Escola Secundária de Ponte de Sor<br />                       Disciplina: Português<br />    Módulo : 11 – Textos de Teatr...
Introdução<br />Nós, neste trabalho, iremos falar do tempo histórico e do tempo de escrita da obra “ Felizmente Há Luar “....
Tempo Histórico (século XIX - 1817)<br />Invasões francesas (desde 1807): rei no Brasil;<br />Ajuda pedida aos ingleses (B...
O povo via na revolução a solução para a situação em que se encontrava;<br />Revolução liberal de 1820;<br />Implantação d...
Revolta contra a presença da Corte no Brasil e influência do exército britânico;
Regime absolutista e tirânico;
Classes sociais fortemente hierarquizadas;
Classes dominantes com medo de perder privilégios;
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Felizmente Há Luar

6.978 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.978
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
199
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Felizmente Há Luar

  1. 1. Escola Secundária de Ponte de Sor<br /> Disciplina: Português<br /> Módulo : 11 – Textos de Teatro II<br />Felizmente há Luar<br />
  2. 2. Introdução<br />Nós, neste trabalho, iremos falar do tempo histórico e do tempo de escrita da obra “ Felizmente Há Luar “.<br /> Esta obra foi escrita por Luís de Sttau Monteiro e retrata o século XIX e XX.<br />
  3. 3. Tempo Histórico (século XIX - 1817)<br />Invasões francesas (desde 1807): rei no Brasil;<br />Ajuda pedida aos ingleses (Beresford);<br />Regime absolutista;<br />Situação económica portuguesa má: dinheiro ia para a corte no Brasil;<br />Regência, influenciada por Beresford (símbolo do poder britânico em Portugal);<br />Primeiros movimentos liberais (1817), com a conspiração abortada de Gomes Freire; <br />25 De Maio de 1817 – prisão de Gomes Freire; 18 de Outubro de 1817 – enforcado, datas condensadas em dois dias na peça (tempo de acção dramática);<br />Governadores viam na revolução a destruição da estrutura tradicional do Reino e a supressão dos privilégios das classes favorecidas;<br /> <br />
  4. 4. O povo via na revolução a solução para a situação em que se encontrava;<br />Revolução liberal de 1820;<br />Implantação do liberalismo em 1834, com o acordo de Evoramonte;<br /> <br /><ul><li>Agitação social que levou à revolta liberal de 1820 - conspirações internas;
  5. 5. Revolta contra a presença da Corte no Brasil e influência do exército britânico;
  6. 6. Regime absolutista e tirânico;
  7. 7. Classes sociais fortemente hierarquizadas;
  8. 8. Classes dominantes com medo de perder privilégios;
  9. 9. Povo oprimido e resignado;
  10. 10. A "miséria, o medo e a ignorância";
  11. 11. Obscurantismo, mas "felizmente há luar";</li></li></ul><li><ul><li>Luta contra a opressão do regime absolutista;
  12. 12. Manuel, "o mais consciente dos populares", denuncia a opressão e a miséria;
  13. 13. Perseguições dos agentes de Beresford;
  14. 14. As denúncias de Vicente, Andrade Corvo e Morais Sarmento que, hipócritas e sem escrúpulos, denunciam;
  15. 15. Censura;
  16. 16. Severa repressão dos conspiradores;
  17. 17. Processos sumários e pena de morte;</li></li></ul><li>Tempo da Escrita (século XX - 1961)<br />Permanentemente presente (implícito);<br />Época conturbada em 1961: guerra colonial angolana; greves; movimentos estudantis; pequenas “guerrilhas” internas; crescente aparecimento de movimentos de opinião organizados; oposição política;<br />Situação política, social e económica de desagrado geral;<br />Regime ditatorial salazarista: desigualdade entre abastados e pobres muito grande; povo reprimido e explorado; miséria, medo; analfabetismo e obscurantismo;<br />PIDE, “bufos”; censura; medidas de repressão/tortura e condenação sem provas;<br />Sttau Monteiro evoca situações e personagens do passado como pretexto para falar do presente;<br />
  18. 18. <ul><li>Grande dualidade de conceitos entre os dois tempos: Gomes Freire é Humberto Delgado; os governadores três são o regimesalazarista; Vicente e os delatores são os “bufos”; os homens deBeresford são a PIDE…
  19. 19. Agitação social dos anos 60 - conspirações internas; principal irrupção da guerra colonial;
  20. 20. Regime ditatorial de Salazar;
  21. 21. Maior desigualdade entre abastados e pobres;
  22. 22. Classes exploradas, com reforço do seu poder;
  23. 23. Povo reprimido e explorado;
  24. 24. Miséria, medo e analfabetismo;
  25. 25. Obscurantismo, mas crença nas mudanças;
  26. 26. Luta contra o regime totalitário e ditatorial;
  27. 27. Agitação social e política com militares antifascistas a protestarem;
  28. 28. Denúncias dos chamados "bufos", que surgem na sombra e se disfarçam, para colher informações e denunciar;
  29. 29. Censura à imprensa;
  30. 30. Prisão e duras medidas de repressão e de tortura;
  31. 31. Condenação em processos sem provas.</li></li></ul><li>Fim…<br /><ul><li>Trabalho elaborado por:Inês Brás nº 6Tiago Fragoso nº 1712ºH</li>

×