Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja

6.456 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
1 comentário
26 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.456
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.554
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
26
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja

  1. 1. ~Dimensoes © DMM, 2011Teológica E PASTORAL do NA IGREJA
  2. 2. Texto Bíblico: Colossenses 3:16© DMM, 2011 Dimensões TEOLÓGICA e pastoral DO CANTO
  3. 3. INTRODUÇÃONOSSA PAUTA Porque TEOLOGIA DO CANTO E NÃO DA MÚSICA?© DMM, 2011
  4. 4. INTRODUÇÃONOSSA PAUTA O que é Música?  Arte e ciência de combinar os sons  Fenômeno composto de muitos elementos, dentre eles:  RITMO  MELODIA  HARMONIA© DMM, 2011
  5. 5. INTRODUÇÃONOSSA PAUTA“ a adoração cristã primitiva era estritamente vocal, visto que a música instrumental era primordialmente associada com os sacrifícios no templo hebraico, provavelmente não era usada “ Donald P. Hustad nas sinagogas, e foi abandonada até pelos judeus quando o templo foi destruído em 70 A.D.© DMM, 2011
  6. 6. UMA DISTINÇÃO IMPORTANTE 1) Os elementos de culto - são aquelas atividades determinadas pelas Escrituras nas quais o povo de Deus se engaja durante o culto, com o propósito de adorar a Deus, render-lhe graças e louvor, edificar-se internamente e anunciar o Evangelho ao mundo. AUGUSTUS NICODEMUS© DMM, 2011
  7. 7. UMA DISTINÇÃO IMPORTANTE2) As circunstâncias de culto – estão relacionadascom o ambiente de culto, e envolvem decisõesquanto à amplificação do som, uso de mídia,arrumação do salão, mobiliário adequado e suadisposição no local, a iluminação e decoração doambiente, entre outros. Outras, relacionadas com o AUGUSTUS NICODEMUSculto propriamente dito, tais como o horário do culto,a sua ordem (seqüência), o acompanhamento dolouvor com instrumentos musicais, o cântico atravésde coros e grupos de louvor.© DMM, 2011
  8. 8. Teologia e igrejaA fé em tempos de crise 01 02 03 04 05 Porque é tão importante discutir a TEOLOGIA DO CANTO EM NOSSOS DIAS?© DMM, 2011
  9. 9. Teologia e igreja 01 02 03 04 05A fé em tempos de crise “É necessário saber em que cremos, porque nossa crença determina a forma como vivemos” Robin Keeley© DMM, 2011
  10. 10. Teologia e igreja 01 02 03 04 05A fé em tempos de crise "A fé em Deus deve ser vivida e pensada; mas, sem ser pensada, não pode ser vivida." S. N. Gundry© DMM, 2011
  11. 11. Teologia e igreja 01 02 03 04 05A fé em tempos de crise O problema:não damos muito valor à verdade nosdias de hoje exPERIÊNCIA VERDADE ( SENTIR ) ( SABER )© DMM, 2011
  12. 12. Fé em Tempos de Crise“ A cultura da imagem, do som, do virtual, do instantâneo, do prático, das emoções vai aprofundando uma “preguiça mental” A Igreja — . para variar —se mundaniza na mesma direção: muito cântico verticalista e oco para “sentir” Robinson Cavalcanti Deus e a si mesmo; o lugar do sermão é “ desvalorizado, com mensagens curtas, superficiais e emocionais. Ignorância passa a ser sinônimo de santidade. O cérebro torna-se um órgão perigoso, secundário ou dispensável.”© DMM, 2011
  13. 13. Fé em Tempos de Crise“ a atitude predominante do evangelicalimo contemporâneo consiste em focalizar a centralidade daquilo que “acontece” no espetáculo da adoração... A estética, quer seja musical, quer seja artística, recebe prioridade acima da santidade. Mais e mais é visto, Sinclair Ferguson menos e menos é ouvido. Acontece uma festa dos “ sentidos, mas existe fome de ouvir... Agora, tem de haver cores, movimento, efeitos audiovisuais, etc., pois, de modo contrário, Deus não pode ser conhecido, amado, adorado e crido”.© DMM, 2011
  14. 14. Fé em Tempos de Crise“ Não é pecado pensar errado, porque ninguém sabe o que é pensar certo. Então a gente pode pensar do jeito que for, “ (Rubem Alves) que não tem ortodoxo e herege. (Rubem Alves)© DMM, 2011
  15. 15. Fé em Tempos de Crise O processo: como chegamos a esse pontoSociedade pré-moderna Revelação / IgrejaSociedade moderna Razão / CiênciaSociedade pós-moderna Sensação / IndÍviduo© DMM, 2011
  16. 16. O Perigo da Rejeição 01 02 03 04 05 As Escrituras afirmam que nem toda adoração agrada a Deus. Há sempre o perigo de trazermos um "fogo estranho" diante do altar e trono do Senhor (Levítico 10.1-2) e contra o mesmo devemos estar sempre em guarda. Não apenas a adoração a falsos deuses é proibida nas Escrituras, mas também a adoração ao verdadeiro Deus com uma atitude errada (Malaquias 1.7-10; Isaías 1.11-15; Oséias 6.4-6; Amós 5.21; Mateus 5.23-26, etc.).© DMM, 2011
  17. 17. Distorções na Adoração 01 02 03 04 05Relatos Bíblicos  LevítiCo 10 – “fogo estranho”  Corinto – “se ajuntavam para o pior”  Amós – A Estética é rejeitada© DMM, 2011
  18. 18. Distorções na Adoração 01 02 03 04 05ATUALIDADE  Influência do Existencialismo  Ênfase Humanística  Presença Deísta  Prática Pragmática© DMM, 2011
  19. 19. rejeição 01 02 03 04 05dA adoração antibíblica“ a adoração divina marcada por tantas opiniões falsas, e pervertida por tantas superstições ímpias e tolas, insulta a majestade sagrada de Deus com atrocidades, profana “ João calvino seu nome e sua glória.© DMM, 2011
  20. 20. rejeição 01 02 03 04 05dA adoração meramente estética“ Aborreço, desprezo as vossas festas e com as vossas assembleias solenes não tenho nenhum prazer. E, ainda que me ofereçais holocaustos e vossas ofertas de manjares, não me agradarei deles, nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais cevados. Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos, porque não ouvirei as melodias das tuas liras. “ Amós 5:21-24 Antes, corra o juízo, como as águas; e a justiça, como ribeiro perene.© DMM, 2011
  21. 21. AS 4 ESFERAS 01 02 03 04 05DIMENSÕES QUE ENVOLVM O CANTO Espiritual Pastoral Musical Teologica© DMM, 2011
  22. 22. Espiritual Compromisso com a piedade pessoal e santidade - Rm. 6:11, Gl. 5:22-26, Ef. 4:20-24 Pastoral Compromisso do pastoreio da Igreja de Deus - At. 20:28; Cl. 1:28 Musical Compromisso com a excelência musical Sl. 33:1-3; 150 Teologica Compromisso de conhecer e compreender o Deus que adoramos - 2 Tim. 2:15© DMM, 2011
  23. 23. COMPREENSÃO DA ESFERAS EspiritualIMPORTANTEEspiritual Pastoral MusicalA esfera espiritual leva em conta o crescimentopessoal em santidade e disciplina. Esta esfera quer ter Teologicacerteza de que Deus é "a força do (seu) coração e(sua) porção para sempre" (Sl 73:26).pastoral A esfera pastoral abrange todo o cuidado epreocupação com a igreja de Deus. Esta esferaprocura ver todos os homens se apresentandocompletos em Cristo (Cl 1:28) (2 Tm. 2:15)© DMM, 2011
  24. 24. COMPREENSÃO DA ESFERAS EspiritualIMPORTANTEmusical Pastoral MusicalA esfera Musical envolve todas as disciplinas e Teologicaesforços para a compreensão da música. Esta esferaprocura fazer o melhor da música; fazendo habil eapropriadamente diante do Senhor (Sl. 33:3)teológicAA esfera Teológica incorpora as disciplinas de estudodo caráter e atributos de Deus. Esta esfera quer tercerteza que você é um trabalhador aprovado, quemaneja bem a Palavra da Verdade (2 Tm. 2:15)© DMM, 2011
  25. 25. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO A forma como “pensamos” em Jesus precisa não apenas ser intelectualmente consistente, mas biblicamente fiel. O que é uma boa teologia? Como avaliar isso?© DMM, 2011
  26. 26. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO 1) É uma teologia biblicamente definida Para isso, é importante reconhecer que:  toda a Escritura é "inspirada por Deus" (2 Tm 3:16.);  que somos naturalmente inimigos de Deus, não nos submetemos em justiça própria à Sua lei (Rm 8:7) e como tal, não há ninguém que entenda (Rom. 3:11) e ninguém que busque a Deus.  Daí, precisamos da iluminação do Espírito de Deus para que possamos entender a sua palavra, a natureza e o caráter de Deus. Somente pela PALAVRA REVELADA, temos o correto conceito de Deus e seu Reino.© DMM, 2011
  27. 27. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO 2) É uma teologia para a Glória única de Deus. Obras com as de Jonathan Edwards e John Piper têm impulsionado o coração dos evangélicos modernos para esta reflexão: Deus faz todas as coisas para Sua glória. Toda afirmação acerca de Deus, que é teológica, não deve comprometer este princípio universal.© DMM, 2011
  28. 28. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO "Que Deus é louvável, que devemos louvá-lo, que vamos louvá-lo, estas são verdades comuns entre os cristãos, e afirmamos isso com prazer. Mas com menos frequência temos ouvido a verdade de que o louvor da glória de Deus não é meramente o resultado de Sua ação, mas também o objetivo e a finalidade dessa ação. Ele governa o mundo, precisamente a fim de que Ele seja glorificado, admirado, maravilhado, exaltado e louvado. Cristo está vindo, Paulo diz em 2 Tessalonicenses 1:10, no final desta época, "para ser glorificado nos seus santos e para ser admirado por todos os que crêem." Piper, John; “Is God For Us Or Himself”‐ sermão em: JOHN PIPER desiringgod.org/ResourceLibrary/TopicIndex/3/242_Is_God_for_Us_or_for_Himself/© DMM, 2011
  29. 29. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Mas o que a Escritura diz que nos leva a esta conclusão? "Por amor do meu nome retardarei a minha ira, e por amor do meu louvor me refrearei para contigo, para que te não venha a cortar.” (Is 48:11) "Porque, como o cinto está pegado aos lombos do homem, assim eu liguei a mim toda a casa de Israel, e toda a casa de Judá, diz o SENHOR, para me serem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória; mas não deram ouvidos.". (Jeremias 13:11)© DMM, 2011
  30. 30. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO "O que fiz, porém, foi por amor do meu nome, para que não fosse profanado diante dos olhos dos gentios perante a vista dos quais os fiz sair." (Ez. 20:22) "Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva- me desta hora; mas para isto vim a esta hora. Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu que dizia: Já o tenho glorificado, e outra vez o glorificarei." (Jo 12:27-28). "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens de tal maneira que eles vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus." (Mt 5:16)© DMM, 2011
  31. 31. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO "A vós graça, e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo! Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, Para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado. "(Ef 1 :2-6)© DMM, 2011
  32. 32. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Teologia e Doxologia Somente a boa teologia nos conduz a uma doxologia, a um louvor correto. A adoração vaga e sem sentido não passa de puro emocionalismo e como tal é pura perda. A adoração que começa com a compreensão das Escrituras é completa. C. S. Lewis chama isso:© DMM, 2011
  33. 33. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO "O fato mais óbvio sobre o louvor de Deus por algum motivo estranhamente me escapou. Pensei nisso em termos de elogio, aprovação, ou a doação de honra. Eu nunca tinha percebido que todo gozo espontâneo transborda em louvor... o mundo toca com louvores românticos suas amantes, os leitores a seus poetas favoritos, caminhantes louvam a paisagem, os jogadores louvam, elogiam seu time favorito... Toda a minha mais geral dificuldade sobre o louvor de Deus dependia da minha mais profunda negação de mim mesmo, no que diz respeito ao que é supremamente Valioso, deixando o que mais gostamos de fazer, pelo que de fato não podemos deixar de fazer, aquilo que tem valor." (Quote taken from c.S. lewis Piper’s Desiring God (p. 18)—original quote: Lewis, C.S., Reflections on the Psalms (New York: Harcourt, Brance and World, 1958), pp. 94‐95).© DMM, 2011
  34. 34. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Romanos 1-11 produz uma compreensão teológica. E esta seção encontra o seu clímax em 11:33-36, onde Paulo faz uma seção de louvor em relação a sabedoria insuperável de Deus e do conhecimento. O profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.© DMM, 2011
  35. 35. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Efésios 1 mostra isso muito claramente. Ao descrever o papel de cada membro da Trindade em nossa salvação (v. 3-14), Paulo começa com louvor "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo" (Ef 1:3). A conclusão da primeira carta de Paulo a Timóteo: "... Ele que é o bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, o único que possui a imortalidade e habita em luz inacessível, a quem nenhum homem viu nem pode ver. A Ele seja honra e poder eterno! Amém." (1 Tm. 6:15-16).© DMM, 2011
  36. 36. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO É importante notar também que Paulo frequentemente louva, em resposta ao progresso que ele vê no evangelho. Isto é mais claramente observado nas introduções a muitas de suas cartas (1 Cor. 1:4; Rom. 1:8; Ef. 1:15-16; Fp. 1:3-5; 1 Ts. 1:2-4; etc). Os Salmos também relacionam o que sabemos sobre Deus e a nossa resposta em louvor. Considere o Salmo 33: Claramente, os versículos 1-3 são uma resposta de louvor ao que é afirmado nos versículos 4-6. Nós fazemos música por causa do que se afirma nos versículos 4-6. Esta é uma resposta apropriada para o que sabemos de Deus.© DMM, 2011
  37. 37. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Consideremos o Salmo 100. Ao convite à adoração nos versículos 1 e 2 é dado significado no v. 3 ("sei que o Senhor é Deus"). Novamente, a mesma estrutura é usada no versículo 4 e 5 - damos "graças" e "louvor", “porque o Senhor é bom”.© DMM, 2011
  38. 38. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05BOA TEOLOGIA, CÂNTICO CORRETO Os salmos nos incitam a louvar a Deus, orar a Ele, meditar nas suas obras a fim de que O amemos, temamos, honremos e O glorifiquemos. O que Santo Agostinho nos diz é totalmente verdade; a pessoa não pode cantar nada mais digno de Deus do que aquilo que recebemos dele. Hermisten maia (COSTA, Hermisten Maia Pereira da, Princípios Bíblicos-Reformados da Adoração Cristã, vol 1, Apostila de Aula, São Paulo, 2002, p. 64.)© DMM, 2011
  39. 39. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformado Para Calvino, aquele que canta não pode dar mais atenção à melodia, e a outros elementos musicais, que ao sentido das palavras. João calvino© DMM, 2011
  40. 40. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformado CAPÍTULO XXI DO CULTO RELIGIOSO E DO DOMINGO I. A luz da natureza mostra que há um Deus que tem domínio e soberania sobre tudo, que é bom e faz bem a todos, e que, portanto, deve ser temido, amado, louvado, invocado, crido e servido de todo o coração, de toda a alma e de toda a força; mas o modo aceitável de adorar o verdadeiro Deus é instituído por ele mesmo e tão limitado pela sua vontade revelada, que não deve ser adorado segundo as imaginações e invenções dos homens ou sugestões de Satanás nem sob qualquer representação visível ou de qualquer outro modo não prescrito nas Santas Escrituras. Rom. 1:20; Sal. 119:68, e 31:33; At. 14:17; Deut. 12:32; Mat. I5:9, e 4:9, 10; João 4:3, 24; Exo. 20:4-6.© DMM, 2011
  41. 41. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformado Princípio regulador do culto: A crença de que "O modo aceitável de adorar o Deus verdadeiro, é instituída por ele mesmo e tão limitado pela sua própria vontade revelada, que ele não pode ser adorado segundo as imaginações e invenções dos homens, ou o sugestões de Satanás, sob qualquer representação visível, ou qualquer outra forma, não prescrito nas Sagradas Escrituras" (a partir do capítulo 22, n º 1 da Confissão de Fé Batista de 1689). Cada elemento da liturgia semanal regular deve ser expressamente ordenado da Escritura. Tudo o que é expressamente ordenado deve ser incluído, o que não é expressamente ordenado deve ser excluído. No entanto, as circunstâncias do culto pode variar de uma igreja para outra (isto é, adoradores se sentar em cadeiras ou de pé, o tempo que o culto é realizado, etc.) Este é um princípio batista universal adotado por todas as igrejas batistas havendo divergências ínfimas como estilos musicais.© DMM, 2011
  42. 42. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformadoO pensamento de João Calvino repousa sobre a ideia de quetodo o verdadeiro conhecimento, ou sabedoria está noconhecimento que o homem deve ter de Deus e de simesmo, sendo que este último é dependente do primeiro.(CALVINO, João, Institución de la Religión Cristiana,Barcelona: FELiRe, 1999, I. 1. 1.) João calvinoEsta ideia está presente em todo o pensamento de Calvino, ena adoração pública não é diferente. Consequentemente, oseu pensamento básico quanto a adoração comunitária, bemcomo todos os seus pensamentos, é que esse deve levar aoconhecimento de Deus.© DMM, 2011
  43. 43. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformadoPara Calvino o culto é lugar de conhecimento de Deus,então, o andamento do mesmo, deve gerar esteconhecimento, e para isso, seus princípios sãoextraídos da Escritura.Afirma que o culto, e qualquer outra prática cristã, sópode transmitir conhecimento de Deus se for apoiado João calvinonas Escrituras, caso contrário, seria divagar semalcançar o conhecimento devido.© DMM, 2011
  44. 44. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05O que é isso para um reformado Em sua exposição de Romanos, sobre o capítulo 12, verso 1, Calvino traz outro princípio regulador da adoração comunitária, dizendo:“ E se Deus só é corretamente adorado pelo prisma de seus mandamentos, então de nada nos valerão todas as demais formas de culto que porventura engendramos, as quais ele com toda razão abomina, visto que põe a obediência acima de qualquer sacrifício. O ser humano deleita-se com suas próprias invenções e (como diz o apóstolo alhures) com suas vãs exibições de sabedoria; mas aprendemos o que o juiz celestial “ João calvino declara em oposição a tudo isso, quando nos fala por boca do apóstolo. Ao denominar o culto que Deus ordena de racional, ele repudia tudo quanto contrarie as normas de sua Palavra, como sendo mero esforço insensato, insípido e inconsequente.” ( Exposição de Romanos, São Paulo: Paracletos, 1997, p. 424, 425. Ver também: Calvino, Institución, III. 7.1 e 2, p. 527, 528.)© DMM, 2011
  45. 45. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05UM CANTO QUE EXPRESSA O EVANGELHO Um Firme Alicerce: Um canto que expressa a Compreensão do Evangelho É de vital importância para nós planejarmos os nossos cultos com o evangelho no centro, com Cristo, que é o evangelho no centro. Este é o ponto final da Escritura, afinal vemos a obra de Jesus em cada página. Da criação e queda em Gênesis até o livro da vida do Cordeiro em Apocalipse 21, o propósito de Deus é mostrar-nos Jesus (Lc 24:44), e quando vemos Jesus, vemos o evangelho.© DMM, 2011
  46. 46. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05UM CANTO QUE EXPRESSA O EVANGELHO“ Se as prioridades do evangelho não determinam as escolhas da adoração, então as preferências das pessoas vão dividir a Igreja. A variedade de possibilidades de estilo combinados com a habitual mistura de personalidades, gerações, recém-chegados e veteranos irão colocar os líderes da igreja sob constante pressão para ajustar a adoração. Se as preferências pessoais estão autorizadas a fazer escolhas, as tensões do “ culto serão inevitáveis. Chapell, Bryan, ChristCentered Worship, ©2009, Baker Academic, pg. 130© DMM, 2011
  47. 47. A ESFERA TEOLÓGICA DO CANTO 01 02 03 04 05UM CANTO QUE EXPRESSA O EVANGELHO“ Onde o evangelho foi realmente compreendido e corretamente realizado, isto é naturalmente desdobrado no culto e na liturgia, não simplesmente porque a cultura local impôs uma prática de se realizar de determinada maneira, mas porque o evangelho é o melhor recipiente para a sua expressão. A caixa de leite difere de uma caixa de ovos, porque o conteúdo determina a estrutura de seu recipiente. Assim também o conteúdo do evangelho é o que melhor expressa a forma do culto. O ponto em comum das tradições de Westminster é mais atribuível à sua conformidade com os contornos do evangelho do que o poder de qualquer cultura ou da igreja para determinar um “ estilo universal de adoração. Chapell, Bryan, ChristCentered Worship; ©2009, Baker Academic, p. 68© DMM, 2011
  48. 48. Uma vida centrada no evangelho 01 02 03 04 05 SantificaÇÃO ProgresSiva Vive nELE E UMa vida Comunica Anuncia EsperanÇa centrada nO EvangelHo Vive DE MANEIRA Adora MISSIONAL© DMM, 2011
  49. 49. A RELAÇÃO COM A CULTURA 01 02 03 04 05Devemos conhecer e entender nosso papel na HistóriaO nome do jogo é “Contender e Contextualizar”  Conectar com a cultura  Abençoar e agregar valor à cultura  Viver uma Cosmovisão contra cultural ao mesmo tempo© DMM, 2011
  50. 50. A RELAÇÃO COM A CULTURA 01 02 03 04 05ADORAÇÃO X IDOLATRIA Nossa adoração deve estar centrada nas Escrituras PARA EVITAR IDOLATRIA: Pecado versus Autoestima Sofrer bem versus Vitória Pessoal A Glória de Deus versus A exaltação do “eu” Eternidade versus o temporal e humano© DMM, 2011
  51. 51. EVANGELHO E CULTURA 01 02 03 04 05 A mensagem do Evangelho vem“ de Deus até a cultura porém não emana de nenhuma maneira da cultura, ainda que deva ser comunicada efetivamente a todas as culturas. “ Mark Driscoll (Mark Driscoll, “Death by Love, Letters from the Cross”)© DMM, 2011
  52. 52. A RELAÇÃO COM A CULTURA 01 02 03 04 05 Cultura Pessoal Cultura ORTOPRAXIA Familiar Deus Evangelho (Trindade) Cultura Local Cultura Ortodoxia Global© DMM, 2011
  53. 53. ADORAÇÃO X IDOLATRIA 01 02 03 04 05 Evitemos a tentação de trocar o Evangelho e a adoração pela exaltação de nós mesmos. & ? ou© DMM, 2011
  54. 54. A ESFERA PASTORAL DO CANTO 01 02 03 04 05PRINCÍPIOS QUE ZELAM DO CANTO1. Canto centrado unicamente em Deus - não no homem;2. deve criar uma atitude de louvor - não de entretenimento ou aplauso;3. também é eminente que a música seja digna de letra e apropriada para adoração a Deus;4. é necessário que se cante de tal forma que o intérprete não seja o centro de atenção; e por último,5. deve de ter uma mensagem clara, retirada diretamente da Palavra de Deus.© DMM, 2011
  55. 55. A ESFERA PASTORAL DO CANTO 01 02 03 04 05PRINCÍPIOS QUE ZELAM DO CANTO Princípios bíblicos para a Seleção de Músicas Adoração 1. Letras Bíblicas - 2 Timóteo 2:15, 3:14-17 2. Linguagem clara - inteligível - I Coríntios 14:19 3. Use uma variedade de músicas - Colossenses 3:16 4. Cantai ao Senhor - Colossenses 3:16 5. Cantem um para o outro - Colossenses 3:16, I Coríntios 14:26 6. Canções devem ensinar e admoestar - Colossenses 3:16 7. Cantar como uma resposta às verdades objetivas do Evangelho - Colossenses 3:16© DMM, 2011
  56. 56. A ESFERA PASTORAL DO CANTO 01 02 03 04 05PRINCÍPIOS QUE ZELAM DO CANTO Princípios bíblicos para a Seleção de Músicas Adoração 1. Letras Bíblicas - 2 Timóteo 2:15, 3:14-17 2. Linguagem clara - inteligível - I Coríntios 14:19 3. Use uma variedade de músicas - Colossenses 3:16 4. Cantai ao Senhor - Colossenses 3:16 5. Cantem um para o outro - Colossenses 3:16, I Coríntios 14:26 6. Canções devem ensinar e admoestar - Colossenses 3:16 7. Cantar como uma resposta às verdades objetivas do Evangelho - Colossenses 3:16© DMM, 2011
  57. 57. CUIDADO, O QUE É MAIS IMPORTANTE? 01 02 03 04 05 Nossas igrejas também têm que recuperar a“ centralidade da Palavra na nossa adoração. A música é uma resposta biblicamente relacionada à própria Palavra de Deus, mas Deus não nos deu a música para construir sobre ela as nossas igrejas. Uma igreja construída sobre a música - de qualquer estilo - é uma igreja construída “ Dr. Mark Dever sobre areias movediças. (O que é uma igreja saudável, p. 67).© DMM, 2011
  58. 58. CUIDADO, O QUE É MAIS IMPORTANTE? 01 02 03 04 05“ Os cânticos litúrgicos devem centrar o adorador em Deus e sua Palavra. Música que produz dispersão ou confusão na mente e psique, ou que estimula o corpo para a dança, não serve para o culto. Música cujo volume extrapola os limites saudáveis de decibéis e cuja letra não pode ser compreendida com clareza, perturba ao invés de edificar. Música executada de modo a enfatizar a performance dos cantores e “ Rev. Misael Nascimento instrumentistas é péssima no ajuntamento dos santos.© DMM, 2011
  59. 59. CUIDADO, O QUE É MAIS IMPORTANTE? 01 02 03 04 05“ Kent Hughes diz: "O líder de música deve trabalhar com um hinário em uma mão e a Bíblia na “ outra." Carson, D.A., Worship By the Book, Zondervan Press; ©2002, Grand Rapids, p. 169© DMM, 2011
  60. 60. CONCLUSÃOCANTe PARA AGLÓRIA DE DEUS!Cante o evangelho da graça e da glória de Deus!© DMM, 2011

×