O golpe de 1964

38.693 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
8 comentários
22 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
38.693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20.075
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
424
Comentários
8
Gostaram
22
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O golpe de 1964

  1. 1. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair
  2. 2. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) O golpe: militares e civis na trama de 1964 “Democratas do Brasil, não desconfiem das gloriosas Forças Armadas de nossa pátria.” Auro de Moura Andrade, presidente do Senado (19/03/1964)iair@pop.com.br Prof. Iair
  3. 3. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) O golpe: militares e civis na trama de 1964 Nós, os golpistas 1 - Antecedentes • Marcha da Família com Deus e pela Liberdade • 1° de Abril de 1964: militares avançam sobre as principais cidades brasileiras • Intitulam-se defensores da ordem nacional frente à ameaça comunista • A deposição sumária do presidente eleito é intitulada de Revolução ‘Democrática’ • O golpe de 64 foi possível graças à uma conjugação de fatores: - forças armadas + conivência e apoio de parcelas importantes da sociedade;iair@pop.com.br Prof. Iair
  4. 4. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) Marcha da Família com Deus pela Liberdade Comício da Central do Brasiliair@pop.com.br Prof. Iair
  5. 5. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) 2 - O 1º de Abril: • Um presidente deposto e outro conduzido ao poder por homens armados marcam o início da Revolução ‘Democrática’ de 1964. • Marcha da Família com Deus pela Liberdade (19/03/1964): – Movimento de oposição às reformas propostas por Jango. – Legitimou a tarefa das forças armadas de salvar o país do comunismo.iair@pop.com.br Prof. Iair
  6. 6. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) • O golpe foi um ato de força e de consenso. • Os acontecimentos que o precederam tornaram-se símbolos da participação civil e da politização de uma sociedade dividida e alimentada por projetos inegociáveis. • A retrospectiva dos fatos demonstra o acirramento das tensões, o recurso à força militar e os efeitos perversos do movimento.iair@pop.com.br Prof. Iair
  7. 7. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair
  8. 8. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair
  9. 9. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) 3 – Não à guerra civil • João Goulart não resistiu ao golpe: – Preferiu partir para o exílio no Uruguai. – Evitou uma luta sangrenta entre reformistas e golpistas. • Grupos que apoiavam a deposição do presidente João Goulart: – Comando das Forças Armadas. – Grupos empresariais. – Amplos setores das classes médias e dos meios de comunicação. – Diversos governos estaduais (GB, SP, MG, RS). – Grande parte dos parlamentares no Congresso Nacional. – Governo norte-americano.iair@pop.com.br Prof. Iair
  10. 10. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) João Goulart e Leonel Brizola Jango no exílioiair@pop.com.br Prof. Iair
  11. 11. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) • O Supremo Tribunal Federal (STF) omitiu-se diante da crise política. • O movimento golpista tinha o apoio do governo norte-americano. – Operação Brother Sam (EUA). • Entre os militares golpistas não havia planos de poder. Seus depoimentos confirmam que não existia um projeto a favor de algo, apenas contra. • Planos imediatos dos golpistas: – Depor o presidente João Goulart. – Promover uma “limpeza”, retirando do cenário político comunistas, trabalhistas e sindicalistas identificados com Jango.iair@pop.com.br Prof. Iair
  12. 12. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair
  13. 13. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair
  14. 14. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) 4 – A salvação da pátria: • Para os jornais paulistanos, o golpe militar foi a defesa da lei e da ordem: – Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo. – Defesa da “ordem” e críticas às Reformas de Base. – Apoio à Marcha da Família com Deus pela Liberdade. – Crítica à Revolta dos Marinheiros (mar/64). • Tanto o Estadão quanto a Folha defenderam a queda de Jango: – A deposição era vista como a “defesa da lei e do regime” – Apresentavam-se como porta-vozes da opinião pública. – Saudaram a instalação de um governo autoritário e ilegítimo como se fosse democrático e legal.iair@pop.com.br Prof. Iair
  15. 15. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) Apoio da imprensa ao golpeiair@pop.com.br Prof. Iair
  16. 16. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) 5 – O sol sem peneira: • Apoio da sociedade civil foi fundamental para a longevidade da ditadura militar no Brasil. • Até set/64, marchou-se sem descanso no país, num impressionante movimento de massas de apoio ao golpe. – Marcha da Família com Deus pela Liberdade (São Paulo): repúdio às Reformas de Base – Marcha da Vitória (São Paulo, Rio de Janeiro, em várias capitais e em diversas cidades) : comemoração do triunfo do golpe.iair@pop.com.br Prof. Iair
  17. 17. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) Marcha da Família com Deus pela Liberdadeiair@pop.com.br Prof. Iair
  18. 18. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) • Aqueles que marchavam temiam as anunciadas reformas: – Acabar com o latifúndio e a presença do capital estrangeiro. – Conceder o voto aos analfabetos (então 45% dos adultos) e aos soldados. – Proteger os assalariados e os inquilinos. – Mudar radicalmente os padrões de ensino e aprendizado. – Alterar o sistema bancário. – Estimular a chamada cultura nacional.iair@pop.com.br Prof. Iair
  19. 19. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) • Viria o Comunismo? Poucos sabiam o significado desta palavra, mas a associavam a tudo o que de mal existia: – Doença, miséria, destruição da família e dos valores éticos.iair@pop.com.br Prof. Iair
  20. 20. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)• Acompanharam o percurso da Marchas: – A maioria dos partidos políticos. – Lideranças políticas, empresariais e religiosas. – Tradicionais instituições da sociedade civil (OAB e CNBB). – “As direitas”.• A ampla frente política que apoiou o golpe era bastante heterogênea.• Lideranças civis aceitavam a ideia de uma breve intervenção militar na política.• Os oposicionistas ao regime militar – moderados ou radicais, reformistas ou revolucionários – sofreram o peso da repressão.• Expressivos segmentos apoiaram a ditadura.iair@pop.com.br Prof. Iair
  21. 21. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil esteve junto com as Marchas no apoio ao golpe.iair@pop.com.br Prof. Iair
  22. 22. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)• Momento de forte apoio à Ditadura (1969-1974): – “Anos de chumbo” (repressão política). – Conquista do tricampeonato mundial em 1970 e 150 anos da Independência em 1972 (propaganda ufanista). – ARENA: partido de apoio ao governo, presente em todos os estados do país, atestado da articulação dos civis no apoio à ditadura. – Enquanto a tortura comia solta nas prisões, o presidente Médici era ovacionado nos estádios de futebol.iair@pop.com.br Prof. Iair
  23. 23. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) Nos anos de chumbo, o Brasil festejou o tricampeonato mundial.iair@pop.com.br Prof. Iair
  24. 24. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)• Segunda metade dos anos 70 a partir do gov. Geisel (1974-1979): – Aumento da migração de políticos e instituições, antes favoráveis à ditadura, no sentido de restauração da democracia. – Início do processo de “transição democrática”. – Abertura “lenta, gradual e segura”. – Revogação dos Atos Institucionais em 1979. – Lei da Anistia (1979). – Retorno ao Pluripartidarismo. – Grade mobilização da sociedade brasileira na campanha das Diretas-Já (1983-1984).iair@pop.com.br Prof. Iair
  25. 25. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) Grande mobilização Contradições da nova democracia: popular na campanha José Sarney, que apoiou a das Diretas-Já. ditadura desde o início, ao lado de Tancredo Neves e Ulysses Guimarães, símbolos da abertura.iair@pop.com.br Prof. Iair
  26. 26. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) 6 – Ainda o silêncio: • Quase 50 anos após o golpe, o tema continua sendo encarado com ressalva em sala de aula. • A renúncia de Jânio foi apontada como uma das causas do golpe em boa parte dos livros didáticos dos anos 1970 e 1980, mas ela praticamente desaparece nos livros mais recentes. • Uma razão de fundo a ser pensada é a seguinte: por que razões o golpe de 1964 foi duradouro e bem-sucedido do ponto de vista dos vitoriosos?iair@pop.com.br Prof. Iair
  27. 27. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985) • Causa fundamental do golpe segundo os livros didáticos dos anos 1970 e 1980: – Crises econômicas e inabilidade de João Goulart no governo. • Causa fundamental do golpe segundo livros das décadas seguintes – Choques entre grupos de esquerda e grupos de direita, fatos que ocorreram em março de 1964, política desenvolvimentista da década de 1950, e que o golpe de 64 seria um adiamento do golpe planejado em 1961.iair@pop.com.br Prof. Iair
  28. 28. BRASIL REPÚBLICA (1889 – ) DITADURA MILITAR (1964 – 1985)iair@pop.com.br Prof. Iair

×