 24 de novembro de 1632, em Amsterdã – 21 de fevereiro de 1677, em Haia; Família judaica portuguesa; Considerado o fund...
 Profundo estudioso da bíblia;Ganhou fama por suas posições opostas à superstição; Trabalhava com polimento de lentes;...
Estatura mediana;Pele cor de oliva;Cabelos prestos e crespos;Sobrancelhas negras e bastas;Apresentava          um   t...
 A Ética foi publicada após a sua morte, na Opera Postuma e foi editada por seus amigos; Luís XIV lhe ofereceu uma larga...
 Teve o seu retrato impresso nas antigas notas de 1000 florins dos Países Baixos, até a introdução do euro, em 2002;
 Deus e natureza eram dois nomes para a mesma realidade; Tudo o que acontece ocorre através da operação da necessidade, ...
   “Uma substância não pode ser produzida por outra sustância”; Os corpos se individualizam em razão do movimento      e...
 O esforço por manter e aumentar a potência de agir do corpo e de pensar da mente é o que Espinoza chama de desejo; As a...
"Não é por julgarmos uma coisa boa que      nos esforçamos por ela, que a   queremos, que a apetecemos, que a desejamos, m...
"[...] uma criancinha acredita apetecer, livrementre, oleite; um menino furioso, a vingança; e o intimidado, afuga. Um hom...
COLÉGIO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA            ALUNOS: Ayslan Guedes                        Flávia Brito                   Kar...
Baruch spinoza
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Baruch spinoza

4.273 visualizações

Publicada em

Colégio Nossa Senhora de Fátima

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Baruch spinoza

  1. 1.  24 de novembro de 1632, em Amsterdã – 21 de fevereiro de 1677, em Haia; Família judaica portuguesa; Considerado o fundador do criticismo bíblico moderno;
  2. 2.  Profundo estudioso da bíblia;Ganhou fama por suas posições opostas à superstição; Trabalhava com polimento de lentes;Recusou, em primeiro momento, a oportunidade de ensinar na Universidade de Heidelberg pois teria que obedecer às normas ideológicas;
  3. 3. Estatura mediana;Pele cor de oliva;Cabelos prestos e crespos;Sobrancelhas negras e bastas;Apresentava um trajar muito descuidado.
  4. 4.  A Ética foi publicada após a sua morte, na Opera Postuma e foi editada por seus amigos; Luís XIV lhe ofereceu uma larga pensão para que Spinoza lhe dedicasse um livro. O filósofo recusou; Um tempo depois, Spinoza aceita e é tido como traidor pela população de Haia.
  5. 5.  Teve o seu retrato impresso nas antigas notas de 1000 florins dos Países Baixos, até a introdução do euro, em 2002;
  6. 6.  Deus e natureza eram dois nomes para a mesma realidade; Tudo o que acontece ocorre através da operação da necessidade, e nunca do objetivo; Rejeitou fortemente a afirmação de que a razão pode dominar a emoção, diferenciando-se assim do estoicismo;
  7. 7.  “Uma substância não pode ser produzida por outra sustância”; Os corpos se individualizam em razão do movimento e do repouso, da velocidade e lentidão e não em função de alguma substância particular;• A passagem de uma potência menor para uma maior é o afeto de alegria;• A passagem de uma potência maior para uma menor é o afeto de tristeza.
  8. 8.  O esforço por manter e aumentar a potência de agir do corpo e de pensar da mente é o que Espinoza chama de desejo; As afecções que diminuem a potência de agir e de pensar (provocando tristeza) testemunham sempre a passividade do corpo humano, são sempre passivas, são paixões;
  9. 9. "Não é por julgarmos uma coisa boa que nos esforçamos por ela, que a queremos, que a apetecemos, que a desejamos, mas, ao contrário, é por nos esforçarmos por ela, por querê-la, por apetecê-la, por desejá-la, que a julgamos boa". (Espinoza, Ética, parte 3)
  10. 10. "[...] uma criancinha acredita apetecer, livrementre, oleite; um menino furioso, a vingança; e o intimidado, afuga. Um homem embriagado também acredita que é pelalivre decisão de sua mente que fala aquilo sobre o qual,mais tarde, já sóbrio, preferiria ter calado. Igualmente, ohomem que diz loucuras, a mulher que fala demais, acriança e muitos outros do mesmo gênero acreditam queassim se expressam por uma livre decisão da mente,quando, na verdade, não são capazes de conter o impulsoque os leva a falar. Assim, a própria experiência ensina,não menos claramente que a razão, que os homens sejulgam livres apenas porque são conscientes de suasações, mas desconhecem as causas pelas quais sãodeterminados.“ (Spinoza, Ética, parte 3)
  11. 11. COLÉGIO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA ALUNOS: Ayslan Guedes Flávia Brito Karina Santiago Suzanny Kelly

×