Povos e Comunidades Tradicionais

658 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
658
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Povos e Comunidades Tradicionais

  1. 1. Povos e ComunidadesTradicionais noCeará
  2. 2. Aspectos gerais: breve histórico Pesquisa Povos e Comunidades Tradicionais noBrasil. Projeto Nova Cartografia Social.Objetivo: “mapeamento nacional de povos ecomunidades tradicionais (...) a fim de subsidiar aproposição, elaboração, implementação,monitoramento e avaliação das políticas públicas.” Mesa Redonda “A Visibilidade de ComunidadesTradicionais”, Encontro de Pesquisadores doNordeste – Povos e Comunidades Tradicionais noBrasil, Programa de Pós-Graduação em Antropologia(PPGAS), Universidade Federal do Rio Grande doNorte (UFRN), 2 a 4 de março de 2009.
  3. 3. Objetivos e metodologiaObjetivos: (a) organizar e sistematizar informações(localização geográfica, organizações, redes de apoioaos movimentos sociais etc.); (b) realizarlevantamento bibliográfico e/ou documental.Metodologia1. Pesquisa e coleta de fontes bibliográficas e/oudocumentais.2. Organização e gerenciamento dos arquivosbibliográficos e referências bibliográficas dapesquisa - banco de dados bibliográfico e/oudocumental).3. Pesquisas exploratórias (campo).
  4. 4. Resultadospreliminares dapesquisa
  5. 5. POVOS DO MAR Maior mobilização no Ceará- pescadores, catadores de caranguejo, marisqueiras,produtores de algas, “moradores” e, em certascircunstâncias, indígenas e quilombolas.- mais de 100 comunidades pesqueiras distribuídas em20 municípios cearenses. Entre 30 e 37 mil pescadoresartesanais atuam no Estado do Ceará em embarcaçõesque, em 2002, constituam a maior parte da frotaestadual (78,17%), respondendo por mais da metade(64,66%) do pescado produzido no Ceará. II Assembleia dos Movimentos Sociais da ZonaCosteira do Ceará, realizada em Tatajuba (Camocim-CE), em 2006, os organizadores mencionaram aparticipação de “29 comunidades e cerca de 50entidades”.
  6. 6. INDÍGENAS Movimento indígena: 13 povos em 16municípios AMIT e pesquisa: números que variam entre17 e 18 povos. IBGE (2006) estimou uma população de21.015 indígenas no Estado Outros: Potiguara de Paupina, os Caboclos daParangaba e os Paiacu, na Lagoa daPrecabura. Fortaleza: índios Jabaquara,Guarani e Tremembé nos bairros de Serviluz,Praia do Futuro, Caça e Pesca e ConjuntoPalmeira.
  7. 7. QILOMBOLAS População: 82 comunidades quilombolas no Ceará, distribuídasem 29 municípios. Há notícias também de inúmeras comunidadesem Fortaleza (levantamento do movimento negro). Organizações: Associação dos Remanescentes de Quilombos deAlto Alegre e Adjacências (ARQUA); Associação da ComunidadeQuilombola de Queimadas (ACOMRQQ); Comissão Estadual deComunidades Quilombolas Rurais do Ceará (CERQUICE), criadaem 2005.- I Encontro de Comunidades Negras do Ceará, 1998.- XIX Encontro Estadual das Comunidades Quilombolas do Estado doCeará (CONVITE, 2009).Terras: 47 terras de quilombos no Estado do Ceará, distribuídas em17 municípios. Em 2005 havia 18 processos abertos, 5 destesestavam em fase inicial, e somente 1 processo já tinha seu relatórioantropológico concluído (INCRA, 2005).
  8. 8. VazanteirosAparecem na cena pública em razão dos conflitos referentes à gestãodos recursos hídricos.180 pequenos agricultores e a Prefeitura Municipal de Sobral em tornoda inundação dos plantios de vazantes no rio Acaraú.4 organizações de vazanteiros: a Associação dos Vazanteiros daMargem Esquerda do Açude Boqueirão, e a Associação VazanteGrande – ambas no município de Tejuçuca; a Associação dosVazanteiros do Açude Cachoeiro, em Sobral, e a AssociaçãoComunitária Erva Moura, em Pentecoste.Apesar do grande número das organizações de apoio aos pequenosagricultores, não encontramos nas fontes consultadas mençãoexplícita aos vazanteiros.
  9. 9. Terras de uso comum: “terrassoltas” 8 assentamentos localizados nosmunicípios de Acaraú, na zona litorânea eem Canindé – presença de terras de usocomum, as chamadas “terras soltas”, emassentamentos. [Dra. Alexandra deOliveira, 2006]
  10. 10. CIGANOS Ciganos assentados nos municípios de Sobral e Limoeiro doNorte Notícias de mais outras 3 comunidades nos municípios deIndependência, Crateús e, também, em Fortaleza (CEARÁ,2008). Os ciganos de Sobral residem nos bairros do Alto Novo,Sumaré e Pantanal. Bessa (1999, 2001) apresenta um número em torno de 26famílias e 162 indivíduos, numa reportagem (DIÁRIO, 2005)foi mencionada uma população de aproximadamente 500ciganos. Há também um grupo de 7 famílias no bairro daCidade Alta, em Limoeiro do Norte, mas também podem serencontrados Ciganos na cidade de Jaguaruana (FERREIRADA SILVA, 2009).
  11. 11. ATINGIDOS PORBARRAGENS Mobilização e açude Castanhão, que deslocou um númeropróximo a 15 mil pessoas. No final da década de 1990, oMAB começou a atuar na região apoiando a Associação deMoradores de Jaguaribara, criada em 1989. A associaçãologo contou com uma rede de apoio constituída porinúmeras entidades. Os primeiros atos públicos do MAB noCeará ocorreram em 2002, com a participação de 500participantes (ARAÚJO; SENA, 2006). Além do Castanhão, há atingidos por outras grandes obrashidráulicas que também se integram à rede de movimentosdos atingidos por barragens como, por exemplo, aconstrução das barragens de Figueiredo e Aracoiaba(ARAÚJO; SENA, 2006).
  12. 12. Pequizeiros ou Catadores dePequi No período da safra cerca de 30 famíliasmudam para a serra do Araripe para coletar ofruto. Com uma organização, a Associaçãodos Catadores de Pequi, a agenda política dospiquizeiros inclui reivindicações porinfraestrutura de trabalho, escolas para ascrianças e jovens no período da coleta eserviços de saúde (DIÁRIO, 2002, 2007,2009). Não localizei informações sobretrabalhos acadêmicos, organizações e/ourede de apoio.
  13. 13. Cipozeiros Localizei dois números bastante distintossobre a quantidade de pessoas quecoletam cipós no município de Cascavel.Numa reportagem estima-se em mais de100 famílias (GLOBO.COM, 2008), enoutra menciona um número em torno de500 famílias (DIÁRIO, 2008) coletando o“cipó de fogo” para fabricarartesanalmente sofás, mesas, luminárias,peças decorativas, entre outras.
  14. 14. Louceiras- Cascavel: localidades de Alto Luminoso eMoita Redonda.- Limoeiro do Norte: Córrego de Areia, as“louceiras do Córrego de Areia”- Granja, Ipu e Viçosa.
  15. 15. Povos de terreiro ou povos desanto União Espírita Cearense de Umbanda(Uecum): 15 mil terreiros de umbanda noCeará (DIÁRIO, 2003). Organizações: União Espírita Cearense deUmbanda (Uecum), União Cearense deUmbanda; há inúmeras outrasinstituições.
  16. 16. Base de dados bibliográfica edocumental Exemplo
  17. 17. Redes de apoio, visibilidade e agendasde pesquisa
  18. 18. Participação na pesquisa (1) Seminários sobre Povos eComunidades Tradicionais (Conceitooperacional) (2) Alimentação do banco de dados (3) Projeto de pesquisa: graduação emestrado.
  19. 19. 1. Seminário Programação preliminar.
  20. 20. 2. Banco de dadosSeg. Ter. Qua. Qui. Sex.
  21. 21. 3. Projeto de pesquisa Problema: disponibilidade paraorientação. Alternativa: participação nas atividades dogrupo.

×