Briofitas pteridofitas

4.726 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.726
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
175
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
184
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Briofitas pteridofitas

  1. 1. BRIÓFITAS E PTERIDÓFITAS MUSGO SAMAMBAIA
  2. 2. BRIÓFITAS • São plantas avasculares, sem xilema e floema. Não apresentam flores e frutos • Apresentam tamanho reduzido, com poucos centímetros de altura • Vivem em locais sombreados e úmidos • Algumas podem ser encontrados em ambientes mais secos, outras em água doce. Não se conhece espécies marinhas
  3. 3. • Não formam órgãos verdadeiros. • Reproduzem-se por metagênese, apresentando meiose espórica ou intermediária • Apresentam uma geração N denominada gametofítica, onde o gametófito é a estrutura formadora de gametas • A geração 2N é denominada esporofítica, cuja estrutura formadora de esporos recebe o nome de esporófito.
  4. 4. • O esporófito surge sobre o gametófito, que é a fase duradoura do ciclo. Fase G>E • O gameta masculino é o anterozóide e o feminino é a oosfera. • As briófitas mais conhecidas são as hepáticas e os musgos • Cápsula: possui esporângios, estruturas que darão origem aos esporos • Apresentam importância ecológica, auxiliando na manutenção da integridade das encostas.
  5. 5. Estrutura de um musgo ( oi f ó e m G t t a ) n2 oi f ó ops E ( t r Cápsula Haste ou caulóide Filóide Rizóide Caliptra
  6. 6. Ciclo de vida: Briófitas Cápsula (2n) Cápsula Haste Esporos (n) eliminados da cápsula Meiose no interior da cápsula, formando esporos (n) Anterozóides (n) Pé ) n2( o i f ór ops E t (gametas masculinos) Germinação Arquegônio (n) (gametângio feminino) Oosfera (n) (gameta feminino) ti f ó e m G t a Anterídio (n) Arquegônio (n) com embrião (2n) Fecundação e divisão mitótica (gametângio masculino) Gametófito feminino (n) Gametófito masculino (n)
  7. 7. PTERIDÓFITAS • São plantas pioneiras, pois possuem tecido condutor, são vasculares • Apresentam tamanho entre centímetros e metros • A seiva bruta (água e sais minerais) é conduzida pelo xilema e a seiva elaborada ou orgânica, produzida a partir da fotossíntese, é conduzida pelo floema
  8. 8. • Vivem em ambiente úmido e sombreado, pois dependem da água para a fecundação • Os principais representantes são: cavalinha, selaginela (vendida em floriculturas erroneamente como musgos), e as samambaias diversas • Apresentam raiz, caule, folhas, mas não apresentam flores nem frutos. • A folha apresenta diversos folíolos, cujo conjunto denomina-se fronde
  9. 9. • O caule das samambaias é do tipo rizoma e cresce paralelamente ao solo • As folhas jovens nascem enroladas e recebem o nome de báculos • Na epiderme inferior das samambaias, existem pequenos pontinhos escuros denominados soros. Esses contém conjuntos de esporângios, estruturas formadoras de esporos.
  10. 10. • As samambaias também reproduzem-se por metagênese, sendo a fase duradoura a esporofítica. A fase transitória, o gametófito, é também conhecido como protalo. Fase E>G • Apresentam muita importância comercial, utilizadas na ornamentação de casas, como avencas e samambaias, ou ainda o samambaiaçú, utilizado na fabricação de xaxim, ameaçado de extinção. Hoje utiliza-se a fibra de coco para a fabricação de vasos.
  11. 11. Ciclo de vida: Pteridófitas Germinação Prótalo gametófito (n) Esporo (n) Esporângio (2n) Meiose Oosfera (n) Esporófito (2n) Gametófito (n) Arquegônio (n) Anterídio (n) Anterozóides (n) Fecundação Esporófito (2n) Zigoto (2n)
  12. 12. BÁCULO
  13. 13. SOROS
  14. 14. samambaiaçú
  15. 15. Gênero Dryopteris
  16. 16. Lycopodium
  17. 17. AVENCA

×