Abnt 2014 normas

2.038 visualizações

Publicada em

ABNT

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.038
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abnt 2014 normas

  1. 1. MANUAL DE NORMALIZAÇÃO CONSELHEIRO LAFAIETE - MG 2014
  2. 2. APRESENTAÇÃO A pesquisa científica realizada no âmbito das Instituições de Ensino Superior pelo docente ou discente, precisa ser formatada, de maneira organizada, seguindo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Este manual tem por objetivo atender às necessidades da comunidade acadêmica no que se refere à normalização de trabalhos acadêmicos, incluindo artigos científicos e trabalhos de conclusão de cursos, desenvolvidos no Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete (CES-CL). A revisão deste manual pode ser atualizada sempre que uma norma for revista pela ABNT. Como o objetivo deste manual é ser instrumento prático e funcional aos docentes e discentes em fase de elaboração de trabalhos técnico-científicos, sua linguagem é simples, incluindo ilustrações para facilitar sua compreensão.
  3. 3. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO .......................................................................................................... 2 1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................ 5 2 CONCEITUAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ......................................... 6 2.1 Monografia .................................................................................................................. 6 2.2 Dissertação .................................................................................................................. 6 2.3 Tese .............................................................................................................................. 6 3 APRESENTAÇÃO GRÁFICA ................................................................................... 7 3.1 Formato ........................................................................................................................ 7 3.2 Fonte ............................................................................................................................ 7 3.3 Margens ....................................................................................................................... 7 3.4 Parágrafo ...................................................................................................................... 7 3.5 Paginação ..................................................................................................................... 8 3.6 Siglas ........................................................................................................................... 8 3.7 Ilustrações .................................................................................................................... 9 3.7.1 Figuras .................................................................................................................... 11 3.7.2 Quadros ................................................................................................................... 12 3.7.3 Tabelas .................................................................................................................... 13 3.8 Divisões do Texto ...................................................................................................... 15 3.8.1 Regras gerais .......................................................................................................... 15 4 ESTRUTURA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS ............................................. 17 4.1 Elementos pré-textuais .............................................................................................. 18 4.1.1 Capa ........................................................................................................................ 18 4.1.2 Folha de rosto ......................................................................................................... 19 4.1.3 Errata ...................................................................................................................... 21 4.1.4 Folha de Aprovação ................................................................................................ 22 4.1.5 Dedicatória.............................................................................................................. 23 4.1.6 Agradecimentos ...................................................................................................... 24 4.1.7 Epígrafe .................................................................................................................. 24 4.1.8 Resumo em Português / Resumo em Inglês ........................................................... 25 4.1.9 Listas ....................................................................................................................... 26 4.1.10 Sumário ................................................................................................................. 27 4.2 Elementos textuais ..................................................................................................... 28 4.2.1 Introdução ............................................................................................................... 28 4.2.2 Referencial Teórico ................................................................................................ 28 4.2.3 Metodologia ............................................................................................................ 28 4.2.4 Resultados e Discussão ........................................................................................... 28 4.2.5 Considerações finais ............................................................................................... 28 4.3 Elementos pós-textuais .............................................................................................. 29 4.3.1 Referências ............................................................................................................. 29 4.3.2 Glossário ................................................................................................................. 29 4.3.3 Apêndices e anexos ................................................................................................ 29 4.3.4 Índice ...................................................................................................................... 29 5 PROJETO DE PESQUISA ........................................................................................ 30 5.1 Estrutura .................................................................................................................... 30
  4. 4. 6 ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO .................... Erro! Indicador não definido. 6.1 Citações ....................................................................... Erro! Indicador não definido. 6.1.1 Citação Direta (textual) ............................................ Erro! Indicador não definido. 6.1.2 Citação Indireta (livre).............................................. Erro! Indicador não definido. 6.1.3 Citação de Citação .................................................... Erro! Indicador não definido. 6.1.4 Citação de informações (extraídas das redes de comunicação eletrônica) ........ Erro! Indicador não definido. 6.2 Notas de rodapé ........................................................... Erro! Indicador não definido. 6.3 Referências .................................................................. Erro! Indicador não definido. 6.3.1 Formas de Entrada das Referências .......................... Erro! Indicador não definido. 6.3.2 Outros exemplos de referências ................................ Erro! Indicador não definido. REFERÊNCIAS .............................................................. Erro! Indicador não definido.
  5. 5. 5 1 INTRODUÇÃO A Norma Brasileira 14724 de 30/12/2005 (NBR 14724:2005) da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, define como trabalho acadêmico as teses, dissertações, bem como os similares: Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), Trabalho de Conclusão de Curso de especialização e/ ou aperfeiçoamento e outros. Dessa forma, o documento apresentado parte do princípio de que um trabalho realizado para uma disciplina do curso de graduação ou pós-graduação, um relatório, um projeto, um resumo, um artigo científico, uma síntese ou uma resenha, também é considerado como trabalho acadêmico. As orientações aqui apresentadas poderão ser utilizadas para a normalização de qualquer trabalho acadêmico, independente do grau que se pretende obter. Tais orientações são fundamentadas nas normas, publicadas pela ABNT. Espera-se poder contribuir de maneira clara e didática nas instruções a serem seguidas.
  6. 6. 6 2 CONCEITUAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 2.1 Monografia Significa monós (um só) e grafhein (escrever), trabalho a respeito de um único assunto. Para Marconi e Lakatos (1990, p.205), monografia é: (...) um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece a rigorosa metodologia. Investiga determinado assunto não só em profundidade, mas em todos os seus ângulos e aspectos, contribuição importante, original e pessoal para a ciência. A monografia constitui-se em um documento que representa o resultado de estudo e pesquisa, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso e programa. Deve ser realizada sob a coordenação de um professor orientador. 2.2 Dissertação É um documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão. Objetiva-se reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento do referencial teórico (literatura) existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor), visando à obtenção do título de mestre. 2.3 Tese Representa o resultado de um trabalho experimental de um tema específico e bem delimitado. Deve ser elaborada a partir de uma investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. Visa à obtenção do título de Doutor.
  7. 7. 7 3 APRESENTAÇÃO GRÁFICA A estética dos trabalhos acadêmicos, dos projetos de pesquisa, das dissertações e das teses depende essencialmente da obediência a certos padrões de apresentação gráfica. Assim, devem ser seguidas algumas recomendações referentes à formatação. 3.1 Formato Os textos devem ser digitados no anverso das folhas. Todo o texto deve ser digitado com espaço 1,5 entrelinhas, exceto as citações diretas com mais de três linhas, referências, notas e legendas que devem ser digitadas em espaço simples. 3.2 Fonte • Fonte Times New Roman e tamanho 12 para todo o texto; • Fonte Times New Roman e tamanho 10 para citações com mais de três linhas, notas de rodapé e legenda das ilustrações; • Fonte Times New Roman e tamanho 14 para (TÍTULO) em maiúsculo e negrito; • Fonte Times New Roman e tamanho 12 para (Subtítulo) em minúsculo e negrito. 3.3 Margens • Margem esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior 2 cm; • Recuo de parágrafo para citação com mais de três linhas: 4 cm da margem esquerda; • Alinhamento de título sem indicação numérica (RESUMO, ABSTRACT, LISTAS, SUMÁRIO, REFERÊNCIAS): utilizar a opção “Centralizada” do programa Word; • Alinhamento de título com indicação numérica (1 INTRODUÇÃO, 2 REFERENCIAL TEÓRICO, 3 METODOLOGIA, 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO, 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS): utilizar o parágrafo moderno (alinhado à esquerda). 3.4 Parágrafo
  8. 8. 8 • O texto deve ser digitado justificado, pois, em trabalhos acadêmicos, não são aceitos sinais para completar espaços vazios; • Deve-se usar o parágrafo moderno: todo o texto é alinhado à esquerda e o início de cada parágrafo é marcado com dois espaços de 1,5; • Utilizam-se dois “enter” a partir do ponto final. • Entre os títulos das seções e subseções do texto devem-se usar dois espaços de 1,5; • Os títulos das seções devem começar na parte superior da folha e devem ser precedidos do indicativo numérico, alinhados à margem esquerda e separados do texto que os sucede por dois espaços 1,5 entrelinhas; • Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede e que os sucede por dois espaços 1,5 entrelinhas. 3.5 Paginação As folhas devem ser contadas a partir da folha de rosto sendo que a numeração, em algarismos arábicos, só aparece a partir da introdução. Esta poderá ser, por exemplo, 5 se forem utilizadas quatro folhas anteriormente. A numeração deve ser colocada no canto superior direito da folha a 2 cm da borda superior. O tamanho da fonte que indica a paginação será 12. 3.6 Siglas As formas abreviadas de nomes (abreviaturas e siglas) são usadas para evitar a repetição de palavras e expressões frequentemente utilizadas no texto. Exemplo: CES-CL, CRC, ABNT. Deve-se agir com muito critério e usar as abreviaturas já existentes ao invés de criar novas. Quando uma sigla ou abreviatura for apresentada pela primeira vez no texto, deve ser precedida do nome por extenso. Exemplos: Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete - CES-CL. Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
  9. 9. 9 Não se empregam abreviaturas nos títulos e resumos dos trabalhos, para se evitar problemas na tradução deles. Não se usa ponto nas abreviaturas de unidades de medida e nas siglas. A mesma forma serve para o singular e para o plural nas unidades de medida. Exemplos: 1 cm 5 m UNESCO Não se usa plural para as formas abreviadas das palavras. Exemplos: editores: ed. organizadores : org. Não se abreviam nomes geográficos, a não ser quando se tratar de abreviaturas universalmente aceitas, como: EUA. Portanto, escreve-se sempre por extenso: São Paulo e não S. Paulo ou S.P. Na língua portuguesa, os meses do ano são abreviados pelas três primeiras letras e ponto. O mês de maio não se abrevia por contar com os quatro dígitos permitidos na abreviatura. Os meses do ano deverão ser abreviados de acordo com a figura abaixo: PORTUGUÊS INGLÊS ESPANHOL ITALIANO FRANCÊS janeiro - jan. january - jan. fevereiro - fev. february - feb. março - mar. march - mar. abril - abr. april - apr. maio - maio may - may. junho - jun. june - june julho - jul. july - july agosto - ago. august - aug. setembro - set. outubro - out. novembro - nov. dezembro - dez. septembre - sept. october - oct. novembre - nov. decembre - dec. enero – ene. febrero – feb. marzo – mar. Abril – abr. mayo – mayo. junio – jun. julio – jul. agosto – ago. setiembre – set. octubre – oct noviembre – nov. diciembre –dic Gennaio – gen. Febbraio – feb Marzo – mar. Aprile – apr. Maggio – mag. Giugno – giug. Giuglio –giugl. Agosto – ago Settembre – set Ottobre – ott. Novembre – nov. Decembre – dec. janvier – jan. février – fév. mars – mars. avril – avr. mai – mai. juin – juin. juillet – juil. août – août. septembre – sept. octobre – oct. novembre – nov. decembre – dec. FIGURA 1 – Abreviaturas dos meses. 3.7 Ilustrações
  10. 10. 10 As ilustrações compreendem: as figuras, os quadros e as tabelas. São utilizadas como recursos que explicam ou complementam o texto. Servem para elucidar, explicar e simplificar o entendimento do texto. Elas devem estar localizadas o mais próximo possível da parte do texto onde são citadas. Para toda abreviatura utilizada em figuras, quadros e tabelas deverá conter uma legenda explicativa. Numeram-se as ilustrações no decorrer do texto com algarismos arábicos, em uma sequência própria. A legenda (se houver) é um texto explicativo que acompanha a ilustração e deve ser colocada logo abaixo do título, usando-se a mesma pontuação de uma frase comum. Deve-se evitar a continuação da legenda em página seguinte à da ilustração. Toda ilustração que já tenha sido publicada anteriormente deve conter, abaixo da legenda, dados sobre a fonte (autor, data e página), de onde foi extraída. Como nas demais citações, a referência completa, relativa à fonte da ilustração, deve figurar na listagem no final do trabalho (REFERÊNCIAS). As ilustrações devem ser centradas na página e impressas em local tão próximo quanto possível do trecho onde são mencionadas no texto. Quando as ilustrações forem em grande número e/ou tamanho maior, podem ser agrupadas no final do trabalho, como anexos, mantendo-se a sequência normal na numeração das ilustrações e das páginas. As ilustrações devem se enquadrar nas mesmas margens adotadas para o texto. Duas ou mais ilustrações podem constar da mesma página, cada uma contendo seu título, número e/ou legenda. Ilustrações a cores encarecem a publicação e requerem cuidados consideráveis. Muitas vezes recomenda-se um desenho que permita maior visibilidade de detalhes. Ilustrações maiores do que o tamanho normal das páginas é reduzido fotograficamente. Se a redução não for
  11. 11. possível, o material pode ser dobrado ou impresso no sentido vertical da página, ficando a numeração da página na sua posição normal. Os originais das ilustrações devem ser confeccionados em papel vegetal, utilizando técnicas adequadas, a fim de se evitar possíveis defeitos na reprodução e impressão. 3.7.1 Figuras As figuras compreendem as imagens visuais extensivas ao texto, compreendendo os gráficos as fotografias, os esquemas esquemas, entre outros. Devem ser apresentadas: • o título na parte inferior GRÁFICO) e do número de ordem em algarismos arábicos, deve ser digitado em espaço simples e com fonte menor que a do texto; • na parte inferior da Figura informações e a legenda (se houver) na seção “Referências”. Isso se torna desnece sido coletados e elaborados pelo autor do tra • devem ser numeradas, em algarismos arábicos, sequ Destaca-se que os gráficos são desenhos constituídos de traços e pontos, numerados com algarismos arábicos. Seu t citação no texto será pela indicação GRAF., acompanhada do número de ordem a que se refere. Deve conter legenda digitada a parte. 40.000,00 30.000,00 20.000,00 10.000,00 - 1 2 GRÁFICO 1: PIS e COFINS inferior, sem ponto final, precedido da palavra deve constar também a fonte de onde foram obtidas as houver). Faz-se necessária a indicação completa da fonte desnecessário quando os dados da figura trabalho; as, sequencialmente, ao longo do texto; s título é precedido da palavra GRÁFICO em letras maiúsc 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 – Lucro Presumido 11 utilizando-se gráficos, , FIGURA (ou ssário tiverem encialmente, FICO maiúsculas. A PIS COFINS
  12. 12. 12 Fonte: MORAES, 2012. 3.7.2 Quadros Apresentam informações de dados, sem qualquer preocupação com comparações entre variáveis. Devem ter a seguinte apresentação: • os dados vêm limitados por linhas em todas as margens; • devem ser numerados, em algarismos arábicos, sequencialmente, ao longo do texto; • o título na parte superior, sem ponto final, precedido da palavra QUADRO e do número de ordem em algarismos arábicos, deve ser digitado em espaço simples e com fonte menor que a do texto. Deve ser claro e conciso, sem abreviações e deve indicar, além da natureza do assunto, a abrangência geográfica e temporal dos dados numéricos; • na parte inferior do quadro deve constar a fonte de onde foram obtidas as informações e a legenda (se houver). Faz-se necessária a indicação completa da fonte na seção “Referências”; • no cabeçalho de cada coluna indica-se o seu conteúdo. Os títulos das colunas podem ser apresentados verticalmente, se necessário, para economizar espaço; • o quadro deve ser fechado lateralmente; • o tamanho da fonte para formatação dos quadros deve ser menor do que a utilizada no corpo do trabalho. QUADRO 1
  13. 13. 13 Percentuais para determinação do Lucro Presumido ESPÉCIES DE ATIVIDADES GERADORAS DA RECEITA PERCENTUAIS APLICÁVEIS SOBRE A RECEITA Atividades imobiliárias Construção por empreitada, quando houver emprego de 8% materiais próprios, em qualquer quantidade Serviços de mão de obra de construção civil, quando a prestadora não empregar materiais de sua propriedade nem se responsabilizar pela execução da obra 12% Fonte: SANTOS, 2012, p.240. 3.7.3 Tabelas As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, enquanto que os quadros contêm informações textuais agrupadas em colunas. As tabelas são confeccionadas com o objetivo de apresentar resultados numéricos e valores comparativos, principalmente quando em grande quantidade. Devem apresentar: • o título na parte superior, sem ponto final, precedido da palavra TABELA e do número de ordem em algarismos arábicos, deve ser digitado em espaço simples e com fonte menor que a do texto. Deve ser claro e conciso, sem abreviações e deve indicar, além da natureza do assunto, a abrangência geográfica e temporal dos dados numéricos. Ex. Índice de analfabetismo, por Unidade da Federação, no período de 1981-1985, Brasil; • devem ser autoexplicativas, dispensando consultas ao texto ou outras tabelas; • devem ser numeradas, em algarismos arábicos, sequencialmente, ao longo do texto; • na parte inferior da tabela deve constar a fonte de onde foram obtidas as informações e a legenda (se houver). Faz-se necessária a indicação completa da fonte na seção “Referências”. Isso se torna desnecessário quando os dados da tabela tiverem sido coletados e elaborados pelo autor do trabalho;
  14. 14. 14 • não devem ser traçadas linhas verticais que delimitem à esquerda e à direita, pois estas configuram quadros e não tabelas; • no cabeçalho de cada coluna indica-se o seu conteúdo. Os títulos das colunas podem ser apresentados verticalmente, se necessário, para economizar espaço; • o tamanho da fonte para formatação das tabelas deve ser menor do que a utilizada no corpo do trabalho; • a tabela não deve ser fechada lateralmente; • quando a tabela ultrapassar as dimensões da página deve-se indicar no rodapé, à margem direita a palavra da tabela continua e na página seguinte, antes do cabeçalho da tabela, à margem esquerda, conclusão para a última e continuação para as demais. O traço horizontal que separa o rodapé, assim como o conteúdo do rodapé, deve ser colocado somente na página de conclusão da tabela. A disposição dos dados numa tabela deve permitir a comparação e ressaltar as relações existentes, destacando o que se pretende demonstrar. Aconselha-se evitar a inclusão em tabela de uma grande quantidade de dados similares, nesse caso, devem-se reunir estatisticamente resultados individuais e apresentar apenas as médias, evitando-se a inclusão de dados que possam ser facilmente calculados a partir dos demais. Não se deve deixar nenhuma célula vazia no corpo da tabela ou quadro, usando-se os seguintes símbolos, conforme convenção internacional: - quando, pela natureza do fenômeno, o dado não existir; Z quando o dado for rigorosamente zero; .. quando não se aplicar dado numérico; ... quando não se dispuser do dado;
  15. 15. 15 TABELA 4 Cálculo CSLL – Lucro Presumido Período referência 1 º Trimestre 2 º Trimestre 3 º Trimestre 4 º Trimestre Total Receita operacional 633.949,07 2.069.639,51 1.118.146,69 1.023.689,04 4.845.424,31 12% presunção 76.073,89 248.356,74 134.177,60 122.842,68 581.450,92 (+) Receita financeira 3.798,08 2.912,87 1.315,50 23.542,04 31.568,49 (=) Base de cálculo 79.871,97 251.269,61 135.493,10 146.384,72 613.019,41 Alíquota 9% CSLL a recolher 7.188,48 22.614,27 12.194,38 13.174,63 55.171,75 Total CSLL devida 7.188,48 22.614,27 12.194,38 13.174,63 55.171,75 Fonte: Resultado do estudo, 2012. 3.8 Divisões do Texto O sistema de numeração progressiva das seções de um documento escrito expõe uma sequência lógica, o interrelacionamento da matéria e permite sua localização (NBR 6024/2003). 3.8.1 Regras gerais Para numeração das seções devem-se adotar os seguintes procedimentos: • empregar algarismo arábico na numeração; • iniciar cada seção (ou capítulo) em uma nova folha; • os títulos das seções devem ser separados do texto que os sucede por dois espaços 1,5 entrelinhas. Da mesma maneira, os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede e sucede por dois espaços 1,5; • o indicativo numérico de uma seção é alinhado à esquerda, separado do título somente por um espaço; • nos títulos sem indicativo numérico como lista, sumário, resumo e outros devem ser centralizados; • destacar os títulos das seções, utilizando os recursos de negrito.
  16. 16. 16 Deve-se limitar o número de seções até a quinária. Havendo necessidade de enumerar subdivisões, estas podem ser subdivididas em alíneas (a, b, c,...,), ordenadas alfabeticamente por letras minúsculas seguidas de parênteses e reentradas em relação à margem esquerda. O texto da alínea começa por letra maiúscula e termina em ponto e vírgula, exceto a última que termina em ponto final. Caso haja necessidade ainda de dividir o texto pertinente à alínea, empregar o ( – ). Não se devem usar marcadores do tipo ♣♣♦♣♣.
  17. 17. 17 4 ESTRUTURA DOS TRABALHOS ACADÊMICOS Os elementos de um trabalho acadêmico possuem estrutura composta por partes pré-textuais, textuais e pós-textuais, sendo algumas dessas partes consideradas obrigatórias e outras opcionais. Vejamos: ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS: • Capa (obrigatório); • Folha de rosto (obrigatório); • Errata (opcional); • Folha de aprovação (obrigatório); • Dedicatória (opcional); • Agradecimentos (opcional); • Epígrafe (opcional); • Resumo em português / Resumo em inglês (obrigatório); • Lista de ilustrações, Abreviaturas e siglas (obrigatório); • Sumário (obrigatório). ELEMENTOS TEXTUAIS: • Introdução (obrigatório); • Referencial Teórico (obrigatório); • Metodologia (obrigatório); • Resultados e Discussão (obrigatório); • Considerações Finais (obrigatório). ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS: • Referências (obrigatório); • Glossário (opcional); • Apêndice (s) (opcional); • Anexos (opcional); • Índice (opcional).
  18. 18. 18 4.1 Elementos pré-textuais 4.1.1 Capa Na capa são impressos os dados essenciais para a identificação do trabalho: • nome da instituição: escrito em letras maiúsculas, na fonte Times New Roman, tamanho 12, sem negrito, centralizado na margem superior da folha; • nome do curso: escrito em letras maiúsculas, na fonte Times New Roman, tamanho 12, sem negrito, centralizado logo abaixo do nome da Instituição; • título: escrito em letras maiúsculas negritadas, na fonte Times New Roman, em tamanho 14, centralizado no meio da folha com espaçamento 1,5 no caso de ultrapassar mais de uma linha; • subtítulo do trabalho (se houver): escrito em letras maiúsculas (somente em caso de nomes próprios) ou minúsculas negritadas, na fonte Times New Roman, em tamanho 12, centralizado no meio da folha; • nome completo do autor(s): escrito em letras maiúsculas, na fonte Times New Roman, em tamanho 12, sem negrito, centralizado logo abaixo do título ou subtítulo. Em caso de trabalho em grupo, os nomes são digitados em ordem alfabética com espaçamento simples entre os mesmos; • local: cidade da instituição onde será apresentado o trabalho, escrito em letras maiúsculas na fonte Times New Roman, em tamanho 12, sem negrito, centralizado na margem inferior; • ano de realização – escrito sem negrito na fonte Times New Roman, em tamanho 12, centralizado na margem inferior, logo abaixo do local.
  19. 19. 19 Margem 3 cm CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE CONSELHEIRO LAFAIETE – CES-CL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ma Margem 3 cm Margem 2 cm CONTABILIDADE PÚBLICA: princípios e legislação FÁBIO DA SILVA CRUZ CONSELHEIRO LAFAIETE – MG 2014 FIGURA 2 – Modelo de Capa 4.1.2 Folha de rosto Margem 2 cm Na folha de rosto são apresentadas as informações indispensáveis à identificação do trabalho: • nome completo do autor(s): escrito em letras maiúsculas, na fonte Times New Roman, tamanho 12, sem negrito, centralizado na margem superior da folha. Em caso de trabalho em grupo, os nomes são digitados em ordem alfabética com espaçamento simples entre os mesmos;
  20. 20. 20 • título do trabalho: escrito em letras maiúsculas negritadas, na fonte Times New Roman, em tamanho 14, centralizado no meio da folha, com espaçamento 1,5 no caso de ultrapassar mais de uma linha; • nota de apresentação: deve indicar a natureza acadêmica do trabalho, o nome da disciplina, curso e instituição em que é apresentado. Vem logo abaixo do título ou do subtítulo, digitada em espaço simples, na fonte Times New Roman, tamanho 10, sem negrito, em letras minúsculas (com exceção da letra da palavra inicial e nomes próprios) recuadas a partir do meio da folha até a margem direita; • nome completo do professor/orientador: escrito em letras maiúsculas e minúsculas, na fonte Times New Roman, tamanho 12, sem negrito, localizado a dois espaços abaixo da nota de apresentação; • local: cidade da instituição onde será apresentado o trabalho, escrito em letras maiúsculas, na fonte Times New Roman, tamanho 12, sem negrito, centralizado na margem inferior; • ano de realização do trabalho: escrito sem negrito, na fonte Times New Roman, em tamanho 12, centralizado na margem inferior, logo abaixo do local.
  21. 21. 21 Margem 3 cm FÁBIO DA SILVA CRUZ CONTABILIDADE PÚBLICA: princípios e legislação Monografia apresentada ao Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete – CES-CL, como requisito parcial para obtenção do título de bacharel em Ciências Contábeis. Orientador: Professor xxxxxx CONSELHEIRO LAFAIETE – MG 2014 Margem 3 cm FIGURA 3 – Modelo de Folha de Rosto 4.1.3 Errata Margem 2 cm Margem 2 cm Listagem de erros com as devidas correções, indicações de páginas e, quando possível de linhas em que os mesmos aparecem. Se possível deve ser inserida, como encarte, após a folha de rosto.
  22. 22. 22 ERRATA onde se lê leia – se página parágrafo linha pretextuais pré- textuais 156 2 2 postextuais pós- textuais 156 2 1 FIGURA 4 - Modelo de Errata 4.1.4 Folha de Aprovação • Nome do autor na primeira linha, tamanho 12, não negritado, letra minúscula. Será utilizado dois “enter”. • Título do trabalho: escrito em letras maiúsculas negritadas, na fonte Times New Roman, em tamanho 14, centralizado, com espaçamento 1,5 no caso de ultrapassar mais de uma linha. • Subtítulo do trabalho (se houver): escrito em letras maiúsculas (somente em caso de nomes próprios) ou minúsculas negritadas, na fonte Times New Roman, em tamanho 12, centralizado no meio da folha. Será utilizado dois “enter”. • Nota de apresentação: vem logo abaixo do título ou do subtítulo, digitada em espaço simples, na fonte Times New Roman, tamanho 10, sem negrito, em letras minúsculas (com exceção da letra da palavra inicial e nomes próprios) recuadas a partir do meio da folha até a margem direita. . Deverá seguir o modelo. • Componentes da banca: distribuir os nomes e suas respectivas titulações, considerando o espaço da margem inferior. Sendo que o último nome deverá constar na última linha. O orientador deverá ser o primeiro citado. Observe o exemplo.
  23. 23. 23 Fábio da Silva Cruz CONTABILIDADE PÚBLICA: princípios e legislação Monografia apresentada à Banca Examinadora do Curso de Ciências Contábeis do Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete (CES-CL). Conselheiro Lafaiete – MG, 2014. DATA DE APROVAÇÃO: ___/___/______ _____________________________________________ Profª. Ma. Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes - Orientadora ____________________________________________ Prof. Me. Túlio César de Melo Silva _____________________________________________ Prof. Especialista Darci Tavares FIGURA 5 – Modelo de Folha de Aprovação 4.1.5 Dedicatória Texto, geralmente curto, no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a alguém. Sem título. Sugestão de modelo.
  24. 24. 24 Dedico este trabalho aos meus amigos e familiares que compartilharam comigo o entusiasmo pela busca do conhecimento. FIGURA 6 – Modelo de Dedicatória 4.1.6 Agradecimentos Manifestação de agradecimento a pessoas e instituições que de alguma forma, colaboraram para a execução do trabalho. O título é obrigatório, sendo que o texto segue as normas do manual. 4.1.7 Epígrafe Citação de um pensamento que, de certa forma, embasou a gênese da obra. Alinhado à direita na margem inferior.
  25. 25. 25 4.1.8 Resumo em Português / Resumo em Inglês Deve ser um texto bastante sintético que inclui as ideias principais do trabalho, permitindo que tenha uma visão sucinta do todo, principalmente das questões de maior importância e das conclusões a que se tenha alcançado. É feito normalmente na língua de origem e numa outra de larga difusão, dependendo de seus objetivos e alcance. O título deve ser centralizado, sem indicativo numérico e deve ser redigido em parágrafo único. Deve- se evitar no resumo: abreviaturas, símbolos, fórmulas, equações e diagramas que não sejam absolutamente necessários à sua compreensão, bem como comentários, críticas e julgamento pessoal do resumidor. O texto deverá conter entre 250 a 300 palavras em um único parágrafo com espaçamento simples, com 3 a 5 palavras-chave. No resumo, o aluno deverá descrever o objetivo, a metodologia utilizada e as considerações finais. A escrita será no tempo passado. RESUMO XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX PALAVRAS-CHAVE: xxxxxxxxxxx,xxxxxxxxxx,xxxxxxxxxxxxxx FIGURA 7 – Modelo de Resumo em Português A tradução do resumo para o inglês ou para outro idioma de difusão internacional. ABSTRACT XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX KEYWORDS: xxxxxxxxxxx,xxxxxxxxxx,xxxxxxxxxxxxxx FIGURA 8 – Modelo de Resumo em Inglês
  26. 26. 26 4.1.9 Listas Rol de elementos ilustrativos ou explicativos, que antecedem o sumário. Dependendo da característica do documento podem ser incluídas as seguintes listas: abreviaturas e siglas, ilustrações (ex: gráficos, tabelas, quadros). As abreviaturas específicas do trabalho e siglas desconhecidas devem constar de lista prévia, ordenadas alfabeticamente pela sigla e seguida do nome por extenso. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas CES-CL - Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete CRC - Conselho Regional de Contabilidade FIGURA 9 – Modelo de Abreviaturas e Siglas As ilustrações compreendem: as figuras (ex. gráficos), os quadros e as tabelas. Devem constar de lista prévia, ordenadas numericamente, seguida do nome e da página em que se encontra. LISTA DE GRÁFICOS GRÁFICO 1 - PIS e COFINS............................................................................................25 GRÁFICO 2- CSLL e IRPJ............................................................................................... 28 FIGURA 10 – Modelo de Lista de Gráficos LISTA DE TABELAS TABELA 1- Cálculo CSLL.................................................................................................25 TABELA 2- Cálculo IRPJ.................................................................................................. 28 FIGURA 11 – Modelo de Lista de Tabelas
  27. 27. 27 LISTA DE QUADROS QUADRO 1- Alíquotas CSLL..........................................................................................25 QUADRO 2- Alíquotas IRPJ........................................................................................... 28 FIGURA 12 – Modelo de Lista de Quadros 4.1.10 Sumário Indicação do conteúdo do documento, refletindo suas divisões, na mesma ordem e grafia em que aparecem no texto. Não se pode esquecer-se de inserir a paginação. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................8 2 REFERENCIAL TEÓRICO .................................................................................10 2.1 Histórico Contábil .................................................................................................11 2.2 Definições ..............................................................................................................15 2.3 Princípios ...............................................................................................................36 2.4 Estrutura Básica .....................................................................................................45 3 METODOLOGIA ..................................................................................................56 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO ..........................................................................63 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................67 REFERÊNCIAS .......................................................................................................69 ANEXOS ....................................................................................................................72 FIGURA 13- Modelo de Sumário
  28. 28. 28 4.2 Elementos textuais 4.2.1 Introdução Deve fornecer uma visão global da pesquisa realizada, incluindo a questão de pesquisa, os objetivos (geral e específico), as hipóteses (se houver), as justificativas do estudo e a delimitação do assunto tratado. Não utilizar citações. 4.2.2 Referencial Teórico Nesse capítulo, o autor deve demonstrar conhecimento da literatura básica sobre o assunto, resumindo os resultados de estudos feitos por outros autores. Todo documento analisado deve constar na referência. 4.2.3 Metodologia É a parte onde se descreve a metodologia adotada para o desenvolvimento do trabalho. Descrição breve, porém completa e clara das técnicas e processos empregados, bem como o delineamento experimental. 4.2.4 Resultados e Discussão Este capítulo deve ser apresentado de forma detalhada, propiciando ao leitor a percepção completa dos resultados obtidos. Deve incluir ilustrações como quadros, gráficos, tabelas, mapas, dentre outros. 4.2.5 Considerações Finais Síntese final do trabalho, a conclusão constitui-se de uma resposta à questão de pesquisa enunciada na introdução. O autor manifestará seu ponto de vista sobre os resultados obtidos e sobre o alcance deles. Não se permite a inclusão de dados nesse capítulo. Não utilizar citações.
  29. 29. 29 4.3 Elementos pós-textuais 4.3.1 Referências Consiste numa listagem das publicações utilizadas para elaboração do trabalho, em ordem alfabética. 4.3.2 Glossário Lista alfabética de palavras pouco conhecidas, estrangeiras, termos ou expressões técnicas acompanhadas de definições ou traduções. 4.3.3 Apêndices e anexos Documentos complementares e/ou comprobatórios do texto, sendo o apêndice elaborado pelo próprio autor e o anexo podendo ter autoria diferente, trazem informações esclarecedoras, tabelas ou dados colocados à parte, para não “quebrar” a sequência lógica da exposição. Quando há mais de um, cada anexo ou apêndice contém no alto da página a indicação ANEXO (APÊNDICE) em letras maiúsculas, seguida da letra de ordem do respectivo título. Os anexos ou apêndices devem ser citados no texto entre parênteses, quando vierem no final da frase. Se inserido na redação, o termo ANEXO (APÊNDICE) vem livre dos parênteses. 4.3.4 Índice Constitui-se de uma listagem de palavras significativas com indicação da localização das informações no texto. Não se deve confundir índice com sumário, pois ambos possuem conteúdo, arranjo e localização próprios. O índice localiza-se após as referências, e o sumário antecede o texto.
  30. 30. 30 5 PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa é o planejamento de uma pesquisa, ou seja, a definição dos caminhos para abordar certa realidade. Deve oferecer respostas do tipo: O que pesquisar? Por que pesquisar? (Justificativa) Para que pesquisar? (Objetivos) Como pesquisar? (Metodologia) Quando pesquisar? (Cronograma) Por quem? A pesquisa científica precisa ser bem planejada. O planejamento não assegurará, por si só, o sucesso do estudo, mas, com certeza, é um bom caminho para uma pesquisa de qualidade. O projeto de pesquisa é necessário para obtenção de bolsas de estudo, patrocínio de pesquisas, ser apresentado ao orientador de uma monografia de final de curso, nos cursos de pós-graduação, para que o orientador seja informado a respeito do trabalho que o orientando pretende desenvolver. 5.1 Estrutura Os projetos podem obedecer a seguinte estrutura básica, cujos itens serão detalhados a seguir: Elementos pré-textuais = Capa; Folha de Rosto; Sumário; Elementos textuais = Introdução (questão de pesquisa, objetivos, justificativa); Referencial Teórico; Metodologia (tipo de pesquisa, caracterização do universo, técnica de coleta dos dados, método de análise dos dados); Cronograma de Atividades; Elementos pós-textuais = Referências. Para a formatação dos elementos pré-textuais consultar o item 4.1 deste manual. Em relação aos elementos textuais segue breve comentário sobre cada um deles: 5 PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa é o planejamento de uma pesquisa, ou seja, a definição dos caminhos para abordar certa realidade. Deve oferecer respostas do tipo: O que pesquisar? Por que pesquisar? (Justificativa) Para que pesquisar? (Objetivos) Como pesquisar? (Metodologia).
  31. 31. 31 A pesquisa científica precisa ser bem planejada. O planejamento não assegurará, por si só, o sucesso da monografia, mas, com certeza, é um bom caminho para uma monografia de qualidade. O projeto de pesquisa é necessário para obtenção de bolsas de estudo, patrocínio de pesquisas, ser apresentado ao orientador de uma monografia de final de curso, nos cursos de pós-graduação, para que o orientador seja informado a respeito do trabalho que o orientando pretende desenvolver. 5.1 Estrutura Os projetos podem obedecer a seguinte estrutura básica, cujos itens serão detalhados a seguir: - Capa - Folha de Rosto - Sumário - Justificativa - Situação Problema - Formulação de Hipóteses - Objetivos - Referencial Teórico - Metodologia • Tipo de pesquisa • Caracterização do universo • Técnica de Coleta dos dados • Método de Análise dos dados • Tempo previsto - Cronograma - Referências FIGURA 13 – Estrutura de Projeto de Pesquisa OBS.: Projeto de Pesquisa não tem conclusão.
  32. 32. 32 OBJETIVOS Indica-se o que se pretende com o desenvolvimento da pesquisa e quais os resultados esperados, dependendo da natureza do projeto, procede-se à apresentação do objetivo geral e dos específicos, separadamente. JUSTIFICATIVA Consiste na apresentação das razões de ordem teórica e/ou prática que justificam o trabalho de investigação que será desenvolvido. Devem ser considerados os objetivos da instituição e os benefícios que os resultados da pesquisa irão obter. SITUAÇÃO PROBLEMA Deve ser apresentada de forma objetiva e precisa, podendo requerer o emprego de conceitos para elucidar o problema a ser pesquisado. Aconselha-se elaborar perguntas sobre o tema, uma vez que a indagação provoca a problematização do tema a ser investigado. O problema deve ser empírico, suscetível de solução e delimitado a uma dimensão viável com os meios disponíveis, para não se criar uma expectativa além daquilo que se deseja investigar. Não podemos confundir tema com problema. O tema é o assunto geral que é abordado na pesquisa e tem caráter amplo. O problema focaliza o que vai ser investigado do tema de pesquisa. FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES A Hipótese consiste em oferecer uma solução possível, através de uma proposição testável que pode ser considerada verdadeira ou falsa ao final da investigação e que conduzirão o desenvolvimento da pesquisa. REFERENCIAL TEÓRICO O Referencial Teórico deve permitir saber o que já tem sido escrito na área de sua pesquisa. Isto permitirá ao aluno consubstanciar cientificamente sua proposta. O referencial constitui-se na análise comentada dos trabalhos realizados na matéria de enfoque de sua pesquisa. Segundo Severino (2000, p.162), o quadro teórico “constitui universo de princípios, categorias e conceitos, dentro do qual o trabalho do pesquisador se fundamenta e se desenvolve”.
  33. 33. 33 METODOLOGIA A Metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de toda ação desenvolvida no método (caminho) do trabalho de pesquisa. É a explicação do tipo de pesquisa, do instrumental a ser utilizado (questionário, entrevista, observação, etc), o tempo utilizado para a coleta dos dados, as formas de tabulação e tratamento dos dados, enfim, de tudo aquilo que será utilizado na realização do trabalho de pesquisa. • População e amostragem: você deve identificar a população da qual você está retirando a sua amostra. Por exemplo, se sua pesquisa envolve os ex-alunos de Engenharia 2003, sua população é o número total destes ex-alunos de Engenharia, por exemplo 75 alunos. Se você decide então fazer uma amostragem, digamos de 30%, então sua amostra para fins de sua pesquisa será de 23 alunos. • Coleta de dados: neste item você indica como irá operacionalizar a coleta dos dados (enviando questionários por Correio, ou pessoalmente; anotando os resultados da reação em tempos pré-determinados, etc.). • Análise e Interpretação dos Resultados: descreva nesse item como você vai analisar os resultados da pesquisa (se a pesquisa for qualitativa, as respostas podem ser interpretadas global ou individualmente, se a pesquisa for quantitativa, você provavelmente irá utilizar método estatístico). REFERÊNCIAS • As referências devem ser feitas de acordo com as normas da ABNT; • Todo o material consultado, ou seja, livros, artigos científicos, monografias, dissertações, material da Internet, revistas e outros devem ser colocados seguindo a ordem alfabética. 6. ARTIGO CIENTÍFICO 6.1 Definição Parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discutem ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento (ABNT. NBR 6022, 2009, p. 2).
  34. 34. 34 De acordo com a ABNT (NBR 6022, 2009, p.2), três definições são apresentadas para o artigo, são elas: Artigo científico: parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento. Artigo de revisão: parte de uma publicação que resume, analisa e discute informações já publicadas. Artigo original: Parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens originais. Objetivo Consiste em permitir a divulgação dos resultados dos trabalhos de pesquisa, para conhecimento público, não só no sentido do patenteamento da autoria, como também da manifestação de atitudes críticas, que venham contribuir para o aprofundamento e a compreensão inovadora do estudo realizado sobre determinado tema. 6.2 Estrutura A organização do texto A organização do trabalho poderá obedecer a dois grandes paradigmas de acordo com os exemplos abaixo: I- introdução D-desenvolvimento (revisão da literatura e resultados obtidos) C- Considerações Finais I- introdução RMRD- desenvolvimento (revisão da literatura, materiais e métodos, resultados, discussão) C- conclusão Nos dois casos, são descritos todos os procedimentos de realização da pesquisa, com o esclarecimento dos questionamentos sobre os resultados encontrados até o momento e sua
  35. 35. 35 demonstração no artigo científico, considerando o rigor dos aspectos metodológicos envolvidos. Veja o quadro abaixo: ELEMENTTOS PRÉ - TEXTUAIS ELEMENTOS TEXTUAIS ELEMENTOS PÓS - TEXTUAIS Titulo e Subtítulo (se houver) Nome do autor Resumo na língua vernácula do texto Palavras-chave na língua vernácula do texto Modelo IDC Modelo IRMRDC Referências I - Introdução I - Introdução D - Desenvolvimento R– Revisão de Literatura C- Conclusão M – Material e métodos R – Resultados D - Discussão C- Considerações Finais ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Os elementos pré-textuais, compõe-se das informações iniciais necessárias para uma melhor caracterização e reconhecimento da origem e autoria do trabalho: Título e subtítulo: deve ser uma composição de originalidade e coerência, que certamente provocará o interesse pela leitura. O subtítulo é opcional e deve complementar o título com
  36. 36. 36 informações relevantes, necessárias, somente quando for para melhorar a compreensão do tema. Após, o nome do autor e breve currículo que o qualifique na área de conhecimento do artigo. Quando é mais de um autor, normalmente o primeiro nome é o autor principal, ou 1° autor, sendo sempre citado ou referenciado a frente dos demais. Resumo: indica brevemente os principais assuntos abordados no artigo científico, constituído de frases concisas e objetivas, deve apresentar a natureza do problema estudado, os objetivos pretendidos, metodologia utilizada, resultados alcançados e conclusões da pesquisa ou estudo realizado, contendo entre 100 a 250 palavras, descritas em parágrafo único, sem a enumeração de tópicos. Deve-se evitar qualquer tipo de citação bibliográfica. (ABNT.NBR- 6028, 2007) Palavras-chave: São relacionadas de 3 a 5 palavras-chave que expressem as ideias centrais do texto. OBS: Quando o artigo científico é publicado, em revistas ou periódicos especializados de grande penetração nos centros científicos, inclui-se na parte preliminar o abstract e key-words, que são o resumo e as palavras-chave traduzido para o idioma inglês ou outra língua estrangeira de grande fluência. ELEMENTOS TEXTUAIS (MODELO IDC) Compõe-se do texto propriamente dito, sendo a etapa onde apresentamos o assunto e o desenvolvemos, é chamado de “corpo do trabalho”. Como em qualquer outro trabalho acadêmico, os elementos textuais subdividem-se em introdução, desenvolvimento e conclusão. a) Introdução: A introdução apresenta o assunto e delimita o tema, analisando a problemática que será investigada, definindo conceitos e especificando os termos adotados a fim de esclarecer o assunto. Devem constar os objetivos da pesquisa, o problema e as hipóteses de trabalho ou as questões norteadoras (quando for o caso), a justificativa da sua escolha e a metodologia utilizada, com base no referencial teórico pesquisado (GONÇALVES, 2004). A introdução deve criar uma expectativa positiva e o interesse do leitor para a continuação da análise de todo artigo.
  37. 37. 37 b) Desenvolvimento: O elemento textual chamado desenvolvimento é a parte principal do artigo científico, caracterizado pelo aprofundamento e análise pormenorizada dos aspectos conceituais mais importantes do assunto. É onde são amplamente debatidas as ideias e teorias que sustentam o tema (fundamentação teórica), apresentados os procedimentos metodológicos e análise dos resultados em pesquisas de campo, relatos de casos, etc. O autor deve ter domínio sobre o tema abordado, pois quanto maior for o conhecimento a respeito, tanto mais estruturado e completo será o texto. A organização do conteúdo deve possuir uma ordem sequencial progressiva, em função da lógica inerente a qualquer assunto, que uma vez detectada, determina a ordem a ser adotada. Muitas vezes pode ser utilizada a subdivisão do tema em seções e subseções. O desenvolvimento ou parte principal do artigo, nas pesquisas de campo, é onde são detalhados itens como: tipo de pesquisa, população e amostragem, instrumentação, técnica para coleta de dados, tratamento estatístico, análise dos resultados, entre outros, podendo ser enriquecido com gráficos, tabelas e figuras. O título dessa seção, quando for utilizado, não deve estampar a palavra “desenvolvimento” nem “corpo do trabalho”, sendo escolhido um título geral que englobe todo o tema abordado na seção, e subdividido conforme a necessidade. c) Considerações Finais: Parte final do trabalho, na qual são apresentadas as conclusões alcançadas com a pesquisa, deve guardar proporções de tamanho e conteúdo conforme a magnitude do trabalho apresentado. A conclusão deve limitar-se a explicar brevemente as ideias que predominaram no texto como um todo, sem muitas polêmicas ou controvérsias, incluindo, no caso das pesquisas de campo, as principais considerações decorrentes da análise dos resultados. O autor pode nessa parte, conforme o tipo e objetivo da pesquisa, incluir no texto algumas recomendações gerais acerca de novos estudos, sensibilizar os leitores sobre fatos importantes, sugerir decisões urgentes ou práticas mais coerentes de pessoas ou grupos, etc. ELEMENTOS TEXTUAIS (MODELO IRMRDC) a) Introdução
  38. 38. 38 A introdução é a parte inicial do trabalho, “onde são estabelecidos, entre outros aspectos, a delimitação da pesquisa, o problema de que trata e os objetivos desejados”(AZEVEDO, 2001). Termina-se com uma justificativa da escolha do tema e sua relevância social e científica. Devem constar ainda o problema investigado, suas hipóteses ou questões norteadoras da pesquisa se for o caso. (GONÇALVES, 2004) b) Revisão da literatura Debate entre autores pesquisados e deles com o autor do artigo, com o objetivo de identificar o estado da arte. Essa discussão baseia-se na bibliografia disponível e atualizada, especialmente por meio do uso de periódicos científicos. (GONÇALVES, 2004) c) Material (is) e Métodos É neste momento que são apresentados e descritos os métodos, as técnicas os instrumentos de coleta de dados e os equipamentos (esses não deverão ser de uso comum).São permitidas ilustrações explicativas. d) Resultados e Discussão Parte do artigo onde são descritos, explicados e discutidos os resultados, utilizando-se referencial teórico, a fim de argumentar e sustentar o que foi encontrado. Deve conter ilustrações e as tabelas necessárias ao entendimento da pesquisa. ( GONÇALVES, 2004) e) Considerações Finais Parte final do artigo, onde o autor apresenta as conclusões da pesquisa, de modo sintético, com descobertas fundamentadas nos objetivos que foram apresentados, comprova ou refuta as hipóteses, ou confirma as respostas dadas às questões norteadoras, pode apresentar sugestões e recomendações para outros trabalhos. ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS a) Referências: elemento obrigatório, elaborado conforme NBR 6023. b) Apêndice: Elemento opcional “Texto ou documento elaborado pelo autor a fim de complementar o texto principal”. (NBR 14724) c) Anexos: Elemento opcional “texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração”. (NBR 14724)
  39. 39. 39 APRESENTAÇÃO DO ARTIGO O artigo deverá ser escrito considerando um mínimo de 8 e um máximo de 12 páginas. O artigo deve ser elaborado em editor de textos (preferencialmente Microsoft Word) e deverá ser entregue em formato eletrônico. Proporcionalidade de cada elemento textual em relação ao tamanho total do corpo ou parte principal do artigo científico: Número Elemento Textual Proporção 01 Introdução 2 a 3 /12 02 Desenvolvimento 6 a 7 /12 03 Considerações Finais 0,5 a 1/12 Total 12/12 ORDEM DOS TÓPICOS DO ARTIGO a) Título do trabalho: No topo da página, em maiúsculas, centralizado, fonte “Times New Roman” tamanho 14 negrito. Após o título, se não houver subtítulo, deixar duas linhas em branco em fonte tamanho 12. b) Subtítulo: Opcional, logo abaixo do título, sem espaçamento, fonte “Times New Roman” tamanho 12, negrito. Usar maiúsculas e minúsculas seguindo a regra da língua portuguesa. c) Autoria: Abaixo do título, centralizado, fonte “Times New Roman” tamanho 12, em linhas distintas, deverá estar o nome do autor, o nome do curso, e debaixo deste igualmente o nome do coautor (no caso, o orientador) e sua principal instituição de atuação. O nome do autor (es) deve estar em negrito, as demais linhas não. Após a identificação dos autores, deixar uma linha em branco.
  40. 40. 40 d) E-mail do autor principal como nota de rodapé: Utilizando a norma do processador de texto, indicar o e-mail do autor principal no rodapé. e) Resumo: Após os nomes dos autores, escreva “Resumo” em fonte “Times New Roman”, tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. Deixe uma linha em branco. O resumo deve ser 1 parágrafo de no máximo 15 linhas ou até 250 palavras, sem recuo na primeira linha. Usar espaçamento simples, justificado, fonte Times New Roman tamanho 12. Deixar 2 linhas em branco após o resumo. f) Palavras-chave: Após o resumo escreva “Palavras-chave:” em fonte “Times New Roman”, tamanho 12, negrito, alinhado à esquerda. Em seguida liste, de 3 a 5 palavras - chave que identificam a área do artigo e sintetizam sua temática. As palavras escolhidas devem priorizar a abordagem geral do tema e na medida do possível usando grandes áreas do conhecimento. Deixar 2 linhas em branco após as palavras - chave. g) Texto principal: Deve ser subdividido no mínimo, em “1 INTRODUÇÃO”, “2 DESENVOLVIMENTO”, “3 CONSIDERAÇÕES FINAIS”. O texto deve ser escrito usando a fonte Times New Roman tamanho 12. O espaçamento entre as linhas deve ser simples. O alinhamento do texto deve ser justificado e o uso do parágrafo moderno. h) Referências: As referências devem ser colocadas em ordem alfabética dentro das normas técnicas especificadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). 7 ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO 7.1 Citações As citações são trechos transcritos ou informações retiradas das publicações consultadas para a realização do trabalho. São introduzidas no texto com o propósito de esclarecer ou complementar as ideias do autor. A fonte de onde foi extraída a informação deve ser citada obrigatoriamente, respeitando-se desta forma os direitos autorais. As citações bibliográficas podem ser diretas (textuais), indiretas (livres) e através de notas de rodapé. 7.1.1 Citação Direta (textual) É a transcrição literal de textos de outros autores. É reproduzida entre aspas duplas exatamente como consta do original, acompanhada de informações sobre a fonte. Nas
  41. 41. 41 citações diretas deve-se indicar obrigatoriamente, após a data, as páginas da fonte consultada. Uma transcrição dentro de outra é indicada por aspas simples. Exemplos: Para Teixeira (1998, p. 35), “a ideia de que a mente funciona como um computador digital e que este último pode servir de modelo ou metáfora para conceber a mente humana iniciou a partir da década de 40”. Neste contexto, Oliveira (1999, p.20) cita a participação da comunidade na gestão escolar como “uma revolução cultural de dimensões ‘copernicanas’”. Citações Curtas (até três linhas) São inseridas no texto, entre aspas. Exemplo: A Inconfidência é uma “falta de fidelidade para com alguém, particularmente para com o soberano ou o Estado” (FERREIRA, 1979, p.53) Citações Longas (mais de três linhas) Devem constituir um parágrafo independente, recuado (4 cm da margem esquerda), com tamanho de letra menor (10) do que o utilizado no texto e com espaçamento simples e sem aspas. Exemplo: Quando falamos, estamos sujeitos a muitas limitações que não existem no caso da escrita: precisamos manter a atenção do interlocutor, não podemos sobrecarregar sua memória (nem a nossa), não podemos voltar a apagar o que acabamos de dizer, e assim por diante (PERINI, 1980, p.61). 7.1.2 Citação Indireta (livre) Ocorre quando se reproduzem ideias e informações do documento, sem, entretanto transcrever as próprias palavras do autor. Há várias formas de se fazer esse tipo de citação:
  42. 42. 42 Quando o nome do autor faz parte integrante do texto, menciona-se a data da publicação citada entre parênteses, logo após o nome do autor. Exemplo: Como afirma Martins (1984), o futuro desenvolvimento da informação está cada vez mais dependente de um plano unificado de normalização. 7.1.3 Citação de Citação Todo esforço deve ser empreendido para se consultar o documento original. Entretanto, nem sempre é possível o acesso a certos textos. Nesse caso, pode-se reproduzir informação já citada por outros autores, cujos documentos tenham sido efetivamente consultados. Pode-se adotar o seguinte procedimento: No texto, citar o sobrenome do autor do documento não consultado, seguido das expressões: citado por, apud, conforme, segundo, e o sobrenome do autor do documento efetivamente consultado. Em nota de rodapé, mencionar os dados do documento original. Exemplo: No texto Marinho (1980) citado por Marconi e Lakatos (1982), apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação. Marinho (1980) apud Marconi e Lakatos (1982), apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação. Marinho¹ citado por Marconi e Lakatos (1982), apresenta a formulação do problema como uma fase de pesquisa que, sendo bem delimitado, simplifica e facilita a maneira de conduzir a investigação.
  43. 43. 43 Em rodapé: 1 MARINHO, Pedro. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: Vozes, 1980. Na listagem de referências devem-se incluir os dados completos do documento efetivamente consultado. MARCONI, M. A., LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1982. Quando não se usa nota de rodapé, devem-se incluir duas entradas na listagem de referências: • Uma, relacionando o documento não consultado, seguido da expressão apud (citado por) e os dados do documento efetivamente consultado. • Outra, a entrada será feita relacionando apenas os dados da fonte consultada. Exemplos: MARINHO, Pedro. A pesquisa em ciências humanas. Petrópolis: vozes, 1980 apud MARINHO, M. A., LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. MARCONI, M. A., LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1982. Recomendações As recomendações seguintes aplicam-se as citações diretas e indiretas: • Nas citações diretas citar, após a data, a página de onde se transcreveu o trecho. Quando houver coincidência de sobrenomes de autores, acrescentar as iniciais de seus prenomes, se persistirem as coincidências, acrescentam-se os prenomes por extenso. Exemplos: AZEVEDO, C. (1957, p. 34) AZEVEDO, C. (1957, p.34) AZEVEDO, M. (1957, p. 34) AZEVEDO, Cândido (1957, p.34)
  44. 44. 44 • Em se tratando de entidades coletivas conhecidas por sigla, deve-se citar o nome por extenso acompanhado da sigla na primeira citação e, a partir daí, usar apenas a sigla; quando se tratar de citação indireta de mais de um documento de vários autores, indicá-los em ordem alfabética seguidos da respectiva data, separados por ponto e vírgula. Exemplo: O modelo da fonologia gerativa padrão influenciou todas as teorias fonológicas que o seguiram (CHOMSKY; HALLE, 1968; GOLDSMITH, 1990; LADEFOGED, 1982). • Quando se tratar de documentos sem data, registrar uma data aproximada, entre colchetes. Exemplo: MACHADO [ 1915?] • Quando se fizerem acréscimos ou comentários ao texto devem-se indicá-los entre colchetes. Exemplo: “Neste sistema ocorre o vazamento [ ou sua ausência] na produção dos sons” (CRYSTAL, 1997, p.54). 7.1.4 Citação de informações (extraídas das redes de comunicação eletrônica) Considera-se que o objetivo de qualquer citação é permitir sua comprovação ou aprofundamento no tema pelo leitor, também para as informações relativas aos documentos eletrônicos. Para tanto, é necessário citar a fonte- endereço eletrônico-, possibilitando dessa forma que qualquer pessoa possa percorrer o mesmo caminho. Exemplo: No texto Através da lista de discussão do COMUT online¹ soube-se que a mesma já conta com mais de 200 inscritos [...] Em rodapé ___________ 1 listserv@ibict.br
  45. 45. 45 7.2 Notas de rodapé As notas de rodapé destinam-se prestar esclarecimentos ou tecer considerações, que não devam ser incluídas no texto, para não interromper a sequência lógica da leitura. Devem ser reduzidas ao mínimo e situar-se em local tão próximo quanto possível do texto, não sendo aconselhável reuni-las todas no fim de capítulos ou da publicação. Para se realizar a chamada das notas de rodapé, usam-se algarismos arábicos, na entrelinha superior, sem parênteses, com numeração consecutiva para cada capítulo ou parte, evitando-se recomeçar a numeração a cada página. Quando as notas forem em número reduzido, pode-se adotar uma sequência numérica única para todo o texto. Há dois tipos de notas de rodapé: 7.2.1 Notas de referência São em geral utilizadas para indicar fontes bibliográficas, permitindo comprovação ou ampliação de conhecimento do leitor. Indicam textos relacionados com as afirmações contidas no trabalho, remetendo o leitor a outras partes do mesmo trabalho ou outros trabalhos para comparação de resultados. Nas notas de rodapé podem ser incluídas também a tradução de citações feitas em língua estrangeira ou indicação da língua original de citações traduzidas; 7.2.2 Notas explicativas Referem-se a comentários e/ou observações pessoais do autor. Por exemplo, concessão de bolsas e auxílios financeiros para a realização de pesquisa, nomes de instituições, endereços, títulos do autor e outros. São também usadas para indicar dados relativos à comunicação pessoal, a trabalhos não publicados e a originais não consultados, mas citados pelo autor. As notas de rodapé se localizam na margem inferior da mesma página onde ocorre a chamada numérica recebida no texto. São separadas do texto por um traço contínuo de 3 cm e digitadas em espaço simples e com caractere menor que o usado para o texto. São alinhadas pela primeira palavra e sem espaço entre as notas.
  46. 46. 46 8 REFERÊNCIAS 8.1 Conceito Referência é o conjunto de elementos que permitem a identificação no todo ou em parte. Esses elementos podem ser essenciais ou complementares e são extraídos do documento que estiver sendo referenciado. As referências devem aparecer em lista de referências. 8. 2 Recurso Tipográfico O recurso tipográfico (em itálico) utilizado para destacar o elemento título deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento, com exceção quando o elemento de entrada for o próprio título. 8. 3 Regras Gerais de Apresentação As referências são alinhadas à margem esquerda do texto com espaçamento simples e separadas entre si por espaçamento 1,5 e uma única ordem alfabética Para uma melhor recuperação de um documento as referências devem ter alguns elementos indispensáveis, como: Autor (Quem?) Título (O quê?) Edição (Qual a edição?) Local de publicação (Onde?) Editora (Quem publicou?) Data de publicação da obra (Quando?) FIGURA 14 - Elementos indispensáveis nas referências Tais elementos são apresentados de forma padronizada e na sequência apresentada acima. Uma das finalidades da referência é informar a origem das ideias apresentadas no decorrer do
  47. 47. 47 trabalho. Neste sentido, as referências devem ser apresentadas completas para facilitar a localização dos documentos. Modelo básico: SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Edição. Local de Publicação: Editora, Data. Exemplo: SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2002. 8.3.1 Elementos Complementares Os elementos complementares são: indicações de outros tipos de responsabilidade (ilustrador, tradutor, revisor, adaptador, compilador etc.) informações sobre características físicas do suporte material, páginas e/ou volumes, ilustrações, dimensões, série editorial ou coleção, notas e ISBN (International Standard Book Numbering), entre outros. Ao optar pela utilização de elementos complementares, estes devem ser incluídos em todas as referências da lista. 8.3.2 Meio Eletrônico Incluem bases de dados, listas de discussão, BBS (site), arquivos em disco rígido, programas, conjuntos de programas e mensagens eletrônicas entre outros. Elementos essenciais Autor(es), título do serviço ou produto, versão (se houver) e descrição física do meio eletrônico. • Referência em meio eletrônico Serão Acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (CD-ROM, online etc.). Programa software cd-rom MICROSOFT Project for Windows 98: project planning software. version 6.1. [S.l.]: Microsoft Corporation, 1998.1 CD-ROM. 8.3.3 Obras Consultadas online
  48. 48. 48 Quando se tratar de obras consultadas online, também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais , precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento, precedida da expressão Acesso em:, opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora, minutos e segundos. NOTA – Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes. • Banco de dados: PEREIRA, Alaor. Educação e sociedade. [ S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: http://www.bdt.org/avifauna/aves. Acesso em: 25 nov. 2001. E-mail DIAS, Paulo. Políticas públicas [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por mtdias@uol.com.br em 30 jan. 2001. Nota: As mensagens que circulam por intermédio do correio eletrônico devem ser referenciadas somente quando não se dispuser de nenhuma outra fonte para abordar o assunto em discussão. Mensagens trocadas por e-mail têm caráter informal, interpessoal e efêmero e desaparecem rapidamente, não sendo recomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa. FORMAS DE ENTRADA Tipos de entradas • Autores pessoais: a entrada é feita pelo último sobrenome do autor (exceto para sobrenomes compostos) seguido dos prenomes, da mesma forma como constam do documento. Exemplos: MARCONI, Marina de Andrade. LEITE, Eduardo de O. • Sobrenomes compostos: indicam parentesco ( Neto, Filho, Sobrinho ou Júnior) ou compostos de substantivo+adjetivo. Exemplos:
  49. 49. 49 FRANCO NETO, Samuel ARAÚJO SOBRINHO, Matheus PEREIRA FILHO, Aroldo MENEZES JÚNIOR, Mário Marcenes Castellões CASTELO BRANCO, Camilo. • Sobrenomes ligados por hífen Exemplos: DUQUE-ESTRADA, Osório. ROQUETE-PINTO, Edgard. • Documentos elaborados por até três autores Mencionam-se os nomes de todos na mesma ordem em que constam da publicação, separados por ponto e vírgula; Exemplo: SILVA, José Antônio; SOUZA, Cristian de; GONÇALVES, Pedro. • Quando existem mais de três autores Na referência listam-se os três autores separados por ponto e vírgula. Mais de três autores, sem responsabilidade intelectual, coloca-se o primeiro autor, seguido da expressão latina “et al”. Exemplo: CARDOSO, Olavo et al. A busca do desconhecido: a viagem sem fim. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000. • Autoria por responsabilidade
  50. 50. 50 Quando houver indicação explicita de responsabilidade pelo conjunto da obra, em coletâneas de vários autores, a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida da abreviação, no singular, do tipo de participação (organizador, compilador, coordenador etc.), entre parênteses. Exemplo: FERREIRA, Leslie Piccolotto (Org.). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo: Summus, 1991. • Outros tipos de responsabilidade Quando houver outros tipos de responsabilidade (tradutor, revisor, ilustrador entre outros) podem ser acrescentados após o título, conforme aparecem no documento. Exemplos: CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Tradução Vera da Costa e Silva et al. 3. ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1990. • Autor entidade As obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais, empresas, associações, congressos, seminários etc.) têm entrada, de modo geral, pelo seu próprio nome, por extenso. Exemplo: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 10., 1979, Curitiba. Anais... Curitiba: Associação Bibliotecária do Paraná, 1979. 3v. • Entidade (autor) com denominação genérica Seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence. Exemplo: SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a política ambiental do Estado de São Paulo,1993. 35 p.
  51. 51. 51 BRASIL. Ministério da Justiça. Relatório de atividades. Brasília, 1993. 28 p. • Autoria desconhecida A entrada é feita pelo título. Exemplo: DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: [s.n.], 1993. 64 p. • Autoria sucessiva Eventualmente, o(s) nome(s) do(s) autor(es) de várias obras referenciadas sucessivamente, na mesma página, pode(m) ser substituído(s), nas referências seguintes à primeira, por um traço sublinear (equivalente a seis espaços) ( ______. ) e ponto. Nota: Este recurso pode ser usado também para o título. Exemplo: FREYRE, Gilberto. Casa grande senzala: formação da família brasileira sob regime de economia patriarcal. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1943. 2 v. ______. Sobrado e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Nacional, 1936. ______.______. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1936. • Quando o local e/ou editor não são identificados Local não identificado usa-se a expressão sine loco, abreviada entre colchetes [S.l.]. Exemplo: KRIEGER, Gustavo; NOVAES, Luís Antonio; FARIA, Tales. Todos os sócios do presidente. 3. ed. [S.l.]: Scrita, 1992. 195 p. • Editora não identificada usa-se a expressão sine nomine , abreviada entre colchetes [s.n.].
  52. 52. 52 Exemplo: FRANCO, I. Discursos: de outubro de 1992 a agosto de 1993. Brasília, DF: [s.n.], 1993. 107 p. • Local e editora não localizado, usa-se ambas as expressões entre colchetes. [S.l.: s.n.]. Exemplo: GONÇALVES, F. B. A história de Mirador. [S.l.: s.n.], 1993. • Ausência de Data Se nenhuma data de publicação, distribuição, copirraite (copyright), impressão etc. puder ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes, conforme indicado. [1971 ou 1972] um ano ou outro [1969?] data provável [1973] data certa, não indicada no item [entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos [ca.1960] data aproximada [197-] década certa [197-?] década provável [18-] século certo [18-?] século provável • Número de páginas ou folhas Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física, ou seja, um volume, indica-se o número total de páginas. Exemplo: PIAGET, Jean. Para onde vai a educação. 7. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1980. 500 p.
  53. 53. 53 NOTA – A folha é composta de duas páginas: anverso e verso. Alguns trabalhos, como teses e dissertações, são impressos apenas no anverso e, neste caso, indica-se f. como abreviatura de folhas. Exemplo: SENNE JÚNIOR, Murilo. Instrumentação sísmica para centrais nucleares. 1983. 116 f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias Nucleares) - Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. • Sem paginação ou irregular Indica-se esta característica. Exemplo: SISTEMA de ensino Tamandaré: sargentos do Exército e da Aeronáutica. [Rio de Janeiro]: Colégio Curso Tamandaré, 1993. Não paginado. Livro TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. Monografias, dissertações e teses AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Nº de folhas ou volumes. (Categoria e área de concentração) - Nome da Faculdade, Nome da Universidade, cidade, ano da defesa. Exemplos: SENNE JÚNIOR, Murilo. Instrumentação sísmica para centrais nucleares. 1983. 116 f. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias Nucleares) - Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. TAFNER, José. Fatores que interferem na atuação do professor. Blumenau, 1994. 158 p. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade Regional de Blumenau, 1995. BELLO, Isabel Melero. Trajetórias do Curso Normal Superior em São Paulo: das propostas oficiais de formação de professores ao cotidiano das instituições de ensino superior. 2003. 190f. Monografia (Graduação em Pedagogia) – Pontifica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003. Parte de monografia
  54. 54. 54 Autor(es), título da parte, seguidos da expressão “In:”, e da referência completa da monografia no todo. No final deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada. Exemplo: AUTOR DA PARTE REFERENCIADA. Título da parte referenciada. In: AUTOR DO DOCUMENTO. Título do documento. Edição. Local: Editor, data. Número do volume, número do capítulo e/ou página inicial – página final da parte referenciada. Parte de monografia em meio eletrônico MINAS GERAIS (Estado). Secretaria de Transportes. Trabalhando com transportes aéreos. In:______. Transportes e o meio ambiente. Minas Gerais: 2000. v. 1. Disponível em: http:www.secr.esta.transp.areos/atual.html . Acesso em: 8 mar. 2001. Folheto DASEF. Manual de normas da DASEF . 4. ed. Brasília, DF, 1999. 32 p. Dicionário LOFTTEN, A. (Ed.). Dicionário Folha Webster’s: inglês/português, português/inglês. Coeditor Paulo Cazz. São Paulo: A Folha, 1999. Edição exclusiva para o assinante da Folha. Manual PARANÁ (Estado). Secretaria da Saúde. Coordenadoria da Saúde. Estudo de stress no trabalho – EST, relatório de stress no trabalho: manual de orientação. Paraná, 1999. 22 p. (Séries Manuais). Catálogo MUSEU DO OURO (Ouro Preto, MG). Museu de Ouro – Minas Gerais: catálogo. Minas Gerais, 1998. 18 p. Guia BRASIL: roteiros turísticos. São Paulo: Folha da Manhã, 1995. 319 p. (Roteiros turísticos Fiat). Inclui Mapa rodoviário. Almanaque TIROLLY, M. Almanaque para idosos: primeiro semestre ou Almanaque da Saúde na Terceira Idade. São Paulo: Feliz, 2000. Studioma: Arquivo do Estado, (Coleção Almanaques do Bento). Contém iconografia e depoimento sobre o autor.
  55. 55. 55 Capítulo de livro sem autoria especial. O autor do livro é o mesmo autor do capítulo. Exemplo: ABRANOWIEZ, Hugo. Uma nova visão dos negócios na empresa. In: _______ .Guia de gestão do conhecimento nas empresas. Rio de Janeiro: Record, 1998. Cap.11, p.3-21. Capítulo de livro com autoria especial. O autor do capítulo não é o mesmo autor do livro. Exemplo: SANTOS, Francisco dos. A colonização de Porto Seguro. In: CRUZ, Celso da. História da Bahia, 1º grau. 2. ed. Bahia: Sunann, 1995. Cap. 2, p. 18-28. Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc. Exemplo: AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título do periódico, Local de publicação, volume, número do fascículo, página inicial - final, mês ano de publicação. Exemplo: SEKEFF, Gisela. O emprego dos sonhos. Domingo, Rio de Janeiro, ano 26, n. 1344, p. 30- 36, 3 fev. 2002. Artigo de periódico Exemplos: SANTOS, Pedro. Cuidando da Saúde. Revista Saúde Feminina, Rio de Janeiro, v. 4, n.2, p.15- 21, nov.1998. TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. O futuro do Brasil não merece cadeia. Revista de Serviço Social Sociedade. São Paulo: Cortez, 2004, p. 98 – 107.
  56. 56. 56 Artigo e/ou matéria de jornal. (Inclui comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros). Exemplo: AUTOR. Título do artigo. Título do Jornal, Local de publicação, data, número ou título do caderno, seção, suplemento, páginas. Matéria de jornal assinada TORRES, L. Conhecendo o Sul do Brasil. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 2004, Folha Turismo, Caderno 3, p.10. Evento como um todo. Inclui o conjunto dos documentos reunidos num produto final do próprio evento (atas, anais, resultados, proceedings, entre outras denominações). Nome do evento, numeração (se houver), ano e local (cidade) de realização. Em seguida, deve-se mencionar o título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), seguido dos dados de local de publicação, editora e data da publicação. Exemplo: TÍTULO DO EVENTO, nº do evento, data, local, Título da publicação. Local: Editor, ano da publicação número de páginas ou volumes. SEMINÁRIO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO, 3, 1993, Brasília. Anais. Brasília: MEC, 1994. 300 p. Evento em parte AUTOR DA PARTE REFERENCIADA. Título da parte referenciada. In: TÍTULO DO EVENTO, Número, ano de realização, Local. Título da publicação. Local: Editor, Data. volume e/ou página inicial e final. Exemplo: CARVALHO, Kátia. Informação: direito do cidadão. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 14, 1991, Salvador: Associação Profissional dos Bibliotecários do Estado da Bahia, 1991. v. 2, p. 1172-1180.
  57. 57. 57 Documento iconográfico. Inclui pintura, gravura, ilustração, fotografia, desenho técnico, material estereográfico, transparência, cartaz entre outros. Autor, título (quando não existir, deve-se atribuir uma denominação ou a indicação sem título, entre colchetes), data e especificação do suporte. Exemplo: KOBAYASHI, K. Doença dos xavantes. 1980. 1 fotografia. Fotografia Publicada em jornal FRANCO, A. Alencar II. O Estado de São Paulo, São Paulo, 10 out. 2002. Caderno 4, Visuais. P. D2. 1 fot., pb. Foto apresentada no Projeto Amigos da Escola. Documento jurídico. Inclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos legais). Legislação Compreende a Constituição, as emendas constitucionais e os textos legais infraconstitucionais (lei complementar e ordinária, medida provisória, decreto em todas as suas formas, resolução do Senado Federal) e normas emanadas das entidades públicas e privadas (ato normativo, portaria, resolução, ordem de serviço, instrução normativa, comunicado, aviso, circular, decisão administrativa, entre outros). Exemplo: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Resolução n.10/2002, de 14 de agosto de 2002. Aprova a criação do nível de doutorado no Programa de Pós- graduação em Genética, de interesse do Instituto de Ciências Biológicas. Boletim UFMG, Belo Horizonte, v. 29, n. 1377, p. 6, dez. 2002. Jurisprudência (decisões judiciais). Compreende súmulas, enunciados, acórdãos, sentenças e demais decisões judiciais.
  58. 58. 58 Jurisdição e órgão judiciário competente, título (natureza da decisão ou ementa) e número, partes envolvidas (se houver), relator, local, data e dados da publicação. Exemplo: BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº 14. In: ______. Súmulas. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, 1994. p . 16. Doutrina Inclui toda e qualquer discussão técnica sobre questões legais (monografias, artigos de periódicos, papers etc.), referenciada conforme o tipo de publicação. Exemplo: BARROS, Raimundo Gomes de. Ministério Público: sua legitimação frente ao Código do Consumidor. Revista Trimestral de Jurisprudência dos Estados, São Paulo, v. 19, n. 139, p.53-72, ago. 1995. REFERÊNCIAS ALVES-MAZZOTTI, A. J. e GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2 ed. São Paulo: Pioneira, 1999. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023. Informações e documentação – Referências – Elaboração. Rio de janeiro, 2002. 24 p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024. Numeração progressiva das seções de um documento. Rio de janeiro, 2003. 2 p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027. Sumário. Rio de Janeiro, 2003. 2 p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028. Resumos. Rio de Janeiro, 2003. 3 p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520. Informação e documentação – Apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002. 7p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724. Informação e documentação – Trabalhos acadêmicos – Apresentação. Rio de janeiro, 2002. 6 p. FRANÇA, Júnia Lessa et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 5. ed. rev. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.
  59. 59. 59 GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 200 p. __________ . Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 220 p.

×