SlideShare uma empresa Scribd logo
Obras Póstumas
Codificação
• Obras Póstumas, de
Allan Kardec, veio a
lume em 1890, três
anos após a morte do
autor. Faz parte das
obras complementares
da codificação espírita.
Introdução
• O livro Obras Póstumas é dividido
em duas partes: na primeira delas,
enfatizam-se os aspectos
doutrinários do Espiritismo; na
segunda, os relatos de Allan Kardec
acerca da sua missão e da
constituição do Espiritismo. Há
também a biografia de Allan
Kardec e o discurso pronunciado
sobre o túmulo de Allan Kardec por
Camille Flammarion.
PROFISSÃO DA FÉ ESPÍRITA RACIOCINADA
• Em O Evangelho Segundo o Espiritismo,
Allan Kardec afirma: "Não há fé
inabalável senão aquela que pode encarar
a razão face a face, em todas as épocas da
Humanidade".
• Assim, a profissão de fé baseia-se:
• Deus é a inteligência suprema, causa
primaria de todas as coisas. Deus é o
criador, causa primaria da qual tudo o
mais se origina, tanto o Espírito quanto a
matéria. Em se tratando do corpo, faz ver
que há uma alma, um princípio
inteligente, que é independente da
matéria e sobrevive ao corpo depois da
morte deste. (pág. 31-39)
A MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS
• Discussão sucinta do caráter e das
conseqüências religiosas das
manifestações dos Espíritos,
incluindo os vários tipos de
mediunidade, a função do perispírito
no intercâmbio mediúnico, a
fotografia e telegrafia do pensamento,
além dos vários fenômenos de efeitos
físicos e inteligentes, tão bem
desenvolvidos em O Livro dos
Médiuns. (pág. 41-119)
ESTUDO SOBRE A NATUREZA DO CRISTO
• O dogmatismo religioso aceita a tese da trindade, em que Pai,
Filho e Espírito Santo são três pessoas numa só. Nesse caso,
pode-se considerar o corpo do Cristo como sendo de natureza
fluídica como o fez Roustaing.
• Allan Kardec parte de um outro ângulo. Como não há
registros históricos sobre Cristo, pois Ele não nos deixou
nada escrito, mas somente os registros dos apóstolos, vários
anos depois de sua morte física, Kardec procura investigar as
próprias palavras de Cristo. Para tanto, busca algumas
citações de Jesus. Dentre elas, escolhemos duas:
• "Quem quer que me receba, recebe aquele que me enviou,
porquanto aquele que for o menor entre todos vós será o
‘maior de todos’". (Lucas, 9,48)
• Deduz-se destas duas citações que há um enviado (Cristo) e
um que envia (Deus), portanto de naturezas distintas. (pág.
121-153)
A REGENERAÇÃO DAS ARTES PELO ESPIRITISMO
• Sintetizando os quatro capítulos que tratam deste tema,
poderíamos dizer que:
• Numa visão comparativa, percebemos: 1º) que a arte pagã
enalteceu a perfeição da forma; 2º) que a arte cristã ressalta a
beleza da alma sobre a beleza da forma, embora os seus
autores tenham enfatizado o sofrimento e a morte; 3º) que a
arte espírita, sintetizando as duas anteriores, mostra a
felicidade futura, sem as agruras do fogo eterno e os diversos
tridentes a nos perfurar.
• A beleza, no que tange à forma do corpo evoluiu
sensivelmente. A forma dos corpos se modificou em sentido
determinado e segundo uma lei, à medida que o ser moral se
desenvolveu, o ser físico também. Assim sendo, à medida que
o instintos materiais se depuram e dão lugar aos sentimentos
morais, o envoltório material que já não se destinam à
satisfação de necessidades grosseiras, tomam formas cada vez
menos pesada, mais delicada, de harmonia com a elevação e a
delicadeza das idéias.
ALTERNATIVAS DA HUMANIDADE
• O Niilismo - do lat. nihil, nada, fruto da doutrina materialista - significa
ausência de toda a crença. Como a matéria é a única fonte do ser, a morte é
considerada o fim de tudo. Os adeptos do materialismo incentivam o gozo dos
bens materiais, dizendo que quanto mais usufruirmos deles, mais felizes
seremos. Como se vê, a conseqüência do niilismo é a corrida em busca do
dinheiro, da projeção social e do bem-estar material.
• O Panteísmo - do grego pan, o todo, e Theos, Deus - significa absorção no todo.
De acordo com essa doutrina, o Espírito, ao encarnar, é extraído do todo
universal; individualiza-se em cada ser durante a vida e volta, por efeito da
morte, à massa comum. As conseqüências morais dessa doutrina são
semelhantes às do materialismo, pois ir para o todo, sem individualidade e sem
consciência de si, é como não existir.
• O Dogmatismo Religioso afirma que a alma, independente da matéria, é
criada por ocasião do nascimento do ser; sobrevive e conserva a individualidade
após a morte. A sua sorte já está determinada: os que morreram em "pecado"
irão para o fogo eterno; os justos, para o céu, gozar as delícias do paraíso. Essa
visão deixa sem respostas uma série de anomalias que acompanham a
humanidade, como, por exemplo, os aleijões e a idiotia.
• O Espiritismo mostra-nos que o Espírito, independente da matéria, foi criado
simples e ignorante. Todos partiram do mesmo ponto, sujeitos à lei do progresso.
Aqueles que praticam o bem, evoluem mais rapidamente e fazem parte da legião
dos "anjos", dos "arcanjos" e dos "querubins". Os que praticam o mal, recebem
novas oportunidades de melhoria, através das inúmeras encarnações. (pág. 193-
200)
QUESTÕES E PROBLEMAS
• "As Expiações Coletivas", "O
Egoísmo e o Orgulho", "Liberdade,
Igualdade e Fraternidade", "As
Aristocracias", "Os Desertores" e
"Ligeira Resposta aos Detratores do
Espiritismo" são os capítulos finais
da primeira parte. (pág. 215-261)
2ª. Parte - MISSÃO DE ALLAN KARDEC
• Há diversas anotações acerca da missão de Allan Kardec, desde
o seu primeiro contato com as "mesas girantes", em 1854, a
convite do seu amigo e magnetizador Fortier, até os "Meus
Trabalhos Pessoais e Conselhos Diversos", em 4 de julho de
1868.
• Citemos algumas dessas comunicações: "Meu Guia Espiritual",
25 de março de 1856; "Primeira Revelação de Minha Missão",
30 de abril de 1856; "Minha Missão", 7 de maio de 1856; "A
Tiara Espiritual", 6 de maio de 1857; "Primeiro Anúncio de
uma Nova Encarnação", 17 de janeiro de 1857; "Fundação da
Sociedade Espírita de Paris", 1º de abril de 1858; "Duração de
meus Trabalhos", 24 de janeiro de 1860; "Futuro do
Espiritismo", 15 de abril de 1860; "Auto-de-fé de Barcelona", 9
de outubro de 1861; "Meu Sucessor", 22 de dezembro de 1861;
"A Nova Geração", 30 de janeiro de 1866; "Instruções para a
Saúde do Sr. Allan Kardec", 23 de abril de 1866; "Regeneração
da Humanidade", 25 de abril de 1866; "Meus trabalhos
pessoais. Conselhos Diversos", 4 de julho de 1868. (pág. 266-
336)
PROJETO 1868
• Allan Kardec, com receio de que
pudesse acontecer com o Espiritismo o
mesmo que aconteceu com o
ensinamentos de Jesus, que se perdeu
e gerou muitos cismas, ele procurou
organizá-lo de tal maneira que não
pudesse deixar dúvida sobre a sua
unidade. Dizia que o estabelecimento
teórico da Doutrina e os meios de
propagá-la eram os dois elementos que
concorriam substancialmente para o
progresso do Espiritismo. (pág. 340-
341)
ENSINO ESPÍRITA
• "Um curso regular de Espiritismo
seria professado com o objetivo de
desenvolver os princípios da ciência e
de propagar o gosto pelos estudos
sérios. Esse curso teria a vantagem de
fundar a unidade de princípios, de
fazer adeptos esclarecidos capazes de
difundir as idéias espíritas, e
desenvolver um grande número de
médiuns. Eu olho esse curso como
podendo exercer uma influência
capital sobre o futuro do Espiritismo,
e sobre as suas conseqüências". (pág.
342)
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA DOUTRINA
• "A ciência, disse Allan Kardec, está chamada
a constituir a verdadeira gênese segundo as
leis da Natureza".
• "As descobertas da ciência glorificam a Deus
em lugar de rebaixá-lo; não destroem senão o
que os homens edificaram sobre as idéias
falsas que se fizeram de Deus".
• "O Espiritismo, caminhando com o
progresso, não será jamais ultrapassado,
porque se novas descobertas lhe
demonstrarem que estava no erro sobre um
ponto, modificar-se-á sobre esse ponto; se
uma nova verdade se revela, ele a aceita." (A
Gênese, pág. 39.) (pág. 389-390)
CONCLUSÃO
• Allan Kardec deixa-nos um
legado para a eternidade. O
Espiritismo ainda é
combatido por muitas
religiões. Contudo, quando
a Humanidade se
compenetrar de sua
verdades incontestes a ele
se renderá naturalmente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Graça Maciel
 
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espiritaEsdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
Denise Aguiar
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Elysio Laroide Lugarinho
 
Aula reinos da natureza - eae - 83
Aula   reinos da natureza - eae - 83Aula   reinos da natureza - eae - 83
Aula reinos da natureza - eae - 83
OCIMARMC
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
contatodoutrina2013
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
paikachambi
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
Marcos Accioly
 
Das ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritosDas ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritos
Izabel Cristina Fonseca
 
Mediunidade aula 01
Mediunidade   aula 01Mediunidade   aula 01
Mediunidade aula 01
Augusto Luvisotto
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte
Marta Gomes
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Reencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade DivinaReencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade Divina
Izabel Cristina Fonseca
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Desprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenosDesprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenos
Henrique Vieira
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Anderson Zilli
 

Mais procurados (20)

Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espiritaEsdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
Esdei 01.03 triplice aspecto da doutrina espirita
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
 
Aula reinos da natureza - eae - 83
Aula   reinos da natureza - eae - 83Aula   reinos da natureza - eae - 83
Aula reinos da natureza - eae - 83
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Das ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritosDas ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritos
 
Mediunidade aula 01
Mediunidade   aula 01Mediunidade   aula 01
Mediunidade aula 01
 
2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte2.3.1 - A alma depois da morte
2.3.1 - A alma depois da morte
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Reencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade DivinaReencarnação Oportunidade Divina
Reencarnação Oportunidade Divina
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Desprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenosDesprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenos
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
 

Destaque

Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
Sonia Dalmeida Dalmeida
 
Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual
Levi Antonio Amancio
 
Obras póstumas
Obras póstumasObras póstumas
Obras póstumas
anaccc2013
 
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha espírito lucius)
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha   espírito lucius)Imagens do Além (psicografia heigorina cunha   espírito lucius)
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha espírito lucius)
Darlene Cesar
 
293 iridologia
293 iridologia293 iridologia
293 iridologia
lvfisio
 
Colonias espirituais
Colonias espirituaisColonias espirituais
Colonias espirituais
Izabel Cristina Fonseca
 
Cidade no além (andré luiz e lucius)
Cidade no além (andré luiz e lucius)Cidade no além (andré luiz e lucius)
Cidade no além (andré luiz e lucius)
Sheila Büchele
 
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóideClodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
clodoaldosite
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
Jorge Luiz dos Santos
 
A iris maravilhosa
A iris maravilhosaA iris maravilhosa
A iris maravilhosa
Marcos Dias
 
O ESPÍRITA ALLAN KARDEC
O ESPÍRITA ALLAN KARDECO ESPÍRITA ALLAN KARDEC
O ESPÍRITA ALLAN KARDEC
Jorge Luiz dos Santos
 
IntroduçãO A Iridologia
IntroduçãO A IridologiaIntroduçãO A Iridologia
IntroduçãO A Iridologia
pascalcarvalho
 
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.PpsxAllan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Roque Souza
 
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso LarCinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
Eduardo Henrique Marçal
 
Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
Power Point
 
Colonias espirituais
Colonias espirituais Colonias espirituais
Colonias espirituais
Oceander Veschi
 
A vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5hA vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5h
home
 

Destaque (17)

Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
Dimensoes espirituais do centro espirita (suely caldas schubert)
 
Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual Avida no plano espiritual
Avida no plano espiritual
 
Obras póstumas
Obras póstumasObras póstumas
Obras póstumas
 
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha espírito lucius)
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha   espírito lucius)Imagens do Além (psicografia heigorina cunha   espírito lucius)
Imagens do Além (psicografia heigorina cunha espírito lucius)
 
293 iridologia
293 iridologia293 iridologia
293 iridologia
 
Colonias espirituais
Colonias espirituaisColonias espirituais
Colonias espirituais
 
Cidade no além (andré luiz e lucius)
Cidade no além (andré luiz e lucius)Cidade no além (andré luiz e lucius)
Cidade no além (andré luiz e lucius)
 
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóideClodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
Clodoaldo Pacheco - Constituição hidrogenóide
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
 
A iris maravilhosa
A iris maravilhosaA iris maravilhosa
A iris maravilhosa
 
O ESPÍRITA ALLAN KARDEC
O ESPÍRITA ALLAN KARDECO ESPÍRITA ALLAN KARDEC
O ESPÍRITA ALLAN KARDEC
 
IntroduçãO A Iridologia
IntroduçãO A IridologiaIntroduçãO A Iridologia
IntroduçãO A Iridologia
 
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.PpsxAllan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
 
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso LarCinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
Cinqüenta perguntas sobre o livro Nosso Lar
 
Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
 
Colonias espirituais
Colonias espirituais Colonias espirituais
Colonias espirituais
 
A vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5hA vida no mundo espiritual-1,5h
A vida no mundo espiritual-1,5h
 

Semelhante a Obras Póstumas

Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Antonino Silva
 
teste de impres
teste de impresteste de impres
teste de impres
Lucas Leal
 
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdfevangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
LuizHenriqueTDias
 
D 03 Doutrina Espirita
D 03   Doutrina EspiritaD 03   Doutrina Espirita
D 03 Doutrina Espirita
JPS Junior
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Antonino Silva
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Obras básicas
Obras básicasObras básicas
Obras básicas
Levi Antonio Amancio
 
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na EuropaAula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
contatodoutrina2013
 
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europaAula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
contatodoutrina2013
 
Lançamento de o livro dos espíritos
Lançamento de o livro dos espíritosLançamento de o livro dos espíritos
Lançamento de o livro dos espíritos
Helio Cruz
 
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
carlos freire
 
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan KardecAula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Sergio Lima Dias Junior
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Antonino Silva
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2
Roseli Lemes
 
Aula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan KardecAula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan Kardec
Sergio Lima Dias Junior
 
Apresentação 01 pentateuco
Apresentação 01 pentateucoApresentação 01 pentateuco
Apresentação 01 pentateuco
danieladaj
 
Palestra Allan Kardec
Palestra Allan KardecPalestra Allan Kardec
Palestra Allan Kardec
The Fraternity Spiritist Group
 
Aula espiritismo Historico
Aula espiritismo HistoricoAula espiritismo Historico
Aula espiritismo Historico
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014
grupodepaisceb
 
Allan kardec
Allan kardecAllan kardec

Semelhante a Obras Póstumas (20)

Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
 
teste de impres
teste de impresteste de impres
teste de impres
 
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdfevangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
evangeliza-trpliceaspectookfinal-151111094214-lva1-app6892.pdf
 
D 03 Doutrina Espirita
D 03   Doutrina EspiritaD 03   Doutrina Espirita
D 03 Doutrina Espirita
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
 
Obras básicas
Obras básicasObras básicas
Obras básicas
 
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na EuropaAula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
 
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europaAula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
 
Lançamento de o livro dos espíritos
Lançamento de o livro dos espíritosLançamento de o livro dos espíritos
Lançamento de o livro dos espíritos
 
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
2016 01-17-ce-biografia allan-kardec_e_leon_diniz-sandra_b
 
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan KardecAula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
 
Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2Curso Básico de Espiritismo 2
Curso Básico de Espiritismo 2
 
Aula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan KardecAula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan Kardec
 
Apresentação 01 pentateuco
Apresentação 01 pentateucoApresentação 01 pentateuco
Apresentação 01 pentateuco
 
Palestra Allan Kardec
Palestra Allan KardecPalestra Allan Kardec
Palestra Allan Kardec
 
Aula espiritismo Historico
Aula espiritismo HistoricoAula espiritismo Historico
Aula espiritismo Historico
 
O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014O espiritismo o que é_31mai2014
O espiritismo o que é_31mai2014
 
Allan kardec
Allan kardecAllan kardec
Allan kardec
 

Mais de Alfredo Lopes

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
Alfredo Lopes
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
Alfredo Lopes
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
Alfredo Lopes
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
Alfredo Lopes
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
Alfredo Lopes
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
Alfredo Lopes
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
Alfredo Lopes
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
Alfredo Lopes
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
Alfredo Lopes
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
Alfredo Lopes
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
Alfredo Lopes
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
Alfredo Lopes
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
Alfredo Lopes
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
Alfredo Lopes
 
Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'
Alfredo Lopes
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
Alfredo Lopes
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
Alfredo Lopes
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
Alfredo Lopes
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
Alfredo Lopes
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
Alfredo Lopes
 

Mais de Alfredo Lopes (20)

Acaminhodaluz
AcaminhodaluzAcaminhodaluz
Acaminhodaluz
 
07 02-2
07 02-207 02-2
07 02-2
 
Santa Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismoSanta Catarina e o espiritismo
Santa Catarina e o espiritismo
 
Tablet reencarnação
Tablet  reencarnaçãoTablet  reencarnação
Tablet reencarnação
 
Datashow reencarnação
Datashow reencarnaçãoDatashow reencarnação
Datashow reencarnação
 
O garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killerO garoto que queria virar serial killer
O garoto que queria virar serial killer
 
A batalha do shortinho
A batalha do shortinhoA batalha do shortinho
A batalha do shortinho
 
A felicidade
A felicidadeA felicidade
A felicidade
 
Reencarnação
Reencarnação Reencarnação
Reencarnação
 
Um homem chamado amor
Um homem chamado amorUm homem chamado amor
Um homem chamado amor
 
Coleçao andre luiz
Coleçao andre luizColeçao andre luiz
Coleçao andre luiz
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
 
A atualidade de Emmanuel
A atualidade de EmmanuelA atualidade de Emmanuel
A atualidade de Emmanuel
 
Jesus e a Via Sacra
Jesus e a Via SacraJesus e a Via Sacra
Jesus e a Via Sacra
 
Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'Novela 'Além do Tempo'
Novela 'Além do Tempo'
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
 
O livro dos médiuns
O livro dos médiunsO livro dos médiuns
O livro dos médiuns
 
Leis morais
Leis moraisLeis morais
Leis morais
 
Reforma intima
Reforma intimaReforma intima
Reforma intima
 
Reforma intima tablet
Reforma intima   tabletReforma intima   tablet
Reforma intima tablet
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 

Último (10)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 

Obras Póstumas

  • 2. Codificação • Obras Póstumas, de Allan Kardec, veio a lume em 1890, três anos após a morte do autor. Faz parte das obras complementares da codificação espírita.
  • 3. Introdução • O livro Obras Póstumas é dividido em duas partes: na primeira delas, enfatizam-se os aspectos doutrinários do Espiritismo; na segunda, os relatos de Allan Kardec acerca da sua missão e da constituição do Espiritismo. Há também a biografia de Allan Kardec e o discurso pronunciado sobre o túmulo de Allan Kardec por Camille Flammarion.
  • 4. PROFISSÃO DA FÉ ESPÍRITA RACIOCINADA • Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec afirma: "Não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade". • Assim, a profissão de fé baseia-se: • Deus é a inteligência suprema, causa primaria de todas as coisas. Deus é o criador, causa primaria da qual tudo o mais se origina, tanto o Espírito quanto a matéria. Em se tratando do corpo, faz ver que há uma alma, um princípio inteligente, que é independente da matéria e sobrevive ao corpo depois da morte deste. (pág. 31-39)
  • 5. A MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS • Discussão sucinta do caráter e das conseqüências religiosas das manifestações dos Espíritos, incluindo os vários tipos de mediunidade, a função do perispírito no intercâmbio mediúnico, a fotografia e telegrafia do pensamento, além dos vários fenômenos de efeitos físicos e inteligentes, tão bem desenvolvidos em O Livro dos Médiuns. (pág. 41-119)
  • 6. ESTUDO SOBRE A NATUREZA DO CRISTO • O dogmatismo religioso aceita a tese da trindade, em que Pai, Filho e Espírito Santo são três pessoas numa só. Nesse caso, pode-se considerar o corpo do Cristo como sendo de natureza fluídica como o fez Roustaing. • Allan Kardec parte de um outro ângulo. Como não há registros históricos sobre Cristo, pois Ele não nos deixou nada escrito, mas somente os registros dos apóstolos, vários anos depois de sua morte física, Kardec procura investigar as próprias palavras de Cristo. Para tanto, busca algumas citações de Jesus. Dentre elas, escolhemos duas: • "Quem quer que me receba, recebe aquele que me enviou, porquanto aquele que for o menor entre todos vós será o ‘maior de todos’". (Lucas, 9,48) • Deduz-se destas duas citações que há um enviado (Cristo) e um que envia (Deus), portanto de naturezas distintas. (pág. 121-153)
  • 7. A REGENERAÇÃO DAS ARTES PELO ESPIRITISMO • Sintetizando os quatro capítulos que tratam deste tema, poderíamos dizer que: • Numa visão comparativa, percebemos: 1º) que a arte pagã enalteceu a perfeição da forma; 2º) que a arte cristã ressalta a beleza da alma sobre a beleza da forma, embora os seus autores tenham enfatizado o sofrimento e a morte; 3º) que a arte espírita, sintetizando as duas anteriores, mostra a felicidade futura, sem as agruras do fogo eterno e os diversos tridentes a nos perfurar. • A beleza, no que tange à forma do corpo evoluiu sensivelmente. A forma dos corpos se modificou em sentido determinado e segundo uma lei, à medida que o ser moral se desenvolveu, o ser físico também. Assim sendo, à medida que o instintos materiais se depuram e dão lugar aos sentimentos morais, o envoltório material que já não se destinam à satisfação de necessidades grosseiras, tomam formas cada vez menos pesada, mais delicada, de harmonia com a elevação e a delicadeza das idéias.
  • 8. ALTERNATIVAS DA HUMANIDADE • O Niilismo - do lat. nihil, nada, fruto da doutrina materialista - significa ausência de toda a crença. Como a matéria é a única fonte do ser, a morte é considerada o fim de tudo. Os adeptos do materialismo incentivam o gozo dos bens materiais, dizendo que quanto mais usufruirmos deles, mais felizes seremos. Como se vê, a conseqüência do niilismo é a corrida em busca do dinheiro, da projeção social e do bem-estar material. • O Panteísmo - do grego pan, o todo, e Theos, Deus - significa absorção no todo. De acordo com essa doutrina, o Espírito, ao encarnar, é extraído do todo universal; individualiza-se em cada ser durante a vida e volta, por efeito da morte, à massa comum. As conseqüências morais dessa doutrina são semelhantes às do materialismo, pois ir para o todo, sem individualidade e sem consciência de si, é como não existir. • O Dogmatismo Religioso afirma que a alma, independente da matéria, é criada por ocasião do nascimento do ser; sobrevive e conserva a individualidade após a morte. A sua sorte já está determinada: os que morreram em "pecado" irão para o fogo eterno; os justos, para o céu, gozar as delícias do paraíso. Essa visão deixa sem respostas uma série de anomalias que acompanham a humanidade, como, por exemplo, os aleijões e a idiotia. • O Espiritismo mostra-nos que o Espírito, independente da matéria, foi criado simples e ignorante. Todos partiram do mesmo ponto, sujeitos à lei do progresso. Aqueles que praticam o bem, evoluem mais rapidamente e fazem parte da legião dos "anjos", dos "arcanjos" e dos "querubins". Os que praticam o mal, recebem novas oportunidades de melhoria, através das inúmeras encarnações. (pág. 193- 200)
  • 9. QUESTÕES E PROBLEMAS • "As Expiações Coletivas", "O Egoísmo e o Orgulho", "Liberdade, Igualdade e Fraternidade", "As Aristocracias", "Os Desertores" e "Ligeira Resposta aos Detratores do Espiritismo" são os capítulos finais da primeira parte. (pág. 215-261)
  • 10. 2ª. Parte - MISSÃO DE ALLAN KARDEC • Há diversas anotações acerca da missão de Allan Kardec, desde o seu primeiro contato com as "mesas girantes", em 1854, a convite do seu amigo e magnetizador Fortier, até os "Meus Trabalhos Pessoais e Conselhos Diversos", em 4 de julho de 1868. • Citemos algumas dessas comunicações: "Meu Guia Espiritual", 25 de março de 1856; "Primeira Revelação de Minha Missão", 30 de abril de 1856; "Minha Missão", 7 de maio de 1856; "A Tiara Espiritual", 6 de maio de 1857; "Primeiro Anúncio de uma Nova Encarnação", 17 de janeiro de 1857; "Fundação da Sociedade Espírita de Paris", 1º de abril de 1858; "Duração de meus Trabalhos", 24 de janeiro de 1860; "Futuro do Espiritismo", 15 de abril de 1860; "Auto-de-fé de Barcelona", 9 de outubro de 1861; "Meu Sucessor", 22 de dezembro de 1861; "A Nova Geração", 30 de janeiro de 1866; "Instruções para a Saúde do Sr. Allan Kardec", 23 de abril de 1866; "Regeneração da Humanidade", 25 de abril de 1866; "Meus trabalhos pessoais. Conselhos Diversos", 4 de julho de 1868. (pág. 266- 336)
  • 11. PROJETO 1868 • Allan Kardec, com receio de que pudesse acontecer com o Espiritismo o mesmo que aconteceu com o ensinamentos de Jesus, que se perdeu e gerou muitos cismas, ele procurou organizá-lo de tal maneira que não pudesse deixar dúvida sobre a sua unidade. Dizia que o estabelecimento teórico da Doutrina e os meios de propagá-la eram os dois elementos que concorriam substancialmente para o progresso do Espiritismo. (pág. 340- 341)
  • 12. ENSINO ESPÍRITA • "Um curso regular de Espiritismo seria professado com o objetivo de desenvolver os princípios da ciência e de propagar o gosto pelos estudos sérios. Esse curso teria a vantagem de fundar a unidade de princípios, de fazer adeptos esclarecidos capazes de difundir as idéias espíritas, e desenvolver um grande número de médiuns. Eu olho esse curso como podendo exercer uma influência capital sobre o futuro do Espiritismo, e sobre as suas conseqüências". (pág. 342)
  • 13. PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA DOUTRINA • "A ciência, disse Allan Kardec, está chamada a constituir a verdadeira gênese segundo as leis da Natureza". • "As descobertas da ciência glorificam a Deus em lugar de rebaixá-lo; não destroem senão o que os homens edificaram sobre as idéias falsas que se fizeram de Deus". • "O Espiritismo, caminhando com o progresso, não será jamais ultrapassado, porque se novas descobertas lhe demonstrarem que estava no erro sobre um ponto, modificar-se-á sobre esse ponto; se uma nova verdade se revela, ele a aceita." (A Gênese, pág. 39.) (pág. 389-390)
  • 14. CONCLUSÃO • Allan Kardec deixa-nos um legado para a eternidade. O Espiritismo ainda é combatido por muitas religiões. Contudo, quando a Humanidade se compenetrar de sua verdades incontestes a ele se renderá naturalmente.