SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Vigilância em Saúde
Elizabeth Monteiro
Elaine Monteiro
Conceito de Epidemiologia
“É a ciência que estuda o processo saúde-doença em
coletividades humanas, analisando a distribuição e os
fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e
eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas
específicas de prevenção, controle ou erradicação de
doenças, e fornecendo indicadores que sirvam de suporte
ao planejamento, administração e avaliação das ações de
saúde”.
(Rouquayrol, 1994)
O que estuda a Epidemiologia?
 Determinantes: causas ou fatores associados ao risco
aumentado da doença/agravo.
Estados relacionados à saúde: doenças infecciosas,
doenças crônicas, causas externas, problemas
ambientais, entre outros.
Populações: trabalha com grupo de pessoas e não com
indivíduos isolados.
Controle: orientam decisões de saúde pública,
desenvolvimento e intervenções para o controle e
prevenção de problemas de saúde.
Epidemiologia
Estuda a
distribuição
dos problemas
em saúde da
população
Aponta fatores
de risco e
vulnerabilidades
Investiga as
causas dos
problemas
identificados
O conhecimento epidemiológico é
essencial para a prevenção de
doenças/agravos à saúde.
O uso da epidemiologia está diretamente
ligado às ações de saúde, planejamento,
gerenciamento e avaliação dos serviços
de saúde.
 Primária: intercepção dos fatores pré-
patogênicos;
(Promoção da saúde e Proteção Específica)
Secundária: ação no indivíduo, ao nível do estado
da doença – patogênese;
(Diagnóstico, tratamento precoce, limitação do dano)
Terciária: prevenção da incapacidade.
(Reabilitação/Recuperação)
Níveis de Prevenção
Como medir a ocorrência das
Doenças/Agravos?
As medidas de ocorrências expressam a
frequência de ocorrências das doenças/agravos,
incluindo os óbitos.
Medidas de Morbidade (incidência e prevalência)
e Mortalidade.
Incidência
 Equivale ao número de casos novos de uma
doença/agravo que ocorrem em um determinado período
de tempo, em uma população exposta ao risco de adoecer.
Taxa ou
coeficiente
de
incidência
=
nº de casos novos de uma doença, ocorridos em determinada
comunidade, em certo período de tempo
nº de pessoas expostas ao risco de adquirir a
doença no referido período
x 10n
Prevalência
 Equivale ao número de casos existentes de uma
doença/agravo (novos + antigos), que ocorrem em uma
população em um determinado período de tempo.
Taxa ou
coeficiente
de
prevalência
=
nº de casos existentes
população
x 10n
Refere-se às modificações, a longo prazo, dos padrões de
morbidade, invalidez e morte que caracterizam uma
população e que, em geral, ocorrem em conjunto com outras
transformações demográficas, sociais e econômicas.
Transição epidemiológica
No Brasil, ocorreram três mudanças relevantes:
1.Substituição das doenças transmissíveis por
doenças/agravos não transmissíveis entre as primeiras
causas de morte;
2.Maior morbimortalidade nos idosos;
3.Predomínio da morbidade (doenças crônicas) frente à
mortalidade.
Que fatores interferem a saúde das pessoas?
Com as mudanças no perfil
epidemiológico de doenças/agravos que
acometem a população, torna-se
necessário ampliar a análise dos
determinantes sociais da saúde.
Importância da Vigilância em Saúde
Vigilância em Saúde
Tem como objetivo a análise permanente da situação de
saúde da população, articulando-se num conjunto de
ações que se destinam a controlar determinantes, riscos
e danos à saúde de populações que vivem em
determinados territórios, garantindo a integralidade da
atenção, o que inclui tanto a abordagem individual
como coletiva dos problemas de saúde.
(Portaria 3.252, de 22/12/2009, Art. 1º).
A Vigilância em Saúde constitui-se de ações de
promoção da saúde da população, vigilância, proteção,
prevenção e controle das doenças e agravos à saúde,
abrangendo:
I - Vigilância epidemiológica
II - Promoção da saúde
III -Vigilância da situação de saúde
IV - Vigilância em saúde ambiental
V - Vigilância sanitária
VI – Vigilância da saúde do trabalhador
(Portaria 3.252, de 22/12/2009, Art. 2º).
Vigilância em Saúde
Vigilância em Saúde
A produção de informações e análises da situação de
saúde, com o planejamento de ações vinculadas a
determinado cenário e população específica busca a
redução dos fatores de risco e da prevalência de
doenças, consistindo, deste modo em um importante
instrumento de gestão.
Vigilância em Saúde x Promoção da Saúde
A promoção da saúde é um dos eixos centrais
estabelecidos pelo SUS para a construção de uma
abordagem integral do processo saúde-doença, e está
diretamente ligada à vigilância em saúde .
É fundamental desenvolver estratégias de
intervenção em situações de vulnerabilidade que
visem modificar os determinantes sociais, tornando-
os mais favoráveis à saúde.
Política Nacional de Promoção da Saúde
Tem como objetivo promover a qualidade de vida e
reduzir vulnerabilidades e risco à saúde relacionados
aos seus determinantes e condicionantes – modos de
viver, condições de trabalho, habitação, ambiente,
educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços
essenciais.
(Portaria 687, de 30/03/2006)
OBRIGADA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Mario Gandra
 
Saúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et susSaúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et sus
MARY SOUSA
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
Ana Carolina Costa
 
Cartilha de visa
Cartilha de visaCartilha de visa
Cartilha de visa
Everaldo
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
kellyschorro18
 

Mais procurados (20)

Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Saúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et susSaúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et sus
 
Vigilância em saúde
Vigilância em saúdeVigilância em saúde
Vigilância em saúde
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
 
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
Indicadores de saúde, distribuição de doenças no tempo e no espaço, vigilânci...
 
EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
VIGIÂNCIA EM SAÚDE
VIGIÂNCIA EM SAÚDEVIGIÂNCIA EM SAÚDE
VIGIÂNCIA EM SAÚDE
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 
Aula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doencaAula processo-saude-doenca
Aula processo-saude-doenca
 
Cartilha de visa
Cartilha de visaCartilha de visa
Cartilha de visa
 
Aula 3 indicadores de saúde
Aula 3   indicadores de saúdeAula 3   indicadores de saúde
Aula 3 indicadores de saúde
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
 
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxSAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
 
Saúde do Trabalhador
Saúde do TrabalhadorSaúde do Trabalhador
Saúde do Trabalhador
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 

Semelhante a Vigilancia em saude

Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
profsempre
 
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
profsempre
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
jhony
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe[1]SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe[1]
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]
jhony
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
elisreis0601
 
1202257967 epidemiologia 1
1202257967 epidemiologia 11202257967 epidemiologia 1
1202257967 epidemiologia 1
Pelo Siro
 

Semelhante a Vigilancia em saude (20)

Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2Epidemiologia aula 2
Epidemiologia aula 2
 
Resumo de saude publica
Resumo de saude publicaResumo de saude publica
Resumo de saude publica
 
Aula-Epidemiologia (1) (1).pptx
Aula-Epidemiologia (1) (1).pptxAula-Epidemiologia (1) (1).pptx
Aula-Epidemiologia (1) (1).pptx
 
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6Medidas da Saúde Coletiva aula 6
Medidas da Saúde Coletiva aula 6
 
Introdução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptxIntrodução à epidemiologia.pptx
Introdução à epidemiologia.pptx
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
 
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe[1]SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe[1]
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]
 
Epidemiologia conceitos basicos
Epidemiologia   conceitos basicosEpidemiologia   conceitos basicos
Epidemiologia conceitos basicos
 
introduçao epidemio
 introduçao epidemio introduçao epidemio
introduçao epidemio
 
Aula-1-Epidemiologia.ppt
Aula-1-Epidemiologia.pptAula-1-Epidemiologia.ppt
Aula-1-Epidemiologia.ppt
 
Vigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdfVigilância em Saúde.pdf
Vigilância em Saúde.pdf
 
Powerpoint sobre epidemiologia
Powerpoint sobre epidemiologiaPowerpoint sobre epidemiologia
Powerpoint sobre epidemiologia
 
aula de VE.pdf
aula de VE.pdfaula de VE.pdf
aula de VE.pdf
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
 
Aula-Epidemiologia.pptx
Aula-Epidemiologia.pptxAula-Epidemiologia.pptx
Aula-Epidemiologia.pptx
 
1202257967 epidemiologia 1
1202257967 epidemiologia 11202257967 epidemiologia 1
1202257967 epidemiologia 1
 
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptxConceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
Conceitos.historico.e.usos.da.Epidemiologia.Aula.1.pptx
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
Aula 1 de epidemiologia
Aula 1 de epidemiologiaAula 1 de epidemiologia
Aula 1 de epidemiologia
 

Último

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 

Último (10)

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdfAtenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 

Vigilancia em saude

  • 1. Vigilância em Saúde Elizabeth Monteiro Elaine Monteiro
  • 2. Conceito de Epidemiologia “É a ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas, analisando a distribuição e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, controle ou erradicação de doenças, e fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde”. (Rouquayrol, 1994)
  • 3. O que estuda a Epidemiologia?  Determinantes: causas ou fatores associados ao risco aumentado da doença/agravo. Estados relacionados à saúde: doenças infecciosas, doenças crônicas, causas externas, problemas ambientais, entre outros. Populações: trabalha com grupo de pessoas e não com indivíduos isolados. Controle: orientam decisões de saúde pública, desenvolvimento e intervenções para o controle e prevenção de problemas de saúde.
  • 4. Epidemiologia Estuda a distribuição dos problemas em saúde da população Aponta fatores de risco e vulnerabilidades Investiga as causas dos problemas identificados
  • 5. O conhecimento epidemiológico é essencial para a prevenção de doenças/agravos à saúde. O uso da epidemiologia está diretamente ligado às ações de saúde, planejamento, gerenciamento e avaliação dos serviços de saúde.
  • 6.  Primária: intercepção dos fatores pré- patogênicos; (Promoção da saúde e Proteção Específica) Secundária: ação no indivíduo, ao nível do estado da doença – patogênese; (Diagnóstico, tratamento precoce, limitação do dano) Terciária: prevenção da incapacidade. (Reabilitação/Recuperação) Níveis de Prevenção
  • 7. Como medir a ocorrência das Doenças/Agravos? As medidas de ocorrências expressam a frequência de ocorrências das doenças/agravos, incluindo os óbitos. Medidas de Morbidade (incidência e prevalência) e Mortalidade.
  • 8. Incidência  Equivale ao número de casos novos de uma doença/agravo que ocorrem em um determinado período de tempo, em uma população exposta ao risco de adoecer. Taxa ou coeficiente de incidência = nº de casos novos de uma doença, ocorridos em determinada comunidade, em certo período de tempo nº de pessoas expostas ao risco de adquirir a doença no referido período x 10n
  • 9. Prevalência  Equivale ao número de casos existentes de uma doença/agravo (novos + antigos), que ocorrem em uma população em um determinado período de tempo. Taxa ou coeficiente de prevalência = nº de casos existentes população x 10n
  • 10. Refere-se às modificações, a longo prazo, dos padrões de morbidade, invalidez e morte que caracterizam uma população e que, em geral, ocorrem em conjunto com outras transformações demográficas, sociais e econômicas. Transição epidemiológica No Brasil, ocorreram três mudanças relevantes: 1.Substituição das doenças transmissíveis por doenças/agravos não transmissíveis entre as primeiras causas de morte; 2.Maior morbimortalidade nos idosos; 3.Predomínio da morbidade (doenças crônicas) frente à mortalidade.
  • 11. Que fatores interferem a saúde das pessoas?
  • 12. Com as mudanças no perfil epidemiológico de doenças/agravos que acometem a população, torna-se necessário ampliar a análise dos determinantes sociais da saúde. Importância da Vigilância em Saúde
  • 13. Vigilância em Saúde Tem como objetivo a análise permanente da situação de saúde da população, articulando-se num conjunto de ações que se destinam a controlar determinantes, riscos e danos à saúde de populações que vivem em determinados territórios, garantindo a integralidade da atenção, o que inclui tanto a abordagem individual como coletiva dos problemas de saúde. (Portaria 3.252, de 22/12/2009, Art. 1º).
  • 14. A Vigilância em Saúde constitui-se de ações de promoção da saúde da população, vigilância, proteção, prevenção e controle das doenças e agravos à saúde, abrangendo: I - Vigilância epidemiológica II - Promoção da saúde III -Vigilância da situação de saúde IV - Vigilância em saúde ambiental V - Vigilância sanitária VI – Vigilância da saúde do trabalhador (Portaria 3.252, de 22/12/2009, Art. 2º). Vigilância em Saúde
  • 15. Vigilância em Saúde A produção de informações e análises da situação de saúde, com o planejamento de ações vinculadas a determinado cenário e população específica busca a redução dos fatores de risco e da prevalência de doenças, consistindo, deste modo em um importante instrumento de gestão.
  • 16. Vigilância em Saúde x Promoção da Saúde A promoção da saúde é um dos eixos centrais estabelecidos pelo SUS para a construção de uma abordagem integral do processo saúde-doença, e está diretamente ligada à vigilância em saúde . É fundamental desenvolver estratégias de intervenção em situações de vulnerabilidade que visem modificar os determinantes sociais, tornando- os mais favoráveis à saúde.
  • 17. Política Nacional de Promoção da Saúde Tem como objetivo promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidades e risco à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais. (Portaria 687, de 30/03/2006)