Saerjinho 2º ano

12.494 visualizações

Publicada em

1º bimestre/2013

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.494
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
171
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saerjinho 2º ano

  1. 1. Caderno C1101 1° BIMESTRE AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA Língua Portuguesa e Matemática 2° ANO DO ENSINO MÉDIO Nome do Aluno(a): Orientações  Você está recebendo um caderno com 52 questões.  Você dispõe de duas horas para responder a todas as questões e de 20 minutos para preencher o Cartão de Respostas.  Leia com atenção cada questão antes de respondê-la.  Cada questão tem uma única resposta correta.  Em alguns textos, há, na margem esquerda, uma indicação com a numeração de linhas.  Ao terminar a prova, passe suas respostas para o Cartão de Respostas, utilizando caneta esferográfi ca azul ou preta. Não rasure seu Cartão de Respostas.  Depois, passe suas respostas para folha de rascunho. Ela servirá para você acompanhar as questões junto ao professor. Boa prova! 2013
  2. 2. 01: A B C D E 02: A B C D E 03: A B C D E 04: A B C D E 05: A B C D E 06: A B C D E 07: A B C D E 08: A B C D E 09: A B C D E 10: A B C D E 11: A B C D E 12: A B C D E 13: A B C D E FOLHA DE TRANSCRIÇÃO Língua Portuguesa e Matemática 14: A B C D E 15: A B C D E 16: A B C D E 17: A B C D E 18: A B C D E 19: A B C D E 20: A B C D E 21: A B C D E 22: A B C D E 23: A B C D E 24: A B C D E 25: A B C D E 26: A B C D E 27: A B C D E 28: A B C D E 29: A B C D E 30: A B C D E 31: A B C D E 32: A B C D E 33: A B C D E 34: A B C D E 35: A B C D E 36: A B C D E 37: A B C D E 38: A B C D E 39: A B C D E 40: A B C D E 41: A B C D E 42: A B C D E 43: A B C D E 44: A B C D E 45: A B C D E 46: A B C D E 47: A B C D E 48: A B C D E 49: A B C D E 50: A B C D E 51: A B C D E 52: A B C D E Ensino Médio Caro(a) Aluno(a), Após transcrever as respostas para o Cartão de Respostas, repasse todas as respostas também para essa folha. Em outro momento, essa folha será utilizada para que seja realizada a correção da prova junto ao seu professor.
  3. 3. BL01P11 C1101 ATENÇÃO! Agora, você vai responder a questões de Língua Portuguesa. Leia os textos abaixo. Duas visões sobre “O Senhor dos Anéis, parte 2”. Texto 1 5 10 Continua sendo a saga de Frodo Bolseiro e seus amigos – Sam, Aragorn, Legolas e Gimli. [...] Estabelece-se no segundo filme, a ligação entre Frodo e o Gollum, que não é outro senão Sméagol, corrompido pela força destrutiva do anel. Gollum/Sméagol é um prodígio de técnica, um ser virtual criado no computador a partir de interpretação de um ator, Andy Serkis. Como no primeiro filme, a técnica é grandiosa, mas não é o que importa. É colocada totalmente a serviço da história. Desde que os hippies começaram a viajar na saga de Frodo, nos anos 1960, muita gente colocou a etiqueta do ‘esoterismo’ na obra de Tolkien. É um movimento reducionista, de quem nunca leu, ou leu só superficialmente, a série de livros. Jackson tomou muita liberdade em relação ao original. O filme é uma experiência e tanto, ética, estética, humanística. Trata de todos os temas: amizade, amor, ambição, honra, dedicação, coragem, vida e morte. Incorpora o próprio elemento narrativo, na medida em que Frodo e Sam, no fim, sonham com suas aventuras imortalizadas na imaginação popular. Até ao afastar-se do Tolkien, Jackson é fiel ao autor. Criou um movimento que justifica sozinho, o cinemão. Texto 2 5 10 O Senhor dos Anéis tem dois tipos de espectadores: os tolkienmaníacos e os outros. Os primeiros, calejados na leitura do universo delirante de J. R. R. Tolkien, chegam preparados para qualquer eventualidade, pois estão familiarizados com o mundo mágico do autor. O filme terá para eles valor ilustrativo. Dos segundos, que não têm intimidade com topônimos e seres como Isengard, ents, hobbits, elfos e orgs, será exigido esforço maior. Peter Jackson [...] realizou com folgas um épico de visual suntuoso. Neste segundo episódio, já fenômeno de bilheteria, a ênfase é nas batalhas. Para quem se impressiona com combates digitais, trata-se de um prato e tanto. Já a narrativa, que afinal tem de evoluir entre uma batalha e outra, parece bem mais modesta. Vista de perto, descobre-se a velha e boa estrutura formal que se convencionou chamar de ‘jornada do herói’, com o protagonista sendo lançado à aventura, hesitando, correndo riscos, encontrando antagonistas e aliados e depois salvando o mundo e a si mesmo. Luta do Bom contra o Mal, à moda do presidente Bush. Ou seja, muito barulho por nada. O Estado de S. Paulo, 27 dez. 2002. Fragmento. (P110375RJ_SUP) Questão 01 P110375RJ Sobre o filme O Senhor dos Anéis, esses dois textos apresentam opiniões A) diferentes. B) emotivas. C) iguais. D) imparciais. E) incoerentes. 1
  4. 4. Leia novamente os textos "Duas visões sobre 'O Senhor dos Anéis, parte 2'" para responder às questões abaixo. Questão 02 P110376RJ No Texto 1, o trecho que apresenta um dos argumentos que sustenta a opinião do autor sobre a qualidade do filme O Senhor dos Anéis é: A) “Estabelece-se no segundo filme, a ligação entre Frodo e o Gollum,...”. (ℓ. 2) B) “... um ser virtual criado no computador a partir de interpretação de um ator,...”. (ℓ. 4) C) “Desde que os hippies começaram a viajar na saga de Frodo, nos anos 1960, muita gente colocou a etiqueta do ‘esoterismo’ na obra de Tolkien.”. (ℓ. 6-7) D) “Jackson tomou muita liberdade em relação ao original.”. (ℓ. 9) E) “Incorpora o próprio elemento narrativo, na medida em que Frodo e Sam, no fim, sonham com suas aventuras imortalizadas na imaginação...”. (ℓ. 11-12) Questão 03 P110377RJ No Texto 1, o trecho que apresenta um fato sobre o filme O Senhor dos Anéis é: A) “Continua sendo a saga de Frodo Bolseiro e seus amigos...”. (ℓ. 1) B) “Como no primeiro filme, a técnica é grandiosa, mas não é o que importa.”. (ℓ. 4-5) C) “O filme é uma experiência e tanto, ética, estética, humanística.”. (ℓ. 9-10) D) “Até ao afastar-se do Tolkien, Jackson é fiel ao autor.”. (ℓ. 13) E) “Criou um movimento que justifica sozinho, o cinemão.”. (ℓ. 13-14) Questão 04 P110378RJ O Texto 2 tem como finalidade A) contar uma história. B) dar uma informação. C) divulgar um filme. D) fazer uma análise crítica. E) relatar um acontecimento. Questão 05 P110379RJ Segundo o Texto 2, para os tolkienmaníacos, o filme O Senhor dos Anéis A) exigirá um esforço maior. B) será meramente ilustrativo. C) será uma eventualidade. D) trará uma leitura delirante. E) tratará de combates digitais. Questão 06 P110380RJ No Texto 2, no trecho “Para quem se impressiona com combates digitais, trata-se de um prato e tanto.” (ℓ. 7-8), a expressão destaca foi usada para A) apresentar um exagero. B) destacar uma qualidade. C) fazer uma comparação. D) intensificar uma informação. E) marcar um duplo sentido. BL01P11 C1101 2
  5. 5. C1101 Leia novamente os textos "Duas visões sobre 'O Senhor dos Anéis, parte 2'" para responder à questão abaixo. Questão 07 P110381RJ No Texto 2, no trecho “... preparados para qualquer eventualidade, pois estão familiarizados com o mundo mágico...” (ℓ. 2-3), a palavra destacada estabelece uma relação de A) alternância. B) condição. C) explicação. D) finalidade. E) oposição. Leia o texto abaixo. BL01P11 Pálida à luz da lâmpada sombria, Sobre o leito de flores reclinada, Como a lua por noite embalsamada, Entre as nuvens do amor ela dormia! Era a virgem do mar, na escuma fria Pela maré das águas embalada! Era um anjo entre nuvens d’alvorada [...] AZEVEDO, Álvares de. Soneto. In: BARBOSA, Frederico. Clássicos da poesia brasileira: antologia da poesia brasileira anterior ao Modernismo. São Paulo: O Globo/Click Editora, 1997. p. 95. Fragmento. (P110382RJ_SUP) Questão 08 P110382RJ Nesse texto, os versos “Pálida à luz da lâmpada sombria," e "Entre as nuvens do amor ela dormia!” apresentam o recurso estilístico de A) comparação. B) exagero. C) personificação. D) repetição. E) rima. Questão 09 P110383RJ Nesse texto, no trecho “Como a lua por noite embalsamada”, o termo destacado indica A) um momento. B) um motivo. C) uma comparação. D) uma conclusão. E) uma condição. 3
  6. 6. BL01P11 Leia o texto abaixo. 5 10 15 C1101 Ubirajara Ao lado de O Guarani e Iracema, Ubirajara é um dos romances indianistas de José de Alencar, último escrito nesse gênero. Induzido pela vontade de resgatar a nossa nacionalidade, o índio vem a ser a base da formação do povo brasileiro, segundo o nacionalismo romântico. Nesse sentido, reconstruir a imagem do índio é fundamental para alicerçar o espírito de brasilidade. O escritor defende o índio bem como sua cultura original, procurando reforçar os pontos que os diferenciam do modo de vida dos europeus. Resgata-lhes valores maiores como a lealdade, a fidelidade, a bravura, o destemor e a valentia. [...] Culpa os “intrusos” pelas consequências do processo de aculturação do índio brasileiro, pela perda de sua identidade cultural. A narrativa centra-se em Jaguarê, jovem caçador, que não poupa esforços para ser reconhecido como guerreiro. Em combate com o grande guerreiro Pojucã, Jaguarê vence e é reconhecido como o grande herói, passando a ser chamado de Ubirajara, o senhor da terra, aquele que é capaz de cumprir sua missão como chefe da tribo dos araguaias. Encontra-se na floresta com Araci, estrela do dia, filha do chefe Itaquê. Ubirajara é recebido pelos tocantins e, como pretende desposar a jovem Araci, deve enfrentar outros pretendentes. Alencar relata a luta contra os tapuias, a união dos povos araguaia e tocantim sob a liderança de Ubirajara. Nasce assim essa nação indígena que habitava as cabeceiras do Rio São Francisco antes de os portugueses aqui ancorarem. Disponível em: <http://migre.me/djYNH>. Acesso em: 15 fev. 2012. Fragmento. (P110384RJ_SUP) Questão 10 P110384RJ Esse texto é um exemplo de A) conto. B) crônica jornalística. C) resenha. D) resumo. E) roteiro de filme. Questão 11 P110385RJ Nesse texto, no trecho “Culpa os 'intrusos' pelas consequências do processo de aculturação do índio...” (ℓ. 8-9), as aspas na palavra destacada foram usadas para A) assinalar o trecho de um outro texto. B) destacar o nome de uma obra. C) indicar uma fala direta. D) indicar uma expressão falada por um determinado grupo. E) marcar o uso da palavra fora de seu sentido usual. 4
  7. 7. Leia novamente o texto "Ubirajara" para responder às questões abaixo. Questão 12 P110386RJ De acordo com esse texto, Jaguarê passou a ser chamado de Ubirajara porque A) era um jovem caçador. B) foi capaz de cumprir sua missão como chefe. C) queria ser o senhor da terra. D) queria ser reconhecido como guerreiro. E) venceu o combate contra o grande guerreiro. Questão 13 P110387RJ No trecho “... pela perda de sua identidade cultural.” (ℓ. 9), o pronome destacado refere-se a A) escritor. B) índio. C) europeus. D) tapuias. E) jovem. BL01P11 C1101 5
  8. 8. BL01M11 ATENÇÃO! Agora, você vai responder a questões de Matemática. Questão 14 M110419E4 Qual é o valor aproximado do log 21? A) 0,36 B) 0,40 Considere: C) 1,32 log 3 = 0,48 D) 2,52 log 7 = 0,84 E) 3,36 Questão 15 M110413E4 Observe os sólidos abaixo. Quais desses desenhos representam, respectivamente, as planificações desses dois sólidos? A) B) C) D) E) C1101 6
  9. 9. C1101 Questão 16 M110431E4 Observe abaixo o gráfico de uma função definida de IR+ BL01M11 *  IR. y 2 1 0 –1 1 2 3 4 5 6 7 x –1 Qual é a representação algébrica dessa função? A) y = x - 1 4 B) y = 5x + 1 C) y = log 1 x 5 D) y = log5 x E) y = 5x Questão 17 M110416E4 Luisa possui um porta-joias no formato de um poliedro convexo que possui 6 faces e 12 arestas. Em cada um dos vértices desse porta-joias, ela colocou um enfeite para decoração. Qual foi a quantidade de enfeites utilizados por Luisa para decorar os vértices desse porta-joias? A) 4 B) 6 C) 8 D) 16 E) 20 Questão 18 M110423E4 A sequência numérica a seguir pode ser definida por uma expressão algébrica, que relaciona o valor de cada termo de acordo com a sua posição (n) ocupada nessa sequência. Posição (n) 1 2 3 4 ... Sequência 1 4 7 10 ... Qual é a expressão algébrica que determina o n-ésimo termo dessa sequência? A) n – 3 B) n + 1 C) n + 3 D) 2n E) 3n – 2 7
  10. 10. Questão 19 M110435E4 Uma função f: IR  IR+ BL01M11 1 x ` j admite uma função inversa f – 1(x) = g(x). *, definida por f(x) = 2 Qual é a representação gráfica dessa função g(x)? A) y 3 2 1 0 –1 1 2 3 4 x –1 –2 –3 B) y 4 3 2 1 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 x –1 C) y 1 0 –3 –2 –1 1 2 3 x –1 –2 –3 –4 D) y 4 3 2 1 0 –2 –1 1 2 3 x –1 E) y 3 2 1 0 –1 1 2 3 4 x –1 –2 –3 C1101 8
  11. 11. Questão 20 M110417E4 Uma pedra preciosa foi lapidada no formato de um poliedro convexo que possui 8 faces e 6 vértices. O número de arestas dessa pedra preciosa após essa lapidação é A) 4 B) 6 C) 8 D) 12 E) 14 Questão 21 M110107E4 O valor V(t) de uma máquina industrial, em função do tempo t (em anos) após sua aquisição, é dado pela expressão V(t) = 6 000 . 3 10 BL01M11 t - , sendo 0 ≤ t ≤ 30. Após 20 anos de sua aquisição, essa máquina sofreu uma desvalorização de, aproximadamente, A) R$ 54 000,00 B) R$ 5 333,33 C) R$ 5 000,00 D) R$ 1 000,00 E) R$ 666,67 Questão 22 M110429E4 Observe abaixo o gráfico da função f: IR  IR*. + y 4 3 2 1 0 –2 –1 1 2 x –1 Qual é a representação algébrica dessa função? A) x f(x) = ` 1 3 j B) f(x) = 3x C) f(x) = 3x + 1 D) f(x) = log3 1 x E) f(x) = log3 x C1101 9
  12. 12. C1101 Questão 23 M110412E4 Qual desenho abaixo representa um corpo redondo? A) B) BL01M11 C) D) E) Questão 24 M110420E4 Qual é o valor aproximado do log 12? A) 0,69 B) 1,08 Considere: C) 1,30 log 2 = 0,30 D) 1,80 log 24 = 1,38 E) 4,60 Questão 25 M110426E4 O desenho abaixo representa uma sequência de figuras formadas por quadrados. Essa sequência segue um padrão que relaciona a quantidade de quadrados em cada figura, de acordo com a posição (n) que cada figura ocupa nessa sequência. Figura 1 Figura 2 Figura 3 Qual é a expressão algébrica que determina o número de quadrados da figura de acordo com a sua posição n nessa sequência? A) 4n + 1 B) 4n C) n + 4 D) n + 3 E) n + 1 10
  13. 13. Questão 26 M110433E4 O gráfico que melhor representa a função f: ] 1, + ∞[ → IR, definida por f(x) = log2 (x – 1) é A) y 5 –5 –4 –3 –2 –1 1 2 3 BL01M11 x y 4 3 2 1 0 –4 –3 –2 –1 1 2 3 –1 –2 B) x y 3 2 1 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 –1 –2 –3 C) x y 3 2 1 0 2 7 –1 1 3 4 5 6 –1 –2 –3 D) x 4 3 2 1 0 –1 E) x y 3 2 1 0 –2 –1 1 2 3 4 –1 –2 –3 5 C1101 11
  14. 14. BL02P11 C1101 ATENÇÃO! Agora, você vai responder a questões de Língua Portuguesa. Leia o texto abaixo. 5 10 15 20 O mulato – VII Junho chegou, com as suas manhãs muito claras e muito brasileiras. É o mês mais bonito do Maranhão. Aparecem os primeiros ventos gerais, doidamente, que nem um bando solto de demônios travessos e brincalhões, que vão em troca percorrer a cidade, assoviando a quem passa, atirando ao ar o chapéu dos transeuntes, virando-lhes do avesso os guarda-sóis abertos. [...] Manhãs alegres! O céu varre-se nesse dia como para uma festa, fica limpo, todo azul, sem uma nuvem; a natureza prepara-se, enfeita-se; as árvores penteiam-se, os ventos gerais catam-lhes as folhas secas e sacodem-lhes a frondosa cabeleira verdejante; asseiam-se as estradas, escova-se a grama dos prados e das campinas, bate-se a água, que fica mais clara e fresca. E o bando turbulento não para nunca e, sempre remoinhando, zumbindo, cantando lá vai por diante, dando piparotes em tudo que encontra, acordando as pequeninas plantas, rasteiras e preguiçosas, não deixando dormir uma só flor, enxotando dos ninhos toda a chilradora república das asas. E as borboletas, em cardumes multicolores, soltam-se por aqui e por ali, doidejando; e nuvens de abelhas revoam, peralteando, gazeando o trabalho e as lavadeiras [...] brincam ao sol, sobre os lagos, dançando ao som de uma orquestra de cigarras. A gente bem conformada, nessas manhãs, acorda lépida, depois de um sono bom, completo, bebido de uma vez, como um copo de água fresca. E não resiste ao convite do bando [...] que lhe salta pela janela e lhe invade o quarto, atirando ao chão os papéis da mesa, arrancando os quadros da parede e desfraldando as cortinas, que tremulam no ar em flutuações alegres de bandeira; não resiste – veste-se rindo, cantarolando, e vai para a rua, para o campo, mete uma flor na lapela do fraque, agita a bengala, fala muito, ri, tem vontade de correr e almoça nesse dia com um apetite selvagem. A madrugada da véspera de São João era dessas. AZEVEDO, Aluísio. O mulato. São Paulo: Ática, 1998. Fragmento. *Adaptado: Reforma Ortográfica. (P110388RJ_SUP) Questão 27 P110388RJ O elemento da narrativa que predomina nesse texto é A) a apresentação das personagens. B) a descrição do espaço. C) a passagem do tempo. D) o clímax da narrativa. E) o conflito que dá origem à história. Questão 28 P110389RJ O trecho desse texto em que o autor atribui características humanas a seres inanimados é: A) “Junho chegou, com as suas manhãs...”. (ℓ. 1) B) “É o mês mais bonito do Maranhão.”. (ℓ. 2) C) “Aparecem os primeiros ventos gerais, doidamente, que nem um bando solto...”. (ℓ. 2-3) D) “E as borboletas, em cardumes multicolores, soltam-se por aqui e por ali,...”. (ℓ. 13-14) E) “A gente bem conformada, nessas manhãs, acorda lépida, depois de um sono bom,...”. (ℓ. 17) 12
  15. 15. Leia novamente o texto "O mulato – VII" para responder às questões abaixo. Questão 29 P110390RJ O trecho “... os ventos gerais catam-lhes as folhas secas e sacodem-lhes...” (ℓ. 8) apresenta características da linguagem A) empregada em artigos de jornais e revistas. B) encontrada em bulas de remédio. C) falada exclusivamente em determinada região. D) usada em épocas passadas. E) utilizada em encontros de amigos. Questão 30 P110391RJ Nesse texto, no trecho “... com um apetite selvagem.” (ℓ. 23), a palavra destacada assume no contexto o sentido de A) agitado. B) cruel. C) intenso. D) invejável. E) violento. Questão 31 P110392RJ Nesse texto, no trecho “... sempre remoinhando, zumbindo, cantando lá vai por diante,...” (ℓ. 11), o uso das formas verbais destacadas sugere A) comparação. B) continuidade. C) intensidade. D) lentidão. E) tensão. Questão 32 P110393RJ Nesse texto, a relação estabelecida entre o vento e o espaço é de A) aceitação. B) indiferença. C) interação. D) resistência. E) violência. Questão 33 P110394RJ No trecho “... catam-lhes as folhas secas...” (ℓ. 8) o pronome destacado refere-se A) às manhãs. B) às árvores. C) aos ventos. D) às estradas. E) aos prados. BL02P11 C1101 13
  16. 16. BL02P11 Leia o texto abaixo. 5 10 15 C1101 O Dia 7 de Setembro, em Paris Longe do belo céu da Pátria minha, Que a mente me acendia, Em tempo mais feliz, em qu’eu cantava Das palmeiras à sombra os pátrios feitos; Sem mais ouvir o vago som dos bosques, Nem o bramido fúnebre das ondas, Que n’alma me excitavam Altos, sublimes turbilhões de ideias; Com que cântico novo O Dia saudarei da Liberdade? Ausente do saudoso, pátrio ninho, Em regiões tão mortas, Para mim sem encantos, e atrativos, Gela-se o estro ao peregrino vate. Tu também, que nos trópicos te ostentas Fulgurante de luz, e rei dos astros, Tu, oh sol, neste céu teu brilho perdes. [...] MAGALHÃES, Gonçalves. Disponível em: <http://www.astormentas.com/PT/poema/12267/O%20Dia%207%20de%20Setembro%2c%20 em%20Paris>. Acesso em: 14 fev. 2012. *Adaptado: Reforma Ortográfica. (P110395RJ_SUP) Questão 34 P110395RJ Uma característica da poesia romântica marcante nesse texto é a A) exaltação de sentimentos pessoais. B) expressão do sentimento nacionalista. C) fuga da realidade vivida. D) luta pela igualdade social. E) valorização da natureza. Questão 35 P110396RJ Nesse texto, em relação à sua situação atual, o eu lírico mostra-se A) ansioso. B) confuso. C) desanimado. D) enfurecido. E) orgulhoso. Questão 36 P110397RJ Predomina nesse texto a linguagem A) científica. B) coloquial. C) formal. D) regional. E) técnica. 14
  17. 17. BL02P11 Leia os textos abaixo. Texto 1 5 10 15 C1101 Receitas para manter o coração em forma Entre os que se preocupam com o controle de peso e buscam uma alimentação saudável são poucos os que ainda associam estes ideais a uma vida de privações e a uma dieta insossa. Os adeptos da alimentação de baixos teores já sabem que substituições de ingredientes tradicionais por similares light garantem o corte de calorias, açúcar e gordura com a preservação (em muitos casos total) do sabor. Comprar tudo pronto no supermercado ou em lojas especializadas é barbada. A coisa complica na hora de ir para a cozinha e acertar o ponto de uma massa de panqueca, crepe ou bolo sem usar ovo. Ou fazer uma polentinha crocante, bolinhos de arroz e croquetes sem apelar para a frigideira cheia de óleo. O livro Cozinha do Coração Saudável apresenta 110 saborosas soluções para esses problemas. Produzido pela LDA Editora [...], Cozinha do Coração Saudável traz receitas compiladas por Solange Patrício e Marco Rossi, sob orientação e supervisão dos cardiologistas Tânia Martinez, pesquisadora e professora da Escola Paulista de Medicina, e José Ernesto dos Santos, presidente do departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia e professor da faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Os pratos foram testados por nutricionistas da Cozinha Experimental Van Den Bergh Alimentos. Disponível em: <http://www.pucrs.br/gpt/resenha.php>. Acesso em: 18 mar. 2012. Texto 2 A pele O recurso ao botox ou gastar centenas, por vezes milhares de euros em cremes que fingem desafiar a idade não são as únicas formas de manter a sua pele com um aspecto fresco, vigoroso e saudável. Uma das estratégias mais eficazes para fortalecer a saúde da sua pele é nutrir o corpo através de uma alimentação saudável e equilibrada. As investigações demonstram que consumir certos tipos de alimentos pode ajudar a prevenir rugas, danos causados pela exposição ao sol e manter a pele hidratada. Na próxima vez que for às compras, faça também uma lista para a sua pele. Disponível em: <http://www.alimentacaosaudavel.org/Artigo-pele-saudavel.html>. Acesso em: 18 mar. 2012. (P110398RJ_SUP) Questão 37 P110398RJ Uma informação comum a esses dois textos é a A) alimentação indicada para fortalecer a pele. B) importância de uma alimentação saudável. C) indicação do livro Cozinha do Coração Saudável. D) prevenção aos danos causados pelo sol. E) receita para ter um coração saudável. 15
  18. 18. Leia novamente os textos "Receitas para manter o coração em forma" e "A pele" para responder às questões abaixo. Questão 38 P110399RJ No Texto 1, o autor defende a ideia de que A) comprar tudo pronto em lojas especializadas é possível. B) cortar açúcar e gorduras pode preservar o sabor dos alimentos. C) fazer as receitas saudáveis em casa é o mais difícil. D) substituir os ingredientes comuns pelos light é necessário. E) ter uma vida de privações está associado ao controle do peso. Questão 39 P110400RJ Qual é o assunto do Texto 2? A) A nutrição do corpo. B) A saúde da pele. C) Os alimentos fortificantes. D) Os cremes para a pele. E) Os preços do botox. BL02P11 C1101 16
  19. 19. l 0 c m, na qual I representa a BL02M11 C1101 ATENÇÃO! Agora, você vai responder a questões de Matemática. Questão 40 M110415E4 Observe abaixo a planificação de um sólido. Essa planificação corresponde a qual sólido geométrico? A) Pirâmide de base hexagonal. B) Pirâmide de base pentagonal. C) Pirâmide de base triangular. D) Prisma de base hexagonal. E) Prisma de base pentagonal. Questão 41 M110434E4 Uma função f: IR  IR*, definida por f(x) = 7x possui uma função inversa f – 1(x) = y. + Qual é a representação algébrica dessa função f – 1(x) = y? A) y = – 7x B) x y = ` 1 7 j C) x = log7 1 y D) x = logy 7 E) y = log7 x Questão 42 M110428E4 O cálculo da quantidade de decibéis de um som é expresso por D = 10 . log l intensidade do som e l0 = 10 – 12 W/m2 que é a menor intensidade do som captado pelo ouvido humano. Um avião a jato, ao aterrissar, produz uma intensidade sonora l = 100 W/m2 . Qual é o nível sonoro desse avião, em decibéis, durante a aterrissagem? A) 15 B) 24 C) 60 D) 100 E) 140 17
  20. 20. C1101 Questão 43 M110432E4 Observe abaixo o gráfico de uma função definida de ] – 2, + ∞[. 1 8 x ` j , na BL02M11 y 2 1 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 5 6 7 x –1 –2 –3 Qual é a representação algébrica dessa função? A) y = log(x + 2) 3 B) y = log1 (x – 2) 3 C) y = log3 1 (x + 2) 1 x ` j – 2 D) y = 3 1 x ` j – 2 E) y = 2 Questão 44 M110425E4 A sequência numérica abaixo pode ser definida por uma expressão algébrica, que relaciona o valor de cada termo com sua posição n na sequência. (7, 18, 29, 40, 51, ...) A expressão algébrica que determina o n-ésimo termo dessa sequência é A) 11n – 4 B) 10n – 4 C) 7n + 4 D) 4n + 3 E) n + 11 Questão 45 M110427E4 A massa residual de um isótopo radioativo de iodo – 131 pode ser expressa pela função M = m0 . 2 qual M representa a quantidade de massa residual após certo tempo dado em gramas, sendo m0 a massa total inicial em gramas, e x o tempo em dias. Um hospital possui 10 g desse isótopo em estoque para fins de tratamento contra o câncer de tireoide. Após 32 dias sem ocorrer nenhum tratamento, qual é massa residual desse isótopo de iodo – 131? A) 160 g B) 20 g C) 5 g D) 1,25 g E) 0,625 g 18
  21. 21. Questão 46 M110411E4 Observe os sólidos geométricos desenhados abaixo. BL02M11 I II III IV V Qual desses sólidos geométricos representa um poliedro? A) I B) II C) III D) IV E) V Questão 47 M110421E4 Qual é o valor aproximado do log 27? A) 0,11 B) 1,44 C) 2,52 Considere: D) 3,48 log 3 = 0,48 E) 4,32 Questão 48 M110424E4 O desenho abaixo representa uma sequência de figuras formadas por cubos. A quantidade de cubos em cada figura segue um padrão conforme a posição que essa figura ocupa na sequência. Figura 1 Figura 2 Figura 3 Figura 4 Figura 5 Qual é a expressão algébrica que relaciona o número de cubos da figura, de acordo com a sua posição n nessa sequência? A) 2n – 1 B) 2n + 1 3 C) n^n + 1h 2 D) 3n – 3 E) 5n – 10 C1101 19
  22. 22. C1101 Questão 49 M110422E4 Qual é o valor aproximado do log5 11? A) 0,34 B) 0,67 C) 0,73 D) 1,48 E) 1,74 BL02M11 Considere: log 5 = 0,70 log 11 = 1,04 Questão 50 M110414E4 Uma planificação de um prisma reto de base hexagonal é A) B) C) D) E) Questão 51 M110418E4 Um jogo de tabuleiro possui um dado no formato de um poliedro convexo com 30 arestas e 12 vértices. Qual é o número de faces desse dado? A) 16 B) 18 C) 20 D) 32 E) 40 20
  23. 23. Questão 52 M110430E4 O gráfico que melhor representa a função f(x) = 3 BL02M11 2 x ` j, definida de IR → IR+ * A) y 3 2 1 2 3 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 x –1 B) y 3 2 1 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 x –1 2 3 C) y 5 4 3 2 1 2 3 0 –3 –2 –1 1 2 3 4 5 x –1 D) y 5 4 3 2 1 0 2 –1 1 –1 –2 3 2 3 4 5 x E) y 3 2 1 0 –1 1 2 3 4 5 x –1 –2 –3 2 3 C1101 21

×