Contos assombracao

1.284 visualizações

Publicada em

Desenvolvimento do gênero Conto de Assombração através de uma linguagem virtual em uma criação coletiva.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contos assombracao

  1. 1. PREFEITURA DE INDAIATUBA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROJETO LER FAZ BEM 2014 FICHA TÉCNICA DO LIVRO VIRTUAL NOME DA UNIDADE ESCOLAR: EMEB “PROFª ELIZABETH DE LOURDES CARDEAL SIGRIST” NOME DO PROFESSOR (A): Profª Ana Paula Santarém Nadim Gomes ANO – TURMA – TURNO: 5º ano – C – Matutino TÍTULO DO LIVRO: Contos de assombração GÊNERO TEXTUAL ESCOLHIDO: Contos de assombração TRILHA SONORA (nome do artista e da música): n/a RECURSOS TECNOLÓGICOS DISPONÍVEIS E UTILIZADOS NA UNIDADE ESCOLAR: ( X ) COMPUTADOR ( X ) NOTEBOOK ESCOLAR ( ) MAX CÂMERA ( PROJETOR MULTIMÍDIA) ( ) LOUSA DIGITAL ( ) MESA EDUCACIONAL (ESPECIFICAR): _______________________________________________ ( ) SCANNER ( ) FILMADORA ( X ) CÂMERA FOTOGRÁFICA DIGITAL ( X ) MICROSOFT OFFICE 2010: (ESPECIFICAR: POWER Point, Word, entre outros): Power Point ( X ) PAINT ( ) BrOFFICE ( ESPECIFICAR: Impress, Writer): ___________________________________________ ( ) WINDOWS MOVIE MAKER ( ) OUTROS (ESPECIFICAR): ____________________________________________________ RECURSOS GRATUITOS DISPONÍVEIS NA INTERNET(PROGRAMAS/SOFTWARES): Listar o que foi utilizado e citar o site com a data de acesso e horário: _______________________________________ ____________________________________________________________________________________
  2. 2. Dedicamos este livro a todas as pessoas que gostam de leitura
  3. 3. A funcionária Karina que nos ajudou durante o processo de confecção deste livro.
  4. 4. Aluno A, Aluno B e Aluno C
  5. 5. Numa noite muito escura e chuvosa, um rapaz muito bonito que morava no Rio de Janeiro, estava cansado de ficar em casa pensando em seus problemas e resolveu sair para dar um passeio pela cidade. Tudo estava muito tranquilo, as ruas desertas e o silêncio era absoluto. De repente, ele viu vindo em sua direção, uma moça maravilhosa, toda de branco, cabelos compridos e o olhar muito triste.
  6. 6. Ela foi na direção do rapaz e se apresentou, perguntando o que ele fazia sozinho na rua tão tarde da noite. Eles conversaram por um bom tempo e ela o convidou para ir a sua casa tomar um café e esquentar o corpo. Na casa dela, ele viu vários porta-retratos com a foto da moça espalhados pela casa.
  7. 7. O rapaz ficou apaixonado por ela e acabou esquecendo um pouco os seus problemas e pensou que queria vê-la novamente no dia seguinte. Eles conversaram até o dia amanhecer e quando o rapaz disse que ia embora para casa, a moça começou a chorar dizendo que sentiria saudade dele. Ele combinou de voltar no dia seguinte e não entendeu por que a moça chorava tanto.
  8. 8. No dia seguinte, o rapaz tomou um banho, se arrumou e foi para casa da moça para encontra-la. Chegando lá, ele tocou a campainha e uma senhora veio atendê-lo. Ele perguntou da garota e a mulher contou que a única garota que havia naquela casa estava internada no hospital em estado muito grave e que os médicos a haviam desenganado.
  9. 9. O rapaz ficou muito assustado, sem entender direito o que estava acontecendo. Ele foi para o hospital para ver se a moça que estava internada era a mesma que ele conhecera na noite anterior. Chegando lá ele viu que era a mesma moça e que ela havia acabado de morrer. Ele ficou desesperado e saiu correndo pelas ruas da cidade, quando viu a moça novamente, só que desta vez ela o chamava para ir embora com ela. O moço, muito apaixonado disse à ela que a acompanharia para qualquer lugar que ela fosse.
  10. 10. No dia seguinte o corpo do rapaz foi encontrado numa esquina da cidade, porém em seu rosto havia um sorriso de felicidade. Até hoje as pessoas tentam entender o motivo de sua morte.
  11. 11. Numa noite de lua cheia e silenciosa, dois amigos conversavam em frente a casa de um deles quando, de repente, escutaram um barulho esquisito que vinha do cemitério que ficava perto dali. Os dois meninos que eram pequenos, ficaram com muito medo daquele barulho, então foram chamar os pais deles para contar-lhes o que havia acontecido. Os pais deles deram risada dos garotos e disseram que eles deviam estar ouvindo coisas que não existiam. Os meninos resolveram voltar para a rua e continuar conversando.
  12. 12. De repente, além do barulho, eles viram um clarão que vinha do cemitério e resolveram ir até lá para ver o que era aquilo. Quando chegaram lá ficaram um pouco arrependidos por terem ido naquele lugar tão assustador, porém, entraram assim mesmo pois queriam saber o que estava acontecendo. Quando entraram no cemitério, eles começaram a ouvir vozes e barulho de correntes arrastando. O vento fazia um barulho estranho, que parecia um lobo uivando.
  13. 13. De repente passaram perto do túmulo de um garoto que havia morrido naqueles dias e ouviram o menino dizer: “Me tira daqui! Eu não quero ficar aqui sozinho neste lugar horroroso!” Os meninos não sabiam o que fazer, então saíram correndo para casa. Quando contaram para os pais sobre o fantasma do menino, eles deram risada e mandaram os meninos parar de inventar histórias.
  14. 14. No dia seguinte os garotos resolveram ir conversar com o padre da cidade sobre o fantasma que tinham visto no cemitério. O padre acreditou neles e combinaram que naquela noite, voltariam ao cemitério para ver o que estava acontecendo. Chegando lá foram ao túmulo do garoto que quando os viu, começou a puxá-los para dentro de onde ele estava, pois não queria ficar sozinho ali. Todos começaram a gritar, mas o padre começou a rezar para que o menino se acalmasse e aceitasse que havia morrido.
  15. 15. O menino falava que eles nunca mais iriam embora dali, pois ele não queria ter morrido e também não queria ficar ali sozinho. De repente apareceu uma luz e uma voz que dizia ao menino: “Fique tranquilo, você não está sozinho, Deus está com você!” O menino foi se acalmando e aceitando ficar em seu túmulo. Os garotos e o padre foram embora para casa e continuaram sempre rezando pela alma do garoto.
  16. 16. Certa noite, um grupo de amigos resolveu sair para acampar em uma floresta que ficava perto da cidade que eles moravam. A floresta que eles foram era meio esquisita, pois diziam que lá, ouvia-se vozes e barulhos de passos sem que se pudesse ver ninguém. Os amigos resolveram desafiar o medo e enfrentar a floresta com a intenção de desmentir tudo que falavam sobre ela. Os amigos arrumaram tudo o que queriam levar e saíram no final da tarde em direção à floresta mal assombrada.
  17. 17. Chegando lá, eles andaram por todos os lados e não viram nada de errado, então, escolheram um local para montar as barracas para que eles pudessem dormir e no dia seguinte continuarem a andar pela floresta procurando os fantasmas. Quando já estavam deitados, começaram a escutar conversas e passos do lado de fora, saíram imediatamente das barracas, porém, não havia ninguém ali. “Quem está aí?” Perguntaram! O silêncio foi total, e eles perguntaram novamente:
  18. 18. “Quem está aí? Apareça agora!” De repente apareceram os fantasmas de um homem, uma mulher e seus dois filhos que haviam se perdido naquela floresta a muitos anos e morreram sem conseguir voltar para casa. O fantasma do homem disse: “Eu, minha mulher e meus filhos morremos aqui e nunca fomos encontrados. Por favor digam as pessoas da cidade que queremos ser enterrados dignamente como todos os mortos.”
  19. 19. Os jovens ficaram com medo, porém resolveram ajudar aquela família esquecida pelo tempo. Eles procuraram e encontraram os restos mortais da família e levaram para que fossem enterrados no cemitério da cidade. A partir daquele dia, nunca mais se ouviu barulhos estranhos naquela floresta e ela voltou a ser frequentada por pessoas que lá iam para passear.

×