Virus

1.306 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.306
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
533
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Virus

  1. 1. VÍRUSPROFª CLEUNI FRETTA WIGGERS
  2. 2. A palavra vírus vem do Latim virus quesignifica fluído venenoso ou toxina.Atualmente é utilizada para descreveros vírus biológicos, além de designar,metaforicamente, qualquer coisa que sereproduza de forma parasitária, comoidéias.Das 1.739.600 espécies de seres vivosconhecidos, os vírus representam 3.600espécies.
  3. 3. Não possuem estrutura celular, e por, isso,não podem ser classificados em nenhum dos5 reinos.Medem entre 0,03 m e 0,3 m ( cerca de 10vezes menor que uma bactéria).
  4. 4. Vírus é uma partícula basicamente proteicaque pode infectar organismos vivos.
  5. 5. Vírus são parasitas obrigatórios dointerior celular e isso significa que elessomente se reproduzem pela invasão epossessão do controle da maquinariade auto-reprodução celular. O termovírus geralmente refere-se àspartículas que infectam eucariontes(organismos cujas células têmcarioteca), enquanto o termobacteriófago ou fago é utilizado paradescrever aqueles que infectamprocariontes .
  6. 6. ESTRUTURA DE UM VÍRUSTipicamente, estas partículascarregam uma pequena quantidade deácido nucleico (seja DNA ou RNA, ou osdois) sempre envolto por uma cápsulaproteica denominada capsídeo. Asproteínas que compõe o capsídeo sãoespecíficas para cada tipo de vírus. Ocapsídeo mais o ácido nucleico que eleenvolve são denominadosnucleocapsídeo.
  7. 7. Alguns vírus são formados apenas pelonúcleo capsídeo, outros no entanto,possuem um envoltório ou envelopeexterno ao nucleocapsídeo. Essesvírus são denominados vírusencapsulados ou envelopados.
  8. 8. REPRODUÇÃOVAMOS ESTUDAR A REPRODUÇÃO VIRALCOM BASE NO BACTERIÓFAGO
  9. 9. CICLO LÍTICONo ciclo lítico, o vírus invade a bactéria, onde as funçõesnormais desta são interrompidas na presença de ácidonucléico do vírus (DNA ou RNA). Esse, ao mesmo tempoem que é replicado, comanda a síntese das proteínas quecomporão o capsídeo. Os capsídeos organizam-se eenvolvem as moléculas de ácido nucléico. Sãoproduzidos, então novos vírus. Ocorre a lise, ou seja, acélula infectada rompe-se e os novos bacteriófagos sãoliberados. Sintomas causados por um vírus que sereproduz através desta maneira, em um organismomulticelular aparecem imediatamente. Nesse ciclo, osvírus utilizam o equipamento bioquímico(Ribossomo)dacélula para fabricar sua proteína (Capsídeo).
  10. 10. CICLO LISOGÊNICOO vírus invade a bactéria ou a célulahospedeira, onde o DNA viral incorpora-se aoDNA da célula infectada. Isto é, o DNA viraltorna-se parte do DNA da célula infectada.Uma vez infectada, a célula continua suasoperações normais, como reprodução e ciclocelular. Durante o processo de divisão celular,o material genético da célula, juntamente como material genético do vírus que foiincorporado, sofrem duplicação e em seguidasão divididos equitativamente entre as células-filhas.
  11. 11. Assim, uma vez infectada, uma célulacomeçará a transmitir o vírus sempre quepassar por mitose e todas as células estarãoinfectadas também. Sintomas causados por umvírus que se reproduz através desta maneira,em um organismo multicelular podem demorara aparecer. Doenças causadas por víruslisogênico tendem a ser incuráveis. Algunsexemplos incluem a AIDS e herpes.
  12. 12. VIROSES HUMANASResfriado Comum;Caxumba;Raiva;Rubéola;Sarampo;Hepatites;Dengue;Poliomielite;Febre amarela;Varicela ou Catapora;Varíola;Meningite viral;Mononucleose Infecciosa;HerpesCondilomaHantaviroseAIDS.
  13. 13. PRÍONSPríons não são vírus, nem bactérias: são modificaçõesde proteínas normais do corpo. Embora em sua formanormal essas proteínas sejam inofensivas, o acúmuloda forma modificada pode levar à morte de neurônios.Constituem uma forma alterada de uma proteínanormal presente na membrana das células nervosas docérebro de vertebrados, e podem formar-se por causade uma mutação no gene que codifica a proteínanormal.
  14. 14. Doença de Creutzfeldt-JakobA Doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ) éuma desordem cerebral caracterizadapor perda de memória, tremores,desordem na marcha, postura rígida eataques epilépticos, e paralisia facial quedá a impressão de que a pessoa estásempre sorrindo (contração muscularinvoluntária) devida a uma rápida perdade células cerebrais causada por umaproteína transmissível chamada príon.
  15. 15. A doença incide em todas as populaçõeshumanas com um incidência típica dadoença de 1 caso para 1.000.000 dehabitantes por ano. Normalmenteaparece na meia-idade com o pico deincidência entre 50 a setenta anos.
  16. 16. DOENÇA DA VACA LOUCAÉ uma desordem cerebral fatal queocorre no gado e é causada pelos prions.Na EEB, os prions causam morte dascélulas cerebrais da vaca, formandoburacos parecidos com esponja em seucérebro. A vaca começa a agir de formaestranha e acaba morrendo.
  17. 17. A relação entre a EEB e os sereshumanos foi descoberta na Grã-Bretanhana década de 90 quando vários jovensmorreram da doença, e uma semelhanteà doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ),que normalmente atinge pessoas idosas.
  18. 18. Hipótese de príon ocorre da seguinteforma:* uma pessoa ingere um príon de formato alteradoem um alimento contaminado;* o príon de formato alterado é absorvido pelacorrente sangüínea e atravessa o sistema nervoso;* este príon entra em contato com um príon normal emuda seu formato, destruindo a função original dopríon normal;* a célula nervosa tenta se livrar dos príons alterados,colocando-os em pequenas vesículas que se unem aseu lisossomo;
  19. 19. * as células nervosas não conseguem digerirpríons alterados, desta forma, eles seacumulam no lisossomo;* os lisossomas crescem e obstruem a célulanervosa, que acaba morrendo;* ao morrer, os príons alterados são liberadospara infectar outras células;* buracos grandes, parecidos com os de umaesponja, aparecem onde as células morrem;* várias mortes de células nervosas causamperda da função cerebral e a pessoa acabamorrendo.

×