JESUS – SOZINHO NA MULTIDÃO
Cristãos no mundo inteiro, entendamos e aceitemos o fato: A mensagem de Jesus
nunca foi uma me...
Como se Jesus já não tivesse operado tantos milagres antes disso! E hoje, tal qual
naquele tempo ainda desejam colocar Jes...
Mas quando se ergue um profeta da parte de Deus e confronta os erros o que fazem os
pastores? Os repelem. Afinal, são os “...
E o que jurar pelo santuário, jura por ele e por aquele que nele habita.
E aquele que jurar pelo céu, jura pelo trono de D...
Das multidões apenas João permaneceu aos pés da cruz com algumas mulheres.
Mesmo depois da ressurreição, das multidões ape...
para si. Dele Jesus disse “que nenhum homem nascido de mulher é maior do que ele no
reino dos Céus.”
A respeito de todos e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jesus sozinho na multidão

301 visualizações

Publicada em

Ontem, 10/02/2014 estive refletindo sobre os ensinamentos de Jesus e a resposta que obtinha deles. Acabei por começar a digitar esse pensamento e foi mais ou menos como se apresenta no texto.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
301
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jesus sozinho na multidão

  1. 1. JESUS – SOZINHO NA MULTIDÃO Cristãos no mundo inteiro, entendamos e aceitemos o fato: A mensagem de Jesus nunca foi uma mensagem popular. Já posso ver as críticas a essa primeira frase... Consigo visualizar evangélicos em todo lugar fazendo a sua melhor expressão de indignação e procurando falar de uma maneira “piedosa” como falaria um pai ou uma mãe dizendo: “Multidões seguiam Jesus!” Citando rapidamente o Evangelho de Marcos cap. 3, o Evangelho de Mateus cap. 4, o Evangelho de João cap. 6 ou qualquer outra passagem similar. Mas vai piorar ao longo dessa reflexão. Diriam que Jesus era “popular”, que Sua benignidade atraía as pessoas, que o amor que d’Ele emanava contagiava a todos ao Seu redor, que os milagres restituíam a fé das pessoas tão rápido esquecendo se de João 2. 23 a 25: “E, estando ele em Jerusalém pela páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome. Mas o mesmo Jesus não confiava neles, porque a todos conhecia; E não necessitava de que alguém testificasse do homem, porque ele bem sabia o que havia no homem.” Jesus, quase sempre cercado de multidões não confiava nelas. Ele conhecia os corações dos homens. Eram os “buscadores de milagres”. As multidões iam atrás de Jesus em busca do “seu milagre” particular. Mais nada. Cada qual queria algo para si e mais nada. Interesse em causa própria. Não nos traz isso à memória o momento atual? Multidões afluem aos templos e cantores “gospel” vendem como jamais venderam antes com letras que dizem “o MEU milagre vai chegar”, “a MINHA vitória é certa”, “em Jesus EU vencerei”, “EU e a MINHA casa seremos prósperos”, “a MINHA” bênção é garantida” e mensagens similares lembrando os livros de autoajuda substituindo apenas as palavras “pensamento positivo” por “Jesus” (e ainda chamam a isso de “louvor”). E quando as coisas não acontecem agem como agiam os fariseus e saduceus de Mateus cap. 16: ”Os fariseus e os saduceus achegaram-se a Jesus para submetê-lo à prova e pediram-lhe que lhes mostrasse um milagre do céu. Ele lhes respondeu: Quando vem a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado. E de manhã: Hoje haverá tormenta, porque o céu está de um vermelho sombrio. Hipócritas! Sabeis distinguir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos? Essa raça perversa e adúltera pede um milagre! Mas não lhe será dado outro sinal senão o de Jonas! Depois, deixando-os, partiu.”
  2. 2. Como se Jesus já não tivesse operado tantos milagres antes disso! E hoje, tal qual naquele tempo ainda desejam colocar Jesus à prova exigindo seu milagre particular num jogo de palavras tais quais como “eu determino”, “eu ordeno”, ou “eu exijo”... Passados dois mil anos nada aprenderam do Mestre. Multidões de egoístas e mesquinhos. E quando nada disso parece dar certo... “Campanhas”! Claro, e porque não? Vamos ficar sete semanas repetindo um “mantra” nos ouvidos de Deus para alcançarmos nossas bênçãos. Tolos. Estão indo no sentido diretamente oposto do que ensinou Jesus: “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.” Mateus 6. 7 e 8 Mas campanhas enchem os templos e asseguram audiência fiel. Semana após semana as pessoas voltam aos templos para não “quebrar a campanha” e consequentemente perder sua bênção. Não lembra isso aquelas “correntes” que não podem ser quebradas? Cristianismo pagão e herético! De todas aquelas multidões só João estava aos pés da cruz. As pessoas querem as bênçãos, mas rejeitam a cruz ainda hoje. Ainda hoje se ouve o eco das palavras do Mestre: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens” Mateus 15. 8 e 9 Procuram criar meios de o evangelho ser “mais atrativo” às pessoas, aos jovens... Criam festas, raves, danças, bailes, baladas, objetos como “pontos de contato”, cargos eclesiásticos, falsas profecias, falsos ensinos... Falsos cristãos. Falsos cristãos com um sem número de atividades e crenças anti bíblicas. Se as pessoas acham triste “tomar sua cruz e seguir a Jesus”, criemos então um “evangelho agradável”! É salutar aos cofres das igrejas (ou suas conta correntes). Palavras bonitas enfeitam mentiras feias! “Lembrem se da grande comissão, Jesus disse IDE”, dizem. Porque não ensinam que a grande comissão nem é a grande comissão? Porque não ensinam o contexto da passagem ao menos citando o versículo imediatamente anterior? “Mais tarde Jesus apareceu aos Onze enquanto eles comiam; censurou-lhes a incredulidade e a dureza de coração, porque não acreditaram nos que o tinham visto depois de ressurreto.” Marcos 16. 14 Jesus delegou AOS ONZE essa tarefa, e não a todos os Seus seguidores. Aos líderes. É mais fácil delegar do que cumprir.
  3. 3. Mas quando se ergue um profeta da parte de Deus e confronta os erros o que fazem os pastores? Os repelem. Afinal, são os “donos” das congregações. A esse tipo de líder Jesus já chamava de “víboras”, “serpentes”, “hipócritas”, “sepulcros caiados”. Tinham uma aparência exterior de santidade mas seus corações eram imundos e podres. Morriam de medo de perder o controle dos seus seguidores. Acerca deles Jesus disse: “Eles atam fardos pesados e os colocam sobre os ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos a levantar um só dedo para movê-los. Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens. Eles fazem seus filactérios bem largos e as franjas de suas vestes bem longas; gostam do lugar de honra nos banquetes e dos assentos mais importantes nas sinagogas, de serem saudados nas praças e de serem chamados ‘rabis’. Mas vocês não devem ser chamados ‘rabis’; um só é o mestre de vocês, e todos vocês são irmãos. 9 A ninguém na terra chamem ‘pai’, porque vocês só têm um Pai, aquele que está nos céus. Tampouco vocês devem ser chamados ‘chefes’, porquanto vocês têm um só Chefe, o Cristo. O maior entre vocês deverá ser servo. Pois todo aquele que a si mesmo se exaltar será humilhado, e todo aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês fecham o Reino dos céus diante dos homens! Vocês mesmos não entram, nem deixam entrar aqueles que gostariam de fazê-lo. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês devoram as casas das viúvas e, para disfarçar, fazem longas orações. Por isso serão castigados mais severamente. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês. Ai de vocês, guias cegos, pois dizem: ‘Se alguém jurar pelo santuário, isto nada significa; mas se alguém jurar pelo ouro do santuário, está obrigado por seu juramento’. Cegos insensatos! Que é mais importante: o ouro ou o santuário que santifica o ouro? Vocês também dizem: ‘Se alguém jurar pelo altar, isto nada significa; mas se alguém jurar pela oferta que está sobre ele, está obrigado por seu juramento’. Cegos! Que é mais importante: a oferta, ou o altar que santifica a oferta? Portanto, aquele que jurar pelo altar, jura por ele e por tudo o que está sobre ele.
  4. 4. E o que jurar pelo santuário, jura por ele e por aquele que nele habita. E aquele que jurar pelo céu, jura pelo trono de Deus e por aquele que nele se assenta. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas. Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês limpam o exterior do copo e do prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e cobiça. Fariseu cego! Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês são como sepulcros caiados: bonitos por fora, mas por dentro estão cheios de ossos e de todo tipo de imundície. Assim são vocês: por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês edificam os túmulos dos profetas e adornam os monumentos dos justos. E dizem: ‘Se tivéssemos vivido no tempo dos nossos antepassados, não teríamos tomado parte com eles no derramamento do sangue dos profetas’. Assim, vocês testemunham contra si mesmos que são descendentes dos que assassinaram os profetas. Acabem, pois, de encher a medida do pecado dos seus antepassados! Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno? 34 Por isso, eu lhes estou enviando profetas, sábios e mestres. A uns vocês matarão e crucificarão; a outros açoitarão nas sinagogas de vocês e perseguirão de cidade em cidade. E, assim, sobre vocês recairá todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem vocês assassinaram entre o santuário e o altar.” Mateus 23. 4 a 35 Hipócritas mesquinhos! Hoje distorcem a palavra e dizem que as prioridades são para os pastores, que eles são os líderes espirituais, que merecem os melhores lugares, os melhores assentos, aceitam e desejam bajulações. Roubam o lugar de proeminência que pertence ao Espírito Santo na igreja. Cegos guiando cegos que também acabam por rebelar se contra as verdades das Escrituras tal e qual nos tempos de Jesus, afinal, bem sabemos que as mesmas multidões que O seguiam terminaram por gritar: DÁ NOS BARRABÁS”, “CRUCIFICA O”.
  5. 5. Das multidões apenas João permaneceu aos pés da cruz com algumas mulheres. Mesmo depois da ressurreição, das multidões apenas pouco mais de quinhentas pessoas estavam com Jesus quando Ele subiu aos céus (Rom. 15. 6). Cento e vinte pessoas permaneceram em Jerusalém (Atos 1. 15) depois disso. São poucos os fiéis, não se iluda. Multidões não significam nada e o evangelho de Jesus cristo não é uma mensagem popular, é a salvação de Deus para os santos. Num mundo em que todos querem ser os “príncipes” e as “princesas”, os “filhos do Rei” sem o merecer as palavras de Jesus “tome a sua cruz, negue se a si mesmo e siga me” não são atrativas, não são boas para a auto estima. Tenho uma novidade para você: Sua auto estima é o seu EGO. E seu ego é o seu senhor. Você é multidão, e como em João cap.2 Jesus não confia em você, pois conhece o seu coração. Cuidado com os falsos mestres cheios de si e com aqueles que pregam esse “evangelho” popular, deles Jesus falou: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir...” João 10. 10 Quiseram fazer você crer que essa passagem se referia ao diabo, mas leia todo o texto e verifique o seu contexto. Essa passagem começa em João 9. 1, são dois capítulos e todo o assunto gira em torno da cura de um cego de nascença, culminando com o debate entre Jesus e os mestres da época. E quando jesus os acusa de serem o ladrão que rouba, mata e destrói eles buscam prende Lo., então Jesus se retira. Jesus já se retirou da presença desse tipo de liderança a muito. Há pastores, obreiros, “apóstolos”, bispos e outros que desejam proeminência – parecem piedosos, mas desejam maior visibilidade do que os outros. Eles se julgam grandes. Porém se esquecem de que quem é um servo não é grande, e quem é grande não é servo. Quem não é servo é o senhor. E Senhor, só temos um. A Bíblia nos ensina na Primeira Epístola aos Coríntios, no capítulo 12 que a igreja é o corpo, as pessoas e não um templo. Ensina também que embora cada membro desse corpo tenha uma função diferente da de outro membro NENHUM dele é mais importante do que os outros. Que quem dirige é o Espírito Santo conforme o Seu desejo. Mas o que temos visto? Homens ROUBANDO a primazia do espírito sobre o corpo de Cristo e impondo sobre ele suas vontades e desejos pessoais, e as multidões, por só irem atrás dos milagres e bênção aceitando e defendendo tais atitudes. Jesus ainda se encontra sozinho, acompanhado apenas de poucos fiéis discípulos no meio das multidões exatamente como ocorria quando caminhou pela Terra. Bem sabemos que muitas pessoas não gostarão dessa pequena mensagem, porque se identificarão no meio das multidões. Sabemos também que muitos menos pastores a apreciarão. Eles não desejam perder seus lugares de proeminência. Hipócritas. Mortos em seus pecados e em seus cultos a si mesmos. Têm aparência de santidade mas negam na em seus corações egoístas. Deveriam aprender do exemplo de João, o batista que dizia de si mesmo “sou a voz que clama do deserto” e não desejava nenhum mérito
  6. 6. para si. Dele Jesus disse “que nenhum homem nascido de mulher é maior do que ele no reino dos Céus.” A respeito de todos esses já foi profetizado: “Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder. Afaste-se também destes.” 2 Timóteo 3. 1 a 5 “Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas. E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que a si mesmos se separam, sensuais, que não têm o Espírito.” Judas 1.11 a 19 Tarcísio

×