SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
E.B 2,3 Santo António – FaroDisciplina de História   As cidades do século XIX   Professor: José Palma                          Trabalho elaborado por:                                                           Adriana  Guerreiro, nº1 9ºB   Patrícia Nascimento,nº3 9ºB
Índice Introdução Causas do crescimento das Cidades  Revolução Industrial    O Mundo Industrializado no século XIX Crescimento das Cidades  -transportes  -Novos espaços Públicos Via Comunicação e outras infra-estruturas Novas habitações A vida da população nas cidades A primazia da Burguesia Burguesia As classes populares Proletariado e os seus problemas O movimento operário Conclusões Bibliografia
Introdução Nós escolhemos este tema, porque ele nos interessou ao vermos a lista de verificação do programa. Nós julgamos que este tema é muito importante para a nossa formação. Este trabalho é constituído por duas partes, pois ao elaborar o trabalho descobrimos que ele fazia mais sentido se se dividisse em dois.  Planificámos, lemos o livro 8ºano, vimos um PowerPoint sobre a Historia das Cidades e um filme dos irmãos Lumiére sobre Lyon, resumimos e fizemos um PowerPoint para apresentar o trabalho. Também pesquisámos imagens na Internet.
Causas do crescimento das Cidades
Revolução Industrial  Na 2ª metade do século XVIII, em Inglaterra foi inventada a máquina a vapor que, em conjunto com a modernização da agricultura, o aumento da população, a formação de grandes mercados e uma grande acumulação de capital permitiu a Revolução Industrial e também grandes mudanças na vida das pessoas e nas cidades.
O Mundo Industrializado no século XIX Em 1870, em alguns países Alemanha, França, Japão e Estados Unidos  aconteceram mudanças importantes na industria, com novas fontes de energia e novos inventos técnicos.  O crescimento das novas industrias permitiu colocar nos mercados internacionais quantidades maciças de equipamento e bens de consumo.  Para além de novas fontes de energia e de novas máquinas, a 2ºrevolução industrial foi, também, acompanhada por importantes inovações nos transportes e comunicações tais como: -construção de vias férreas e progressos na navegação.
Transportes  Chora “Americano”  Eléctrico  Carro
Novos Espaços Públicos Mercados  Passeios Públicos
                                 Vias de comunicação(infra-estruturas O elevador de Santa Justa  A Iluminação pública
Lisboa, um trecho da Avenida da Liberdade, inO Bilhete Postal Ilustrado e a História de Lisboa, de José Manuel da Silva Passos. Coreto  Cidade do Porto
Mais ricos e com prestígios  Homens de negócios, de leis ou médicos    Burgueses  Mais pobres  Trabalhadores braçais e mendigos
A vida da população nas cidades
A primazia da Burguesia No século XIX, em resultado das revoluções liberal e industrial, formou-se uma nova sociedade –a sociedade de classes.  Alta burguesia: industriais, banqueiros, donos das companhias comerciais;  Pequena ou Média Burguesia (classe média): comerciantes, empregados do Estado e das empresas;  Proletariado: operários e camponeses.
Burguesia   Uma festa particular As senhoras e os cavalheiros
As classes populares Servente da Companhia do gás e vendedora de Capachos   Vendedoras de galinhas e uvas Carvoeira e lavadeira Fábrica no Seixal
Proletariado e os seus problemas Os camponeses e os operários tinham uma vida difícil, muitas das vezes eram obrigados a ir para as cidades ou emigrar para outros países. Os operários tinham uma vida muito dura: • O horário de trabalho era longo; • O trabalho era mal pago; • O desemprego era elevado; • A segurança nas fábricas e nas minas era muito deficiente; • Alimentavam-se mal e moravam em habitações sem condições; • Era afectado por muitos problemas sociais.
O movimento operário Os operários viviam em grandes dificuldades. Naturalmente, a miséria levou-os à revolta. Por isso recorreram à destruição de máquinas e de instalações (ludismo). Assim, constituíram sociedades de socorros mútuos, cooperativas e sindicatos. O Estado, a princípio, não se preocupou com a sorte dos operários. Mas, progressivamente, tomou medidas em sua defesa: • Promulgou leis que proibiam o trabalho nas minas a mulheres e a crianças com menos de 9 anos; • Reduziu o horário de trabalho para 10 horas e, mais tarde para 8 horas; • Estabeleceu seguros contra acidentes nas fábricas. O direito à greve e à organização sindical foi igualmente reconhecido. Os sindicatos, para terem mais força, uniram-se a nível internacional. Por isso, em 1864, foi fundada a Associação Internacional do Trabalhadores.
CONCLUSÕES Com este trabalho aprendemos que no século XIX, começou crescer das cidades porque as pessoas estavam desempregados no campo e foram para a cidade e foram trabalhar a indústria. Então, nas cidades começaram surgir novas habitações, novos espaços públicos, transportes, infra-estruturas e comércio.  Nas cidades viviam burguesia e classes operárias. A vida da burguesia era mais fácil e tinha melhores condições de vida.  A classe operária tinha uma vida mais difícil porque trabalhava muito horas nas fabricas e tinham salários muito baixos, por isso organizaram-se para lutar pelo seu direito.
Bibliografia http://8e2007.files.wordpress.com/2008/06/historia.pdf Pesquisamos no livro 8ºano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xixA europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xixMaria Nogueira
 
O mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xixO mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xixmaria40
 
37 o mundo industrializado no século xix
37   o mundo industrializado no século xix37   o mundo industrializado no século xix
37 o mundo industrializado no século xixCarla Freitas
 
Estado novo e capitalismo industrial
Estado novo  e  capitalismo industrialEstado novo  e  capitalismo industrial
Estado novo e capitalismo industrialIlania Gonçalves
 
O mundo industrializado s. xix
O mundo industrializado   s. xixO mundo industrializado   s. xix
O mundo industrializado s. xixIURAMADO
 
A modernização do reino,... (história 6º ano)
A modernização do reino,... (história 6º ano)A modernização do reino,... (história 6º ano)
A modernização do reino,... (história 6º ano)inessalgado
 
Expansão e mudanças do capitalismo
Expansão e mudanças do capitalismoExpansão e mudanças do capitalismo
Expansão e mudanças do capitalismoElton Zanoni
 
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponesesUnidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponesesVítor Santos
 
Revolução industrial slides blog
Revolução industrial  slides blogRevolução industrial  slides blog
Revolução industrial slides blogThays Vieira
 
Antagonismos sociais no_seculo_xix
Antagonismos sociais no_seculo_xixAntagonismos sociais no_seculo_xix
Antagonismos sociais no_seculo_xixCarla Silva
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialFrancisco Neto
 
O capitalismo no século xix e xx
O capitalismo no século xix e xxO capitalismo no século xix e xx
O capitalismo no século xix e xxSimone Borges
 

Mais procurados (20)

A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xixA europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
 
O mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xixO mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xix
 
Paises de dificil industrialização
Paises de dificil industrializaçãoPaises de dificil industrialização
Paises de dificil industrialização
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
37 o mundo industrializado no século xix
37   o mundo industrializado no século xix37   o mundo industrializado no século xix
37 o mundo industrializado no século xix
 
Estado novo e capitalismo industrial
Estado novo  e  capitalismo industrialEstado novo  e  capitalismo industrial
Estado novo e capitalismo industrial
 
O mundo industrializado s. xix
O mundo industrializado   s. xixO mundo industrializado   s. xix
O mundo industrializado s. xix
 
A modernização do reino,... (história 6º ano)
A modernização do reino,... (história 6º ano)A modernização do reino,... (história 6º ano)
A modernização do reino,... (história 6º ano)
 
Expansão e mudanças do capitalismo
Expansão e mudanças do capitalismoExpansão e mudanças do capitalismo
Expansão e mudanças do capitalismo
 
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponesesUnidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
 
Revolução industrial slides blog
Revolução industrial  slides blogRevolução industrial  slides blog
Revolução industrial slides blog
 
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
 
Antagonismos sociais no_seculo_xix
Antagonismos sociais no_seculo_xixAntagonismos sociais no_seculo_xix
Antagonismos sociais no_seculo_xix
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução IndustrialSegunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
 
O capitalismo no século xix e xx
O capitalismo no século xix e xxO capitalismo no século xix e xx
O capitalismo no século xix e xx
 

Destaque

Glossário de jardinagem animais - insetos
Glossário de jardinagem   animais - insetosGlossário de jardinagem   animais - insetos
Glossário de jardinagem animais - insetosJosé Palma
 
Glossário de jardinagem animais - mamíferos
Glossário de jardinagem   animais - mamíferosGlossário de jardinagem   animais - mamíferos
Glossário de jardinagem animais - mamíferosJosé Palma
 
Glossário de jardinagem animais - aves
Glossário de jardinagem   animais - avesGlossário de jardinagem   animais - aves
Glossário de jardinagem animais - avesJosé Palma
 
Horta urbana andré
Horta urbana   andréHorta urbana   andré
Horta urbana andréJosé Palma
 
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1Historia das ciencias fisicas e quimicas 1
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1José Palma
 
Glossário de jardinagem animais - répteis
Glossário de jardinagem   animais -  répteisGlossário de jardinagem   animais -  répteis
Glossário de jardinagem animais - répteisJosé Palma
 
Glossário de jardinagem frutos
Glossário de jardinagem    frutosGlossário de jardinagem    frutos
Glossário de jardinagem frutosJosé Palma
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrialBeatriz EAloísio
 
A sociedade industrial e urbana parte 1
A sociedade industrial e urbana   parte 1A sociedade industrial e urbana   parte 1
A sociedade industrial e urbana parte 1cattonia
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialIsabel Aguiar
 

Destaque (15)

Glossário de jardinagem animais - insetos
Glossário de jardinagem   animais - insetosGlossário de jardinagem   animais - insetos
Glossário de jardinagem animais - insetos
 
Glossário de jardinagem animais - mamíferos
Glossário de jardinagem   animais - mamíferosGlossário de jardinagem   animais - mamíferos
Glossário de jardinagem animais - mamíferos
 
Glossário de jardinagem animais - aves
Glossário de jardinagem   animais - avesGlossário de jardinagem   animais - aves
Glossário de jardinagem animais - aves
 
Horta urbana andré
Horta urbana   andréHorta urbana   andré
Horta urbana andré
 
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1Historia das ciencias fisicas e quimicas 1
Historia das ciencias fisicas e quimicas 1
 
Glossário de jardinagem animais - répteis
Glossário de jardinagem   animais -  répteisGlossário de jardinagem   animais -  répteis
Glossário de jardinagem animais - répteis
 
Alface
AlfaceAlface
Alface
 
Glossário de jardinagem frutos
Glossário de jardinagem    frutosGlossário de jardinagem    frutos
Glossário de jardinagem frutos
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
 
Couve
CouveCouve
Couve
 
Cebola
CebolaCebola
Cebola
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
A sociedade industrial e urbana parte 1
A sociedade industrial e urbana   parte 1A sociedade industrial e urbana   parte 1
A sociedade industrial e urbana parte 1
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 

Semelhante a As cidades se c xix final

RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialAna Batista
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrialAna Batista
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução IndustrialLaerciolns12
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícolaAna Batista
 
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,Rodrigo Teixeira
 
Hgp trabalho sec XIX
Hgp trabalho sec XIXHgp trabalho sec XIX
Hgp trabalho sec XIXMrBatatamo
 
Indústria
IndústriaIndústria
IndústriaBeach
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsCarlos Vieira
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismoJonatas Carlos
 
capitalismo fases e características.pptx
capitalismo fases e características.pptxcapitalismo fases e características.pptx
capitalismo fases e características.pptxAllanCamargo6
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Paulo Roberto
 
Revisão de história 2º ano
Revisão de história 2º anoRevisão de história 2º ano
Revisão de história 2º anoeunamahcado
 
Conferência de berlim final de verdade
Conferência de berlim final de verdadeConferência de berlim final de verdade
Conferência de berlim final de verdadeDéborah Guedes
 
Guia de Estudos CB SIA 2013
Guia de Estudos CB SIA 2013Guia de Estudos CB SIA 2013
Guia de Estudos CB SIA 2013Déborah Guedes
 

Semelhante a As cidades se c xix final (20)

RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
 
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
Transformações de um mundo industrial – desiguldades,
 
Hgp trabalho sec XIX
Hgp trabalho sec XIXHgp trabalho sec XIX
Hgp trabalho sec XIX
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
 
Trabalho ..
Trabalho ..Trabalho ..
Trabalho ..
 
Revolução Industrial 2020
Revolução Industrial 2020Revolução Industrial 2020
Revolução Industrial 2020
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
Aula 11 rev. industrial e socialismo
Aula 11   rev. industrial e socialismoAula 11   rev. industrial e socialismo
Aula 11 rev. industrial e socialismo
 
capitalismo fases e características.pptx
capitalismo fases e características.pptxcapitalismo fases e características.pptx
capitalismo fases e características.pptx
 
Trabalho revolução industrial
Trabalho revolução industrialTrabalho revolução industrial
Trabalho revolução industrial
 
Tema h1 1ª parte
Tema h1   1ª parteTema h1   1ª parte
Tema h1 1ª parte
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
 
Revisão de história 2º ano
Revisão de história 2º anoRevisão de história 2º ano
Revisão de história 2º ano
 
Conferência de berlim final de verdade
Conferência de berlim final de verdadeConferência de berlim final de verdade
Conferência de berlim final de verdade
 
História 9ºano
História 9ºanoHistória 9ºano
História 9ºano
 
Guia de Estudos CB SIA 2013
Guia de Estudos CB SIA 2013Guia de Estudos CB SIA 2013
Guia de Estudos CB SIA 2013
 

Mais de José Palma

Fotógrafo martinho
Fotógrafo martinhoFotógrafo martinho
Fotógrafo martinhoJosé Palma
 
Auxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleAuxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleJosé Palma
 
Pasteleiro guilherme
Pasteleiro guilhermePasteleiro guilherme
Pasteleiro guilhermeJosé Palma
 
Manicure nadioreth
Manicure nadiorethManicure nadioreth
Manicure nadiorethJosé Palma
 
Empregada de lavandaria flávia
Empregada de lavandaria   fláviaEmpregada de lavandaria   flávia
Empregada de lavandaria fláviaJosé Palma
 
A habitação na idade média
A habitação na idade médiaA habitação na idade média
A habitação na idade médiaJosé Palma
 
Biografia de d afonso henriques
Biografia de d afonso henriquesBiografia de d afonso henriques
Biografia de d afonso henriquesJosé Palma
 
Fronteiras de portugal nicole
Fronteiras de portugal   nicoleFronteiras de portugal   nicole
Fronteiras de portugal nicoleJosé Palma
 
O relevo de portugal catalina
O relevo de portugal catalinaO relevo de portugal catalina
O relevo de portugal catalinaJosé Palma
 
Mapa do Algarve com legendagem em L.G.P.
Mapa do  Algarve com legendagem em L.G.P.Mapa do  Algarve com legendagem em L.G.P.
Mapa do Algarve com legendagem em L.G.P.José Palma
 
Serras e rios do algarve
Serras e rios do algarveSerras e rios do algarve
Serras e rios do algarveJosé Palma
 
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadioreth
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadiorethVisita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadioreth
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadiorethJosé Palma
 
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian mariana
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian marianaVisita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian mariana
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian marianaJosé Palma
 

Mais de José Palma (20)

Fotógrafo martinho
Fotógrafo martinhoFotógrafo martinho
Fotógrafo martinho
 
Auxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleAuxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicole
 
Pasteleiro guilherme
Pasteleiro guilhermePasteleiro guilherme
Pasteleiro guilherme
 
Modelo catalina
Modelo  catalinaModelo  catalina
Modelo catalina
 
Bombeiro bruno
Bombeiro brunoBombeiro bruno
Bombeiro bruno
 
Bombeiro david
Bombeiro davidBombeiro david
Bombeiro david
 
Manicure nadioreth
Manicure nadiorethManicure nadioreth
Manicure nadioreth
 
Empregada de lavandaria flávia
Empregada de lavandaria   fláviaEmpregada de lavandaria   flávia
Empregada de lavandaria flávia
 
Profissões
ProfissõesProfissões
Profissões
 
A habitação na idade média
A habitação na idade médiaA habitação na idade média
A habitação na idade média
 
Biografia de d afonso henriques
Biografia de d afonso henriquesBiografia de d afonso henriques
Biografia de d afonso henriques
 
Fronteiras de portugal nicole
Fronteiras de portugal   nicoleFronteiras de portugal   nicole
Fronteiras de portugal nicole
 
O relevo de portugal catalina
O relevo de portugal catalinaO relevo de portugal catalina
O relevo de portugal catalina
 
Mapa do Algarve com legendagem em L.G.P.
Mapa do  Algarve com legendagem em L.G.P.Mapa do  Algarve com legendagem em L.G.P.
Mapa do Algarve com legendagem em L.G.P.
 
Serras e rios do algarve
Serras e rios do algarveSerras e rios do algarve
Serras e rios do algarve
 
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadioreth
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadiorethVisita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadioreth
Visita ao museu de portimão e ao zoo lagos bruna nadioreth
 
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian mariana
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian marianaVisita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian mariana
Visita de estudo ao museu de portimão e ao zoo de lagos marian mariana
 
Cartas aos pais
Cartas aos paisCartas aos pais
Cartas aos pais
 
Ctt nadioreth
Ctt nadiorethCtt nadioreth
Ctt nadioreth
 
Ctt flávia
Ctt fláviaCtt flávia
Ctt flávia
 

Último

Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 

Último (20)

Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 

As cidades se c xix final

  • 1. E.B 2,3 Santo António – FaroDisciplina de História As cidades do século XIX Professor: José Palma Trabalho elaborado por: Adriana Guerreiro, nº1 9ºB Patrícia Nascimento,nº3 9ºB
  • 2. Índice Introdução Causas do crescimento das Cidades Revolução Industrial O Mundo Industrializado no século XIX Crescimento das Cidades -transportes -Novos espaços Públicos Via Comunicação e outras infra-estruturas Novas habitações A vida da população nas cidades A primazia da Burguesia Burguesia As classes populares Proletariado e os seus problemas O movimento operário Conclusões Bibliografia
  • 3. Introdução Nós escolhemos este tema, porque ele nos interessou ao vermos a lista de verificação do programa. Nós julgamos que este tema é muito importante para a nossa formação. Este trabalho é constituído por duas partes, pois ao elaborar o trabalho descobrimos que ele fazia mais sentido se se dividisse em dois. Planificámos, lemos o livro 8ºano, vimos um PowerPoint sobre a Historia das Cidades e um filme dos irmãos Lumiére sobre Lyon, resumimos e fizemos um PowerPoint para apresentar o trabalho. Também pesquisámos imagens na Internet.
  • 4. Causas do crescimento das Cidades
  • 5. Revolução Industrial Na 2ª metade do século XVIII, em Inglaterra foi inventada a máquina a vapor que, em conjunto com a modernização da agricultura, o aumento da população, a formação de grandes mercados e uma grande acumulação de capital permitiu a Revolução Industrial e também grandes mudanças na vida das pessoas e nas cidades.
  • 6. O Mundo Industrializado no século XIX Em 1870, em alguns países Alemanha, França, Japão e Estados Unidos aconteceram mudanças importantes na industria, com novas fontes de energia e novos inventos técnicos. O crescimento das novas industrias permitiu colocar nos mercados internacionais quantidades maciças de equipamento e bens de consumo. Para além de novas fontes de energia e de novas máquinas, a 2ºrevolução industrial foi, também, acompanhada por importantes inovações nos transportes e comunicações tais como: -construção de vias férreas e progressos na navegação.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Transportes Chora “Americano” Eléctrico Carro
  • 10. Novos Espaços Públicos Mercados Passeios Públicos
  • 11. Vias de comunicação(infra-estruturas O elevador de Santa Justa A Iluminação pública
  • 12. Lisboa, um trecho da Avenida da Liberdade, inO Bilhete Postal Ilustrado e a História de Lisboa, de José Manuel da Silva Passos. Coreto Cidade do Porto
  • 13. Mais ricos e com prestígios Homens de negócios, de leis ou médicos Burgueses Mais pobres Trabalhadores braçais e mendigos
  • 14. A vida da população nas cidades
  • 15. A primazia da Burguesia No século XIX, em resultado das revoluções liberal e industrial, formou-se uma nova sociedade –a sociedade de classes. Alta burguesia: industriais, banqueiros, donos das companhias comerciais; Pequena ou Média Burguesia (classe média): comerciantes, empregados do Estado e das empresas; Proletariado: operários e camponeses.
  • 16. Burguesia Uma festa particular As senhoras e os cavalheiros
  • 17. As classes populares Servente da Companhia do gás e vendedora de Capachos Vendedoras de galinhas e uvas Carvoeira e lavadeira Fábrica no Seixal
  • 18. Proletariado e os seus problemas Os camponeses e os operários tinham uma vida difícil, muitas das vezes eram obrigados a ir para as cidades ou emigrar para outros países. Os operários tinham uma vida muito dura: • O horário de trabalho era longo; • O trabalho era mal pago; • O desemprego era elevado; • A segurança nas fábricas e nas minas era muito deficiente; • Alimentavam-se mal e moravam em habitações sem condições; • Era afectado por muitos problemas sociais.
  • 19. O movimento operário Os operários viviam em grandes dificuldades. Naturalmente, a miséria levou-os à revolta. Por isso recorreram à destruição de máquinas e de instalações (ludismo). Assim, constituíram sociedades de socorros mútuos, cooperativas e sindicatos. O Estado, a princípio, não se preocupou com a sorte dos operários. Mas, progressivamente, tomou medidas em sua defesa: • Promulgou leis que proibiam o trabalho nas minas a mulheres e a crianças com menos de 9 anos; • Reduziu o horário de trabalho para 10 horas e, mais tarde para 8 horas; • Estabeleceu seguros contra acidentes nas fábricas. O direito à greve e à organização sindical foi igualmente reconhecido. Os sindicatos, para terem mais força, uniram-se a nível internacional. Por isso, em 1864, foi fundada a Associação Internacional do Trabalhadores.
  • 20. CONCLUSÕES Com este trabalho aprendemos que no século XIX, começou crescer das cidades porque as pessoas estavam desempregados no campo e foram para a cidade e foram trabalhar a indústria. Então, nas cidades começaram surgir novas habitações, novos espaços públicos, transportes, infra-estruturas e comércio. Nas cidades viviam burguesia e classes operárias. A vida da burguesia era mais fácil e tinha melhores condições de vida. A classe operária tinha uma vida mais difícil porque trabalhava muito horas nas fabricas e tinham salários muito baixos, por isso organizaram-se para lutar pelo seu direito.