SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral
Eixo de Controle e Processos Industriais
Curso: Técnico em mecânica
Disciplina: Elementos de Máquinas

Elementos de Fixação - Rebites

Prof. Jean Jefferson M. da Silva
Classificação
 Função dos elementos de fixação: Fixar ou unir partes

Elementos de Máquinas
Rebites

Elementos de Máquinas

O que é: Elemento metálico com cabeça
e corpo.
Quando usar: Situações em que não é
possível usar solda.
Material utilizado: Aço (comum ou
inox), alumínio, cobre e latão.
Aplicação: Fixação permanente de
duas ou mais peças.
Exemplos de aplicação: Estruturas
metálicas, caldeiras, aviões, navios, etc.
Rebites

Elementos de Máquinas
Rebites

Elementos de Máquinas

 Especificação
 Material
Tipo de cabeça
Diâmetro do corpo = d
Comprimento útil = L

 Distância mínima entre os centros dos rebites deverá ser de 3 vezes o diâmetro
do rebite.
 Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, a distância deverá ter 2 vezes
o diâmetro do rebite.
 O diâmetro do rebite deverá ser de 1,5 vezes a espessura da chapa de menor
espessura.
 O diâmetro do furo deverá ser de 1,06 vezes o diâmetro do corpo do rebite.
Dimensionamento

Elementos de Máquinas

Distribuição dos rebites:
Segundo a norma ABNT NB14, a distância mínima estabelecidas na junta são:
Na região intermediária, a distância mínima entre os centros dos rebites deverá ser três vezes
o diâmetro do rebite.
Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, a distância deverá ter duas vezes o
diâmetro do rebite na direção da carga.
Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, no sentido transversal da carga, a distância
deverá ter 1,5 (uma vez e meia) o diâmetro do rebite.
Rebites

 Comprimento Útil
 Para o cálculo do comprimento útil do rebite temos:
L = y.d + S onde:
L = Comprimento útil do rebite
y = Constante determinada pelo formato da cabeça do rebite
d = diâmetro do rebite
S = soma das espessuras das chapas
Para rebites da cabeça redonda e cilíndrica: L = 1,5.d + S
Para rebites de cabeça escareada temos: L = 1.d + S

Elementos de Máquinas
Tipos de rebitagem
Rebitagem de recobrimento
As chapas são apenas sobrepostas e rebitadas.
Empregado na fabricação de vigas e de estruturas metálicas.

Rebitagem de recobrimento simples
É destinada a suportar esforços e permitir fechamento ou
vedação.
É empregada na construção de caldeiras a vapor e
recipientes de ar comprimido.
Nessa rebitagem as chapas se justapõem e sobre elas
estende-se uma outra chapa para cobri-las.

Rebitagem de recobrimento duplo
Usada unicamente para uma perfeita vedação.
As chapas são justapostas e envolvidas por duas outras
chapas que as recobrem dos dois lados.

Elementos de Máquinas
Exercício

Elementos de Máquinas

1. No projeto de uma caldeira a vapor faz-se necessário rebitar duas chapas (recobrimento
simples), sendo suas espessuras 3mm e 4mm respectivamente. Os rebites utilizados serão
de cabeça redonda. Pede-se calcular:
a) O diâmetro do rebite a ser utilizado;
b) O diâmetro do furo necessário nas chapas;
c) O comprimento útil do rebite
d) A distância mínima entre os centros dos rebites;
e) As distâncias mínimas entre os rebites e as laterais das chapas
Rebites

 Processo de rebitagem manual

Elementos de Máquinas
Rebites

 Caso especial: Rebite de repuxo
 Muito utilizado na indústria
 Utilizado em chapas que não sofrerão grandes esforços

Elementos de Máquinas
Rebites

 Rebitadeira manual

Elementos de Máquinas
Elementos de Máquinas

Processos de rebitagem

Processo mecânico
É feito por meio de martelo pneumático ou de rebitadeiras pneumáticas e hidráulicas.

Rebitadeira pneumática
Rebitadeira hidráulica

O sistema manual é utilizado para rebitar em locais de difícil acesso ou peças pequenas.
O sistema mecânico tem maior rapidez e permite rebitamento mais resistente, pois o rebite
preenche totalmente o furo, sem deixar espaço.
Elementos de Máquinas

Dimensionamento

Quanto ao cisalhamento:

 

Q
n  Acis

Onde :

  tensão de cisalhamento
Q  Força aplicada
n  n de rebites
Acis  área cisalhada

Acis = área da seção transversal do rebite

Acis = 2 •(área da seção transversal do rebite)
Elementos de Máquinas

Dimensionamento
Quanto à pressão de contato (esmagamento):

 

Q
Q

n  Ab n  t  d

Onde :
 c  tensão de contato
Q  Força aplicada
n  n de rebites
Ab  projeção da área de contato  t  d

Quanto à resistência à tração na chapa:

t 

Q
Ap

Onde :
 c  tensão de tração nas chapas
Q  Força aplicada
Ap  área da seção transversal da chapa entre os rebites
Elementos de Máquinas

Exercício
Projetar a junta rebitada pra que suporte uma carga de
125 kN aplicada conforme a Figura. A junta deverá ter
5 rebites.
Considere:
Tensão de cisalhamento, t  105 MPa.
Tensão de contato, s  225 MPa.
Espessura da chapa: 8 mm

Quanto ao cisalhamento:

Quanto à pressão de contato:

Obs. 1: prevalece sempre o maior diâmetro para que as duas condições estejam satisfeitas.
Obs. 2: deve-se empregar diâmetros de rebites dentre os comercialmente disponíveis (neste caso, d = 18 mm).
Exercício
Distribuição (d = 18 mm):

Obs. 3: Determinação ds cotas de 38 mm:

Elementos de Máquinas
Exercício

Elementos de Máquinas

Determinar o domínio da relação entre a espessura da chapa
e o diâmetro do rebite em uma junta simplesmente cisalhada,
para que somente o dimensionamento ao cisalhamento seja
suficiente no projeto da junta.
Considere:
Tensão de cisalhamento, t  105 MPa.
Tensão de contato, s  225 MPa.
Para que somente o dimensionamento ao cisalhamento seja suficiente no projeto da junta, é indispensável que
o número de rebites necessários para suportar o cisalhamento (nc) seja maior ou igual ao número de rebites
necessários ao esmagamento (ne):
Rebites

 Defeitos

Elementos de Máquinas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fabricação mecânica i furação 1
Fabricação mecânica i   furação 1Fabricação mecânica i   furação 1
Fabricação mecânica i furação 1
Levi Oliveira
 
Manual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senaiManual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senai
izaudaMonteiro
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ordenaelbass
 
Apostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinasApostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinas
neydom
 
Aula 4 ensaios de dureza
Aula 4   ensaios de durezaAula 4   ensaios de dureza
Aula 4 ensaios de dureza
Alex Leal
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ordenaelbass
 

Mais procurados (20)

Tubulação industrial
Tubulação industrialTubulação industrial
Tubulação industrial
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercícios
 
Ferramentas Manuais
Ferramentas ManuaisFerramentas Manuais
Ferramentas Manuais
 
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
 
Fabricação mecânica i furação 1
Fabricação mecânica i   furação 1Fabricação mecânica i   furação 1
Fabricação mecânica i furação 1
 
Roscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelasRoscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelas
 
Nbr 5462 (2)
Nbr 5462 (2)Nbr 5462 (2)
Nbr 5462 (2)
 
Parafusos aula02-150403143538-conversion-gate01
Parafusos aula02-150403143538-conversion-gate01Parafusos aula02-150403143538-conversion-gate01
Parafusos aula02-150403143538-conversion-gate01
 
Rebites
RebitesRebites
Rebites
 
Manual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senaiManual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senai
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
 
Ciência dos materiais - fluência, resiliência e tenacidade
Ciência dos materiais - fluência, resiliência e tenacidadeCiência dos materiais - fluência, resiliência e tenacidade
Ciência dos materiais - fluência, resiliência e tenacidade
 
Resistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - TorçãoResistência dos Materiais - Torção
Resistência dos Materiais - Torção
 
Apostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinasApostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinas
 
Aula 4 ensaios de dureza
Aula 4   ensaios de durezaAula 4   ensaios de dureza
Aula 4 ensaios de dureza
 
Elementos de máquinas
Elementos de máquinasElementos de máquinas
Elementos de máquinas
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
 
Resistência dos materiais - Exercícios Resolvidos
Resistência dos materiais - Exercícios ResolvidosResistência dos materiais - Exercícios Resolvidos
Resistência dos materiais - Exercícios Resolvidos
 
Furação
FuraçãoFuração
Furação
 

Destaque

01 apresentação - rebites
01   apresentação - rebites01   apresentação - rebites
01 apresentação - rebites
Biel Bedendo
 
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINASAPRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃOELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ordenaelbass
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconian
Alex Fabiano Bueno
 

Destaque (18)

Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas
Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas SoldadasElementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas
Elementos de Máquina I - 11 Rebites e Juntas Soldadas
 
01 apresentação - rebites
01   apresentação - rebites01   apresentação - rebites
01 apresentação - rebites
 
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINASAPRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
 
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficasDESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
 
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIODESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
 
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTODESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
 
DESENHO TÉCNICO CORTE
DESENHO TÉCNICO  CORTEDESENHO TÉCNICO  CORTE
DESENHO TÉCNICO CORTE
 
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIALDESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
 
DESENHO TÉCNICO HACHURAS
DESENHO TÉCNICO HACHURASDESENHO TÉCNICO HACHURAS
DESENHO TÉCNICO HACHURAS
 
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO  MEIO CORTEDESENHO TÉCNICO  MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃOELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
 
DESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALADESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALA
 
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICADESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconian
 

Semelhante a ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES

Fabricação por usinagem
Fabricação por usinagemFabricação por usinagem
Fabricação por usinagem
Sérgio Maêda
 

Semelhante a ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES (20)

ELEMETOS DE MÁQUINA PARA INDUSTRIA GERAL
ELEMETOS DE MÁQUINA PARA INDUSTRIA GERALELEMETOS DE MÁQUINA PARA INDUSTRIA GERAL
ELEMETOS DE MÁQUINA PARA INDUSTRIA GERAL
 
Rebites
RebitesRebites
Rebites
 
05 reparos estruturais
05   reparos estruturais05   reparos estruturais
05 reparos estruturais
 
Aula 04 rebites iii
Aula 04   rebites iiiAula 04   rebites iii
Aula 04 rebites iii
 
Parafusos aula 2
Parafusos aula 2Parafusos aula 2
Parafusos aula 2
 
Daar_Horst_MaquinasElevacaoTransportesTalha.pdf
Daar_Horst_MaquinasElevacaoTransportesTalha.pdfDaar_Horst_MaquinasElevacaoTransportesTalha.pdf
Daar_Horst_MaquinasElevacaoTransportesTalha.pdf
 
Aula 3 e 4.pdf
Aula 3 e 4.pdfAula 3 e 4.pdf
Aula 3 e 4.pdf
 
Projetos Mecânicos - Transmissões.pdf
Projetos Mecânicos - Transmissões.pdfProjetos Mecânicos - Transmissões.pdf
Projetos Mecânicos - Transmissões.pdf
 
Elemento de maquina_quarta
Elemento de maquina_quartaElemento de maquina_quarta
Elemento de maquina_quarta
 
03 torneamento
03 torneamento03 torneamento
03 torneamento
 
Teoria da usinagem dos materiais
Teoria da usinagem dos materiaisTeoria da usinagem dos materiais
Teoria da usinagem dos materiais
 
machinery splines
machinery splinesmachinery splines
machinery splines
 
Transmissões.pptx
Transmissões.pptxTransmissões.pptx
Transmissões.pptx
 
Fresadoras 45 e 46
Fresadoras 45 e 46Fresadoras 45 e 46
Fresadoras 45 e 46
 
Aula 07 Furação Alargamento Roscamento SEM-0534 2017.pdf
Aula 07 Furação Alargamento Roscamento SEM-0534 2017.pdfAula 07 Furação Alargamento Roscamento SEM-0534 2017.pdf
Aula 07 Furação Alargamento Roscamento SEM-0534 2017.pdf
 
Processo de Conformacao - Estampagem
Processo de Conformacao - EstampagemProcesso de Conformacao - Estampagem
Processo de Conformacao - Estampagem
 
Fabricação por usinagem
Fabricação por usinagemFabricação por usinagem
Fabricação por usinagem
 
Apostila-estampagem
Apostila-estampagemApostila-estampagem
Apostila-estampagem
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Apostila elem.maq
Apostila elem.maqApostila elem.maq
Apostila elem.maq
 

Mais de ordenaelbass (7)

DESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTEDESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTE
 
DESENHO TÉCNICO COTAGEM
DESENHO TÉCNICO COTAGEMDESENHO TÉCNICO COTAGEM
DESENHO TÉCNICO COTAGEM
 
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICADESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
 
APOSOTILA SENAI 1
APOSOTILA SENAI 1APOSOTILA SENAI 1
APOSOTILA SENAI 1
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMESELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
 
CATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORESCATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORES
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 

Último (20)

APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 

ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES

  • 1. Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral Eixo de Controle e Processos Industriais Curso: Técnico em mecânica Disciplina: Elementos de Máquinas Elementos de Fixação - Rebites Prof. Jean Jefferson M. da Silva
  • 2. Classificação  Função dos elementos de fixação: Fixar ou unir partes Elementos de Máquinas
  • 3. Rebites Elementos de Máquinas O que é: Elemento metálico com cabeça e corpo. Quando usar: Situações em que não é possível usar solda. Material utilizado: Aço (comum ou inox), alumínio, cobre e latão. Aplicação: Fixação permanente de duas ou mais peças. Exemplos de aplicação: Estruturas metálicas, caldeiras, aviões, navios, etc.
  • 5. Rebites Elementos de Máquinas  Especificação  Material Tipo de cabeça Diâmetro do corpo = d Comprimento útil = L  Distância mínima entre os centros dos rebites deverá ser de 3 vezes o diâmetro do rebite.  Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, a distância deverá ter 2 vezes o diâmetro do rebite.  O diâmetro do rebite deverá ser de 1,5 vezes a espessura da chapa de menor espessura.  O diâmetro do furo deverá ser de 1,06 vezes o diâmetro do corpo do rebite.
  • 6. Dimensionamento Elementos de Máquinas Distribuição dos rebites: Segundo a norma ABNT NB14, a distância mínima estabelecidas na junta são: Na região intermediária, a distância mínima entre os centros dos rebites deverá ser três vezes o diâmetro do rebite. Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, a distância deverá ter duas vezes o diâmetro do rebite na direção da carga. Da lateral da chapa até o centro do primeiro furo, no sentido transversal da carga, a distância deverá ter 1,5 (uma vez e meia) o diâmetro do rebite.
  • 7. Rebites  Comprimento Útil  Para o cálculo do comprimento útil do rebite temos: L = y.d + S onde: L = Comprimento útil do rebite y = Constante determinada pelo formato da cabeça do rebite d = diâmetro do rebite S = soma das espessuras das chapas Para rebites da cabeça redonda e cilíndrica: L = 1,5.d + S Para rebites de cabeça escareada temos: L = 1.d + S Elementos de Máquinas
  • 8. Tipos de rebitagem Rebitagem de recobrimento As chapas são apenas sobrepostas e rebitadas. Empregado na fabricação de vigas e de estruturas metálicas. Rebitagem de recobrimento simples É destinada a suportar esforços e permitir fechamento ou vedação. É empregada na construção de caldeiras a vapor e recipientes de ar comprimido. Nessa rebitagem as chapas se justapõem e sobre elas estende-se uma outra chapa para cobri-las. Rebitagem de recobrimento duplo Usada unicamente para uma perfeita vedação. As chapas são justapostas e envolvidas por duas outras chapas que as recobrem dos dois lados. Elementos de Máquinas
  • 9. Exercício Elementos de Máquinas 1. No projeto de uma caldeira a vapor faz-se necessário rebitar duas chapas (recobrimento simples), sendo suas espessuras 3mm e 4mm respectivamente. Os rebites utilizados serão de cabeça redonda. Pede-se calcular: a) O diâmetro do rebite a ser utilizado; b) O diâmetro do furo necessário nas chapas; c) O comprimento útil do rebite d) A distância mínima entre os centros dos rebites; e) As distâncias mínimas entre os rebites e as laterais das chapas
  • 10. Rebites  Processo de rebitagem manual Elementos de Máquinas
  • 11. Rebites  Caso especial: Rebite de repuxo  Muito utilizado na indústria  Utilizado em chapas que não sofrerão grandes esforços Elementos de Máquinas
  • 13. Elementos de Máquinas Processos de rebitagem Processo mecânico É feito por meio de martelo pneumático ou de rebitadeiras pneumáticas e hidráulicas. Rebitadeira pneumática Rebitadeira hidráulica O sistema manual é utilizado para rebitar em locais de difícil acesso ou peças pequenas. O sistema mecânico tem maior rapidez e permite rebitamento mais resistente, pois o rebite preenche totalmente o furo, sem deixar espaço.
  • 14. Elementos de Máquinas Dimensionamento Quanto ao cisalhamento:   Q n  Acis Onde :   tensão de cisalhamento Q  Força aplicada n  n de rebites Acis  área cisalhada Acis = área da seção transversal do rebite Acis = 2 •(área da seção transversal do rebite)
  • 15. Elementos de Máquinas Dimensionamento Quanto à pressão de contato (esmagamento):   Q Q  n  Ab n  t  d Onde :  c  tensão de contato Q  Força aplicada n  n de rebites Ab  projeção da área de contato  t  d Quanto à resistência à tração na chapa: t  Q Ap Onde :  c  tensão de tração nas chapas Q  Força aplicada Ap  área da seção transversal da chapa entre os rebites
  • 16. Elementos de Máquinas Exercício Projetar a junta rebitada pra que suporte uma carga de 125 kN aplicada conforme a Figura. A junta deverá ter 5 rebites. Considere: Tensão de cisalhamento, t  105 MPa. Tensão de contato, s  225 MPa. Espessura da chapa: 8 mm Quanto ao cisalhamento: Quanto à pressão de contato: Obs. 1: prevalece sempre o maior diâmetro para que as duas condições estejam satisfeitas. Obs. 2: deve-se empregar diâmetros de rebites dentre os comercialmente disponíveis (neste caso, d = 18 mm).
  • 17. Exercício Distribuição (d = 18 mm): Obs. 3: Determinação ds cotas de 38 mm: Elementos de Máquinas
  • 18. Exercício Elementos de Máquinas Determinar o domínio da relação entre a espessura da chapa e o diâmetro do rebite em uma junta simplesmente cisalhada, para que somente o dimensionamento ao cisalhamento seja suficiente no projeto da junta. Considere: Tensão de cisalhamento, t  105 MPa. Tensão de contato, s  225 MPa. Para que somente o dimensionamento ao cisalhamento seja suficiente no projeto da junta, é indispensável que o número de rebites necessários para suportar o cisalhamento (nc) seja maior ou igual ao número de rebites necessários ao esmagamento (ne):