6. cidade barroca e industrial

9.437 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
262
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6. cidade barroca e industrial

  1. 1. A Cidade Barroca Introdução a Arquitetura e Urbanismo Profa. Ana Cunha
  2. 2. A Cidade Barroca <ul><li>Na evolução histórica da arte, após o Renascimento vem o Barroco. </li></ul><ul><li>Barroco – Pérola defeituosa. </li></ul><ul><li>Pejorativamente chamou-se de barroca a arte que passou a valorizar-se com a contribuição espontânea do artista . </li></ul><ul><li>A arte barroca é dinâmica, mutável conforme o ângulo de observação. </li></ul>
  3. 3. A Cidade Barroca <ul><li>A cidade barroca é um espetáculo para os olhos . </li></ul><ul><li>O barroco é de repertório mais rico e possui um grau maior de informação que o estilo renascentista. </li></ul><ul><li>O traçado das cidades barrocas em nada difere do das cidades clássicas, porém, ganha mais riqueza e movimento . </li></ul>
  4. 4. A Cidade Barroca <ul><li>Continua a existir o monumentalismo clássico das praças e jardins e dos traçados rádio-concêntricos . </li></ul><ul><li>A escala humana continua esquecida, no traçado urbano. </li></ul><ul><li>Na arquitetura, a cidade barroca tende para a aristocracia – pomposidade das formas – enquanto no aspecto socioeconômico é burguesa. </li></ul>
  5. 5. A Cidade Barroca <ul><li>Primeiros núcleos de povoação no Brasil </li></ul>
  6. 6. Revolução Industrial A cidade burguesa do Capitalismo
  7. 7. Revolução Industrial <ul><li>A revolução industrial aconteceu entre os anos de 1760 e 1830 , período que o neoclassicismo predominava nas artes. </li></ul><ul><li>A arquitetura neoclássica representa um rompimento da arte com a tecnologia . </li></ul><ul><li>A prática construtiva se desloca da arquitetura para a engenharia – a técnica sobrepõe-se à arte . </li></ul>
  8. 8. Revolução Industrial <ul><li>O aspecto mais visível da Revolução Industrial ocorreu principalmente nas cidades: </li></ul><ul><li>A construção das fábricas – grandes galpões que abrigavam máquinas e operários empregados na produção de mercadorias. </li></ul><ul><li>A expansão das fábricas atraiu para as cidades trabalhadores das áreas rurais. </li></ul>
  9. 9. Revolução Industrial <ul><li>No início as máquinas conviviam ao lado do esforço dos animais. </li></ul>
  10. 10. Revolução Industrial <ul><li>Com o avanço tecnológico, cada dia mais o trabalho humano foi sendo substituído pela máquina . </li></ul><ul><li>A invenção da máquina à vapor – 1807 e da locomotiva – 1825, agilizou a comunicação entre as cidades e os países . </li></ul><ul><li>As cidades crescem explosivamente. </li></ul><ul><li>As indústrias instalam-se nas cidades. </li></ul>
  11. 11. Revolução Industrial <ul><li>A cidade passa à ser centro de produção e se divide em diferentes zonas, caracterizadas por atividades funcionais predominantes. </li></ul><ul><li>Surgem dois grupos distintos: </li></ul><ul><li>Trabalhadores – nas periferias. </li></ul><ul><li>Proprietários dos meios de produção – bairros residenciais. </li></ul>
  12. 12. Revolução Industrial <ul><li>O trabalho infantil era comum nas indústrias nesta era. </li></ul>
  13. 13. Revolução Industrial <ul><li>O industrialismo já existia antes da Revolução Industrial, mas a urbanização foi incrementada pela fábrica. </li></ul><ul><li>Começam à surgir os problemas urbanos, que preocuparam os governos, levando à criação das primeiras leis urbanísticas. </li></ul>
  14. 14. Revolução Industrial
  15. 15. Revolução Industrial <ul><li>Com a Revolução Industrial surge o Urbanismo Moderno, que começou com as teorias de: </li></ul><ul><li>Arturo Soria y Mata – 1882 </li></ul><ul><li>Camilo Sitte – 1889 </li></ul><ul><li>Ebenezer Howard – 1898 </li></ul><ul><li>Tony Garnier – 1901 </li></ul><ul><li>Patrick Geddes – 1915 </li></ul>
  16. 16. Arturo Soria y Mata <ul><li>Defendeu a idéia de que a raiz de todos os males da época residia na forma das cidades. </li></ul><ul><li>Cidade Linear </li></ul><ul><li>Uma só via de 500 m de largura e de comprimento que fosse necessário. </li></ul><ul><li>Ao centro dessa imensa rua haveria toda a infra-estrutura que a cidade precisaria. </li></ul>
  17. 17. Arturo Soria y Mata <ul><li>Princípios urbanísticos : </li></ul><ul><li>“ Do problema da locomoção derivam-se todos os demais da urbanização”. </li></ul><ul><li>“ A forma das cidades é o resultado fatal da estrutura da sociedade que as ocupa”. </li></ul><ul><li>“ Onde não vive uma árvore tampouco pode viver um ser humano”. </li></ul>
  18. 18. Arturo Soria y Mata <ul><li>Ele combateu a Cidade Circular com os seguintes argumentos : </li></ul><ul><li>Terrenos centrais muito caros – procura maior que a oferta. </li></ul><ul><li>Congestionamento no centro da cidade. </li></ul><ul><li>Marginalização da população periférica. </li></ul>
  19. 19. Arturo Soria y Mata <ul><li>Na Cidade Linear tais inconvenientes não se verificam porque : </li></ul><ul><li>Quando há crescimento da cidade, a avenida central pode se alongar indefinidamente . </li></ul><ul><li>A oferta dos terrenos da área central , sendo ilimitada, mantém o equilíbrio oferta-procura e impede a especulação imobiliária. </li></ul>
  20. 20. Camilo Sitte <ul><li>Preocupava-se com o desaparecimento da vida cívica e formas artísticas das cidades. </li></ul><ul><li>Estudou a função e distribuição das praças públicas , a fim de que voltassem a ser um Centro Cívico urbano. </li></ul><ul><li>Era um esteta urbano , não um planejador. </li></ul>
  21. 21. Camilo Sitte <ul><li>Ele via o Plano da Cidade como uma obra de arte, que tinha por dever produzir um efeito artístico . </li></ul><ul><li>Define o tipo urbano ideal: </li></ul><ul><li>Ruas tortuosas e estreitas, </li></ul><ul><li>Casas de diferentes alturas e </li></ul><ul><li>Praças enclausuradas. </li></ul>
  22. 22. Ebenezer Howard <ul><li>Duas cidades da Inglaterra foram planejadas segundo sua concepção. </li></ul><ul><li>A terra pertence à comunidade ou ao município , eliminando a especulação imobiliária. </li></ul><ul><li>Sua visão utópica era uma tentativa de resolver os problemas de insalubridade, pobreza e poluição . </li></ul>
  23. 23. Ebenezer Howard <ul><li>Cidade Jardim </li></ul><ul><li>Praça circular central. </li></ul><ul><li>Ruas concêntricas e radiais à praça. </li></ul><ul><li>A cada anel de casas segue outro ocupado por jardins. </li></ul><ul><li>A natureza deve estar sempre presente na cidade. </li></ul>
  24. 24. Ebenezer Howard <ul><li>Ele apostava no casamento cidade-campo como forma de assegurar uma combinação com todas as vantagens de uma vida urbana cheia de oportunidades e entretenimento. </li></ul>
  25. 25. Tony Garnier <ul><li>Projetou entre 1901 e 1904 uma Cidade Industrial , com características lineares. </li></ul><ul><li>O projeto compreendia duas grandes áreas, separadas por uma Zona Verde: </li></ul><ul><li>Residencial </li></ul><ul><li>Industrial </li></ul>
  26. 26. Patrick Geddes <ul><li>Posição do trabalhador: </li></ul><ul><li>Ordem Paleotécnica – O trabalhador não tem tido uma casa adequada, nem decente. </li></ul><ul><li>Ordem Neotécnica – Ele construirá sua vivenda e se porá a planejar a cidade, … semelhante ou superior às glórias passadas. </li></ul>
  27. 27. Urbanismo Racionalista <ul><li>Surgiu depois do Urbanismo Moderno. </li></ul><ul><li>Le Corbusier defende as grandes densidades demográficas. </li></ul><ul><li>Era fascinado pela cidade grande, com prédios altos. </li></ul><ul><li>Sua cidade é segregacionista. </li></ul>
  28. 28. Urbanismo Racionalista <ul><li>Postulados Fundamentais: </li></ul><ul><li>Descongestionar o centro das cidades. </li></ul><ul><li>Aumentar a densidade do centro para realizar o contato exigido pelos negócios. </li></ul><ul><li>Aumentar os meios de circulação. </li></ul><ul><li>Aumentar as superfícies plantadas. </li></ul>
  29. 29. Mais detalhes: http:// arquiteturaurb.blogspot.com/2009/03/cidade-barroca.html http:// arquiteturaurb.blogspot.com/2009/03/cidade-burguesa-do-capitalismo.html

×