Resolução de problemas - Tarefa 1 (Talita Mazzali)

118 visualizações

Publicada em

Resolução de Problemas - Tarefa 1

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
118
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resolução de problemas - Tarefa 1 (Talita Mazzali)

  1. 1. Tarefa 1 1)Elaborar um texto , resenha, que apresente as orientaçõesdos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) sobre o ensino com Resolução de Problemas. 2)Buscar na literatura (artigos, revistas científicas, teses,dissertações etc.) por pesquisas que foram desenvolvidas às luz da metodologia Resolução de Problemas e apresentar, em seu texto, exemplo(s) do trabalho com essa abordagem. Por "exemplo(s)” entende-se: apresentar um problema, citando a fonte, e a forma como o autor o explorou em sua pesquisa. É importante que se busque por pesquisas que não estejam nabiblioteca digital de seu curso, pois, assim, você vai exercitando a habilidade de fazer pesquisa, elemento importante na elaboração de seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). O PCN de matemática possui como um dos objetivos centrais fazer com que o aluno questione a realidade, através da formulação de problemas para que este possa apropriar-se do uso do pensamento lógico, criatividade, intuição e capacidade de análise crítica e assim ser capaz de selecionar procedimentos e verificar sua adequação. Por isso um dos principais pontos de convergência é a ênfase na resolução de problemas, explorando a Matemática a partir dos problemas do cotidiano e da interdisciplinaridade. A ideia de explorar essa prática matemática é principalmente pela convicção de que o conhecimento matemático, ganha significado quando os alunos são levados á situações desafiadoras e são levados a desenvolver estratégia de solução. Diferente do que acontece hoje normalmente na aplicação de problemas, onde estes são utilizados apenas para a aplicação dos conhecimentos adquiridos anteriormente pelos alunos. A matemática apresenta-se ao aluno como um interminável discurso simbólico, abstrato e incompreensível, e o ensino/aprendizagem se dá apenas pela reprodução/imitação. A resolução de problemas vai muito além de simples resolução, abre as portas ao aluno para que este seja capaz de acessar conhecimentos e gerenciar as informações ao seu alcance, dando assim a oportunidade de ampliar sua visão dos conceitos, problemas e principalmente da Matemática. Como eixo organizador a resolução de problemas o processo de ensino aprendizagem se resume nos seguintes princípios: “a situação-problema é o ponto de partida não a definição” – tudo deve ser trabalhado (conceito, ideias, métodos) a partir da exploração de estratégia para a resolução desses problemas; "problema não
  2. 2. exercício” – não deve ser uma repetição mecânica do conteúdo; “uso de aproximações de um conceito para resolução de problemas” – o aluno utiliza as estratégias que aprendeu para aprender a resolver outros tipos de problemas; “o conceito deve ser construído articulado com outros conceitos” – o conceito não deve ser isolado para um; “a resolução de problemas deve ser uma orientação para a aprendizagem” – deve proporcionar o contexto para a aprendizagem; O problema matemático deve então ser um ato intencionado que demande uma sequencia de ações ou operações para construção e obtenção de sua resolução. Deve então causar curiosidade e ser desafiador ao aluno, para que isso o estimule a buscar sua resolução. Em busca da resolução espera-se que os alunos elaborem uma ou mais estratégias de resolução, possa comparar os diferentes caminhos com seus colegas e seja capaz de validar seus procedimentos. É necessário compreender que mesmo que o aluno entenda o problema e consiga chegar a uma resolução adequada, isto não garante que este se apropriou do conhecimento envolvido. Faz-se necessário que o aluno seja estimulado a ser capaz de conseguir provar e questionar seus resultados , testar seus efeitos e comparar diferentes caminhos para obter a resolução, com cada problema sendo a fonte de novos problemas. O processo de resolução torna-se mais importante e significativa que a resposta correta. O processo de ensino deixa de ser reprodutivo e passa a ser uma ação reflexiva através da construção do conhecimento. O ensino através da resolução de problemas, não é apenas de um modelo didático, mas sim um método que busca aproximar o aluno da Matemática, para que este a utilize como uma ferramenta acessível e indispensável para a compreensão e exploração do mundo que o cerca. No artigo “Resolução de problemas nas aulas de Matemática (Revista Eletrônica de Educação)” ROMANATTO, procura mostrar como aplicação da metodologia de ensino através da resolução de problemas pode ser trabalhada de modo que o professor não precise alterar todo o currículo de seu curso, buscando apenas reformular a construção dos conceitos através de situações-problemas. Como exemplo, apresenta um modo para trabalhar um problema envolvendo frações um fragmento do livro “O homem que Calculava (Malba Tahan)”, nesse
  3. 3. caminho exemplifica como um único problema pode ser abrangente e mostra por exemplo a interligação entre conceitos prévios (conjuntos dos números naturais) e sua consequente ampliação (conjunto dos números fracionários). Além de apresentar diferentes estratégias de resolução (e discussões sobre serem corretas ou não) para se chegar a resolução final. Bibliografia PCN – matemática (http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf) ______ ROMANATTO, Mauro Carlos. Resolução de problemas nas aulas de Matemática. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, SP: UFSCar, v. 6, no. 1, p.299-311, mai. 2012. Disponível em http://www.reveduc.ufscar.br.

×