4 doutrina social da igreja pessoa humana e perfis

903 visualizações

Publicada em

pessoa humana 2

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
903
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 doutrina social da igreja pessoa humana e perfis

  1. 1. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 1 Doutrina Social da Igreja (4)1. A pessoa humana e os seus vários perfis a) Unidade da pessoa humana O homem foi criado por Deus como unidade de alma e corpo.Alma espiritual e imortal é o princípio de unidade do ser humano. Mediante a sua corporeidade, o homem unifica em si os elementos domundo material. Não é lícito desprezar a vida corporal; o homem deve estimar ehonrar o seu corpo, porque foi criado por Deus e destinado à ressurreição noúltimo dia. O homem tem duas diferentes características: é um ser material, ligadoa este mundo mediante o seu corpo, e um ser espiritual, aberto à transcendência eà descoberta de uma verdade mais profunda. O espírito e o corpo formam nohomem uma única natureza b) Aberta à transcendência. O homem é aberto ao infinito, isto é, a Deus, porque com suainteligência e a sua vontade se eleva acima de toda a criação e de si mesmo,torna-se independente e livre de toda a criação e de si mesmo, e tende a verdade eao bem absoluto. c) Única e irrepetível O homem existe como ser único e irrepetível. É um ser inteligente econsciente. A pessoa humana há de ser sempre compreendida na sua irrepetível einalienável singularidade. O homem existe, com efeito, antes de tudo comosubjectividade, como centro de consciência e de liberdade, cuja história única enão comparável com nenhuma outra. d) Respeito da dignidade humana Uma sociedade justa só pode ser realizada no respeito pela dignidadetranscendente da pessoa humana. A ordem social e o progresso devem ordenar-se ao bem das pessoas.
  2. 2. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 2 Em nenhum caso a pessoa humana pode ser instrumentalizada para finsalheios ao seu próprio progresso. Não pode ser instrumentalizada para projectosde carácter económico, social e político.e) Liberdade da pessoa O homem pode orientar-se para o bem somente na liberdade que Deus lhedeu como sinal altíssimo da Sua imagem. A liberdade não se opõe à dependência criatura do homem para comDeus. A Revelação ensina que o poder de determinar o bem e o mal não pertenceao homem, mas somente a Deus (cf. Gn2,16-17) O exercício da liberdade implica a referência a uma lei moral natural, decarácter universal, que precede todos os direitos e deveres. A lei natural A Lei natural é a luz do intelecto infusa por Deus em nós, graças à qualconhecemos o que se deve fazer e o que se deve evitar. É natural porque a razão que a promulga é a própria natureza humana. É Universal porque se estende a todos os homens. Esta exposta no decálogo. A liberdade é misteriosamente inclinada ao mal. Por isso a liberdade dohomem necessita, de ser libertada. Cristo liberta o homem do seu amordesordenado a si mesmo.f) Igualdade em dignidade de todas as pessoas humana Deus não faz acepção de pessoas (At 10,34), pois todos os homens têm amesma dignidade de criaturas à sua imagem e semelhança. A encarnação doFilho de Deus manifesta a igualdade de todas as pessoas quanto à dignidade. Emcada homem resplandece algo da glória de Deus. O masculino e o feminino diferenciam dois indivíduos de igual dignidade,são diversos não opostos, porque o específico feminino é diferente do específicomasculino, esta diversidade é complementar, enriquecedora e indispensável parauma harmoniosa convivência humana.
  3. 3. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 3g) Sociabilidade humana A pessoa é constitutivamente um ser social, porque assim a quisDeus que a criou. A natureza do homem manifesta-se como ser livre eresponsável, que reconhece a necessidade de integrar-se e de colaborar comos próprios semelhantes e é capaz de comunhão com eles na ordem doconhecimento e do amor: «Uma sociedade é um conjunto de pessoasligadas de maneira orgânica por um princípio de unidade que ultrapassacada uma delas. A sociabilidade humana não é uniforme, mas assume multíplicesexpressões.Questionário: 1- Como foi criado o homem? 2- Quais são as duas diferentes características da pessoa humana? 3- Por que dizemos que o homem está aberto ao infinito? 4- Como é a existência humana? 5- Como se constrói uma sociedade justa? 6- Como se orienta o homem para o bem? 7- Que implica o exercício da liberdade? 8- Como devemos entender a diferencia entre Masculino e feminino? 9- Por que o homem vive em sociedade? 10- Que é uma sociedade? 11- Que é a lei natural? 12- Por que esta lei é natural, Universal e onde está exposta?2. Documento de trabalho:O Homem. Afirmar que o homem é criado à imagem de Deus significa que ele é capaz deconhecer e amar, na liberdade, o próprio Criador. É a única criatura, nesta terra, que Deusquis por si mesma e que chamou a partilhar a sua vida divina, no conhecimento e no amor.Enquanto criado à imagem de Deus, o homem tem a dignidade de pessoa: não é uma coisamas alguém, capaz de se conhecer a si mesmo, de se dar livremente e de entrar emcomunhão com Deus e com as outras pessoas. Deus criou tudo para o homem, mas o homem foi criado para conhecer, servir eamar a Deus, para Lhe oferecer neste mundo toda a criação em acção de graças e para serelevado à vida com Deus no céu. Só no mistério do Verbo encarnado se esclarece
  4. 4. Jorge E. Brandán – - Doutrina Social da Igreja - 4verdadeiramente o mistério do homem, predestinado a reproduzir a imagem do Filho deDeus feito homem, que é a perfeita «imagem de Deus invisível» (Col 1, 15). Todos os homens formam a unidade do género humano, graças à sua comumorigem em Deus. Para além disso, Deus criou «a partir de um só homem todo o génerohumano» (Act 17,26). Todos têm também um único Salvador e todos são chamados apartilhar a eterna felicidade de Deus. A pessoa humana é um ser ao mesmo tempo corpóreo e espiritual. O espírito e amatéria, no homem, formam uma única natureza. Esta unidade é tão profunda que, graçasao princípio espiritual que é a alma, o corpo, que é material, se torna um corpo humano evivo e participa na dignidade de imagem de Deus. A alma espiritual não vem dos pais, mas é criada directamente por Deus e éimortal. Separando-se do corpo no momento da morte, ela não perece; voltará a unir-senovamente ao corpo, no momento da ressurreição final. O homem e a mulher foram criados por Deus com uma igual dignidade enquantopessoas humanas e, ao mesmo tempo, numa complementaridade recíproca enquantomasculino e feminino. Deus quis que fossem um para o outro, para uma comunhão depessoas. Juntos são também chamados a transmitir a vida humana, formando nomatrimónio «uma só carne» (Gn 2, 24), e a dominar a terra como «administradores» deDeus. Deus, criando o homem e a mulher, tinha-lhes dado uma participação especial naprópria vida divina, em santidade e justiça. Segundo o projecto de Deus, o homem nãodeveria nem sofrer nem morrer. Além disso, reinava uma harmonia perfeita no próprio serhumano, entre a criatura e o criador, entre o homem e a mulher, bem como entre oprimeiro casal humano e toda a criação.Questionário:1 Em que sentido o homem é criado «à imagem de Deus»?2 Para que fim Deus criou o homem?3 Porque é que os homens constituem uma unidade?4 Como é que, no homem, a alma e o corpo formam uma unidade?5 Quem dá a alma ao ser humano?6 Que relação Deus estabeleceu entre o homem e a mulher?7 Qual era a condição originária do homem segundo o projecto de Deus?

×