Normas de apresentação de tabelas

27.797 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • E excepcional o conteúdo disposto para consulta de pesquisas acadêmicas em particular, da minha disciplina; Ciências Contábeis.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
27.797
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
193
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Normas de apresentação de tabelas

  1. 1. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TABELASConforme a norma da ABNT NBR 14724 - Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos -Apresentação, orienta o uso da Norma de apresentação tabular - IBGE (1993).As definições e orientações que utilizaremos para a confecção de tabelas serão orientadas naNorma de apresentação tabular - IBGE (1993). Caso necessitem de detalhes mais específicos,possuímos a própria norma para consulta.DEFINIÇÃOA Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), define a tabela como forma nãodiscursiva de apresentar informações, das quais o dado numérico se destaca como informaçãocentral.
  2. 2. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoElementos da tabela (Figura 1)Vamos conhecer os elementos principais que compõem uma tabela. Figura 1 - Esqueleto com os elementos da tabela
  3. 3. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoNúmero - Indicador numérico de uma tabela em um conjunto de tabelas. Deve ser inscrito no seutopo, sempre que um documento apresentar mais de duas ou mais tabelas, para identificá-la,permitindo a sua localização. Deve ser escrito em números arábicos, em ordem crescente, precedidoda palavra Tabela.Exemplo: Tabela 1Título - Elemento que indica o conteúdo de uma tabela. Deve ser inscrito no seu topo, indicando asua natureza, sem abreviação, por extenso, de forma clara e concisa.Exemplo:Tabela 1 - Distribuição do número e porcentagem das crianças, segundo o comportamento durante aplicação do CDFP de acordo com a faixa etáriaMoldura - Conjunto de traços estruturadores dos dados numéricos e dos termos necessários à suacompreensão. Inscrita no centro, deve ser feito com no mínimo, três traços horizontais. O primeirosepara o topo. O segundo traço para separar o espaço do cabeçalho. E o terceiro traço para separar orodapé. (Figura 1)Exemplo: (Figura 2) Figura 2 - Moldura de uma tabela
  4. 4. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoCabeçalho - Conjunto de termos indicadores do conteúdo das colunas indicadoras e numéricas.Inscrito no espaço do cabeçalho, para indicar, complementarmente ao título, o conteúdo dascolunas.Exemplo: (Figura 3) Figura 3 - Cabeçalho da tabelaIndicador de linha - Conjunto de termos indicadores do conteúdo de uma linha. Indicadas compalavras ou com notações, de forma clara e concisa.Exemplo: (Figura 4) Figura 4 - Indicador de Linha
  5. 5. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoDado numérico - Quantificação de um fato numérico observado. Quantificado em algarismosarábicos.Exemplo: (Figura 5) Figura 5 - Dado numérico da tabela
  6. 6. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoFonte - Indicação de responsabilidade (pessoa física ou jurída) ou responsável pelos dadosnuméricos.Nota geral - Texto explicativo do conteúdo geral de uma tabela.Nota específica - Texto explicativo de algum elemento específico de uma tabela.Exemplo: (Figura 6) Figura 6 - Fonte, Nota geral ou específica
  7. 7. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoDICAS NA DIAGRAMAÇÃO DA TABELASe na confecção da tabela ultrapassar em números de linhas ou colunas, deverão ser apresentadasem duas ou mais partes.Exemplo 1: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de linhas e tiver poucascolunas. A tabela fica, lado a lado, na mesma página, separando-se as partes por um traço verticalduplo e repetindo o cabeçalho. (Figura 7) Figura 7 - Tabela com mais linhas e poucas colunas
  8. 8. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoExemplo 2: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de colunas e tiverpoucas linhas. A tabela fica, uma abaixo da outra, na mesma página, separando-se as partes comtraço horizontal duplo e repetindo o cabeçalho das colunas indicadoras e os indicadores de linha.(Figura 8) Figura 8 - Tabela com menos linhas e mais colunas
  9. 9. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoExemplo 3: quando a tabela não dá para ser apresentado na mesma página, mesmo fazendo asorientações acima. A solução é apresentar em diversas páginas que for necessária. Em cada parte databela deverá ter as seguintes indicações: continua (Figura 9) para a primeira, conclusão (Figura11) para a última e continuação (Figura 10) para as tabelas que ficam entre a primeira e a última.Cada página da tabela deve ter o conteúdo do topo e o cabeçalho da tabela ou o cabeçalho da parte.O traço horizontal da moldura que separa o rodapé deve ser apresentado na última linha da tabela, elogo abaixo, Fonte, Nota geral ou Nota específica na última parte da tabela (conclusão). Figura 9 - Tabela com (continua)
  10. 10. Campus de AraçatubaServiço Técnico de Biblioteca e Documentação Figura 10 - Tabela com (continuação)
  11. 11. Campus de AraçatubaServiço Técnico de Biblioteca e Documentação Figura 11 - Tabela com (conclusão)
  12. 12. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e DocumentaçãoRecomendações gerais:a) devem ser delimitadas, no alto e em baixo pôr traços horizontais, e somente traços no interior da tabela;b) as tabelas não devem ser delimitadas pôr traços verticais externos;c) recomenda-se que uma tabela seja elaborada de forma a ser apresentada em uma única página;d) devem ser numeradas pôr algarismo arábicos;e) apresentação dos dados numéricos deve obedecer a grafia do Sistema Internacional de Unidades adotado também pelo Brasil em 1962 e ratificado pela Resolução nº 12 de 1988 do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - Conmetro, tornando-se de uso obrigatório em todo o Território Nacional. Disponível no site do Inmetro;f) a indicação da expressão quantitativa ou metrológica dos dados numéricos deve ser feita com símbolos ou palavras entre parênteses;g) nos cabeçalhos recomenda-se a indicação com palavras seja feita pôr extenso, sem abreviações;h) todas indicações colocadas na tabela deve ser de forma clara e concisa;i) quando a tabela contiver sinais convencionais, deverão ser apresentados em nota geral com o respectivo significado;j) os dados numéricos não podem ficar em branco, pôr convenção temos: .. não se aplica dado numérico; ... dado numérico não disponível; x dado numérico omitido a fim de evitar a individualização da informação; - dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento 0; 0,0; 0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico originalmente positivo); -0; -0,0; -0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico originalmente negativo);k) recomenda-se que a identificação da fonte seja feita pôr extenso;l) a classificação outros (as), quando existir, sempre indique um dado numérico proporcionalmente inferior aos dados numéricos indicados pelas demais classificações existentes.

×