Escola B. 2,3 D. António da Costa


       A Auto-Avaliação
      da Biblioteca Escolar
«Reflection and evaluation are key to improving
 the effectiveness of the School Library
 Ressource Center»

             ...
A Biblioteca Escolar
                   antes e agora...
Espaço de informação          Espaço de conhecimento



Local de ...
O processo de avaliação
          da Biblioteca Escolar
             antes e agora...
Avaliação centrada     Avaliação per...
As perguntas subjacentes à
           avaliação

Como actuamos?
        Identificar o o estádio em que se encontra
       ...
Vantagens da Auto-Avaliação
Identificação de:
  Pontos Fortes – Estamos a fazer bem?
  Pontos Fracos – Quais as áreas mais...
A Auto-Avaliação da Biblioteca irá
            permitir:
(conforme Sarah McNicol)

   Melhorar o ensino e a aprendizagem
 ...
Elaborar relatório
As evidências constatadas podem ser incorporadas no
relatório anual para demonstrar o êxito alcançado e...
Orçamentar
Através da auto-avaliação, a recolha de evidências pode
ajudar a estabelecer prioridades no planeamento
orçamen...
Gerir a equipa
A auto-avaliação pode indicar modos de tornar mais
eficaz o trabalho da equipa

Divulgar
As evidências pode...
O Processo da Auto-Avaliação
Diagnóstico
Identificação do domínio a avaliar
Evidências a recolher; Instrumentos a utilizar...
O Envolvimento na Escola
O processo de auto-avaliação deve ter a intervenção de
todos os elementos da comunidade escolar:
...
O Envolvimento da Escola
A Direcção deve:

  assegurar a cooperação entre os professores e a equipa
  da biblioteca

  int...
INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS NA
  AUTO-AVALIAÇÃO DA ESCOLA

Do relatório final de auto-avaliação da BE será
elaborada uma sín...
CONCLUSÃO
A auto-avaliação deverá ser:

  Um processo constante na vida escolar

  Um processo contínuo num ciclo que incl...
«O papel fundamental do bibliotecário é contribuir
  para a missão e para os objectivos da escola,
  incluindo os processo...
BIBLIOGRAFIA
Johnson, Doug (2005) «Getting the most from your School Library Media Program»
Johnson,                      ...
Dina Maria Ribeiro Dourado

         Novembro de 2009
Microsoft Power Point   A Biblioteca   Auto AvaliaçãO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Microsoft Power Point A Biblioteca Auto AvaliaçãO

931 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
931
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Microsoft Power Point A Biblioteca Auto AvaliaçãO

  1. 1. Escola B. 2,3 D. António da Costa A Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar
  2. 2. «Reflection and evaluation are key to improving the effectiveness of the School Library Ressource Center» Elspeth S. Scott
  3. 3. A Biblioteca Escolar antes e agora... Espaço de informação Espaço de conhecimento Local de tratamento, organização e Local instigador de inovação disponibilização de recursos. Centro de acção e de trabalho colaborativo com intervenção no percurso Oferta de serviços curricular dos alunos e no trabalho dos professores
  4. 4. O processo de avaliação da Biblioteca Escolar antes e agora... Avaliação centrada Avaliação perspectivada em na gestão dos termos de impacto no ensino / recursos aprendizagem Avaliação Avaliação considerada considerada como parte integrante como um sector da auto-avaliação de à parte da vida toda a escola escolar Avaliação baseada em Avaliação baseada demonstrações em relatos (evidências)
  5. 5. As perguntas subjacentes à avaliação Como actuamos? Identificar o o estádio em que se encontra a Biblioteca Como o sabemos? Identificar as evidências em que nos apoiamos para saber como agir O que fazer a seguir? Identificar os caminhos necessários à melhoria
  6. 6. Vantagens da Auto-Avaliação Identificação de: Pontos Fortes – Estamos a fazer bem? Pontos Fracos – Quais as áreas mais problemáticas? Oportunidades – O que podemos fazer? Ameaças – O que pode constituir obstáculo ao desenvolvimento?
  7. 7. A Auto-Avaliação da Biblioteca irá permitir: (conforme Sarah McNicol) Melhorar o ensino e a aprendizagem Demonstrando o contributo da BE para o ensino / aprendizagem, a avaliação pode promover o seu valor no seio da comunidade educativa Melhorar as práticas de trabalho A avaliação pode sugerir mudanças específicas
  8. 8. Elaborar relatório As evidências constatadas podem ser incorporadas no relatório anual para demonstrar o êxito alcançado e posicionamento, assim como indicar as áreas a melhorar Planear melhoramentos A auto-avaliação permitirá à equipa da BE identificar os pontos fortes e fracos e estabelecer prioridades nas necessidades e objectivos
  9. 9. Orçamentar Através da auto-avaliação, a recolha de evidências pode ajudar a estabelecer prioridades no planeamento orçamental e indicar quais as áreas que carecem de maior investimento Solicitar apoios financeiros A informação decorrente da auto-avaliação pode fornecer evidências que servirão de fundamento a pedidos financeiros adicionais
  10. 10. Gerir a equipa A auto-avaliação pode indicar modos de tornar mais eficaz o trabalho da equipa Divulgar As evidências poderão ser utilizadas para aumentar o reconhecimento e promoção da importância da BE na escola Defender / Apoiar A auto-avaliação pode ser também usada para evidenciar a importância da BE na própria escola e também aos níveis local e nacional.
  11. 11. O Processo da Auto-Avaliação Diagnóstico Identificação do domínio a avaliar Evidências a recolher; Instrumentos a utilizar; Limitações... Intervenientes e composição das amostras a utilizar Calendarização Recolha e análise de dados Identificação de pontos fortes e fracos e posicionamento nos respectivos níveis de desempenho Interpretação e descrição dos resultados da avaliação e definição de acções de melhoria Comunicação dos resultados da avaliação e medidas de melhoria a praticar, a integrar no Relatório de Avaliação interna da Escola (in Newsletter RBE nº 5)
  12. 12. O Envolvimento na Escola O processo de auto-avaliação deve ter a intervenção de todos os elementos da comunidade escolar: Professor bibliotecário e equipa Director Orgãos executivos e de decisão pedagógica Professores Alunos Encarregados de Educação Funcionários
  13. 13. O Envolvimento da Escola A Direcção deve: assegurar a cooperação entre os professores e a equipa da biblioteca integrar a avaliação da biblioteca na avaliação global da escola
  14. 14. INTEGRAÇÃO DOS RESULTADOS NA AUTO-AVALIAÇÃO DA ESCOLA Do relatório final de auto-avaliação da BE será elaborada uma síntese a incorporar no relatório de auto-avaliação da escola; Essa síntese apoiará o professor bibliotecário aquando da entrevista com a Inspecção-Geral de Educação.
  15. 15. CONCLUSÃO A auto-avaliação deverá ser: Um processo constante na vida escolar Um processo contínuo num ciclo que inclui a identificação de prioridades para a melhoria Parte integrante da auto-avaliação da escola
  16. 16. «O papel fundamental do bibliotecário é contribuir para a missão e para os objectivos da escola, incluindo os processos de avaliação, e para desenvolver e promover os da biblioteca escolar» Directrizes da IFLA / UNESCO para as Bibliotecas Escolares
  17. 17. BIBLIOGRAFIA Johnson, Doug (2005) «Getting the most from your School Library Media Program» Johnson, Program» http://www.doug-johnson.com/dougwri/getting-the-most-from-your-school- library-media-program-1.html Scott, Elspeth S. (2002)« How good is your school library resource centre? An introduction to performance measurement » 68th IFLA Council and General Conference- August 18-24, 2002 McNicol, Sarah(2004) «Incorporating library provision in school self-evaluation» in Educational Review, volume 56, Issue 3, pages 287-296, November 2004 Texto da Sessão: « O Modelo de Auto-Avaliação no contexto da Escola / Agrupamento Conde, Elsa «Modelo de auto-avaliação da Biblioteca Escolar: Princípios estrutura e metodologias de operacionalização, RBE newsletter nº5
  18. 18. Dina Maria Ribeiro Dourado Novembro de 2009

×