SlideShare uma empresa Scribd logo
Comentário Felizmente há Luar
Numa primeira observação pode-se dizer que, este livro é                abastados e os mais pobres eram assombrosas; o povo vivia
fundamentado na tentativa fracassada da Revolta Liberal de 1817,        coibido, era explorado ao máximo vivia em constante terror e
supostamente chefiada por Gomes Freire de Andrade.                      medo, vivia na mais profunda miséria; enfim viviam num total
É uma obra que é recriada em dois actos, o seguimento de                obscurantismo.
acontecimentos históricos, que em Outubro de 1817 levaram à                     O maior receio do povo e de quase toda a população
prisão e consequentemente ao enforcamento de Gomes de                   portuguesa era sem dúvida a PIDE, que não dava descanso a todos
Andrade, pelo novo regime liderado pelo Inglês Beresford, que           quantos lhes apetecia perseguir com ou sem razão, porque graças
tinha o apoio da igreja católica e que o escritor tão                   aos "benditos e frustrados" bufos lhes deram direitos de tal forma
inteligentemente leva para a situação que se vivia em Portugal no       que prendiam quem quer que lhes apetecesse, foi um período de
início dos anos sessenta, chamando a atenção para as injustiças         vergonha nacional, pois chegaram a prender inocentes, que nem
praticadas contra o povo e a classe trabalhadora e também para as       eles sabiam porque razão estavam detidos em Caxias.
asquerosas repressões e perseguições políticas feitas pelo                      Além disso a dita censura cortava tudo o que não lhes
governo daquele tempo. Tais perseguições eram de tal forma              deliciava e inclusivamente os próprios livros, passavam pelas mãos
anormais, que só depois de 1974,é que a peça pôde finalmente            deles e vinham para as papelarias sem mais de metade do que o
subir    ao     palco     em     1978    no     Teatro     Nacional.    autor tinha escrito, ou então simplesmente não deixavam publicar
        Conforme expus antes, esta peça (livro) foi escrita numa        o livro ou até mesmo nem certas peças de teatro chegam ao
época particularmente agitada, em que se assistia ao primórdio da       conhecimento da população em geral, pois eram apreendidas.
Guerra Colonial em Angola e também se travavam várias                   Sttau Monteiro evoca exactamente tudo isto no seu livro,
"batalhas" e contestações por parte da plebe, quer fossem elas          recorrendo a personagens do passado com o pretexto de falar no
através de greves, movimentos estudantis ou outro tipo de lutas.        presente, artifício usado para poder reprovar a sociedade do seu
É também nesta altura, que se dá um crescente aparecimento de           tempo. Talvez por isso o titulo da obra nos queira fazer ver, que
movimentos de opinião organizados, destacando-se entre eles os          depois de tantos anos de trevas (escuridão), finalmente se pôde
"Católicos Progressistas", a par da oposição política, que apesar de    ver o LUAR, símbolo da nova luz que se vez em Portugal com o fim
reprimida fazia ouvir a sua voz, no que respeitava às eleições livres   da era dura de Salazar.
e democráticas. É claro que, nesta altura se vivia sobre o regime
ditatorial de Salazar e como tal as diversidades entre os mais



Português 12º ano                                                           Luís de Sttau Monteiro – Felizmente há Luar
Comentário Felizmente há Luar




Português 12º ano               Luís de Sttau Monteiro – Felizmente há Luar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
Catarina Vieira
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
Ana Tapadas
 
Felizmente Há Luar- Síntese
Felizmente Há Luar- SínteseFelizmente Há Luar- Síntese
Felizmente Há Luar- Síntese
nanasimao
 
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
José Galvão
 
Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
 Felizmente Há Luar- Resumo da Obra Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
nanasimao
 
Felizmente há Luar
Felizmente há LuarFelizmente há Luar
Felizmente há Luar
nanasimao
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
nelsonalves70
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
Margarida Tomaz
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
gracafigueiredo2
 
Felizmente Há Luar!
Felizmente Há Luar!Felizmente Há Luar!
Felizmente Há Luar!
guest9d8027
 
(4)personagens documento quatro
(4)personagens documento quatro(4)personagens documento quatro
(4)personagens documento quatro
becresforte
 
FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!
Vitor Manuel de Carvalho
 
Guião Felizmente há Luar!
Guião Felizmente há Luar!Guião Felizmente há Luar!
Guião Felizmente há Luar!
Rui Oliveira
 
Fhl sintese-exp12
Fhl sintese-exp12Fhl sintese-exp12
Fhl sintese-exp12
Experiências Português
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
Ana Helena
 
Felizmente há luar
Felizmente há luar Felizmente há luar
Felizmente há luar
Beatriz Xavier
 
As personagens de felizmente há luar caracterização
As personagens de felizmente há luar caracterizaçãoAs personagens de felizmente há luar caracterização
As personagens de felizmente há luar caracterização
Catarina Barbosa
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
ESVieira do Minho
 
Felizmente há luar - Personagens
Felizmente há luar - PersonagensFelizmente há luar - Personagens
Felizmente há luar - Personagens
Tiago Vieira
 
Luis de sttau monteiro – vida e obra
Luis de sttau monteiro – vida e obraLuis de sttau monteiro – vida e obra
Luis de sttau monteiro – vida e obra
Maria Batista
 

Mais procurados (20)

Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
 
Felizmente Há Luar- Síntese
Felizmente Há Luar- SínteseFelizmente Há Luar- Síntese
Felizmente Há Luar- Síntese
 
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
Felizmente há luar! o paralelismo histórico (1)
 
Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
 Felizmente Há Luar- Resumo da Obra Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
Felizmente Há Luar- Resumo da Obra
 
Felizmente há Luar
Felizmente há LuarFelizmente há Luar
Felizmente há Luar
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
 
Felizmente Há Luar!
Felizmente Há Luar!Felizmente Há Luar!
Felizmente Há Luar!
 
(4)personagens documento quatro
(4)personagens documento quatro(4)personagens documento quatro
(4)personagens documento quatro
 
FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!
 
Guião Felizmente há Luar!
Guião Felizmente há Luar!Guião Felizmente há Luar!
Guião Felizmente há Luar!
 
Fhl sintese-exp12
Fhl sintese-exp12Fhl sintese-exp12
Fhl sintese-exp12
 
Felizmente há luar
Felizmente há luarFelizmente há luar
Felizmente há luar
 
Felizmente há luar
Felizmente há luar Felizmente há luar
Felizmente há luar
 
As personagens de felizmente há luar caracterização
As personagens de felizmente há luar caracterizaçãoAs personagens de felizmente há luar caracterização
As personagens de felizmente há luar caracterização
 
Felizmente Há Luar
Felizmente Há LuarFelizmente Há Luar
Felizmente Há Luar
 
Felizmente há luar - Personagens
Felizmente há luar - PersonagensFelizmente há luar - Personagens
Felizmente há luar - Personagens
 
Luis de sttau monteiro – vida e obra
Luis de sttau monteiro – vida e obraLuis de sttau monteiro – vida e obra
Luis de sttau monteiro – vida e obra
 

Destaque

A importância de Matilde - Felizmente Há Luar
A importância de Matilde - Felizmente Há LuarA importância de Matilde - Felizmente Há Luar
A importância de Matilde - Felizmente Há Luar
Ricardo Santos
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
Fernanda Pantoja
 
Original felizmeno há luar
Original felizmeno há luarOriginal felizmeno há luar
Original felizmeno há luar
Karyn XP
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
guest9d8027
 
Como abordar o felizmente há luar! 5 dicas para professores
Como abordar o felizmente há luar!  5 dicas para professoresComo abordar o felizmente há luar!  5 dicas para professores
Como abordar o felizmente há luar! 5 dicas para professores
Alfredo Leite
 
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luzFelizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
guest9d8027
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
Fernanda Monteiro
 
Recursos Estilísticos Todos Os Recursos
Recursos Estilísticos Todos Os RecursosRecursos Estilísticos Todos Os Recursos
Recursos Estilísticos Todos Os Recursos
Bruno Pinto
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
Célia Gonçalves
 

Destaque (11)

A importância de Matilde - Felizmente Há Luar
A importância de Matilde - Felizmente Há LuarA importância de Matilde - Felizmente Há Luar
A importância de Matilde - Felizmente Há Luar
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
 
Original felizmeno há luar
Original felizmeno há luarOriginal felizmeno há luar
Original felizmeno há luar
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
 
Como abordar o felizmente há luar! 5 dicas para professores
Como abordar o felizmente há luar!  5 dicas para professoresComo abordar o felizmente há luar!  5 dicas para professores
Como abordar o felizmente há luar! 5 dicas para professores
 
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luzFelizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
Recursos Estilísticos Todos Os Recursos
Recursos Estilísticos Todos Os RecursosRecursos Estilísticos Todos Os Recursos
Recursos Estilísticos Todos Os Recursos
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 

Semelhante a Comentário felizmente há luar

Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos DuarteManuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
Loulet
 
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdfGENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
ProfThalesValeriano
 
A literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..pptA literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..ppt
VivianaMariaVieiravi
 
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infânciaFalar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
antoniapscosta
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
Josi Motta
 
578696.pptx
578696.pptx578696.pptx
578696.pptx
HelenaSaitoAutuori1
 
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
António Luís Catarino
 
NN.ppt
NN.pptNN.ppt
NN.ppt
Sil Queiroz
 
A literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..pptA literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..ppt
EricaOliveiraDeSouza
 
A literatura pré-modernista. (1).ppt
A literatura pré-modernista. (1).pptA literatura pré-modernista. (1).ppt
A literatura pré-modernista. (1).ppt
AndrPlez1
 
Livro 18º brumário de napoleão bonaparte
Livro 18º brumário de napoleão bonaparteLivro 18º brumário de napoleão bonaparte
Livro 18º brumário de napoleão bonaparte
Alessandra Impaléa
 
A%20literatura%20pré-modernista..pptx
A%20literatura%20pré-modernista..pptxA%20literatura%20pré-modernista..pptx
A%20literatura%20pré-modernista..pptx
ssuser6e334c1
 
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
Pedro Lima
 
A Historia Da Imprensa No Brasil Colonial
A Historia Da  Imprensa  No Brasil ColonialA Historia Da  Imprensa  No Brasil Colonial
A Historia Da Imprensa No Brasil Colonial
Fabio Santos
 
Prémoderismo
PrémoderismoPrémoderismo
Prémoderismo
Vera Oliveira
 
A Imprensa Republicana do Algarve
A Imprensa Republicana do AlgarveA Imprensa Republicana do Algarve
A Imprensa Republicana do Algarve
José Mesquita
 
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
João Camacho
 
Escola estadual professor João Cruz
Escola estadual professor João CruzEscola estadual professor João Cruz
Escola estadual professor João Cruz
LuizFernandoBicudo
 
historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
 historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I  historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
Laurinda Ferreira
 
001143485_O_principe.pdf
001143485_O_principe.pdf001143485_O_principe.pdf
001143485_O_principe.pdf
MissileneCostaReis
 

Semelhante a Comentário felizmente há luar (20)

Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos DuarteManuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
Manuel Teixeira Gomes descrito por Maria João Raminhos Duarte
 
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdfGENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
GENTE DO POVO EM PERNAMBUCO da Revolução de.pdf
 
A literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..pptA literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..ppt
 
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infânciaFalar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
Falar do estranhamento entre brasil e portugal começa na minha infância
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
578696.pptx
578696.pptx578696.pptx
578696.pptx
 
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
Rua%20da%20 constituição 1,11[1]
 
NN.ppt
NN.pptNN.ppt
NN.ppt
 
A literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..pptA literatura pré-modernista..ppt
A literatura pré-modernista..ppt
 
A literatura pré-modernista. (1).ppt
A literatura pré-modernista. (1).pptA literatura pré-modernista. (1).ppt
A literatura pré-modernista. (1).ppt
 
Livro 18º brumário de napoleão bonaparte
Livro 18º brumário de napoleão bonaparteLivro 18º brumário de napoleão bonaparte
Livro 18º brumário de napoleão bonaparte
 
A%20literatura%20pré-modernista..pptx
A%20literatura%20pré-modernista..pptxA%20literatura%20pré-modernista..pptx
A%20literatura%20pré-modernista..pptx
 
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
“OS VENCIDOS DA VIDA”: LITERATURA E PESSIMISMO EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX
 
A Historia Da Imprensa No Brasil Colonial
A Historia Da  Imprensa  No Brasil ColonialA Historia Da  Imprensa  No Brasil Colonial
A Historia Da Imprensa No Brasil Colonial
 
Prémoderismo
PrémoderismoPrémoderismo
Prémoderismo
 
A Imprensa Republicana do Algarve
A Imprensa Republicana do AlgarveA Imprensa Republicana do Algarve
A Imprensa Republicana do Algarve
 
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
 
Escola estadual professor João Cruz
Escola estadual professor João CruzEscola estadual professor João Cruz
Escola estadual professor João Cruz
 
historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
 historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I  historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
historia da litteratura Portuguesa - Teófilo Braga -Volume I
 
001143485_O_principe.pdf
001143485_O_principe.pdf001143485_O_principe.pdf
001143485_O_principe.pdf
 

Comentário felizmente há luar

  • 1. Comentário Felizmente há Luar Numa primeira observação pode-se dizer que, este livro é abastados e os mais pobres eram assombrosas; o povo vivia fundamentado na tentativa fracassada da Revolta Liberal de 1817, coibido, era explorado ao máximo vivia em constante terror e supostamente chefiada por Gomes Freire de Andrade. medo, vivia na mais profunda miséria; enfim viviam num total É uma obra que é recriada em dois actos, o seguimento de obscurantismo. acontecimentos históricos, que em Outubro de 1817 levaram à O maior receio do povo e de quase toda a população prisão e consequentemente ao enforcamento de Gomes de portuguesa era sem dúvida a PIDE, que não dava descanso a todos Andrade, pelo novo regime liderado pelo Inglês Beresford, que quantos lhes apetecia perseguir com ou sem razão, porque graças tinha o apoio da igreja católica e que o escritor tão aos "benditos e frustrados" bufos lhes deram direitos de tal forma inteligentemente leva para a situação que se vivia em Portugal no que prendiam quem quer que lhes apetecesse, foi um período de início dos anos sessenta, chamando a atenção para as injustiças vergonha nacional, pois chegaram a prender inocentes, que nem praticadas contra o povo e a classe trabalhadora e também para as eles sabiam porque razão estavam detidos em Caxias. asquerosas repressões e perseguições políticas feitas pelo Além disso a dita censura cortava tudo o que não lhes governo daquele tempo. Tais perseguições eram de tal forma deliciava e inclusivamente os próprios livros, passavam pelas mãos anormais, que só depois de 1974,é que a peça pôde finalmente deles e vinham para as papelarias sem mais de metade do que o subir ao palco em 1978 no Teatro Nacional. autor tinha escrito, ou então simplesmente não deixavam publicar Conforme expus antes, esta peça (livro) foi escrita numa o livro ou até mesmo nem certas peças de teatro chegam ao época particularmente agitada, em que se assistia ao primórdio da conhecimento da população em geral, pois eram apreendidas. Guerra Colonial em Angola e também se travavam várias Sttau Monteiro evoca exactamente tudo isto no seu livro, "batalhas" e contestações por parte da plebe, quer fossem elas recorrendo a personagens do passado com o pretexto de falar no através de greves, movimentos estudantis ou outro tipo de lutas. presente, artifício usado para poder reprovar a sociedade do seu É também nesta altura, que se dá um crescente aparecimento de tempo. Talvez por isso o titulo da obra nos queira fazer ver, que movimentos de opinião organizados, destacando-se entre eles os depois de tantos anos de trevas (escuridão), finalmente se pôde "Católicos Progressistas", a par da oposição política, que apesar de ver o LUAR, símbolo da nova luz que se vez em Portugal com o fim reprimida fazia ouvir a sua voz, no que respeitava às eleições livres da era dura de Salazar. e democráticas. É claro que, nesta altura se vivia sobre o regime ditatorial de Salazar e como tal as diversidades entre os mais Português 12º ano Luís de Sttau Monteiro – Felizmente há Luar
  • 2. Comentário Felizmente há Luar Português 12º ano Luís de Sttau Monteiro – Felizmente há Luar