SlideShare uma empresa Scribd logo
Place des Terreaux (século XIX)
DADOS TÉCNICOS




•   3ª Viagem de Kardec (3/5)
•   DURAÇÃO: ~ 07 Semanas
•   REALIZAÇÃO: Outono/Inverno de 1862
•   DISTÂNCIA PERCORRIDA: 693 léguas (~4574 km)*
•   Nº DE REUNIÕES: Mais de 50 (cinquenta)
•   CUSTOS: Assumidos integralmente por Kardec.
Place des Terreaux (século XIX)
SUMÁRIO

                      • Prefácio
               • Impressões Gerais
• Discursos pronunciados nas reuniões gerais dos
            espíritas de Lyon e Bordeaux
                     • Discurso I
                    • Discurso II
                    • Discurso III
  • Instruções particulares dadas aos Grupos, em
     resposta a algumas das questões propostas
 • Projeto de Regulamento para o uso de Grupos e
           pequenas Sociedades Espíritas
Place des Terreaux (século XIX)
1.    Albi         LOCAIS VISITADOS
2.    Angoulème
3.    Avignon
4.    Bordeaux
5.    Cette
6.    Lyon
7.    Marcherssur-Garon
8.    Marennes
9.    Marmande
10.   Montpellier
11.   Orléans
12.   Provins
13.   Rochefort
14.   Royan
15.   Saint Gemme
16.   Sens
17.   St. Jean d´Angély
18.   St. Pierre d´Oléron
19.   Toulouse
20.   Tours
21.   Troyes
OBJETIVOS
"(...) nossa viagem tinha um duplo objetivo: dar
instruções onde estas fossem necessárias e, ao mesmo
tempo, nos instruirmos. Queríamos ver as coisas com os
nossos próprios olhos, para julgar do estado real da
Doutrina e da maneira pela qual ela é compreendida;
estudar as causas locais favoráveis ou desfavoráveis ao
seu progresso, sondar as opiniões, apreciar os efeitos da
oposição e da crítica e conhecer o julgamento que se faz
de certas obras. Estávamos desejosos, sobretudo, de
apertar a mão de nossos irmãos espíritas e de lhes
exprimir pessoalmente a nossa mui sincera e viva
simpatia, retribuindo as tocantes provas de amizade que
nos dão em suas cartas (...)” (KARDEC)
AVALIAÇÃO
• Satisfatória e instrutiva pelas observações
  colhidas;
• Há ainda muito o que fazer, mas as dificuldades
  devem ser vistas como estímulos.

“O resultado nos deu grande satisfação
moral sob o duplo aspecto das
observações colhidas e da constatação
dos imensos progressos do
Espiritismo.” (Revista Espírita, Nov/1862)

  “O primeiro resultado que pudemos constatar
  foi o imenso progresso das crenças espíritas.”
AVALIAÇÃO
“Sob vários pontos de vista,
nossa viagem foi muito
satisfatória e, sobretudo, muito
instrutiva pelas observações
que recolhemos. Se pudessem
restar algumas dúvidas quanto
ao caráter irresistível da
marcha da Doutrina e à
impotência dos ataques, sobre
a sua influência moralizadora,
sobre o seu futuro, o que
vimos bastaria para dissipá-
las."
IMPORTÂNCIA DA OBRA
• O contato com o Codificador,
  suas palavras, impressões;
• É como se pudéssemos realizar
  a mesma viagem com Kardec ao
  nosso lado, desfrutando de sua
  presença e dos ensinamentos
  colhidos na fonte do codificador
  (Movimento Espírita).
• É uma oportunidade renovada de aprender com o
  exemplo de Kardec. Seu esforço e dedicação ao
  movimento espírita nascente são convites que
  permanecem vivos 150 anos depois...
IMPORTÂNCIA DA OBRA
“A Viagem Espírita em 1862 é obra em que, de
singular maneira, o ‘homem’ Allan Kardec se nos
revela com sua consciência histórica e, em súbitos
clarões, permite que o vejamos bem próximo de
nós, o ser que já realizou o que intentamos, isto é, a
substancial reforma interior que, só ela, possibilita
a mágica interação: a criatura vivendo no
Espiritismo, o Espiritismo vivendo na criatura.”
(Wallace Leal, prefácio da Edição da Casa Editora O Clarim)

“Muitos, no entanto, ignoram as dificuldades que Kardec
enfrentou para que a Doutrina Espírita se tornasse
conhecida e praticada naqueles tempos tão difíceis do
século XIX, justamente por não compulsarem outros
escritos que ele deixou, enfocando de maneira
surpreendente suas diretrizes para o Movimento Espírita.”
IMPRESSÕES GERAIS DE KARDEC

• Imenso progresso     na adesão ao Espiritismo
  principalmente em Lyon e Bordeaux.

• O Espiritismo penetra em localidades onde era
  desconhecido em parte pela ação dos opositores
  e em outra pelo desejo de investigação e estudo
  dos habitantes locais.

• A natureza das ocupações dos habitantes e certas
  peculiaridades   locais   podem     dificultar a
  penetração do Espiritismo que fica mais no plano
  individual.
• A difusão espírita parte das classes mais
  instruídas ou de mediana cultura para as mais
  populares.

• A nobreza se apresenta quase sempre como
  “simpatizante”, só KARDEC           considera que o
  mais importante é a qualidade e não quantidade e
  destaca a SERIEDADE, o enfoque filosófico, moral
  e instrutivo. Em nenhum lugar viu a diversão em
  torno da teoria e da prática espíritas.

• Os   grupos    espíritas  possuem,   em    sua
  generalidade, uma boa direção e neles reinam a
  ordem e o recolhimento.
• Realizou reuniões com mais de 600 (seiscentos)
  delegados na mais tranqüila ordem.

• Não houve restrições por parte das autoridades e,
  sim, cortesia.

• O número de médiuns multiplica e na maioria se
  tem os MÉDIUNS MORALISTAS. Predominam os
  psicógrafos e é cada vez menos o número de
  efeitos físicos.

• As deserções identificam-se com os objetivos não
  atingidos pelos que buscavam apenas a dimensão
  fenomênica.
• Onde há maior harmonia entre irmãos de um
  grupo, as manifestações são mais instrutivas.

• Declara-se satisfeito com a educação das crianças
  no seio de famílias espíritas e afirma que a
  Doutrina tende a desenvolver melhor os
  sentimentos, base da educação moral.

• Registra a coragem de fé, o devotamento, o
  sacrifício dos confrades, sem qualquer outro
  objetivo que não a busca da finalidade essencial
  do Espiritismo : suas conseqüências morais.
• Destaca o caráter progressivo da Doutrina
  identificado nas próprias mensagens mas chama a
  atenção para as condições favorecedoras de uma
  prática mediúnica verdadeira : FÉ VIVA,
  SENTIMENTOS PUROS E DESINTERESSE MORAL
  (abnegação, humildade, ausência de pretensões
  orgulhosas e de personalismo).

• Identifica   em   uma     localidade Médiuns
  interesseiros e profissionais e comenta seus
  prejuízos.

• Recolhe casos de obsessão que mais tarde
  registraria na Revue Spirite.
ALGUMAS PALAVRAS DE KARDEC




“O Espiritismo tem por divisa: Fora da caridade
não há salvação, o que significa dizer: Fora da
caridade não há verdadeiros espíritas. Concito-vos
a inscrever, doravante, esta dupla máxima em vossa
bandeira, porque ela resume ao mesmo tempo a
finalidade do Espiritismo e o dever que ele impõe.”
ALGUMAS PALAVRAS DE KARDEC
“Tais são, caros irmãos espíritas, os conselhos que
tenho a vos dar. A confiança que houvestes por bem me
conceder é uma garantia de que eles produzirão bons
frutos. Os bons Espíritos que vos assistem vos dizem
todos os dias as mesmas coisas, mas julguei um dever
apresentá-las em conjunto, para melhor ressaltar as
suas consequências. Venho, pois, em nome deles,
lembrar-vos a prática da grande lei de amor e de
fraternidade que em breve deverá reger o mundo e nele
fazer reinarem a paz e a concórdia, sob o estandarte da
caridade para com todos, sem acepção de seitas, de
castas, nem de cores.”
Em resposta aos críticos, enfatiza :

                   O     Espiritismo   “é,
                   sobretudo, todo ele,
                   uma      questão    de
                   princípios. Ele é forte
                   principalmente     por
                   suas consequências
                   morais; ele se faz
                   aceito não porque
                   fecha os olhos mas
                   porque      toca    os
                   corações.”
igor.mateus@oi.com.br
           frassis_pereira@yahoo.com.br




   MUITO
OBRIGADO e
BOA LEITURA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
Lorena Dias
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
Marcel Jefferson Gonçalves
 
Lei de adoração
Lei de adoraçãoLei de adoração
Lei de adoração
Candice Gunther
 
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITASMISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
Jorge Luiz dos Santos
 
A prece
A prece A prece
A prece
Graça Maciel
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
Lisete B.
 
Apresentação do Esde
Apresentação do Esde Apresentação do Esde
Apresentação do Esde
Edna Costa
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
igmateus
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
Leonardo Pereira
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
Marta Gomes
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
Grupo Espírita Cristão
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Bruno Cechinel Filho
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Antonino Silva
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 

Mais procurados (20)

Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
 
Lei de adoração
Lei de adoraçãoLei de adoração
Lei de adoração
 
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITASMISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
 
A prece
A prece A prece
A prece
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
 
Apresentação do Esde
Apresentação do Esde Apresentação do Esde
Apresentação do Esde
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
 
Espírito E Matéria
Espírito E MatériaEspírito E Matéria
Espírito E Matéria
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 

Destaque

Animismo
AnimismoAnimismo
13 herculano pires - mediunidade
13    herculano pires - mediunidade13    herculano pires - mediunidade
13 herculano pires - mediunidade
EWALDO DE SOUZA
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
bonattinho
 
Trabalho Em Grupo
Trabalho Em GrupoTrabalho Em Grupo
Trabalho Em Grupo
cinemaespirita
 
Culto Do Evangelho No Lar
Culto  Do  Evangelho No   LarCulto  Do  Evangelho No   Lar
Culto Do Evangelho No Lar
Home
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
Grupo Espírita Cristão
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
Fórum Espírita
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
Grupo Espírita Cristão
 

Destaque (8)

Animismo
AnimismoAnimismo
Animismo
 
13 herculano pires - mediunidade
13    herculano pires - mediunidade13    herculano pires - mediunidade
13 herculano pires - mediunidade
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
 
Trabalho Em Grupo
Trabalho Em GrupoTrabalho Em Grupo
Trabalho Em Grupo
 
Culto Do Evangelho No Lar
Culto  Do  Evangelho No   LarCulto  Do  Evangelho No   Lar
Culto Do Evangelho No Lar
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
 

Semelhante a Viagem Espírita em 1862

Obras póstumas
Obras póstumasObras póstumas
Obras póstumas
anaccc2013
 
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
Jorge Luiz dos Santos
 
Contrafp2005
Contrafp2005Contrafp2005
Contrafp2005
Alice Lirio
 
( Espiritismo) # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
( Espiritismo)   # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo( Espiritismo)   # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
( Espiritismo) # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
Roberto Mac
 
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
carlos freire
 
Revista espírita 1869
Revista espírita   1869Revista espírita   1869
Revista espírita 1869
anaccc2013
 
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-fosterCelebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Empresário
 
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
Dhankan
 
091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
A ética do livro dos espíritos
A ética do livro dos espíritosA ética do livro dos espíritos
A ética do livro dos espíritos
jomartg
 
Se a mediunidade falasse viii
Se a mediunidade falasse viiiSe a mediunidade falasse viii
Se a mediunidade falasse viii
Marcílio Pereira
 
Serie conhencendo kardec 02
Serie conhencendo kardec 02Serie conhencendo kardec 02
Serie conhencendo kardec 02
Graça Maciel
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
iceanapolis
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
sergio rodrigues onofre
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
iceanapolis
 
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-fosterCelebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Priscila Puga
 
Allan kardec revista espirita 1863 Espiritismo
Allan kardec  revista espirita 1863 EspiritismoAllan kardec  revista espirita 1863 Espiritismo
Allan kardec revista espirita 1863 Espiritismo
Henrique Vieira
 
Allan kardec-centro-espirita
Allan kardec-centro-espiritaAllan kardec-centro-espirita
Allan kardec-centro-espirita
feijaosc
 
Chama de luz 95
Chama de luz 95Chama de luz 95
Chama de luz 95
Neusa Brotto
 
Celebração da disciplina richard j. foster
Celebração da disciplina   richard j. fosterCelebração da disciplina   richard j. foster
Celebração da disciplina richard j. foster
Andre Henrique Torres Ribeiro
 

Semelhante a Viagem Espírita em 1862 (20)

Obras póstumas
Obras póstumasObras póstumas
Obras póstumas
 
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
SEMINÁRIO ESPÍRITA - MÓDULO II -INSTRUÍ-VOS!
 
Contrafp2005
Contrafp2005Contrafp2005
Contrafp2005
 
( Espiritismo) # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
( Espiritismo)   # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo( Espiritismo)   # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
( Espiritismo) # - nadja c vale - reflexoes à luz do espiritismo
 
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
 
Revista espírita 1869
Revista espírita   1869Revista espírita   1869
Revista espírita 1869
 
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-fosterCelebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
 
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
Doutrina espírita para principiantes (luis hu rivas)
 
091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos091028 conclusão de o livro dos espíritos
091028 conclusão de o livro dos espíritos
 
A ética do livro dos espíritos
A ética do livro dos espíritosA ética do livro dos espíritos
A ética do livro dos espíritos
 
Se a mediunidade falasse viii
Se a mediunidade falasse viiiSe a mediunidade falasse viii
Se a mediunidade falasse viii
 
Serie conhencendo kardec 02
Serie conhencendo kardec 02Serie conhencendo kardec 02
Serie conhencendo kardec 02
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
 
Celebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.fosterCelebracaoda disciplina richardj.foster
Celebracaoda disciplina richardj.foster
 
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-fosterCelebracao da-disciplina richard-j-foster
Celebracao da-disciplina richard-j-foster
 
Allan kardec revista espirita 1863 Espiritismo
Allan kardec  revista espirita 1863 EspiritismoAllan kardec  revista espirita 1863 Espiritismo
Allan kardec revista espirita 1863 Espiritismo
 
Allan kardec-centro-espirita
Allan kardec-centro-espiritaAllan kardec-centro-espirita
Allan kardec-centro-espirita
 
Chama de luz 95
Chama de luz 95Chama de luz 95
Chama de luz 95
 
Celebração da disciplina richard j. foster
Celebração da disciplina   richard j. fosterCelebração da disciplina   richard j. foster
Celebração da disciplina richard j. foster
 

Mais de igmateus

Violência não
Violência   nãoViolência   não
Violência não
igmateus
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispírito
igmateus
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
igmateus
 
Obsessão e suas relações com as doenças da alma
Obsessão e suas relações com as doenças da almaObsessão e suas relações com as doenças da alma
Obsessão e suas relações com as doenças da alma
igmateus
 
Amar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmoAmar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmo
igmateus
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
igmateus
 
O Caminho da Felicidade
O Caminho da FelicidadeO Caminho da Felicidade
O Caminho da Felicidade
igmateus
 
O que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescerO que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescer
igmateus
 
Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão
igmateus
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
igmateus
 
A Gratidão como Roteiro de Vida
A Gratidão como Roteiro de VidaA Gratidão como Roteiro de Vida
A Gratidão como Roteiro de Vida
igmateus
 
Auta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico XavierAuta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico Xavier
igmateus
 
Auta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico XavierAuta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico Xavier
igmateus
 
Jesus - Uma Verdade para ser Vivida
Jesus - Uma Verdade para ser VividaJesus - Uma Verdade para ser Vivida
Jesus - Uma Verdade para ser Vivida
igmateus
 
ENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAM
igmateus
 
Como NÃO tornar seu filho um delinquente
Como NÃO tornar seu filho um delinquenteComo NÃO tornar seu filho um delinquente
Como NÃO tornar seu filho um delinquente
igmateus
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
igmateus
 
Caracteres do Verdadeiro Profeta
Caracteres do Verdadeiro ProfetaCaracteres do Verdadeiro Profeta
Caracteres do Verdadeiro Profeta
igmateus
 
Provas da Reencarnação
Provas da ReencarnaçãoProvas da Reencarnação
Provas da Reencarnação
igmateus
 
Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012
igmateus
 

Mais de igmateus (20)

Violência não
Violência   nãoViolência   não
Violência não
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispírito
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
 
Obsessão e suas relações com as doenças da alma
Obsessão e suas relações com as doenças da almaObsessão e suas relações com as doenças da alma
Obsessão e suas relações com as doenças da alma
 
Amar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmoAmar ao próximo como a si mesmo
Amar ao próximo como a si mesmo
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
O Caminho da Felicidade
O Caminho da FelicidadeO Caminho da Felicidade
O Caminho da Felicidade
 
O que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescerO que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescer
 
Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
 
A Gratidão como Roteiro de Vida
A Gratidão como Roteiro de VidaA Gratidão como Roteiro de Vida
A Gratidão como Roteiro de Vida
 
Auta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico XavierAuta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico Xavier
 
Auta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico XavierAuta de Souza e Chico Xavier
Auta de Souza e Chico Xavier
 
Jesus - Uma Verdade para ser Vivida
Jesus - Uma Verdade para ser VividaJesus - Uma Verdade para ser Vivida
Jesus - Uma Verdade para ser Vivida
 
ENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAMENTRENAT 2012 - DAM
ENTRENAT 2012 - DAM
 
Como NÃO tornar seu filho um delinquente
Como NÃO tornar seu filho um delinquenteComo NÃO tornar seu filho um delinquente
Como NÃO tornar seu filho um delinquente
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
 
Caracteres do Verdadeiro Profeta
Caracteres do Verdadeiro ProfetaCaracteres do Verdadeiro Profeta
Caracteres do Verdadeiro Profeta
 
Provas da Reencarnação
Provas da ReencarnaçãoProvas da Reencarnação
Provas da Reencarnação
 
Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012
 

Último

ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (12)

ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

Viagem Espírita em 1862

  • 1.
  • 2. Place des Terreaux (século XIX)
  • 3. DADOS TÉCNICOS • 3ª Viagem de Kardec (3/5) • DURAÇÃO: ~ 07 Semanas • REALIZAÇÃO: Outono/Inverno de 1862 • DISTÂNCIA PERCORRIDA: 693 léguas (~4574 km)* • Nº DE REUNIÕES: Mais de 50 (cinquenta) • CUSTOS: Assumidos integralmente por Kardec.
  • 4. Place des Terreaux (século XIX)
  • 5. SUMÁRIO • Prefácio • Impressões Gerais • Discursos pronunciados nas reuniões gerais dos espíritas de Lyon e Bordeaux • Discurso I • Discurso II • Discurso III • Instruções particulares dadas aos Grupos, em resposta a algumas das questões propostas • Projeto de Regulamento para o uso de Grupos e pequenas Sociedades Espíritas
  • 6. Place des Terreaux (século XIX)
  • 7. 1. Albi LOCAIS VISITADOS 2. Angoulème 3. Avignon 4. Bordeaux 5. Cette 6. Lyon 7. Marcherssur-Garon 8. Marennes 9. Marmande 10. Montpellier 11. Orléans 12. Provins 13. Rochefort 14. Royan 15. Saint Gemme 16. Sens 17. St. Jean d´Angély 18. St. Pierre d´Oléron 19. Toulouse 20. Tours 21. Troyes
  • 8. OBJETIVOS "(...) nossa viagem tinha um duplo objetivo: dar instruções onde estas fossem necessárias e, ao mesmo tempo, nos instruirmos. Queríamos ver as coisas com os nossos próprios olhos, para julgar do estado real da Doutrina e da maneira pela qual ela é compreendida; estudar as causas locais favoráveis ou desfavoráveis ao seu progresso, sondar as opiniões, apreciar os efeitos da oposição e da crítica e conhecer o julgamento que se faz de certas obras. Estávamos desejosos, sobretudo, de apertar a mão de nossos irmãos espíritas e de lhes exprimir pessoalmente a nossa mui sincera e viva simpatia, retribuindo as tocantes provas de amizade que nos dão em suas cartas (...)” (KARDEC)
  • 9.
  • 10. AVALIAÇÃO • Satisfatória e instrutiva pelas observações colhidas; • Há ainda muito o que fazer, mas as dificuldades devem ser vistas como estímulos. “O resultado nos deu grande satisfação moral sob o duplo aspecto das observações colhidas e da constatação dos imensos progressos do Espiritismo.” (Revista Espírita, Nov/1862) “O primeiro resultado que pudemos constatar foi o imenso progresso das crenças espíritas.”
  • 11. AVALIAÇÃO “Sob vários pontos de vista, nossa viagem foi muito satisfatória e, sobretudo, muito instrutiva pelas observações que recolhemos. Se pudessem restar algumas dúvidas quanto ao caráter irresistível da marcha da Doutrina e à impotência dos ataques, sobre a sua influência moralizadora, sobre o seu futuro, o que vimos bastaria para dissipá- las."
  • 12.
  • 13. IMPORTÂNCIA DA OBRA • O contato com o Codificador, suas palavras, impressões; • É como se pudéssemos realizar a mesma viagem com Kardec ao nosso lado, desfrutando de sua presença e dos ensinamentos colhidos na fonte do codificador (Movimento Espírita). • É uma oportunidade renovada de aprender com o exemplo de Kardec. Seu esforço e dedicação ao movimento espírita nascente são convites que permanecem vivos 150 anos depois...
  • 14. IMPORTÂNCIA DA OBRA “A Viagem Espírita em 1862 é obra em que, de singular maneira, o ‘homem’ Allan Kardec se nos revela com sua consciência histórica e, em súbitos clarões, permite que o vejamos bem próximo de nós, o ser que já realizou o que intentamos, isto é, a substancial reforma interior que, só ela, possibilita a mágica interação: a criatura vivendo no Espiritismo, o Espiritismo vivendo na criatura.” (Wallace Leal, prefácio da Edição da Casa Editora O Clarim) “Muitos, no entanto, ignoram as dificuldades que Kardec enfrentou para que a Doutrina Espírita se tornasse conhecida e praticada naqueles tempos tão difíceis do século XIX, justamente por não compulsarem outros escritos que ele deixou, enfocando de maneira surpreendente suas diretrizes para o Movimento Espírita.”
  • 15.
  • 16. IMPRESSÕES GERAIS DE KARDEC • Imenso progresso na adesão ao Espiritismo principalmente em Lyon e Bordeaux. • O Espiritismo penetra em localidades onde era desconhecido em parte pela ação dos opositores e em outra pelo desejo de investigação e estudo dos habitantes locais. • A natureza das ocupações dos habitantes e certas peculiaridades locais podem dificultar a penetração do Espiritismo que fica mais no plano individual.
  • 17. • A difusão espírita parte das classes mais instruídas ou de mediana cultura para as mais populares. • A nobreza se apresenta quase sempre como “simpatizante”, só KARDEC considera que o mais importante é a qualidade e não quantidade e destaca a SERIEDADE, o enfoque filosófico, moral e instrutivo. Em nenhum lugar viu a diversão em torno da teoria e da prática espíritas. • Os grupos espíritas possuem, em sua generalidade, uma boa direção e neles reinam a ordem e o recolhimento.
  • 18. • Realizou reuniões com mais de 600 (seiscentos) delegados na mais tranqüila ordem. • Não houve restrições por parte das autoridades e, sim, cortesia. • O número de médiuns multiplica e na maioria se tem os MÉDIUNS MORALISTAS. Predominam os psicógrafos e é cada vez menos o número de efeitos físicos. • As deserções identificam-se com os objetivos não atingidos pelos que buscavam apenas a dimensão fenomênica.
  • 19. • Onde há maior harmonia entre irmãos de um grupo, as manifestações são mais instrutivas. • Declara-se satisfeito com a educação das crianças no seio de famílias espíritas e afirma que a Doutrina tende a desenvolver melhor os sentimentos, base da educação moral. • Registra a coragem de fé, o devotamento, o sacrifício dos confrades, sem qualquer outro objetivo que não a busca da finalidade essencial do Espiritismo : suas conseqüências morais.
  • 20. • Destaca o caráter progressivo da Doutrina identificado nas próprias mensagens mas chama a atenção para as condições favorecedoras de uma prática mediúnica verdadeira : FÉ VIVA, SENTIMENTOS PUROS E DESINTERESSE MORAL (abnegação, humildade, ausência de pretensões orgulhosas e de personalismo). • Identifica em uma localidade Médiuns interesseiros e profissionais e comenta seus prejuízos. • Recolhe casos de obsessão que mais tarde registraria na Revue Spirite.
  • 21. ALGUMAS PALAVRAS DE KARDEC “O Espiritismo tem por divisa: Fora da caridade não há salvação, o que significa dizer: Fora da caridade não há verdadeiros espíritas. Concito-vos a inscrever, doravante, esta dupla máxima em vossa bandeira, porque ela resume ao mesmo tempo a finalidade do Espiritismo e o dever que ele impõe.”
  • 22. ALGUMAS PALAVRAS DE KARDEC “Tais são, caros irmãos espíritas, os conselhos que tenho a vos dar. A confiança que houvestes por bem me conceder é uma garantia de que eles produzirão bons frutos. Os bons Espíritos que vos assistem vos dizem todos os dias as mesmas coisas, mas julguei um dever apresentá-las em conjunto, para melhor ressaltar as suas consequências. Venho, pois, em nome deles, lembrar-vos a prática da grande lei de amor e de fraternidade que em breve deverá reger o mundo e nele fazer reinarem a paz e a concórdia, sob o estandarte da caridade para com todos, sem acepção de seitas, de castas, nem de cores.”
  • 23. Em resposta aos críticos, enfatiza : O Espiritismo “é, sobretudo, todo ele, uma questão de princípios. Ele é forte principalmente por suas consequências morais; ele se faz aceito não porque fecha os olhos mas porque toca os corações.”
  • 24. igor.mateus@oi.com.br frassis_pereira@yahoo.com.br MUITO OBRIGADO e BOA LEITURA!