PPP 2014 CEJA

1.178 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PPP 2014 CEJA

  1. 1. PROJETO POLÍTICO PEDÁGOGICO SÃO JOAQUIM/SC, 2013
  2. 2. Sumário INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................................. 8 1. APRESENTAÇÃO................................................................................................................................................10 1.1. Descrição e Características da Instituição.................................................................................................10 1.1.1. Histórico.................................................................................................................................................................11 1.2. Origem e Valores da Clientela Atendida ...................................................................................................13 1.3. Objetivo Geral ...........................................................................................................................................13 1.4. Expectativas Educacionais para o período dos anos letivos 2009 – 2010 METAS ....................................13 1.5. Expectativas Educacionais para o período dos anos letivos 2011 - METAS ..............................................14 1.6. Expectativas Educacionais para o ano letivo de 2012- METAS.................................................................15 1.7. Expectativas Educacionais para o ano letivo de 2013- METAS.................................................................15 1.8. Resultados obtidos em 2009 no Ensino Fundamental e Médio (dados de repetência, evasão e relação idade /série). ...........................................................................................................................................................16 1.9. Estratégias para recuperação para os alunos de baixo rendimento.........................................................16 2. PAPEL DA ESCOLA.............................................................................................................................................18 2.1. Da concepção filosófica / pedagógica ......................................................................................................18 3. PROPOSTA CURRICULAR...................................................................................................................................21 3.1. No Cotidiano da Escola .............................................................................................................................21 3.2. Currículo....................................................................................................................................................21 3.3. Matriz Curricular – 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013 Lei nº074..................................................................22 3.4. Matriz curricular 2010 Ensino Fundamental/Ensino por Oficinas.............................................................26 3.5. Matriz curricular 2010 Ensino Médio/Ensino por Oficinas........................................................................27 3.6. Terminalidade Ensino por Oficinas............................................................................................................29 3.7. Matriz curricular ensino médio presencial – 2011/4 fases .......................................................................30 3.8. Matriz Curricular- Ensino Fundamental Presencial - 2012........................................................................32 3.9. Matriz Curricular Ensino Médio Presencial ...............................................................................................32 3.10. Conceitos essenciais das disciplinas curriculares – Ensino fundamental ..................................................33 3.10.1. Matemática ......................................................................................................................................................34 3.10.2. Língua Portuguesa ............................................................................................................................................36 3.10.3. Língua Estrangeira - Inglês................................................................................................................................37 3.10.4. Ciências.............................................................................................................................................................38 3.10.5. História .............................................................................................................................................................40 3.10.6. Geografia ..........................................................................................................................................................43 3.10.7. Artes .................................................................................................................................................................46 3.11. Conceitos essenciais por disciplina - 2º segmento ....................................................................................48 3.12. Ensino Médio.............................................................................................................................................51 3.12.1. Matemática ......................................................................................................................................................51 3.12.2. Língua Portuguesa e Literatura.........................................................................................................................54 3.12.3. Língua Estrangeira – Inglês ...............................................................................................................................55 3.12.4. Física .................................................................................................................................................................57 3.12.5. Biologia.............................................................................................................................................................57 3.12.6. Química.............................................................................................................................................................59 3.12.7. História .............................................................................................................................................................59 3.12.8. Geografia ..........................................................................................................................................................60 3.12.9. Artes .................................................................................................................................................................62 3.12.10. Filosofia.............................................................................................................................................................63 3.12.11. Sociologia..........................................................................................................................................................64 3.13. Educação Especial – Sala de recursos (Para Deficientes Visuais)..............................................................65 3.13.1. Matemática ......................................................................................................................................................67 3.13.2. Inclusão Social ..................................................................................................................................................67 3.14. Metodologia de ensino e sistema de avaliação ensino – aprendizagem..................................................69 3.15. Conceitos essenciais por disciplina- 2º segmento e ensino médio – diretrizes/2010................................71 3.16. Currículo do Ensino Médio ........................................................................................................................74 3.16.1. Conceitos essenciais por disciplina área de linguagens, códigos e suas tecnologias........................................74
  3. 3. 3.16.2. Língua Portuguesa e Literatura.........................................................................................................................76 3.16.3. Língua Estrangeira Moderna.............................................................................................................................77 3.16.4. Artes .................................................................................................................................................................78 3.16.5. Ciências humanas e suas tecnologias ...............................................................................................................79 3.16.6. História .............................................................................................................................................................80 3.16.7. Geografia ..........................................................................................................................................................81 3.16.8. Sociologia..........................................................................................................................................................83 3.16.9. Filosofia.............................................................................................................................................................83 3.16.10. Ciências da natureza e suas tecnologias...........................................................................................................84 3.16.11. Biologia.............................................................................................................................................................86 3.16.12. Física .................................................................................................................................................................88 3.16.13. Química.............................................................................................................................................................89 3.16.14. Educação Física.................................................................................................................................................90 3.18.14. Matemática e suas tecnologias ........................................................................................................................91 3.17. Relação professor/aluno...........................................................................................................................93 3.18. Pressupostos de Aprendizagem ................................................................................................................93 3.19. Prática Escolar ..........................................................................................................................................93 4. DIMENSÃO ADMINISTRATIVA ..........................................................................................................................94 4.1. Aspectos Gerais da Organização Escolar ..................................................................................................94 4.2. Regime de Funcionamento- 2009 - 2010 ..................................................................................................94 4.3. Regime de Funcionamento - 2011 ............................................................................................................95 4.4. Regime de Funcionamento - 2012 ............................................................................................................95 4.5. Da Matrícula .............................................................................................................................................96 4.5.1. Legislação 2011/2012 ............................................................................................................................................96 4.6. Frequência.................................................................................................................................................97 4.7. Expedição de Documentos Escolares ........................................................................................................97 4.8. O número de alunos por série e, ou turmas, em cada nível e sua justificativa dentro da filosofia proposta 100 4.9. As normas de Organização e Convivência da Comunidade Escolar........................................................100 4.10. A função Social e Pública de cada integrante da Comunidade Escolar...................................................100 4.10.1. Direção............................................................................................................................................................100 4.10.2. Da assistente de educação .............................................................................................................................101 4.10.3. Do cargo de Analista Técnico em Gestão Educacional ...................................................................................102 4.10.4. Do cargo de assistente técnico pedagógico....................................................................................................103 4.10.5. Dos serviços gerais:.........................................................................................................................................104 4.10.6. São atribuições dos serventes: .......................................................................................................................105 5. O CORPO DOCENTE ........................................................................................................................................106 5.1. Compete ao corpo docente:....................................................................................................................106 6. CORPO DISCENTE............................................................................................................................................108 6.1. Direitos dos alunos..................................................................................................................................108 6.2. Deveres dos alunos .................................................................................................................................108 6.3. Da indisciplina dos alunos.......................................................................................................................108 6.4. Da AFPAC ................................................................................................................................................109 7. DO CONSELHO DELIBERATIVO ........................................................................................................................110 7.1. Atribuições do Conselho Deliberativo Escolar.........................................................................................110 7.2. Do conselho de classe .............................................................................................................................111 7.3. Formação acadêmica do corpo docente, diretivo administrativo e serviços gerais - 2009 ....................112 7.4. Formação acadêmica do corpo docente, diretivo administrativo e serviços gerais - 2010 ....................113 7.5. Formação acadêmica do corpo docente, diretivo administrativo e serviços gerais - 2011. ...................115 7.6. Formação acadêmica do corpo docente, diretivo administrativo e serviços gerais - 2012. ...................116 7.7. Formação acadêmica do corpo docente, diretivo administrativo e serviços gerais - 2013. ...................118 7.8. Orientações sobre o diário de classe.......................................................................................................119 7.9. Planejamento Geral e Avaliação Institucional ........................................................................................120 7.10. Propostas de Articulação com as Organizações da Sociedade Civil........................................................120 8. DIMENSÃO FINANCEIRA .................................................................................................................................121
  4. 4. 9. DIMENSÃO FÍSICA - 2009................................................................................................................................122 9.1. Espaço Físico Secretaria..........................................................................................................................122 9.2. Espaço Físico Pedagógico........................................................................................................................122 9.3. Banheiros ................................................................................................................................................122 9.4. Instalações ..............................................................................................................................................122 10. DIMENSÃO FÍSICA – 2010 E 2011....................................................................................................................123 10.1. Espaço Físico Secretaria..........................................................................................................................123 10.2. Banheiros ................................................................................................................................................123 10.3. Cozinha e Refeitório ................................................................................................................................123 10.4. Salas de Aula...........................................................................................................................................123 11. DIMENSÃO FÍSICA – 2012 ...............................................................................................................................124 12. METAS AÇÕES E RESPONSÁVEIS .....................................................................................................................125 12.1. Projetos...................................................................................................................................................125 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS................................................................................................................................127 ANEXOS...................................................................................................................................................................128
  5. 5. LISTA DE TABELAS Tabela 1. Quadro de direção.............................................................................................12 Tabela 2. Dados Estatísticos – Ensino Fundamental e Médio – 2011. .............................16 Tabela 3. Organização curricular por oficinas. ..................................................................22 Tabela 4. Organização curricular modularizado EF 1. ......................................................23 Tabela 5. Organização curricular modularizado EF 2. ......................................................23 Tabela 6. Organização curricular modularizado EM 1.......................................................24 Tabela 7. Organização curricular modularizado EM 2.......................................................25 Tabela 8. Organização curricular modularizado EM 3.......................................................25 Tabela 9. Quadro matriz/duração aula/hora e horas semanais disciplina/oficina..............26 Tabela 10. Matriz curricular 2010 ensino fundamental por Oficinas..................................26 Tabela 11. Quadro matriz/duração aula/hora e horas semanais disciplina/oficina............28 Tabela 12. Matriz Ensino Médio/Ensino por Oficinas. .......................................................28 Tabela 13. Matriz curricular ensino médio presencial 1ª fase. ..........................................30 Tabela 14. Matriz curricular ensino médio presencial 2ª fase. ..........................................30 Tabela 15. Matriz curricular ensino médio presencial 3ª fase. ..........................................30 Tabela 16. Matriz curricular ensino médio presencial 4ª fase. ..........................................31 Tabela 17. Grade curricular ensino fundamental 2012......................................................32 Tabela 18. Matriz curricular ensino médio presencial. ......................................................33 Tabela 19. Quadro de Recursos Humanos - 2009..........................................................112 Tabela 20. Formação acadêmica corpo docente - 2010. ................................................114 Tabela 21. Formação acadêmica corpo docente – 2011.................................................115 Tabela 22. Formação acadêmica corpo docente – 2012.................................................117 Tabela 23. Formação acadêmica corpo docente – 2013.................................................118
  6. 6. LISTA DE IMAGENS Imagem 1. Digitalização da Resolução nº42.....................................................................99
  7. 7. LISTA DE ABREVIATURAS CEJA: Centro de Educação de Jovens e Adultos GERED: Gerência Regional de Educação GEREI: Gerência Regional de Educação e Inovação EJA: Ensino de Jovens e Adultos NAES: Núcleo Avançado de Educação Supletiva NTE: Núcleo de Tecnologia Educacional PO: Professor Orientador de Tecnologia PPP: Projeto Político Pedagógico STE: Sala de tecnologia Educacional UE: Unidade escolar
  8. 8. 8 INTRODUÇÃO Somos seres humanos e desde que nascemos precisamos conviver com outros seres humanos. Ao nascermos ganhamos a vida; e a convivência que ela nos dá tem finalidade grandiosa, já que, cada um de nós e todos juntos, trabalhamos para o aperfeiçoamento da vida. É possível perceber que nossas vidas estão sendo modificadas de forma cada vez mais rápida e intensa. Embora estejamos afetados por fatos novos, novas informações, novas condições, novas ameaças e novas oportunidades, parecendo que não temos conseguido fazer parte destas transformações. Por isso o homem precisa estar atento as grandes e imediatas transformações. Partindo do princípio de que toda ação pedagógica que norteia esta escola é força política de toda a comunidade. O homem é sujeito da construção do seu conhecimento. É através da interação, que o homem constrói seu conhecimento de mundo e o representa. Este Projeto Político Pedagógico pretende articular a comunidade escolar do CEJA, em torno de sua função social educacional e transformadora. Para tanto, se faz necessário um roteiro que facilite o desenvolvimento do trabalho coletivo na escola, partindo do princípio de que toda ação pedagógica que norteia esta escola é força política de toda a comunidade. No que tange o objetivo principal, o esforço concentra-se em apontar soluções, buscar realizações e subsídios que sirvam como tópicos que podem ser trabalhados no processo de elaboração, desenvolvimento e inovação do novo ato de planejar, tendo sempre a visão de homem e jovem se quer formar. O trabalho está centrado nos seguintes pressupostos:  A condição de não crianças;  A condição de excluídos de escolas regulares;  A condição de membros de determinados grupos culturais. Assim sendo, o objetivo principal será trabalhar de forma coletiva em um contexto histórico-cultural e social do aluno, de modo a prepará-lo para participar de todas as mudanças, como sujeito de sua história. Busca-se assim a visão de uma expansão dos
  9. 9. 9 horizontes pessoais e do desenvolvimento biopsicossocial do indivíduo, além da observação das dimensões econômicas, fortalecendo uma visão mais participativa, crítica e reflexiva.
  10. 10. 10 1. APRESENTAÇÃO 1.1. Descrição e Características da Instituição O CEJA (Centro de Educação de Jovens e Adultos de São Joaquim/SC) é uma instituição voltada para a educação de jovens e adultos, que visa atender pessoas que não tiveram a oportunidade para concluir seus estudos na idade prevista. Tendo em vista que toda a escola tem o seu perfil de educando, traçamos o perfil dos alunos com base em um questionário onde os alunos expuseram seus valores.  Por que tiveram que interromper seus estudos? R. Nesta questão a maioria respondeu que não tiveram oportunidade devido a inúmeras causas: falta de interesse, falta de transporte escolar, por causa do trabalho, para ajuda familiar, casamento muito precoce também a chegada dos filhos.  Qual o motivo levou a retomar os estudos? R. Com essa questão obtivemos os seguintes resultados: necessidade devido ao mercado de trabalho, elevar autoestima, para aprender uns com os outros e para obter mais conhecimento.  Dentre estes valores abaixo relacionados quais são os fundamentais para sua vida? R. Os mais citados foram: 1. Religião - Todos responderam que é fundamental na vida ter uma religião e na sua maioria se declararam católicos. 2. Família - Os alunos tiveram respostas semelhantes, fundamental para suas vidas, força de apoio, princípio da vida, base de tudo, imprescindível para ter equilíbrio na vida. 3. Trabalho - Sinônimo de sobrevivência, essencial, dignidade, ajuda financeira. 4. Educação - Muito importante para vida, direito de todos e dever do estado promovida e incentivada como colaboração da sociedade,
  11. 11. 11 importante, sem educação não se chega a lugar algum, é fundamental através da educação podemos mudar o mundo, dela depende o futuro do Brasil, importante para resolver os problemas do dia a dia. Nossa clientela é composta por trabalhadores que lutam por melhores condições de vida; filhos de trabalhadores com baixa escolaridade; desempregados que buscam uma colocação no mercado de trabalho; mulheres que desejam auxiliar seus filhos nas tarefas escolares e realizar-se pessoal e profissionalmente; pessoas idosas que procuram alfabetizar-se para melhorar sua vida no dia-a-dia; empregadas domésticas e outros, onde mais ou menos 40% localizam-se na zona rural e outros 60% na zona urbana, fazendo – se necessário oferecer uma educação que possa atender expectativas da demanda de quem a procura. Segundo Cury “os trabalhadores conscientes do valor da educação para a construção de uma cidadania ativa e para uma formação contemporânea, tomam a EJA como um espaço de direito e como lugar de desenvolvimento humano e profissional.” (IN, EJA Orientações 2005, p.7). Dessa forma a escola deve oferecer uma educação de qualidade a todos os que a frequentam, para que possam usufruir com dignidade o exercício de sua cidadania. Este projeto pretende articular a comunidade escolar em torno de sua função sócio - educacional e transformadora, onde possa ser um instrumento de inserção com qualidade para que o indivíduo possa utilizar em sua prática cotidiana. O CEJA (Centro de Educação de Jovens e Adultos de São Joaquim/SC) é uma instituição voltada para a educação de jovens e adultos, que visa atender pessoas que não tiveram a oportunidade para concluir seus estudos na idade prevista. 1.1.1. Histórico Na Constituição Federal de 1988 fica garantida a obrigatoriedade da educação básica para jovens e adultos, comprometimento que “visa o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.” (CF, Art.205).
  12. 12. 12 No Art.208 define-se que o ensino fundamental é “obrigatório e gratuito, assegurada, inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ele não tiveram acesso na idade própria”. Na Lei nº9394/1996, a noção de ensino supletivo desaparece e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) fica caracterizada como uma modalidade da Educação Básica, de caráter permanente e a serviço do pleno desenvolvimento do educando. Em seu art.37 é dito que a EJA “será destinada àqueles que não tiveram acesso à continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria”. Assim, a modalidade é incluída no ensino regular, ficando diferenciada do ensino “livre”, como os cursos de idiomas, por exemplo. A Secretaria do Estado da Educação e inovação, pelo órgão competente encaminha para apreciação deste Colegiado processo em que solicita a autorização para funcionamento da Educação de Jovens e Adultos em níveis Fundamental e Médio, no Centro de Educação- CEJA, a ser oferecido no Município de São Joaquim/SC. A GEREI - Gerência Regional de Educação e Inovação, de São Joaquim, após análise, encaminha o processo à Secretaria de Estado de Educação e Inovação, para as “devidas providências”. E nesse contexto de mudança e valorização da EJA que o Centro de Educação de Jovens e adultos foi criado pelo decreto nº 2426 de 08/09/2004, por uma ação da Secretaria de Desenvolvimento Regional de São Joaquim – SDR 28, desvinculando-se o NAES-SJ, do CEJA da cidade de Lages. Através do processo de descentralização a ser a sede polo da região que compõe os municípios da 28ª Regional do Estado. A Partir do ano de 2004, o CEJA-São Joaquim foi instituído com a seguinte gestão: Tabela 1. Quadro de direção. 2004 2009 2010 - 2013 Gestora: Marilu de Fátima Oliveira Pereira Período: 10/08/2004 a 30/01/2009 Empossada pela portaria nº. 10161 Gestora: Angelita Goulart Camargo Góss. Período: 07/07/2009 a 31/12/2009 Empossada pela portaria nº. 1826 de 07/07/2009. Gestora: Valdete de Figueiredo Período: 01/2010 até os dias atuais Empossada pela portaria nº. 982 15/04/2010
  13. 13. 13 Assessora de Direção: Ana Rita Coral Rodrigues. Período: 07/03/2007 Empossada pela portaria nº. 749 17/04/2007 1.2. Origem e Valores da Clientela Atendida Nossa clientela é composta por trabalhadores que lutam por melhores condições de vida; filhos de trabalhadores com baixa escolaridade; desempregados que buscam uma colocação no mercado de trabalho; mulheres que desejam auxiliar seus filhos nas tarefas escolares e realizar-se pessoal e profissionalmente; pessoas idosas que procuram alfabetizar-se para melhorar sua vida no dia-a-dia; empregadas domésticas e outros, onde mais ou menos 40% localizam-se na zona rural e outros 60% na zona urbana, fazendo – se, necessário oferecer uma educação que possa atender expectativas da demanda de quem a procura. Segundo Cury “os trabalhadores conscientes do valor da educação para a construção de uma cidadania ativa e para uma formação contemporânea, tomam a EJA como um espaço de direito e como lugar de desenvolvimento humano e profissional.” (IN, EJA Orientações 2005, p.7). Dessa forma a escola deve oferecer uma educação de qualidade a todos os que a frequentam, para que possam usufruir com dignidade o exercício de sua cidadania. 1.3. Objetivo Geral Oferecer uma educação com função reparadora, equalizadora e qualificadora, proporcionando instrumentos que permitam a inserção no mundo do trabalho e na vida social. 1.4. Expectativas Educacionais para o período dos anos letivos 2009 – 2010 METAS
  14. 14. 14  Mudar de prédio;  Construir uma sede própria;  Cedência de um carro próprio;  Ter um laboratório de informática;  Ampliação da biblioteca;  A EJA profissionalizante;  Palestras – saúde x mulher;  Sustentabilidade - queimadas, turismo, água;  Condições para que as expectativas sejam atendidas;  Cursos de capacitação para professores de EJA;  Planejamento com os professores;  Organização de currículo temático regional;  Calendário de visita;  Calendário de oficinas;  Palestra civismo e cidadania;  Criação de hábitos e atitudes;  Festa Junina. 1.5. Expectativas Educacionais para o período dos anos letivos 2011 - METAS  Mudar de prédio;  Construir uma sede própria;  Cedência de um carro próprio;  Ter um laboratório de informática;  Socialização e recreação (professores e alunos);  Educação voltada para a qualidade;  Condições para que as expectativas sejam atendidas;  Cursos de capacitação para professores de EJA;  Palestra civismo e cidadania;  Criação de hábitos e atitudes;  Festa Junina.
  15. 15. 15 1.6. Expectativas Educacionais para o ano letivo de 2012- METAS  Planejamento com os professores;  Instalação de laboratório de informática;  Palestras;  Instalar torneiras em locais adequados com a finalidade de facilitar a limpeza da unidade escolar;  Socialização e recreação (professores e alunos);  Educação voltada para a qualidade;  Contratação de uma cozinheira;  Conscientizar os alunos sobre a importância do ato de estudar valorizando desde a refeição que é servida ao ambiente escolar;  Diminuir o número de desistências;  Melhorar a rede elétrica;  Curso de Formação Continuada. 1.7. Expectativas Educacionais para o ano letivo de 2013- METAS  Planejamento com os professores;  Instalação de laboratório de informática;  Palestras;  Motivação – dia internacional da mulher;  Saúde Preventiva;  Socialização e recreação (professores e alunos);  Educação voltada para a qualidade;  Contratação de uma cozinheira;  Conscientizar os alunos sobre a importância do ato de estudar, valorizando desde a refeição que é servida ao ambiente escolar;  Diminuir o número de evasão escolar e aumentar o número de alunos;  Melhorar a rede elétrica.
  16. 16. 16 1.8. Resultados obtidos em 2009 no Ensino Fundamental e Médio (dados de repetência, evasão e relação idade /série). 2009 - Ensino Médio:  Número alunos cursando: 920  Número de repetências: 30  Número de Evasões: 276 2009 - Ensino Fundamental:  Número de alunos cursando incluindo os NAES: 489  Número de Repetências: 16  Número de Evasões: 182 Tabela 2. Dados Estatísticos – Ensino Fundamental e Médio – 2011. Turma Turno Matric. Inicial Aprov Reprov Evasão Transf. Matric. Final 1º ano 2 º ano 3 º ano 4 º ano Not. 14 04 02 08 06 5 º ano Not. 6 º ano Not. 7 º ano Not. 8 º ano Not. 1407 894 11 493 14 905 1º EM Not. 2º EM Not. 3º EM Not. 1.198 874 16 307 01 890 Total 2.619 1772 29 808 15 1801 1.9. Estratégias para recuperação para os alunos de baixo rendimento. Conforme resolução nº. 158, § 1º os estabelecimentos de ensino deverão oferecer, a título de recuperação paralela de estudos, novas oportunidades de aprendizagem, sucedidas de avaliação, sempre que verificado o rendimento insuficiente (inferior a 70%) durante os bimestres ou trimestres, antes do registro das notas bimestrais ou trimestrais.
  17. 17. 17 O processo avaliativo dos CEJA(s) leva em consideração a educação na sua totalidade, concebida coletivamente, onde o professor e o aluno são sujeitos dos processos de ensino e aprendizagem, com o objetivo comum de apropriação do conhecimento científico, que capacite o indivíduo a encontrar alternativas para dar melhor encaminhamento às propostas de soluções dos problemas do dia a dia. Partindo deste princípio, a avaliação escolar é feita no decorrer do processo, sendo, sempre que necessário à retomada de estudos e a possibilidade de recuperação paralela. Na Educação de Jovens e Adultos são consideradas as peculiaridades inerentes aos alunos, como: idade, condições socioeconômicas e culturais, expectativas, características individuais, ritmos de aprendizagem no decorrer do processo, conhecimento de jovens e adultos já possuem internalizados, enfim, considerados todos os aspectos relevantes para atingir um grau satisfatório de interação motivacional e de propostos. A auto avaliação também é adotada frequentemente como prática em todas as disciplinas, pois a mesma possibilita ao aluno a reflexão crítica permanentemente descobrindo como está a sua aprendizagem e se esta se encontra dentro das expectativas das atividades escolares e consequentemente, o seu crescimento pessoal. A avaliação tem também a função de orientar os procedimentos de ensino. Serve para oportunizar ao professor a tomada de decisões no, planejamento do seu fazer pedagógico, para que ele possa ir além do nível de desenvolvimento real dos alunos, comprometendo – se com o processo de aprendizagem dos mesmos, superando, assim, o senso comum. Na avaliação, os CEJA segue na integra o disposto na resolução nº. 158/2008/CEE. Os estabelecimentos de ensino deverão oferecer, a título de recuperação paralela de estudos, novas oportunidades de aprendizagem, sucedidas de avaliação, sempre que verificado o rendimento insuficiente (inferior a 70%) durante os bimestres ou trimestres, antes do registro das notas bimestrais ou trimestrais. Com respaldo na resolução esta UE, oferecerá aos alunos que não conseguiram alcançar a média o direito a recuperação paralela sendo esta oferecida através de: Trabalhos de pesquisa, elaboração e reelaboração de textos, exercícios, atividades diversificadas, etc.
  18. 18. 18 2. PAPEL DA ESCOLA 2.1. Da concepção filosófica / pedagógica Os seres humanos desde seu nascimento precisam aprender a conviver com o outro e com o contexto social no qual está inserido, ampliando e entendendo sua capacidade social. A sociedade sofre modificações cada vez mais rápidas e intensas, e embora o planeta Terra seja afetado por inúmeros fatos, informações, condições climáticas, ambientais, fatores econômicos, ameaças nos mais variados setores, e oportunidades diversas, o homem precisa estar atento as grandes e imediatas transformações do século XXI. Segundo FREIRE, “a educação deve estimular a colaboração, a tomada de consciência social e a política para uma participação crítica do sujeito em sua realidade”. De acordo com a Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina (1997), no Brasil há mais de 35 milhões de pessoas maiores de quatorze anos que não completaram os quatro anos de escolaridade mínima. Apesar da existência de muitos programas criados pelo governo federal visando diminuir esse índice, ainda é muito alto o número de pessoas analfabetas ou que ainda não completaram a escolaridade prevista por fatores já citados anteriormente. O CEJA - Centro de Educação de Jovens e Adultos, visando atender essa clientela, propõe uma educação voltada para a compreensão, contra a exclusão, quer de raça, sexo, cultura, ou outras formas discriminatórias. A questão educativa deve ser colocada como norteadora no processo de desenvolvimento e formação de cidadãos que se mostrem conscientes, ativos e dotados de opiniões próprias. Sendo assim, as suas funções devem ser:  REPARADORA: que se refere à restauração do direito à escolaridade, com qualidade, “um imperativo e um dos fins da EJA,” para todos os cidadãos, independente de idade ou sexo.  EQUALIZADORA: a qual diz respeito à adequação da correlação idade/ano escolar, possibilitando a reentrada nas atividades escolares, a quem teve seus estudos interrompidos, restabelecendo sua trajetória
  19. 19. 19 escolar, trabalhando a autoestima, desmistificando valores e evitando a exclusão social.  QUALIFICADORA: que se refere á tarefa de propiciar a todos a atualização continuada de conhecimentos, o que é função permanente e última da EJA, ou seja, propiciar a atualização de conhecimentos para toda a vida e o resgate da cidadania significa: preparação e atualização. Profissional. O trabalho do CEJA de São Joaquim é desenvolvido pela convivência de pessoas comprometidas com a educação como um todo, que se dedicam ao trabalho coletivo, almejando o progresso do aluno em seu contexto, seja ele, particular, social e profissional, através de uma educação de qualidade. Para desempenhar sua função, esta escola tem como proposta inserir-se no contexto social, proporcionando a construção de uma sociedade solidária, onde todos tenham direito a cidadania plena. O educador deve tornar-se ser ativo, não se submetendo ao condicionamento da sociedade, mas sim com o compromisso de colaborar com o crescimento intelectual, moral, profissional e pessoal dos alunos e resgatando a cidadania sociocultural. A escola de Educação de Jovens e Adultos tem como compromisso sair da pedagogia tradicional e dar um enfoque andragógico, onde a apropriação do conhecimento acontece de maneira diferente da criança, e o ponto de partida é uma rica e variada experiência de vida, para elaboração de diversas situações de aprendizagem. A aquisição de saberes da prática como saúde, nutrição, desempenho pessoal e outros que assegurem o prosseguimento no processo de formação continuada. Adultos são aprendizes ativos que aprendem através da motivação, ou seja, caráter andragógico (andros= homem, agem= conduzir, logos= tratado, ciência,) é orientar o adulto a aprender (andragogia), sendo esta aprendizagem que tem como objetivo a formação continuada ao longo da vida. Nesta linha de pensamento, a escola visa um processo de aprendizagem centrado nas experiências de vida e o interesse pelo conhecimento direcionado para o que poderá aplicar em sua vida e profissão de maneira imediata. Sendo assim o CEJA propõe-se a:  Oferecer aos educadores que trabalham nesta escola, um roteiro que facilite o desenvolvimento do trabalho coletivo na escola;
  20. 20. 20  Repensar a prática escolar e um “querer mudar”, caracterizado pela articulação da equipe escolar em torno da função social da escola, democratizar os conhecimentos acumulados historicamente pela humanidade e construir o novo conhecimento;  Construir um trabalho coletivo, coerente, articulado e libertador;  Envolver vários segmentos da escola, sendo a comunidade escolar indispensável;  Deverá haver cooperação, competência, comprometimento e pacto naquilo que se quer;  Trabalhar dentro de uma prática contextualizada com a realidade concreta;  Será exigido mais: querer crescer, mudar, libertar e transformar; querer participar do processo de recriação da escola e da sociedade (tendo como suporte o trabalho de base que é a consciência para mudar). O planejamento desta unidade deverá ser feito anualmente com Professores, Direção e Assistentes Técnicos Pedagógicos, sujeito a sofrer alterações no decorrer do processo, por entender que planejar faz parte do cotidiano de cada ser humano. É um processo dinâmico que visa uma melhor organização tanto no cotidiano do indivíduo quanto na sociedade a que está inserida. Sendo a escola parte integrante da sociedade, não fica isenta da responsabilidade de planejar e sistematizar o seu trabalho, fazendo deste um instrumento que vise melhorias no processo ensino aprendizagem; trabalho este que deverá ser desenvolvido por todos os envolvidos na U.E. (CEJA), onde será priorizada a contextualização para uma melhor compreensão e apropriação dos conteúdos repassados. A elaboração conceituará e se constituirá em categorias de compreensão da realidade que, quando elaboradas a partir de fundamentos científicos, tornando-o sujeito de sua própria história, isto é, tornando-o emancipado, capaz de pensar, agir e mudar.
  21. 21. 21 3. PROPOSTA CURRICULAR 3.1. No Cotidiano da Escola O processo pedagógico que se estabelecerá no interior desta Escola será pautado em um trabalho coletivo, priorizando a democratização efetiva do ensino, onde o objetivo maior será reincluir e ampliar o conhecimento, dando cobertura a trabalhadores e outros seguimentos sociais, como: donas de casa, migrantes, aposentados, portadores de deficiências, etc., que procuram nossa Escola em busca de instrumentos para o acesso a habilidades e competências, que permitam sua inserção com qualidade de vida no mundo de trabalho. O objetivo central do CEJA será em planejar, mediar, executar e avaliar atividades e serviços diretamente relacionados com o fortalecimento dos veículos, necessários a uma melhor qualidade das relações pessoais, tendo como fim uma educação andragógica. O planejamento antecede todas as atividades do CEJA e consiste na definição do objetivo de cada atividade, assim como a sistematização das estratégias de ação. 3.2. Currículo O currículo escolar é um processo dinâmico que deve ser construído coletivamente a partir das diretrizes curriculares nacionais e a Legislação vigente. A área de Ciências Humanas e suas tecnologias, que compreende:  Conhecimento em História;  Conhecimento em Geografia;  Conhecimento Filosofia;  Conhecimento em Sociologia, Antropologia e Política. A área da Matemática e Ciências da Natureza e suas Tecnologias, que compreende:
  22. 22. 22  Conhecimento em Biologia;  Conhecimento em Física;  Conhecimento em Química;  Conhecimento em Matemática. A parte diversificada compreende as demais incorporações do sistema de Ensino, as prioridades estabelecidas no projeto da Escola, e a inserção do aluno na construção do seu currículo. O trabalho que será desenvolvido no EJA, em relação ao currículo, contará com a colaboração dos envolvidos em educação desta unidade, e se constitui em categorias de compreensão e elaboração do conhecimento, possibilitando ao aluno uma compreensão da totalidade do sujeito, das relações estabelecidas social e historicamente, das diferentes formas de produção e da relação estabelecida com a natureza. 3.3. Matriz Curricular – 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013 Lei nº074  As orientações da matriz de 2013 estão descritas na comunicação circular 012/2013 neste documento na seção Anexo. Curso de Ensino Fundamental por Oficinas - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Diurno - Duração da hora/aula: 48 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 284 horas/aula Tabela 3. Organização curricular por oficinas. Organização Curricular Disciplinas Carga Horária Presc. 30% Base comum Língua Portuguesa Matemática Ciências Geografia História 62 62 40 38 42
  23. 23. 23 Arte 16 Parte diversificada Língua Estrangeira Moderna 24 Total Geral 284 Curso de Ensino Fundamental Modularizado - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Noturno - Duração da hora/aula: 40 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 284 horas/aula Tabela 4. Organização curricular modularizado EF 1. Organização Curricular Disciplinas Nº de Módulos Carga Horária Pres. 30% Base comum Língua Portuguesa Matemática Ciências Geografia História Arte 16 13 11 12 10 05 62 62 40 38 42 16 Parte diversificada Língua Estrangeira Moderna 08 24 Total Geral 75 284 Curso de Ensino Fundamental Modularizado - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Noturno - Duração da hora/aula: 40 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 284 horas/aula Tabela 5. Organização curricular modularizado EF 2. Organização Curricular Disciplinas Nº de Módulos Carga Horária Pres. 30%
  24. 24. 24 Base comum Língua Portuguesa Matemática Ciências Geografia História Arte Educação Física 16 13 11 12 10 05 62 62 40 38 42 16 Parte diversificada Língua Estrangeira Moderna 08 24 Total Geral 75 284 Curso de Ensino Médio Modularizado - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Diurno - Duração da hora/aula: 48 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 310 horas/aula Tabela 6. Organização curricular modularizado EM 1. Organização Curricular Disciplinas Nº de Módulos Carga Horária Pres. 30% Linguagens, códigos e suas tecnologias Língua Portuguesa e Literatura Língua Estrangeira Moderna Arte 13 09 03 50 24 14 Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias Matemática Química Física Biologia 13 14 11 10 50 36 36 36 Ciências humanas e suas tecnologias História Geografia 12 13 32 32 Total Geral 98 310
  25. 25. 25 Curso de Ensino Médio Modularizado - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Noturno - Duração da hora/aula: 40 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 310 horas/aula Tabela 7. Organização curricular modularizado EM 2. Curso de Ensino Médio Modularizado - Educação de Jovens e Adultos Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos Turno: Noturno - Duração da hora/aula: 40 min. - Duração da Oficina: 2,5 horas/aula Carga horária total: Presencial: 310 horas/aula Tabela 8. Organização curricular modularizado EM 3. Organização Curricular Disciplinas Carga Horária Pres. 30% Organização Curricular Disciplinas Nº de Módulos Carga Horária Pres. 30% Linguagens, códigos e suas tecnologias Língua Portuguesa e Literatura Língua Estrangeira Moderna Arte 13 09 03 50 24 14 Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias Matemática Química Física Biologia 13 14 11 10 50 36 36 36 Ciências humanas e suas tecnologias História Geografia 12 13 32 32 Total Geral 98 310
  26. 26. 26 Linguagens, códigos e suas tecnologias Língua Portuguesa e Literatura Língua Estrangeira Moderna Arte 50 24 14 Ciências da Natureza, matemática e suas tecnologias Matemática Química Física Biologia 50 36 36 36 Ciências humanas e suas tecnologias História Geografia 32 32 Total Geral 310 3.4. Matriz curricular 2010 Ensino Fundamental/Ensino por Oficinas Matriz curricular 2010 Ensino Fundamental/Ensino por Oficinas implantadas no SERIE, conforme diretrizes do parecer nº 422/07/CEE. Tabela 9. Quadro matriz/duração aula/hora e horas semanais disciplina/oficina. Matriz Descrição Duração Hora/aula Horas semanais Disciplinas/oficina 6210 EJA - Ensino Fund.(5º/8º) Diurno 48 minutos 04 horas-aula 6211 EJA – Ensino Fund. (5º/8º) Noturno 40 minutos 04 horas-aula Total Carga Horária do Curso 2.200 horas Tabela 10. Matriz curricular 2010 ensino fundamental por Oficinas. Disciplina Total de horas – aula Total de horas – aula à Total de oficinas
  27. 27. 27 presencial distância Língua Portuguesa 128 300 32 Matemática 128 300 32 Ciências 64 258 16 Geografia 64 258 16 História 64 258 16 Artes 64 68 16 Língua Estrangeira (Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano, Francês). 64 68 16 Educação Física 64 50 16 Total Geral 640h/a 1.560h/a 160  O aluno poderá matricular-se em 01ou em 02 disciplinas, no máximo;  Optando por 02 disciplinas, irá cursá-las no mesmo turno (diurno ou noturno);  Cursando 01 disciplina, o aluno poderá concluir em 04 anos;  Cursando 02 disciplinas, o aluno poderá concluir em 02 anos;  A disciplina de Educação Física: o Parecer CEE nº422/2007 traz a obrigatoriedade de oferta de Educação Física, para a Educação de Jovens e Adultos.  O professor deve adequar às atividades conforme as especificidades desta faixa etária de estudantes e ao espaço disponível. A prática da disciplina de Educação Física é facultativa para o aluno, nos casos previstos em lei;  A unidade escolar deverá optar pela oferta de uma disciplina de Língua Estrangeira;  Educação Especial: quando houver aluno(s) com deficiência e conduta típica, contratar professor das áreas afins. 3.5. Matriz curricular 2010 Ensino Médio/Ensino por Oficinas Matriz Ensino Médio/Ensino por Oficinas. Implantadas no SERIE, conforme parecer nº 422/07/CEE.
  28. 28. 28 Tabela 11. Quadro matriz/duração aula/hora e horas semanais disciplina/oficina. Matriz Descrição Duração Hora/aula Horas semanais Disciplina/oficina 6215 EJA-Ensino Médio – Diurno 48 minutos 04 horas 6216 EJA-Ensino Médio - noturno 40 minutos 04 horas Tabela 12. Matriz Ensino Médio/Ensino por Oficinas. Disciplina Total de horas – aula presencial Total de horas – aula à distância Total de oficinas Língua Portuguesa e Literatura 60 160 15 Língua Estrangeira (Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano, Francês). 36 70 09 Artes 36 65 09 Matemática 36 150 15 Química 60 100 09 Física 36 100 09 Biologia 36 100 09 História 36 100 09 Geografia 36 100 09 Filosofia 36 60 09 Sociologia 36 60 09 Educação Física 36 55 09 Total Geral 480h/a 1.120h/a 120  O aluno poderá matricular-se em 01ou em 02 disciplinas, no máximo;  Cursando uma disciplina, o aluno poderá concluir em 03 anos;  Cursando 02 disciplinas, o aluno poderá concluir em um ano e meio;  A disciplina de Educação Física: o Parecer CEE nº422/2007 traz a obrigatoriedade de oferta de Educação Física para a Educação de Jovens
  29. 29. 29 e Adultos. O professor deve adequar às atividades conforme as especificidades desta faixa etária de estudantes e ao espaço disponível. A prática da disciplina de Educação Física é facultativa para o aluno, nos casos previstos em lei;  A unidade escolar deverá optar pela oferta de uma disciplina de Língua Estrangeira;  Educação Especial: quando houver aluno(s) com deficiência e conduta típica, contratar professor das áreas afins. 3.6. Terminalidade Ensino por Oficinas Não será ofertada matrícula para novas turmas. Para as turmas em andamento, garantir continuidade/terminalidade para alunos matriculados e com frequência suficiente, seguindo as orientações abaixo: a. O aluno do Ensino Fundamental poderá matricular-se em 01 uma, 02 duas ou 03 três disciplinas, desde que em períodos diferentes. No Ensino Médio, os alunos deverão cursar, no máximo, 02 (duas) disciplinas. b. As matrizes do Ensino Fundamental permanecem com 02 (dois) blocos, sendo: Bloco/etapa 01 (um) (A/B) e Bloco/etapa 02 (dois) (C/D), para Língua Portuguesa e Matemática, tendo duração de um semestre para cada bloco. As demais disciplinas terão 01 (um) Bloco/etapa (A/B/C/D), com duração de 01 (um) semestre. c. O Ensino Médio continuará funcionando em 01 (um) Bloco/etapa (A/B/C) para todas as disciplinas. Língua Portuguesa e Matemática terão duração de 02 (dois) bimestres. As demais disciplinas, duração de 01 (um) bimestre. O CEJA “segue como diretrizes as resoluções nacionais: Resolução nº 03/2010/CNE/CEB, para a Educação de Jovens e Adultos, Resolução nº 04/2010/CNE/CEB, do Parecer nº06/2010/CNE/CEB, das Resoluções Estaduais nº93/2007/CEE/SC, nº 74/2010/CEE/SC e Parecer nº405/2004/CEE.”.
  30. 30. 30 3.7. Matriz curricular ensino médio presencial – 2011/4 fases Tabela 13. Matriz curricular ensino médio presencial 1ª fase. 1ª Fase Disciplina Ensino Médio H/A 4 dias /5 aulas diárias Total H/A Língua Portuguesa 12 192 Língua Estrangeira 04 64 Artes 04 64 Atividade Complementar 05 80 Total 25 400 A disciplina de Atividade Complementar é obrigatória aos alunos e deve ser orientada na primeira fase pelo professor de Língua Portuguesa, dentro de sua carga horária de 12 horas semanais. As atividades desenvolvidas precisam estar voltadas para os conteúdos de Língua Portuguesa, devendo gerar registro de notas para a disciplina de atividade complementar, sendo esta cursada pelo aluno na modalidade à distância. Tabela 14. Matriz curricular ensino médio presencial 2ª fase. 2ª Fase Disciplina Ensino Médio H/A 4 dias /5 aulas diárias Total H/A Matemática 12 192 Biologia 08 128 Atividade Complementar 05 80 Total 25 400 A disciplina de Atividade Complementar é obrigatória aos alunos e deve ser orientada na segunda fase pelo professor de Matemática, dentro de sua carga horária de 12 horas semanais. As atividades desenvolvidas precisam estar voltadas para os conteúdos de Matemática, devendo gerar registro de notas para a disciplina de atividade complementar, sendo esta cursada pelo aluno na modalidade à distância. Tabela 15. Matriz curricular ensino médio presencial 3ª fase. 3ª Fase Disciplina Ensino Médio H/A 4 dias /5 aulas diárias Total H/A
  31. 31. 31 História 06 96 Geografia 06 96 Química 08 128 Atividade Complementar 05 80 Total 25 400 A disciplina de Atividade Complementar é obrigatória aos alunos e deve ser orientada na terceira fase pelo professor de Química, dentro de sua carga horária de 8 horas semanais. As atividades desenvolvidas precisam estar voltadas para os conteúdos de Química, devendo gerar registro de notas para a disciplina de atividade complementar, sendo esta cursada pelo aluno na modalidade à distância. Tabela 16. Matriz curricular ensino médio presencial 4ª fase. 4ª Fase Disciplina Ensino Médio H/A 4 dias /5 aulas diárias Total H/A Física 08 128 Filosofia 04 64 Educação Física 04 64 Sociologia 04 64 Atividade Complementar 05 80 Total 25 400 A disciplina de Atividade Complementar é obrigatória aos alunos e deve ser orientada na quarta fase pelo professor de Física, dentro de sua carga horária de 8 horas semanais. As atividades desenvolvidas precisam estar voltadas para os conteúdos de Física, devendo gerar registro de notas para a disciplina de atividade complementar, sendo esta cursada pelo aluno na modalidade à distância. Cada fase da grade curricular do Ensino Médio corresponde a um semestre. Em 2012 de acordo com os Pareceres CEE/SC nº337/04, de 09 de novembro de 2004 foi acrescentada na Matriz Curricular a disciplina de Educação Física que até então não era obrigatória, o aluno com mais de 30 anos que comprove que trabalha fica desobrigado de fazer as aulas práticas, mas deverá assistir às aulas teóricas.
  32. 32. 32 3.8. Matriz Curricular- Ensino Fundamental Presencial - 2012  Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos  Número de dias de efetivo trabalho escolar: 100 dias letivos  Número de dias letivos semanais: 05 dias  Número Mínimo de Semanas Letivas: 24 semanas  Número de aulas diárias: 05 aulas  Duração da aula: 40 minutos  Carga horária total: 1.600 horas  Duração do curso: 02 anos Tabela 17. Grade curricular ensino fundamental 2012. Áreas Disciplina 6º ano 7º ano 8º ano 9º ano Carga horária Área I Língua Portuguesa Língua Portuguesa Língua Estrangeira Moderna Inglês Artes Educação Física 06 02 02 02 06 02 02 02 06 02 02 02 06 02 02 02 480 160 160 160 Área II Ciências da natureza, matemática. Matemática Ciências 07 02 06 02 06 02 06 03 500 180 Área III Ciências Humanas História Geografia 02 02 02 03 03 02 02 02 180 180 Total geral semanal 25 25 25 25 1.600 h. 3.9. Matriz Curricular Ensino Médio Presencial Educação de Jovens e Adultos com 05 dias Noturnos
  33. 33. 33  Unidade Escolar: Centro de Educação de Jovens e Adultos  Número de dias de efetivo trabalho escolar: 100 dias letivos  Número de dias letivos semanais: 05 dias  Número Mínimo de Semanas Letivas: 24 semanas  Número de aulas diárias: 05 aulas  Duração da aula: 40 minutos  Carga horária total: 1.200 horas  Duração do curso: 01 ano e meio Tabela 18. Matriz curricular ensino médio presencial. Áreas Disciplina 1º ano 2º ano 3º ano Carga horária Área I Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Língua Portuguesa e Literatura Língua Estrangeira Moderna – Inglês Educação Física Artes 03 02 02 01 03 02 02 01 03 02 02 01 180 120 120 40 Área II Matemática Matemática 03 03 03 180 Área III Ciências Humanas e suas Tecnologias História Geografia Filosofia Sociologia 02 02 02 02 02 02 02 02 02 02 02 02 120 120 120 120 Área IV Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química Física Biologia 02 02 02 02 02 02 02 02 02 120 120 120 Total Geral Semanal 25 25 25 1.200h Língua Estrangeira. Moderna Espanhola 02 02 02 96 Total Geral Com Espanhol 1.296h 3.10. Conceitos essenciais das disciplinas curriculares – Ensino fundamental
  34. 34. 34 3.10.1. Matemática Objetivo Geral: Fornecer ao indivíduo condições de análise crítica e uma participação consciente na sociedade em que vive de forma a modificar, se necessária, o meio social em que está inserido. Objetivos Específicos:  Mediar o conhecimento para que este venha de encontro com as necessidades da realidade do aluno;  Oportunizar meios ao aluno para que este possa produzir refletir e interagir no meio social, ou seja, exercer sua cidadania;  Desenvolver o raciocínio lógico para resolver as operações matemáticas. Ementa: A história dos números e a criação dos sistemas de numeração.  Os primeiros registros numéricos  Os sistemas de numeração  Os sistemas de numeração decimal O surgimento da geometria e o estudo das formas geométricas  Das formas da natureza às construções geométricas  As formas espaciais ou tridimensionais  As formas planas e bidimensionais Os números naturais  A sequência dos números naturais  Operações com números naturais  Múltiplos e divisores de um número natural  Números primos Os números inteiros  Os números negativos: usos e significados  O conjunto dos números inteiros
  35. 35. 35  Operações com números inteiros Os números fracionários  As frações e suas representações  Frações equivalentes  Operações com frações Os números decimais  Os números decimais: usos e significados  Fracionamento de unidades  Operações com números decimais  Porcentagem Geometria e medidas  Os entes geométricos primitivos e suas representações  Das medidas arbitrárias as medidas padrões  Contando o dinheiro e o tempo A linguagem algébrica  A álgebra: uma forma de comunicação entre os povos  Equações de primeiro grau  Equações de segundo grau Proporcionalidade  Razão e proporção  Grandezas diretamente e inversamente proporcionais  Porcentagem e regra de três simples A estatística do mundo da informação  A linguagem das tabelas e dos gráficos como forma de comunicação  Noções de estatística A matemática empregada no comércio  Noções de matemática financeira
  36. 36. 36 3.10.2. Língua Portuguesa Objetivo Geral: Utilizar a linguagem na escuta e produção de textos orais e na leitura e produção de textos escritos, de modo a atender as múltiplas demandas sociais, responder a diferentes propósitos comunicativos e expressivos e considerar as diversas condições de produção do discurso. Objetivos Específicos:  Oportunizar o aluno através de textos para usar sua capacidade de observar, descobrir, de questionar e se comunicar;  Desenvolver a capacidade de argumentar criticamente;  Focalizar alguns pontos que levem o aluno a entender e usar as classes gramaticais. Ementa:  Interpretação de texto;  Verso, estrofe e rima;  Substantivo coletivo;  Numeral: cardinal, ordinal, fracionário e multiplicativo;  Pronome pessoal e oblíquo;  Atividades relacionadas ao texto;  Gênero do substantivo (masculino e feminino);  Uso do mais e mas;  Adjetivos;  Locução adjetiva;  O verbo haver e existir na terceira pessoa;  Produção de texto;  Emprego da vírgula;  Aposto e vocativo;  O poema;  Carta / bilhete;  Biografia;  Descrição/ narração;  Interjeição;
  37. 37. 37  Crônica;  Pronome de tratamento;  Verbo;  Figuras de linguagem;  Concordância nominal;  O emprego de onde/aonde;  Conjunção;  Monossílabos;  Ditongos;  Formação de palavras;  Dissertação: introdução, desenvolvimento e conclusão. 3.10.3. Língua Estrangeira - Inglês Objetivo Geral: Ensinar a Língua Estrangeira na Educação de Jovens e Adultos é construir um caminho comunicativo que leve o educando o ser capaz de transmitir e assimilar o conhecimento da sociedade e do mundo em que vive. Objetivos Específicos:  Compreender o uso da língua;  Estabelecer novas relações com o mundo;  Conhecer novas culturas;  Interagir com o mundo globalizado. Ementa:  Números;  Saudações;  Dias da semana;  Estações do ano;  Meses do ano;  Traduções de textos;  Conversação;  Verbo;
  38. 38. 38  Vocabulário;  Uso do dicionário;  Escrita de textos;  Gramática geral. 3.10.4. Ciências Objetivo Geral: Promover os caminhos para apropriação futura do conhecimento científico como forma de interpretar o próprio homem, o mundo em que vive com os seres que nele habitam as condições econômicas e sociais, enfim, a relação todas em sua realidade material, preparando jovens e adultos para à vida com seus desafios e transformações. Objetivos Específicos:  Compreender a natureza como um todo dinâmico, sendo o ser humano parte integrante e agente de transformações do mundo em que vive;  Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e condições de vida no mundo de hoje e com sua evolução histórica;  Formular questões, diagnosticar e propor soluções para problemas reais a partir de elementos das Ciências da natureza, colocando em prática, conceitos, procedimentos e atitudes desenvolvidos na aprendizagem escolar. Ementa: Natureza: um sistema dinâmico  Nossa morada no Universo: a Terra  Onde a vida é possível Natureza em equilíbrio  Ambiente e biodiversidade  Conhecendo os vertebrados  Reconhecendo os invertebrados
  39. 39. 39  Recursos verdes  Os seres vivos em interação O homem no ecossistema  Vida e ambiente em interação  A transformação de substâncias  Energia e respiração  O transporte de substâncias  A excreção: eliminando substâncias Em sintonia com o ambiente  Os cinco sentidos vitais  Locomoção: percorrendo caminhos  Os comandos do organismo  A perpetuação da espécie  O ser humano e a genética A química do cotidiano  Matéria e energia: noções gerais  A terra e seus materiais  Misturas de substâncias  Os átomos  Os elementos químicos  Funções químicas  A reciclagem dos materiais Vivenciando a física  O estudo da física no dia a dia  Trabalho e potência  Tipos de energia e sua conservação  O Sol: fonte primária de energia Transformações da natureza
  40. 40. 40  O homem alterando o ambiente  Água: um recurso inesgotável?  O solo: nossa morada 3.10.5. História Objetivo Geral: Fazer com que o aluno construa seu conhecimento, se sinta estimulado em aplicar e aprofundar o interesse na dinâmica da História de várias épocas e lugares, de modo a compreender o mundo contemporâneo e a importância de seu papel como agente transformador. Objetivos específicos:  Compreender a história, procurando situar os acontecimentos nas temporalidades em que ocorreram avaliando as descobertas, tanto no que se refere aos fatos ocorridos como na maneira que foram interpretados e transmitidos;  Promover um aprendizado de forma que trate a História como representação que questiona a ideia de verdade e investiga diferentes pontos sobre o tema em análise:  Contribuir no estudo e no entendimento das mudanças ocorridas ao longo da história:  Proporcionar momentos de descobertas e reflexões que contribuam na formação humana dos alunos e de sua participação ativa na vida social e escolar: Você e a história  A História no espaço e no tempo  Fato histórico  Alinha do tempo A pré-história
  41. 41. 41  Período Paleolítico ou Idade da Pedra Lascada  Período Neolítico ou Idade da Pedra Polida  A Idade dos Metais Antiguidade oriental  Egito Antigo  Os povos da Mesopotâmia  Os hebreus e os fenícios Antiguidade clássica  Grécia antiga  Roma antiga  O declínio do Império Romano A idade média  Idade Média no Ocidente  O sistema feudal e a igreja Católica  Império romano do Oriente – Império Bizantino  Império Muçulmano Idade moderna  Transição do mundo feudal para o Mercantilismo  A expansão europeia e as navegações marítimas  O pensamento moderno – Renascimento e Reforma A colonização europeia na América  O encontro entre portugueses e índios  Administração colonial portuguesa  A escravidão africana no Brasil  Expansão territorial e a sociedade mineradora As revoluções do século XVIII  Uma nova visão do mundo iluminismo e Revolução Francesa  A Revolução Americana
  42. 42. 42  A Revolução Industrial O primeiro reinado, as regências e o segundo reinado no Brasil.  A família real portuguesa no Brasil e o primeiro reinado (1822-1831)  A Constituição de 1824 e a abdicação de D. Pedro I  O período regencial  O Segundo Reinado no Brasil (1840-1889) O Brasil republicano  O início da República no Brasil  Os movimentos sociais do inicio da Republica  O Brasil na década de 1920 O mundo no início do século XX  O imperialismo europeu  Primeira Guerra Mundial (1914-1918)  A revolução que contestou o capitalismo – Revolução Russa Transformações no quadro mundial  A crise capitalista de 1929  Os regimes totalitários  Movimentos sociais urbanos no Brasil Era getulista no Brasil e a segunda guerra mundial  Revolução de 1930 e o período getulista no Brasil  O Estado Novo (1937-1945)  Segunda guerra mundial (1937-1945)  Período democrático no Brasil (1939-1945) O mundo dividido  A Guerra fria  A Crise de populismo e a ditadura militar no Brasil A nova ordem mundial
  43. 43. 43  A globalização  Brasil – o difícil caminho da transição democrática 3.10.6. Geografia Objetivo Geral: Mediar para que os alunos sejam capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram. Tornando-os críticos, interessados, ativos, descobridores e capazes de compreender Geografia como realmente ela é. Objetivos Específicos:  Compreender a geografia como ciência que estuda as formas, os processos e as dinâmicas dos fenômenos naturais e sociais:  Aprofundar os conhecimentos sobre a ocupação territorial do Brasil, bem como a construção da sociedade política, econômica e ambiental do país e as transformações ocorridas ao longo do tempo:  Garantir a aprendizagem significativa, considerando o conhecimento prévio dos alunos e o meio geográfico em que ele está inserido:  Estimular os alunos a sentirem- se integrantes, responsáveis e construtores do espaço que ocupa. Ementa: Conceitos e ferramentas da geografia  O espaço geográfico é uma produção social  Orientação no espaço geográfico  A localização no espaço geográfico  A representação do espaço geográfico A geografia e o ensino da dinâmica da natureza  Terra que planeta é esse?  A origem da Terra e sua estrutura  A dinâmica do revelo
  44. 44. 44  A dinâmica do ar e das águas A geografia e as dinâmicas da população  A população e os números  O crescimento da população Um lugar chamado Brasil  Características gerais  Regionalização do território brasileiro  Região Centro-Oeste  Aspectos gerais  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul  Goiás  Construção de Brasília o centro do poder vai para o interior  Região Nordeste  Características gerais  Polígono das Secas  Por que a população nordestina migra?  Subdivisão regional nordestina  Transposição das águas do Rio São Francisco  Região Norte  Aspectos gerais  Povoamento regional  Amazônia e seus desafios  Região Sudeste  Aspectos gerais  Onde é produzida a riqueza no Sudeste  A expansão e a industrialização  Região sul  Aspectos gerais  Aspectos econômicos
  45. 45. 45 Critérios de divisão regional do planeta  Divisão continental: critério geológico  Divisão de “mundos”: critérios sociais, políticos e econômicos. O continente Americano  O que é América?  América Latina  América Anglo-Saxônica  Questões americanas O continente Africano e Asiático  O que é a África?  Questões africanas  O que é a Ásia?  Problemas que ainda persistem na Ásia O continente europeu e da Oceania  O que é a Europa?  A União Europeia  Questões europeias  O que é a Oceania? Organização do espaço e da produção  O trabalho e a produção da existência humana  Tipos de agricultura  Especialização e integração das atividades  Urbanização, modernização agrícola e êxodo rural no Brasil. Compreendendo a organização do espaço mundial  Os mundos capitalista e socialista  O clima da guerra fria  A nova divisão do mundo: países desenvolvidos e subdesenvolvidos  Norte e Sul: um abismo cada vez maior os separa
  46. 46. 46 Vivemos num mundo globalizado  O que é a globalização?  Uma globalização perversa  Blocos econômicos Estudos de demografia  Demografia  Aspectos da população brasileira  População e meio ambiente 3.10.7. Artes Objetivo Geral: Promover atividades que envolvam o aluno no mundo das linguagens artísticas ampliando seus saberes sobre produção, apreciação e história expressas nas artes visuais, na música e no teatro, com o intuito de contextualizar o desenvolvimento das práticas artísticas em sua diversidade histórico-cultural. Objetivos Específicos:  Identificar as artes visuais, nas mais diferentes formas de expressão artística, reconhecendo-as como expressão e comunicação do pensamento e sentimento humano;  Compor com pontos gráficos e geométricos empregando-os como elementos plásticos na composição visual;  Reconhecer o volume como elemento básico na composição tridimensional;  Observar, conhecer, nomear e aplicar a linha e a forma na prática diária e na obra artística;  Conceituar, identificar, reconhecer e empregar as cores no cotidiano, nas livres composições artísticas e nas obras de arte;  Observar e criar texturas táteis e visuais na pratica artística e no mundo ao eu redor;
  47. 47. 47  Construir e interpretar conceitos e aplicações, inter-relacionando a perspectiva, os planos e a profundidade nas mais variadas produções artísticas;  Interpretar uma obra de arte e nela observar a técnica e a aplicação nas diferentes formas: o abstrato, o figurativo, a natureza morta e a luz e sombra;  Distinguir e representar caricatura, cartum, charge e ilustração;  Diferenciar a pintura e a escultura, reconhecendo as suas mais diversas modalidades e aplicações;  Conhecer obras e artistas de alguns Movimentos Modernistas e do Renascimento, considerando sua importância na história da arte. Ementa:  Artes Visuais: 1. Arte é comunicação 2. Composição visual 3. O ponto 4. Volume 5. A linha 6. A forma 7. A cor 8. Textura 9. Perspectivas, planos e profundidade. 10.Luz e sombra 11.O desenho 12.Pintura e escultura  Música: 1. Conceito básico de música 2. Os elementos da música 3. O Folclore Popular: 4. O Som 5. Os Elementos do Som 6. A Voz
  48. 48. 48 7. Como se dá a Emissão da Voz 8. Classificação das Vozes 9. Iniciação à Teoria Básica da Música  Teatro: 1. Teatro? 2. Ator, uma Voz e um Corpo sob os Refletores. 3. Em cena Ele, o Ator. 4. O Mundo todo é um Palco. 3.11. Conceitos essenciais por disciplina - 2º segmento A) Matemática: Reconhecimento, análise, interpretação, formulação e resolução de situações- problema, compreendendo os diferentes significados das operações, envolvendo os campos numéricos, algébricos, geométricos e a estatística. Conceitos essenciais – números e álgebra; medidas e estatística; geometria. B) Ciências: O ensino de ciências deverá promover os caminhos para o conhecimento científico como forma de interpretar o próprio homem, o mundo em que vive com os seres que nele habitam as condições econômicas e sociais em sua realidade material, preparando o indivíduo para vida com seus desafios. Tema problematizado: elaboração de hipóteses, coleta de dados, experimentação, interpretação, conclusão. Dessa forma, permite ao educando estabelecer conexões com os fenômenos naturais, socioculturais e, assim, realizar uma leitura e uma interpretação mais elaborada do contexto onde vive. Para atingir esses objetivos sugerem-se os seguintes conteúdos que, ao serem trabalhados no processo de ensino e a aprendizagem, possibilitam ao educando a reelaboração de sua base conceitual: Big Bang, meio biótico e abiótico, água, solo, ar, seres vivos, desenvolvimento sustentável, ciclo da matéria e energia, fenômenos físicos e químicos.
  49. 49. 49 C) Educação Física: Por ser parte do conhecimento historicamente produzido, deve reunir o que for de mais significativo, ligado aos conceitos de movimento/ corporeidade, ginástica, jogo, dança e esporte. D) Artes: Como disciplina na escola, gera conhecimento, valorizam os aspectos psicológicos, sociais, culturais, políticos e históricos, possibilitando o acesso às linguagens: visual (pinturas, escultura, cerâmica, entre outras), cênica, musical e à dança, aos conceitos fundamentais da arte, às experiências: estéticas; artísticas; culturais. Para a compreensão destes conceitos, considerar: produção artística; contextualização; leitura da obra de arte. Estudo da história e da cultura afro- brasileira e indígena. Este conteúdo programático deve incluir diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes á história do Brasil. E) Geografia: Espaço; espaço/tempo; espaço produzido; espaço representado; localização; orientação; paisagem; região; meio ambiente; população; relação local/global; relações socioculturais. F) História: Tempo; temporalidades; tempo/espaço; cultura; memória; identidade; ideologia; imaginário; relações sociais; relações sociais de produção. G) Língua Portuguesa: Dos conceitos a serem apropriados no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, destacamos, em primeiro lugar, o de que toda língua é produção humana, construída historicamente nas e pelas relações sociais (historicamente) e, como tal, é uma forma de ação sobre o outro e o mundo, marcada por um jogo de intenções e representações. Entender a língua a partir dessa perspectiva pressupõe, também, a apropriação dos conceitos de: dialogia; polifonia; polissemia; interdiscursividade; intertextualidade; discurso; textualidade; texto; coerência; coesão.
  50. 50. 50 A condição para que o aluno se aproprie desses conceitos é o trabalho, em sala aula, com as práticas reais de uso da língua (fala/escuta- leitura- escrita) e o trabalho com a reflexão sobre essas práticas (análise linguística).Esses eixos de trabalho de indicam, apenas, que podemos focalizar este ou aquele aspecto, esta ou aquela dimensão. Devem, porém ser trabalhados de maneira simultânea ou alternados, tal como ocorre na prática da língua. H) Língua Estrangeira: Consideramos importante ressaltar algumas das razões que justificam o aprendizado dessa disciplina: possibilidade de ampliação do universo cultural; desenvolvimento de muitas funções intelectuais, possibilitando a interação entre a língua materna e a língua estrangeira; possibilidade de questionar a própria identidade, ressignificando-a; necessidade de acesso à tecnologia. Da mesma forma que em Língua Portuguesa, em Língua Estrangeira os alunos precisam compreender que toda língua é produção humana, constituída historicamente nas e pelas relações sociais (historicidade) e, como tal, é uma forma de ação sobre o outro e o mundo, marcada por um jogo de intenções e representações. Entender a língua estrangeira a partir dessa perspectiva pressupõe, também, a apropriação dos conceitos de: dialogia; polifonia; polissemia; interdiscursividade; intertextualidade; discurso; textualidade; texto; coerência; coesão. A condição para que o aluno se aproprie desses conceitos é o trabalho, em sala de aula, com as práticas reais de uso da língua estrangeira (fala/escuta- leitura- escritura) e o trabalho com reflexão sobre elas (análise linguística). Esses eixos de trabalho indicam, apenas, que podemos focalizar este ou aquele aspecto, esta ou aquela dimensão. Devem, porém, ser trabalhados de maneira simultânea ou alternados, tal como ocorre na prática da língua. No caso de Língua Estrangeira, deve-se priorizar o trabalho com as práticas de leitura e escritura, não no sentido de restringir as possibilidades de aprendizagem, mas para viabilizar o aprendizado efetivo de, pelo menos, estas habilidades. Essa opção leva em consideração a função social – ler textos em outra língua – da aprendizagem de uma língua estrangeira para alunos brasileiros.
  51. 51. 51 H) Cultura e Trabalho: Cultura geral, cultura regional e popular, festas folclóricas e populares, turismo e lazer como fonte de renda, mundo do trabalho, trabalho formal e informal, segurança do trabalho, emprego e trabalho, tecnologia e trabalho, diversidade e trabalho, meio ambiente e trabalho. Estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena: este conteúdo programático deve incluir diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes a história do Brasil. 3.12. Ensino Médio 3.12.1. Matemática Objetivo: Conhecer, interpretar e transformar a realidade, propondo subsídios para enfrentar os desafios que se apresentam na formação do cidadão no contexto social. Objetivos específicos:  Utilizar a matemática como uma forma de expressão, como uma linguagem que é produzida e utilizada socialmente como representação do real e da multiplicidade de fenômenos propostos pela realidade.  Possibilitar ao aluno a apropriação da forma sistematizada de pensamento e de linguagem que é a matemática, partindo das experiências vividas pelo aluno para atingir níveis mais complexos.  Possibilitar ao educando a apropriação destes conhecimentos como um dos instrumentos necessários ao exercício da cidadania. Ementa: Conjuntos numéricos
  52. 52. 52  O aparecimento dos números  Os campos numéricos  Os números naturais  Os números inteiros  Os números racionais  Os números irracionais  Os números reais  A importância dos números na nossa sociedade Funções  O estudo das funções  Relação entre grandezas  Gráficos de funções  Função de 1º grau ou função afim  O referencial cartesiano  O estudo da função afim  Representação gráfica da função afim  Função do 2º grau ou função quadrática  O estudo da função quadrática  Representação gráfica da função quadrática Outras funções  Função exponencial  Conceito e representação gráfica  Equação exponencial  Função Logarítmica  Logaritmo de um número real  Igualdade de logaritmos  Propriedades operatórias de logaritmos  Função logarítmica  Sequências  Lei de uma formação de uma sequência  Progressão aritmética
  53. 53. 53  Progressão geométrica Trigonometria  Semelhança  Teorema de Tales  Triângulos semelhantes  Relações métricas no triângulo retângulo  Trigonometria no triangulo  A trigonometria no triangulo retângulo  A trigonometria no triangulo qualquer  O estudo da reta  Distancia entre dois pontos  Ponto médio de um segmento  A equação da reta Geometria  Geometria plana  Polígonos  Área de figuras planas  Geometria espacial  As formas geométricas tridimensionais  Poliedros  As pirâmides  Os sólidos não poliedros  Os sólidos de revolução  Geometria espacial métrica  Área de superfície de sólidos geométricos  Volume dos sólidos geométricos Geometria analítica  Contagem  Principio fundamental da contagem  Arranjos, permutações e combinações
  54. 54. 54  Fatorial  Arranjos simples  Permutação  Combinação  Probabilidade  Probabilidade de ocorrência de um evento  Propriedades da probabilidade  Probabilidade da união de dois eventos 3.12.2. Língua Portuguesa e Literatura Objetivo Geral: A Língua Portuguesa tem por objetivo apresentar aos alunos os conteúdos de Gramática, Literatura e Produção de Textos, seguida de uma série de atividades. A Língua Portuguesa requer uma metodologia questionadora, tendo como base a análise, a reflexão e a interpretação. Objetivos Específicos:  O aluno deverá se apropriar de conhecimentos e recursos linguísticos sendo capaz de tornar-se um usuário competente da língua.  Através da literatura e dos movimentos literários, das obras e da vida dos autores os alunos devem ser capazes de. Contextualizar as ideias da atualidade com as do passado. Ementa:  Comunicação;  Produção de texto;  Origem da Língua Portuguesa;  Formação do vocabulário português;  Arte e Literatura;  Quinhentismo;  Gêneros Literários;  Fonética;  Seiscentismo ou Barroco;
  55. 55. 55  Linguagem Literária;  Acentuação Gráfica;  Setentismo ou Arcadismo;  Poesia, poemas e prosa;  Classes de palavras;  Concordância nominal;  Dissertação;  Prosa romântica;  Concordância verbal;  Realismo;  Naturalismo;  Parnasianismo;  Verbos;  O Simbolismo;  O Pré-Modernismo;  Revisão de pronomes pessoais;  Modernismo;  Estrutura de frases. 3.12.3. Língua Estrangeira – Inglês Objetivo: Despertar o interesse do aluno pelo idioma. Objetivos específicos:  Desenvolver no aluno as principais habilidades que levam a aprendizagem da Língua Inglesa.  Ter o interesse pela aprendizagem e a alfabetização na Língua Inglesa que são: VER, OUVIR, FALAR e LER. Ementa:  Saudações;  Pronomes pessoais;  Artigos definidos e indefinidos;
  56. 56. 56  Pronomes demonstrativos;  Verbo ser ou estar;  Verbo haver;  Presente contínuo ou progressivo;  Forma interrogativa ou negativa;  Adjetivos possessivos;  Plural dos substantivos;  Verbo haver – passado;  Verbo “To Be”;  Passado contínuo;  O caso possessivo;  Pronomes possessivos;  Pronomes objetivos ou oblíquos;  Pronomes interrogativos;  Pronomes relativos;  Pronomes indefinidos;  Substantivos contáveis e incontáveis;  Adjetivos de quantidade;  Graus de comparação;  Preposições;  Futuro com “Will”;  Futuro com “Going To”;  Condicional simples;  Verbos modais auxiliares;  Tempo passado simples;  Verbos irregulares;  Advérbios de tempo;  Verbo fazer;  Falsos cognatos;  Leitura e tradução de textos.
  57. 57. 57 3.12.4. Física Objetivo: Proporcionar os alunos a entender que o mundo em que vivemos foi construído em grande parte graças ao conhecimento da física. Objetivos Específicos:  Definir os conhecimentos e conceitos de matéria, energia, movimento e força, que estão presentes concretamente em nosso dia-a-dia, nas grandes cidades ou no campo, no trabalho ou no laser.  Levar o aluno a refletir sobre os acontecimentos científicos e tecnológicos que surgem constantemente de maneira crítica e avaliativa.  Transpor os conhecimentos científicos e tecnológicos, já socialmente dominados como bens culturais acessíveis ao cidadão e, também, os recentemente elaborados pelos cientistas. Ementa:  A Física é uma atividade humana  Conhecimentos básicos e fundamentais  O Movimento e a descoberta das leis físicas  Recursos da natureza  Energia, trabalho e potência  Conceitos de física térmica em sua vida  Calor e suas manifestações  Oscilações, ondas e radiação.  Luz e espelhos  Fenômenos elétricos  Fenômenos magnéticos 3.12.5. Biologia Objetivo: Viabilizar o conhecimento das áreas biológicas que deve subsidiar análises de questões polêmicas referentes ao desenvolvimento e funcionamento dos
  58. 58. 58 seres vivos, preservação e aproveitamento de recursos naturais, utilização de tecnologias aplicadas à biologia e as dinâmicas dos ecossistemas. Objetivos Específicos:  Entender que a Biologia é a ciência que estuda a vida.  Ressaltar a diversidade dos seres vivos.  Conceituar a genética, sua origem e história. Ementa: Introdução a Biologia  Citologia  Organização geral das células  Citoplasmas  Energia para célula  Núcleo celular  Divisão celular  Reprodução Humana  Embriologia  Histologia Diversidade dos seres vivos  Diversidade de animais invertebrados  Diversidade de animais vertebrados  Fisiologia humana  As plantas Genética  Evolução  Ecossistema, habitat e nicho ecológico.  Ciclos biogeoquímicos  Relações ecológicas  Biomas Alterações no ambiente
  59. 59. 59 3.12.6. Química Objetivo: Viabilizar o conhecimento químico demonstrando que poderá trazer benefícios ou malefícios aos seres vivos e ao meio ambiente, dependendo de como o homem utilizar desta ciência, demonstrando através de assuntos atuais e de conteúdos selecionados que permitam uma visão ampla da química e suas aplicações tecnológicas e cientificas. Ementa:  Matéria e sua estrutura  Funções inorgânicas;  Ligações químicas;  Soluções, coloides e concentrações;  Eletroquímica;  Termoquímica;  Cinética e química;  Equilíbrio químico;  Radioatividade;  Química orgânica;  Funções químicas orgânicas;  Biomoléculas;  Isomeria. 3.12.7. História Objetivo Geral: Estabelecer relações entre a vida individual e social, identificando relações sociais em seu próprio grupo de convívio, na localidade, na região, país e no mundo, relacionando-as com outras manifestações, em outros tempos e espaços. Objetivos Específicos:  Desenvolver a capacidade de reconhecer diferentes formas de relações;  Repensar a identidade e seu significado na sociedade;  Situar acontecimentos e localizá-los em uma multiplicidade de tempos.
  60. 60. 60 Ementa:  A longa viagem pelo tempo  A Civilização do Extremo Oriente: China e Japão  O Egito Antigo  Na Mesopotâmia: nossas raízes  As Civilizações da Palestina: fenícios e hebreus  O mundo grego: de Creta a Grécia heroica  O mundo grego: Grécia Antiga, Clássica e Helenística.  O mundo romano: da monarquia a república  Da crise da República ao fim do Império Romano  O Império Carolíngio e a Idade Média  A Civilização Mulçumana  O Sacro Império Romano-Germânico e o Cristianismo Feudal  Rumo à modernidade: das Cruzadas ao início dos Estados Nacionais  Os tempos modernos e o Renascimento  A Revolução Religiosa  O Absolutismo na França e o século XVII  O Século das Luzes  O Século das Revoluções  A Revolução Industrial e as revoluções europeias  Napoleão e a expansão da Revolução  As Revoluções Americanas  A Europa burguesa e a unificação da Itália e Alemanha  A 1ª Guerra Mundial  A Revolução Russa  O Novo Capitalismo  A 2ª Guerra Mundial  O mundo do Pós-Guerra  O mundo atual: a história não acabou 3.12.8. Geografia
  61. 61. 61 Objetivo Geral: Estabelecer o saber geográfico elaborado em diferentes épocas e em diferentes contextos sociais, culturais, ideológicos, políticos e religiosos marcados pelas representações de mundo e ideias predominantes em cada momento. Objetivos Específicos:  Desvendar os pressupostos teóricos que cada autor dos textos, imagens e materiais utilizados tem sobre o espaço;  Estimular as diferentes ações sociais e culturais, sociais e espaciais, os impactos naturais que transformam o mundo;  Identificar as marcas que identificam os diferentes espaços. Ementa:  O que conhecer a Geografia?  Leitura e interpretação de mapas;  As projeções cartográficas;  Orientação espacial;  Os Paralelos e os Meridianos;  Latitude e Longitude;  Coordenadas geográficas;  A estrutura da Terra;  Fusos horários;  Linha Internacional da Data – LID;  A hora brasileira;  A formação da Terra;  A formação dos Continentes;  As águas de nossa terra;  Solstícios e Equinócios;  Zonas climáticas e zonas térmicas da Terra;  Os sistemas socioeconômicos;  Países desenvolvidos e desenvolvidos;  Globalização;  Estágios da Indústria;  As civilizações no espaço mundial;  A demografia nos dias atuais;
  62. 62. 62  Migrações;  Pirâmides etárias;  População ativa e inativa;  Cidadania;  Recursos energéticos;  Petróleo;  Energia elétrica;  Fontes alternativas de energia;  Proteção ao meio ambiente;  A água;  Posição geográfica do Brasil;  Relevo;  Dinâmica climática;  Paisagens vegetais;  Hidrografia;  População brasileira;  Espaço socioeconômico;  Agropecuária;  Extrativismo vegetal;  Fontes de energia;  Indústria no Brasil;  Recursos minerais;  Comercio exterior, transporte e comunicações. Sociedade e natureza  A sociedade, a natureza e os conceitos geográficos.  A natureza, a paisagem. 3.12.9. Artes Objetivo: Numa visão histórica, onde a mediação será um instrumento, propiciar ao aluno condições que contribuirá para que o mesmo possa entender e goste da Arte como uma das mais ricas linguagens da comunicação humana.
  63. 63. 63 Objetivos Específicos:  Conhecer a história da Arte e sua contribuição para a sociedade.  Conhecer a História da Arte Brasileira. Ementa:  Conhecendo a História da Arte Brasileira  Arte na Pré-História  Arte Indígena  Arte Colonial  Arte Holandesa  Arte Barroca  Arte Clássica  Arte Acadêmica  Arte Moderna  Expressionismo Brasileiro  Arte Primitiva  Arte Contemporânea no Brasil 3.12.10. Filosofia Objetivo Geral: Compreender que a ação da humanidade é resultado dos saberes e conhecimentos que o homem desenvolveu por meio de experiências e questionamentos que são cumulativos e dinâmicos. Objetivos Específicos:  Elencar os filósofos da natureza com suas ideias;  Distinguir a linha do pensamento de Sócrates, Platão e Aristóteles;  Analisar o sistema de pensamentos de cada um dos filósofos do idealismo;  Elaborar interpretações próprias sobre os assuntos estudados;  Listar as principais características do pensamento materialista;  Identificar a linha de pensamento dos principais materialistas;  Expressar opinião sobre aspectos positivos da técnica no desenvolvimento social humano;
  64. 64. 64  Diagnosticar sobre a forma de organização humana no futuro;  Conquista do conhecimento científico;  Características da ciência e de seus objetivos;  Ética na utilização dos conhecimentos advindos das conquistas científicas;  Capacidade de analisar os limites impostos ao conhecimento científico. Ementa:  Quem sou Eu?  Os Filósofos da Natureza, ou Pré-Socráticos.  Idealismo: Concepções Filosóficas  Materialismo  O Método da Ciência  A Tecnologia  O Homem e sua Dimensão Político-Moral  Os Juízos de Valores  O Homem como ser Político  O Mundo Político de Roma  O Estado Moderno  As Origens do Pensamento Político do Século XX 3.12.11. Sociologia Objetivo: Por meio da transmissão dos fatos básicos do desenvolvimento da sociedade humana, levar o aluno a analisar e fazer juízo próprio dos acontecimentos sociais dos tempos presentes. Ementa:  O ser humano  O grupo social  Classificação dos grupos sociais  A família  A escola  A religião
  65. 65. 65  O trabalho  A cultura humana  O Feudalismo  O Mercantilismo  O Colonialismo  A Revolução Industrial  Os tempos modernos  O Socialismo  O Socialismo Utópico  O Socialismo Cristão  O Marxismo  O Comunismo Soviético 3.13. Educação Especial – Sala de recursos (Para Deficientes Visuais) Objetivo Geral: Mediar o processo de apropriação e produção de conhecimento dos educandos com deficiência sensorial através da utilização de recursos específicos e signos, a fim de propiciar sua inclusão na sociedade. Objetivos Específicos:  Trabalhar as necessidades específicas do deficiente visual;  Orientar as Escolas (regular) e demais profissionais envolvidos na educação dos alunos com DV, quanto à apropriação de conhecimentos, adaptações físicas e materiais;  Fornecer materiais didáticos especializados ou adaptados, necessários para o desenvolvimento do educando;  Promover, através de ensinamentos básicos, a pessoa com DV a conquista de seus direitos como cidadãos. Caracterização dos Educandos: Pessoas cegas são indivíduos que apresentam perda total ou residual da visão necessitando do sistema Braille para o acesso à leitura e escrita, bem como o uso dos sentidos táteis, auditivo, olfativo, gustativo e sinestésico no seu processo de desenvolvimento e aprendizagem.
  66. 66. 66 Portadores de visão subnormal (baixa visão) pessoas que possuam resíduos visuais em grau que lhes permita ler textos impressos em tinta, desde que empregue recursos didáticos e equipamentos especiais (ópticos e não ópticos) para sua educação. Material Didático Adaptado: Considerando a educação como um processo que visa inclusão social de qualquer indivíduo na sociedade, faz-se necessário que os materiais utilizados para estimulação sensório-motora sejam apresentados ao educando tantas vezes forem necessárias para seu entendimento e conhecimento. O conhecimento através da percepção tátil se dará por partes. Ementa:  Comunicação e Expressão  Matemática  Inclusão Social  Psicomotricidade  APVD (atividades da vida diária)  Educação Sensorial  Orientação e Mobilidade  Sistema Braille  Estimulação Visual  Lúdico, literatura infantil. Comunicação e Expressão: Através de técnicas de desenho, pintura, recorte, desenvolverem o senso crítico, imaginação, coordenação motora, canalizar excessos de energia e favorecer a descarga emocional, respeitando a capacidade individual de cada criança. Atividades:  Estudo das cores (oralidade e estimulação)  Desenho  Pintura  Recorte e colagem  Dobraduras  Trançados
  67. 67. 67  Atividades em teares 3.13.1. Matemática Atividades:  Jogos  Bingo  Sorobã1  Escrita de números  Encaixes  Recorte e colagem 3.13.2. Inclusão Social A educação inclusiva reforça a prática e o princípio de que as diferenças são aceitas e respeitadas. BURIGO, 2001, p.8. Atividades:  Família  Comunidade  Escola  Mercado de trabalho Psicomotricidade: Conhecimento das qualidades físicas dos alunos, identificação das partes do corpo e espaço. Atividades  Passeios  Danças 1 Sorobã: Instrumento de cálculo em que se torna possível realizar as operações matemáticas com rapidez e eficácia além de outras aplicações.

×