reitoria de Graduação da UFSM, aprova o seu
regimento interno e dá outras providências. Santa Maria, 2008. (B)




                                                                        21
ANEXO




        22
ANEXO A – Questões utilizadas na entrevista com a Coordenação da PGGA


                      UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA
                  CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS
        CURSO DE PÓS – GRADUAÇÃO TICs APLICADAS à EDUCAÇÃO



   •   As questões estão distribuídas em dois blocos relacionados aos objetivos
       específicos:


Objetivo Específico: Apresentar o processo de avaliação da qualidade dos
componentes curriculares da PGGA:


   1) Como funciona o processo de avaliação dos componentes curriculares no
       Curso de Pós – Graduação a Distância – Gestão em Arquivos?
   2) Qual a finalidade da avaliação da qualidade dos componentes curriculares para
       o Curso?
   3) Quais os itens contemplados na avaliação dos componentes curriculares?
   4) De que forma os resultados da avaliação dos componentes são repassados
       aos professores e tutores?


Objetivo Específico: Descrever a influência da avaliação dos componentes
curriculares sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA.


   5) A partir dos resultados das avaliações dos componentes curriculares, percebe-
       se a necessidade de revisar o material didático do curso?
   6) A partir dos resultados das avaliações dos componentes curriculares, percebe-
       se a necessidade de melhorar a qualidade da interação entre professores,
       tutores e alunos no AVEA?
   7) Quais benefícios o Curso obteve, a partir deste processo avaliativo, na
       qualidade dos materiais didáticos e interações em AVEA?




                                                                                23

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningAvaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningInge Suhr
 
Sistemaavaliacaoensinosecundario
SistemaavaliacaoensinosecundarioSistemaavaliacaoensinosecundario
SistemaavaliacaoensinosecundarioMinisterio_Educacao
 
Plano De AvaliaçãO Da Be
Plano De AvaliaçãO Da BePlano De AvaliaçãO Da Be
Plano De AvaliaçãO Da BeSusana Martins
 
Modelo De Avaliacao
Modelo De AvaliacaoModelo De Avaliacao
Modelo De AvaliacaoMaria Leal
 
Avaliacao pidoc2012
Avaliacao pidoc2012Avaliacao pidoc2012
Avaliacao pidoc2012Marcos Nery
 
Plano de melhoria 2012
Plano de melhoria 2012Plano de melhoria 2012
Plano de melhoria 2012guidalucena
 
Rel rede escolas_ccap-2009
Rel rede escolas_ccap-2009Rel rede escolas_ccap-2009
Rel rede escolas_ccap-2009Karlos Walentin
 
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de Turismo
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de TurismoActividades Pedagógicas em E-Learning num curso de Turismo
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de TurismoGonçalo Cruz Matos
 
São João do Polêsine - Lisiane Weber
São João do Polêsine - Lisiane WeberSão João do Polêsine - Lisiane Weber
São João do Polêsine - Lisiane WeberCursoTICs
 
Apresentação Tese Doutoramento
Apresentação Tese DoutoramentoApresentação Tese Doutoramento
Apresentação Tese DoutoramentoMónica Aresta
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3Maria Leal
 
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)Maria Leal
 
Delinear a avaliação pedagógica num contexto online
Delinear a avaliação pedagógica num contexto onlineDelinear a avaliação pedagógica num contexto online
Delinear a avaliação pedagógica num contexto onlineNelson Soares
 
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)Maria Leal
 
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - Diagnóstico
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - DiagnósticoQualidade do ensino superior - 1a. parte - Diagnóstico
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - DiagnósticoFlavio Farah
 
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na AprendizagemJosi Baioto
 

Mais procurados (20)

Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningAvaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
 
Seminario pidoc2011
Seminario pidoc2011Seminario pidoc2011
Seminario pidoc2011
 
Sistemaavaliacaoensinosecundario
SistemaavaliacaoensinosecundarioSistemaavaliacaoensinosecundario
Sistemaavaliacaoensinosecundario
 
Plano De AvaliaçãO Da Be
Plano De AvaliaçãO Da BePlano De AvaliaçãO Da Be
Plano De AvaliaçãO Da Be
 
Modelo De Avaliacao
Modelo De AvaliacaoModelo De Avaliacao
Modelo De Avaliacao
 
ABED 2009 Juliana Pereira
ABED 2009 Juliana PereiraABED 2009 Juliana Pereira
ABED 2009 Juliana Pereira
 
Avaliacao pidoc2012
Avaliacao pidoc2012Avaliacao pidoc2012
Avaliacao pidoc2012
 
Caso prodoc
Caso prodocCaso prodoc
Caso prodoc
 
portefolio_digital1[1]
portefolio_digital1[1]portefolio_digital1[1]
portefolio_digital1[1]
 
Plano de melhoria 2012
Plano de melhoria 2012Plano de melhoria 2012
Plano de melhoria 2012
 
Rel rede escolas_ccap-2009
Rel rede escolas_ccap-2009Rel rede escolas_ccap-2009
Rel rede escolas_ccap-2009
 
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de Turismo
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de TurismoActividades Pedagógicas em E-Learning num curso de Turismo
Actividades Pedagógicas em E-Learning num curso de Turismo
 
São João do Polêsine - Lisiane Weber
São João do Polêsine - Lisiane WeberSão João do Polêsine - Lisiane Weber
São João do Polêsine - Lisiane Weber
 
Apresentação Tese Doutoramento
Apresentação Tese DoutoramentoApresentação Tese Doutoramento
Apresentação Tese Doutoramento
 
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3Proposta De Modelo De Avaliacao 3
Proposta De Modelo De Avaliacao 3
 
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
Proposta De Modelo De Avaliacao(4)
 
Delinear a avaliação pedagógica num contexto online
Delinear a avaliação pedagógica num contexto onlineDelinear a avaliação pedagógica num contexto online
Delinear a avaliação pedagógica num contexto online
 
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
Modelo Avaliacao Cursos Online Doc(2)
 
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - Diagnóstico
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - DiagnósticoQualidade do ensino superior - 1a. parte - Diagnóstico
Qualidade do ensino superior - 1a. parte - Diagnóstico
 
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
 

Destaque

Math dictionary 4
Math dictionary 4Math dictionary 4
Math dictionary 4dmarsh1
 
Informativo escolar
Informativo escolarInformativo escolar
Informativo escolarCarolMostaro
 
Assembleia geral
Assembleia geralAssembleia geral
Assembleia geralelzaira
 
Keren Nechushtan - Illumination
Keren Nechushtan - IlluminationKeren Nechushtan - Illumination
Keren Nechushtan - IlluminationStudio Luca
 
Dalton Coddington Exam Review Part 1
Dalton Coddington Exam Review Part 1Dalton Coddington Exam Review Part 1
Dalton Coddington Exam Review Part 1daltoncoddington
 
Tutorial Upgrade Wiki
Tutorial Upgrade WikiTutorial Upgrade Wiki
Tutorial Upgrade Wikimarecas2.0
 
Notícias Cabanita Nº3
Notícias Cabanita  Nº3Notícias Cabanita  Nº3
Notícias Cabanita Nº3isigoncalves
 
Triangles By Keynote
Triangles By KeynoteTriangles By Keynote
Triangles By Keynotemegpoirot
 
Boletim esperança 23
Boletim esperança 23Boletim esperança 23
Boletim esperança 23Robervaldu
 
God the Giver
God the GiverGod the Giver
God the Giverebcla
 
Worldvision
WorldvisionWorldvision
Worldvisionhyunmyou
 
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladesh
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladeshwherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladesh
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladeshchangeteam
 

Destaque (20)

Math dictionary 4
Math dictionary 4Math dictionary 4
Math dictionary 4
 
Visita dos alunos na emef maria diva
Visita dos alunos na emef maria divaVisita dos alunos na emef maria diva
Visita dos alunos na emef maria diva
 
Informativo escolar
Informativo escolarInformativo escolar
Informativo escolar
 
Assembleia geral
Assembleia geralAssembleia geral
Assembleia geral
 
Keren Nechushtan - Illumination
Keren Nechushtan - IlluminationKeren Nechushtan - Illumination
Keren Nechushtan - Illumination
 
ماء زمزم
ماء زمزمماء زمزم
ماء زمزم
 
Dedicatórias
DedicatóriasDedicatórias
Dedicatórias
 
1975 6
1975 61975 6
1975 6
 
Rocks part 2
Rocks part 2Rocks part 2
Rocks part 2
 
Dalton Coddington Exam Review Part 1
Dalton Coddington Exam Review Part 1Dalton Coddington Exam Review Part 1
Dalton Coddington Exam Review Part 1
 
Outubro agenda
Outubro agendaOutubro agenda
Outubro agenda
 
Tutorial Upgrade Wiki
Tutorial Upgrade WikiTutorial Upgrade Wiki
Tutorial Upgrade Wiki
 
Apuama Rafting
Apuama RaftingApuama Rafting
Apuama Rafting
 
Notícias Cabanita Nº3
Notícias Cabanita  Nº3Notícias Cabanita  Nº3
Notícias Cabanita Nº3
 
Triangles By Keynote
Triangles By KeynoteTriangles By Keynote
Triangles By Keynote
 
Boletim esperança 23
Boletim esperança 23Boletim esperança 23
Boletim esperança 23
 
Plan
PlanPlan
Plan
 
God the Giver
God the GiverGod the Giver
God the Giver
 
Worldvision
WorldvisionWorldvision
Worldvision
 
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladesh
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladeshwherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladesh
wherearemybooks.com at GBG Dhaka, Bangladesh
 

Semelhante a Avaliação influencia material e interação EAD

13elton lvn estrategias-estudo
13elton lvn estrategias-estudo13elton lvn estrategias-estudo
13elton lvn estrategias-estudoWallace Rodrigues
 
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...Educação Online e em Rede
 
Plano de ensino_ead
Plano de ensino_eadPlano de ensino_ead
Plano de ensino_eadanamarangon
 
Apresentação do pré-projecto Doutoramento
Apresentação do pré-projecto DoutoramentoApresentação do pré-projecto Doutoramento
Apresentação do pré-projecto Doutoramentolfroque
 
Guia dol grupo ser - v3 (1)
Guia  dol   grupo ser - v3 (1)Guia  dol   grupo ser - v3 (1)
Guia dol grupo ser - v3 (1)Juliana Paiva
 
Agudo - Alana Sofia Beling
Agudo - Alana Sofia BelingAgudo - Alana Sofia Beling
Agudo - Alana Sofia BelingCursoTICs
 
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...ProfessorPrincipiante
 
Paula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização iPaula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização ipaulafernandadiogo
 
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distancia
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distanciaCAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distancia
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distanciaJOAO AURELIANO
 
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...Fernanda Coutinho
 
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINO
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINOSEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINO
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINOMario Araujo Filho
 
Produção de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramaProdução de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramalpereirapoa
 
Produção de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramaProdução de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramalpereirapoa
 
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...ProfessorPrincipiante
 
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...curujao
 
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...e-Learning Lab - Universidade de Lisboa
 

Semelhante a Avaliação influencia material e interação EAD (20)

13elton lvn estrategias-estudo
13elton lvn estrategias-estudo13elton lvn estrategias-estudo
13elton lvn estrategias-estudo
 
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...
Por uma Educação a Distância mais Online: reflexões sobre aprendizagem e aval...
 
Formação de Tutores
Formação de TutoresFormação de Tutores
Formação de Tutores
 
Plano de ensino_ead
Plano de ensino_eadPlano de ensino_ead
Plano de ensino_ead
 
Apresentação do pré-projecto Doutoramento
Apresentação do pré-projecto DoutoramentoApresentação do pré-projecto Doutoramento
Apresentação do pré-projecto Doutoramento
 
Guia dol grupo ser - v3 (1)
Guia  dol   grupo ser - v3 (1)Guia  dol   grupo ser - v3 (1)
Guia dol grupo ser - v3 (1)
 
Agudo - Alana Sofia Beling
Agudo - Alana Sofia BelingAgudo - Alana Sofia Beling
Agudo - Alana Sofia Beling
 
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
 
Semana 4 txt1
Semana 4 txt1Semana 4 txt1
Semana 4 txt1
 
Material Didatico Ead
Material Didatico EadMaterial Didatico Ead
Material Didatico Ead
 
Paula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização iPaula de oliveira operacionalização i
Paula de oliveira operacionalização i
 
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distancia
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distanciaCAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distancia
CAPITULO 4 - Tecnologia na educação de professores a distancia
 
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...
Escola de Gestores em análise: os recursos humanos sobre o olhar do Referenci...
 
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINO
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINOSEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINO
SEMINÁRIO - PPA - DIMENSÃO ENSINO
 
Produção de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramaProdução de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxograma
 
Produção de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxogramaProdução de material para ead fluxograma
Produção de material para ead fluxograma
 
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...
PROFESSORES PRINCIPIANTES: O QUE NOS CONTAM AS NARRATIVAS DOS EGRESSOS DA LIC...
 
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
 
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...
Inovação e Tecnologia no Ensino Superior: Motivos e Expectativas dos Estudant...
 
Maria lúcia neder
Maria lúcia nederMaria lúcia neder
Maria lúcia neder
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiCursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankCursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnCursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelCursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinCursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosCursoTICs
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerCursoTICs
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiCursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiCursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriCursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesCursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariCursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoCursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechCursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 

Avaliação influencia material e interação EAD

  • 1. POLO: AGUDO DISCIPLINA: ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO (EDM 1003/2010102) PROFESSOR ORIENTADOR: PROF. DR. CARLOS GUSTAVO MARTINS HOELZEL 26/11/2010 A INFLUÊNCIA DA AVALIAÇÃO DOS COMPONENTES CURRICULARES DE UM CURSO DE PÓS – GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA SOBRE A QUALIDADE DO MATERIAL DIDÁTICO E INTERAÇÕES EM AVEA LA INFLUENCIA DE LA EVALUACIÓN DE LOS COMPONENTES DEL CURRÍCULO DEL CURSO DE POST – GRADO EN LA CALIDAD DE LOS MATERIAS DE ENSEÑANZA Y LAS INTERACCIONES EN AVEA BARBIERO, DANILO RIBAS. RESUMO Este artigo tem por objetivo geral investigar a influência da avaliação dos componentes curriculares de um Curso de Pós – Graduação sobre a qualidade do material didático e sobre as interações no Ambiente Virtual de Ensino – Aprendigem (AVEA) Moodle. Os temas ‘material didático’ e ‘interação em AVEA’ foram escolhidos considerando – os como elementos fundamentais para o ensino – aprendizagem em Educação a Distância (EAD) bem como decisivos para a qualidade dos cursos nesta modalidade educacional. Na fundamentação teórica, abordam-se temas como avaliação de cursos, modalidades de avaliação, material didático e interações em AVEA. Para alcançar os objetivos do estudo utilizou – se da revisão bibliográfica e da técnica entrevista. Dentre os resultados, estão a descrição do processo de avaliação dos componentes curriculares e aspectos relacionados a influência deste processo avaliativo sobre a qualidade dos materiais didáticos e da interação no curso de pós – graduação. Palavras - chave: EAD, Interação, AVEA, Material Didático.
  • 2. RESUMEN Este artículo tiene como objetivo investigar la influencia de la evaluación de los componentes del currículo del Curso de Post – Grado en la calidad de los materiales de enseñanza y en las interacciones en el Ambiente Virtual de Ensino - Aprendizagem (AVEA) Moodle. Los temas ‘materiales de instrucción’ y la ‘interacción AVEA’ fueron elegidos teniendo en cuenta - como los elementos clave para la enseñanza - aprendizaje en la educación a distancia, así como decisivo para la calidad de los cursos en esta modalidad de la educación. En la parte teórica se ocupa de temas tales como evaluación de los cursos, los métodos de evaluación, materiales educativos y las interacciones en AVEA. Para lograr los objetivos del estudio se utilizó la técnica de revisión de la literatura y la entrevista. Entre los resultados son la descripción del proceso de evaluación de los componentes del currículo y los aspectos de la influencia de este proceso de evaluación en la calidad de los materiales de instrucción y la interacción en el post - grado. Palabras - clave: Educación a Distancia, Interacción, AVEA, materiales de enseñanza 2
  • 3. INTRODUÇÃO Desde a legalização da Educação a Distância (EAD) pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) é crescente no país a oferta de cursos de graduação e pós – graduação nesta modalidade educacional. Este panorama da educação em território nacional pode ser justificado pela atuação da Universidade Aberta do Brasil (UAB), um programa do Ministério da Educação (MEC) e ainda, pelos esforços das instituições credenciadas no referido programa para dar qualidade aos cursos em EAD. Dentre os cursos credenciados na UAB e oferecidos à comunidade pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) está o Curso de Pós – Graduação – Especialização a Distância – Gestão em Arquivos (identificado neste trabalho através do acrônimo PGGA), espaço educacional onde o autor do presente trabalho desenvolve suas atividades enquanto tutor. Atuando na PGGA desde o ano de 2008, percebe-se que o curso tem como prática a avaliação dos seus componentes curriculares, ou seja, as disciplinas do curso. Nesta avaliação, realizada após a aplicação das provas presenciais, os alunos são convidados a registrarem em um documento padronizado suas impressões sobre as disciplinas cursadas. Assim, o alunado pode avaliar itens como Professor, Tutor, Conteúdo, Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem (AVEA) e relação com os colegas, que se efetiva no AVEA por meio de interações. No item AVEA, o aluno tem a possibilidade de registrar impressões como a instabilidade do ambiente virtual, a facilidade quanto ao uso de ferramentas síncronas e assíncronas bem como questões referentes à interface da mediação. No que diz respeito ao item Conteúdo, o aluno pode registrar suas considerações sobre a qualidade do material didático utilizado na disciplina bem como suas percepções sobre outros materiais utilizados pelo professor (vídeos, imagens, etc). Neste sentido, está prática de avaliação adotada pelo curso instigou a elaboração da questão – problema para este estudo: Como a avaliação dos componentes curriculares de um Curso de Pós – Graduação Influencia sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA? 3
  • 4. A escolha pelo tema, que compreende os itens qualidade do material didático e interações em AVEA, está relacionada diretamente com alguns itens presentes no instrumento utilizado pela PGGA na avaliação dos componentes curriculares. Ainda, os referidos itens estão relacionados com assuntos abordados nas disciplinas Interação Mediada por Computador e Gestão de Equipe Multidisciplinar, do Curso de Especialização em TICs Aplicadas à Educação, da Universidade Federal de Santa Maria. Ressalta-se ainda que no processo de ensino – aprendizagem em EAD, tanto o material didático quanto as interações em AVEA são elementos fundamentais e decisivos na qualidade dos cursos nesta modalidade educacional. Assim, este artigo tem por objetivo geral investigar a influência da avaliação dos componentes curriculares de um curso de pós – graduação a distância sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA. Os objetivos específicos deste artigo são: a) Destacar a relevância do processo avaliativo, dos materiais didáticos e da interação nos cursos na modalidade educacional a distância; b) Apresentar o processo de avaliação da qualidade dos componentes curriculares da PGGA e c) Descrever a influência da avaliação dos componentes curriculares sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA. Para melhor situar o leitor, optou-se por dividir este artigo nas seguintes seções: Introdução, 1) Breve Histórico da EAD na Universidade Federal de Santa Maria, 2) Conhecendo o Curso de Pós – Graduação – Especialização a Distância – Gestão em Arquivos, 3) Metodologia, 4) Referencial Teórico, 5)Resultados, 6) Considerações Finais e, Referências. 1. BREVE HISTÓRICO DA EAD NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM) Antes de iniciarmos esta seção, que apresenta alguns fatos que contribuíram para demarcar o espaço da EAD na Universidade Federal de Santa Maria, na qual esta pesquisa foi desenvolvida, entende-se como necessário conceituar EAD. Na literatura específica há diversas acepções para 4
  • 5. Educação a Distância. Neste artigo, orienta-se pelo conceito do Decreto N. 5.622/2005, que caracteriza a EAD como: [...] modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos. (BRASIL, 2005). A partir deste conceito, apresentam-se alguns fatos que direcionaram a UFSM rumo a estruturação e credenciamento da EAD. Com o intuito de facilitar esta apresentação, busca-se arrolar os fatos em ordem cronológica: Em 22 de outubro de 2003, por meio da Portaria nº. 45. 491, o Vice – Reitor da UFSM, vincula à Coordenadoria de Planejamento Acadêmico da Pró – Reitoria de Graduação à Coordenação Pedagógica do Serviço de Educação à Distância na UFSM. No ano de 2004, a Resolução Nº. 002/2004, do Ministério da Educação credencia a “Universidade Federal de Santa Maria mantida pelo Ministério da Educação, situada na cidade de Santa Maria, no Estado do Rio Grande do Sul, pelo prazo de cinco anos para ofertar cursos superiores a distância”. É relevante informar que foi o Curso de Graduação a Distância em Educação Especial, da UFSM possibilitou o credenciamento da UFSM para oferta de cursos em EAD. Em 2008, um importante passo foi dado em nível institucional: A UFSM, por meio da Resolução 020/2008 cria a Coordenadoria de Educação a Distância (CEAD) na estrutura organizacional da Pró-Reitoria de Graduação da UFSM. O referido documento ainda aprova o regimento interno e dá outras providências. É relevante ainda citar que, anterior a este documento e no mesmo ano, a UFSM emite a Resolução N. 012/2008, que dispõe sobre o estabelecimento de normas aplicáveis à Educação a Distância na UFSM e dá outras providências. Esta resolução aborda os seguintes itens relacionados à EAD: • Conceituação de EAD; • Orientações quanto ao Programa de Educação a Distância na UFSM; 5
  • 6. Orientações aos Projetos Pedagógicos de Cursos e Programas a Distância; • Orientações sobre a Gestão Pedagógica, Acadêmica e Financeira dos Cursos e Programas a Distância; • Orientações quanto à oferta de disciplina semipresenciais. O Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem (AVEA) utilizado pela UFSM é o Moodle.org. É neste AVEA que ocorrem as aulas na modalidade a distância de 8 cursos de graduação e 8 cursos de pós – graduação. Além disso, alguns professores da UFSM já estão utilizando este AVEA para apoiar as disciplinas de cursos de graduação e pós - graduação presenciais, pois “poderão ser ofertadas as disciplinas na modalidade semipresencial, integral ou parcialmente a distância, desde que essa oferta não ultrapasse 20% da carga horária total do curso”. (UFSM, 2008). 2. CONHECENDO O CURSO DE PÓS – GRADUAÇÃO – ESPECIALIZAÇÃO A DISTÂNCIA – GESTÃO EM ARQUIVOS O Projeto Pedagógico do Curso de Pós-graduação – Especialização a Distância - Gestão em Arquivos foi concluído em 2007, por 8 docentes do Departamento de Documentação do Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH/UFSM) e com a assessoria de 3 professores do Centro de Educação (CE/UFSM). A PGGA iniciou suas atividades acadêmicas em maio de 2008, com oferta inicial de 50 vagas e pólo presencial na cidade de São João do Polêsine. Em 2010, o Curso está em sua 3ª edição, ofertando 80 vagas distribuídas nos Pólos de São João do Polêsine e Cruz Alta. Conforme o Regulamento Interno do Curso, a PGGA tem carga horária de 360 horas, que correspondem a 24 créditos (12 disciplinas) somando-se a esta, a elaboração de monografia, com 30 horas. A tabela 1 apresenta a relação de componentes curriculares da matriz curricular da PGGA: 6
  • 7. 1° MÓDULO 2° MÓDULO DCT 1038 – Capacitação Tecnológica DCT 1043 – Arquivologia e suas em EAD relações interdisciplinares DCT 1039 – Políticas Públicas e a Gestão DCT 1044 – Pesquisa II da Informação Arquivística DCT 1040 – Pesquisa I DCT 1045 – Gestão Informatizada de Processos DCT 1041 – Pesquisa e Tratamento DCT 1046 – Descrição Arquivística dos Arquivos DCT 1042 – Marketing Aplicado aos DCT 1047 – Gestão e Preservação Arquivos da Informação 3° MÓDULO DCT 1048 – Gestão da Qualidade DCT 1049 – Educação, Identidade e Diferença EDM001 – Elaboração de Monografia Tabela 1: Componentes curriculares do Curso de Pós – Graduação – Especialização a Distância – Gestão em Arquivos. 3. METODOLOGIA Esta seção tem por finalidade mapear os procedimentos utilizados para o desenvolvimento e alcance dos resultados deste estudo. A pesquisa científica é o meio mais seguro de se produzir conhecimentos nas mais diversificadas áreas do saber humano. Em linhas gerais, “a pesquisa tem por finalidade a solução de um problema e o método visa orientar a busca da solução deste problema”. (GRESSLER, 2004, p. 44). Em relação ao Método/Metodologia, considera - se neste estudo o posicionamento de Kaplan apud Gressler (2004, p. 25), o qual entende metodologia como: 7
  • 8. [...] o interesse por princípios e técnicas de interesse médio, chamados conseqüentemente métodos. Métodos são técnicas suficientemente gerais para se tornarem comuns a todas as ciências ou a uma significativa parte delas. Com estas considerações dos autores, observa-se que a pesquisa científica é indissociável do método científico e este por sua vez, das diferentes técnicas. Com relação ao alcance dos resultados desta pesquisa, a partir dos objetivos específicos deste estudo de abordagem exploratória, apresentam-se os passos utilizados. Para o objetivo específico “Destacar a relevância do processo avaliativo, dos materiais didáticos e da interação nos cursos na modalidade educacional a distância”, buscou-se por uma revisão teórica sobre o tema avaliação da educação com ênfase nos cursos de graduação e pós – graduação. Esta etapa do trabalho ainda contempla aspectos relacionados à qualidade dos materiais didáticos e da interação nos cursos na modalidade a distância. Para revisar a teoria, foram analisados livros, artigos, documentos e sítios vinculados ao MEC. Esta revisão bibliográfica deu origem à seção “Referencial Teórico” deste trabalho. Em relação aos objetivos específicos “Apresentar o processo de avaliação da qualidade dos componentes curriculares da PGGA” e “Descrever a influência da avaliação dos componentes curriculares sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA”, utiliza-se da técnica de entrevista, “encontro entre duas pessoas, afim de que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza profissional”. (MARCONI, LAKATOS, 2005, p.197). Quanto ao tipo de entrevista, utilizou-se a semi – estruturada, “constituída em torno de um corpo de questões do qual o entrevistador parte para uma exploração em profundidade”. (GRESSLER, 2004, p. 165). A entrevista semi - estruturada foi aplicada à Coordenação da PGGA, onde o (a) entrevistado (a) respondeu a dois blocos de perguntas relacionadas aos objetivos específicos do trabalho (ANEXO A). 8
  • 9. 4. REFERENCIAL TEÓRICO Considerando objetivo geral deste artigo, investigar a influência da avaliação dos componentes curriculares de um curso de pós – graduação a distância sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA, pretende-se nesta etapa do trabalho revisar a bibliografia sobre avaliação da educação, com ênfase nos cursos de graduação e pós – graduação, modalidades de avaliação, qualidade dos materiais didáticos de cursos em EAD e Interação em AVEA. 4.1 A avaliação da qualidade dos Cursos de Graduação no país: o papel do Sistema Nacional da Educação Superior (Sinaes) O Sinaes, criado pela Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004, é formado por três componentes: a) a avaliação das instituições, a avaliação dos cursos e a avaliação do desempenho dos estudantes. Em relação aos aspectos avaliados pelo sistema, estão o ensino, a pesquisa, a extensão, a responsabilidade social, o desempenho dos alunos, a gestão da instituição, o corpo docente, as instalações e outros aspectos. Conforme informações do sítio deste sistema, o Sinaes possui os seguintes instrumentos complementares: auto – avaliação, avaliação externa, Enade, Avaliação dos Cursos de Graduação e Instrumentos de Informação (censo e cadastro). Outro ponto a destacar, conforme registrado no sítio do Sinaes é que os resultados das avaliações possibilitam traçar um panorama da qualidade dos cursos e instituições de educação superior no país. 4.2 A avaliação da qualidade dos Cursos de Pós - Graduação no país: o papel da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Em relação à avaliação dos Cursos de Pós – Graduação – Strictu Sensu (Mestrado e Doutorado), a avaliação da qualidade está sobre responsabilidade da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Um dos objetivos do Sistema de Avaliação desta fundação pública é 9
  • 10. “estabelecer o padrão de qualidade exigido dos cursos de mestrado e doutorado e identificar os cursos que atendem a tal padrão”. Em relação aos Cursos de Pós – Graduação em nível de especialização cabe às instituições onde funcionam estes cursos o papel da avaliação. 4.3 A Avaliação: conceitos e modalidades A avaliação de um curso, seja qual for a modalidade de ensino, é um processo complexo e contínuo. Mesmo não sendo objetivo deste artigo, se entende como pertinente estendermos um olhar sobre a sua conceituação, tendo em vista que este assunto se relaciona com temáticas centrais deste artigo: qualidade do material didático e interações em AVEA. Para Ramos e Carlini, a avaliação é compreendida na: [...] perspectiva diagnóstica, formativa e somativa, como a prática que busca compreender, aperfeiçoar, qualificar e quantificar os processos de ensino e de aprendizagem, atribuindo-lhes significados peculiares e orientando a tomada de novas decisões, seja na educação presencial ou virtual. (2009, p. 161). Dentre as modalidades de avaliação conhecidas, destacam-se três: A Avaliação Somativa, a Avaliação Diagnóstica e a Avaliação Formativa. A Avaliação Formativa é que mais parece se adequar com o contexto do estudo, pois identifica “os interesses e as necessidades dos alunos e da equipe do curso e realiza as alterações possíveis e necessárias já no próximo módulo ou unidade de ensino”. Além disso, as autoras nos dizem que esta modalidade de avaliação: Busca conhecer a opinião dos alunos sobre o curso, pelos comentários, sugestões e críticas que estejam dispostos a fazer. Deve ser utilizada em momentos intermediários – por exemplo, ao final de módulos ou unidades de ensino – e visa adequar o grau de 10
  • 11. adequação do Curso oferecido às expectativas dos alunos participantes, buscando aperfeiçoá-lo. (RAMOS, CARLINI, 2009, p. 162) Entende-se que avaliar um curso é conjunto de atividades complexas, mas que não devem estar de fora do Projeto Pedagógico do Curso. Seja qual for a modalidade de avaliação adotada pelo Curso, é fundamental que os componentes do curso sejam avaliados, tais como “professores, alunos, equipes de apoio, material didático, projeto pedagógico, ambiente virtual etc”. (IBID, 2009). 4.4 A Qualidade dos materiais didáticos em EAD Na modalidade educacional a distância, os formadores, professor e tutor, utilizam de diferentes tecnologias educacionais para facilitar o processo de ensino – aprendizagem, as quais podemos citar o vídeo, a webquest, o Objeto de Ensino – Aprendizagem etc. Pode – se afirmar que esta multiplicação de recursos educacionais utilizados na EAD se deu “de maneira gradativa no início, passou a acontecer rapidamente, acompanhando a velocidade do desenvolvimento das TICs”. (FERNANDEZ, 2009, p. 395). Dentre as tecnologias educacionais citadas, destaca-se o material didático impresso, o mais empregado atualmente na EAD, “pois tanto alunos como professores estão familiarizados com o material impresso, não necessitando de treinamento para a sua utilização”. (DIAS, LEITE, 2010, p. 84). Ao conceituar material didático impresso, Fernandez que nos diz que se trata de: [...] um recurso que (1) utiliza o papel como suporte de comunicação, (2) foi desenvolvido com a finalidade específica de desenvolver a aprendizagem e (3) assume uma configuração – em termos de forma e conteúdo – que se ajusta a concepção pedagógica que lhe deu origem. (2009, p. 395). Em relação às formas dos materiais didáticos impressos, a autora apresenta as seguintes categorias: Manual, Livro – Texto, Guia de Estudo, Texto Auto – Instrucional e Publicação Técnica. Dentre estas, analisa – se o 11
  • 12. conceito de Livro – Texto, forma de material didático que mais se aproxima ao utilizado na PGGA. Para a autora, o Livro – Texto é: [...] um recurso básico e fonte primária de grande parte de cursos EAD. Muitas vezes é denominado texto – base, o que significa ser complementado por outros textos. Esse material apresenta o conteúdo a ser estudado, em determinada seqüência, e é usado como referência teórica para a realização das atividades de um curso. (2009, p. 396). É relevante salientar que, na Educação a Distância, os materiais didáticos são produzidos a partir do trabalho de especialistas de diferentes áreas, que atuam em grupos, em comissões específicas, vinculadas a uma Equipe Multidisciplinar de Apoio. Assim, para a elaboração dos materiais didáticos: São necessárias muitas atividades que ficam a cargo de pessoas que dominam, cada uma delas, várias áreas do conhecimento humano. São competências bastante díspares, mas que se complementam em busca de um objetivo em comum: os materiais que transmitirão as informações da Coordenação do Curso ou dos professores para os alunos, compreendendo-se aqui tanto os materiais impressos como digitais. (NETO, 2007, p. 6). Dentre as comissões/coordenações que uma Equipe Multidisciplinar de Apoio pode apresentar, é fundamental citar o papel da Coordenação de Gestão, que: [...] assume a responsabilidade de gerenciar os conteúdos de materiais didáticos e de apoio necessários ao atendimento da matriz curricular específica de cada curso como, da mesma forma, os necessários para a sua divulgação. É formada pelo conjunto dos professores conteudistas responsáveis pela elaboração do material didático de cada uma das disciplinas que compõem a matriz curricular do curso a ser ofertado. (NETO, 2007, p. 14). Sabe-se que os materiais didáticos impressos estão sujeitos a atualização constante. Com isso, para a utilização de materiais didáticos 12
  • 13. impressos de qualidade é preciso que a coordenação bem como os professores do curso entendam que: O material didático desenvolvido para cursos a distância é experimental e perecível. Portanto, podem e devem ser encarados como passíveis de serem revisados, ampliados, modificados, reformulados e adaptados conforme as necessidades encontradas ao longo da implementação do curso. (MEC, 2007, p. 5). Neste sentido, a partir de um estudo elaborado pelo Ministério da Educação, no qual o produto foi um documento com referenciais para a elaboração de material didático para EAD, destacam - se algumas características específicas que os materiais didáticos impressos de qualidade devem apresentar, as quais seis são sintetizadas na tabela 2: 1 Considerar a capacidade leitora dos alunos; 2 Favorecer a utilização de elementos imagéticos bem como o uso de exemplos e analogias; 3 Contemplar aspectos motivacionais e de facilitação da compreensão, usando recursos lingüísticos e imagéticos variados; 4 Atentar para a interligação entre cada bloco temático, disciplinas, aulas, etc.; de forma a evidenciar o seqüenciamento e a coesão existente entre os conteúdos; 5 Utilizar uma linguagem amigável, clara e concisa, em tom de conversação; 6 Respeitar as questões ergonômicas no projeto gráfico, organizando elementos imagéticos e textuais de forma a conferir aos blocos temáticos uma programação visual arejada, trazendo leveza ao material e facilitando o estudo; Tabela 2: Características específicas de materiais didáticos impressos de qualidade. Ainda, em relação à qualidade dos materiais didáticos impressos, ressaltam-se os seguintes aspectos relevantes que precisam ser considerados 13
  • 14. e respeitados na elaboração destes recursos educacionais. (FERNANDEZ, 2009, p. 399 – 401): • As características do educando que utilizará o material; • A qualidade da linguagem adotada no material; • A relevância do conteúdo tratado; • O caráter de parceria entre os especialistas; • A cuidadosa e refletida inclusão de perguntas e atividades diversificadas; • A adequação na inserção de elementos formais (Ex.: Ilustrações); • O respeito à autoria. 4.5 A Interação em AVEA A Interação, bem como o Material Didático, são elementos fundamentais para que ocorra o processo de ensino – aprendizagem na Educação a Distância. Na maioria dos cursos em educação a distância que ocorrem por meio de um Ambiente Virtual de Ensino – Aprendizagem, a interação é a principal forma de comunicação entre professores, tutores e alunos. Em linhas gerais, a interação envolve: [...] o comportamento e as trocas entre os indivíduos e grupos que se influenciam, nos casos em que eventos recíprocos que requerem pelo menos dois objetos e duas ações. (WAGNER, 1994, 1997 apud MATTAR, 2009, 112). Na Educação a distância on - line, para que haja a interação entre professores, tutores e alunos, é fundamental o uso de um AVEA. Neste sentido, “na prática educacional a distância, a interação mediada por computador entre professor e estudantes acontece quando ambos estão conectados à Internet no endereço eletrônico do AVEA”. (DE BASTOS, 2007, p. 3 – 4). Para compreender os processos interativos é preciso antes compreender que os AVEA permitem: 14
  • 15. [...] integrar múltiplas mídias e recursos, apresentar informações de maneira organizada, desenvolver interações entre pessoas e objetos de conhecimento, elaborar e socilializar produções tendo em vista atingir determinados objetivos. (ALMEIDA, 2003, p. 5). É por meio de um AVEA que os interagentes (participantes da interação) se comunicam por diferentes ferramentas tecnológicas, onde: A comunicação mediada por computador materializa-se através das trocas de mensagens eletrônicas. Assim, a natureza da ferramenta define a mensagem. Através das ferramentas assíncronas – e – mail, lista de discussão, fórum etc. – é possível valorizar a reflexão e o refinamento das idéias dos participantes de um processo comunicacional. As ferramentas síncronas, por sua vez – como chats – permitem a valorização da velocidade de comunicação, visto que a interação ocorre em tempo real. (DIAS, LEITE, 2010, p. 94). Outro ponto a ser sublinhado, é que olhando por um viés tecnológico, é possível observar que a interação pode ser facilitada em um AVEA quando os interagentes não apresentam dificuldades para localizar e utilizar a ferramenta escolhida para interagir. Esta facilidade ou não do aluno em utilizar a ferramenta adequada está associada à usabilidade, conceito conexo à ergonomia respeitado pelos responsáveis pela elaboração das interfaces dos AVEAs. Conceitua-se usabilidade como a “propriedade que os produtos têm de serem fáceis de usar e aprender. Ela é aplicada aos produtos, por isso é uma característica”. (HOELZEL, 2007, p. 19). Com estas considerações sobre interação em AVEA, observa-se que a qualidade da interação dependerá ainda das estratégias pedagógicas utilizadas pelos formadores bem como a relação destes com o uso das ferramentas síncronas e assíncronas de uma mediação. 5. RESULTADOS Nesta seção, apresentam – se os achados da pesquisa obtidos a partir da aplicação da entrevista com a Coordenação do Curso de Pós – Graduação a Distância – Gestão em Arquivos. O processo de avaliação dos componentes 15
  • 16. curriculares deste curso funciona da seguinte forma: a cada final de bimestre são aplicadas as avaliações das disciplinas do curso junto aos pólos presenciais. Após a aplicação das provas, os alunos são orientados por meio do professor designado para aplicar a prova a responderem ao instrumento identificado por Avaliação do Componente Curricular (ACC). Neste documento, a identidade do aluno é facultada. Cada disciplina, portanto, cada componente curricular recebe uma atenção de cada um dos alunos do curso. O documento não apresenta questões, e sim itens onde os alunos podem registrar as suas considerações. O ACC contempla os seguintes itens, comentados pelo autor: Componente Curricular Professor Neste item, o aluno pode registrar suas considerações sobre o desempenho do professor. Relaciona-se com a qualidade da interação, considerando que o docente interage com o aluno por meio de um AVEA. Tutor Neste item, o aluno pode registrar suas considerações sobre o desempenho do tutor. Relaciona-se com a qualidade da interação, considerando que o tutor interage com o aluno por meio de um AVEA. Conteúdo Neste item, o aluno pode registrar suas considerações sobre a qualidade do conteúdo utilizado pelo professor. Relaciona-se diretamente com qualidade do material didático. Ambiente Virtual de Neste item, o aluno pode registrar a sua percepção quanto ao uso do AVEA utilizado, se considera o Aprendizagem ambiente estável/instável, se encontra facilidade ou dificuldade para usar as ferramentas de interação etc. Metodologia Neste item, o aluno pode registrar suas considerações sobre as estratégias pedagógicas utilizadas pelo professor para ensinar os conteúdos. Relação com os Neste item, o aluno pode registrar suas considerações sobre a relação com os colegas no colegas AVEA. Relaciona-se com a interação e com o desempenho do professor e do tutor em favorecer um ambiente de socialização. 16
  • 17. Observações e Item livre para que o aluno registre suas considerações sobre outros itens não contemplados Sugestões no instrumento. Tabela 3: Itens do ACC comentados pelo autor. Com a avaliação dos componentes curriculares, a PGGA tem por finalidade melhorar a comunicação entre professores, tutores e alunos e ainda, contribuir com o processo de ensino – aprendizagem. A Coordenação deste curso percebe que a UFSM tem o compromisso e uma responsabilidade social que atende o processo de avaliação institucional como um pressuposto a melhoria do ensino da pesquisa e da extensão. Ressalta ainda que, a finalidade do curso é analisar, por meio do ACC as diferentes percepções que efetivamente contribuam e mobilizem mecanismos de transformação da realidade. Em relação a leitura dos ACCs, o fluxo de atividades funciona da seguinte forma: após a aplicação das provas presenciais e dos ACCs nos pólos, os professores designados para esta etapa do trabalho entregam estes intrumentos preenchidos à Coordenação do Curso. O primeiro movimento constitui-se numa análise dos ACCs por parte da Coordenação do Curso e da Coordenação de Tutoria. Após categoriza-se aquilo que mais aparece na percepção dos alunos. Verifica-se e retoma-se muitas vezes os registros que ficam armazenados no AVEA. Por meio de discussões, novos procedimentos são definidos. São promovidos encontros (individuais ou coletivos) no intuito de estudar e ou viabilizar mudanças e procedimentos relacionados aos diferentes itens que compõe o instrumento. Quanto as necessidades de revisar o material didático do curso, a Coordenação da PGGA informa não ter registros existentes nos ACCs. As contribuições dos alunos tem enfatizado aspectos como a relação tutores/alunos, excesso de tarefas e melhor organização da prova, considerando por exemplo, o fato de realizarem três avaliações presenciais em um dia. Com isso entende - se que o material didático do curso atende as necessidades dos alunos. Em relação a qualidade das interações entre 17
  • 18. professores, tutores e alunos, a coordenação da PPGA reconhece a necessidade constante de melhorar esta interação. Quanto aos benefícios obtidos pelo Curso a partir do processo avaliativo, em relação aos materiais didáticos e interações em AVEA, a Coordenação faz a seguinte leitura: os benefícios obtidos a partir da ACCs favorecem uma melhor organização e harmonização de todas as ações que envolvem as relações entre tutores, professores e alunos. O processo também orienta e sugere novos procedimentos favorecedores ao processo de ensino – aprendizagem. Em suma, pode – se concluir que a avaliação dos componentes curriculares da PPGA é um processo que tem potencial para influenciar na qualidade dos materiais didáticos e que influencia de forma significativa na qualidade das interações entre tutores e alunos. 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS A elaboração deste artigo possibilitou ao pós – graduando novas reflexões sobre as práticas educativas na modalidade educacional a distância, assim como o reconhecimento da relevância do material didático e das interações no processo de ensino aprendizagem a distância. Sabe-se que desde os primórdios da EAD, quando os cursos eram oferecidos por correspondência que havia uma preocupação com a qualidade do material didático, pois este era o principal recurso educacional no qual o aluno poderia aprender. Com o passar do tempo, e o desenvolvimento das TICs, observa-se uma crescente preocupação em manter a qualidade destes recursos educacionais, bem como a qualidade da interação entre os formadores e alunos. A Interação é outro item de relevo no contexto da EAD, pois é por meio desta que os alunos efetivam as “trocas” com os professores e tutores, que trazem a possibilidade de transformação da realidade do aluno, ou seja, a aprendizagem. Assim, a elaboração desta pesquisa trouxe ao autor a possibilidade de reflexão sobre a qualidade da interação enquanto tutor de um curso de pós – graduação em educação a distância. 18
  • 19. Quanto a realização deste estudo, pode-se dizer que os objetivos propostos foram alcançados e que a realização das atividades de pesquisa foram desafiantes e motivadoras. No entanto, observa-se a partir deste estudo, a necessidade de explorar o tema qualidade na EAD nos aspectos materiais didáticos e na interação. REFERÊNCIAS ALMEIDA, Maria Elizabete Biancocini. Tecnologia e Educação a Distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem. Rio de Janeiro: ANPED, 2003. BRASIL. Decreto N° 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil/>. Acesso em: 14 set. 2010. CASTANHO, D. M. et al. Projeto Pedagógico: Curso de Pós – Graduação – Especialização a Distância – Gestão em Arquivos. UFSM, 2007. COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Avaliação da Pós - Graduação. Disponível em <http://www.capes.gov.br/avaliacao/avaliacao-da-pos-graduacao>. Acesso em: 14 set. 2010. DE BASTOS, Fábio da Purificação. Interação Mediada por Computador. Santa Maria: UFSM, 2007. DIAS, R. A.; LEITE, L. S. Educação a Distância: da legislação ao Pedagógico. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. FERNANDEZ, Consuelo Teresa. Os métodos de preparação de material impresso para EAD. In: Educação a Distância: O Estado da Arte. LITTO, 19
  • 20. Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Orgs). São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. GRESSLER, Lori Alice. Introdução a Pesquisa: Projetos e Relatórios. São Paulo: Loyola, 2004. HOELZEL, C. G. Design de Interfaces. Santa Maria: UFSM, 2007. MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, 2005. MATTAR, João. Interatividade e Aprendizagem. In: Educação a Distância: O Estado da Arte. LITTO, Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Orgs). São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referenciais para Elaboração de Material Didático para EAD no Ensino Profissional e Tecnológico. Brasília: 2007. Disponível em: <ww.etecbrasil.mec.gov.br/gCon/recursos/upload/.../ref_materialdidatico.pdf>. Acesso em 15 set. 2010. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Resolução N.° 02/2004. Credencia a Universidade Federal de Santa Maria mantida pelo Ministério da Educação, pelo prazo de cinco anos para ofertar cursos superiores a distância. Brasília, 2004. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Sinaes. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/superior/sinaes/>. Acesso em: 14 set. 2010. NETO, Luiz Antonio do Santos. Gestão de Equipe Multidisciplinar. Santa Maria: UFSM, 2007. 20
  • 21. RAMOS, Monica Parente; CARLINI, Alda Luiza. A avaliação do Curso. In: Educação a Distância: O Estado da Arte. LITTO, Frederic M.; FORMIGA, Marcos (Orgs). São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Curso de Pós – Graduação a Distância – Especialização a Distância Latu Sensu – Gestão em Arquivos: Regulamento Interno. Santa Maria, 2009. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Portaria n° 45. 491, de 22 de outubro de 2003. Estabelece vínculo entre a Coordenadoria de Planejamento Acadêmico da Pró – Reitoria de Graduação com a Coordenação Pedagógica do Serviço de Educação à Distância na UFSM. Santa Maria, 2003. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Resolução N.° 12/08, de 3 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estabelecimento de normas aplicáveis à Educação a Distância na Universidade Federal de Santa Maria e dá outras providências. Santa Maria, 2008. (A) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Resolução N.° 20/08, de 3 de setembro de 2008. Cria a Coordenadoria de Educação a Distância na estrutura organizacional da Pró-Reitoria de Graduação da UFSM, aprova o seu regimento interno e dá outras providências. Santa Maria, 2008. (B) 21
  • 22. ANEXO 22
  • 23. ANEXO A – Questões utilizadas na entrevista com a Coordenação da PGGA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE PÓS – GRADUAÇÃO TICs APLICADAS à EDUCAÇÃO • As questões estão distribuídas em dois blocos relacionados aos objetivos específicos: Objetivo Específico: Apresentar o processo de avaliação da qualidade dos componentes curriculares da PGGA: 1) Como funciona o processo de avaliação dos componentes curriculares no Curso de Pós – Graduação a Distância – Gestão em Arquivos? 2) Qual a finalidade da avaliação da qualidade dos componentes curriculares para o Curso? 3) Quais os itens contemplados na avaliação dos componentes curriculares? 4) De que forma os resultados da avaliação dos componentes são repassados aos professores e tutores? Objetivo Específico: Descrever a influência da avaliação dos componentes curriculares sobre a qualidade do material didático e interações em AVEA. 5) A partir dos resultados das avaliações dos componentes curriculares, percebe- se a necessidade de revisar o material didático do curso? 6) A partir dos resultados das avaliações dos componentes curriculares, percebe- se a necessidade de melhorar a qualidade da interação entre professores, tutores e alunos no AVEA? 7) Quais benefícios o Curso obteve, a partir deste processo avaliativo, na qualidade dos materiais didáticos e interações em AVEA? 23