Definição• A            partir       de           1881,        na  França, poetas, pintores, dramaturgos e escritores em  ...
Contexto histórico         • II Revolução Industrial         • Monopólio de grandes           grupos financeiros         •...
Características• Subjetivismo: A visão objetiva da realidade não  desperta mais interesse, e, sim, está focalizada sob o  ...
Características• Sinestesia:     Sensação     produzida         pela  interpenetração de órgãos sensoriais: "cheiro doce" ...
No Brasil...•   Proclamação da Republica•   Imigração•   Inicio da industrialização•   1893 – Missal e Broqueis de    Cruz...
Cruz e Souza• Combinou a influencia que  recebeu do Parnasianismo, o  pessimismo e o materialismo dos  realistas com a mus...
InefávelNada há que me domine e que me vençaQuando a minha alma mudamente acorda...Ela rebenta em flor, ela transbordaNos ...
Alphonsus de             Guimaraens• Poeta místico, religiosidade  que marca seus versos  contem lugares onde viveu  (igre...
Ossa MeaMãos de finada, aquelas mãos de neve,De tons marfíneos, de ossatura rica,Pairando no ar, num gesto brando e leve,Q...
Simbolismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Simbolismo

4.318 visualizações

Publicada em

Aula de Literatura Brasileira sobre o Simbolismo

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
256
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Simbolismo

  1. 1. Definição• A partir de 1881, na França, poetas, pintores, dramaturgos e escritores em geral, influenciados pelo misticismo advindo do grande intercâmbio com as artes, pensamento e religiões orientais - procuram refletir em suas produções a atmosfera presente nas viagens a que se dedicavam.• Marcadamente individualista e místico, foi, com desdém, apelidado de "decadentismo" - clara alusão à decadência dos valores estéticos então vigentes e a uma certa afetação que neles deixava a sua marca. Em 1886 um manifesto trouxe a denominação que viria marcar definitivamente os adeptos desta corrente: simbolismo.
  2. 2. Contexto histórico • II Revolução Industrial • Monopólio de grandes grupos financeiros • Grande Depressão (1873 – 1896) • Niestzsche e Schopenhauer • Decadentismo (Charles Baudelaire com "As Flores do Mal", 1857) • Impressionismo na arte
  3. 3. Características• Subjetivismo: A visão objetiva da realidade não desperta mais interesse, e, sim, está focalizada sob o ponto de vista de um único indivíduo.• Musicalidade: A musicalidade é uma das características mais destacadas da estética simbolista. (Aliteração e Assonância).• Espiritualidade e Transcendentalismo: Um dos princípios básicos dos simbolistas era sugerir através das palavras sem nomear objetivamente os elementos da realidade. Ênfase no imaginário e na fantasia.
  4. 4. Características• Sinestesia: Sensação produzida pela interpenetração de órgãos sensoriais: "cheiro doce" ou "grito vermelho“• Obsessão pelo branco: "Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas!... Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras..." [...] (Cruz e Souza)
  5. 5. No Brasil...• Proclamação da Republica• Imigração• Inicio da industrialização• 1893 – Missal e Broqueis de Cruz e Souza.
  6. 6. Cruz e Souza• Combinou a influencia que recebeu do Parnasianismo, o pessimismo e o materialismo dos realistas com a musicalidade e o espiritualismo simbolista.• Nas ultimas obras, busca o conformismo cristão como salvação e conforto.• Linguagem requintada, inovações linguísticas, uso excessivo da maiúsculas, substantivos abstratos po plural e sinestesias.• Predileção pelo branco ou a coisas que lembrem a cor.
  7. 7. InefávelNada há que me domine e que me vençaQuando a minha alma mudamente acorda...Ela rebenta em flor, ela transbordaNos alvoroços da emoção imensa.Sou como um Réu de celestial sentença,Condenado do Amor, que se recordaDo Amor e sempre no Silêncio bordaDe estrelas todo o céu em que erra e pensa.Claros, meus olhos tornam-se mais clarosE tudo vejo dos encantos rarosE de outras mais serenas madrugadas!Todas as vozes que procuro e chamoOuço-as dentro de mim porque eu as amoNa minha alma volteando arrebatadas
  8. 8. Alphonsus de Guimaraens• Poeta místico, religiosidade que marca seus versos contem lugares onde viveu (igreja, procissões, missas)• Misticismo marcado pela melancolia• Preferencia pela língua arcaica• Impressões de vésperas de finados, luto, sepultamento.• Poesia pouco descritiva e versos musicais.
  9. 9. Ossa MeaMãos de finada, aquelas mãos de neve,De tons marfíneos, de ossatura rica,Pairando no ar, num gesto brando e leve,Que parece ordenar mas que suplica.Erguem-se ao longe como se as eleveAlguém que ante os altares sacrifica:Mãos que consagram, mãos que partem breve,Mas cuja sombra nos meus olhos fica...Mãos de esperança para as almas loucas,Brumosas mãos que vêm brancas, distantes,Fechar ao mesmo tempo tantas bocas...Sinto-as agora, ao luar, descendo juntas,Grandes, magoadas, pálidas, tateantes,Cerrando os olhos das visões defuntas...

×