CP DR2 Convicçao e firmeza Marco

3.388 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
285
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CP DR2 Convicçao e firmeza Marco

  1. 1. Educação e Formação de Adultos - Nível Secundário Núcleo Gerador: Convicção e Firmeza Ética Área de Competência: Cidadania e Profissionalidade Competência: Adoptar normas deontológicas e profissionais como valores de referência não transaccionáveis em contextos profissionais. Critérios de Evidência: • Identificar deontologia e normas profissionais. • Reconhecer valores de referência em organizações distintas. NOME: Marco Araújo DATA: 28/10/09 Tendo em conta o artigo 47.º do Código Deontológico dos Médicos e a alteração da lei relativamente à questão do aborto, que procedimentos, dos abaixo apresentados, considera correctos? (Princípio Geral) 1. O Médico deve guardar respeito pela vida humana desde o seu início. 2. Constituem falta deontológica grave quer a prática do aborto quer a prática da eutanásia. 3. Não é considerado Aborto, para efeitos do presente artigo, uma terapêutica imposta pela situação clínica da doente como único meio capaz de salvaguardar a sua vida e que possa ter como consequência a interrupção da gravidez, devendo sujeitar-se ao disposto no artigo seguinte. (...) • O Código Deontológico dos Médicos é independente da lei e, como tal, não deve sofrer qualquer alteração. • O Código Deontológico dos Médicos tem de estar em conformidade com a lei. • O Código Deontológico dos Médicos tem de ser alterado sob pena de os próprios médicos incorrerem em sanções disciplinares. No exercício das suas funções, os profissionais de todas as áreas devem pautar a sua actuação por princípios éticos. Estabeleça a correspondência correcta entre as afirmações e os princípios. A. É exigido aos profissionais que guardem sigilo profissional sobre os factos e os documentos de que tomem conhecimento no exercício das suas funções. B. O exercício da profissão deve pautar-se por padrões de honestidade e boa fé. C. Os profissionais devem aceitar apenas os trabalhos para os quais se sintam aptos a desempenhar. D. Os profissionais deverão manter-se isentos de qualquer pressão resultante dos seus próprios interesses ou de influências exteriores B Integridade C Idoneidade A Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  2. 2. Confidencialidade D Independência Analise as afirmações apresentadas e responda às questões • O segredo profissional é um direito e um dever fundamental do advogado que, no exercício da sua profissão, é depositário dos segredos e informações confidenciais dos seus clientes. • O engenheiro não deve divulgar nem utilizar segredos profissionais ou informações, em especial as científicas e técnicas obtidas confidencialmente no exercício das suas funções. O segredo profissional impõe-se a todos os médicos e constitui matéria de interesse moral e social. • Os colaboradores da EDP devem garantir a confidencialidade sobre os assuntos da empresa, dos seus clientes ou fornecedores. Qual o valor de referência comum às várias profissões abordado nos excertos apresentados? Confidencialidade • Os profissionais de marketing deverão negociar e comunicar honestamente com os consumidores, clientes, empregados, empregadores, fornecedores e distribuidores. • O jornalista deve relatar os factos com rigor e exactidão e interpretá-los com honestidade. Os factos devem ser comprovados, ouvindo as partes com interesses atendíveis no caso. • O Técnico Oficial de Contas deve fazer com que o exercício da profissão se paute por padrões de honestidade e boa fé. • O engenheiro só deve pagar-se pelos serviços que tenha efectivamente prestado e tendo em atenção o seu justo valor. Qual o valor de referência comum às várias profissões abordado nos excertos apresentados? Honestidade • São princípios orientadores da actividade dos enfermeiros a responsabilidade inerente ao papel assumido perante a sociedade. • O engenheiro deve prestar os seus serviços com diligência e pontualidade de modo a não prejudicar o cliente nem terceiros nunca abandonando, sem justificação os trabalhos que lhe forem confiados ou os cargos que desempenhar. • O advogado deve, no exercício da profissão e fora dela, considerar-se um servidor da justiça e do direito e, como tal, mostrar-se digno da honra e responsabilidades que lhe são inerentes. • O jornalista deve assumir a responsabilidade por todos os seus trabalhos e actos profissionais, assim como promover a pronta rectificação das informações que se revelem inexactas ou falsa. Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade
  3. 3. Qual o valor de referência comum às várias profissões abordado nos excertos apresentados? Responsabilidade • Os arquitectos devem promover as suas relações profissionais devendo, com lealdade, dar assistência e aconselhamento recíprocos. • O advogado deve, no exercício da sua profissão, actuar com a maior lealdade, não procurando obter vantagens ilegítimas ou indevidas para os seus constituintes ou clientes. • O jornalista deve utilizar meios leais para obter informações, imagens ou documentos e proibir-se de abusar da boa-fé de quem quer que seja. • Os colaboradores da EDP actuarão sempre de forma leal aos princípios e interesses da empresa. Qual o valor de referência comum às várias profissões abordado nos excertos apresentados? Lealdade • O jornalista deve recusar funções, tarefas e benefícios susceptíveis de comprometer o seu estatuto de independência. • No exercício das suas funções os Técnicos Oficiais de Contas devem respeitar as normas legais e os princípios contabilísticos geralmente aceites adaptando a sua correcta aplicação à situação concreta das entidades a quem prestam serviços, evitando qualquer diminuição da sua independência em razão de interesses pessoais ou de pressões exteriores, pugnando pela verdade contabilística e fiscal. • No exercício da sua profissão, o arquitecto deverá manter, sempre e em qualquer circunstâncias, a maior independência e isenção, não prosseguindo objectivos que comprometam a ética profissional. • O engenheiro deve emitir os seus pareceres profissionais com objectividade e isenção. : Qual o valor de referência comum às várias profissões abordado nos excertos apresentados? Independência Animadores Sócio culturais Cidadania e Profissionalidade

×