Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15

417 visualizações

Publicada em

Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
109
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reunião 01/10/2015 - APIMEC-MG 2T15

  1. 1. Reunião APIMEC-MG | Apresentação dos Resultados 2T15
  2. 2. Aviso Importante “Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais e financeiros, e referências ao potencial de crescimento da Companhia, constituem meras previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao seu desempenho futuro. Estas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto estão sujeitas a mudanças.” 2
  3. 3. O Grupo Eternit Atividade Fabricação de produtos de fibrocimento e soluções construtivas e revenda de metais sanitários Mineração de Crisotila Fabricação de telhas de concreto Fabricação de louças sanitárias Fábricas 4 1 1 6 1 Posição de Mercado - 2014 Líder em fibrocimento 3ª maior do mundo Líder em telhas de concreto 5ª maior do Brasil em louças sanitárias Capacidade Anual 1 milhão de t 280 mil t 105.000 mil peças Período de ramp-up A maior e mais diversificada indústria de coberturas do País 3
  4. 4. Localização Estratégica Mineradora de crisotila Filial de vendas Sede e showroom Fábrica de telhas de concreto Fábrica de fibrocimento Fábrica de louças sanitárias Unidade de pesquisa, desenvolvimento e produção de insumos para materiais de construção (em implantação) As unidades industriais do Grupo Eternit estão localizadas em todas regiões do Brasil. 4
  5. 5. Portfólio Mineração Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila Mineral Crisotila (Após beneficiamento) 5
  6. 6. Portfólio Caixas d’água e Soluções Construtivas Coberturas Telhas Metálicas Telhas de Concreto Telhas de Fibrocimento Soluções Construtivas Caixas d’água de polietileno 6
  7. 7. Portfólio Acessórios para Coberturas 7
  8. 8. Portfólio Banheiros Assentos Sanitários Louças Sanitárias Metais para cozinhas Metais Sanitários Cozinhas 8
  9. 9. Desempenho Operacional
  10. 10. 1S15 x 1S14 • Mercado Interno – inferior em 7,9% • Mercado Externo – redução de 3,4% 2T15 x 2T14 • Mercado Interno – redução de 4,5% • Mercado Externo – retração de 6,3% 10 -5,3% Vendas do Mineral Crisotila (mil toneladas) Mercado Interno Mercado Externo -11,0% -6,0%4,3%
  11. 11. Mercado de Cobertura - Brasil - 2014 Mercado Residencial Mercado Industrial/Comercial Mercado Total Evolução do Mercado (milhões de m²) Metálicas 16% Cerâmicas 33% Fibrocimento 46% Outros 3% Fibrocimento 34%Metálicas 54% Outros 6% Cerâmicas 6% Concreto 2% Fonte: Estimativa da Cadeia Produtiva do Fibrocimento Cerâmicas 45% Fibrocimento 51% Concreto 2% Outros 2% 11
  12. 12. 12 Vendas de Fibrocimento (mil toneladas) -1,8%-2,2% -0,4%2,0%
  13. 13. 13 Telhas de Concreto (mil peças) -27,0% -19,0% -27,7% -7,7%
  14. 14. Informações Econômico - Financeiras
  15. 15. 15 Mercado Interno Mercado Externo Receita Líquida Consolidada (R$ milhões) 7,2% -8,6% 5,3%2,6% 2T15 x 2T14 • Mercado Interno – aumento de 1,0% • Mercado Externo – crescimento de 36,8% 1S15 x 1S14 • Mercado Interno – superior em 0,5% • Mercado Externo – acréscimo de 28,6%
  16. 16. 16 Fibrocimento Mineral Crisotila Telhas de Concreto (*) Cimento (44%), mineral crisotila (42%) e outros (14%) (**) Combustível, explosivos, embalagens, entre outros (***) Cimento (55%), areia (29%) e outros (16%) Composição do Custo de Produção e Mineração
  17. 17. EBITDA Ajustado (R$ milhões) e Margem EBITDA Ajustada (%) 17 15,5% -22,7% 15,7% -8,9%
  18. 18. 18 Lucro Líquido (R$ milhões) e Margem Líquida (%) -7,4% -33,2% -11,2% -14,4%
  19. 19. 19 Origem da Dívida Fluxo de amortização Endividamento 30/06/13 30/06/14 30/06/15 Dívida bruta - curto prazo 55,6 55,8 109,3 Dívida bruta - longo prazo 34,4 48,2 46,1 Caixa e equivalentes de caixa (6,6) (5,0) (13,3) Aplicações financeiras de curto prazo (49,5) (44,4) (21,2) Dívida líquida 33,9 54,6 120,9 EBITDA (últimos 12 meses) 185,3 169,3 168,5 Dívida líquida / EBITDA x 0,18 0,32 0,72 EBITDA ajustado (últimos 12 meses) 187,5 176,4 191,7 Dívida líquida / EBITDA ajustado x 0,18 0,31 0,63 Dívida líquida / PL 6,9% 10,7% 23,4% Endividamento (R$ milhões) * A dívida a título das Antecipações dos Contratos de Câmbio e Exportações (ACC e ACE), que representam 62% da dívida em moeda estrangeira, está protegida naturalmente com o contas a receber em moeda estrangeira oriundas das exportações do crisotila. *
  20. 20. 20 Investimentos (R$ milhões)
  21. 21. Mercados de Capitais
  22. 22. Estrutura de Governança Corporativa Assembleia Geral Ordinária Comitê de Auditoria, Controladoria e Tesouraria Comitê de Divulgação, Responsa- bilidade Socioambiental e Jurídico Comitê de Planejamento Estratégico Comitê de Recursos Humanos Conselho Fiscal Conselho de Administração Presidência* Controles Internos Auditoria Interna Diretoria de Mineração Diretoria Industrial Diretoria de Rec. Humanos Diretoria Comercial** Dir. Adm. Financeira Dir. Relações Investidores* * Acumula função **Acumula função Diretoria de Novos Negócios** 22
  23. 23. 23 Destaques Geração L. Par. F. I. A. 13,80% Luiz Barsi Filho 13,75% Victor Adler 7,04% Diretoria 1,22% Ações em Tesouraria 0,03% Pessoas Físicas Pessoas Jurídicas Residentes no Exterior Clubes, Fundos e Fundações FREE-FLOAT 84,5% Conselho de Administração Membro desde Luis Terepins* - Presidente 2011 Lírio Albino Parisotto* 2004 Marcelo Munhoz Auricchio* 2011 Leonardo Deeke Boguszewski* 2014 Marcelo Gasparino da Silva* 2014 Luiz Barsi Filho* 2015 Raphael Manhães Martins* 2015 *Conselheiro independente de acordo com o Regulamento do Novo Mercado da BM&FBOVESPA. Conselho Fiscal Membro desde André Eduardo Dantas 2013 Paulo Henrique Z. Funchal 2013 Benedito Carlos Dias da Silva 2015 Luciano Luiz Barsi 2015 Robert Juenemann 2015 Estrutura Acionária – Ago/15 68,0% 1,8% 8,4% 21,8% ago/15
  24. 24. Liquidez 24 Número de Acionistas Média Diária – Volume de Negócios (em R$ mil) 2013 2014 2015* 8.240 9.357 10.336 (*) Até agosto de 2015 2013 2014 2015* 882 489 480
  25. 25. 25 Política de Remuneração Lucro líquido vs. Proventos (R$ milhões) Pay Out ProventosLucro Líquido
  26. 26. Desempenho da Ação 26 No período de 29/08/2014 a 31/08/2015, as ações da Eternit registraram desvalorização de 50,5% contra uma desvalorização do índice IBOVESPA de 23,9%. Neste mesmo período, considerando o pagamento de dividendos e JCP as ações da Eternit registraram desvalorização de 44,8%. 40 60 80 100 120 140 ago-14 nov-14 fev-15 mai-15 ago-15 ETER3 IBOVESPA ETER3 com div. e JCP pagos *Na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 24 de setembro de 2014, foi aprovada a proposta de desdobramento das ações ordinárias, sendo que cada 1 (uma) ação atual passou a ser representada por 2 (duas) ações da mesma espécie e sem modificação do capital social. R$ 2,08 46.625
  27. 27. Perspectivas - Cenário do Setor
  28. 28. 28 Indicadores Econômicos Fonte: BACEN Salário Mínimo x Cesta Básica SP (poder de compra) Disponibilidade de Crédito Taxa de Desemprego – Brasil *dados preliminares Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas Físicas de Crédito (R$ bilhões) * 4,3% 4,3% 6,2% 7,5% 2.715 3.018 3.061 3.111
  29. 29. Déficit Habitacional Região Geográfica Até 3 Salários Mínimos 3 a 5 Salários Mínimos 5 a 10 Salários Mínimos Acima de 10 Salários Mínimos Déficit Habitacional Norte 438 67 54 17 576 Nordeste 1.361 208 168 54 1.791 Sudeste 1.791 273 221 71 2.356 Sul 460 70 57 18 605 Centro-Oeste 353 54 44 14 465 Déficit Habitacional Total Aproximado 4.403 672 544 174 5.793 Segundo estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a redução do déficit foi impulsionada pelo apoio às famílias por meio do programa Minha Casa, Minha Vida e a estimativa é que em 2024, com o crescimento da população, o País terá aproximadamente 16,4 milhões de novas famílias, sendo 10 milhões com renda familiar de até três salários mínimos. O levantamento da FGV também destaca que a equalização do déficit habitacional demandará investimentos de aproximadamente R$ 760 bilhões em habitação popular ao longo de dez anos. Fontes: Estudo realizado pela Fundação João Pinheiro em 2012, órgão oficial de estatística de Minas Gerais (resultados preliminares), e PNAD 2012 Em mil unidades 29
  30. 30. PIB Brasileiro x PIB Construção Civil x ABRAMAT x Receita Bruta Consolidada Eternit¹ (%) Fonte: *BACEN – projeção do PIB brasileiro e da construção civil no ano. ** ABRAMAT – projeção das vendas internas deflacionadas de materiais de construção no ano. 1 ETERNIT – O crescimento da receita bruta consolidada da Eternit é comparando o período acumulado de janeiro a junho de 2015 vs. o mesmo período acumulado de 2014, já deflacionado pelo IGP-M. 30
  31. 31. Crisotila – O amianto do Brasil
  32. 32. 32 Rocha de serpentinito com fibras de minério crisotila Amianto branco Fibras curvas, sedosas e sem ponta Alta concentração de magnésio: 3MgOSiO2H2O Biopersistência*: 2,5 dias *Biopersistência: Tempo que uma partícula inalada permanece no pulmão antes de ser eliminada pelos mecanismos de defesa do organismo. Para provocar dano pulmonar, a fibra precisa ter capacidade de penetração e de durabilidade nos alvéolos. Para mais informações sobre o tema acesse: http://www.eternit.com.br/ri Crisotila – O amianto do Brasil O uso do mineral crisotila no Brasil é regulamentado pela Lei Federal 9.055/95, Decreto 2.350/97 e normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego. Também está previsto na Convenção 162 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
  33. 33. Gestão Corporativa e Socioambiental
  34. 34. Gestão Corporativa Criação .................. Novembro de 2004 Objetivo ................. Contribuir para o melhor entendimento da sociedade a respeito da extração e beneficiamento do mineral crisotila e da fabricação de produtos de fibrocimento de forma controlada e responsável. Abrangência .......... Cinco unidades produtivas do Grupo Eternit e a mina da SAMA Visitantes ............... Mais de 69 mil até agosto de 2015 Público ................... Sociedade em Geral Programa Portas Abertas 34
  35. 35. Gestão com Foco Ambiental Projeto Quelônios - Área de Preservação Animal Único criadouro de Tartarugas da Amazônia no Brasil e Reintegração de Animais Silvestres a Natureza em parceria com o IBAMA Rejeito Zero Monitoramento da Qualidade do Ar Reutilização da Água Reflorestamento de Bancadas Viveiro de Mudas 35
  36. 36. Gestão com Foco Social Inserida nas comunidades de suas áreas de atuação, a Eternit dá suporte ao desenvolvimento socioeconômico e cultural das regiões por meio do apoio a iniciativas sociais. São patrocinados integralmente pela Eternit e suas controladas o Programa Portas Abertas e projeto Sambaíba. Confira alguns dos projetos sociais apoiados pela Eternit e suas controladas nas comunidades em que atuam: 36
  37. 37. 37 Telefones: (55-11) 3194-3881 (55-11) 3194-3872 Este material foi produzido com papéis certificados FSC (Forest Stewardship Council), que é uma garantia de que a matéria-prima advém de uma floresta manejada de forma ecologicamente correta, socialmente e economicamente viável. www.blogdaeternit.com.br www.eternit.com.br/ri Nelson Pazikas nelson.pazikas@eternit.com.br Paula D. A. Barhum Macedo paula.barhum@eternit.com.br Rodrigo Lopes da Luz rodrigo.luz@eternit.com.br @Eternit_RI Rua Dr. Fernandes Coelho, 85 - 8⁰ Andar Bairro: Pinheiros – São Paulo / SP Cep: 05423-040 Thiago Scheider thiago.scheider@eternit.com.br Mais Informações

×