Teleconferência 3 t12

242 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
242
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teleconferência 3 t12

  1. 1. Teleconferência – Resultados 3T12 – 08/11/2012
  2. 2. Aviso Importante “Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros, e referências ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao seu desempenho futuro. Estas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto estão sujeitas a mudanças.” 2
  3. 3. Destaques do Período - 3T12 vs 3T11 • Volume de vendas:  Mineral crisotila: cresceu 6,1%  Fibrocimento: retraiu 12,8%  Telhas de concreto: reduziu 2,7% • Receita líquida atinge R$ 230 milhões, crescimento de 7,9% • Margem Bruta de 43%, evolução de 2 p.p. • EBTIDA cresceu 6,9% e atingiu R$ 45,3 milhões, com margem de 20% • Lucro líquido atinge R$ 27,1 milhões com pequena retração de 0,8% • Investimentos somam R$ 23,5 milhões, evolução de 53,5% • Início do julgamento do amianto no Supremo Tribunal Federal 3
  4. 4. O Grupo Eternitdiversificada indústria de coberturas do País – 9M12 Fabricação de produtos de Fabricação de fibrocimento e comercialização de telhas de concreto louças, metais sanitários e Mineração de e comercialização Atividade componentes para sistemas Crisotila de louças construtivos sanitárias Fábricas 4 1 1 6 Líder em fibrocimento 3ª maior do Líder em telhas de Market Share - 32% mundo concreto Posição de 5ª maior do Brasil em louças Market Share – Market Share – Mercado sanitárias 15% 35% Capacidade 1 milhão de t / fibrocimento 300 mil t 10 milhões de m² Anual Capacidade Fibrocimento – 80% 100% 60% Utilizada 4
  5. 5. Produto Tradicional – Mineral Crisotila Principal aplicação do Amianto Crisotila: 99% da produção mundial de crisotila é utilizada para produtos de fibrocimento. Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila 5
  6. 6. duto Tradicional – Telhas de Fibrocimento 6
  7. 7. o do Portfólio – Telhas e Engradamentos Metálicos 7
  8. 8. rsificação do Portfólio – Placas e Painéis 8
  9. 9. ficação do Portfólio – Caixas d’água e filtros 9
  10. 10. ção do Portfólio – Louças e Assentos Sanitários 10
  11. 11. rsificação do Portfólio – Metais Sanitários 11
  12. 12. sificação do Portfólio – M ármore Sintético 12
  13. 13. sificação do Portfólio – Telhas de Concreto 13
  14. 14. cação do Portfólio – Acessórios para Telhados 14
  15. 15. Visão Geral – SAMA
  16. 16. rcado Mundial – Mineral Crisotila – 2011 Canadá 4% Rússia – 50% Cazaquistão – 11% China – 20% Brasil 15% Consumo Mundial (em MM de T) 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2,1 2,3 2,3 2,4 2,4 2,1 2,2 2,2 16
  17. 17. as do Mineral Crisotila (em mil toneladas) 9M12 x 9M11 3T12 x 3T11 • Mercado Interno – redução 8,5% • Mercado Interno – redução 5,5% • Mercado Externo – aumento 14,4% • Mercado Externo – aumento 20,8% -3,8% 1,5% 226,2 220,8 217,7 -14,6% 6,1% 120,4 123,4 112,9 81,3 73,7 69,5 105,8 107,9 42,8 38,7 36,6 94,3 38,5 30,8 37,1 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 Mercado Interno Mercado Externo 17
  18. 18. Visão Geral – Eternit e Tégula
  19. 19. Mercado de Cobertura – Brasil - 2011 Mercado Residencial Mercado Industrial/Comercial Cerâmicas Concreto Outros 45% 4% 11% Fibrocimento Metálicas 38% 40% Fibrocimento 51% Cerâmicas 11% Mercado Total Evolução do Mercado (milhões de m²) -2% 8% 5% 10% Metálicas Concreto Outros 8% 12% 4% 2% 5% Cerâmicas 35% Fibrocimento 47% Fonte: Estimativa da Cadeia Produtiva do Fibrocimento 19
  20. 20. das de Fibrocimento* (em mil toneladas) 8,4% - 11,9% 644,5 594,8 568,2 12,9% - 12,8% 231,7 205,3 201,9 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 * Inclui componentes para sistemas construtivos 20
  21. 21. Telhas de Concreto (em mil m ²) 15,0% -1,6% 4.389 4.319 3.818 9,2% -2,7% 3.341 1.588 1.546 1.454 477 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 * A Tégula foi adquirida em 11 de fevereiro de 2010. Os 477 mil m 2 não foram consolidados na Eternit. 21
  22. 22. Desempenho Econômico – Financeiro
  23. 23. eita Líquida Consolidada (em R$ milhões) 9,5% 8,5% 651,0 600,3 548,0 6,6% 7,9% 534,2 463,5 533,3 213,0 229,8 199,7 190,4 186,8 169,4 84,5 67,0 116,8 30,3 22,6 43,0 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 Mercado Interno Mercado Externo 23
  24. 24. mposição da Receita Líquida Consolidada 2007 9M12 Telhas de Fibr ocim ent o Concr et o e 59,3% Fibr ocim ent o Acessór ios 50,2% 10,0% Novos Novos Out r os ( * ) Negócios Negócios 5,7% 5,7% 17,8% Louças Miner al Miner al Sanit ár ias Crisot ila Cr isot ila 5,3% 35,0% 32,0% Out r os ( * * ) 2,5% (*) Outros: telhas metálicas, caixas d’água de polietileno e componentes para sistemas construtivos . (**) Outros: telhas metálicas, caixas d’água de polietileno, assentos sanitários, filtros para tubulações de água, metais sanitários, componentes para sistemas construtivos e mármore sintético . 24
  25. 25. mposição do Custo de Produção – 3T12 Fibrocimento Mineral Crisotila (*) - Combustível, explosivos, embalagens, entre outros (*) - Cimento (45%), mineral crisotila (41%) e outros (14%) Telhas de Concreto (***) - Cimento ( 56%), areia (29%) e outros (15%) 25
  26. 26. EBITDA (em R$ milhões) - 9,1% 30,4% 130,7 110,3 100,3 10,4% 6,9% 42,3 45,3 38,3 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 26
  27. 27. Lucro Líquido (em R$ milhões) - 11,0% 29,1% 84,0 73,1 65,1 6,9% - 0,8% 25,6 27,3 27,1 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 27
  28. 28. Margens 45% 44% 45% 43% 41% 39% 20% 20% 19% 20% 20% 17% 13% 13% 13% 13% 12% 11% 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 Margem Bruta Margem EBITDA Margem Líquida 28
  29. 29. Investimentos
  30. 30. Investimentos (em R$ milhões) 107 30 80 3 14 21 44 10 34 34 5 24 12 21 210 13 2 15 5 46 1 3 10 4 10 16 20 17 3 11 2 5 7 Previsão0 9M10 9M11 9M12 3T10 3T11 3T12 2012* Investimentos Correntes Aumento de Capacidade – Eternit Aumento de Capacidade – Tégula Equipamentos e Caminhões SAMA Novos Negócios Aquisição Tégula Administrativo Fábrica e Louças - CSC 30
  31. 31. ção da Unidade Multiprodutos – Pecém, Ceará Cimenteira Linha Gás Natural 35 km 15 km Terreno de 400 mil m² 31
  32. 32. produtos no Ceará – Fábrica de Louças Sanitárias Joint-Venture: Companhia Sulamericana de Cerâmica S. A. 60% de participação 40% de participação Conhecimento do mercado local Conhecimento de tecnologia de Forte rede de distribuição produção e de produtos Baixo custo de produção Logística eficiente Experiência em desenvolvimento Força da marca de novos produtos Recursos para investimentos Experiência em desenvolvimento Conhecimento do Brasil de novos mercados Investimentos: R$ 97 milhões Capacidade: 1.500.000 peças / ano Status das obras: iniciadas Prazo para conclusão: dezembro de 2013 Estimativa de Faturamento Bruto a plena capacidade: na ordem de R$ 127 milhões Mão de obra direta: 330 colaboradores 32
  33. 33. Mercado de Capitais
  34. 34. Estrutura Acionária – Out/12 Destaques Geração L. Par. F. I. A. 15,25% Luiz Barsi Filho 13,53% Victor Adler + VIC DTVM 8,50% Diretoria 1,54% Ações em Tesouraria 0,03% Membro Conselho de Administração Desde Sergio Alexandre Melleiro (*) 1993 Lírio Albino Parisotto (*) 2004 Pessoas Físicas Élio A. Martins 2007 Pessoas Jurídicas Luiz Barsi Filho 2008 Marcelo Munhoz Auricchio 2011 Residentes no Exterior Luis Terepins (*) 2011 Clubes, Fundos e Fundações Benedito Carlos Dias da Silva (*) 2012 (*) Conselheiro Independente Membro Conselho Consultivo FREE-FLOAT 76,10% Desde Guilherme Affonso Ferreira 2011 Mário Fleck 2011 Victor Adler 2012 34
  35. 35. Liquidez Média Diária – Volume Número de Acionistas de Negócios (em R$ mil) (*) Até outubro de 2012 35
  36. 36. de Remuneração – Lucro líquido vs. Proventos Em R$ milhões Pay Out 76 % 79 % 74% 64% 102 97 84 81 73 72 55 54 2009 2010 2011 2012( * ) Lucro Líquido Dividendos e JCP (*) Até setembro de 2012 36
  37. 37. olítica de Remuneração – Dividend Yield 15,1% 10,9% 9,1% 9,3% 8,8% 9,0% 7,5% 7,5% 6,9% 6,9% 6,2% 4,9% 2009 2010 2011 2012 (*) Até setembro de 2012 Eternit – Yield(*) Poupança (*) CDB (*) Fonte: Eternit e BACEN 37
  38. 38. Desempenho da Ação (Dez/06 - Out/12) No período de 28/12/2006 a 31/10/2012, as ações da Eternit registraram valorização de 38,6% contra uma valorização do índice IBOVESPA de 28,3% . Neste mesmo período, considerando o pagamento de dividendos e JCP as ações da Eternit registraram valorização de 145,6%. 220 ETER3 IBOVESPA 200 R$ 8,40 180 160 140 120 100 57.068 80 60 40 38
  39. 39. Cenário do Setor
  40. 40. omento Positivo para Construção Civil 40
  41. 41. Indicadores Econômicos Disponibilidade de Taxa de Desemprego – Brasil Crédito Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas 11,6% 12,0% Físicas de Crédito (R$ bilhões) 10,6% 10,1% 9,9% 8,7% 8,5% 7,4% 6,4% 5,3%Fonte: BACEN *previsto Cesta Básica SP x Salário Mínimo (poder de compra) 622Fonte: IBGE e DIEESE 510 545 465 380 415 350 260 300 265 277 309 200 240 215 240 228 151 120 180 129 159 165 172 183 182 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Set-12 Salário Mínimo (R$) Cesta Básica em SP (R$) % 41
  42. 42. Redução da taxa de juros para financiamento de materiais deconstrução Para estimular as vendas de materiais de construção, o Banco do Brasil (BB), em parceria com a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (ANAMACO), anunciou no mês de setembro a nova linha de crédito para a aquisição de material de construção pelas pessoas físicas com taxa de juros reduzida. Segundo a ANAMACO, a Caixa Econômica Federal (CEF) também está otimizando suas ações, além de agilizar as operações do Construcard. A entidade deverá, ainda no mês de outubro, rever as operações do Caixa Fácil, com juros mais acessíveis também para facilitar os financiamentos para material de construção. Ainda nesta linha, tem destaque o programa João-de-Barro do Banco Bradesco, o qual vem ganhando espaço entre os correntistas por ser um produto bastante competitivo em termos de taxas e facilidade para obter o crédito. 42
  43. 43. nômicos – PIB vs. Receita Bruta Consolidada Eternit 37,1 16,8 18,3 15,7 11,6 8,6 8,2 7,5 5,0 5,4 5,1 3,6 2,7 2,5 1,6 3,9 ( 0,2) ( 6,3) 2007 2008 2009 2010 2011 2012( E) PIB Construção Civil (%) PIB Brasileiro (%) Eternit (%) (E) Estimado Fonte: BACEN. O crescimento da receita bruta consolidada da Eternit é comparado ao período acumulado de janeiro à setembro de 2012 vs. o mesmo período acumulado do ano de 2011, já deflacionado pelo IGP-M. 43
  44. 44. Crisotila – O amianto do Brasil
  45. 45. Crisotila – O amianto do Brasil O uso do mineral crisotila no Brasil é regulamentado pela Lei Federal 9.055/95, Decreto 2.350/97 e normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho. Também está previsto na Convenção 162 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Amianto branco Fibras curvas, sedosas e sem ponta Alta concentração de magnésio: 3MgOSiO2H2O Biopersistência*: 2,5 dias *Biopersistência: Tempo que uma partícula inalada permanece no pulmão antes de ser eliminada pelos mecanismos de defesa do organismo. Para provocar dano pulmonar, a fibra precisa ter capacidade de penetração e de durabilidade nos alvéolos. Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila 45
  46. 46. clui pesquisa inédita sobre os riscos do amianto Projeto Asbesto Ambiental “Exposição Ambiental ao Asbesto: Avaliação do Risco e Efeitos na Saúde” Processo CNPq n. 420001/2006-9 O resultado da pesquisa, realizada por renomados médicos ligados a importantes universidades federais brasileiras, divulgado 25 de novembro de 2010 em Brasília, comprova que: Em relação às avaliações da amostra dos moradores estudados, não foram encontradas alterações clínicas, funcionais respiratórias e tomográficas de alta resolução, passíveis de atribuição à inalação ambiental à fibras de asbesto. Na avaliação ocupacional, não se identificou novas alterações nem progressão do comprometimento pleural ou intersticial nos indivíduos do Grupo exposto após 1980, que fizeram Tomografia Computadorizada de Alta Resolução - TCAR nos dois estudos. A íntegra desta pesquisa está disponível em www.sectec.go.gov.br. 46
  47. 47. cisão do STF em relação ao uso do amianto no Brasil O Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou em 31/10/12 o julgamento de mérito em conjunto das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) 3357 que questiona a Lei do Rio Grande do Sul e da ADI n° 3937 em face da Lei do Estado de São Paulo. O eminente Ministro Ayres Britto iniciou o julgamento proferindo o seu voto pela constitucionalidade das leis estaduais enquanto o eminente Ministro Marco Aurélio proferiu o seu voto pela inconstitucionalidade das leis estaduais. Após a conclusão do voto do Ministro Marco Aurélio, o presidente do Supremo suspendeu os trabalhos. Lembramos que o julgamento de mérito se deu após exaustivos debates com a sociedade brasileira, por meio de audiência publica realizada pelo STF, em 24 e 31 de agosto de 2012, conduzida pelo Ministro Marco Aurélio e que contou com a presença pontual dos também Ministro Ricardo Lewandowski e Ministra Rosa Weber. Portanto, o STF deverá agendar nova data para conclusão do julgamento de mérito das mencionadas ADIs como das demais. 47
  48. 48. Reconhecimentos – 3T12 Eternit : “Prêmio Destaques Eternit e SAMA: “150 Eternit: Prêmio “150 Melhores da Engenharia Civil” na Melhores Empresas para em Práticas de Gestão de categoria material de Você Trabalhar” pela Recursos PGPs” e “Destaque construção – telha de revista Você S/A e Exame na Dimensão Qualidade de fibrocimento – eleita pelo Vida”, pela revista Gestão e RH Instituto Mineiro de Engenharia (IMEC) Prêmio SESI de Qualidade no Trabalho Eternit : “Prêmio (PSQT) 2012: ANAMACO 2012” na As unidades São Paulo, categoria na categoria Rio de Janeiro, Simões telhas de fibrocimento, Filho, Precon Goiás e e menção honrosa na Goiânia foram premiadas categoria grandes pelo SESI em diversas clientes do segmento categorias de louças sanitárias 48
  49. 49. Eternit – Opção de Investimento ETNTY Governança ADR - Level I Marca Crescimento Visão de Eternit com Futuro Dividendos Assista ao Filme Institucional Eternit através deste QR Code. Case de Sucesso 49
  50. 50. Mais Informações Élio A. Martins Paula Dell Agnolo Barhum elio.martins@eternit.com.br paula.barhum@eternit.com.br Rodrigo Lopes da Luz Frederico Gomes Amaral rodrigo.luz@eternit.com.br frederico.amaral@eternit.com.br Telefones: (55-11) 3038-3818 www.eternit.com.br/ri (55-11) 3194-3881 www.blogdaeternit.com.br (55-11) 3194-3872 @Eternit_RI Rua Dr. Fernandes Coelho, 85 - 8⁰ Andar Este material foi produzido com papeis certificados FSC (Forest Stewardship Council), que é uma Bairro: Pinheiros – São Paulo / SP garantia de que a matéria-prima advém de uma floresta manejada de forma ecologicamente correta, socialmente e economicamente Cep: 05423-040 viável. 50
  51. 51. Eternit Inicia Novo Ciclo Bem Vindos aos próximos 70 anos 51

×