Yes resumo

355 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Yes resumo

  1. 1. 1 PROGRAMA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA COMENIUS PROJECTO – Innovating Europe School (YES) TEMAS A ABORDAR / TIPO DE ABORDAGEM O projecto «Innovating Europe School» propõe aos participantes uma abordagem intercultural, tendo em vista a inovação, a criatividade e a diversidade, A exploração de um universo cultural estrangeiro representa uma necessidade para a formação intercultural, requerida pelo actual contexto de globalização. A assimilação do diálogo, da tolerância e do respeito em idades precoces poderá, por isso, servir como ponto de partida para os comportamentos futuros. Os professores podem recorrer a algumas actividades na sala de aula tendo em vista: - aperfeiçoar e superar eventuais dificuldades de comunicação, - inculcar nos estudantes uma sensibilidade e competência interculturais e - aperfeiçoar a consciência intercultural. Um dos meios empregues para alcançar os objectivos citados é o «Tour da Tolerância», que será organizado em todas as cidades e reunirá professores e alunos, pais e representantes das comunidades locais. Um calendário ecuménico abrangerá as principais festas religiosas de todas as culturas participantes e encorajará os alunos a congratularem-se mutuamente em tais ocasiões.. Também contribuiremos para o desenvolvimento harmonioso da personalidade dos alunos, alargando assim os seus horizontes culturais. Os alunos ganharão respeito pela diversidade através de actividades artísticas: música, desenho, glossários, criação de um parque. O «Tour da Tolerância» e o «Parque Europeu» precisarão da colaboração das comunidades locais (a autarquia, a polícia, a igreja, etc.) criando assim um projecto comum, que possibilitará que a comunidade interaja melhor com a vida da escola. A participação no projecto de estudantes com necessidades educativas, em risco de abandono escolar, com graves carências económicas ou membros de grupos minoritários será encorajada
  2. 2. 2 PARCERIA E DISTRIBUIÇÃO DE TAREFAS • O coordenador do Colégio Técnico «Petru Poni» encontrará os parceiros, contactá-los-á, proporá a lista de objectivos, prioridades, avaliação e apresentará o tema do projecto; • O coordenador negociará com os outros parceiros o programa, as actividades e estabelecerá a estrutura final do projecto, levando em conta as propostas e os contributos de todos os parceiros envolvidos; • O Coordenador será o administrador do site do projecto e inserirá no Museu Virtual todos os dados dos parceiros relacionados com História, tradições, e Exposição de desenho e todas as actividades do projecto; • Durante as reuniões do projecto o coordenador Colégio Técnico «Petru Poni» atribuirá tarefas específicas a cada parceiro. • Cada parceiro no projecto contribuirá com ideias e apoiará actividades • Cada escola escolherá as pessoas a trabalhar neste projecto e partilhará tal informação com as outras escolas parceiras. Essas pessoas e a comunidade local serão informadas dos resultados; • Cada escola parceira enviará ao coordenador CTPP os seus dados de História, tradições e actividades do projecto, para serem inseridos no Museu Virtual; • Cada escola parceira contribuirá para a concretização dos produtos finais. COOPERAÇÃO E COMUNICAÇÃO A comunicação electrónica será o principal meio de comunicação no projecto, sendo o e-mail um autêntico elo entre os países participantes do projecto. Também recorreremos a comunicação simultânea, criando um fórum/blog com opiniões relativas às actividades desenvolvidas. A tecnologia e TIC será usada para criar folhetos e CDs a serem oferecidos aos outros parceiros. Durante a comunicação entre parceiros, o idioma do projecto será o inglês. Será assinado um acordo por escrito, na primeira reunião do projecto, explicitando as responsabilidades de cada parceiro dentro da parceria e o período de tempo em que as conferências de comunicação serão conduzidas via SKYPE e Yahoo mensenger.
  3. 3. 3 AVALIAÇÃO Para desenvolver o nosso projecto, conduziremos a sua avaliação logo desde o início, através do reitor, do coordenador do projecto e da equipa de avaliação da Comissão dos Programas Comunitários em cada escola participante. A equipa de avaliação de cada escola incluirá alunos em várias fases do projecto e uma das suas principais tarefas será a criação do portefólio do projecto com informação e pormenores relativos aos relatórios das reuniões de desenvolvimento do projecto, apresentações e actividades. O portefólio do projecto incluirá todas as provas relacionadas com actividades e o seu impacto em alunos, professores, escolas em geral e na própria parceria. Após cada actividade serão organizados debates entre professores e alunos envolvidos no projecto e a direcção da escola estabelecerá até que ponto os objectivos propostos foram alcançados, os meios para atingir os produtos finais, a forma como cada escola terá participado na sua concretização. Serão estabelecidas novas estratégias para melhorar a qualidade das actividades. Haverá reuniões periódicas da equipa de avaliação para avaliar a forma como decorreram as actividades e para aumentar o nível de conhecimentos, as competências, as atitudes e as aptidões desenvolvidos pelos estudantes durante a parceria. Outros indicadores da avaliação: - número de estudantes que reduziram o seu absentismo; - número de estudantes que evidenciam progresso escolar; - número de estudantes envolvidos em visitas às escolas parceiras; - número de professores envolvidos em visitas às escolas parceiras; - número de instrumentos pedagógicos trocados entre as escolas; - número de entrevistas dadas por professores ao coordenador do projecto - número de artigos na imprensa aludindo ao projecto; etc Será dada especial atenção a um modelo de avaliação original, assumindo a forma de avaliação interna conduzida por um parceiro do projecto. Assim, o coordenador avaliará o progresso verificado na parceria com o parceiro número um, este avaliará o progresso do parceiro nº 2 e assim sucessivamente. As avaliações ajudarão a determinar o que não foi concretizado na íntegra e a estabelecer estratégias de melhoria para a qualidade das actividades.
  4. 4. 4 A avaliação das actividades escolares será efectuada por diversas equipas de professores através da análise dos questionários entregues aos alunos. O seu objectivo será o de determinar os resultados das actividades já efectuadas, o que foi mais interessante para os alunos e o que de novo aprenderam. Também acompanharemos o impacto do projecto nos alunos da escola, nomeadamente nos não envolvidos de forma activa na realização do projecto, mas que beneficiarão com o currículo melhorado. Cada parceiro incluirá ainda no seu portefólio do projecto o plano de actividades, a duração de cada reunião, a duração das actividades locais, da comunicação entre parceiros através de e-mail, e de diferentes formas e «feed-back», de forma a permitir uma melhor avaliação e posterior divulgação. ENVOLVIMENTO ACTIVO Anúncio do projecto, dos seus objectivos e actividades, e Constituição das equipas Convite aos alunos a integrarem as diferentes equipas Criaremos, portanto, as seguintes equipas de trabalho: • A equipa literária – tratará da recolha e tradução de ditados populares significativos; • A equipa musical – será responsável por cânticos, a sua composição, a adaptação e tradução de letras e pelo hino do projecto; • A equipa de desenho – desenhará caricaturas para a exposição «O EUROPEU IDEAL»; • A equipa biológica – seleccionará e projectará o arranjo do «PARQUE EUROPEU»; • A equipa ecuménica – organizará o calendário, o «TOUR DA TOLERÂNCIA» e o arranjo gráfico de cartões religiosos virtuais; • A equipa IT – criará o «MUSEU VIRTUAL»; • A equipa etno-historico- geográfica – seleccionará elementos significativos para inserir no «MUSEU VIRTUAL»; • A equipa voluntária – organizará a refeição dos pobres, o dia de «portões abertos» e a recepção aos colegas europeus dos outros países participantes.
  5. 5. 5 Os melhores estudantes de cada equipa serão seleccionados conforme propostas dos membros de cada equipa e após deliberação de um júri constituído por professores envolvidos no projecto. Serão embaixadores da escola nas deslocações oficiais aos outros parceiros europeus. INTEGRAÇÃO NA APRENDIZAGEM E / OU NOUTRAS ACTIVIDADES EM CURSO Para uma melhor compreensão das noções, para alcançar os nossos objectivos e para obter um «feed-back» positivo, teremos de integrar as actividades propostas no currículo conforme se segue: • Os professores de romeno e os de línguas estrangeiras, como especialistas em interpretação literária, supervisionarão a actividade dos alunos e coordenarão a selecção, tradução e transcrição de uma recolha de provérbios e adágios populares relacionados com tolerância e respeito pela diferença; • Nas aulas de música e com a liderança dos professores de música os alunos trabalharão no sentido de transformar um cântico religioso no HINO DO PROJECTO, que será o emblema da nossa actividade. Este hino terá um texto comum em Inglês e um específico na língua de cada país participante; será composto e cantado pelos alunos; • Nas aulas de História e Geografia, os alunos pesquisarão informação adicional sobre os países participantes no projecto. Esta informação será enviada pelos colegas parceiros que apresentarão a sua própria História e Geografia; • Com a supervisão dos professores de TIC os alunos poderão criar o Museu Virtual e o blogue para discussões na Internet; • Nas aulas de Biologia, os alunos serão orientados para a escolha de plantas que integrarão no espaço da natureza, simbolicamente chamado «O PARQUE EUROPEU»; • Nas aulas de Desenho, os alunos, orientados por professores criarão as caricaturas do «EUROPEU IDEAL», que serão objecto de uma exposição comum inserida na Internet, no âmbito da estrutura do MUSEU VIRTUAL»; • Nas aulas de Religião e Moral e de Formação Cívica serão apresentados aos alunos temas de educação cívica e discutirão a necessidade de diálogo, respeito, tolerância e prática de voluntariado;
  6. 6. 6 • Em simultâneo, nas aulas de educação, os alunos permutarão informação com os colegas dos outros países, acerca de aspectos específicos dos países participantes, as suas tradições e costumes. DIVULGAÇÃO E USO DOS RESULTADOS Plano de divulgação: CDs criados após o desenvolvimento de actividades serão distribuídos aos alunos, pais, autoridades locais…; Os produtos finais serão incluídos nas bibliotecas escolares e na biblioteca da cidade; As autoridades locais tomarão conhecimento das visitas do projecto e das actividades em curso; Os «media» serão informados do calendário de actividades e da forma como estas decorrerão; O programa de actividades e a forma como estas decorrerão, fotografias e pequenos filmes serão inseridos no «MUSEU VIRTUAL» e nos «websites» das escolas; Os artigos escritos por alunos envolvidos no projecto serão publicados no jornal da escola; O projecto será apresentado aos pais no âmbito dos contactos com encarregados de educação; O «Cantinho Europeu» será criado em cada escola. Além disso, o calendário de actividades, a forma de concretizá-las, os resultados obtidos serão afixados; Ao criarem «O PARQUE EUROPEU», toda a comunidades local será informada dos objectivos do projecto, das actividades que decorrem, e dos países e escolas participantes.; Os parceiros manterão contacto permanente via e-mail e qualquer contributo da escola será enviado aos restantes parceiros; O «TOUR DA TOLERÂNCIA» envolverá todas as crenças representadas na comunidade envolvendo a polícia e administração local.

×