Formulário motores

554 visualizações

Publicada em

Publicada em: Engenharia
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
554
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formulário motores

  1. 1. Ciclo Otto Processos: 1-2  Compressão isoentrópica. 2-3  Adição de calor a volume constante. 3-4  Expansão isoentrópica. 4-1  Rejeição de calor a volume constante. 1.1.1. Equacionamento Em todos os pontos vale a relação: T R V p    R = Constante dos Gases Para um Processo Isoentrópico k 2 2 k 1 1 p V  p V k 4 4 k 3 3 p V  p V Deduzindo k 1 V p    2 1 p k 2 2 V k 1 v p  r  p , portanto k 3 V k 1 v V k 4 k r   k 2 V V rv = relação de compressão Trabalho Realizado no Ciclo 1 2 Wc  q  q Wc q η 1   Calor que Entra no Ciclo   1 v 3 2 q  c T  T Calor que Sai do Ciclo   2 v 4 1 q  c T  T Rendimento Térmico do Ciclo q q 1 2 q 1 η   Pressão Média do Ciclo Wc  [kgf.m/m3] m V V 1 2 P  rv < 13  Ciclo Otto rv > 16  Ciclo Diesel cv  Calor Específico a Volume Constante cp  Calor Específico a Pressão Constante p c v c k  Pressão Média do Ciclo É a pressão hipotética constante que seria necessária no interior do cilindro durante a variação de volume. 1 kcal = 427 kgf.m
  2. 2. Potência Específica do Ciclo n x Wc Ne   n  [rps] Wc  [cv] Potência Efetiva do Ciclo N  Nem V v m  1 2 v  V V V  Volume Real m  Massa de Ar Ciclo Diesel Processos: 1-2  Compressão isoentrópica. 2-3  Adição de calor a pressão constante. 3-4  Expansão isoentrópica. 4-1  Rejeição de calor a volume constante. 1.1.2. Equacionamento Em todos os pontos vale a relação: p V  R T R = Constante dos Gases Para um Processo Isoentrópico k 2 2 k 1 1 p V  p V k 4 4 k 3 3 p V  p V Deduzindo k 1 V p    2 1 p k 2 2 V k 1 v p  r  p , portanto cv   k V k 1 v V k 2 r  rv = relação de compressão Trabalho Realizado no Ciclo 1 2 Wc  q  q Motor 2T  x=1 Motor 4T  x=2 rpm kgf.m cv  Calor Específico a Volume Constante cv  Calor Específico a Pressão Constante p c v c k  ATENÇÃO k 3 V v V k 4 r  Unidades Potência 60 75
  3. 3. Wc q η 1   Calor que Entra no Ciclo   1 p 3 2 q  c T  T Calor que Sai do Ciclo   2 v 4 1 T T c q   Rendimento Térmico do Ciclo T  T 4 1 3 2 v p T T c c η 1                                   1 T T k 1 T T r 1 η 1 2 3 k 2 3 k-1 v Pressão Média do Ciclo Wc  [kgf.m/m3] m V V 1 2 P  Potência Específica do Ciclo n x Ne  Wc  n  [rps] Wc  [cv] Potência Efetiva do Ciclo N  Nem V v m  1 2 v  V V V  Volume Real m  Massa de Ar 1 kcal = 427 kgf.m Motor 2T  x=1 Motor 4T  x=2 Unidades Potência rpm 60 kgf.m cv   75

×